11
O TRABALHO HOJE
- O esforço do ser humano para
sobreviver. Trabalho é meio de
sobrevivência.
A atividade produtiva assa...
22
DESENVOLVIMENTO DO
CAPITALISMO E A DIVISÃO
SOCIAL DO TRABALHO
33
2ª Revolução Industrial - Final do século XIX;
•Precursores: Alemanha / EUA / Japão;
•Descobrimento do Aço, Eletricidad...
44
Fatores Importantes da 2ª Revolução Industrial
•Capitalismo Monopolista e Financeiro - apoio do
Estado:
 investimento ...
55
Inovações nos transportes: trens elétricos, navios a
óleo diesel e automóveis;
Aumento da necessidade de matérias pri...
66
HOLDING
Empresas financeiras que controlam
complexos industriais a partir da
posse de suas ações.
TRUSTE
Empresas que a...
77
Contexto histórico pós 2ª Revolução Industrial
1. Crescimento acelerado e desordenado das
Empresas: 1880-1890: produção...
88
SISTEMAS DE ORGANIZAÇÃO DO
TRABALHO: TAYLORISMO,
FORDISMO E TOYOTISMO
99
TaylorismoTaylorismo
Baseia-se nos seguintes princípios:
 Mecanização da produção: repassa o saber do trabalhador para...
1010
FordismoFordismo
 Produção padronizada na linha de montagem da
indústria automobilística (produção em série). O temp...
1111
Conseqüências do ModeloConseqüências do Modelo
Fordista-TayloristaFordista-Taylorista
Econômicas:
 a produção em mas...
1212
Crise do Fordismo A partir dos anos 70. Por que?Crise do Fordismo A partir dos anos 70. Por que?
 Inflação, gerada p...
1313
Origem da reestruturação produtivaOrigem da reestruturação produtiva
 A reestruturação produtiva veio com a
chamada ...
1414
Quatro fases que levaram ao advento do Toyotismo:Quatro fases que levaram ao advento do Toyotismo:
 A introdução, na...
1515
MODELO TOYOTISTA - CARACTERÍSTICASMODELO TOYOTISTA - CARACTERÍSTICAS
 Origem: Japão (1950 a 1970) - Como foi criado?...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Trabalho e sistemas de organizacao do trabalho

208 visualizações

Publicada em

Sociologia do Trabalho

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
208
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
6
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Trabalho e sistemas de organizacao do trabalho

  1. 1. 11 O TRABALHO HOJE - O esforço do ser humano para sobreviver. Trabalho é meio de sobrevivência. A atividade produtiva assalariada, definindo as pessoas como produtivas (assalariadas) ou improdutivas (crianças, idosos, doentes, aposentados, pensionistas, desempregados). As atividades ligadas aos serviços sociais de comércio, lazer, segurança, saúde, educação etc. A sociedade está assim dividida em classes. Os trabalhadores que recebem remuneração pela força de trabalho estão na base.
  2. 2. 22 DESENVOLVIMENTO DO CAPITALISMO E A DIVISÃO SOCIAL DO TRABALHO
  3. 3. 33 2ª Revolução Industrial - Final do século XIX; •Precursores: Alemanha / EUA / Japão; •Descobrimento do Aço, Eletricidade, Petróleo. •Monopólios: limitaram a livre concorrência e as pequenas e médias empresas; •Controle dos bancos e instituições financeiras (empréstimos e ações) sobre a indústria e o comércio; •Criação do mercado especulativo; •Formação de grandes empresas devido à concentração do capital; •Controle do mercado pelas grandes empresas. •Taylorismo e Fordismo •Imperialismo ou Neocolonialismo (Ásia e África). •Capitalismo financeiro-monopolista.
  4. 4. 44 Fatores Importantes da 2ª Revolução Industrial •Capitalismo Monopolista e Financeiro - apoio do Estado:  investimento em infraestrutura e transportes;  instalação de indústrias (associação entre Estado e capital privado); •Transformação na produção com as inovações técnicas:  conversão do ferro em aço; •Novas fontes de energia: eletricidade e petróleo; •Máquinas com maior potência energética; •Aumento da produção; •Inovações nas telecomunicações;
  5. 5. 55 Inovações nos transportes: trens elétricos, navios a óleo diesel e automóveis; Aumento da necessidade de matérias primas (petróleo, borracha, alumínio...); Surgimento de grandes complexos industriais e financeiros: Holding, Truste e Cartel; Aumento do custo de máquinas e fábricas; Exigência de maior organização técnica, laboratórios, serviços de venda, propaganda, transporte; Grandes investimentos com estoques; Grande concorrência exigia produção a baixo custo; Concentração da produção nas mãos da alta burguesia; Protecionismo alfandegário.
  6. 6. 66 HOLDING Empresas financeiras que controlam complexos industriais a partir da posse de suas ações. TRUSTE Empresas que absorvem seus concorrentes, controlando a produção, preços e dominando o mercado. CARTEL Empresas de um mesmo ramo que se associam para evitar concorrência, dividindo os mercados.
  7. 7. 77 Contexto histórico pós 2ª Revolução Industrial 1. Crescimento acelerado e desordenado das Empresas: 1880-1890: produção em massa nos EUA, elevação do nº de assalariados, necessidade de redução do desperdício; 2. Necessidade de aumentar a eficiência e a competência das organizações: o conceito de organização do trabalho se impõe, estabelecendo rotinas e procedimentos de produção; mecanismos de recrutamento e seleção de pessoas p/ o trabalho; métodos de formação, capacitação e treinamento p/ o trabalho; padrões de desempenho produtivo (sistemas de supervisão e controle).
  8. 8. 88 SISTEMAS DE ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO: TAYLORISMO, FORDISMO E TOYOTISMO
  9. 9. 99 TaylorismoTaylorismo Baseia-se nos seguintes princípios:  Mecanização da produção: repassa o saber do trabalhador para a máquina, sempre que possível;  O estudo dos tempos e movimentos: buscar a maneira certa de executar uma tarefa, com o menor gasto de tempo e energia possível;  Seleção e treinamento "científico": definir um perfil adequado à tarefa a ser executada, com apoio de profissionais das áreas de psicologia e serviço social;  Separação entre a concepção e a execução do trabalho: à gerência cabe o trabalho de "pensar", de decidir o processo de produção em operações limitadas, de tal forma que se limite ao trabalhador a execução daquilo que foi prescrito e determinado pela chefia;  Plano de incentivo salarial: incentivar monetariamente o trabalhador, pagando-o por peça produzida ou hora trabalhada
  10. 10. 1010 FordismoFordismo  Produção padronizada na linha de montagem da indústria automobilística (produção em série). O tempo de produção passou a ser determinado pelo fluxo da linha de montagem, fixando o trabalhador ao seu posto e estabelecendo o conceito de “tempo imposto”;  O Fordismo não é uma ruptura com Taylor. Ele dá as bases técnicas e culturais para um novo impulso na "revolução" da produção, feita principalmente pela indústria automobilística;  Economia em grande escala e a padronização dos produtos (massificação da produção).
  11. 11. 1111 Conseqüências do ModeloConseqüências do Modelo Fordista-TayloristaFordista-Taylorista Econômicas:  a produção em massa exige consumo em massa;  Trabalhadores ganham mais. Políticas e sociais:  Diminuição do poder do trabalhador sobre o processo de trabalho;  Pacto social entre capital e trabalho;  Governos socialdemocratas na Europa (Estado do Bem-Estar Social): devido ao crescimento e força movimento operário, "guerra fria" e "ameaça do comunismo“;  Resultado do pacto: reconhecimento dos sindicatos pelos capitalistas; reconhecimento da legitimidade da ordem capitalista pelos trabalhadores; investimento do Estado em benefícios
  12. 12. 1212 Crise do Fordismo A partir dos anos 70. Por que?Crise do Fordismo A partir dos anos 70. Por que?  Inflação, gerada pela disputa distributiva;  Fim do padrão-ouro e da conversibilidade do dólar  1973 e 1979 : aumento do preço do petróleo;  1979: elevação dos juros norte-americanos;  Reaparição, em 1974-75, da primeira crise "clássica" de superprodução e de superacumulação depois da Segunda Guerra Mundial;  A reconstituição das bases econômicas e sociais de um capital financeiro poderoso, que não tolerou a força dos sindicatos e os gastos sociais pelos diversos governos;  A chegada de governos conservadores ao poder em fins da década de 70: Reagan nos EUA, Margareth Thatcher na Inglaterra - implantação do neoliberalismo.
  13. 13. 1313 Origem da reestruturação produtivaOrigem da reestruturação produtiva  A reestruturação produtiva veio com a chamada "Terceira Revolução Industrial“, que tem como paradigma o modelo Toyotista desenvolvido no Japão na empresa Toyota (1950 a 1970);  Afirma-se como oposição ao modelo de produção Fordista-Taylorista;  Começa a se desenvolver no Ocidente a partir da década de 70.
  14. 14. 1414 Quatro fases que levaram ao advento do Toyotismo:Quatro fases que levaram ao advento do Toyotismo:  A introdução, na indústria automobilística japonesa, dada especialmente pela necessidade de o trabalhador operar simultaneamente com várias máquinas;  A necessidade da empresa responder à crise financeira, aumentando a produção sem aumentar o número de trabalhadores;  A importação das técnicas de gestão dos supermercados dos EUA: "o ideal seria produzir somente o necessário e fazê-lo no melhor tempo“  Baseando-se no modelo dos supermercados, de reposição dos produtos somente depois da sua venda.  A expansão desse método (kanban) para as empresas subcontratadas e fornecedoras.
  15. 15. 1515 MODELO TOYOTISTA - CARACTERÍSTICASMODELO TOYOTISTA - CARACTERÍSTICAS  Origem: Japão (1950 a 1970) - Como foi criado? a) importação de técnicas de gestão dos supermercados dos EUA = kanban; b) introdução da experiência do ramo têxtil – trabalho com várias máquinas;  Características principais:  produção conduzida pela demanda e pelo consumo: o consumo determina a produção;  produção variada pronta para suprir o consumo;  produção flexível: "polivalência" do trabalhador = trabalho com várias máquinas;  trabalho em equipe: rompe-se com o trabalho parcelado do Fordismo;  horizontalização: contra a verticalização fordista;  intensificação do trabalho;  flexibilização dos trabalhadores: horas extras, trabalho temporário e subcontratação.

×