EDP Energias do Brasil




Novembro de 2009
Disclaimer
Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de
...
Companhia de Destaque no Setor de Energia no Brasil



                                       Geração                     ...
Setor de Energia Elétrica no Brasil
  Consumo de Energia Elétrica (Mercado Total)                                         ...
Trajetória da EDP no Brasil
   A EDP, aproveitando as oportunidades abertas pelo programa brasileiro de privatizações de d...
Governança e Responsabilidade Socioambiental

                                Comitê de               Presidente
         ...
Distribuidoras em Áreas Atraentes
   Forte concentração nos segmentos residencial e industrial, abrangendo 98 municípios d...
Distribuidoras com Base de Clientes Diversificada
  Energia Vendida por Segmento para Clientes Cativos¹
  (MWh)

         ...
Participação Relevante em Geração
   A EDP - Energias do Brasil mais que triplicou sua capacidade instalada desde o IPO (d...
Projetos Atraentes em Geração
 Projetos em Construção e em Desenvolvimento                                            Pipe...
Principais Realizações
     e Estratégia
Resultados e Iniciativas desde o IPO em 2005
                                1                                            ...
Expansão das Atividades de Geração
  Aumento da Capacidade Instalada
  (MW)



                                           ...
Aumentar Eficiência Operacional
  Produtividade - Distribuição                                                            ...
Desenvolver Área de Comercialização
        Energia Comercializada
        (GWh)


                                       ...
Track Record Consistente de Pagamento de Dividendos

    Desde o IPO, a EDP remunerou os acionistas em R$ 765 milhões em p...
Sólida Estratégia de Crescimento
  Regras na tomada de decisão:

  1.   Controlar o Ativo construído ou adquirido
  2.   G...
Sólida Estratégia de Crescimento

       Manter o         • Crescer organicamente
   investimento nas           – Bandeira...
Resultados Financeiros
Indicadores Financeiros – Consolidado
  Receita Operacional Líquida                                                       ...
Perfil Sólido de Endividamento
    A gestão financeira adequada da EDP - Energias do Brasil refletiu na elevação dos ratin...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Apresentação EDP Energias do Brasil

1.279 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.279
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
17
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
16
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Apresentação EDP Energias do Brasil

  1. 1. EDP Energias do Brasil Novembro de 2009
  2. 2. Disclaimer Esta apresentação pode incluir declarações que representem expectativas sobre eventos ou resultados futuros de acordo com a regulamentação de valores mobiliários brasileira e internacional. Essas declarações estão baseadas em certas suposições e análises feitas pela Companhia de acordo com a sua experiência e o ambiente econômico e nas condições de mercado e nos eventos futuros esperados, muitos dos quais estão fora do controle da Companhia. Fatores importantes que podem levar a diferenças significativas entre os resultados reais e as declarações de expectativas sobre eventos ou resultados futuros incluem a estratégia de negócios da Companhia, as condições econômicas brasileira e internacional, tecnologia, estratégia financeira, desenvolvimentos da indústria de serviços públicos, condições hidrológicas, condições do mercado financeiro, incerteza a respeito dos resultados de suas operações futuras, planos, objetivos, expectativas e intenções, entre outros. Em razão desses fatores, os resultados reais da Companhia podem diferir significativamente daqueles indicados ou implícitos nas declarações de expectativas sobre eventos ou resultados futuros. As informações e opiniões aqui contidas não devem ser entendidas como recomendação a potenciais investidores e nenhuma decisão de investimento deve se basear na veracidade, atualidade ou completude dessas informações ou opiniões. Nenhum dos assessores da Companhia ou partes a eles relacionadas ou seus representantes terá qualquer responsabilidade por quaisquer perdas que possam decorrer da utilização ou do conteúdo desta apresentação. Este material inclui declarações sobre eventos futuros sujeitas a riscos e incertezas, as quais baseiam-se nas atuais expectativas e projeções sobre eventos futuros e tendências que podem afetar os negócios da Companhia. Essas declarações incluem projeções de crescimento econômico e demanda e fornecimento de energia, além de informações sobre posição competitiva, ambiente regulatório, potenciais oportunidades de crescimento e outros assuntos. Inúmeros fatores podem afetar adversamente as estimativas e suposições nas quais essas declarações se baseiam. 2
  3. 3. Companhia de Destaque no Setor de Energia no Brasil Geração Distribuição Comercialização Consolidado Receita Líquida 2008¹ 791 3,955 773 4.904 (R$ milhões) EBITDA Ajustado 2008¹ 570 801 51 1.363 (R$ milhões) Participação no 40% 56% 4% 100% EBITDA 2008¹ 5ª maior geradora 4ª maior distribuidora 3ª maior privada em capacidade privada do setor comercializadora instalada elétrico brasileiro em privada do setor energia vendida elétrico Brasileiro em Importante parceria com energia EDP Renováveis – 4ª comercializada maior operadora de empreendimentos de geração de energia eólica no mundo Fonte: Relatório da Emerging Energy Consulting e CCEE. 3 Nota: (1) Valores dos segmentos em Reais e percentuais não consideram as eliminações intra-grupo .
  4. 4. Setor de Energia Elétrica no Brasil Consumo de Energia Elétrica (Mercado Total) Consumo de Energia Elétrica (Mercado Livre) (GWh) (GWh) % Mercado 2004 – 2008 CAGR: 5,2% 22% 21% 24% 24% 26% Total: 378,4 392,8 2004 – 2008 CAGR: 10,0% 102,1 334,6 348,3 92,5 320,8 85,6 69,8 69,5 2004 2005 2006 2007 2008 2004 2005 2006 2007 2008 Fonte: EPE. Fonte: EPE. Capacidade Instalada de Geração Elétrica - Brasil Capacidade Instalada por Fonte de Geração (2009) (GW) CAGR: 89-99: 2,7% 99-09: 4,5% 09-16: 4,6% 1999 = 68,2 GW 2009 = 105,5 GW Nuclear Eólica 144,8 Nuclear Térmica 1,9% 0,5% 12,5% 1,0% Térmica 105,5 23,5% 68,2 52,1 Hidrelétrica 86,5% Hidrelétrica 74,1% 1989 1999 2009¹ Projeção 2016 MME² Fonte: ANEEL. Fonte: ANEEL e EPE. 4 Notas: (1) Setembro, 2009; (2) De acordo com Plano de Expansão de 10 anos aprovado pelo MME em 2008.
  5. 5. Trajetória da EDP no Brasil A EDP, aproveitando as oportunidades abertas pelo programa brasileiro de privatizações de distribuidoras e de licitações/autorizações de projetos de geração, dentro de sua estratégia de expansão em mercados internacionais, iniciou em 1997 os investimentos que hoje compõem a EDP - Energias do Brasil Geração e Comercialização Entrada em Entrada em Investimento operação da 4ª operação das em Lajeado Aquisição de Peixe Angical PCHs São João Criação da EDPR máquina de / parceria com Furnas e Santa Fé BR e aquisição de Mascarenhas CENAEEL Leilão A-5 UTE Pecém 1997 - 2002 2003 - 2004 2005 - 2009 Distribuição Aquisição da Aquisição do Bandeirante Obtenção do controle da Swap de ativos Investment Escelsa e da (Enersul por Aquisição da Iven Grade pela Enersul Lajeado) (Escelsa e Enersul) Moody´s Criação da Reorganização IPO Grupo EDP Brasil societária e novo modelo de Cisão da governança do Desverticalização Bandeirante Grupo de ativos 5
  6. 6. Governança e Responsabilidade Socioambiental Comitê de Presidente Controlador Independente Auditoria Independente Comitê de Sustentabilidade e Presidente Controlador Independente Governança Corporativa Independente Conselho de Administração Presidente Comitê de Conselho de Controlador Independente 8 membros Remuneração Administração (4 independentes) Código de Ética Instituto EDP Atividades Social, Cultural e Ambiental Transparência Política de pagamento mínimo de 50% dos lucros como dividendos 6
  7. 7. Distribuidoras em Áreas Atraentes Forte concentração nos segmentos residencial e industrial, abrangendo 98 municípios dos Estados de São Paulo (28 municípios) e Espírito Santo (70 municípios) Atraente perfil de crescimento 2,6 milhões de clientes (área total de concessão com população de aproximadamente 8 milhões de habitantes) Área total de concessão de 50,9 mil km2 Energia Distribuída por Segmento • Localizada em São Paulo, principal centro econômico do Brasil Residencial Clientes 23% e grande concentração industrial Livres 35% 1ª economia do país com cerca de 33% do PIB nacional Industrial Outros 22% 1,4 milhão de clientes em uma área total de 9,6 mil km2 7% Comercial 13% Prazo de concessão: 30 anos, até 2028 Clientes Residencial • Localizada no Espírito Santo, Estado predominantemente Livres 22% 32% exportador e forte atividade econômica: Industrial 12% 11ª maior economia do país com 2,3% do PIB nacional Outros Comercial 20% 14% 1,1 milhão de clientes em uma área total de 41,2 mil km2 Prazo de concessão: 30 anos, até 2025 7
  8. 8. Distribuidoras com Base de Clientes Diversificada Energia Vendida por Segmento para Clientes Cativos¹ (MWh) Outros² 13.226 13.298 15% 12.137 12.610 2.024 2.029 Outros Residencial 1.834 1.939 35% 2.523 2.642 2.736 Comercial 2.342 4.156 3.908 Industrial Comercial 4.052 4.018 21% 4.402 4.626 Residencial 3.908 4.130 2006 2007 2008 LTM³ Industrial 29% Perdas Tarifas BANDEIRANTE META ANEEL ESCELSA Bandeirante 20074 2008 2009 14,7% 14,2% 12,3% Reposicionamento - % -13,46 14,48 5,46 5,6% 5,9% 10,9% 11,0% 10,4% Próxima Revisão Tarifária Out 11 5,1% 5,4% 5,7% 5,9% Escelsa 20074 2008 2009 8,7% 8,8% Reposicionamento - % -2,16 12,17 15,12 7,2% 5,2% 5,1% 5,0% Próxima Revisão Tarifária Ago 10 3T08 3T09 Bandeirante Escelsa 3T08 3T09 Notas: (1) Dados referentes apenas à Bandeirante e Escelsa; (2) Outros inclui: rural, poder público, iluminação pública, e serviço público; (3) Últimos 12 meses, base setembro de 8 2009; (4) Revisão.
  9. 9. Participação Relevante em Geração A EDP - Energias do Brasil mais que triplicou sua capacidade instalada desde o IPO (de 530 MW para 1.731 MW em 2009)1. UHE Lajeado UHE Peixe Angical 902,5 MW 452 MW Concessão : 2032 Concessão: 2036 Pantanal Energética CESA 52,2 MW 61,9 MW Concessão: 2029 Concessão : até 2025 Costa Rica PCH Santa Fé 16 MW 29,0 MW Concessão : até 2031 Concessão : 2031 CENAEEL Energest 6,2 MW2 212,1 MW Concessão : 2032 Concessão : até 2025 9 Nota: (1) 100% das plantas suportadas por PPAs; (2) Representa a capacidade proporcional da participação da EDP – Energias do Brasil em cada ativo
  10. 10. Projetos Atraentes em Geração Projetos em Construção e em Desenvolvimento Pipeline Em Construção: Termoelétrica a base de carvão - Pecém 360 MW(1) Pequenas e Médias Hidrelétricas (PCHs) 500 MW Leilão A-5 de 2007 Início de Operação 2012 Parques Eólicos 240 MW(1) Estrutura Acionária: 55% EDPR / 45% EDP Energias do Brasil Capacidade Instalada 720 MW (615 MW médios) Estrutura Acionária 50% EDP / 50% MPX Térmica à gás de ciclo combinado - RJ 500 MW Financiamento 75% Dívida / 25% Equity BNDES R$ 1,4 bilhão aprovado Total 1.240 MW R$ 700 milhões desembolsados Prazo: 17 anos BID US$ 327 milhões aprovados US$ 260 milhões desembolsados Prazo: 13 e 17 anos Desenvolvimento: Eólicas 31,5MW(1) Planta Eólica no Rio Grande do Sul Estrutura Acionária 55% EDPR / 45% EDP Energias do Brasil 10 Nota: (1) Representa a participação proporcional da EDP – Energias do Brasil.
  11. 11. Principais Realizações e Estratégia
  12. 12. Resultados e Iniciativas desde o IPO em 2005 1 Capacidade Instalada 1 (MW) +227% Expandir Atividades de Geração − Aumentou em 227% a capacidade instalada 2 Compromisso Assumidos no IPO 2 Produtividade nas Distribuidoras Resultados (2004 vs Atual) Resultados (2004 vs Atual) (clientes/colaborador)¹ Aumento da Eficiência Operacional − Aumentou em 40% a produtividade 3 3 Energia Comercializada em 12 meses (GWh) +68% Desenvolvimento da Área de Comercialização − Aumentou em 68% a energia comercializada 4 Consolidação da Posição no Setor Elétrico 4 Posição Atual em Rankings entre Privados Brasileiro Energia Comercializada 3° − Posição de destaque em diferentes rankings Energia Distribuída 4° Capacidade Instalada 5° 12 Nota: (1) Dados referentes à Bandeirante e Escelsa.
  13. 13. Expansão das Atividades de Geração Aumento da Capacidade Instalada (MW) 6 29 25 360 2009 2009 2011 2009 653 e 50 25 2010 2.116 2008 1.731 452 Expectativa de 1.043 Entrada em Operação 516 a 2 2005 UHE Peixe 4 Máq. PCH São João 2007 Capac. Cenaeel PCH Santa Fé 2009 Repotenciações UTE Pecém 2011 Angical Mascarenhas Adicional Lajeado Investimentos em Geração Energia Vendida (GWh) Pré-IPO (1997 - 2004) CAGR 2006 - UDM: +19% Investimento Acumulado: R$ 1,3 bilhão 7.660 6.411 5.568 Pós-IPO (2005 - Atual) 4.758 Investimento Acumulado: R$ 2,0 bilhões Permuta Lajeado: troca de participação na Enersul por aumento de participações diretas e indiretas na UHE Lajeado Investimento: R$ 753 milhões 2006 2007 2008 UDM¹ 13 Nota: (1) Últimos 12 meses, base setembro de 2009. (2) UTE Pecém estará finalizada em 2011, mas iniciará operação no início de 2012.
  14. 14. Aumentar Eficiência Operacional Produtividade - Distribuição Produtividade – Distribuição (Clientes - mil / Colaborador) (GWh Distribuído / Colaborador) Evolução dos Gastos Gerenciáveis1 Projeto Vencer (R$ milhões, Bandeirante + Escelsa) Inflação no Período (06 – Set/09): 17,8% Programa iniciado no primeiro trimestre de 2009 Iniciativas já concretizadas: Redução do número de layers organizativos de 5 para 3 Redução em 40% do número de cargos de chefia e promoção de mobilidade horizontal nos titulares desses cargos Redução da idade média das chefias Redução dos gastos com pessoa 14 Nota: (1) Inclui despesas de pessoal, material, serviços de terceiros, depreciação, amortização, provisões e outras de Bandeirante e Escelsa.
  15. 15. Desenvolver Área de Comercialização Energia Comercializada (GWh) CAGR 2005 - UDM: +7% 60% 91% Consumo de Energia 2008 40% 9% Receita Operacional Líquida de Comercialização (R$ milhões) CAGR 2005 – UDM: +18% 15 Nota: (1) Últimos 12 meses, base setembro de 2009..
  16. 16. Track Record Consistente de Pagamento de Dividendos Desde o IPO, a EDP remunerou os acionistas em R$ 765 milhões em proventos e: No mesmo período a EDP - Energias do Brasil realizou um forte programa de investimentos (cerca de R$ 4,2 bilhões) Alavancagem da Companhia permanece em níveis confortáveis (1,9x Dívida Líquida / UDM EBITDA) Dividendos/JCP desde o IPO Payout desde o IPO (R$ / Ação) (% Receita Líquida) 67,5% 2005 – 2008 CAGR: +22% 1,66 50,0% Política 46,5% 1,26 40,0% EDP 1,03 0,92 2005 2006 2007 2008 2005 2006 2007 2008 Política de Dividendos / JSCP: mínimo de 50% do lucro líquido ajustado 16 Fontes: Companhia, Bovespa e Bloomberg.
  17. 17. Sólida Estratégia de Crescimento Regras na tomada de decisão: 1. Controlar o Ativo construído ou adquirido 2. Garantir uma taxa de rentabilidade razoavelmente acima do Custo de Capital 3. Manter um adequado perfil de risco 4. Manter níveis de divida saudáveis Expandir na • Continuar a desenvolver oportunidades no segmento de geração, focando em: Geração ― Desenvolver novos projetos com taxa de retorno mínimo adequado Além de Pecém (360 MW) em construção, existem 1.240 MW em projetos de geração sob avaliação ― Formar parcerias com outras companhias, optando por manter o controle Parceiros com experiências complementares com o objetivo de minimizar riscos e maximizar a probabilidade de sucesso ― Adquirir ativos de geração existentes • Capturar crescimento do mercado livre Continuar a • Otimizar gerenciamento de risco na plataforma consolidada de geração e distribuição desenvolver o negócio de • Prover serviços de valor agregado de soluções energéticas Comercialização – Ferramenta para atrair e fidelizar clientes 17
  18. 18. Sólida Estratégia de Crescimento Manter o • Crescer organicamente investimento nas – Bandeirante: crescimento em GWh no período 2004-2008: 11,2% Unidades de – Escelsa: crescimento em GWh no período 2004-2008: 20,5% Distribuição • Maximizar a eficiência operacional • Gerenciar o processo regulatório de maneira pró-ativa Consolidar Posição no Setor Elétrico Brasileiro • EDP preparada para capturar oportunidades de consolidação que possam alavancar a estratégia da empresa nos segmentos de atuação • Critérios consistentes de retorno mínimo exigido e gestão do risco de integração 18
  19. 19. Resultados Financeiros
  20. 20. Indicadores Financeiros – Consolidado Receita Operacional Líquida EBITDA e Margem EBITDA (R$ milhões) (R$ millhões, %) 30,3% 30,7% 4.904 26,9% 27,8% 4.528 24,8% 3.985 1.363 3.492 3.416 1.074 1.123 1.057 1.049 2006 2007 2008 9M08 9M09 2006 2007 2008 9M08 9M09 Composição do EBITDA – 9M09 Lucro Líquido (%) (R$ million) Comercialização 2% 450 450 394 389 288 Distribuição Geração 50% 48% 1 1 2 2006 2007 2008 9M08 9M09 20 Nota: (1) Impactado em R$129 milhões pela amortização de ágio; (2) Considera R$120 milhões da venda da ESC 90.
  21. 21. Perfil Sólido de Endividamento A gestão financeira adequada da EDP - Energias do Brasil refletiu na elevação dos ratings pela Moodys em 2009; em escala global a holding possui Ba1 - estável, enquanto as controladas Bandeirante e Escelsa possuem Baa3 - estável Dívida Líquida1 e Dívida Líquida / EBITDA² Dívida Bruta por Indexador - set/09 (R$ milhões) (%) 2,4x 1,9x 1,9x 1,9x Pré Fixada US$ 4% 5% 2.562 2.546 2.518 2.093 TJLP CDI 37% 54% dez/06 dez/07 dez/08 set/09 Cronograma de Vencimento da Dívida³ Linhas de Crédito Aprovadas (R$ milhões) (R$ milhões) Pecém Prazo Montante Disponibilidade Instrumento – até Aprovado até (anos) 610 BNDES 900 2013 10 622 BNDES – BID 2.000 2011 17 175 260 (Porto Pecém) 763 757 457 255 479 BEI 270 2010 10 353 107 BNDES 76 2009 14 Disp. 2009 2010 2011 2012 Após 2012 (PCH Santa Fé) Ajustada Total 3.246 21 Nota: (1) Dívida líquida = dívida bruta – disponibilidades; (2) EBITDA dos últimos 12 meses; (3) Valores consideram principal + encargos + resultados de operações de hedge.

×