SlideShare uma empresa Scribd logo
RECICLAGEM   É impossível imaginar a vida sem consumo:  consumimos para comer, para beber, para brincar e até para dormir - já pensaste nos lençóis, nos cobertores...   Consumir, em si, não tem nada de errado, é uma necessidade.   Mas é importante, depois de consumir, saber o que fazer às embalagens onde vinham os produtos que comprámos e consumimos . Uma boa solução quando as embalagens foram usadas  e já não têm utilidade é a reciclagem.
Queres saber mais...   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
O que é a reciclagem de embalagens usadas   A reciclagem é a transformação dos resíduos de embalagens - depois de separados por famílias de materiais - em novos objectos, que podem ou não ser embalagens. Esta transformação faz-se através da utilização desses resíduos em substituição de materiais novos no processo de produção. Por exemplo, é possível fazer metal ou vidro novo, usando apenas embalagens recuperadas. Uma lata de bebida pode ser infinitamente reciclada. Ou seja, cada lata de bebida que deitas fora poderia dar origem a uma nova lata poupando matéria-prima. Os jornais também são, em grande parte, feitos a partir de papel já usado; as embalagens de vidro e plástico, a mesma coisa. Assim poupa-se em energia e em  matérias-primas.
Por que é importante reciclar   Todos os dias cada um de nós produz mais de um quilo de lixo. Não te lembras como? Faz uma lista das coisas que hoje deitaste fora. Mesmo assim pode não te parecer muito... mas os quilos de lixo que toda a gente faz em Portugal, num ano, representam cerca de três milhões e meio de toneladas (3 500 000 000) e este número deve aumentar. São necessários cerca de 830 000 camiões para transportar todo o lixo produzido em Portugal durante um ano. Estes camiões, se colocados em fila, representam 4 143 quilómetros o que equivale, mais ou menos, à distância entre Lisboa e Atenas.
Quando não se fazia reciclagem, todo o lixo, sem distinção, ia para as lixeiras, montes enormes de lixo que existiam por todo o País. De certeza que já viste algumas. Havia mais de 300, mas agora temos 56 e prevê-se que até ao final de 2002 estejam todas encerradas, tendo sido substituídas por aterros. Mas reciclar não tem como única vantagem reduzir o volume de resíduos depositados em lixeiras. Reciclar também permite poupar matérias-primas, como o alumínio, o estanho, o petróleo, a madeira ou a areia. Quando colocas plástico no contentor amarelo do ecoponto, estás a colaborar para a poupança de petróleo e de gás natural, que são duas matérias-primas utilizadas no fabrico deste material.
Para além disso, é melhor fabricar materiais a partir de resíduos reciclados do que fabricar a partir de matérias-primas. Por exemplo, o alumínio obtido a partir de embalagens usadas, consome apenas 5% da energia necessária para produzir novo alumínio a partir de matérias-primas minerais. E isto significa uma grande redução no consumo de energia e no gasto de dinheiro! ,[object Object]
Aterros e lixeiras   Até há pouco tempo, os resíduos eram sempre depositados em lixeiras a céu aberto. As lixeiras eram muito más para o ambiente, provocavam: •  Maus cheiros • Contaminação do solo, dos lençóis de água e do ar • Transmitiam doenças • Provocavam incêndios • Contribuíam para o agravamento do  efeito de estufa ,[object Object]
Agora, o pouco lixo que não pode ser reciclado nem  valorizado  vai para os aterros sanitários, que são algo de muito diferente das lixeiras. Ao contrário das lixeiras, nos aterros sanitários é feito um isolamento total dos terrenos onde vão ser depositados os resíduos e as águas deles provenientes são tratadas, podendo depois ser usadas na agricultura. O gás produzido na decomposição dos resíduos, em vez de contribuir para o agravamento do efeito de estufa, pode mesmo ser utilizado na produção de energia ou pelo menos é eliminado de forma ambientalmente correcta, não havendo risco de provocar incêndios.
Assim, não há risco de contaminação do solo. Para além disso, os resíduos são bem arrumados e cada camada é coberta com terra, o que impede que fiquem expostos ao ar, como acontecia nas lixeiras.  Depois de alguns anos, quando o aterro está cheio, procede-se ao seu encerramento e muitas vezes planta-se relva e flores por cima do local, que fica assim escondido e transformado num jardim ou mesmo num parque de diversões. Por tudo isso é que os aterros representam uma enorme evolução técnica e ambiental.
Mas atenção, mesmo com todas as vantagens, só deve ir para um aterro aquilo que não pode mesmo ser reciclado. E um aterro dura tanto mais tempo quanto mais material reciclável conseguirmos desviar dele.
Como reciclar Quase tudo, em matéria de embalagens, pode ser reciclado: o plástico, o metal, a madeira, o vidro e o papel. O primeiro passo é separar as embalagens usadas e cuidar delas. Da mesma forma como no fim de uma refeição é preciso lavar a loiça para que a casa fique limpa e arrumada, é também preciso tratar das embalagens vazias para que a Terra fique limpa. É necessário escorrer e enxaguar as embalagens usadas, para que os restos dos produtos que estavam no seu interior não provoquem maus cheiros enquanto as guardamos em casa.
Depois, e sempre que possível, deve-se espalmar as embalagens usadas para reduzir o espaço que ocupam na nossa casa e tornar mais fáceis as viagens ao ecoponto.  Por fim, é importante retirar as rolhas e as tampas porque são normalmente feitas de outros materiais, diferentes da embalagem. ,[object Object]
Prepara a casa para a reciclagem   Preparar uma casa para a reciclagem é muito fácil, apesar de as pessoas, às vezes, pensarem o contrário. Não é preciso, por exemplo, ter 3 caixotes de lixo, todos no mesmo local e em fila indiana. Nem pensar! As garrafas e os frascos de vidro   não precisam de um caixote do lixo. Passam-se por água e arrumam-se na varanda ou debaixo do lava-louça até termos junto uma quantidade suficiente para ir ao ecoponto Para o papel,   a mesma coisa. As embalagens de papel, depois de espalmadas, até podem ser guardadas num saco de papel que pode estar colocado em qualquer lado. Quando o saco está cheio, já sabes... Para as latas e plástico   é que dá jeito um balde ou algo parecido. Então, na prática vais ter necessidade de 2 caixotes para os teus resíduos. Um para o lixo normal que não pode ser reciclado e outro para as latas e plástico.
Na Escola também se pode reciclar   Na sala de aula usa-se muito papel, toda a gente sabe, por isso é um excelente sítio para o juntar para reciclar. O recreio, o bar da escola e a cantina também são bons sítios para recolher material para reciclar, nomeadamente plástico e latas.
O ideal era haver um cantinho do papel para reciclar em cada sala. Depois, ao fim da semana alguém ia pôr o papel armazenado no ecoponto mais próximo... pode-se organizar um esquema «à vez» ou ficar encarregue disso alguém que passe perto de um ecoponto no caminho para casa. ,[object Object],[object Object]
O Sistema Ponto Verde   ,[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object],[object Object]
[object Object],[object Object]

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Os 4 r´s completo
Os 4 r´s completoOs 4 r´s completo
Os 4 r´s completozeopas
 
Reduzir o uso do plástico
Reduzir o uso do plásticoReduzir o uso do plástico
Reduzir o uso do plásticoBruno Oliveira
 
Reciclagem de garrafas pet SEXTO ANO
Reciclagem de garrafas pet SEXTO ANOReciclagem de garrafas pet SEXTO ANO
Reciclagem de garrafas pet SEXTO ANOprojetoehs
 
Reduzir Reutilizar Reciclar
Reduzir Reutilizar ReciclarReduzir Reutilizar Reciclar
Reduzir Reutilizar Reciclarlidia76
 
O que é a regra dos 3 rs
O que é a regra dos 3 rsO que é a regra dos 3 rs
O que é a regra dos 3 rsGAVOLUNTARIA
 
A política dos 3 r’s
A política dos 3 r’sA política dos 3 r’s
A política dos 3 r’sCarol Guedes
 
Equipe Juntos Venceremos
Equipe Juntos VenceremosEquipe Juntos Venceremos
Equipe Juntos VenceremosCEPMBB
 
Poluição ambiental
Poluição ambientalPoluição ambiental
Poluição ambientalNayara Pombo
 
Trabalhooo.Power Point
Trabalhooo.Power PointTrabalhooo.Power Point
Trabalhooo.Power PointJoão Torres
 
Treinamento Coleta Seletiva
Treinamento Coleta SeletivaTreinamento Coleta Seletiva
Treinamento Coleta SeletivaInstituto IDEIAS
 
Econsciente
EconscienteEconsciente
EconscienteHenrique
 
Reciclagem de garrafas pet apresentação completa
Reciclagem de garrafas pet apresentação  completaReciclagem de garrafas pet apresentação  completa
Reciclagem de garrafas pet apresentação completaClaudinéa Ribeiro Neves
 
Lixo- Gincana ecológica
Lixo- Gincana ecológicaLixo- Gincana ecológica
Lixo- Gincana ecológicanielimaia
 
Sustentabilidade - 3Rs.
Sustentabilidade - 3Rs.Sustentabilidade - 3Rs.
Sustentabilidade - 3Rs.Alyne Benini
 
Politica Dos 3 Rs
Politica Dos 3 RsPolitica Dos 3 Rs
Politica Dos 3 Rscarlaefans
 

Mais procurados (20)

Os 4 r´s completo
Os 4 r´s completoOs 4 r´s completo
Os 4 r´s completo
 
Reduzir o uso do plástico
Reduzir o uso do plásticoReduzir o uso do plástico
Reduzir o uso do plástico
 
Reciclagem de garrafas pet SEXTO ANO
Reciclagem de garrafas pet SEXTO ANOReciclagem de garrafas pet SEXTO ANO
Reciclagem de garrafas pet SEXTO ANO
 
Reduzir Reutilizar Reciclar
Reduzir Reutilizar ReciclarReduzir Reutilizar Reciclar
Reduzir Reutilizar Reciclar
 
O que é a regra dos 3 rs
O que é a regra dos 3 rsO que é a regra dos 3 rs
O que é a regra dos 3 rs
 
A política dos 3 r’s
A política dos 3 r’sA política dos 3 r’s
A política dos 3 r’s
 
Política 3 rs
Política 3 rsPolítica 3 rs
Política 3 rs
 
Equipe Juntos Venceremos
Equipe Juntos VenceremosEquipe Juntos Venceremos
Equipe Juntos Venceremos
 
Poluição ambiental
Poluição ambientalPoluição ambiental
Poluição ambiental
 
Trabalhooo.Power Point
Trabalhooo.Power PointTrabalhooo.Power Point
Trabalhooo.Power Point
 
Treinamento Coleta Seletiva
Treinamento Coleta SeletivaTreinamento Coleta Seletiva
Treinamento Coleta Seletiva
 
Econsciente
EconscienteEconsciente
Econsciente
 
Lixo orgânico
Lixo orgânicoLixo orgânico
Lixo orgânico
 
Reciclagem de garrafas pet apresentação completa
Reciclagem de garrafas pet apresentação  completaReciclagem de garrafas pet apresentação  completa
Reciclagem de garrafas pet apresentação completa
 
Lixo- Gincana ecológica
Lixo- Gincana ecológicaLixo- Gincana ecológica
Lixo- Gincana ecológica
 
Reciclagem de papel
Reciclagem de papelReciclagem de papel
Reciclagem de papel
 
Sustentabilidade - 3Rs.
Sustentabilidade - 3Rs.Sustentabilidade - 3Rs.
Sustentabilidade - 3Rs.
 
Politica Dos 3 Rs
Politica Dos 3 RsPolitica Dos 3 Rs
Politica Dos 3 Rs
 
A Reciclagem
A ReciclagemA Reciclagem
A Reciclagem
 
Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Reciclagem
 

Semelhante a tec 3

Projeto Final Camila
Projeto Final CamilaProjeto Final Camila
Projeto Final Camilamilla028
 
O que é a regra dos 3 rs
O que é a regra dos 3 rsO que é a regra dos 3 rs
O que é a regra dos 3 rsGAVOLUNTARIA
 
Planeamento da sessão vamos lá separar
Planeamento da sessão   vamos lá separarPlaneamento da sessão   vamos lá separar
Planeamento da sessão vamos lá separarjoanai
 
Projeto reciclar
Projeto reciclarProjeto reciclar
Projeto reciclarxellli
 
Palestra Coleta seletiva.ppt
Palestra Coleta seletiva.pptPalestra Coleta seletiva.ppt
Palestra Coleta seletiva.pptcarlossilva333486
 
Palestra Socioeducativa Sobre Lixo Domiciliar
Palestra Socioeducativa Sobre Lixo DomiciliarPalestra Socioeducativa Sobre Lixo Domiciliar
Palestra Socioeducativa Sobre Lixo DomiciliarNathália Vasconcelos
 
TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO
TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO
TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO Ricardo Arend
 
Cartilha da Lisboeta Volume III - Coleta Seletiva
Cartilha da Lisboeta Volume III - Coleta SeletivaCartilha da Lisboeta Volume III - Coleta Seletiva
Cartilha da Lisboeta Volume III - Coleta SeletivaQMN Gestão e Treinamentos
 
Cartilha Ambiental
Cartilha AmbientalCartilha Ambiental
Cartilha AmbientalPADOSA
 
Resíduos - um mal necessário.O que fazer?
Resíduos - um mal necessário.O que fazer?Resíduos - um mal necessário.O que fazer?
Resíduos - um mal necessário.O que fazer?Helena Marques
 
Reciclagem eduarda jaqueline marcieli
Reciclagem eduarda jaqueline marcieliReciclagem eduarda jaqueline marcieli
Reciclagem eduarda jaqueline marcieliEstado do RS
 
Pesquisas: Do berço ao túmulo
Pesquisas: Do berço ao túmuloPesquisas: Do berço ao túmulo
Pesquisas: Do berço ao túmuloProfesornc
 
O ambiente 2
O ambiente 2O ambiente 2
O ambiente 2blog9e
 
Atividade reciclagem e reaproveitamento
Atividade   reciclagem e reaproveitamentoAtividade   reciclagem e reaproveitamento
Atividade reciclagem e reaproveitamentoTânia Silva
 
Ambiente reciclagem eb1murca
Ambiente reciclagem eb1murcaAmbiente reciclagem eb1murca
Ambiente reciclagem eb1murcaLino Barbosa
 

Semelhante a tec 3 (20)

Ppoint.Reciclagem
Ppoint.ReciclagemPpoint.Reciclagem
Ppoint.Reciclagem
 
Projeto Final Camila
Projeto Final CamilaProjeto Final Camila
Projeto Final Camila
 
O que é a regra dos 3 rs
O que é a regra dos 3 rsO que é a regra dos 3 rs
O que é a regra dos 3 rs
 
O Planeta: Recicle
O Planeta: RecicleO Planeta: Recicle
O Planeta: Recicle
 
Planeamento da sessão vamos lá separar
Planeamento da sessão   vamos lá separarPlaneamento da sessão   vamos lá separar
Planeamento da sessão vamos lá separar
 
Projeto reciclar
Projeto reciclarProjeto reciclar
Projeto reciclar
 
Palestra Coleta seletiva.ppt
Palestra Coleta seletiva.pptPalestra Coleta seletiva.ppt
Palestra Coleta seletiva.ppt
 
Palestra Socioeducativa Sobre Lixo Domiciliar
Palestra Socioeducativa Sobre Lixo DomiciliarPalestra Socioeducativa Sobre Lixo Domiciliar
Palestra Socioeducativa Sobre Lixo Domiciliar
 
TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO
TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO
TRABALHO COMPLETO SOBRE O LIXO
 
Cartilha da Lisboeta Volume III - Coleta Seletiva
Cartilha da Lisboeta Volume III - Coleta SeletivaCartilha da Lisboeta Volume III - Coleta Seletiva
Cartilha da Lisboeta Volume III - Coleta Seletiva
 
Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Reciclagem
 
Cartilha Ambiental
Cartilha AmbientalCartilha Ambiental
Cartilha Ambiental
 
Resíduos - um mal necessário.O que fazer?
Resíduos - um mal necessário.O que fazer?Resíduos - um mal necessário.O que fazer?
Resíduos - um mal necessário.O que fazer?
 
Reciclagem eduarda jaqueline marcieli
Reciclagem eduarda jaqueline marcieliReciclagem eduarda jaqueline marcieli
Reciclagem eduarda jaqueline marcieli
 
Pesquisas: Do berço ao túmulo
Pesquisas: Do berço ao túmuloPesquisas: Do berço ao túmulo
Pesquisas: Do berço ao túmulo
 
Trabalho pac iv reciclagem
Trabalho pac iv   reciclagemTrabalho pac iv   reciclagem
Trabalho pac iv reciclagem
 
O ambiente 2
O ambiente 2O ambiente 2
O ambiente 2
 
Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Reciclagem
 
Atividade reciclagem e reaproveitamento
Atividade   reciclagem e reaproveitamentoAtividade   reciclagem e reaproveitamento
Atividade reciclagem e reaproveitamento
 
Ambiente reciclagem eb1murca
Ambiente reciclagem eb1murcaAmbiente reciclagem eb1murca
Ambiente reciclagem eb1murca
 

Mais de Eduardo1

Criebalanofinal200708
Criebalanofinal200708Criebalanofinal200708
Criebalanofinal200708Eduardo1
 
Parasitismo
ParasitismoParasitismo
ParasitismoEduardo1
 
Ser Professor
Ser ProfessorSer Professor
Ser ProfessorEduardo1
 
A Geração do Futuro
A Geração do FuturoA Geração do Futuro
A Geração do FuturoEduardo1
 
Guimarães Tesouros Artisticos Do Mundo
Guimarães Tesouros Artisticos Do MundoGuimarães Tesouros Artisticos Do Mundo
Guimarães Tesouros Artisticos Do MundoEduardo1
 
Guimarães Passado & Presente
Guimarães Passado & PresenteGuimarães Passado & Presente
Guimarães Passado & PresenteEduardo1
 
RelatóRio Crie Para Post
RelatóRio Crie Para PostRelatóRio Crie Para Post
RelatóRio Crie Para PostEduardo1
 
Poster Challenges2007
Poster Challenges2007Poster Challenges2007
Poster Challenges2007Eduardo1
 
Fósseis e História da Terra
Fósseis e História da TerraFósseis e História da Terra
Fósseis e História da TerraEduardo1
 
Professor Titular
Professor TitularProfessor Titular
Professor TitularEduardo1
 
ApresentaçãoII: estatuto
ApresentaçãoII: estatutoApresentaçãoII: estatuto
ApresentaçãoII: estatutoEduardo1
 
Apresentação: Estatuto da Carreira Docente
Apresentação: Estatuto da Carreira DocenteApresentação: Estatuto da Carreira Docente
Apresentação: Estatuto da Carreira DocenteEduardo1
 
eTwinning 13
eTwinning 13eTwinning 13
eTwinning 13Eduardo1
 
Etwinning 12
Etwinning 12Etwinning 12
Etwinning 12Eduardo1
 
eTwinning 9
eTwinning 9 eTwinning 9
eTwinning 9 Eduardo1
 
eTwinning 10
eTwinning 10eTwinning 10
eTwinning 10Eduardo1
 
eTwinning 7
eTwinning 7eTwinning 7
eTwinning 7Eduardo1
 
eTwinning 6
eTwinning 6eTwinning 6
eTwinning 6Eduardo1
 
eTwinning 6
eTwinning 6eTwinning 6
eTwinning 6Eduardo1
 
etwinning 5
etwinning 5etwinning 5
etwinning 5Eduardo1
 

Mais de Eduardo1 (20)

Criebalanofinal200708
Criebalanofinal200708Criebalanofinal200708
Criebalanofinal200708
 
Parasitismo
ParasitismoParasitismo
Parasitismo
 
Ser Professor
Ser ProfessorSer Professor
Ser Professor
 
A Geração do Futuro
A Geração do FuturoA Geração do Futuro
A Geração do Futuro
 
Guimarães Tesouros Artisticos Do Mundo
Guimarães Tesouros Artisticos Do MundoGuimarães Tesouros Artisticos Do Mundo
Guimarães Tesouros Artisticos Do Mundo
 
Guimarães Passado & Presente
Guimarães Passado & PresenteGuimarães Passado & Presente
Guimarães Passado & Presente
 
RelatóRio Crie Para Post
RelatóRio Crie Para PostRelatóRio Crie Para Post
RelatóRio Crie Para Post
 
Poster Challenges2007
Poster Challenges2007Poster Challenges2007
Poster Challenges2007
 
Fósseis e História da Terra
Fósseis e História da TerraFósseis e História da Terra
Fósseis e História da Terra
 
Professor Titular
Professor TitularProfessor Titular
Professor Titular
 
ApresentaçãoII: estatuto
ApresentaçãoII: estatutoApresentaçãoII: estatuto
ApresentaçãoII: estatuto
 
Apresentação: Estatuto da Carreira Docente
Apresentação: Estatuto da Carreira DocenteApresentação: Estatuto da Carreira Docente
Apresentação: Estatuto da Carreira Docente
 
eTwinning 13
eTwinning 13eTwinning 13
eTwinning 13
 
Etwinning 12
Etwinning 12Etwinning 12
Etwinning 12
 
eTwinning 9
eTwinning 9 eTwinning 9
eTwinning 9
 
eTwinning 10
eTwinning 10eTwinning 10
eTwinning 10
 
eTwinning 7
eTwinning 7eTwinning 7
eTwinning 7
 
eTwinning 6
eTwinning 6eTwinning 6
eTwinning 6
 
eTwinning 6
eTwinning 6eTwinning 6
eTwinning 6
 
etwinning 5
etwinning 5etwinning 5
etwinning 5
 

tec 3

  • 1. RECICLAGEM É impossível imaginar a vida sem consumo: consumimos para comer, para beber, para brincar e até para dormir - já pensaste nos lençóis, nos cobertores... Consumir, em si, não tem nada de errado, é uma necessidade. Mas é importante, depois de consumir, saber o que fazer às embalagens onde vinham os produtos que comprámos e consumimos . Uma boa solução quando as embalagens foram usadas e já não têm utilidade é a reciclagem.
  • 2.
  • 3. O que é a reciclagem de embalagens usadas A reciclagem é a transformação dos resíduos de embalagens - depois de separados por famílias de materiais - em novos objectos, que podem ou não ser embalagens. Esta transformação faz-se através da utilização desses resíduos em substituição de materiais novos no processo de produção. Por exemplo, é possível fazer metal ou vidro novo, usando apenas embalagens recuperadas. Uma lata de bebida pode ser infinitamente reciclada. Ou seja, cada lata de bebida que deitas fora poderia dar origem a uma nova lata poupando matéria-prima. Os jornais também são, em grande parte, feitos a partir de papel já usado; as embalagens de vidro e plástico, a mesma coisa. Assim poupa-se em energia e em matérias-primas.
  • 4. Por que é importante reciclar Todos os dias cada um de nós produz mais de um quilo de lixo. Não te lembras como? Faz uma lista das coisas que hoje deitaste fora. Mesmo assim pode não te parecer muito... mas os quilos de lixo que toda a gente faz em Portugal, num ano, representam cerca de três milhões e meio de toneladas (3 500 000 000) e este número deve aumentar. São necessários cerca de 830 000 camiões para transportar todo o lixo produzido em Portugal durante um ano. Estes camiões, se colocados em fila, representam 4 143 quilómetros o que equivale, mais ou menos, à distância entre Lisboa e Atenas.
  • 5. Quando não se fazia reciclagem, todo o lixo, sem distinção, ia para as lixeiras, montes enormes de lixo que existiam por todo o País. De certeza que já viste algumas. Havia mais de 300, mas agora temos 56 e prevê-se que até ao final de 2002 estejam todas encerradas, tendo sido substituídas por aterros. Mas reciclar não tem como única vantagem reduzir o volume de resíduos depositados em lixeiras. Reciclar também permite poupar matérias-primas, como o alumínio, o estanho, o petróleo, a madeira ou a areia. Quando colocas plástico no contentor amarelo do ecoponto, estás a colaborar para a poupança de petróleo e de gás natural, que são duas matérias-primas utilizadas no fabrico deste material.
  • 6.
  • 7.
  • 8. Agora, o pouco lixo que não pode ser reciclado nem valorizado vai para os aterros sanitários, que são algo de muito diferente das lixeiras. Ao contrário das lixeiras, nos aterros sanitários é feito um isolamento total dos terrenos onde vão ser depositados os resíduos e as águas deles provenientes são tratadas, podendo depois ser usadas na agricultura. O gás produzido na decomposição dos resíduos, em vez de contribuir para o agravamento do efeito de estufa, pode mesmo ser utilizado na produção de energia ou pelo menos é eliminado de forma ambientalmente correcta, não havendo risco de provocar incêndios.
  • 9. Assim, não há risco de contaminação do solo. Para além disso, os resíduos são bem arrumados e cada camada é coberta com terra, o que impede que fiquem expostos ao ar, como acontecia nas lixeiras. Depois de alguns anos, quando o aterro está cheio, procede-se ao seu encerramento e muitas vezes planta-se relva e flores por cima do local, que fica assim escondido e transformado num jardim ou mesmo num parque de diversões. Por tudo isso é que os aterros representam uma enorme evolução técnica e ambiental.
  • 10. Mas atenção, mesmo com todas as vantagens, só deve ir para um aterro aquilo que não pode mesmo ser reciclado. E um aterro dura tanto mais tempo quanto mais material reciclável conseguirmos desviar dele.
  • 11. Como reciclar Quase tudo, em matéria de embalagens, pode ser reciclado: o plástico, o metal, a madeira, o vidro e o papel. O primeiro passo é separar as embalagens usadas e cuidar delas. Da mesma forma como no fim de uma refeição é preciso lavar a loiça para que a casa fique limpa e arrumada, é também preciso tratar das embalagens vazias para que a Terra fique limpa. É necessário escorrer e enxaguar as embalagens usadas, para que os restos dos produtos que estavam no seu interior não provoquem maus cheiros enquanto as guardamos em casa.
  • 12.
  • 13. Prepara a casa para a reciclagem Preparar uma casa para a reciclagem é muito fácil, apesar de as pessoas, às vezes, pensarem o contrário. Não é preciso, por exemplo, ter 3 caixotes de lixo, todos no mesmo local e em fila indiana. Nem pensar! As garrafas e os frascos de vidro não precisam de um caixote do lixo. Passam-se por água e arrumam-se na varanda ou debaixo do lava-louça até termos junto uma quantidade suficiente para ir ao ecoponto Para o papel, a mesma coisa. As embalagens de papel, depois de espalmadas, até podem ser guardadas num saco de papel que pode estar colocado em qualquer lado. Quando o saco está cheio, já sabes... Para as latas e plástico é que dá jeito um balde ou algo parecido. Então, na prática vais ter necessidade de 2 caixotes para os teus resíduos. Um para o lixo normal que não pode ser reciclado e outro para as latas e plástico.
  • 14. Na Escola também se pode reciclar Na sala de aula usa-se muito papel, toda a gente sabe, por isso é um excelente sítio para o juntar para reciclar. O recreio, o bar da escola e a cantina também são bons sítios para recolher material para reciclar, nomeadamente plástico e latas.
  • 15.
  • 16.
  • 17.
  • 18.
  • 19.