Introdução a biologia e citologia

1.049 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.049
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
51
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Introdução a biologia e citologia

  1. 1. AULA 1 INTRODUÇÃO A BIOLOGIA,CITOLOGIA E MICROSCOPIA BIO = VIDA LOGIA = ESTUDO CITO = CÉLULA MICRO = PEQUENO SCOPIEN = VER Prof. Eduardo
  2. 2. • ORIGEM DA VIDA• Até o século XIX, imaginava-se que os seres vivos poderiam surgir da matéria bruta, de uma forma espontânea.• Oriunda da Grécia antiga, essa teoria foi proposta por Anaximandro há 2.000 anos e divulgada por Aristóteles, era conhecida pôr geração espontânea ou abiogênese.• Supunham a existência de um "princípio ativo", "força" capaz de comandar a transformação do material inanimado em seres vivos.
  3. 3. • O grande poeta romano Virgílio (70 a.C.-19 a.C.), garantia que moscas e abelhas nasciam de cadáveres em putrefação.• Na Idade Média, Aldovandro afirmava que, o lodo do fundo das lagoas, poderiam, poderiam nascer patos e morcegos.• No século XVII, o naturalista Jan Baptiste van Helmont (1577-1644), de origem belga, ensinava como produzir ratos e escorpiões a partir de uma camisa suada, germe de trigo e queijo.
  4. 4. • Abiogênose X biogênese• No sec. XVII, Francesco Redi elaborou experiências refutando a geração espontânea. Colocou pedaços de carne no interior de frascos, deixando alguns abertos e fechando outros com uma tela.• Observou que o material aberto atraía moscas, e que depois de algum tempo, notou o surgimento de "vermes" a carne.• Nos frascos fechados onde as moscas não tinham acesso à carne em decomposição, esses "vermes" não apareciam .• Nos frascos abertos, os vermes se transformavam em moscas.
  5. 5. • Redi favoreceu a biogênese, teoria segundo a qual a vida se origina somente de outra vida preexistente.• Quando Anton van Leeuwenhoek observou pela primeira vez os micróbios, reavivou a teoria da geração espontânea.• Experiências de Needham X Spallanzani• No final do séc. XVIII, John Needham (1713- 1781) utilizou várias infusões, em frascos que foram fervidos por 30 min. e tampados. Ele Observou o surgimento de microorganismos, que segundo ele, surgiram pela geração espontânea.
  6. 6. • Por outro lado, Lazzaro Spallanzani (1729- 1799) ferveu durante uma hora as infusões e colocou-as em alguns frascos cuidadosamente selados. Não se verificou que a proliferação de microrganismos.• No entanto, Needham não aceitou estes resultados, alegando que a excessiva fervura teria destruído o principio ativo.• A polêmica prosseguiu até 1862, quando um brilhante experiemento conduzido por Louis Pasteur (1822-1895) resolveu definitivamente a questão.
  7. 7. • Pasteur colocou diversas infusões em balões de vidro nos quais alongou os pescoços dos balões á chama, de modo a que fizessem várias curvas.• Ferveu os líquidos até que o vapor saísse livremente das extremidades estreitas dos balões. Verificou que, não se forma contaminados por microrganismos.• Para eliminar o argumento de Needham, quebrou alguns pescoços de balões, verificando que imediatamente os líquidos ficavam infestados de organismos.• Ficou definitivamente provado que, nas condições atuais, a Vida surge sempre de outra Vida, preexistente ou Biogênese
  8. 8. • Mas, como surgiu a Vida pela primeira vez ?• Hipótese Criacionista/Fixista: Obra imutável de de uam divindade.• Panspermia cósmica: Vida veio do espaço• Hipótese Evolucionista: A vida surgiu na Terra a partir da evolução de moléculas orgânicas.• Dentro da visão evolucionista, a teoria mais aceita é a teoria de Oparin/Haldane(1936) ou hipótese heterotrófica:
  9. 9. • Na atmosfera primitiva do nosso planeta, existiriam metano, amônia, hidrogênio e vapor de água.• Sob altas temperaturas, em presença de centelhas elétricas e raios ultravioleta, tais gases teriam se combinado, originando aminoácidos, eram arrastados para o mar.• Submetidos a aquecimento prolongado, os aminoácidos combinavam-se uns com os outros, formando proteínas.• Surgia uma "sopa de proteínas" nas águas mornas dos mares primitivos.• As proteínas dissolvidas em água formavam colóides. Os colóides se interpenetravam e originavam os coacervados.
  10. 10. • Os coacervados englobavam moléculas de nucleoproteínas. Depois, organizavam-se em gotículas delimitadas por membrana lipoprotéica. Surgiam as primeiras células.• Essas células pioneiras eram muito simples e ainda não eram capazes de realizar a fotossíntese, sendo portanto, heterótrofas fermentadoras e anaeróbicas.• Posteriormente surgiram as células autótrofas e em conseqüência disso os organismos aeróbicos• Oparin não teve condições de provar sua hipótese.
  11. 11. • Mas, em 1953, Stanley Miller, colocou num balão de vidro: metano, amônia, hidrogênio e vapor de água. Submeteu-os a aquecimento prolongado e a descargas elétricas onde notou o aparecimento de aminoácidos.
  12. 12. Citologia
  13. 13. • 1665: Robert Hooke observa pequenos compartimentos em fatias de cortiça, os quais chamou de células. Considerado o descobridor destas.• 1673: Anton van Leeuwenhoek: observa células vivas que chamou de animáculos (microrgasnismos).• 1838: Matthias Schleiden e Theodor Schawann formulam a Teoria Celular:“Todos os seres são formados por células”• 1855: Rudolf Virchow complementa a teoria celular: “todas as células vem de células preexistentes”
  14. 14. Hooke
  15. 15. Leeuwenhoek
  16. 16. Teoria celular Todos os seres são formados por células Toda célula tem metabolismo próprio Toda célula vem de outra preexistente Toda célula tem material genético
  17. 17. Níveis de Organização• Átomo• Molécula• Organelas• Células• Tecidos• Órgãos• Sistemas• Organismo
  18. 18. Tipos de Células:• Célula Prócariotica: Não possuem núcleo organizado (material genético solto no citoplasma) e nem organelas com membranas (possuem apenas ribossomos). Ex. Bactérias e cianobactérias• Célula Eucariótica: Possuem núcleo organizado ou verdadeiro(carioteca contendo o material genético e organelas membranosas (mitocôndrias complexo de Golgi, etc.) Ex. Células animais e vegetais.
  19. 19. Citoplasma e organelas
  20. 20. • Citoplasma: (citosol ou hialoplasma), 55% do vol. Celular, formado por águas íons, e substâncias para síntese de proteínas.• Ribossomos: pequenos grânulos formados por RNA e proteínas onde acontece a síntese de proteínas.
  21. 21. • Polirribossomos: vários ribossomos unidos a um RNA produzindo várias iguais proteínas ao mesmo tempo.
  22. 22. • Reticulo Endoplasmático Rugoso (RER): Sistema membranoso de canais derivados da carioteca, serve para transportar substâncias pela célula. Possuem ribossomos (síntese de proteínas).• Reticulo Endoplasmático Liso( REL): Sistema membranoso de canais que transportam substâncias Não possuem ribossomos Fazem síntese de subs. lipídicas como hormônios esteróide) e realizam a degradação de drogas e álcool no fígado.
  23. 23. • Complexo golgiense (golgi): conjunto de sáculos membranosos, serve para modificar (glicosilação) empacotar (lisossomo) e endereçar proteínas (secreção celular).
  24. 24. • Complexo golgiense: formação do fragmoplasto, que forma a parede celular inicial das células vegetais.
  25. 25. • Complexo golgiense: formação do acrossomo (vesícula cheia de enzimas) que ajuda penetração do espermatozóide.
  26. 26. • Lisossomo: Derivado do Golgi, faz digestão intracelular, autofagia (reciclagem de organelas) inúteis e combate a invasores.
  27. 27. • Lisossomo: Fagocitose: (digestão intracelular e combate a invasores, nos leucócitos)
  28. 28. • Lisossomo: autofagia (reciclagem de organelas inúteis)
  29. 29. • Lisossomo: autólise: quando lisossomos se rompem liberando enzimas que destroem células saudáveis (necrose). Responsável pela formação das patas o girino pela dissolução da cauda.
  30. 30. • Citoesqueleto: formado por polímeros protéicos de microtúbulos, microfilamentos e filamentos intermediários. Ligados ao formato das células e aos movimentos celulares.
  31. 31. • Centríolos: Estruturas composta por microtúbulos protéicos entra na formação de cílios e flagelos celulares
  32. 32. Fibras do fuso mitótico e do áster
  33. 33. • Peroxissomo: sáculo derivado do retículo liso, serve para degradar água oxigenada (peróxido de hidrogênio)• 2 H2O2 + Enzima Catalase → 2 H2O + O2
  34. 34. • Mitocôndria: Organela de dupla membrana, possui um líquido interno (matriz mitocondrial, dobramentos da membrana interna (cristas mitocondriais), e ribossomos próprios. Produz ATP (energia) a partir da quebra da glicose.
  35. 35. Cloroplasto: fotossíntese (cels. Vegetais)
  36. 36. Estrutura e Funções das Membranas• Constituída por uma bicamada de fosfolípides, proteínas e um pouco de colesterol. (Lipoprotéica).• A bicamada forma uma bicamada fluida onde estão imersas proteínas globulares e glicoproteínas. O colesterol modera a fluidez• Esta estrutura permite a movimentação das moléculas (Modelo do Mosaico Fluido, Singer e Nicolson, 1972).
  37. 37. • Devido as suas características, as membranas facilitam a passagem de pequenas moléculas hidrofóbicas como O 2 C O2 e água e dificulta a passagem de grandes moléculas e íons.• Para estas, existem proteínas especiais que atravessam a membrana e funcionam como “portas” ou “canais”. (Proteínas Canais ou Transportadoras).• Dizemos portanto que as membranas possuem permeabilidade seletiva.
  38. 38. • Moléculas de açúares associadas a proteínas (glicoproteínas) ou a lipídios (glicolipídios) formam um emvoltório externo à M.P., o glicocálix ou glicocálice.• A função do glicocálix é de:• A) reconhecimento (cada tipo celular possui um glicocálix próprio, e que também varia de indivíduo para indivíduo).• B) proteção e adesão entre as células de um mesmo tecido.
  39. 39. Tipos de Transporte na Membrana• A) Transporte Passivo: sem gasto de energia, ocorre naturalmente, a favor do gradiente de concentração. Ex: Difusão (equilíbrio das substâncias em um meio), Osmose (difusão da água) e a difusão facilitada (feita por proteínas de canal).• B) Transporte Ativo: com gasto de energia, é “forçado” ou contra o gradiente de concentração. Ex.: Bomba de sódio e Potássio
  40. 40. • A) Difusão passagem de solutos pela membrana do meio de maior concentração para o de menor concentração (a favor do gradiente ou equilíbrio de concentração).
  41. 41. • A) Difusão facilitada: passagem de solutos pela membrana com a ajuda de proteínas canais ou transportadoras.
  42. 42. • A membrana é totalmente permeável a água e ao O2 e CO2 e impermeável a íons e mol. orgânicas
  43. 43. • Osmose (difusão da água) :passagem de solventes pela membrana semipermeável do meio de menor concentração para o de maior concentração (a favor do gradiente ou equilíbrio de concentração).
  44. 44. • Transporte Ativo: com gasto de energia, é “forçado” ou contra o gradiente de concentração. Ex.: Bomba de sódio e Potássio
  45. 45. • Transporte Ativo:
  46. 46. • Processos de Endocitose (entrada)• A) Fagocitose (grandes estruturas sólidas): Emissão de pseudópodes (prolongamentos da membrana) e posterior digestão intracelular.• B) Pinocitose (grandes estruturas líquidas): invaginação da membranae posterior digestão intracelular.• Pseudópode fagossomo vacúlo digestivo (união do fagossomo com o lisossomo) vacúolo residual (clasmocitose).• Processo de Exocitose (saída)• A) Clasmocitose ou excreção celular
  47. 47. Especializações damembrana: I- microvilosidades (aumentaárea de absorção).II- Desmossomo: adesãocelular.III- Interdigitação: adesãocelular.
  48. 48. Parede da célula vegetal: Se forma na telófase. Bolsas membranosas oriundas do aparelho de Golgi, repletasde pectinas, acumulam-se na região central da célula emdivisão e se fundem, originando uma placa, o fragmoplasto.o fragmoplasto vai crescendo pela fusão de bolsas de pectina.Forman-se pontes hiloplasmáticas, os plasmosdesmos (pontescitoplasmáticas).
  49. 49. O fragmoplasto atua como uma espécie de “forma” para aconstrução das paredes celulósicas. A camada de pectinas, que foi a primeira separação entre ascélulas-irmãs, atua agora como um cimento intercelular,passando a se chamar lamela média.
  50. 50. A parede da célula vegetal é constituída por longas eresistentes microfibrilas de celulose (polissacarídeo) As microfibrilas de celulose mantêm-se unidas poruma matriz formada por glicoproteínas (proteínasligadas á açucares) e por dois outros polissacarídeos,ahemicelulose e a pectina. .
  51. 51. A parede celulósica secretada logo após a divisão celular éa parede primária.Essa parede é elástica e acompanha o crescimento celular.Depois que a célula atingiu o seu tamanho e forma definitivos,ela secreta uma nova parede internamente à parede primária.Essa é a parede secundária.

×