SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 2
BIOLOGIA
Professor: Edimar Lopes
RESUMO DE CARBOIDRATOS
- Os carboidratos são as moléculas orgânicas mais
abundantes da natureza.
- Constituem ¾ da massa seca de todas as plantas
(grãos, verduras, hortaliças).
- São produzidos pelas plantas verdes na fotossíntese a
partir da H2O, CO2 e luz solar. A energia é armazenada
nas suas ligações químicas. Os carboidratos obtidos na
natureza são normalmente a celulose e a sacarose, e
com maior freqüência o amido. Dos quais por hidrólise
são obtidas a glicose e a frutose.
- As moléculas dos carboidratos são constituídas por C,
H e O.
Importância e funções dos carboidratos:
● pertencem ao grupo dos nutrientes básicos (têm
função nutricional);
● são encontrados em grande quantidade na maioria
dos alimentos;
● são alimentos baratos e de fácil digestão;
● principal fonte de fornecimento de energia na dieta da
maioria dos organismos;
● alimentos de reserva (amido/plantas,
glicogênio/humanos);
● atuam como componentes das membranas celulares;
● servem como componente estrutural (sustentação) de
muitos organismos (ex: paredes celulares de bactérias,
esqueleto de insetos, celulose fibrose de plantas);
● participam dos mecanismos de defesa (glicoproteínas
e imunoglobulinas);
● carboidratos não digeríveis – fibras;
● nos alimentos exercem uma série de funções:
edulcorantes, geleificantes, espessantes, precursores
de compostos de aroma e cor;
● nos alimentos são responsáveis pela maioria das
reações de escurecimento.
Classificação e nomenclatura dos carboidratos:
● Fórmula geral: Cn(H2O)m
● São classificados de acordo com seu tamanho
molecular em:
MONOSACARÍDEOS
- São carboidratos simples, possuem cadeia não
ramificada, e não podem ser hidrolisados;
- Fórmula geral dos monossacarídeos: Cn(H2O)m onde
n=m;
- São chamados de polihidroxialdeídos (aldoses), ou
polihidroxicetonas (cetoses) conforme o grupo funcional
que apresentam (aldeído: O=C-H, cetona: C=O);
- São classificados de acordo com o número de átomos
de carbono que contém. Exemplos de monossacarídeos
comumente encontrados:
● 3 carbonos: trioses (gliceraldeído);
● 4 carbonos: tetroses (eritrose e treose);
● 5 carbonos: pentoses (ribose, xilose);
● 6 carbonos: hexoses (glicose, frutose,
galactose, etc..)
 7 carbonos: heptoses (heptulose).
- Os monossacarídeos presentes nos
alimentos apresentam normalmente 6 carbonos.
Exemplos:
GLICOSE:
- É o açúcar do sangue.
- É abundante em frutas, milho, xarope de milho e
certas raízes.
- Pode resultar da hidrólise de outros carboidratos.
- O sistema nervoso central usa glicose no
suprimento de energia.
FRUTOSE:
- Açúcar das frutas e mel.
- Isoladamente é o + doce dos açúcares.
- É o + solúvel dos açucares.
- Pode resultar da hidrólise de outros carboidratos.
- Fornece energia de forma gradativa, absorvida
lentamente, o que evita que a concentração de
açúcar no sangue (glicemia) aumente muito
depressa.
GALACTOSE:
- É o açúcar do leite.
- Não é encontrado na forma livre na natureza.
- Presente no leite e derivados.
- No fígado, é transformada em glicose para
fornecer energia.
Os monossacarídeos são podem ser mostrados em
uma estrutura aberta, dada pela projeção de Fisher,
esta projeção mostra os monossacarídeos no espaço
bidimensional. Através das estruturas mostradas nesta
projeção (Figura abaixo), observa-se que a glicose e a
frutose possuem mesma fórmula molecular (C6H12O6 –
com m=n=6). No entanto, apresentam grupos funcionais
diferentes, enquanto a glicose é uma aldose (com um
grupo aldeído), a frutose é uma cetose (com um grupo
cetona). Em ambas as estruturas o átomo de carbono
da carbonila (C=O) é chamado de carbono anomérico, é
o carbono que reage com a hidroxila formando a
estrutura cíclica, na glicose: C1 e na frutose: C2.
DISSACARÍDEOS:
 São dois monossacarídeos unidos por ligações
glicosídicas. Ex: sacarose (glicose + frutose), maltose
(glicose + glicose), lactose (glicose + galactose).
 Ligação glicosídica: é formada entre o grupo hidroxila
(anomérico ou redutor) de um átomo de carbono
anomérico com um grupo hidroxila de outra molécula,
com eliminação de uma molécula de água (H2O).
 As ligações glicosídicas são, portanto, ligações
intermoleculares (ocorre entre duas moléculas
diferentes). O produto resultante da ligação glicosídica é
um glicosídeo.
 Quando o glicosídeo é formado por 2
monossacarídeos temos os dissacarídeos.
SACAROSE:
 É o dissacarídeo mais comum; conhecido como
açúcar de mesa, encontrado na cana-de-açúcar,
beterraba, açúcar mascavo, mel.
 A sacarose é formada pela ligação glicosídica entre
dois monossacarídeos, a -D-glicose (piranose) e a -
D-frutose (furanose).
OLIGOSSACARÍDEOS
 São glicosídeos que contêm de 3 a 10 unidades de
monossacarídeos, unidos por ligações glicosídicas
(alguns autores consideram os dissacarídeos como
oligossacarídeos).
 Os oligossacarídeos são considerados
alimentos prebióticos:
- Alimentos prebióticos são alimentos não digeríveis,
como as fibras, que beneficiam o estímulo seletivo,
crescimento e a atividade das bactérias do cólon
intestinal. A ingestão de prebióticos estimula o aumento
(crescimento) das bifidobactérias presentes no
organismo.
 Como exemplo de oligossacarídeo pode-se citar os
frutoligossacarídeos e a inulina.
POLISSACARÍDEOS
Os polissacarídeos (ou glicanos) são formados por
longas cadeias de unidades de monossacarídeos
unidas entre si por ligações glicosídicas. São portanto,
substâncias de alto peso molecular que podem chegar
(em alguns casos) à milhões. Podem ser de cadeia
linear ou ramificada, raramente cíclica.
Polissacarídeos podem ser hidrolizados parcial ou
totalmente por ácidos ou enzimas, resultando em
oligossacarídeos e monossacarídeos. A análise desses
resíduos formados na hidrólise proporciona informações
sobre a sequência e posição dos monossacarídeos,
bem como, o tipo de ligações entre eles.
Polissacarídeos de menor peso molecular são na sua
maioria solúveis em água, e a solubilidade diminui com
o aumento do peso molecular e com a maior ou menor
facilidade com que as moléculas desses compostos se
associam à outras. A maior solubilidade se deve a maior
facilidade de hidratação. Os polissacarídeos mais
insolúveis são aqueles encontrados nas paredes
celulares e que desempenham função estrutural.
Os polissacarídeos se encontram amplamente
distribuídos na natureza e possuem grande importância
por desempenharem funções como:
- Materiais estruturais (nos vegetais: celulose,
hemicelulose e pectina; nos animais: quitina)
- Substâncias de reserva (nos vegetais: principalmente
o amido; nos animais: glicogênio)
- Substâncias capazes de reter água (nos vegetais:
ágar, pectinas e alginatos)
Os polissacarídeos são classificados como:
● Homopolissacarídeos (homoglicanos): contêm apenas
um tipo de monossacarídeo. Ex: amido, celulose e
glicogênio.
● Heteropolissacarídeos (heteroglicanos): formados por
dois ou mais tipos de diferentes de monossacarídeos.
Ex: ácido hialurônico, heparina.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Definição, classificação, composição e conservação aula 2
Definição, classificação, composição e conservação aula 2Definição, classificação, composição e conservação aula 2
Definição, classificação, composição e conservação aula 2
 
Lipidios
Lipidios Lipidios
Lipidios
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Biomoleculas
Biomoleculas Biomoleculas
Biomoleculas
 
Biomoleculas criativas
Biomoleculas criativasBiomoleculas criativas
Biomoleculas criativas
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Lipídios
 
Glícidos - Biologia & Geologia
Glícidos - Biologia & GeologiaGlícidos - Biologia & Geologia
Glícidos - Biologia & Geologia
 
Carboidratos2
Carboidratos2Carboidratos2
Carboidratos2
 
1 quimica carboidratos
1   quimica carboidratos1   quimica carboidratos
1 quimica carboidratos
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Aula 04 Bases Moleculares da Vida
Aula 04   Bases Moleculares da VidaAula 04   Bases Moleculares da Vida
Aula 04 Bases Moleculares da Vida
 
Glicidios
GlicidiosGlicidios
Glicidios
 
Lipídeos
LipídeosLipídeos
Lipídeos
 
Conheca Gorduras
Conheca GordurasConheca Gorduras
Conheca Gorduras
 
Sistemas tampão
Sistemas tampãoSistemas tampão
Sistemas tampão
 
Alimentação saudável
Alimentação saudávelAlimentação saudável
Alimentação saudável
 
Lipídios
LipídiosLipídios
Lipídios
 
Sais minerais
Sais mineraisSais minerais
Sais minerais
 
Aula 1 introdução a bioquímica metabólica
Aula 1   introdução a bioquímica metabólica Aula 1   introdução a bioquímica metabólica
Aula 1 introdução a bioquímica metabólica
 

Destaque

Bioquimica 2 Carboidratos
Bioquimica 2   CarboidratosBioquimica 2   Carboidratos
Bioquimica 2 Carboidratosguest67130e
 
Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.
Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.
Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.PauloHenrique350
 
Digestão e absorção de carboidratos
Digestão e absorção de carboidratosDigestão e absorção de carboidratos
Digestão e absorção de carboidratosLinique Logan
 
Digestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídiosDigestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídiosEmmanuel Souza
 
Bioquímica Básica: Carboidratos
Bioquímica Básica: CarboidratosBioquímica Básica: Carboidratos
Bioquímica Básica: CarboidratosRodrigo Caixeta
 
Bioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNas
Bioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNasBioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNas
Bioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNaseducacao f
 
Bioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNa
Bioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNaBioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNa
Bioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNaeducacao f
 
Carboidratos slideshare
Carboidratos   slideshareCarboidratos   slideshare
Carboidratos slideshareSid Siqueira
 

Destaque (12)

Bioquimica 2 Carboidratos
Bioquimica 2   CarboidratosBioquimica 2   Carboidratos
Bioquimica 2 Carboidratos
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Carboidrato estrutural
Carboidrato estruturalCarboidrato estrutural
Carboidrato estrutural
 
Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.
Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.
Estrutura de Carboidratos: Monossacarídeos, Oligossacarídeos e Polissacarídeos.
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Digestão e absorção de carboidratos
Digestão e absorção de carboidratosDigestão e absorção de carboidratos
Digestão e absorção de carboidratos
 
Digestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídiosDigestão e absorção de lipídios
Digestão e absorção de lipídios
 
Bioquímica Básica: Carboidratos
Bioquímica Básica: CarboidratosBioquímica Básica: Carboidratos
Bioquímica Básica: Carboidratos
 
Bioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNas
Bioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNasBioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNas
Bioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNas
 
Bioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNa
Bioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNaBioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNa
Bioquimica Carboidratos, LipíDeos E ProteíNa
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Carboidratos slideshare
Carboidratos   slideshareCarboidratos   slideshare
Carboidratos slideshare
 

Semelhante a Resumo de carboidratos

Bioquimica i 02 carboidratos
Bioquimica i 02   carboidratosBioquimica i 02   carboidratos
Bioquimica i 02 carboidratosJucie Vasconcelos
 
Trabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docx
Trabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docxTrabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docx
Trabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docxFidelMarciano
 
Trabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docx
Trabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docxTrabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docx
Trabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docxFidelMarciano
 
Mono e oligo sacarídeos
Mono e oligo sacarídeosMono e oligo sacarídeos
Mono e oligo sacarídeosEduardo Gauw
 
Hidratos de carbono
Hidratos de carbonoHidratos de carbono
Hidratos de carbonoLuis Ribeiro
 
Carboidratos slides da Fculdade Santa Maria
Carboidratos slides da Fculdade Santa MariaCarboidratos slides da Fculdade Santa Maria
Carboidratos slides da Fculdade Santa MariaOlavo Duarte
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
CarboidratosURCA
 
Carboidratos e lipídios
Carboidratos e lipídiosCarboidratos e lipídios
Carboidratos e lipídiosCarla Brígida
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
CarboidratosLoryCat
 

Semelhante a Resumo de carboidratos (20)

Bioquimica i 02 carboidratos
Bioquimica i 02   carboidratosBioquimica i 02   carboidratos
Bioquimica i 02 carboidratos
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Trabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docx
Trabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docxTrabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docx
Trabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docx
 
Trabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docx
Trabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docxTrabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docx
Trabalho II de Bioquímica Ema Francisco Marciano.docx
 
Mono e oligo sacarídeos
Mono e oligo sacarídeosMono e oligo sacarídeos
Mono e oligo sacarídeos
 
Ebook Bioquímica (2).pdf
Ebook Bioquímica (2).pdfEbook Bioquímica (2).pdf
Ebook Bioquímica (2).pdf
 
Hidratos de carbono
Hidratos de carbonoHidratos de carbono
Hidratos de carbono
 
Carboidratos slides da Fculdade Santa Maria
Carboidratos slides da Fculdade Santa MariaCarboidratos slides da Fculdade Santa Maria
Carboidratos slides da Fculdade Santa Maria
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Carboidratos.pptx
Carboidratos.pptxCarboidratos.pptx
Carboidratos.pptx
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Aula2 joao
Aula2 joaoAula2 joao
Aula2 joao
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
Carboidrato
CarboidratoCarboidrato
Carboidrato
 
Bioquímica celular
Bioquímica celularBioquímica celular
Bioquímica celular
 
Biomoléculas
BiomoléculasBiomoléculas
Biomoléculas
 
Açúcar
AçúcarAçúcar
Açúcar
 
Carboidratos e lipídios
Carboidratos e lipídiosCarboidratos e lipídios
Carboidratos e lipídios
 
Carboidratos
CarboidratosCarboidratos
Carboidratos
 
carboidratos2018.pptx
carboidratos2018.pptxcarboidratos2018.pptx
carboidratos2018.pptx
 

Último

Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfIedaGoethe
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfaulasgege
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresaulasgege
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESpatriciasofiacunha18
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasCassio Meira Jr.
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOMarcosViniciusLemesL
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduraAdryan Luiz
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASEdinardo Aguiar
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 

Último (20)

Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdfCurrículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
Currículo escolar na perspectiva da educação inclusiva.pdf
 
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdfCultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
Cultura e Sociedade - Texto de Apoio.pdf
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppttreinamento brigada incendio 2024 no.ppt
treinamento brigada incendio 2024 no.ppt
 
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autoresSociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
Sociologia Contemporânea - Uma Abordagem dos principais autores
 
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕESPRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
PRÉ-MODERNISMO - GUERRA DE CANUDOS E OS SERTÕES
 
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades MotorasPrograma de Intervenção com Habilidades Motoras
Programa de Intervenção com Habilidades Motoras
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANOInvestimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
Investimentos. EDUCAÇÃO FINANCEIRA 8º ANO
 
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA      -
XI OLIMPÍADAS DA LÍNGUA PORTUGUESA -
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
trabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditaduratrabalho wanda rocha ditadura
trabalho wanda rocha ditadura
 
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNASQUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
QUIZ DE MATEMATICA SHOW DO MILHÃO PREPARAÇÃO ÇPARA AVALIAÇÕES EXTERNAS
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 

Resumo de carboidratos

  • 1. BIOLOGIA Professor: Edimar Lopes RESUMO DE CARBOIDRATOS - Os carboidratos são as moléculas orgânicas mais abundantes da natureza. - Constituem ¾ da massa seca de todas as plantas (grãos, verduras, hortaliças). - São produzidos pelas plantas verdes na fotossíntese a partir da H2O, CO2 e luz solar. A energia é armazenada nas suas ligações químicas. Os carboidratos obtidos na natureza são normalmente a celulose e a sacarose, e com maior freqüência o amido. Dos quais por hidrólise são obtidas a glicose e a frutose. - As moléculas dos carboidratos são constituídas por C, H e O. Importância e funções dos carboidratos: ● pertencem ao grupo dos nutrientes básicos (têm função nutricional); ● são encontrados em grande quantidade na maioria dos alimentos; ● são alimentos baratos e de fácil digestão; ● principal fonte de fornecimento de energia na dieta da maioria dos organismos; ● alimentos de reserva (amido/plantas, glicogênio/humanos); ● atuam como componentes das membranas celulares; ● servem como componente estrutural (sustentação) de muitos organismos (ex: paredes celulares de bactérias, esqueleto de insetos, celulose fibrose de plantas); ● participam dos mecanismos de defesa (glicoproteínas e imunoglobulinas); ● carboidratos não digeríveis – fibras; ● nos alimentos exercem uma série de funções: edulcorantes, geleificantes, espessantes, precursores de compostos de aroma e cor; ● nos alimentos são responsáveis pela maioria das reações de escurecimento. Classificação e nomenclatura dos carboidratos: ● Fórmula geral: Cn(H2O)m ● São classificados de acordo com seu tamanho molecular em: MONOSACARÍDEOS - São carboidratos simples, possuem cadeia não ramificada, e não podem ser hidrolisados; - Fórmula geral dos monossacarídeos: Cn(H2O)m onde n=m; - São chamados de polihidroxialdeídos (aldoses), ou polihidroxicetonas (cetoses) conforme o grupo funcional que apresentam (aldeído: O=C-H, cetona: C=O); - São classificados de acordo com o número de átomos de carbono que contém. Exemplos de monossacarídeos comumente encontrados: ● 3 carbonos: trioses (gliceraldeído); ● 4 carbonos: tetroses (eritrose e treose); ● 5 carbonos: pentoses (ribose, xilose); ● 6 carbonos: hexoses (glicose, frutose, galactose, etc..)  7 carbonos: heptoses (heptulose). - Os monossacarídeos presentes nos alimentos apresentam normalmente 6 carbonos. Exemplos: GLICOSE: - É o açúcar do sangue. - É abundante em frutas, milho, xarope de milho e certas raízes. - Pode resultar da hidrólise de outros carboidratos. - O sistema nervoso central usa glicose no suprimento de energia. FRUTOSE: - Açúcar das frutas e mel. - Isoladamente é o + doce dos açúcares. - É o + solúvel dos açucares. - Pode resultar da hidrólise de outros carboidratos. - Fornece energia de forma gradativa, absorvida lentamente, o que evita que a concentração de açúcar no sangue (glicemia) aumente muito depressa. GALACTOSE: - É o açúcar do leite. - Não é encontrado na forma livre na natureza. - Presente no leite e derivados. - No fígado, é transformada em glicose para fornecer energia. Os monossacarídeos são podem ser mostrados em uma estrutura aberta, dada pela projeção de Fisher, esta projeção mostra os monossacarídeos no espaço bidimensional. Através das estruturas mostradas nesta projeção (Figura abaixo), observa-se que a glicose e a frutose possuem mesma fórmula molecular (C6H12O6 – com m=n=6). No entanto, apresentam grupos funcionais diferentes, enquanto a glicose é uma aldose (com um grupo aldeído), a frutose é uma cetose (com um grupo cetona). Em ambas as estruturas o átomo de carbono da carbonila (C=O) é chamado de carbono anomérico, é
  • 2. o carbono que reage com a hidroxila formando a estrutura cíclica, na glicose: C1 e na frutose: C2. DISSACARÍDEOS:  São dois monossacarídeos unidos por ligações glicosídicas. Ex: sacarose (glicose + frutose), maltose (glicose + glicose), lactose (glicose + galactose).  Ligação glicosídica: é formada entre o grupo hidroxila (anomérico ou redutor) de um átomo de carbono anomérico com um grupo hidroxila de outra molécula, com eliminação de uma molécula de água (H2O).  As ligações glicosídicas são, portanto, ligações intermoleculares (ocorre entre duas moléculas diferentes). O produto resultante da ligação glicosídica é um glicosídeo.  Quando o glicosídeo é formado por 2 monossacarídeos temos os dissacarídeos. SACAROSE:  É o dissacarídeo mais comum; conhecido como açúcar de mesa, encontrado na cana-de-açúcar, beterraba, açúcar mascavo, mel.  A sacarose é formada pela ligação glicosídica entre dois monossacarídeos, a -D-glicose (piranose) e a - D-frutose (furanose). OLIGOSSACARÍDEOS  São glicosídeos que contêm de 3 a 10 unidades de monossacarídeos, unidos por ligações glicosídicas (alguns autores consideram os dissacarídeos como oligossacarídeos).  Os oligossacarídeos são considerados alimentos prebióticos: - Alimentos prebióticos são alimentos não digeríveis, como as fibras, que beneficiam o estímulo seletivo, crescimento e a atividade das bactérias do cólon intestinal. A ingestão de prebióticos estimula o aumento (crescimento) das bifidobactérias presentes no organismo.  Como exemplo de oligossacarídeo pode-se citar os frutoligossacarídeos e a inulina. POLISSACARÍDEOS Os polissacarídeos (ou glicanos) são formados por longas cadeias de unidades de monossacarídeos unidas entre si por ligações glicosídicas. São portanto, substâncias de alto peso molecular que podem chegar (em alguns casos) à milhões. Podem ser de cadeia linear ou ramificada, raramente cíclica. Polissacarídeos podem ser hidrolizados parcial ou totalmente por ácidos ou enzimas, resultando em oligossacarídeos e monossacarídeos. A análise desses resíduos formados na hidrólise proporciona informações sobre a sequência e posição dos monossacarídeos, bem como, o tipo de ligações entre eles. Polissacarídeos de menor peso molecular são na sua maioria solúveis em água, e a solubilidade diminui com o aumento do peso molecular e com a maior ou menor facilidade com que as moléculas desses compostos se associam à outras. A maior solubilidade se deve a maior facilidade de hidratação. Os polissacarídeos mais insolúveis são aqueles encontrados nas paredes celulares e que desempenham função estrutural. Os polissacarídeos se encontram amplamente distribuídos na natureza e possuem grande importância por desempenharem funções como: - Materiais estruturais (nos vegetais: celulose, hemicelulose e pectina; nos animais: quitina) - Substâncias de reserva (nos vegetais: principalmente o amido; nos animais: glicogênio) - Substâncias capazes de reter água (nos vegetais: ágar, pectinas e alginatos) Os polissacarídeos são classificados como: ● Homopolissacarídeos (homoglicanos): contêm apenas um tipo de monossacarídeo. Ex: amido, celulose e glicogênio. ● Heteropolissacarídeos (heteroglicanos): formados por dois ou mais tipos de diferentes de monossacarídeos. Ex: ácido hialurônico, heparina.