SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 22
O trabalho
com
ortografia
na escola
- A história da
ortografia é recente.
- A ortografia é
necessária para
facilitar a
comunicação entre
os homens.
ERRO
X
PROCESSO DE
CRIAÇÃO DA ESCRITA
Mudança da postura
docente diante da
escrita dos alunos
FALA
(dialetal)
ESCRITA
(ortográfica)
E
S
C
R
I
T
A
Envolve produção-criação +
ortografia: várias possibilidades,
seleção de ideias, ordenação de
ideias, apresentação de ideias
Reprodução.
O OBJETIVO DA ESCOLA É
FORMAR ALUNOS QUE
POSSAM LER E PRODUZIR
TEXTOS SIGNIFICATIVOS.
PARA ISSO, ELES
PRECISAM DOMINAR
NORMAS E REGRAS
ORTOGRÁFICAS
QUAL A NATUREZA DOS ERROS
ORTOGRÁFICOS?
REGULARIDADES IRREGULARIDADES
Podem ser
solucionados a
partir de uma
regra
Não tem regras.
Dependem de
memorização
Aprender ortografia é um processo gradual
e complexo que não envolve apenas
memória, mas, também o aprendizado de
regras ortográficas.
REGULARIDADES
Uma proposta pedagógica eficiente deveria considerar a
conscientização e a compreensão da norma ortográfica,
para que haja aquisição satisfatória daquele objeto de
conhecimento. É preciso levar em conta, sobretudo, a qualidade
das experiências a que se vai submeter o aprendiz para que se
tenha, de fato, uma prática pedagógica eficaz (MELO, 2007).
O professor não dá aos alunos uma
regra para memorizar, mas leva-os a
formular suas próprias meta-
explicações e a checá-las, de modo a
que venham abordar a ortografia
estrategicamente (MELO, 2007).
IRREGULARIDADES
Quando não há regras é preciso memorizar a forma correta. Isso
possibilita ao aprendiz o uso gerativo do saber ortográfico,
capacitando-o a ler e a escrever palavras desconhecidas, além da
economia mnemônica, uma vez que a ausência dos princípios
ortográficos sobrecarregaria a memória, encarregada de estabelecer
as conexões feitas quando a pessoa escreve (MELO, 2007).
OS ALUNOS PRECISAM REFLETIR
SOBRE O QUE ESCREVEM
Ao aprender as regras e as palavras
com a necessidade e com o uso, as
crianças têm mais tempo para refletir
sobre o que estão aprendendo e
memorizar a grafia de cada palavra
O DIAGNÓSTICO COMO INSTRUMENTO
PARA O PLANEJAMENTO DO ENSINO
DE ORTOGRAFIA
Artur Gomes de Morais
REFLETINDO SOBRE A ORTOGRAFIA
NA SALA DE AULA
Kátia Leal Reis de Melo
“Saber aonde se deseja chegar, quer em ortografia quer em
outros domínios de conhecimento, parece-nos um princípio
fundamental para a organização de qualquer processo de
ensino. [...] acreditamos que, no caso da norma ortográfica,
para realizar um ensino eficaz, é preciso levar os alunos a
refletir sobre as peculiaridades dela, planejando as
atividades de sala de aula com base no que eles já sabem e
no que ainda precisam saber” (MORAIS, 2007,p. 1, grifos
nossos)
Para ensinar é preciso ter metas e partir
dos conhecimentos prévios dos alunos
No “[...] ensino de ortografia, os instrumentos diagnósticos
cumprem três funções:
1) permitem acompanhar a evolução dos alunos,
2)dão subsídios para o planejamento de atividades a ser
desenvolvidas em sala de aula e
3) constituem objeto de estudo importante na formação
continuada dos professores.
Concebemos que, tal como outras questões em didática, a
elaboração de instrumentos diagnósticos e seu uso para
planejar as atividades do dia-a-dia com os alunos são
competências que, como docentes,
desenvolvemos à medida que temos
oportunidades para fazer e refletir
sobre nossa atuação” (MORAIS, 2007. p. 2).
Alguns princípios ao diagnosticar
conhecimentos ortográficos
1- Mapear
Quando falamos em mapear, estamos pensando em um
acompanhamento organizado do que os alunos aprenderam e do que
ainda precisam aprender sobre nossa norma
“Se nosso intuito é ajustar o ensino às necessidades da classe, precisamos
ter um “retrato” (mapeamento) da situação de cada aluno, a fim de ver o
que são conquistas ou pendências que atingem a maioria da turma, o
que são necessidades de grupos e o que são de alunos específicos. Esse
mapeamento permitirá planejar tanto as metas coletivas (quais
questões ortográficas serão ensinadas a todos durante o ano, o
semestre, cada bimestre) como as metas para alunos ou grupos de
alunos que ainda não superaram certas dificuldades e que precisam de
atendimento diferenciado em relação ao conjunto da turma” (MORAIS,
2007, p. 3).
2- Registrar periodicamente
“Um acompanhamento cuidadoso da evolução do
desempenho ortográfico dos aprendizes torna-se
viável, se registramos periodicamente o que já
dominaram e o que precisam ainda aprender.
Embora, de início, isso pareça trabalhoso, as vantagens
de um registro cuidadoso nos parecem claras: ele
permite comparar, ao longo do tempo, tanto os
progressos de cada aluno, individualmente, como
os alcançados pela turma
como um todo” (MORAIS, 2007, p. 4).
A coerência entre o que se
estabelece como prioridades, o
que se faz como atividades de
ensino e o que se avalia da
aprendizagem dos alunos.
Instrumentos de diagnóstico: algumas
alternativas
1- Textos espontâneos
As produções espontâneas são uma fonte primordial: ao escreverem
seus textos de autoria, os aprendizes demonstram, de forma muito
genuína, as representações que estão elaborando sobre a ortografia.
[...] constituem uma expressão natural do como estão avançando
naquele processo. Conseqüentemente, a leitura dos textos espontâneos
é um dispositivo privilegiado para vermos em que nossos alunos não
têm mais dúvidas, em que erram de modo sistemático e em que revelam
dúvidas, produzindo tanto grafias corretas como erros.
[...] Mas é preciso considerar também que
o uso exclusivo da análise de textos
produzidos espontaneamente tem suas
limitações para os fins de diagnóstico de que
estamos tratando” (MORAIS, 2007, p. 6)
2- Notação de textos ditados
-Ditados de palavras que contêm todas as correspondências
fonográficas que se quer observar no desempenho da turma.
- Não se trata de usar ditados para ensinar ortografia, mas de
fazê-lo com um objetivo muito claro e pontual: diagnosticar, de
forma mais cuidadosa, o domínio de certas correspondências som-
grafia.
- Instrumento que, de forma econômica e rápida, ajuda a ter
amplo retrato (mapeamento) dos conhecimentos ortográficos de
todo um grupo-classe.
-Seu emprego periódico permite ter um dado
mais seguro sobre os avanços realizados
pelos alunos em cada dificuldade
ortográfica que nos interessa avaliar.
SUGESTÕES:
-LEITURA CIRCULAR DA SEÇÃO
“RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA DE
DIAGNÓSTICO E ENSINO SISTEMÁTICOS”
(MORAIS, 2007).
- LEITURA CIRCULAR DA DISCUSSÃO DAS
HIPÓTESES DE PARTIDA (Extratos de
observações 1, 2, 3, 4, 5 e 6) (MELO, 2007).
Uma seqüência didática para o ensino da ortografia
deve (MELO, 2007):
a) Considerar as hipóteses do aluno.
Ponto de vista conceitual. Estabelecer pontes entre esse conhecimento e
formas mais próximas da norma ortográfica convencional
(conhecimento formal).
b) Desenvolver a habilidade metacognitiva.
Solicitação de justificativas e explicações. A colocação de perguntas
pertinentes e desafiadoras e de contra-exemplos propicia momentos de
discussão e reflexão sobre os erros e acertos, as formas de pensar e de
conduzir procedimentos de resolução ante as questões
ortográficas. Isto favorece a metacognição,
convidando o aluno a refletir sobre:
a escrita das palavras, sua própria concepção e a
concepção dos colegas, confrontando-as com a
forma convencional da escrita.
c) Favorecer a interação.
Ações cooperativas entre os alunos e entre estes e o professor na
construção de um saber compartilhado. É importante formar
grupos heterogêneos, valorizando as possibilidades de trocas e
negociações. A interação durante a resolução de um problema
ortográfico, promove a explicitação verbal das hipóteses, recurso
essencial para a explicitação consciente das peculiaridades da
norma.
d) Favorecer o papel de mediador do professor nas etapas de
aquisição.
Exige a formação continuada do professor.
REFERÊNCIAS
MORAIS, Artur Gomes de. O diagnóstico como instrumento para o planejamento
do ensino de ortografia. In: SILVA, Alexsandro da; MORAIS, Artur Gomes de;
MELO Kátia Leal Reis de. (Orgs.). Ortografia na sala de aula. 1ed., 1. reimp.
Belo Horizonte: Autêntica, 2007.
MELO Kátia Leal Reis de. Refletindo sobre a ortografia na sala de aula. In:
SILVA, Alexsandro da; MORAIS, Artur Gomes de; MELO Kátia Leal Reis de.
(Orgs.). Ortografia na sala de aula. 1.ed., 1. reimp. Belo Horizonte: Autêntica,
2007.
VÍDEOS PCN’s na Escola – Língua Portuguesa - MEC
Programa 13 – Por que ensinar ortografia na escola
Programa 14 – Para que aprender ortografia
Programa 15 – Atividades para o trabalho com ortografia

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica
 Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica
Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica♥Marcinhatinelli♥
 
Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...
Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...
Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...Adilson P Motta Motta
 
Aquarela de Toquinho - Análise e entendimento da música
Aquarela  de Toquinho - Análise e entendimento da música Aquarela  de Toquinho - Análise e entendimento da música
Aquarela de Toquinho - Análise e entendimento da música Mary Alvarenga
 
Ficha descritiva 1 ano 1 trimestre
Ficha descritiva 1 ano   1 trimestreFicha descritiva 1 ano   1 trimestre
Ficha descritiva 1 ano 1 trimestreNaysa Taboada
 
Oficina de produção de texto
Oficina de produção de textoOficina de produção de texto
Oficina de produção de textoElia Rejany
 
Descritores de Língua Portuguesa 5º Ano
Descritores de Língua Portuguesa 5º AnoDescritores de Língua Portuguesa 5º Ano
Descritores de Língua Portuguesa 5º AnoProf Barbosa
 
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino FundamentalGênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino FundamentalPaulo Alves de Araujo
 
Sequencia didatica _fabulas
Sequencia didatica _fabulasSequencia didatica _fabulas
Sequencia didatica _fabulasProfessora Cida
 
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral Val Valença
 
Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música
Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música
Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música Mary Alvarenga
 
Conto de suspense e atividade.
Conto  de suspense e  atividade.Conto  de suspense e  atividade.
Conto de suspense e atividade.Mary Alvarenga
 
Apostila alfabetizacao completa_metodo_fonico
Apostila alfabetizacao completa_metodo_fonicoApostila alfabetizacao completa_metodo_fonico
Apostila alfabetizacao completa_metodo_fonicosophia30souza
 
hipóteses da escrita
 hipóteses da escrita hipóteses da escrita
hipóteses da escritaLatife Frota
 
Atividades de caligrafia volume C
Atividades de caligrafia volume CAtividades de caligrafia volume C
Atividades de caligrafia volume CCibelear Rodrigues
 
Ficha de monitoramento dos níveis da escrita
Ficha de monitoramento dos níveis da  escritaFicha de monitoramento dos níveis da  escrita
Ficha de monitoramento dos níveis da escritaAndreá Perez Leinat
 
Frases para ordenar menino maluquinho
Frases para ordenar menino maluquinhoFrases para ordenar menino maluquinho
Frases para ordenar menino maluquinhoCláudia Borges
 
Sequência didática do livro viviana rainha do pijama
Sequência didática do livro viviana rainha do pijamaSequência didática do livro viviana rainha do pijama
Sequência didática do livro viviana rainha do pijamaBete Feliciano
 
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros TextuaisUnidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros TextuaisElaine Cruz
 

Mais procurados (20)

Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica
 Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica
Concepção de alfabetizaação Hipotese alfabetica
 
Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...
Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...
Formulários de avaliação diagnóstica de 1º ao 9ª ano língua portuguesa e mate...
 
Aquarela de Toquinho - Análise e entendimento da música
Aquarela  de Toquinho - Análise e entendimento da música Aquarela  de Toquinho - Análise e entendimento da música
Aquarela de Toquinho - Análise e entendimento da música
 
Ficha descritiva 1 ano 1 trimestre
Ficha descritiva 1 ano   1 trimestreFicha descritiva 1 ano   1 trimestre
Ficha descritiva 1 ano 1 trimestre
 
1 itens alfabeto 2008 a 2013
1 itens alfabeto 2008 a 20131 itens alfabeto 2008 a 2013
1 itens alfabeto 2008 a 2013
 
Oficina de produção de texto
Oficina de produção de textoOficina de produção de texto
Oficina de produção de texto
 
Descritores de Língua Portuguesa 5º Ano
Descritores de Língua Portuguesa 5º AnoDescritores de Língua Portuguesa 5º Ano
Descritores de Língua Portuguesa 5º Ano
 
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino FundamentalGênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
Gênero textual: O Poema 3º Ano do Ensino Fundamental
 
Sequencia didatica _fabulas
Sequencia didatica _fabulasSequencia didatica _fabulas
Sequencia didatica _fabulas
 
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
Guia de aprendizagem de Português 1° ano do Ensino Médio do Tempo Integral
 
Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música
Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música
Meu Abrigo - Análise e entendimento da letra música
 
Conto de suspense e atividade.
Conto  de suspense e  atividade.Conto  de suspense e  atividade.
Conto de suspense e atividade.
 
Apostila alfabetizacao completa_metodo_fonico
Apostila alfabetizacao completa_metodo_fonicoApostila alfabetizacao completa_metodo_fonico
Apostila alfabetizacao completa_metodo_fonico
 
Avaliação de Matematica 2º ano
Avaliação de Matematica 2º anoAvaliação de Matematica 2º ano
Avaliação de Matematica 2º ano
 
hipóteses da escrita
 hipóteses da escrita hipóteses da escrita
hipóteses da escrita
 
Atividades de caligrafia volume C
Atividades de caligrafia volume CAtividades de caligrafia volume C
Atividades de caligrafia volume C
 
Ficha de monitoramento dos níveis da escrita
Ficha de monitoramento dos níveis da  escritaFicha de monitoramento dos níveis da  escrita
Ficha de monitoramento dos níveis da escrita
 
Frases para ordenar menino maluquinho
Frases para ordenar menino maluquinhoFrases para ordenar menino maluquinho
Frases para ordenar menino maluquinho
 
Sequência didática do livro viviana rainha do pijama
Sequência didática do livro viviana rainha do pijamaSequência didática do livro viviana rainha do pijama
Sequência didática do livro viviana rainha do pijama
 
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros TextuaisUnidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
Unidade 5 - PNAIC - Gêneros Textuais
 

Destaque

PNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aula
PNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aulaPNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aula
PNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aulaElieneDias
 
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emíliaHipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emíliaprofeannecunha
 
Minicurso falando de alfabetizacao e letramento
Minicurso falando de alfabetizacao e letramentoMinicurso falando de alfabetizacao e letramento
Minicurso falando de alfabetizacao e letramentoEunice Mendes de Oliveira
 
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01pedagogia para licenciados
 
1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagemAlba Mate Mate
 
A Difícil Arte de Conviver
A Difícil Arte de ConviverA Difícil Arte de Conviver
A Difícil Arte de Conviverlucianaraspa
 
Gestão Democrática Da Educação
Gestão Democrática Da EducaçãoGestão Democrática Da Educação
Gestão Democrática Da Educaçãoregicenci
 
Atividade 3 5_eunice slides a formiga e a neve c
Atividade 3 5_eunice slides a formiga e  a neve   cAtividade 3 5_eunice slides a formiga e  a neve   c
Atividade 3 5_eunice slides a formiga e a neve cEunice Mendes de Oliveira
 
Corrigido planejando as visitas às salas de aula -
Corrigido planejando as visitas às salas de aula -Corrigido planejando as visitas às salas de aula -
Corrigido planejando as visitas às salas de aula -Eunice Mendes de Oliveira
 
Pnaic unidade 3 sea - sistema de escrita alfabetica 1º encontro
Pnaic unidade 3   sea - sistema de escrita alfabetica  1º encontroPnaic unidade 3   sea - sistema de escrita alfabetica  1º encontro
Pnaic unidade 3 sea - sistema de escrita alfabetica 1º encontrotlfleite
 
Ano 2 pnaic 3º encontro blog2
Ano 2 pnaic 3º encontro blog2Ano 2 pnaic 3º encontro blog2
Ano 2 pnaic 3º encontro blog2miesbella
 

Destaque (20)

PNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aula
PNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aulaPNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aula
PNAIC - Refletindo sobre a ortografia na sala de aula
 
A arte de contar histórias
A arte de contar históriasA arte de contar histórias
A arte de contar histórias
 
Eunice
EuniceEunice
Eunice
 
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emíliaHipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
Hipóteses da psicogênese da língua escrita segundo emília
 
Pacto nacional unidade 3 ano 1
Pacto nacional unidade 3 ano 1Pacto nacional unidade 3 ano 1
Pacto nacional unidade 3 ano 1
 
O menino que_aprendeu_a_ler[1]
O menino que_aprendeu_a_ler[1]O menino que_aprendeu_a_ler[1]
O menino que_aprendeu_a_ler[1]
 
Minicurso falando de alfabetizacao e letramento
Minicurso falando de alfabetizacao e letramentoMinicurso falando de alfabetizacao e letramento
Minicurso falando de alfabetizacao e letramento
 
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
Apresentaopsicognesedalnguaescrita 110616193411-phpapp01
 
Devocional diario (1)
Devocional diario (1)Devocional diario (1)
Devocional diario (1)
 
1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem1.processo de ensino e aprendizagem
1.processo de ensino e aprendizagem
 
Mensagem ao professor
Mensagem ao professorMensagem ao professor
Mensagem ao professor
 
A Difícil Arte de Conviver
A Difícil Arte de ConviverA Difícil Arte de Conviver
A Difícil Arte de Conviver
 
Gestão Democrática Da Educação
Gestão Democrática Da EducaçãoGestão Democrática Da Educação
Gestão Democrática Da Educação
 
Trabahando com crianças do berçário
Trabahando com crianças do berçárioTrabahando com crianças do berçário
Trabahando com crianças do berçário
 
Dona Licinha conto1
Dona Licinha    conto1Dona Licinha    conto1
Dona Licinha conto1
 
Atividade 3 5_eunice slides a formiga e a neve c
Atividade 3 5_eunice slides a formiga e  a neve   cAtividade 3 5_eunice slides a formiga e  a neve   c
Atividade 3 5_eunice slides a formiga e a neve c
 
Corrigido planejando as visitas às salas de aula -
Corrigido planejando as visitas às salas de aula -Corrigido planejando as visitas às salas de aula -
Corrigido planejando as visitas às salas de aula -
 
Pnaic unidade 3 sea - sistema de escrita alfabetica 1º encontro
Pnaic unidade 3   sea - sistema de escrita alfabetica  1º encontroPnaic unidade 3   sea - sistema de escrita alfabetica  1º encontro
Pnaic unidade 3 sea - sistema de escrita alfabetica 1º encontro
 
Ano 2 pnaic 3º encontro blog2
Ano 2 pnaic 3º encontro blog2Ano 2 pnaic 3º encontro blog2
Ano 2 pnaic 3º encontro blog2
 
1 power~1
1 power~11 power~1
1 power~1
 

Semelhante a PNAIC - O trabalho com ortografia na escola

PNAIC - Ano 2 unidade 2
PNAIC - Ano 2   unidade 2PNAIC - Ano 2   unidade 2
PNAIC - Ano 2 unidade 2ElieneDias
 
Unidade 2 - ano 2 - Planejamento
Unidade 2 - ano 2 - PlanejamentoUnidade 2 - ano 2 - Planejamento
Unidade 2 - ano 2 - PlanejamentoBete Feliciano
 
Apropiação do sistema de escrita alfabética
Apropiação do sistema de escrita alfabéticaApropiação do sistema de escrita alfabética
Apropiação do sistema de escrita alfabéticaMagda Marques
 
Ortografialivro 130820100646-phpapp01
Ortografialivro 130820100646-phpapp01Ortografialivro 130820100646-phpapp01
Ortografialivro 130820100646-phpapp01Aretuza Ladeia Lima
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoMagda Marques
 
Pnaic sintese unidade 2 from juliana arruda
Pnaic sintese unidade 2 from juliana arrudaPnaic sintese unidade 2 from juliana arruda
Pnaic sintese unidade 2 from juliana arrudatlfleite
 
Inquietações presentes nas vozes dos professores acerca dos
Inquietações presentes nas vozes dos professores acerca dosInquietações presentes nas vozes dos professores acerca dos
Inquietações presentes nas vozes dos professores acerca dosescolaceconello
 
Pnaic planejamento e rotina unidade 2 fechamento
Pnaic planejamento e rotina unidade 2 fechamentoPnaic planejamento e rotina unidade 2 fechamento
Pnaic planejamento e rotina unidade 2 fechamentotlfleite
 
Planejamento 1ºano
Planejamento 1ºanoPlanejamento 1ºano
Planejamento 1ºanomiesbella
 
Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01
Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01
Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01Agnes Freitas
 

Semelhante a PNAIC - O trabalho com ortografia na escola (20)

O aprimoramento da escrita
O aprimoramento da escritaO aprimoramento da escrita
O aprimoramento da escrita
 
Escrita
Escrita Escrita
Escrita
 
Candida certo vilma
Candida certo vilmaCandida certo vilma
Candida certo vilma
 
PNAIC - Ano 2 unidade 2
PNAIC - Ano 2   unidade 2PNAIC - Ano 2   unidade 2
PNAIC - Ano 2 unidade 2
 
Slidedialogado
SlidedialogadoSlidedialogado
Slidedialogado
 
Caderno 3 ano lp vol 1
Caderno 3 ano lp   vol 1Caderno 3 ano lp   vol 1
Caderno 3 ano lp vol 1
 
Unidade 2 - ano 2 - Planejamento
Unidade 2 - ano 2 - PlanejamentoUnidade 2 - ano 2 - Planejamento
Unidade 2 - ano 2 - Planejamento
 
Apropiação do sistema de escrita alfabética
Apropiação do sistema de escrita alfabéticaApropiação do sistema de escrita alfabética
Apropiação do sistema de escrita alfabética
 
Ortografialivro 130820100646-phpapp01
Ortografialivro 130820100646-phpapp01Ortografialivro 130820100646-phpapp01
Ortografialivro 130820100646-phpapp01
 
52820 6190
52820 619052820 6190
52820 6190
 
Alfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
 
2 ª ReplicaçãO
2 ª ReplicaçãO2 ª ReplicaçãO
2 ª ReplicaçãO
 
Daiana godinho
Daiana godinhoDaiana godinho
Daiana godinho
 
Oficina alfabetizacao
Oficina alfabetizacaoOficina alfabetizacao
Oficina alfabetizacao
 
Pnaic sintese unidade 2 from juliana arruda
Pnaic sintese unidade 2 from juliana arrudaPnaic sintese unidade 2 from juliana arruda
Pnaic sintese unidade 2 from juliana arruda
 
Metodos
MetodosMetodos
Metodos
 
Inquietações presentes nas vozes dos professores acerca dos
Inquietações presentes nas vozes dos professores acerca dosInquietações presentes nas vozes dos professores acerca dos
Inquietações presentes nas vozes dos professores acerca dos
 
Pnaic planejamento e rotina unidade 2 fechamento
Pnaic planejamento e rotina unidade 2 fechamentoPnaic planejamento e rotina unidade 2 fechamento
Pnaic planejamento e rotina unidade 2 fechamento
 
Planejamento 1ºano
Planejamento 1ºanoPlanejamento 1ºano
Planejamento 1ºano
 
Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01
Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01
Minicursofalandodealfabetizacaoeletramento 131026133703-phpapp01
 

Mais de ElieneDias

PNAIC 2015 - Luas e luas
PNAIC 2015 - Luas e luas PNAIC 2015 - Luas e luas
PNAIC 2015 - Luas e luas ElieneDias
 
PNAIC 2015 - Texto 4 o lugar da cultura escrita na educação da criança
PNAIC 2015 - Texto 4   o lugar da cultura escrita na educação da criançaPNAIC 2015 - Texto 4   o lugar da cultura escrita na educação da criança
PNAIC 2015 - Texto 4 o lugar da cultura escrita na educação da criançaElieneDias
 
Texto 03 A criança, a educaçaõ infantil e o ensino fundamental de nove anos
Texto 03   A criança, a educaçaõ infantil e o ensino fundamental de nove anosTexto 03   A criança, a educaçaõ infantil e o ensino fundamental de nove anos
Texto 03 A criança, a educaçaõ infantil e o ensino fundamental de nove anosElieneDias
 
PNAIC 2015 - Texto 02 A criança no ciclo de alfabetização
PNAIC 2015 - Texto 02 A criança no ciclo de alfabetizaçãoPNAIC 2015 - Texto 02 A criança no ciclo de alfabetização
PNAIC 2015 - Texto 02 A criança no ciclo de alfabetizaçãoElieneDias
 
PNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educação
PNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educaçãoPNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educação
PNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educaçãoElieneDias
 
PNAIC 2015 - Brincadeiras de criança
PNAIC 2015 - Brincadeiras de criança PNAIC 2015 - Brincadeiras de criança
PNAIC 2015 - Brincadeiras de criança ElieneDias
 
PNAIC 2015 - A roda
PNAIC 2015 - A roda   PNAIC 2015 - A roda
PNAIC 2015 - A roda ElieneDias
 
PNAIC 2015 - Jogos e interdisciplinaridade
PNAIC 2015 - Jogos e interdisciplinaridadePNAIC 2015 - Jogos e interdisciplinaridade
PNAIC 2015 - Jogos e interdisciplinaridadeElieneDias
 
PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...
PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...
PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...ElieneDias
 
PNAIC 2015 - Sequência didática majê molê.
PNAIC 2015 - Sequência didática majê molê.PNAIC 2015 - Sequência didática majê molê.
PNAIC 2015 - Sequência didática majê molê.ElieneDias
 
PNAIC 2015 - Formas de apresentação de histórias
PNAIC 2015 - Formas de apresentação de histórias  PNAIC 2015 - Formas de apresentação de histórias
PNAIC 2015 - Formas de apresentação de histórias ElieneDias
 
PNAIC 2015 - Educação do campo
PNAIC 2015 - Educação do campoPNAIC 2015 - Educação do campo
PNAIC 2015 - Educação do campoElieneDias
 
PNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade
PNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidadePNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade
PNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidadeElieneDias
 
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)ElieneDias
 
PNAIC 2015 - A dança da lingua e linguagem da dança
PNAIC 2015 - A dança da lingua e linguagem da dançaPNAIC 2015 - A dança da lingua e linguagem da dança
PNAIC 2015 - A dança da lingua e linguagem da dançaElieneDias
 
Lilito um amor de caracol
Lilito um amor de caracolLilito um amor de caracol
Lilito um amor de caracolElieneDias
 
PNAIC 2015 - Caderno 1 Currículo
PNAIC 2015 - Caderno 1 CurrículoPNAIC 2015 - Caderno 1 Currículo
PNAIC 2015 - Caderno 1 CurrículoElieneDias
 
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemas
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemasPNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemas
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemasElieneDias
 
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações com números profa. shirley
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações com números   profa. shirleyPNAIC - MATEMÁTICA - Operações com números   profa. shirley
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações com números profa. shirleyElieneDias
 
PNAIC - MATEMÁTICA - Cálculos e algoritmos
PNAIC - MATEMÁTICA - Cálculos e algoritmosPNAIC - MATEMÁTICA - Cálculos e algoritmos
PNAIC - MATEMÁTICA - Cálculos e algoritmosElieneDias
 

Mais de ElieneDias (20)

PNAIC 2015 - Luas e luas
PNAIC 2015 - Luas e luas PNAIC 2015 - Luas e luas
PNAIC 2015 - Luas e luas
 
PNAIC 2015 - Texto 4 o lugar da cultura escrita na educação da criança
PNAIC 2015 - Texto 4   o lugar da cultura escrita na educação da criançaPNAIC 2015 - Texto 4   o lugar da cultura escrita na educação da criança
PNAIC 2015 - Texto 4 o lugar da cultura escrita na educação da criança
 
Texto 03 A criança, a educaçaõ infantil e o ensino fundamental de nove anos
Texto 03   A criança, a educaçaõ infantil e o ensino fundamental de nove anosTexto 03   A criança, a educaçaõ infantil e o ensino fundamental de nove anos
Texto 03 A criança, a educaçaõ infantil e o ensino fundamental de nove anos
 
PNAIC 2015 - Texto 02 A criança no ciclo de alfabetização
PNAIC 2015 - Texto 02 A criança no ciclo de alfabetizaçãoPNAIC 2015 - Texto 02 A criança no ciclo de alfabetização
PNAIC 2015 - Texto 02 A criança no ciclo de alfabetização
 
PNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educação
PNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educaçãoPNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educação
PNAIC 2015 - Texto 01 Concepção de infância, criança e educação
 
PNAIC 2015 - Brincadeiras de criança
PNAIC 2015 - Brincadeiras de criança PNAIC 2015 - Brincadeiras de criança
PNAIC 2015 - Brincadeiras de criança
 
PNAIC 2015 - A roda
PNAIC 2015 - A roda   PNAIC 2015 - A roda
PNAIC 2015 - A roda
 
PNAIC 2015 - Jogos e interdisciplinaridade
PNAIC 2015 - Jogos e interdisciplinaridadePNAIC 2015 - Jogos e interdisciplinaridade
PNAIC 2015 - Jogos e interdisciplinaridade
 
PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...
PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...
PNAIC 2015 - Uma experiência com os textos da tradição oral no ciclo de alfab...
 
PNAIC 2015 - Sequência didática majê molê.
PNAIC 2015 - Sequência didática majê molê.PNAIC 2015 - Sequência didática majê molê.
PNAIC 2015 - Sequência didática majê molê.
 
PNAIC 2015 - Formas de apresentação de histórias
PNAIC 2015 - Formas de apresentação de histórias  PNAIC 2015 - Formas de apresentação de histórias
PNAIC 2015 - Formas de apresentação de histórias
 
PNAIC 2015 - Educação do campo
PNAIC 2015 - Educação do campoPNAIC 2015 - Educação do campo
PNAIC 2015 - Educação do campo
 
PNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade
PNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidadePNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade
PNAIC 2015 - Currículo na perspectiva da inclusão e da diversidade
 
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)
PNAIC 2015 - Ciclo de alfabetização e os direitos de aprendizagem (1)
 
PNAIC 2015 - A dança da lingua e linguagem da dança
PNAIC 2015 - A dança da lingua e linguagem da dançaPNAIC 2015 - A dança da lingua e linguagem da dança
PNAIC 2015 - A dança da lingua e linguagem da dança
 
Lilito um amor de caracol
Lilito um amor de caracolLilito um amor de caracol
Lilito um amor de caracol
 
PNAIC 2015 - Caderno 1 Currículo
PNAIC 2015 - Caderno 1 CurrículoPNAIC 2015 - Caderno 1 Currículo
PNAIC 2015 - Caderno 1 Currículo
 
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemas
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemasPNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemas
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações na resolução problemas
 
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações com números profa. shirley
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações com números   profa. shirleyPNAIC - MATEMÁTICA - Operações com números   profa. shirley
PNAIC - MATEMÁTICA - Operações com números profa. shirley
 
PNAIC - MATEMÁTICA - Cálculos e algoritmos
PNAIC - MATEMÁTICA - Cálculos e algoritmosPNAIC - MATEMÁTICA - Cálculos e algoritmos
PNAIC - MATEMÁTICA - Cálculos e algoritmos
 

PNAIC - O trabalho com ortografia na escola

  • 2. - A história da ortografia é recente. - A ortografia é necessária para facilitar a comunicação entre os homens.
  • 3. ERRO X PROCESSO DE CRIAÇÃO DA ESCRITA Mudança da postura docente diante da escrita dos alunos
  • 5. E S C R I T A Envolve produção-criação + ortografia: várias possibilidades, seleção de ideias, ordenação de ideias, apresentação de ideias Reprodução.
  • 6. O OBJETIVO DA ESCOLA É FORMAR ALUNOS QUE POSSAM LER E PRODUZIR TEXTOS SIGNIFICATIVOS. PARA ISSO, ELES PRECISAM DOMINAR NORMAS E REGRAS ORTOGRÁFICAS
  • 7. QUAL A NATUREZA DOS ERROS ORTOGRÁFICOS? REGULARIDADES IRREGULARIDADES Podem ser solucionados a partir de uma regra Não tem regras. Dependem de memorização Aprender ortografia é um processo gradual e complexo que não envolve apenas memória, mas, também o aprendizado de regras ortográficas.
  • 8. REGULARIDADES Uma proposta pedagógica eficiente deveria considerar a conscientização e a compreensão da norma ortográfica, para que haja aquisição satisfatória daquele objeto de conhecimento. É preciso levar em conta, sobretudo, a qualidade das experiências a que se vai submeter o aprendiz para que se tenha, de fato, uma prática pedagógica eficaz (MELO, 2007). O professor não dá aos alunos uma regra para memorizar, mas leva-os a formular suas próprias meta- explicações e a checá-las, de modo a que venham abordar a ortografia estrategicamente (MELO, 2007).
  • 9. IRREGULARIDADES Quando não há regras é preciso memorizar a forma correta. Isso possibilita ao aprendiz o uso gerativo do saber ortográfico, capacitando-o a ler e a escrever palavras desconhecidas, além da economia mnemônica, uma vez que a ausência dos princípios ortográficos sobrecarregaria a memória, encarregada de estabelecer as conexões feitas quando a pessoa escreve (MELO, 2007).
  • 10. OS ALUNOS PRECISAM REFLETIR SOBRE O QUE ESCREVEM Ao aprender as regras e as palavras com a necessidade e com o uso, as crianças têm mais tempo para refletir sobre o que estão aprendendo e memorizar a grafia de cada palavra
  • 11. O DIAGNÓSTICO COMO INSTRUMENTO PARA O PLANEJAMENTO DO ENSINO DE ORTOGRAFIA Artur Gomes de Morais REFLETINDO SOBRE A ORTOGRAFIA NA SALA DE AULA Kátia Leal Reis de Melo
  • 12. “Saber aonde se deseja chegar, quer em ortografia quer em outros domínios de conhecimento, parece-nos um princípio fundamental para a organização de qualquer processo de ensino. [...] acreditamos que, no caso da norma ortográfica, para realizar um ensino eficaz, é preciso levar os alunos a refletir sobre as peculiaridades dela, planejando as atividades de sala de aula com base no que eles já sabem e no que ainda precisam saber” (MORAIS, 2007,p. 1, grifos nossos) Para ensinar é preciso ter metas e partir dos conhecimentos prévios dos alunos
  • 13. No “[...] ensino de ortografia, os instrumentos diagnósticos cumprem três funções: 1) permitem acompanhar a evolução dos alunos, 2)dão subsídios para o planejamento de atividades a ser desenvolvidas em sala de aula e 3) constituem objeto de estudo importante na formação continuada dos professores. Concebemos que, tal como outras questões em didática, a elaboração de instrumentos diagnósticos e seu uso para planejar as atividades do dia-a-dia com os alunos são competências que, como docentes, desenvolvemos à medida que temos oportunidades para fazer e refletir sobre nossa atuação” (MORAIS, 2007. p. 2).
  • 14. Alguns princípios ao diagnosticar conhecimentos ortográficos 1- Mapear Quando falamos em mapear, estamos pensando em um acompanhamento organizado do que os alunos aprenderam e do que ainda precisam aprender sobre nossa norma “Se nosso intuito é ajustar o ensino às necessidades da classe, precisamos ter um “retrato” (mapeamento) da situação de cada aluno, a fim de ver o que são conquistas ou pendências que atingem a maioria da turma, o que são necessidades de grupos e o que são de alunos específicos. Esse mapeamento permitirá planejar tanto as metas coletivas (quais questões ortográficas serão ensinadas a todos durante o ano, o semestre, cada bimestre) como as metas para alunos ou grupos de alunos que ainda não superaram certas dificuldades e que precisam de atendimento diferenciado em relação ao conjunto da turma” (MORAIS, 2007, p. 3).
  • 15. 2- Registrar periodicamente “Um acompanhamento cuidadoso da evolução do desempenho ortográfico dos aprendizes torna-se viável, se registramos periodicamente o que já dominaram e o que precisam ainda aprender. Embora, de início, isso pareça trabalhoso, as vantagens de um registro cuidadoso nos parecem claras: ele permite comparar, ao longo do tempo, tanto os progressos de cada aluno, individualmente, como os alcançados pela turma como um todo” (MORAIS, 2007, p. 4).
  • 16. A coerência entre o que se estabelece como prioridades, o que se faz como atividades de ensino e o que se avalia da aprendizagem dos alunos.
  • 17. Instrumentos de diagnóstico: algumas alternativas 1- Textos espontâneos As produções espontâneas são uma fonte primordial: ao escreverem seus textos de autoria, os aprendizes demonstram, de forma muito genuína, as representações que estão elaborando sobre a ortografia. [...] constituem uma expressão natural do como estão avançando naquele processo. Conseqüentemente, a leitura dos textos espontâneos é um dispositivo privilegiado para vermos em que nossos alunos não têm mais dúvidas, em que erram de modo sistemático e em que revelam dúvidas, produzindo tanto grafias corretas como erros. [...] Mas é preciso considerar também que o uso exclusivo da análise de textos produzidos espontaneamente tem suas limitações para os fins de diagnóstico de que estamos tratando” (MORAIS, 2007, p. 6)
  • 18. 2- Notação de textos ditados -Ditados de palavras que contêm todas as correspondências fonográficas que se quer observar no desempenho da turma. - Não se trata de usar ditados para ensinar ortografia, mas de fazê-lo com um objetivo muito claro e pontual: diagnosticar, de forma mais cuidadosa, o domínio de certas correspondências som- grafia. - Instrumento que, de forma econômica e rápida, ajuda a ter amplo retrato (mapeamento) dos conhecimentos ortográficos de todo um grupo-classe. -Seu emprego periódico permite ter um dado mais seguro sobre os avanços realizados pelos alunos em cada dificuldade ortográfica que nos interessa avaliar.
  • 19. SUGESTÕES: -LEITURA CIRCULAR DA SEÇÃO “RELATO DE UMA EXPERIÊNCIA DE DIAGNÓSTICO E ENSINO SISTEMÁTICOS” (MORAIS, 2007). - LEITURA CIRCULAR DA DISCUSSÃO DAS HIPÓTESES DE PARTIDA (Extratos de observações 1, 2, 3, 4, 5 e 6) (MELO, 2007).
  • 20. Uma seqüência didática para o ensino da ortografia deve (MELO, 2007): a) Considerar as hipóteses do aluno. Ponto de vista conceitual. Estabelecer pontes entre esse conhecimento e formas mais próximas da norma ortográfica convencional (conhecimento formal). b) Desenvolver a habilidade metacognitiva. Solicitação de justificativas e explicações. A colocação de perguntas pertinentes e desafiadoras e de contra-exemplos propicia momentos de discussão e reflexão sobre os erros e acertos, as formas de pensar e de conduzir procedimentos de resolução ante as questões ortográficas. Isto favorece a metacognição, convidando o aluno a refletir sobre: a escrita das palavras, sua própria concepção e a concepção dos colegas, confrontando-as com a forma convencional da escrita.
  • 21. c) Favorecer a interação. Ações cooperativas entre os alunos e entre estes e o professor na construção de um saber compartilhado. É importante formar grupos heterogêneos, valorizando as possibilidades de trocas e negociações. A interação durante a resolução de um problema ortográfico, promove a explicitação verbal das hipóteses, recurso essencial para a explicitação consciente das peculiaridades da norma. d) Favorecer o papel de mediador do professor nas etapas de aquisição. Exige a formação continuada do professor.
  • 22. REFERÊNCIAS MORAIS, Artur Gomes de. O diagnóstico como instrumento para o planejamento do ensino de ortografia. In: SILVA, Alexsandro da; MORAIS, Artur Gomes de; MELO Kátia Leal Reis de. (Orgs.). Ortografia na sala de aula. 1ed., 1. reimp. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. MELO Kátia Leal Reis de. Refletindo sobre a ortografia na sala de aula. In: SILVA, Alexsandro da; MORAIS, Artur Gomes de; MELO Kátia Leal Reis de. (Orgs.). Ortografia na sala de aula. 1.ed., 1. reimp. Belo Horizonte: Autêntica, 2007. VÍDEOS PCN’s na Escola – Língua Portuguesa - MEC Programa 13 – Por que ensinar ortografia na escola Programa 14 – Para que aprender ortografia Programa 15 – Atividades para o trabalho com ortografia