ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL - Cap. 7 – Ética e o Progresso

743 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
743
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
13
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

ÉTICA GERAL E PROFISSIONAL - Cap. 7 – Ética e o Progresso

  1. 1. Ética Geral e Profissional Prof. Elvis Magno
  2. 2. Cap. 6 – Ética e o Significado do Estado Princípios Princípios Os fins Os fins Divisão de Poderes; e o fundamentais da fundamentais da Toda história Toda históriajustificam os justificam os Estado deve desinteressar- igualdade igualdade se reduz à se reduz à meios. meios. se do crédito religioso. social, da social, da luta de luta de liberdade liberdade classes. classes. individual. individual. Quanto mais forte for o Quanto mais forte for o Estado, menores serão Estado, menores serão as transgressões. as transgressões. O bem comum não pode O bem comum não pode ser estabelecido pela ser estabelecido pela O Estado é substância O Estado é substância simples soma estatística simples soma estatística ética consciente de si ética consciente de si das opiniões individuais. das opiniões individuais. mesma. mesma.
  3. 3. Cap. 7 – Ética e oProgresso7.1 Comte: As ciências na era do pensar positivo. Problema: Existe uma lei que explique o desenvolvimento do pensamento? Tese: A lei dos três estágios do pensamento humano é o coração do Positivismo. Estágio teológico: infância da humanidade (Filosofia da antiga Grécia). Estágio metafísico: a juventude (A metafísica estuda os princípios da realidade para além das ciências). Positivismo: maturidade (Ciência ‘pura’).
  4. 4. Cap. 7 – Ética e oProgresso 7.1 Comte: As ciências na era do pensar positivo.  Proposições:  Na fase científica (Positivismo), a matemática é aplicada ao estudo das leis físicas efetivas.  As fases iniciais ou juvenis representam etapas necessárias.  A ciência evita perguntar-se qual é a natureza íntima dos objetos que mede.  Positivo: etapa final e definitiva, não se busca mais o "porquê" das coisas, mas sim o "como", por meio da descoberta e do estudo das leis naturais.  A imaginação subordina-se à observação e busca-se apenas pelo observável e concreto.
  5. 5. Cap. 7 – Ética e oProgresso7.2 Marx: O movimento que abole o estado de coisas existente. Problema: Que motivos tornam necessário o advento do comunismo? Tese: A sociedade comunista não nascerá em consequência de uma tensão ética ou utópica, de pregações moralistas contra os desastres sociais produzidos pela propriedade privada, mas acabará inevitavelmente por se impor, como única solução possível do desenvolvimento histórico. O comunismo não é um ideal, mas o movimento real que abole o estado de coisas existentes.
  6. 6. Cap. 7 – Ética e oProgresso 7.2 Marx: O movimento que abole o estado de coisas existente.  Proposições:  A luta operária nasce como protesto individual e de grupo.  Surgimento e desenvolvimento da consciência igualitária.  As crises do capitalismo aceleram a unificação do proletariado.  A centralização das lutas operárias é favorecida pela nova tecnologia industrial e pela velocidade da comunicação.  A tendência à formação de uma classe compacta é irreversível.
  7. 7. Cap. 7 – Ética e oProgresso7.3 Bergson: Evolução não significa progresso. Problema: A teoria da evolução biológica de Darwin deve ser entendida como progresso? Tese: A teoria de Darwin foi interpretada de forma otimista (avanço contínuo das formas de vida). Contudo a natureza desperdiça uma enorme massa de energia em tentativas evolutivas destinadas ao fracasso; não é inteligente, muito menos econômico.
  8. 8. Cap. 7 – Ética e oProgresso 7.3 Bergson: Evolução não significa progresso.  Proposições:  A evolução não se desenvolve de modo planejado.  A seleção natural comporta uma dispersão de energia.  A evolução funda-se numa força cega e irracional.
  9. 9. Cap. 7 – Ética e oProgresso7.4 Bergson: Quando a ciência produz não senso. Problema: De onde nasce a crise da civilização contemporânea? Em que sentido se pode falar de crise da ciência? Tese: A crise diz respeito ao significado da ciência, à sua capacidade de dirigir-se ao homem e à sua espiritualidade, de responder às suas questões fundamentais, sempre relativas aos significados, não aos fatos. Ex. o estudo da história, como afirma a ciência positivista, limita-se aos fatos documentáveis, sem tentar identificar o sentido por detrás dos fatos (os motivos).
  10. 10. Cap. 7 – Ética e oProgresso 7.4 Bergson: Quando a ciência produz não senso.  Proposições:  As ciências exatas nada dizem sobre o homem enquanto ser espiritual e livre.  As ciências humanas (psicologia, história) simulam as ciências exatas, transformando o espírito em um objeto, tratando-o como um fenômeno natural.  A abordagem científica da história leva à perda de significado.  A ciência tende a excluir todo fator de subjetividade.  A fuga da subjetividade afasta o cientista do mundo da vida, o mundo real.
  11. 11. Cap. 7 – Ética e o ProgressoEstágio teológico: infância daEstágio teológico: infância da humanidade. Estágio humanidade. Estágio Contudo a natureza desperdiça uma metafísico: a juventude. metafísico: a juventude. enorme massa de energia em Positivismo: maturidade. Positivismo: maturidade. tentativas evolutivas destinadas ao fracasso; não é inteligente, muito menos econômico. A crise diz respeito ao A sociedade comunista não significado da ciência, à sua A sociedade comunista não nascerá em consequência capacidade de dirigir-se ao nascerá em consequência de uma tensão ética, mas homem e à sua espiritualidade, de uma tensão ética, mas acabará inevitavelmente de responder às suas questões acabará inevitavelmente por se impor. fundamentais, sempre relativas por se impor. aos significados, não aos fatos.

×