Graduação em ciências contábeis estrutura das demonstrações contábeis 2014.2

680 visualizações

Publicada em

Demonstrações Contábeis, CIÊNCIAS CONTÁBEIS, ESTATÍSTICA PATRIMONIAL, BALANÇO PATRIMONIAL, ATIVO (BENS E DIREITOS), PASSIVO (OBRIGAÇÃO), DRE DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO, CMV CUSTO DA MERCADORIA VENDIDA, CPV CUSTO DO PRODUTO VENDIDO, CSV CUSTO DO SERVIÇO VENDIDO, CÁLCULO DA HORA EXTRA DOS FUNCIONÁRIOS, ARE – APURAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO, CÁLCULO DE DEPRECIAÇÃO, CONTAS QUE APARECEM NA DRE, MODELO DA DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO, DMPL – DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO, CLASSIFICAÇÃO, NATUREZA E CONCEITO DAS CONTAS.

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
680
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
37
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Graduação em ciências contábeis estrutura das demonstrações contábeis 2014.2

  1. 1. CIÊNCIAS CONTÁBEIS – 2014.2 Estrutura das Demonstrações Contábeis J.E.B 07/11/2014 Disciplina Estrutura das Demonstrações Contábeis.
  2. 2. ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Nome: J. Eduardo Baroni. 2014.2 Graduação em Ciências Contábeis Estrutura das Demonstrações Contábeis 2014.2 Página 2 de 13 Conteúdo ESTATÍSTICA PATRIMONIAL ....................................................................................................................................................................................................................................................................................... 3 CIA NIRVANA ......................................................................................................................................................................................................................................................................................................................... 4 CMV ...................................................................................................................................................................... 7 ARE – APURAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO ......................................................................................................... 7 CLASSIFICAÇÃO E CONCEITO DAS CONTAS .......................................................................................................................... 11
  3. 3. ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Nome: J. Eduardo Baroni. 2014.2 Graduação em Ciências Contábeis Estrutura das Demonstrações Contábeis 2014.2 Página 3 de 13 ESTATÍSTICA PATRIMONIAL BP – BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO (BENS E DIREITOS) PASSIVO (OBRIGAÇÃO) ANTIGO ATIVO PERMANENTE CAIXA CAIXA BCO. OU BC CTA MOV. APLICAÇÃO FINANCEIRA CP – CURTO PRAZO CR – CONTAS A RECEBER ESTOQUE ANC  ATIVO NÃO CIRCULANTE RLP  REALIZÁVEL A LONGO PRAZO PASSIVO CIRCULANTE CTA. ENERGIA / TEL./ ÁGUA / IMPOSTOS ETC. PASSIVO NÃO CIRCULANTE ELP – EXIGÍVEL A LONGO PRAZO PL – PATRIMÔNIO LÍQUIDO CS – CAPITAL SOCIAL RESERVAS LP – LUCRO OU PREJUÍZO VENDAS INVESTIMENTO IMOBILIZADO – BENS CORPÓREOS INTANGÍVEL – BEM NÃO CORPÓREO DESPESA CPC - Comitê de Pronunciamentos Contábeis. 11.638 – Lei brasileira que alinha a Cont. Nacional à Cont. Internacional. DRE CMV – CUSTO DA MERCADORIA VENDIDA. CPV – CUSTO DO PRODUTO VENDIDO. CSV – CUSTO DO SERVIÇO VENDIDO. Inventário Periódico Inventário Permanente Valor Justo 2000 - 800 1.200 = CMV O que era o ativo diferido? Porque o capital da empresa é considerado um passivo? O que é um plano de contas?
  4. 4. ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Nome: J. Eduardo Baroni. 2014.2 Graduação em Ciências Contábeis Estrutura das Demonstrações Contábeis 2014.2 Página 4 de 13 BP – BALANÇO PATRIMONIAL. DVA – DEMONSTRAÇÃO VALOR ADICIONADO. DRE – DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO. NE - NOTAS EXPLICATIVAS. DRA – DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO ABRANGENTE. RAI - RELATÓRIOS DA AUDITORIA INDEPENDENTE. DMPL – DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO. EP – ESTATÍSTICA PATRIMONIAL. DLPA – DEMONSTRAÇÃO DO LUCRO OU PREJUÍZO ACUMULADO. CMV – CUSTO DA MERCADORIA VENDIDA. DFC – DEMONSTRAÇÃO DO FLUXO DE CAIXA. CPV – CUSTO DO PRODUTO VENDIDO. BS – BALANÇO SOCIAL. CSV – CUSTO DO SERVIÇO VENDIDO. CIA NIRVANA MOEDA ESCRITURAL – É UM CAPITAL ATRELADO AOS VALORES QUE PASSAM PELO O ATIVO DA EMPRESA. ATIVO (BENS E DIREITOS) PASSIVO (OBRIGAÇÃO) AC CAIXA CAIXA BCO. ESTOQUE ANC  ATIVO NÃO CIRCULANTE PASSIVO CIRCULANTE CTA. ENERGIA / TEL./ ÁGUA / IMPOSTOS ETC. PASSIVO NÃO CIRCULANTE ELP PL – PATRIMÔNIO LÍQUIDO CS – CAPITAL SOCIAL RESERVAS LP – LUCRO OU PREJUÍZO INVESTIMENTO IMOBILIZADO – BENS CORPÓREOS INTANGÍVEL – BEM NÃO CORPÓREO DRE VENDAS (-) ICMS (=) VALOR LÍQUIDO (-) CMV (=) LB (-) DO’S 27.000 1.400 25.600 8.200 17.400 4.450 SAL. 1.500 ENC. 1.050 ENERG. 500 ÁGUA 600 TEL. 700 DESP. 100 (=)LA 12.950 BALANÇO PATRIMONIAL CX BCO CR ESTOQUE EQUIP. DA TERRENOS TOTAL PASSIVO 10.950 20.000 1.800 12.000 (400) 15.600 59.950 FORN. SALÁ. ENC. SOC. CAPITAL LA 8.800 1.500 1.050 35.000 13.600 TOTAL 59.950
  5. 5. ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Nome: J. Eduardo Baroni. 2014.2 Graduação em Ciências Contábeis Estrutura das Demonstrações Contábeis 2014.2 Página 5 de 13 DMPL CAPITAL INICIAL RESERVA CAPITAL DE ÁGIO RESERVA LEGAL RESERVA DE EXPANSÃO LUCROS ACUMULADOS TOTAL SALDO INICIAL 35.000 650,00 35.650 INTEGRALIZAÇÃO DE CAPITAL LUCRO LÍQUIDO EXERCÍCIO 12.950 – 5% = 12.302,50 - 5% 647,50 12.950 DESTINAÇÃO PARA RESERVA LUCROS DESTINAÇÃO PARA DIVIDENDOS SALDO FINAL 47.302,50 647,50 650,00 48.600
  6. 6. ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Nome: J. Eduardo Baroni. 2014.2 Graduação em Ciências Contábeis Estrutura das Demonstrações Contábeis 2014.2 Página 6 de 13 UMA EMPRESA FOI CONSTITUÍDA COM O OBJETIVO DE COMERCIALIZAR TINTAS E VERNIZES. A COMPOSIÇÃO DO CAPITAL INICIAL SE DEU PELOS TRÊS SÓCIOS DA SEGUINTE MANEIRA: 1° ENTREGOU UM VEÍCULO SEMINOVO NO VALOR DE $10.000,00, O 2° UM GALPÃO ONDE INSTALARAM A EMPRESA POR $20.000,00, E O 3° CEDEU $15.000,00, EM DINHEIRO, DEPOSITADO EM NOME DA EMPRESA NO BANCO DO COMÉRCIO LOCAL. 02-01 A EMPRESA ADQUIRE MERCADORIAS PARA REVENDA NUM MONTANTE DE $12.000,00, DESEMBOLSANDO NO ATO 40% DA DÍVIDA, E O RESTANTE PARA 60 DIAS, MEDIANTE O ACEITE DE UMA NOTA PROMISSÓRIA. 05-01 ADQUIRE UM COMPUTADOR PARA OS SERVIÇOS DE CONTROLE DE ESTOQUE E CONTABILIDADE POR $3.500,00 À VISTA. 10-01 REALIZA SUA PRIMEIRA VENDA, POR $7.000,00 À VISTA. 15-01 O 1° SÓCIO INTEGRALIZA $5.000,00, DEPOSITANDO A QUANTIA NO BANCO DO COMÉRCIO LOCAL. 18-01 A EMPRESA VENDE MAIS MERCADORIAS POR $8.000,00 À VISTA. 20-01 ADQUIRE UMA MÁQUINA MISTURADORA DE TINTAS POR $3.200,00 À VISTA. 25-01 PREPARAR A FOLHA DE PAGAMENTO SABENDO QUE TRÊS EMPREGADOS RECEBEM SALÁRIO DE 300,00; 500,00, E 600,00 MENSALMENTE, O PRIMEIRO FEZ 10 HORAS EXTRAS NO MÊS, O SEGUNDO TRABALHOU 1 DIA NO DOMINGO E O TERCEIRO FEZ 20 HORAS EXTRAS. A EMPRESA PAGA ANUÊNIO E TODOS TEM EM MÉDIA 7 ANOS NA EMPRESA, O PRIMEIRO É CASADO SEM FILHOS, O SEGUNDO TEM UM CASAL E O TERCEIRO É SOLTEIRO. 30-01 O INVENTÁRIO DE MERCADORIAS EM ESTOQUE REVELOU-NOS UM SALDO FINAL DE $3.500,00. 31-01 PREPARAR A DEMONSTRAÇÃO DE RESULTADO E O RESPECTIVO BALANÇO PATRIMONIAL. VEÍCULOS IMÓVEIS CX BCO CAPITAL ESTOQUE 10.000 20.000 15.000 4.80002/01 45.000 02/0112.000 8.500 10/017.000 3.50005/01 5.00015/01 30/013.500 15/015.000 3.20020/01 50.00031/01 18/018.000 35.000 11.500 31/0123.500 FORNECEDORES COMPUTADOR VENDAS MAQUINÁRIO DESP. SALÁRIO 7.20002/01 05/013.500 7.00010/01 20/013.200 25/01320,40 8.00018/01 25/01536,32 15.00031/01 25/01681,80 31/011.538,52 SALÁRIO A PAGAR CMV DESP. DEPRECIAÇÃO DEPRECIAÇÃO 320,4025/01 31/018.500 166,67 166,67 536,3225/01 66,67 66,67 681,9025/01 05/01 58, 33 58, 3305/01 1.538,5231/01 20/01 26,67 26,6720/01 31/01318,34 318,3431/01 ARE – APURAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO 31/01 1.538,52 15.00031/01 31/018.500 31/01318, 34 10.356,96 15.000 4.643,14
  7. 7. ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Nome: J. Eduardo Baroni. 2014.2 Graduação em Ciências Contábeis Estrutura das Demonstrações Contábeis 2014.2 Página 7 de 13 DRE – DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO VENDAS 15.000 (-) CMV 8.500 (=) LB 6.500 (-) DESPESAS OPER. DESP. SAL. 1.538,52 DESP. DEPREC. 318,34 (=) LUCRO LÍQUIDO 4.643,14 BP – BALANÇO PATRIMONIAL ATIVO PASSIVO CX. BCO. 23.500,00 FORNECEDOR 7.200,00 ESTOQUE 3.500,00 SALÁRIO 1.538,52 VEÍCULO 10.000,00 DEPREC. (- 166,67) PL – PATRIMÔNIO LÍQUIDO IMÓVEL 20.000,00 CAPITAL SOCIAL 50.000,00 DEPREC. (- 66,67) LUCRO ACUMULADO 4.643,14 MÁQUINA 3.200,00 DEPREC. (- 26,67) COMPUTADOR 3.500,00 DEPREC. (- 58,33) TOTAL 63.381,66 TOTAL 63.381,66 DMPL CAPITAL INICIAL RESERVA CAPITAL DE ÁGIO RESERVA LEGAL RESERVA DE EXPANSÃO LUCROS ACUMULADOS TOTAL SALDO INICIAL 45.000,00 45.000,00 INTEGRALIZAÇÃO DE CAPITAL 5.000,00 5.000,00 LUCRO LÍQUIDO EXERCÍCIO 4.410,98 (4.643,14 X 0,95) 232,16 (4.643,14 X 0,05) 4.643,14 DESTINAÇÃO PARA RESERVA LUCROS DESTINAÇÃO PARA DIVIDENDOS SALDO FINAL 54.410,98 232,16 56.643,14 CÁLCULO DA HORA EXTRA DOS FUNCIONÁRIOS FUNCIONÁRIO 01 FUNCIONÁRIO 02 FUNCIONÁRIO 03 SALÁRIO MENSAL = R$ 300,00. JORNADA MENSAL DE TRABALHO 220H. QUANT. DE HRS. EXTRAS = 10H. ADICIONAL DE HORAS EXTRAS = 50% 300 = 1,36 X 1,50 = 2,04 VALOR DE 1 HORA EXTRA. 220 2,04 X 10 = 20,40 VALOR TOTAL DAS HORAS EXTRAS. 300 + 20,40 = 320,40 SALÁRIO A PAGAR. SALÁRIO MENSAL = R$ 500,00. JORNADA MENSAL DE TRABALHO 220H. QUANT. DE HRS. EXTRAS = 08H. ADICIONAL DE HORAS EXTRAS = 100%. 500 = 2,27 X 2 =4,54 220 4,54 X 8 = 36,32. 500 + 36,32 = 536,32. SALÁRIO MENSAL = R$ 600,00. JORNADA MENSAL DE TRABALHO 220H. QUANT. DE HRS. EXTRAS = 20H. ADICIONAL DE HORAS EXTRAS = 50% 600 = 2,73 X 1,5 = 4,09 220 4,09 X 20 = 81,80. 600 + 81,90 = 681,80. CMV ARE – APURAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO CMV = EI + C – EF CMV = 12.000 – 3.500 = 8.500. EI = ESTOQUE INICIAL C = COMPRAS EF = ESTOQUE FINAL CMV é o Custo das Mercadorias Vendidas. Este valor provém da equação CMV = Estoque Inicial + Compras - Estoque Final. O valor obtido vai para DRE (Demonstração do Resultado do Exercício). RESULTADO DO EXERCÍCIO SALDOS ORIUNDOS DAS DESPESAS SALDOS ORIUNDOS DAS RECEITAS SALDO DEVEDOR PREJUÍZO SALDO CREDOR LUCRO FONTE: HTTPS://WWW.EDITORAFERREIRA.COM.BR/MEDIAS/1/MEDIA/PROFESSORES/TOQUEDEMESTRE/HUMBERTOLUCENA/HUMBERTOLUCENA_TOQUE_07.PDF
  8. 8. ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Nome: J. Eduardo Baroni. 2014.2 Graduação em Ciências Contábeis Estrutura das Demonstrações Contábeis 2014.2 Página 8 de 13 CÁLCULO DE DEPRECIAÇÃO MÉTODO LINEAR VEÍCULOS VALOR DO BEM = R$ 10.000,00. TAXA ANUAL DE DEPRECIAÇÃO = 20%. VALOR DA DEPRECIAÇÃO NO ANO = 10.000 X 0,20 = R$ 2.000,00. VALOR DA DEPRECIAÇÃO MENSAL = 2.000 / 12 = 166,67. IMÓVEIS VALOR DO BEM = R$ 20.000,00. TAXA ANUAL DE DEPRECIAÇÃO = 4%. VALOR DA DEPRECIAÇÃO NO ANO = 20.000 X 0,04 = R$ 800,00. VALOR DA DEPRECIAÇÃO MENSAL = 800 / 12 = 66,67. COMPUTADOR VALOR DO BEM = R$ 3.500,00. TAXA ANUAL DE DEPRECIAÇÃO = 20%. VALOR DA DEPRECIAÇÃO NO ANO = 3.500 X 0,20 = R$ 700,00. VALOR DA DEPRECIAÇÃO MENSAL = 700 / 12 = 58,33. MAQUINA VALOR DO BEM = R$ 3.200,00. TAXA ANUAL DE DEPRECIAÇÃO = 10%. VALOR DA DEPRECIAÇÃO NO ANO = 3.200 X 0,10 = R$ 32,00. VALOR DA DEPRECIAÇÃO MENSAL = 320 / 12 = 26,67. OU CÁLCULO DIRETO: VALOR DO BEM = VALOR MENSAL DA DEPRECIAÇÃO PRAZO VIDA ÚTIL EM MESES 10.000 = 166,67. 60 20.000 = 66,67. 300 3.500 = 58,33. 60 3.200 = 26,67. 12 *ATENÇÃO A OUTROS MÉTODOS DO CÁLCULO DE DEPRECIAÇÃO. SOMA DE DÍGITOS E VALORES DECRESCENTES.
  9. 9. ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Nome: J. Eduardo Baroni. 2014.2 Graduação em Ciências Contábeis Estrutura das Demonstrações Contábeis 2014.2 Página 9 de 13 CONTAS QUE APARECEM NA DRE CMV CONTRIBUIÇÃO SOCIAL DESPESAS ADMINISTRATIVAS DESPESAS COM PUBLICIDADE DESPESAS FINANCEIRAS DESPESAS NÃO OPERACIONAIS DESPESAS TRIBUTÁRIAS ICMS/IPI OUTRAS DESPESAS OPERACIONAIS RECEITA BRUTA DE VENDAS RECEITA NÃO OPERACIONAL RECEITAS FINANCEIRAS RESULTADO CREDOR DE CORREÇÃO MONETÁRIA IMPOSTO DE RENDA MODELO DA DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO RECEITA OPERACIONAL BRUTA VENDAS DE PRODUTOS VENDAS DE MERCADORIAS PRESTAÇÃO DE SERVIÇOS (-) DEDUÇÕES DA RECEITA BRUTA DEVOLUÇÕES DE VENDAS ABATIMENTOS IMPOSTOS E CONTRIBUIÇÕES INCIDENTES SOBRE VENDAS = RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA (-) CUSTOS DAS VENDAS CUSTO DOS PRODUTOS VENDIDOS CUSTO DAS MERCADORIAS CUSTO DOS SERVIÇOS PRESTADOS = RESULTADO OPERACIONAL BRUTO (-) DESPESAS OPERACIONAIS DESPESAS COM VENDAS DESPESAS ADMINISTRATIVAS (-) DESPESAS FINANCEIRAS LÍQUIDAS DESPESAS FINANCEIRAS (-) RECEITAS FINANCEIRAS VARIAÇÕES MONETÁRIAS E CAMBIAIS PASSIVAS (-) VARIAÇÕES MONETÁRIAS E CAMBIAIS ATIVAS OUTRAS RECEITAS E DESPESAS RESULTADO DA EQUIVALÊNCIA PATRIMONIAL VENDA DE BENS E DIREITOS DO ATIVO NÃO CIRCULANTE (-) CUSTO DA VENDA DE BENS E DIREITOS DO ATIVO NÃO CIRCULANTE = RESULTADO OPERACIONAL ANTES DO IMPOSTO DE RENDA E DA CONTRIBUIÇÃO SOCIAL E SOBRE O LUCRO (-) PROVISÃO PARA IMPOSTO DE RENDA E CONTRIBUIÇÃO SOCIAL SOBRE O LUCRO = LUCRO LÍQUIDO ANTES DAS PARTICIPAÇÕES (-) DEBÊNTURES, EMPREGADOS, PARTICIPAÇÕES DE ADMINISTRADORES, PARTES BENEFICIÁRIAS, FUNDOS DE ASSISTÊNCIA E PREVIDÊNCIA PARA EMPREGADOS (=) RESULTADO LÍQUIDO DO EXERCÍCIO DRE – DEMONSTRAÇÃO DO RESULTADO DO EXERCÍCIO VENDAS 15.000 (-) CMV 8.500 (=) LB 6.500 (-) DESPESAS OPER. DESP. SAL. 1.538,52 DESP. DEPREC. 318,34 (=) LUCRO LÍQUIDO 4.643,14
  10. 10. ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Nome: J. Eduardo Baroni. 2014.2 Graduação em Ciências Contábeis Estrutura das Demonstrações Contábeis 2014.2 Página 10 de 13 DMPL – DEMONSTRAÇÃO DAS MUTAÇÕES DO PATRIMÔNIO LÍQUIDO DMPL CAPITAL INICIAL RESERVA CAPITAL DE ÁGIO RESERVA LEGAL RESERVA DE EXPANSÃO LUCROS ACUMULADOS TOTAL SALDO INICIAL INTEGRALIZAÇÃO DE CAPITAL LUCRO LÍQUIDO EXERCÍCIO DESTINAÇÃO PARA RESERVA LUCROS DESTINAÇÃO PARA DIVIDENDOS SALDO FINAL
  11. 11. ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Nome: J. Eduardo Baroni. 2014.2 Graduação em Ciências Contábeis Estrutura das Demonstrações Contábeis 2014.2 Página 11 de 13 CLASSIFICAÇÃO E CONCEITO DAS CONTAS Conta Natureza Contábil Classificação no Balanço Sinônimos Conceito Banco c/Movimento Devedora (BEM) Ativo Movimentações Bancários (Cheque Deposito). Representa a conta de livre movimentação da empresa em um Banco. Caixa Devedora (BEM) Ativo Em espécie, a vista, numerário. Registra o dinheiro existente na empresa. Clientes Devedora (Direito) Ativo Duplicata a Receber; Titulo a Receber; Devedores por Duplicata a receber. Registra a contas que teremos a receber de vendas a prazos- Sinônimos Instalações Devedora (BEM) Ativo Galpões; Salas de Escritório; Prédios; Edificações; Diferido. Representas todo tipo de instalação utilizado pela empresa. Maquinas e Equipamentos Devedora (BEM) Ativo Maquinas; Computadores; imobilizado. Registra todos os equipamentos pertencentes à empresa. Mercadoria Devedora (BEM) Ativo Estoques Produtos em Elaboração; Matéria – Prima; Pro Titulo a Receber; Devedores por Duplicata a receber. Registra todos os Bens que a empresa tem para Revenda Moveis e Utensílios Devedora (BEM) Ativo Bens; Moveis; imobilizado. São todos os moveis pertencentes à empresa Terrenos Devedora (BEM) Ativo Área da empresa Representa todo Terreno pertencente à empresa Veículos Devedora (BEM) Ativo Carro, Ônibus, Moto; Imobilizado. Registra os veículos utilizados nas atividades comerciais e fabris das empresas
  12. 12. ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Nome: J. Eduardo Baroni. 2014.2 Graduação em Ciências Contábeis Estrutura das Demonstrações Contábeis 2014.2 Página 12 de 13 Conta Natureza Contábil Classificação no Balanço Sinônimos Conceito Aluguel a Pagar Credora (OBRIGAÇÃO) Passivo Aluguel Representam todos os Alugueis Pagos. Capital Social Credora (Patrimônio) PL Capital Próprio; Patrimônio Próprio. Representa todos os recursos provenientes dos sócios (donos da empresa) para formação da empresa Capital Social a Integralizar Devedora (Patrimônio) PL Capital não integralizado Representa todo o capital dos sócios, antes da criação da empresa. Capital Social Subscrito ou Integralizado Credora (Patrimônio) PL Capital que Subrescreveu; Constituição do Capital; Capital Integralizado. Representa todo capital dos sócios colocado a disposição da empresa quando a mesma já está constituída Contas a Pagar Credora (OBRIGAÇÃO) Passivo Duplicata a pagar; Titulo a Pagar; Fornecedor; Diversos a Pagar; Credores a pagar. Representa todas as aquisições e Serviços que a empresa realizar a prazo Despesas DEVEDORA Resultado Gastos permanentes Tipos de despesas aluguel, salários, energia, água e etc. Na Apuração do Exercício Empréstimos a Pagar Credora (OBRIGAÇÃO) Passivo Financiamento; Leasing Representa tomada de dinheiro ou financiamento de bens a prazo no Banco Lucros ou prejuízos Acumulados Pode ser devedora quando for apurado no exercício contábil, o prejuízo; Pode ser Credora quando for apurado no exercício o Lucro (Patrimônio). PL Representa os resultados transferidos para esta conta após a apuração do Exercício no Confronto de Despesas e Receitas Receitas CREDORA Resultado Vendas a Vista; Vendas a Prazo Receitas de serviços; Receitas de produtos e etc. Na Apuração do Exercício Salários a Pagar Credora (OBRIGAÇÃO) Passivo Salários; Folha de Pagamento; Honorários. Representa a Folha de Pagamento da empresa
  13. 13. ESTRUTURA DAS DEMONSTRAÇÕES CONTÁBEIS Nome: J. Eduardo Baroni. 2014.2 Graduação em Ciências Contábeis Estrutura das Demonstrações Contábeis 2014.2 Página 13 de 13

×