Pcns.

PCNS
Parâmetros curriculares nacionais.
PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS:
O QUE SÃO?
Os Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN são diretrizes elaboradas
pelo governo que constituem um referencial de qualidade para a
educação em todo país.
OBJETIVO
Propiciar subsídios à elaboração e reelaboração do currículo, tendo em
vista um projeto pedagógico em função da cidadania do aluno e uma
escola em que se aprende mais e melhor.
BREVE HISTÓRICO DOS PCNS
• Até 1996 esteve estruturado nos termos previstos da Lei Federal nº 5.692,
de 11 agosto de 1971
• 1980 - Propostas foram reformuladas, segundo as tendências educacionais
do período;
• 1990 Conferência Mundial de Educação para Todos;
• 1993 - 2003 Plano Decenal de Educação Para Todos;
• 1996 - LDB nº 9.394 Consolida e amplia o dever do poder político para com
a Educação em geral.
• Os PCN, como uma proposta inovadora e abrangente, expressam o
empenho em criar novos laços entre ensino e sociedade e apresentar
ideias do "que se quer ensinar", "como se quer ensinar" e "para que se
quer ensinar".
• Os PCN não são uma coleção de regras, ma um pilar para a transformação
de objetivos, conteúdo e didática do ensino.
PCNs do Ensino Fundamental
O ensino proposto pela LDB está em função do objetivo maior
do ensino fundamental, que é o de propiciar a todos
formação básica para a cidadania, a partir da criação na
escola de condições de aprendizagem para:
desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como
meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do
cálculo; a compreensão do ambiente natural e social, do
sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que
se fundamenta a sociedade;
O desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo
em vista a aquisição de conhecimentos e habilidades e a
formação de atitudes e valores;O fortalecimento dos vínculos
de família, dos laços de solidariedade humana e de
tolerância recíproca em que se assenta a vida social” (art.
32).
PRINCÍPIOS E FUNDAMENTOS DOS PÂMETROS CURRICULARES
NACIONAIS
Práticas educativas adequadas às necessidades sociais, políticas,
econômicas e culturais considerando o interesse e motivações dos alunos;
Aprendizagens essenciais para a formação de sujeitos autônomos, críticos,
participativos, capazes de atuar com competência e dignidade na
sociedade em que vivem;
Domínio da língua falada e escrita, os princípios da reflexão matemática, as
coordenadas espaciais e temporais que organizam a percepção do mundo,
os princípios da explicação científica, as condições de fruição da arte e das
mensagens estéticas, domínios de saber tradicionalmente presentes nas
diferentes concepções do papel da educação no mundo democrático, até
outras tantas exigências que se impõem no mundo contemporâneo.
• Os PCNs são abertos e flexíveis; exigem adaptações para a construção do
currículo de uma Secretaria ou mesmo de uma escola. Não se impõem
como uma diretriz obrigatória: o que se pretende é que ocorram
adaptações, por meio do diálogo, entre estes documentos e as práticas já
existentes, desde as definições dos objetivos até as orientações didáticas
para a manutenção de um todo coerente.
FUNDAMENTOS DOS PARÂMETROS
CURRICULARES NACIONAIS
• Os Parâmetros Curriculares Nacionais adotam como eixo o
desenvolvimento de capacidades do aluno, processo em que os conteúdos
curriculares atuam não como fins em si mesmos, mas como meios para a
aquisição e desenvolvimento dessas capacidades. Nesse sentido, o que se
tem em vista é que o aluno possa ser sujeito de sua própria formação, em
um complexo processo interativo em que também o professor se veja
como sujeito de conhecimento.
ESCOLA E CONSTITUIÇÃO DA CIDADANIA
• No contexto dos PCN’s se concebe a educação escolar como uma prática
que desenvolve capacidades e aprendizagem dos conteúdos necessários
para a compreensão da realidade e participação em relações sociais,
políticas e culturais diversificadas e cada vez mais amplas, condições
fundamentais para o exercício da cidadania na construção de uma
sociedade democrática e não excludente.
ORGANIZAÇÃO DOS PARÂMETROS CURRICULARES
NACIONAIS
Nos Parâmetros Curriculares Nacionais, optou-se por um tratamento
específico das áreas, em função da importância instrumental de cada uma,
mas contemplou-se também a integração entre elas.
Quanto às questões sociais relevantes, reafirma-se a necessidade de sua
problematização e análise, incorporando-as como temas transversais.
Quanto ao modo de incorporação desses temas no currículo, propõe-se um
tratamento transversal, tendência que se manifesta em algumas
experiências nacionais e internacionais, em que as questões sociais se
integram na própria concepção teórica das áreas e de seus componentes
curriculares.
TEMAS TRANSVERSAIS
A transversalidade pressupõe um tratamento integrado das áreas e um
compromisso das relações interpessoais e sociais escolares com as
questões que estão envolvidas nos temas, a fim de que haja uma
coerência entre os valores experimentados na vivência que a escola
propicia aos alunos e o contato intelectual com tais valores.
• Ética, Saúde, Meio Ambiente, Pluralidade Cultural e Orientação Sexual,
eleitos por envolverem problemáticas sociais atuais e urgentes,
consideradas de abrangência nacional e até mesmo de caráter universal.
Autonomia
A Autonomia fala de uma relação emancipada, íntegra com as diferentes
dimensões da vida, o que envolve aspectos intelectuais, morais, afetivos e
sociopolíticos .
DIVERSIDADE
A educação escolar deve considerar a diversidade dos alunos como elemento
essencial a ser tratado para a melhoria da qualidade de ensino e
aprendizagem.É atribuição do professor considerar a especificidade do
indivíduo, analisar suas possibilidades de aprendizagem e avaliar a eficácia
das medidas adotadas. A atuação do professor em sala de aula deve levar
em conta fatores sociais, culturais e a história educativa de cada aluno,
como também características pessoais de déficit sensorial, motor ou
psíquico, ou de superdotação intelectual. Deve-se dar especial atenção ao
aluno que demonstrar a necessidade de resgatar a autoestima.
Pcns.
A AVALIAÇÃO NO PCN: RESUMO
Elemento integrador entre a aprendizagem e o ensino
Conjunto de ações cujo objetivo é o ajuste e a orientação da intervenção
pedagógica para que o aluno aprenda da melhor forma.
Conjunto de ações que busca obter informações sobre o que foi aprendido
e como.
Elemento de reflexão contínua para o professor sobre sua prática
educativa.
Instrumento que possibilita ao aluno tomar consciência de seus avanços,
dificuldades e possibilidades.
Ação que ocorre durante todo o processo de ensino e aprendizagem e não
apenas em momentos específicos caracterizados como fechamento de
grandes etapas de trabalho e outros.
CONSIDERAÇÕES FINAIS
• A qualidade da Educação não depende somente da vontade de um ou
outro professor, mas da participação em conjunto de todos que fazem
parte do contexto escolar para as tomadas de decisões sobre os aspectos e
práticas didáticas. As metas não se efetivarão a curto prazo, é preciso
tempo e recursos. Os PCNs servem de instrumentos para que se efetive as
mudanças necessárias à uma educação de qualidade.
Os PCNs tem terão de contemplar a formação básica, incluindo a
preparação geral para o trabalho, inclusive, integrando as
séries finais do ensino fundamental com o ensino médio, em
virtude da proximidade de faixa etária do alunado e das
características comuns de especialização disciplinar que esses
segmentos de ensino guardam entre si.
As diretrizes do novo ensino médio colocam a escola como
agente principal na definição do currículo, o professor como
agente transformador e o estudante, o cidadão-alvo de toda
mudança. Essas diretrizes estão definidas nos Parâmetros
Curriculares Nacionais como guias para orientar a escola e os
professores na aplicação do novo modelo.
Constatou-se assim, a importância dos PCNs para a formação
de educadores e para uma educação de qualidade voltada
para uma sociedade justa e igualitária.
REFERÊNCIAS
Brasil, Introdução:Parâmetros Curriculares Nacionais. Ministério
da Educação e do Desporto. Brasília. 1997.
ALUNOS: VANDERSON SOARES
VANDERSON RAMOS
MARINALDO ESCOBAR
MATEUS PAIOLI
HENRIQUE VAZ
1 de 16

Recomendados

Organização do trabalho pedagógico por
Organização do trabalho pedagógicoOrganização do trabalho pedagógico
Organização do trabalho pedagógicoMagda Marques
6.2K visualizações16 slides
Projeto politico pedagogico PPP por
Projeto politico pedagogico PPPProjeto politico pedagogico PPP
Projeto politico pedagogico PPPProfissão Professor
25.2K visualizações50 slides
Planejamento e política educacional por
Planejamento e política educacionalPlanejamento e política educacional
Planejamento e política educacionalJose Arnaldo Silva
11.4K visualizações52 slides
Formação continuada de professores. por
Formação continuada de professores.Formação continuada de professores.
Formação continuada de professores.Magda Marques
1.4K visualizações31 slides
Planejamento Educacional por
Planejamento EducacionalPlanejamento Educacional
Planejamento EducacionalSimone Lucas
39.5K visualizações18 slides
Planejamento pedagógico por
Planejamento pedagógicoPlanejamento pedagógico
Planejamento pedagógicoSMEdeItabaianinha
32.3K visualizações21 slides

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Política e Organização da Educação Brasileira por
Política e Organização da Educação BrasileiraPolítica e Organização da Educação Brasileira
Política e Organização da Educação BrasileiraEdneide Lima
14.8K visualizações35 slides
Ensino da lingua portuguesa por
Ensino da  lingua portuguesaEnsino da  lingua portuguesa
Ensino da lingua portuguesaGerdian Teixeira
15K visualizações33 slides
Concepções de linguagem por
Concepções de linguagemConcepções de linguagem
Concepções de linguagemKelly Moraes
36.9K visualizações10 slides
Alfabetização e letramento por
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramentoElizabet Tramontin Silveira Camargo
34.5K visualizações23 slides
Sobre Análise Linguística.ppt por
Sobre Análise Linguística.pptSobre Análise Linguística.ppt
Sobre Análise Linguística.pptAmandaBatista95
332 visualizações8 slides
A atuação do pedagogo em espaços não escolares por
A atuação do pedagogo em espaços não escolaresA atuação do pedagogo em espaços não escolares
A atuação do pedagogo em espaços não escolaresElizangela Quintela Miranda Costa
18.5K visualizações53 slides

Mais procurados(20)

Política e Organização da Educação Brasileira por Edneide Lima
Política e Organização da Educação BrasileiraPolítica e Organização da Educação Brasileira
Política e Organização da Educação Brasileira
Edneide Lima14.8K visualizações
Ensino da lingua portuguesa por Gerdian Teixeira
Ensino da  lingua portuguesaEnsino da  lingua portuguesa
Ensino da lingua portuguesa
Gerdian Teixeira15K visualizações
Concepções de linguagem por Kelly Moraes
Concepções de linguagemConcepções de linguagem
Concepções de linguagem
Kelly Moraes36.9K visualizações
Sobre Análise Linguística.ppt por AmandaBatista95
Sobre Análise Linguística.pptSobre Análise Linguística.ppt
Sobre Análise Linguística.ppt
AmandaBatista95332 visualizações
Gestão democrática por guestba32bfa
Gestão democráticaGestão democrática
Gestão democrática
guestba32bfa32.9K visualizações
Alfabetização e letramento (slide) por PamelaAschoff
Alfabetização e letramento (slide)Alfabetização e letramento (slide)
Alfabetização e letramento (slide)
PamelaAschoff86.6K visualizações
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04 por Lygia Souza
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
O ensino da língua portuguesa 1ª aula 04
Lygia Souza11.6K visualizações
Tendências Pedagógicas por Marcelo Assis
Tendências PedagógicasTendências Pedagógicas
Tendências Pedagógicas
Marcelo Assis89.4K visualizações
Didática e Metodologia no Ensino Superior por Luci Bonini
Didática e Metodologia no Ensino SuperiorDidática e Metodologia no Ensino Superior
Didática e Metodologia no Ensino Superior
Luci Bonini43K visualizações
Planejamento e ação docente 2 por Joao Balbi
Planejamento e ação docente 2Planejamento e ação docente 2
Planejamento e ação docente 2
Joao Balbi17.9K visualizações
Recuperação da aprendizagem. por Affonso César
Recuperação da aprendizagem.Recuperação da aprendizagem.
Recuperação da aprendizagem.
Affonso César2.8K visualizações
Aula 1- Gestão Escolar por Professora Florio
Aula 1- Gestão EscolarAula 1- Gestão Escolar
Aula 1- Gestão Escolar
Professora Florio8.8K visualizações
Alfabetização e letramento por Helena Zanotto
Alfabetização e letramentoAlfabetização e letramento
Alfabetização e letramento
Helena Zanotto25.3K visualizações
Organização e gestão da escola por Ulisses Vakirtzis
Organização e gestão da escolaOrganização e gestão da escola
Organização e gestão da escola
Ulisses Vakirtzis12.9K visualizações

Destaque

Concepcao critico emancipatoria por
Concepcao critico emancipatoriaConcepcao critico emancipatoria
Concepcao critico emancipatorialuacapu
3.5K visualizações16 slides
Pcn ed fisica por
Pcn ed fisicaPcn ed fisica
Pcn ed fisicaAline Fernandes
2.1K visualizações62 slides
Abordagem critico superadora por
Abordagem critico superadora Abordagem critico superadora
Abordagem critico superadora pauloaltizani
40.7K visualizações12 slides
041 educacao fisica por
041 educacao fisica041 educacao fisica
041 educacao fisicaAngelica Lima
1.4K visualizações5 slides
Ed fisica escolar por
Ed fisica escolarEd fisica escolar
Ed fisica escolarEducação Fisica
10.7K visualizações13 slides
Pcn 08 EducaçãO FíSica por
Pcn   08   EducaçãO FíSicaPcn   08   EducaçãO FíSica
Pcn 08 EducaçãO FíSicaliteratoliberato
9.1K visualizações115 slides

Destaque(19)

Concepcao critico emancipatoria por luacapu
Concepcao critico emancipatoriaConcepcao critico emancipatoria
Concepcao critico emancipatoria
luacapu3.5K visualizações
Pcn ed fisica por Aline Fernandes
Pcn ed fisicaPcn ed fisica
Pcn ed fisica
Aline Fernandes2.1K visualizações
Abordagem critico superadora por pauloaltizani
Abordagem critico superadora Abordagem critico superadora
Abordagem critico superadora
pauloaltizani40.7K visualizações
041 educacao fisica por Angelica Lima
041 educacao fisica041 educacao fisica
041 educacao fisica
Angelica Lima1.4K visualizações
Ed fisica escolar por Educação Fisica
Ed fisica escolarEd fisica escolar
Ed fisica escolar
Educação Fisica10.7K visualizações
Pcn 08 EducaçãO FíSica por literatoliberato
Pcn   08   EducaçãO FíSicaPcn   08   EducaçãO FíSica
Pcn 08 EducaçãO FíSica
literatoliberato9.1K visualizações
abordagem desenvolvimentista por j2012p
abordagem desenvolvimentistaabordagem desenvolvimentista
abordagem desenvolvimentista
j2012p17.9K visualizações
Abordagem cognitivista por Lílian Reis
Abordagem cognitivistaAbordagem cognitivista
Abordagem cognitivista
Lílian Reis14.4K visualizações
ABORDAGENS PEDAGOGICAS por pacobr
ABORDAGENS PEDAGOGICASABORDAGENS PEDAGOGICAS
ABORDAGENS PEDAGOGICAS
pacobr8.4K visualizações
Abordagens de ensino por ADRIANA BECKER
Abordagens de ensinoAbordagens de ensino
Abordagens de ensino
ADRIANA BECKER75.6K visualizações
TENDENCIAS PEDAGÓGICAS didática por Vinicius O Resiliente
TENDENCIAS PEDAGÓGICAS didáticaTENDENCIAS PEDAGÓGICAS didática
TENDENCIAS PEDAGÓGICAS didática
Vinicius O Resiliente26.6K visualizações
Tendências pedagógicas por Ivanderson da Silva
Tendências pedagógicasTendências pedagógicas
Tendências pedagógicas
Ivanderson da Silva67.2K visualizações
As Principais Correntes Pedagógicas por Jessica Nuvens
As Principais Correntes PedagógicasAs Principais Correntes Pedagógicas
As Principais Correntes Pedagógicas
Jessica Nuvens111.8K visualizações
Parâmetros Curriculares Nacionais por Marcelo Assis
Parâmetros Curriculares NacionaisParâmetros Curriculares Nacionais
Parâmetros Curriculares Nacionais
Marcelo Assis46.3K visualizações
Concepções Pedagógicas resumo por Débora Silveira
Concepções Pedagógicas resumoConcepções Pedagógicas resumo
Concepções Pedagógicas resumo
Débora Silveira157.7K visualizações
Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira por Herbert Santana
Tendências Pedagógicas da Educação BrasileiraTendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Tendências Pedagógicas da Educação Brasileira
Herbert Santana64.9K visualizações
How to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks por SlideShare
How to Make Awesome SlideShares: Tips & TricksHow to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
How to Make Awesome SlideShares: Tips & Tricks
SlideShare3M visualizações
Getting Started With SlideShare por SlideShare
Getting Started With SlideShareGetting Started With SlideShare
Getting Started With SlideShare
SlideShare4M visualizações

Similar a Pcns.

PCNs - Grupo: Keli, Priscila, Franciele e rRafael por
PCNs - Grupo: Keli, Priscila, Franciele e rRafaelPCNs - Grupo: Keli, Priscila, Franciele e rRafael
PCNs - Grupo: Keli, Priscila, Franciele e rRafaelRossana Barcellos
564 visualizações16 slides
Eixo Recuperação slides PCNs por
Eixo Recuperação slides PCNsEixo Recuperação slides PCNs
Eixo Recuperação slides PCNsPriscilaLannes
1.4K visualizações16 slides
Pc ns grupo por
Pc ns   grupoPc ns   grupo
Pc ns grupoRossana Barcellos
271 visualizações31 slides
Pc ns grupo por
Pc ns   grupoPc ns   grupo
Pc ns grupoRafael Martins
251 visualizações31 slides
Pc ns grupo por
Pc ns   grupoPc ns   grupo
Pc ns grupoRafael Martins
213 visualizações31 slides
Tratamento Analítico por
Tratamento Analítico Tratamento Analítico
Tratamento Analítico clodoefra
598 visualizações31 slides

Similar a Pcns.(20)

PCNs - Grupo: Keli, Priscila, Franciele e rRafael por Rossana Barcellos
PCNs - Grupo: Keli, Priscila, Franciele e rRafaelPCNs - Grupo: Keli, Priscila, Franciele e rRafael
PCNs - Grupo: Keli, Priscila, Franciele e rRafael
Rossana Barcellos564 visualizações
Eixo Recuperação slides PCNs por PriscilaLannes
Eixo Recuperação slides PCNsEixo Recuperação slides PCNs
Eixo Recuperação slides PCNs
PriscilaLannes1.4K visualizações
Pc ns grupo por Rafael Martins
Pc ns   grupoPc ns   grupo
Pc ns grupo
Rafael Martins251 visualizações
Pc ns grupo por Rafael Martins
Pc ns   grupoPc ns   grupo
Pc ns grupo
Rafael Martins213 visualizações
Tratamento Analítico por clodoefra
Tratamento Analítico Tratamento Analítico
Tratamento Analítico
clodoefra598 visualizações
Tratamento Analítico por clodoefra
Tratamento Analítico Tratamento Analítico
Tratamento Analítico
clodoefra302 visualizações
Proposta curricular por UyaraPortugal
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
UyaraPortugal182 visualizações
Proposta curricular por UyaraPortugal
Proposta curricularProposta curricular
Proposta curricular
UyaraPortugal121 visualizações
Parâmetros curriculares nacionais grupo por Mayannarosa
Parâmetros curriculares nacionais grupoParâmetros curriculares nacionais grupo
Parâmetros curriculares nacionais grupo
Mayannarosa187 visualizações
Parâmetros curriculares nacionais grupo por Mayannarosa
Parâmetros curriculares nacionais grupoParâmetros curriculares nacionais grupo
Parâmetros curriculares nacionais grupo
Mayannarosa2.5K visualizações
24. resumo pcns.docx por AlineMelo123
24. resumo pcns.docx24. resumo pcns.docx
24. resumo pcns.docx
AlineMelo123109 visualizações
Resumo PCNs por Luiz C. Melo
Resumo PCNsResumo PCNs
Resumo PCNs
Luiz C. Melo3K visualizações
1. programa mais educação sp por Ulisses Vakirtzis
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
Ulisses Vakirtzis3.7K visualizações
1. programa mais educação sp por Ulisses Vakirtzis
1. programa mais educação sp1. programa mais educação sp
1. programa mais educação sp
Ulisses Vakirtzis6.9K visualizações
Paradigmas para o Ensino da Matemática por Cival Alberto Alberto
Paradigmas para o Ensino da MatemáticaParadigmas para o Ensino da Matemática
Paradigmas para o Ensino da Matemática
Cival Alberto Alberto3.9K visualizações
Parâmetros curriculares nacionais adaptações curriculares por Solange Das Graças Seno
Parâmetros curriculares nacionais adaptações curricularesParâmetros curriculares nacionais adaptações curriculares
Parâmetros curriculares nacionais adaptações curriculares
Solange Das Graças Seno902 visualizações
Parâmetros curriculares nacionais adaptações curriculares por Solange Das Graças Seno
Parâmetros curriculares nacionais adaptações curricularesParâmetros curriculares nacionais adaptações curriculares
Parâmetros curriculares nacionais adaptações curriculares
Solange Das Graças Seno4.7K visualizações

Último

2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO... por
2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO...2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO...
2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO...azulassessoriaacadem3
41 visualizações4 slides
4. No vídeo “Cadela aprende libras para entender comando dos donos” foi apres... por
4. No vídeo “Cadela aprende libras para entender comando dos donos” foi apres...4. No vídeo “Cadela aprende libras para entender comando dos donos” foi apres...
4. No vídeo “Cadela aprende libras para entender comando dos donos” foi apres...azulassessoriaacadem3
92 visualizações2 slides
ETAPA 1: CONSTRUA UM TEXTO ARGUMENTATIVO que explique: por que os materiais c... por
ETAPA 1: CONSTRUA UM TEXTO ARGUMENTATIVO que explique: por que os materiais c...ETAPA 1: CONSTRUA UM TEXTO ARGUMENTATIVO que explique: por que os materiais c...
ETAPA 1: CONSTRUA UM TEXTO ARGUMENTATIVO que explique: por que os materiais c...azulassessoriaacadem3
35 visualizações4 slides
A) Determine a média, a moda, a mediana, o desvio-padrão e o coeficiente de v... por
A) Determine a média, a moda, a mediana, o desvio-padrão e o coeficiente de v...A) Determine a média, a moda, a mediana, o desvio-padrão e o coeficiente de v...
A) Determine a média, a moda, a mediana, o desvio-padrão e o coeficiente de v...azulassessoriaacadem3
44 visualizações2 slides
sorteados Reserva de vagas 2024.pdf por
sorteados Reserva de vagas 2024.pdfsorteados Reserva de vagas 2024.pdf
sorteados Reserva de vagas 2024.pdfJornal do Commercio
2.2K visualizações3 slides
a) Explique um motivo da relevância da ferramenta para compreender a situação... por
a) Explique um motivo da relevância da ferramenta para compreender a situação...a) Explique um motivo da relevância da ferramenta para compreender a situação...
a) Explique um motivo da relevância da ferramenta para compreender a situação...azulassessoriaacadem3
90 visualizações3 slides

Último(20)

2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO... por azulassessoriaacadem3
2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO...2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO...
2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO...
azulassessoriaacadem341 visualizações
4. No vídeo “Cadela aprende libras para entender comando dos donos” foi apres... por azulassessoriaacadem3
4. No vídeo “Cadela aprende libras para entender comando dos donos” foi apres...4. No vídeo “Cadela aprende libras para entender comando dos donos” foi apres...
4. No vídeo “Cadela aprende libras para entender comando dos donos” foi apres...
azulassessoriaacadem392 visualizações
ETAPA 1: CONSTRUA UM TEXTO ARGUMENTATIVO que explique: por que os materiais c... por azulassessoriaacadem3
ETAPA 1: CONSTRUA UM TEXTO ARGUMENTATIVO que explique: por que os materiais c...ETAPA 1: CONSTRUA UM TEXTO ARGUMENTATIVO que explique: por que os materiais c...
ETAPA 1: CONSTRUA UM TEXTO ARGUMENTATIVO que explique: por que os materiais c...
azulassessoriaacadem335 visualizações
A) Determine a média, a moda, a mediana, o desvio-padrão e o coeficiente de v... por azulassessoriaacadem3
A) Determine a média, a moda, a mediana, o desvio-padrão e o coeficiente de v...A) Determine a média, a moda, a mediana, o desvio-padrão e o coeficiente de v...
A) Determine a média, a moda, a mediana, o desvio-padrão e o coeficiente de v...
azulassessoriaacadem344 visualizações
sorteados Reserva de vagas 2024.pdf por Jornal do Commercio
sorteados Reserva de vagas 2024.pdfsorteados Reserva de vagas 2024.pdf
sorteados Reserva de vagas 2024.pdf
Jornal do Commercio2.2K visualizações
a) Explique um motivo da relevância da ferramenta para compreender a situação... por azulassessoriaacadem3
a) Explique um motivo da relevância da ferramenta para compreender a situação...a) Explique um motivo da relevância da ferramenta para compreender a situação...
a) Explique um motivo da relevância da ferramenta para compreender a situação...
azulassessoriaacadem390 visualizações
a) Explique como ocorre a circulação do sangue dentro do coração (câmaras car... por HelpEducacional
a) Explique como ocorre a circulação do sangue dentro do coração (câmaras car...a) Explique como ocorre a circulação do sangue dentro do coração (câmaras car...
a) Explique como ocorre a circulação do sangue dentro do coração (câmaras car...
HelpEducacional555 visualizações
b) Caso n. 02: Considerando o disposto na NBC PG 01 – Código de Ética Profiss... por azulassessoriaacadem3
b) Caso n. 02: Considerando o disposto na NBC PG 01 – Código de Ética Profiss...b) Caso n. 02: Considerando o disposto na NBC PG 01 – Código de Ética Profiss...
b) Caso n. 02: Considerando o disposto na NBC PG 01 – Código de Ética Profiss...
azulassessoriaacadem360 visualizações
Slides Lição 12, CPAD, O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia.pptx por LuizHenriquedeAlmeid6
Slides Lição 12, CPAD, O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia.pptxSlides Lição 12, CPAD, O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia.pptx
Slides Lição 12, CPAD, O Modelo de Missões da Igreja de Antioquia.pptx
LuizHenriquedeAlmeid643 visualizações
3) Os AINEs são classificados de acordo com sua composição química. A esse re... por HelpEducacional
3) Os AINEs são classificados de acordo com sua composição química. A esse re...3) Os AINEs são classificados de acordo com sua composição química. A esse re...
3) Os AINEs são classificados de acordo com sua composição química. A esse re...
HelpEducacional193 visualizações
Ao refletir sobre a importância da idealização de práticas inovadoras na Educ... por azulassessoriaacadem3
Ao refletir sobre a importância da idealização de práticas inovadoras na Educ...Ao refletir sobre a importância da idealização de práticas inovadoras na Educ...
Ao refletir sobre a importância da idealização de práticas inovadoras na Educ...
azulassessoriaacadem369 visualizações
4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi... por HelpEducacional
4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi...4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi...
4) Explique a diferença dos coxibes em relação aos AINEs convencionais, consi...
HelpEducacional111 visualizações
b) Faça uma análise de cada aspecto das 5 Forças de Porter, abordando a Ameaç... por azulassessoriaacadem3
b) Faça uma análise de cada aspecto das 5 Forças de Porter, abordando a Ameaç...b) Faça uma análise de cada aspecto das 5 Forças de Porter, abordando a Ameaç...
b) Faça uma análise de cada aspecto das 5 Forças de Porter, abordando a Ameaç...
azulassessoriaacadem352 visualizações
2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO... por azulassessoriaacadem3
2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO...2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO...
2- Dos valores de pressão arterial apresentados pelo paciente, qual é a SÍSTO...
azulassessoriaacadem348 visualizações
1. Faça uma autoanálise da escolha do seu candidato na eleição de 2022 expres... por azulassessoriaacadem3
1. Faça uma autoanálise da escolha do seu candidato na eleição de 2022 expres...1. Faça uma autoanálise da escolha do seu candidato na eleição de 2022 expres...
1. Faça uma autoanálise da escolha do seu candidato na eleição de 2022 expres...
azulassessoriaacadem3185 visualizações
3- Levando em consideração suas respostas anteriores, qual o pré-diagnóstico ... por azulassessoriaacadem3
3- Levando em consideração suas respostas anteriores, qual o pré-diagnóstico ...3- Levando em consideração suas respostas anteriores, qual o pré-diagnóstico ...
3- Levando em consideração suas respostas anteriores, qual o pré-diagnóstico ...
azulassessoriaacadem3270 visualizações
REVISÃO PARA O PROVÃO DE HISTÓRIA.pptx por profesfrancleite
REVISÃO PARA O PROVÃO DE HISTÓRIA.pptxREVISÃO PARA O PROVÃO DE HISTÓRIA.pptx
REVISÃO PARA O PROVÃO DE HISTÓRIA.pptx
profesfrancleite51 visualizações
FESTEJAR O PÃO-POR-DEUS NO LAR VALE FORMOSO.pdf por Colégio Santa Teresinha
FESTEJAR O PÃO-POR-DEUS NO LAR VALE FORMOSO.pdfFESTEJAR O PÃO-POR-DEUS NO LAR VALE FORMOSO.pdf
FESTEJAR O PÃO-POR-DEUS NO LAR VALE FORMOSO.pdf
Colégio Santa Teresinha264 visualizações
4- Sobre o paciente do caso 2, EXPLIQUE quais os mecanismos fisiológicos da ... por azulassessoriaacadem3
4- Sobre o paciente do caso 2,  EXPLIQUE quais os mecanismos fisiológicos da ...4- Sobre o paciente do caso 2,  EXPLIQUE quais os mecanismos fisiológicos da ...
4- Sobre o paciente do caso 2, EXPLIQUE quais os mecanismos fisiológicos da ...
azulassessoriaacadem349 visualizações
ETAPA 1: - Em até 1 (uma) lauda, identifique e explique pelo menos três instr... por azulassessoriaacadem3
ETAPA 1: - Em até 1 (uma) lauda, identifique e explique pelo menos três instr...ETAPA 1: - Em até 1 (uma) lauda, identifique e explique pelo menos três instr...
ETAPA 1: - Em até 1 (uma) lauda, identifique e explique pelo menos três instr...
azulassessoriaacadem334 visualizações

Pcns.

  • 2. PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS: O QUE SÃO? Os Parâmetros Curriculares Nacionais – PCN são diretrizes elaboradas pelo governo que constituem um referencial de qualidade para a educação em todo país. OBJETIVO Propiciar subsídios à elaboração e reelaboração do currículo, tendo em vista um projeto pedagógico em função da cidadania do aluno e uma escola em que se aprende mais e melhor.
  • 3. BREVE HISTÓRICO DOS PCNS • Até 1996 esteve estruturado nos termos previstos da Lei Federal nº 5.692, de 11 agosto de 1971 • 1980 - Propostas foram reformuladas, segundo as tendências educacionais do período; • 1990 Conferência Mundial de Educação para Todos; • 1993 - 2003 Plano Decenal de Educação Para Todos; • 1996 - LDB nº 9.394 Consolida e amplia o dever do poder político para com a Educação em geral.
  • 4. • Os PCN, como uma proposta inovadora e abrangente, expressam o empenho em criar novos laços entre ensino e sociedade e apresentar ideias do "que se quer ensinar", "como se quer ensinar" e "para que se quer ensinar". • Os PCN não são uma coleção de regras, ma um pilar para a transformação de objetivos, conteúdo e didática do ensino. PCNs do Ensino Fundamental O ensino proposto pela LDB está em função do objetivo maior do ensino fundamental, que é o de propiciar a todos formação básica para a cidadania, a partir da criação na escola de condições de aprendizagem para: desenvolvimento da capacidade de aprender, tendo como meios básicos o pleno domínio da leitura, da escrita e do cálculo; a compreensão do ambiente natural e social, do sistema político, da tecnologia, das artes e dos valores em que se fundamenta a sociedade;
  • 5. O desenvolvimento da capacidade de aprendizagem, tendo em vista a aquisição de conhecimentos e habilidades e a formação de atitudes e valores;O fortalecimento dos vínculos de família, dos laços de solidariedade humana e de tolerância recíproca em que se assenta a vida social” (art. 32). PRINCÍPIOS E FUNDAMENTOS DOS PÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS Práticas educativas adequadas às necessidades sociais, políticas, econômicas e culturais considerando o interesse e motivações dos alunos; Aprendizagens essenciais para a formação de sujeitos autônomos, críticos, participativos, capazes de atuar com competência e dignidade na sociedade em que vivem; Domínio da língua falada e escrita, os princípios da reflexão matemática, as coordenadas espaciais e temporais que organizam a percepção do mundo, os princípios da explicação científica, as condições de fruição da arte e das mensagens estéticas, domínios de saber tradicionalmente presentes nas diferentes concepções do papel da educação no mundo democrático, até outras tantas exigências que se impõem no mundo contemporâneo.
  • 6. • Os PCNs são abertos e flexíveis; exigem adaptações para a construção do currículo de uma Secretaria ou mesmo de uma escola. Não se impõem como uma diretriz obrigatória: o que se pretende é que ocorram adaptações, por meio do diálogo, entre estes documentos e as práticas já existentes, desde as definições dos objetivos até as orientações didáticas para a manutenção de um todo coerente. FUNDAMENTOS DOS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS • Os Parâmetros Curriculares Nacionais adotam como eixo o desenvolvimento de capacidades do aluno, processo em que os conteúdos curriculares atuam não como fins em si mesmos, mas como meios para a aquisição e desenvolvimento dessas capacidades. Nesse sentido, o que se tem em vista é que o aluno possa ser sujeito de sua própria formação, em um complexo processo interativo em que também o professor se veja como sujeito de conhecimento.
  • 7. ESCOLA E CONSTITUIÇÃO DA CIDADANIA • No contexto dos PCN’s se concebe a educação escolar como uma prática que desenvolve capacidades e aprendizagem dos conteúdos necessários para a compreensão da realidade e participação em relações sociais, políticas e culturais diversificadas e cada vez mais amplas, condições fundamentais para o exercício da cidadania na construção de uma sociedade democrática e não excludente.
  • 8. ORGANIZAÇÃO DOS PARÂMETROS CURRICULARES NACIONAIS Nos Parâmetros Curriculares Nacionais, optou-se por um tratamento específico das áreas, em função da importância instrumental de cada uma, mas contemplou-se também a integração entre elas. Quanto às questões sociais relevantes, reafirma-se a necessidade de sua problematização e análise, incorporando-as como temas transversais. Quanto ao modo de incorporação desses temas no currículo, propõe-se um tratamento transversal, tendência que se manifesta em algumas experiências nacionais e internacionais, em que as questões sociais se integram na própria concepção teórica das áreas e de seus componentes curriculares.
  • 9. TEMAS TRANSVERSAIS A transversalidade pressupõe um tratamento integrado das áreas e um compromisso das relações interpessoais e sociais escolares com as questões que estão envolvidas nos temas, a fim de que haja uma coerência entre os valores experimentados na vivência que a escola propicia aos alunos e o contato intelectual com tais valores. • Ética, Saúde, Meio Ambiente, Pluralidade Cultural e Orientação Sexual, eleitos por envolverem problemáticas sociais atuais e urgentes, consideradas de abrangência nacional e até mesmo de caráter universal. Autonomia A Autonomia fala de uma relação emancipada, íntegra com as diferentes dimensões da vida, o que envolve aspectos intelectuais, morais, afetivos e sociopolíticos .
  • 10. DIVERSIDADE A educação escolar deve considerar a diversidade dos alunos como elemento essencial a ser tratado para a melhoria da qualidade de ensino e aprendizagem.É atribuição do professor considerar a especificidade do indivíduo, analisar suas possibilidades de aprendizagem e avaliar a eficácia das medidas adotadas. A atuação do professor em sala de aula deve levar em conta fatores sociais, culturais e a história educativa de cada aluno, como também características pessoais de déficit sensorial, motor ou psíquico, ou de superdotação intelectual. Deve-se dar especial atenção ao aluno que demonstrar a necessidade de resgatar a autoestima.
  • 12. A AVALIAÇÃO NO PCN: RESUMO Elemento integrador entre a aprendizagem e o ensino Conjunto de ações cujo objetivo é o ajuste e a orientação da intervenção pedagógica para que o aluno aprenda da melhor forma. Conjunto de ações que busca obter informações sobre o que foi aprendido e como. Elemento de reflexão contínua para o professor sobre sua prática educativa. Instrumento que possibilita ao aluno tomar consciência de seus avanços, dificuldades e possibilidades. Ação que ocorre durante todo o processo de ensino e aprendizagem e não apenas em momentos específicos caracterizados como fechamento de grandes etapas de trabalho e outros.
  • 13. CONSIDERAÇÕES FINAIS • A qualidade da Educação não depende somente da vontade de um ou outro professor, mas da participação em conjunto de todos que fazem parte do contexto escolar para as tomadas de decisões sobre os aspectos e práticas didáticas. As metas não se efetivarão a curto prazo, é preciso tempo e recursos. Os PCNs servem de instrumentos para que se efetive as mudanças necessárias à uma educação de qualidade. Os PCNs tem terão de contemplar a formação básica, incluindo a preparação geral para o trabalho, inclusive, integrando as séries finais do ensino fundamental com o ensino médio, em virtude da proximidade de faixa etária do alunado e das características comuns de especialização disciplinar que esses segmentos de ensino guardam entre si.
  • 14. As diretrizes do novo ensino médio colocam a escola como agente principal na definição do currículo, o professor como agente transformador e o estudante, o cidadão-alvo de toda mudança. Essas diretrizes estão definidas nos Parâmetros Curriculares Nacionais como guias para orientar a escola e os professores na aplicação do novo modelo. Constatou-se assim, a importância dos PCNs para a formação de educadores e para uma educação de qualidade voltada para uma sociedade justa e igualitária.
  • 15. REFERÊNCIAS Brasil, Introdução:Parâmetros Curriculares Nacionais. Ministério da Educação e do Desporto. Brasília. 1997.
  • 16. ALUNOS: VANDERSON SOARES VANDERSON RAMOS MARINALDO ESCOBAR MATEUS PAIOLI HENRIQUE VAZ