Educar na era planetária trabalho 01

699 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
699
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Educar na era planetária trabalho 01

  1. 1. UNIVILLE – PÓS-GRADUAÇÃO INTERDISCIPLINARIDADE Disciplina Metodologia do Ensino Superior Edson Luiz De March1 – Identificação da Obra:MORIN, Edgar, CIURANA, Emílio-Roger, MOTA, Raul Domingo. Educar na eraplanetária : o pensamento complexo como método de aprendizagem pelo erro eincerteza humana. 3ª edição São Paulo:Cortez, Brasília,DF: UNESCO, 2009.A obra visa exatamente questionamento das estruturas, reflexão sobre ahumanidade e as relações entre os humanos e o conhecimento. Pressupõe que épossível partir de um conjunto de regras certas e permanentes que possam serseguidas , entretanto se tivermos certeza ao afirmarmos que a realidade muda e setransforma, porque diante das situações mutantes e incertas, os programas depouco servem e em contrapartida, faz-se necessário a presença de um sujeitopensante e estrategista. 2 – Credenciais dos Autor: Edgar Morin, nasceu em Paris em 8 de julho de 1921, um filósofo e SociólogoFrancês Formado em Direito, História e Geografia. Um dos principais pensadoressobre complexidade . Autor de mais de trinta livros, entre eles: O método,Introdução ao pensamento complexo, Ciência com consciência e Os sete saberesnecessários para a educação do futuro e outros... 3 - Quadro de Referência do Autor: JORGE WERTHEIN, MUMON, WALT WHITMAN, GASTON BACHELARD,NIETZSCHE, HEGEL, KANT, GABOR, PISON, MONTAIGNEZAMBRANO, MARX,PLATÃO, SIMON, 4 – Pressupostos e Resumo da Obra: No texto a era planetária o autor vai bem ao encontro da realidade atual,utilizando-se de fatos reais ocorridos ao longo da história da humanidadeabordando características fundamentais ocorridas como um processo interligado,desta forma transmite o entendimento amplo do assunto, registrando osacontecimentos históricos mais relevantes tais como: as civilizações maisimportantes do globo, ocorridas no final do século XV, religião, o império dos Incase dos Astecas, a conquista do globo e suas consequências. Tudo isso a meu verleva a humanidade a planetarização. Era planetária e está bem ligada à vidacontemporânea, este processo afetou todos os continentes e levou à extraordináriadiversidade de línguas, culturas, destinos, fontes de inovação, contribuído paramelhor ou pior no desenvolvimento planetário, características deste processocomo, por exemplo: o surgimento de importantes civilizações, conquistas do globoe dominação, do ocidente europeu sobre o resto do mundo, e, a catástrofe de
  2. 2. civilizações ocorridas. O progresso econômico e o desenvolvimento dascomunicações levam a humanidade a planetarização caracterizando a era planetáriada comunicação que transforma o mundo, ligando tudo e determinando uma novamaneira de viver e relacionar-se com o meio. O mercado consumidor torna-seespecializado, diversificado e especulativo caracterizando duas realidades: circuitoplanetário do conforto para os países desenvolvidos e o circuito planetário damiséria para países pobres emergentes como: áfrica, asiáticos e sul-americanos. Oautor fala textualmente nas entrelinhas que o conhecimento formata-se de formafragmentada como diz o texto: nós aprendemos a analisar, a separar, mas nãoaprendemos a relacionar, a fazer com que as coisas comuniquem. Ou seja, o tecidocomum que une os diferentes aspectos dos conhecimentos em cada disciplina setorna completamente invisível; ora, existe um tecido comum, mesmo que vocêestude economia. A economia é uma ciência extremamente precisa, baseada nocálculo. O cálculo ignora os sentimentos, as paixões humanas; além do mais, avisão puramente econômica ignora o fato de que não há só economia na economia,há também desejo, medo, crença, política. Tudo está ligado, não só na realidadehumana, como também na realidade planetária. Portanto, podemos imaginar quenosso sistema educacional é inadequado. homem que constrói ferramentas, masesqueceu-se que já na pré-história a humanidade construiu não só ferramentastécnicas como também mitos, crença na vida após a morte, ela construiu deuses enós continuamos criando mitos e mitologias. Outro ponto fundamental que oensino ignora totalmente é o problema da incerteza. A incerteza é ao mesmo tempopessoal e global. Pessoal porque a única certeza que temos é que somos mortais,mas não sabemos quando e além do mais não temos nenhuma certeza sobre o quevai ser da nossa vida, não sabemos que doenças teremos ou não teremos, seresolvemos nos unir com alguém, não sabemos se esse alguém é a pessoa certa ouerrada, se escolhemos uma profissão, mas não sabemos se é esta que nos convém;em suma, nosso destino pessoal é estigmatizado pela incerteza. 6 – Credenciais do Resenhista: Natural de Lauro Muller SC, Sul do estado de santa Catarina, berço histórico docarvão nacional, profissão de meus pais: camponeses e operário na extração deminérios carvão, cresci num ambiente de muita fartura, mas literalmente uma vidamuito penosa, tendo em vista as condições de transporte, estradas, apesar dasdificuldades nunca parei de estudar, andava cerca de quatorze quilômetros por diapara ter acesso a escola, apesar de tudo nunca desisti, minha mãe dizia queresestudar ou trabalhar na roça ? Obviamente, estudar para ser alguém na vida semprefoi meu objetivo. Conclui meu primeiro grau e 2º grau em escola pública, que decerta forma me orgulha meu lema “ não é a escola que faz o aluno, o aluno é que faza escola “ pelo fato de ter uma vida de muita dificuldade, valorizo cada centavo queconquisto, tenho muito que aprender e a conquistar, minha vida é uma constantelutar por dias melhores. Os caminhos é estudar e aperfeiçoar-me. Quanto a leitura,procuro ler jornal diariamente, a revista veja, ter panorama mais aprofundado donoticiário, e do cotidiano livros gosto de ler todos os gêneros auto-ajuda, Filosofia,Teologia, Psicologia, Antropologia, enfim uma gama de gênero Eclético. Enfim, tiveapenas o apoio moral da família, com muita dificuldade e determinação, concluiduas graduações, Pedagogia pela ACE e Geografia pela UNIVILLE. O que me honrae dignifica assim que conclui Pedagogia já comecei atuando em caráter concursadoe lá estou dezoito anos, quero ainda enfatizar que estou na Policia Militar atuandodesde 1989 já passaram-se quase vinte e três anos. O que me orgulha é poder estarcontribuindo, nas duas profissões, podendo conciliar com harmonia, sem perder devista a qualidade de vida, e poder ajudar, servindo a meu povo de Deus, ajudar no
  3. 3. que tange a cidadania, fazer cumprir os direitos e deveres enquanto pessoa quevive em uma sociedade de livre expressão, fazer cumprir o direito de ir e vir detodos, vivemos num estado pleno de direito. 7 – Quadro de Referência do Resenhista: AUGUSTO CURY, PIAGET EVYGOTSKY, PAULO FREIRE, LEONARDO BOFF, EMILIA FERREIRO.... 8 – Crítica do Resenhista: a obra requer tempo e capacidade de se situar emmeio à multiplicidade e complexidade da vida para capturar, o “eterno dotransitório”. A aprendizagem só desenvolverá essa capacidade se ela não seresumir numa simples transmissão de conhecimento. A relação entre método eTeoria – não é o conhecimento, ela permite o conhecimento. - não é uma solução, éa possibilidade de tratar um problema. Assim, teoria e método são doiscomponentes indispensáveis do conhecimento complexo. A ERRÂNCIA E O ERROO método é uma forma de agir do pensamento. Uma forma de agir não é uma açãoperfeita e correta em si mesma. Uma criança quando está aprendendo a andar debicicleta tem a correta forma de agir, ou seja, sentar no selim, colocar os pé nospedais e girá-los enquanto tenta equilibrar-se. Assim, o método está correto masenquanto a criança não se equilibrar ela não recriou o ato de andar de bicicleta. Opensamento linear, não renovador é insuficiente para dar conta da realidadecomplexa. Se não considerarmos a incorporação do erro e uma visão diferente daverdade o método será usado apenas como instrumento que confirmem a teoria. Doponto de vista do pensamento complexo a teoria deve ser o ponto de partida para aaplicação de um método comprometido com a possibilidade do erro e da errância.A mutação de um vírus é, na verdade, a expressão de um erro na cadeia deprocessos de reprodução desse vírus. Assim também, o erro deve ser admitidocomo um surgimento da diversidade e da possibilidade de evolução. 9 – Recomendação: enquanto leitor pesquisador, recomendo a leitura dolivro supracitado neste trabalho, pela sua fala, linguagem atual e atuante, leva arefletir o passado e o presente projetando o futuro de maneira objetiva e didática –em suma, é um dos maiores pensadores da atualidade, atuante e influente eformador de opinião. 10 – Local e Data de Apresentação: Joinville, 02 de abril de 2011.

×