Revista o cinéfilo

1.737 visualizações

Publicada em

Apresento aqui o meu projeto finalizado, uma revista sobre cinema com o nome O cinéfilo feita para o trabalho de conclusão de curso do curso superior de Bacharel em Design Gráfico Uniesp/Faimi Mirassol SP.

1 comentário
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.737
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
23
Comentários
1
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Revista o cinéfilo

  1. 1. CLÁSSICOS*CINEMA HOJE*TECNOLOGIA*CRÍTICAS NOVIDADES*DIRETORES*FESTIVAIS nº 1 R$ 10,90 Ano 1 Novembro 2012 www.ocinefilo.com Conheça a fascinante história de GEORGES MELIÉS e a obra de arte de Martin Scorsese em agradecimento ao grande cineasta A INVENÇÃO DE FESTIVAIS CINEMA BRASILEIRO CALÇADA DA FAMA TRILOGIA
  2. 2. Assine hoje!www.ocinefilo.com
  3. 3. EDITORIAL Edição 1CLÁSSICOS*CINEMA HOJE*TECNOLOGIA*CRÍTICAS NOVIDADES*DIRETORES*FESTIVAIS nº 1R$ 10,90Ano 1Novembro 2012www.ocinefilo.com Conheça a fascinante história de GEORGES MELIÉS e a obra de arte de Martin Scorsese em agradecimento ao grande cineasta A INVENÇÃO DE FESTIVAIS CINEMA BRASILEIRO CALÇADA DA FAMA TRILOGIA QUE TAL UM CINEMINHA HOJE! Prepare-se para uma viagem no tempo! Hoje temos o orgulho de apresentar uma revista feita exclusivamente para fãs de cinema, digo, para aqueles que desde criancinhas assitiam aos filmes do Superman, amarravam uma tolha nas costas e saíam correndo imaginando ser o homem de aço. Para todos que têm curiosidade de saber como as coisas por trás das câmeras funcionam, ficam ligados nos festivais e contando os minutos e segundos para o próximo lançamento. Trazemos também matérias super- interessantes sobre filmes clássicos, mas não vamos ficar contando o filme antes! O cinéfilo chegou para ficar! Convidamos nossos amigos cinéfilos a participar com mensagens, e agora nos dê licença pois estamos indo assistir a um filme ótimo da seção de clássicos. Edi Caires Editor dicaires1980@hotmail.com o cinéfilo nov 2012 3
  4. 4. EXPEDIENTE Editor e Diretor Responsável Diretor de Redação Diretor de Arte Edi Caires Editora assistente Revisão de Texto Maria Teresa Martins www.ocinefilo.com A Revista O CINÉFILO é uma publicação da Editora Farol 80 Ltda. A Editora Farol 80 não se responsabiliza pelo conteúdo dos anúncios de terceiros. www.farol80.comPARTICIPAÇÃO ESPECIAL juny kp! Maria Teresa Lucas Farinellijuny kp! é Artista Formada em Letras Graduação emVisual, Professor pela Unesp, doutora Desenho Industrial -e fotográfo. É em Análise do Programação Visualmestrando no Discurso, professora (Design Gráfico) peladepartamento universitária e cinéfila (UNESP), BauruCinema, Rádio e TV de carteirinha. Assiste (2005). Mestre emda ECA/USP, 2010 por paixão, comenta Design - Planejamen-formado em Tradução por gosto e escreve to de Produto pelapelo IBILCE/UNESP, de atrevida. Faculdade de Arq.1998 e louco por Artes e Comunic. Páginas15 e16.cinema. (FAAC/UNESP),Página 17. Bauru (2010). Página 33. cinéfilos ocinefilo@farol80.com Espaço para os cinéfilos participarem e enviarem sugestões e críticas4 www.ocinefilo.com
  5. 5. EM CARTAZ Videoarte 33 Trilogia 18 Clássicos 6 Cinema hoje 34 História do cinema 22 Diretores 9 Remakes 39 Cinema Brasil 26Calçada da fama 10 Novidades 40 Cinema independente 29 Festivais 12 Top 10 42 Tecnologia 30 Críticas 15 o cinéfilo nov 2012 5
  6. 6. CLÁSSICOS .amenic od setnearta siam sanec sad amu me kavoN miK e trawetS semaJ O AMOR E A LOUCURA SEGUNDO HITCHCOCK Assistir a um filme de Hitchcock é sempre garantia de entretenimento com aquele algo mais que o Cartaz promocional cinema pode proporcionar. O cara era mestre. Recentemente, Vertigo foi escolhido pela American Film Institute como o melhor filme de suspense de todos os tempos. O roteiro conta a história de um policial que, após A fotografia não fica para trás: o diretor consegue testemunhar a morte de um colega, desenvolve enquadramentos inesquecíveis da bela São Francisco, acrofobia. Na linguagem corriqueira: medo com sua imponente e soturna ponte Golden Gate. A trilha de altura. Afastado das atividades investigativas, ele sonora, sempre precisa nos suspenses de Hitchcock, é contratado por um amigo para perseguir sua esposa, cumpre o seu papel.Porém, o grande trunfo é mesmo a que anda tendo surtos psicóticos. Porém, acaba se maneira como a vertigem do protagonista é retratada. aproximando demais da moça... E aí... Bom, e aí... Se Usando simples técnicas de filmagem, sem efeitos eu contar mais acaba a diversão de vocês. Sim, porque mirabolantes, tem-se a exata noção de atordoamento e uma das graças dos filmes de Hitchcock é justamente ir angústia do pobre protagonista - pontos cruciais para montando o quebra-cabeças aos poucos.O uso da cor, o entendimento da obra.Vertigo (prefiro chamar assim, que lá nos idos de 1958 ainda era uma novidade, aqui ao invés de Um corpo que cai...) é uma obra densa, é completamente bem empregado. Diferentes tons são com certo tom de morbidez. Porém, ainda assim, é usados para compor o clima da trama. com brilhantismo. entretenimento garantido! Um tipo de cinema que deixa saudades.6 www.ocinefilo.com
  7. 7. casablancaCasablanca, vencedor de três Oscar, em 1943, é considerado pela maioria dos críticos o maior clássico deHollywood, mas transcende meras categorizações, transitando do clássico ao cult e constando em diversaslistas de “filmes do século”, inclusive em uma delas como a obra cinematográfica mais marcante de todos ostempos.D urante a Segunda Guerra Mundial, a cidade O que torna a história mais interessante é exatamente a de Casablanca, localizada no Marrocos, então impossibilidade deste amor continuar. O roteiro e os governado pela França de Vichy, era o penúltimo diálogos do filme dirigido por Michael Curtiz, em 1942,ponto na rota à América. Os refugiados que ali residiam são perfeitos nesse sentido. llsa, interpretada pela belanecessitavam de um visto (Letter of transit) para Portugal, atriz sueca lngrid Bergman, apaixona-se por Rick, oe apenas em Lisboa embarcariam em um navio para charmoso Humphrey Bogart, mas, em vez de fugiro Novo Mundo. Um dos locais de encontro era o bar com ele de Paris, manda-lhe um bilhete de despedidaRick´s.Seu dono, Rick Blaine (Humphrey Bogart) é na estação de trem. Ele parte sem entender o queum homem que tenta não se envolver com a política, havia acontecido.Anos depois já em Casablanca, elapois seu estabelecimento é freqüentado por todos reaparece com seu marido, o herói Victor Laszlo,os tipos de clientes, como nazistas, aliados, ladrões, justamente no Rick’s Bar, do qual o personagementre outros. Rick também é amigo do corrupto de Bogart é dono. Eles estão à procura de um meioCapitão Renault (Claude Rains).Um dia ,um major de fugir para a América. Rick e Ilsa se encontram ealemão (Conrad Veidt) vai a Casablanca em busca de relembram o passado que tiveram juntos. Na tela, aum ladrão que havia roubado duas letter of transit. O música imortal deste relacionamento (As time goescasal que necessitava destes documentos para sua fuga à by) é interpretada por Sam (Dooley Wilson).O sofrimentoAmérica era Ilsa Lund (Ingrid Bergman) e Victor Lazlo de Rick ao vê-la é inevitável e ela fica novamente dividida(Paul Henreid), importante líder da resistência Tcheca.Em entre seus dois amores. O final é realmente surpreendente.flashback, o telespectador retorna à época da ocupação Mas o sucesso do filme, que até hoje continua ganhandode Paris: enquanto cidades são invadidas pelos alemães, muitos fãs de todas gerações, explica-se pela fórmula bem-duas pessoas conseguem viver um romance intenso e dosada de romance, humor, intriga e suspense.inesquecível em Paris. o cinéfilo nov 2012 7
  8. 8. O PODEROSO CHEFÃO A PAIXÃO DE JOANA D`ARC 2001 UMA ODISSÉIA NO ESPAÇONo final dos anos 60, Francis Ford Coppola estava A camponesa Joana D Arc é julgada herege Kubrick se adiantou no tempo quando, ao ladono início de sua carreira quando conseguiu e condenada à morte por um tribunal católico, de Arthur C. Clarke, escreveu o roteiro de 2001:assumir a direção da audaciosa produção depois de ter liderado o povo francês na luta Uma Odisséia no Espaço. Não apenas por terPoderoso Chefão (The Godfather, 1972, EUA), da contra o Exército invasor inglês, dizendo-se visualizado a chegada do homem à Lua mais deParamount Pictures. O filme seria uma adaptação inspirada por Jesus e São Miguel, em maio de um ano antes de Neil Armstrong chegar até lá,do romance do escritor Mario Puzo, que estava 1431. Para salvar a vida, Joana assina durante mas também por haver realizado o primeiro filmeem franca ascensão quando o drama começou o processo, uma confissão de heresia, mas a levantar a hipótese da inteligência artificial.a ser produzido. Enquanto o livro se passava nas depois renega-a, preferindo salvar a alma. O computador HAL-9000, além de acabar sedécadas de 40 e 50, o filme seria ambientado É então queimada viva em praça pública. transformando no personagem principal e numnos anos 70 para baratear custos. A escolha "A Paixão de Joana Darc é um clássico singular na dos maiores vilões do cinema, possuía umade Coppola deu-se pela idéia de que pela sua história do cinema. .A interpretação de Faconetti, grande interação com seu operador, o Dr. Davidjuventude, ele seria rápido, barato e supostamente a jovem atriz de teatro que faz o papel de Joana, Bowman (Keir Dullea, de Visão Fatal e 2010: O Anomanipulável.Com o orçamento inicial de US$2,5 é considerado como um dos melhores, senão o em que Faremos Contato). Nota-se que o nomemilhões, Coppola começa a trabalhar avidamente melhor trabalho já realizado na frente das câmeras. dado a máquina foi muito bem escolhido, visto queno romance, lendo e relendo o livro diversas É simplesmente magistral. Alegria, tristeza, é formado pelas três letras que antecedem o nomevezes. Cada vez que o fazia, adicionava dezenas agonia, esperança, medo e tantas outras emoções da mais famosa marca de computadores do mundo:de notas de rodapé para orientar seu filme. humanas são perfeitamente caracterizadas por a IBM.O filme traça a trajetória do homem desde,Quais as cenas que deveria evidenciar, quais Falconetti apenas por expressões de seu rosto. O aproximadamente, quatro milhões de anos antesos momentos que seriam armadilhas e o que fato desse ter sido a única incursão da atriz no de Cristo, até o ano de 2001, sempre abordandofazer para evitá-las, qual o primeiro sentimento cinema colabora em tornar única a sua atuação, a evolução da espécie, a influência da tecnologiaque teve quando leu aquela passagem do livro sem comparações e, por infortúnio da atriz, a nesse crescimento e os perigos da inteligênciae como transporta-lo para as telonas... tudo isso ligando eternamente ao papel de Joana Darc. artificial. O final, um dos mais emblemáticos daestava compreendido nas anotações do cineasta. O lado humano de Joana é confrontado com o história do cinema, mostra astronautas travandoA partir daí, começou a reescrever a adaptação lado desumano dos juízes que a julgam. Velhos, uma luta mortal contra o computador - a versãoque havia sido feita por Mario Puzo. Com o autoritários, ameaçadores, dogmáticos, cujo moderna do confronto entre criador e criatura,roteiro pronto, Coppola começou a sugerir nomes intuito é subjugar Joana, os juízes representam que já inspirara clássicos como Frankenstein.Umpara os papeis principais. Assim começaram a inflexibilidade da Igreja diante a ameaça que monolito cai na Terra ainda na época da pré-históriatambém seus problemas com a produtora. "Se ela representa aos seus interesses.Nenhum e, muitos anos depois, em 1999, é descoberto umvocê disser o nome de Marlon Brando mais uma ator do filme foi submetido a maquiagem, pois segundo monolito na Lua. Aparentemente, sãovez, está despedido", disse o presidente da Dreyer entendia que sua aplicação poderia alienigenas que observam os terrestres, entãoParamount na época para o diretor. Se Brando ocultar, ou até mesmo desvirtuar, a verdadeira uma missão internacional é enviada a Júpiternão era aceito (por sua notória excentricidade), o face dos atores. Como conseqüência, com a missão de descobrir o que eles realmentedesconhecido Al Pacino, que até então só havia o realismo do filme é impressionante. querem.Durante todo o filme o diretor levantafeito teatro, era considerado uma piada de mau- Para dar maior autenticidade do filme, a diversas questões que deixa em aberto até o fim.gosto pelos executivos.O problema é que Coppola maioria dos textos nos intertítulos do filme,não conseguia imaginar outro ator no papel mais precisamente os que aparecemde Michael Corleone. Tinha que ser Al Pacino. durante o julgamento, foram extraídos dosFazer com que aceitassem Marlon Brando para manuscritos originais do julgamento de Joana.o papel de Don Vito Corleone foi um pouco maisfácil. 8 www.ocinefilo.com
  9. 9. DIRETORESQuentin TarantinoAlém de Diretor Tarantino também é Ator, Roteirista, Produtor de set, Produtor, Diretor defotografia, Gerente de produção americanoQ uentim Tarantino Nasceu em 27 Foi também produtor executivo do filme Mas o erro acabou indo pararem vários livros de março de 1963 em Knoxville, Parceiros do Crime (1994), do então especializados de cinema;Já foi gerente de Tennessee, EUA.Quentin Tarantino estreante Roger Avary, seu parceiro no roteiro uma videolocadora. Inclusive, o próprio inicou sua carreira fazendo pontas de “Pulp Fiction”, atuou em alguns filmes Quentin Tarantino credita grande parte deem diversos filmes e também fazendo o de destaque, como A Balada do Pistoleiro sua criatividade ao fato de ter tido acessoCurso de Direção do Sundance Institute. (1995) e Um Drink no Inferno(1996) e ainda a diversos filmes em seu trabalho, que lheChegou a atuar em diversas séries da dirigiu um dos episódios da comédia Grand serviram de inspiração;Geralmente costumaTV americana e escrever roteiros que se Hotel(1995);Já em 1997, Tarantino volta a atuar como ator em seus filmes, através detornariam sucessos em Hollywood, como os dirigir sozinho um longa-metragem, com pequenas pontas;Antes de estrear comode Amor à Queima-Roupa (1993), de Tony Jackie Brown, adaptação de um famoso livro diretor em Cães de Aluguel (1992), umaScott, e Assassinos Por Natureza (1994), de do escritor americano Elmore Leonard;Em das formas de captar recursos pro filmeOliver Stone; Estreou na direção com uma sua curta carreira como cineasta, os filmes foi a venda de dois roteiros seus: Amor àprodução independente, Cães de Aluguel de Quentin Tarantino ficaram marcados Queima-Roupa(1993) e Assassinos por(1992), que foi co-produzida pelo ator Harvey por falar do submundo, mesclando sempre Natureza (1994).Keitel, figura constante em seus filmes; Logo doses de humor e violência;É casado comem seguida, dirigiu seu maior sucesso até o a atriz Mira Sorvino, ganhadora do Oscarmomento, Pulp Fiction - Tempo de Violência de Melhor Atriz Coadjuvante por Poderosa(1994), que ressuscitou a carreira de John Afrodite (1995);Os rumores de ter trabalhadoTravolta, deu novo impulso para Samuel L. nos filmes A Hora dos Mortos-Vivos e ReiJackson e Uma Thurman e ainda rendeu a Lear foi apenas uma forma de TarantinoTarantino sua primeira indicação ao Oscar, aumentar seu currículo indevidamente.como melhor diretor; o cinéfilo nov 2012 9
  10. 10. CALÇADA DA FAMA MORGAN FREEMAN O MENINO QUE SONHAVA EM VOAR A ntes de iniciar-se nas artes Freeman continuou a atuar em papéis como dramáticas, Freeman pensou em coadjuvantes em muitos filmes, até ele conseguir concretizar seu sonho infantil de o papel como o motorista Hoke em Driving Miss se tornar piloto. De 1955 a 1959, Daisy, pelo qual ele recebeu o Globo de Ouro de logo após formar-se no Los Angeles Melhor Ator - Comédia ou Musical e uma nomeação Community College, ele conseguiu chegar à Força ao Óscar de Melhor Ator Principal, no mesmo Aérea Americana - nunca, porém, como piloto, ano ele também atuou como o Sargento Rawlins e sim como mecânico. Apenas recentemente em Tempo de Glória.Em 1994 ele atuou em Um adquiriu brevê para conduzir aeroplanos Sonho de Liberdade que lhe valeu uma nomeação particulares.Freeman teve formação basicamente ao Globo de Ouro de Melhor Ator - Drama e sua teatral, iniciando sua carreira na década de 1960, segunda nomeação ao Óscar de Melhor Ator na produção off-Broadway Niggerlovers. No mesmo Principal. Após três indicações ao Oscar ele período, conseguiu participar da versão totalmente começou a estrelas vários filmes de sucesso negra de Hello, Dolly! e emendou uma série de como Robin Hood - O Príncipe dos Ladrões, Os papéis, tanto em grandes espetáculos quanto nos Imperdoáveis, Se7en - Os Sete Pecados Capitais. circuitos alternativos de Nova York. No começo de Em 2004 ele ganhou finalmente ganhou o Oscar carreira, era casado com Jeanette Adair Bradshaw, de Melhor Ator Coadjuvante pelo filme Million de quem viria a se divorciar em 1979. Freeman se Dollar Baby de Clint Eastwood. Freeman é também tornou conhecido na mídia americana por meio conhecido pela sua voz marcante, fazendo dele de papéis em novelas e filmes para televisão, uma escolha frequente para a narração. Só em e ganhou prestígio após seu papel como Fast 2005, ele forneceu narração para dois filmes, Black em Street Smart pelo qual ele recebeu uma Guerra dos Mundos e o filme documentário nomeação ao Oscar de Melhor Ator Coadjuvante. vencedor do Oscar A Marcha dos Pinguins.10 www.ocinefilo.com
  11. 11. Filmografia ANO FILME PERSONAGEM 1980 Brubaker Walter 1981 Testemunha fatal 1984 Escola da Desordem A Lewis 1985 Marie Charles Traughber 1985 A força da inocência Charlie Woods 1987 Street Smart Fast Black 1988 Clean and Sober Craig 1989 Tempo de Glória Sgt.John Rawlins 1989 Conduzindo Miss Daisy Hoke Colburn 1989 Lean on Me Joe Louis Clark 1990 A Fogueira das Vaidades Judge L. White 1991 Robin Hood: O Príncipe dos Ladrões Azeem 1992 The Power of One Geel Piet 1993 Bopha! Direção 1994 Um Sonho de Liberdade “Red”(Narração 1995 Se7en Detet. Lt. William 1995 Epidemia SomersetFreeman apareceu como Deus no filme de sucesso 1996 Reação em cadeia Brig. Gen. Billy FordTodo Poderoso com Jim Carrey e sua continuação, 1996 Moll Flanders Paul ShannonA Volta do Todo Poderoso, ele também atuou no 1997 Amistad Hibblesucesso de critica e bilheteria Batman Begins e na 1997 Kiss The Girls Theodore Joadsonsua continuação Batman: O Cavaleiro das Trevas. Ele 1998 Impacto Profundo Dr. Alex Crossestrelou ao lado de Jack Nicholson no filme de 2007 1998 Águas Mortíferas Presidente Tom BeckAntes de Partir.Ele queria fazer um filme baseado na 2000 A Enfermeira Betty Jimvida de Nelson Mandela. Em 2007 Clint Eastwood 2000 Sob Suspeita Charlieconvidou Freeman para participar da adaptação 2001 Na Teia da Aranha Victor Benzetcinematografica da autobiografia de Mandela chamada 2002 A Soma de Todos os Medos Dr. Alex CrossLong Walk to Freedom, o filme se chamaria Invictus e foi 2002 High Crimes W. Cabotlançado em 2010, Freeman foi nomeado ao Globo de 2003 Todo Poderoso Charlie Grimes 2003 Dreamcatcher DeusOuro de Melhor Ator - Drama e recebeu outra nomeação 2003 Levity Col. Abraham Kurtzao Óscar de Melhor Ator Principal pelo seu papel 2004 Menina de Ouro pastor Miles Evanscomo Nelson Mandela, e Matt Damon que atuou como 2004 The Hunting of the President Eddie “Scrap Iron” D.François Pienaar recebeu uma nomeação ao Oscar de 2004 The Big Bounce (Narrador)Melhor Ator Coadjuvante 2005 Um Lugar Para Recomeçar Walter Crewes 2005 Guerra dos Mundos Mitch Bradley 2005 March of the Penguins (Narrador) 2005 Batman Begins (Narrador) 2005 Unleashed Lucius Fox 2006 Edison Force Sam 2006 The Contract Ashford 2006 Xeque-Mate Frank Carden 2007 10 Items or Less O Chefe 2007 Feast of Love ele próprio 2007 Medo da Verdade Harry Scott 2007 Antes de Partir Jack Doyle 2008 Batman: O Cavaleiro das Trevas Carter Chambers 2008 O Procurado Lucius Fox 2009 Invictus Sloan 2009 Jogo Entre Ladrões Nelson Mandela 2010 Red Ripley 2011 Conan, o Bárbaro Joe 2011 Winter, o Golfinho Le narrateur 2012 Red 2 Dr. McCarthy 2012 Batman o cavaleiro das trevas ressurge Lucius Fox 2013 Red 2 Joe Matheson 2013 Oblivion Malcolm Beech 2013 Lego 3D Monte Wildhorn 2013 Last Vegas Archie Clay 2013 Now You See Me o cinéfilo nov 2012 11
  12. 12. FESTIVAISAcademia marca para o dia 10 de janeiro indicação ao Oscar 2013Data foi adiantada para ‘dar ao público tempo maior para ver os filmes’.Entrega dos prêmios acontece no dia 24 de fevereiro, em Los Angeles.A Academia de Artes e Ciências Cinematográficas de Hollywood anunciounesta terça-feira (18) em comunicado que os A academia de Artes e Ciências Cinematográficas (Academy of Motion Picture Arts and Sciences) foi criada em maio de 1927, em Los Angeles, Em sua primeira edição, a Academia entregou 11 prêmios. Atualmente, o número de categorias varia entre 23 e 25, e o número de estátuas aindicados para o Oscar serão conhecidos no na Califórnia. A ideia veio do presidente da serem entregues é sempre um mistério, já quepróximo dia 10 de janeiro, cinco dias antes do Metro-Goldwin Mayer (MGM), Louis B. Mayer, as cédulas da votação são enviadas pelo correioprevisto.A mudança foi decidida “em um esforço que se uniu a um grupo de 36 pessoas, entre e devolvidas à academia em envelopes sempara dar aos acadêmicos e ao público em geral elas executivos de produção e personalidades identificação do remetente. O número foi mudadoum período maior para ver os filmes indicados”, do cinema época, como Douglas Fairbanks (o no decorrer dos anos, devido ao crescimento daargumentou a Academia.Desta forma o processo primeiro presidente), Frank Capra, Bette Davis, indústria cinematográfica, como o surgimentode indicações ficará aberto entre os dias 17 de Gregory e Robert Wise. Para fazer parte da da cor e do som. Em 2002, foi criada a categoriadezembro e 3 de janeiro. Já o tradicional almoço Academia é necessário ser convidado pelos Animação. Desde 2010, a Academia dobrou oorganizado pela Academia para os candidatos membros do conselho, que é composto por número de indicados a Melhor Filme: de cincoacontecerá no dia 4 de fevereiro.Quatro dias atores, produtores, diretores e outros profissionais para dez. A primeira transmissão aconteceumais tarde será aberto o prazo para escolher os do cinema. O propósito da Academia de Artes apenas para os americanos, quando o prêmiovencedores das estatuetas douradas. No dia 19 é honrar as incríveis produções dos anos estava na sua 25ª edição, em 1953. Somente, emde fevereiro acabarão as votações.Além disso, a anteriores, Os premiados são escolhidos pelos 1966 a festa chegou a ser televisionada para oorganização lembrou que para a próxima edição membros por meio de cédulas, Então, quando um mundo inteiro. Lendas dizem que, no ínicio dados prêmios Oscar será usado pela primeira vez ganhador agradece a Academia, na verdade ele década de 30, uma bibliotecária da Academiao voto eletrônico entre seus membros, através está agradecendo aos seus colegas de profissão chamada margaret Herrick comentou que ade um sistema elaborado junto com as empresas por terem acreditado em seu trabalho. A primeira estatueta se parecia com seu tio Oscar. O nomePricewaterhousecoopers (Pwc) e Everyone apresentação dos prêmios foi em 16 de maio de pegou entre a equipe, que passou a chamar aCounts. “A Academia realizou uma pesquisa 1929, no Hotel Roosevelt, em Hollywood, pelo estátua de Oscar, E em 1939 a Academia adotouextensa e fez numerosas reuniões entre seus astro Douglas Fairbanks. Referente à temporada o nome oficialmente. Antes era chamada demembros para assegurar uma transição simples”, de 1927/28 e teve um banquete para 250 pessoas Prêmio de Mérito da Academia.afirma o comunicado.A 85ª festa do Oscar com ingressos a US$ 10. Desde 2001 a festaacontecerá no dia 24 de fevereiro no Dolby acontece no Teatro Kodak, que comporta 3.400Theatre de Hollywood, em Los Angeles. pessoas.12 www.ocinefilo.com
  13. 13. GRANDE PRÊMIO DO CINEMA BRASILEIRO Filme “O Palhaço” é o grande destaque da noite e leva doze prêmios.Confira a lista completa dos vencedoresMelhor Roteiro Original: MARCELO VINDICATTO e SELTON MELLO por O PalhaçoMelhor Roteiro Adaptado: ANTONIA PELLEGRINO, HOMERO OLIVETTO e JOSÉ CARVALHO por Bruna Surfistinha. Adaptado da obra “O Doce Veneno do Escorpião” de BrunaSurfistinhaMelhor Figurino: KIKA LOPES por O PalhaçoMelhor Maquiagem: MARLENE MOURA e RUBENS LIBÓRIO por O PalhaçoMelhor Direção de Arte: CLAUDIO AMARAL PEIXOTO por O PalhaçoMelhor Trilha Sonora Original: PLÍNIO PROFETA por O PalhaçoMelhor Trilha Sonora: VLADIMIR CARVALHO por Rock BrasíliaMelhor Som: JORGE SALDANHA, MIRIAM BIDERMAN, RICARDO REIS e RODRIGO N. por O Homem do FuturoMelhor Longa-Metragem Estrangeiro: MEIA NOITE EM PARIS (EUA / Espanha) - dirigido por W. Allen. Distr: Paris FilmesMelhor Curta-Metragem de Ficção: PRA EU DORMIR TRANQUILO dirigido por Juliana RojasMelhor Curta-Metragem Documentário: A VERDADEIRA HISTÓRIA DA BAILARINA DE VERMELHO dirigido por Alessandra Colassanti e Samir AbujamraMelhor Curta-Metragem de Animação: O CÉU NO ANDAR DE BAIXO dirigido por Leonardo Cata PretaMelhor Fotografia: ADRIAN TEIJIDO, ABC por O PalhaçoMelhor Montagem de Ficcção: MARILIA MORAES e SELTON MELLO por O PalhaçoMelhor Montagem Documentário: PEDRO KOS por Lixo ExtraordinárioMelhor Efeito Visual: CLÁUDIO PERALTA por O Homem do FuturoMelhor Atriz Coadjuvante: DRICA MORAES como Larissa por Bruna SurfistinhaMelhor Ator Coadjuvante: PAULO JOSÉ como Valdemar/Palhaço Puro Sangue por O PalhaçoVoto Popular para Melhor Longa-Metragem Estrangeiro: RIOVoto Popular Melhor Longa-Metragem Documentário: QUEBRANDO O TABUVoto Popular Melhor Longa-Metragem de Ficção: O PALHAÇOMenção honrosa Longa-Metragem de Animação: BRASIL ANIMADO 3D de Mariana CaltabianoMelhor Longa-Metragem Infantil: UMA PROFESSORA MUITO MALUQUINHA de André Alves Pinto e Cesar Rodrigues. Produção: Diler Trindade por Diler & AssociadosMelhor Longa-Metragem Documentário: LIXO EXTRAORDINÁRIO de João Jardim, Karen Harley e Lucy Walker. Produção: Hank Levine por O2 Filmes e Angus Aynsley porAlmega ProjectsMelhor Ator: SELTON MELLO como Benjamim/Palhaço Pangaré por O PalhaçoMelhor Atriz: DEBORAH SECCO como Bruna Surfistinha por Bruna SurfistinhaMelhor Diretor: SELTON MELLO por O PalhaçoMelhor Longa-Metragem de Ficção: O PALHAÇO de Selton Mello. Produção: Vania Catani por Bananeira Filmes o cinéfilo nov 2012 13
  14. 14. CONHEÇA A ESTRELA DO FESTIVAL – O KIKITO O Kikito, símbolo e prêmio máximo concedido no Festival de Gramado, foi criado pela artesã Elisabeth Rosenfeld. Inicialmente, o Kikito, figura risonha, um “Deus do bom- humor”, com 33 centímetros de altura era o símbolo da cidade de Gramado, e apenas FESTIVAL DE GRAMADO COMPLETA 40 ANOS DE MUITA HISTÓRIA mais tarde tornou-se o troféu do festival. Muitas vezes referido erroneamente comoEm quatro décadas, o Festival de Cinema de Por isso a vigésima edição já foi de cinema ibero- “Kikito de Ouro”, o Kikito era confeccionadogramado – o segundo mais antigo do Brasil – foi americano. Realizado entre 15 e 22 de agosto em madeira. A confusão se dá por referênciapalco de momentos significativos para a história de 1992, teve filmes da Venezuela, Peru, México, a prêmios de outros festivais, como a Palmae afirmação da arte cinematográfica no país. Portugal, Brasil, Argentina, Chile, Espanha, CubaGramado passou a fazer parte do cenário do e Colômbia (vencedor do Kikito de melhor filme de Ouro de Cannes ou o Leão de Ouro decinema nacional em janeiro de 1973, quando o com “Técnicas de Duelo”, de Sergio Cabrera. Veneza. Atualmente, o prêmio é fabricadoFestival Brasileiro de Gramado foi oficializado Participaram igualmente da vigésima edição em bronze.pelo Instituto Nacional de Cinema. A primeira curtas-metragens brasileiros em 35 e 16mm. Aedição surgiu da união da Prefeitura Municipal de repercussão foi ótima, coincidindo com a criaçãoGramado com a Companhia Jornalística Caldas do Mercosul e a busca de uma aproximação maisJúnior, a Embrafilme, a Fundação Nacional de eficiente do Brasil com os “hermanos” latinos. AArte e as secretarias de Turismo e Educação e nova fórmula do Festival de Gramado, inédita noCultura do Estado. O primeiro Festival do Cinema Brasil, foi aprovada dando novo significado aoBrasileiro de Gramado aconteceu de 10 a 14 de evento, agora com sua data fixada sempre najaneiro de 1973. A disputa pelo Kikito, o “Deus da primeira quinzena de agosto. O Festival começouAlegria”, cuja estatueta foi criada por Elizabeth no verão, mas Gramado tem o seu ápice turísticoRosenfeld, grande incentivadora do artesanato nos meses frios. Assim, o Festival tornou-se umagramadense, passou a animar debates, criar atração a mais no inverno do Rio Grande do Sul,polêmicas e transformar a criação cinematográfica o mais “europeu” dos estados brasileiros graçasnacional no único assunto de artistas, realizadores, ao grande fluxo de imigrantes alemães e italianosestudiosos de cinema, imprensa e público em que marcaram, desde o século passado, a culturageral. Na primeira edição, foram distribuídos e os costumes da região. Na safra mais recenteapenas cinco Kikitos. O prêmio de melhor filme do Festival, bons filmes nacionais e estrangeirosfoi para “Toda Nudez Será Castigada”, de Arnaldo têm feito suas estreias em Gramado: “A FestaJabor, enquanto Carlos Kroeber foi eleito o melhor da Menina Morta”, de Matheus Nachtergaeleator por “A Casa Assassinada”, e Darlene Glória foi exibido no Festival em 2008, assim comofoi consagrada como melhor atriz por “Toda “Juventude”, de Domingos de Oliveira. ”ONudez Será Castigada”. Os prêmios especiais Banheiro do Papa”, de Enrique Fernández e Césarficaram com Antônio Carlos Jobim, pela música Charlone, não foi premiado na categoria principalde “A Casa Assassinada”, e André Faria, pela em 2007, mas César Troncoso e Virginia Méndezfotografia de “Roleta Russa”. As primeiras edições foram consagrados por suas interpretações. Emdo Festival, realizadas no verão, foram marcadas 2002, com uma grande festa em homenagem aospor sensacionalismo, nudez e a crise de estrelas 30 anos ininterruptos do Festival de Gramado,que buscavam fama e reconhecimento na “Durval Discos” foi o grande vencedor na categoriaserra gaúcha. Com a chegada dos anos 80 e o longa-metragem brasileiro. “La Perdicion de los Anima Mundi é o Festivalaprimoramento das discussões sobre arte e cultura Hombres” (México/Espanha) e “O Filho da Noiva” Internacional de Animação do Brasil.nos espaços do Festival, o evento conquistou o (Argentina/Espanha) dividiram os principais Um festival que visa informar, formar, educar etítulo de um dos maiores dentro do gênero no País. prêmios da competição latina. Nesta edição, o entreter utilizando as infinitas possibilidades daMais do que isso, sedimentou-se como um espaço Festival abre espaço para os documentários, linguagem de animação.Em 2012 o Anima Mundiindispensável para divulgação, discussão, crítica e que passam a ser valorizados pelo evento. Já na celebra o seu 20o aniversário promovendo, alémincentivo à criação cinematográfica nacional. Além edição de 2011, o grande vencedor da seleção do festival anual no Rio de Janeiro e São Paulo,de aproximar o cinema brasileiro e a imprensa nacional foi “Uma Longa Viagem”, de Lúcia uma série de atividades que são refletidas nessedo país, também aproximou-os do cinema latino- Murat, que arrebatou prêmios do júri oficial e website.Participe do Anima Mundi inscrevendoamericano promovendo mostras fora de concurso popular. Entre os latinos, a atenção ficou dividida seu filme, se cadastrando na nossa comunidadee mostras informativas que traziam títulos da entre o argentino “Medianeras – Buenos Aires virtual e apreciando através de nossas janelas oArgentina, Peru, México, Venezuela, Colômbia na Era do Amor Virtual”, de Gustavo Taretto, e o universo da Animação Internacional.e Cuba.No início dos anos 90, com a posse do mexicamo “A Tiro de Piedra”, de Sebastian Hiriart.governo de Fernando Collor, o Brasil presenciou Outros destaques foram os filmes de aberturaum processo de quase extinção da cinematografianacional. O Festival de Gramado, para sobreviver,tornou-se, então, internacional.14 www.ocinefilo.com
  15. 15. CRÍTICAS‘‘ O Barulho é Relativo ao Silêncio que oPrecede. Quanto Mais Absoluta a Quietude,Mas Devastadoras as Palmas. ”V FOR VENDETTAIDEIAS SÃO ÀPROVA DE BALAF ilme de 2006 estrelado por Natalie V é caracterizado como um homem O interessante é que um dos autores da HQ Portman (Evey),Hugo Weaving (V) mascarado, vestindo capa e chapéu preto, que originou a história, Alan Moore, não e Stephen Rea (detetive Finch).É muito culto e de movimentos habilidosos concordou com a adaptação para o cinema,baseado na História em Quadrinhos com suas 6 adagas. A máscara é uma pois estava descontente com as adaptaçõeshomônima de Alan Moore e David Lloyd referência a Guy Fawkes (soldado católico de outras obras suas: Liga extraordináriaescrita na década de 1980, publicada nos inglês membro da “Conspiração da e Constantine. Alan Moore também é oEUA pela DC Comics em 1988 em 10 Pólvora” que tentou explodir o Parlamento autor da HQ Watchmen, ao lado de Davidedições.O longa é rico em detalhes e conta Inglês e matar o rei protestante Jaime I Gibbons, adaptada para o cinema em 2009.com diálogos maravilhosos, cheios de em 5/11/1605). V pretende explodir o Recentemente, um grupo intituladocríticas ácidas e reflexões profundas sobre a Parlamento no dia 5/11 de 2020 em protesto Anonymous vem fazendo ações pela internetpolítica e a natureza humana. O protagonista ao governo fascista que se instalou com o em protestos à falta de liberdade. Essepode ser observado como um bom exemplo discurso de que a população deveria abrir grupo usa a máscara de V como símbolo ede anti-herói. Pode-se dizer que os anti- mão de seus direitos e liberdades para que o em 2011 atacou o website do governo daheróis não são personagens maus por Estado a “protejesse” da ameaça terrorista. Tunísia, episódio que ficou conhecido comonatureza, contudo, às vezes, é difícil traçar Esse Estado ditatorial, através dos “Homens- “Operação Tunísia”. O mesmo aconteceua linha que separa o anti-herói do vilão. O Dedo” (pertencentes à Larkhill,instituição no Egito e na Líbia em apoio à Primaveraanti-herói, diferente do vilão, sempre obtém militar que ronda as ruas), persegue os Árabe. Na trilha sonora, destaca-se Garotaaprovação, seja através de seu carisma, seja “subversivos” (homossexuais, negros, de Ipanema (Stan Getz, Astrud Gilbertopor meio de seus objetivos muitas vezes judeus) e por meio de uma rede de TV e João Gilberto), I Found a Reason (Catjustos ou ao menos compreensíveis, o que (BTN) controla o que as pessoas assistem. Power) e Street Fighting Man (The Rollingjamais os torna lícitos. No caso de V, ele Assim como os super-heróis da Marvel, V Stones).O filme vale a pena estar numapróprio se define no início do filme com tem uma máscara e um codinome, mas seus sessão de cinema se o seu objetivo foruma descrição: “Voilà! À vista, um humilde métodos (adagas e explosivos) e seu desejo assistir a cenas muito bem dirigidas, comveterano vaudevilliano , apresentado de mobilizar a massa em torno de uma ação diálogos reflexivos e densos e com um finalvicariamente como ambos vítima e vilão transformadora o destacam: “Não se deve digno de um bom anti-herói!pelas vicissitudes do Destino. Esta visagem, contar com a minoria silenciosa, pois onão mero verniz da vaidade, é ela vestígio silêncio é algo frágil. Um ruído alto... e estáda vox populi, agora vacante , vanescida , tudo acabado. O povo está amedrontadoenquanto a voz vital da verossimilhança e desorganizado demais. Alguns tiveramagora venera aquilo que uma vez vilificaram a oportunidade de protestar, mas foram.” No caso de V, ele próprio se define no como vozes gritando no deserto. O Barulhoinício do filme com uma descrição: “Voilà! é Relativo ao Silêncio que o Precede.À vista, um humilde veterano vaudevilliano Quanto Mais Absoluta a Quietude, Mas, apresentado vicariamente como ambos Devastadoras as Palmas.” O longa tambémvítima e vilão pelas vicissitudes do Destino. revela uma atuação forte e intimista deEsta visagem, não mero verniz da vaidade, Natalie Portman, que prenuncia o talentoé ela vestígio da vox populi, agora vacante que veríamos no drama psicológico Cisne, vanescida , enquanto a voz vital da Negro (2011), que lhe rendeu váriosverossimilhança agora venera aquilo que prêmios de melhor atriz, entre eles o Oscaruma vez vilificaram .” e o BAFTA. o cinéfilo nov 2012 15
  16. 16. Destaques AUDREY TAUTOU A delicadeza do cinema europeu A udrey Tautou ficou conhecida pelas interpretações de Sophie Neveu em O código da Vinci (2006), de Amélie Poulain O filme é uma adaptação do livro de mesmo nome de David Foenkinos, que vendeu 700 mil exemplares e recebeu 10 prêmios na em O fabuloso destino de Amélie Poulain Europa. Ele e a irmã, Stéphane, trabalharam (2001) e de Chanel em Coco antes de Chanel juntos na versão cinematográfica do (2009.Estreia neste semestre no Brasil um romance, que conta com uma bela trilha novo filme em que ela é a protagonista: sonora de Emilie Simon.Junto a paisagens La délicatesse (2011). O longa-metragem clássicas de Paris, como a Torre Eiffel conta a história de um amor improvável iluminada e jardins, há falas delicadas vindas entre Nathalie (Audrey Tautou) e um colega do estranho Markus como “A Nathalie é a de trabalho, Markus (François Damiens – Yoko Ono. Capaz de te fazer sonhar como o humorista belga). Ela - uma jovem linda e maior grupo de todos os tempos” ou “Adoro viúva. Ele – um homem comum, um pouco o seu cabelo. Eu poderia viajar de férias desajeitado, solteiro e tímido. Os colegas de pelos seus cabelos” que a surpreendem trabalho dizem a Nathalie que ela merece quando todos lhe dizem que ele é feio e alguém melhor que ele; ele diz a si próprio desajeitado. Bem aceito pela crítica e pelo que ela merece alguém melhor que ele. público francês, nos faz lembrar da poesia Mas mesmo assim, algo de irresistível e nos olhos e nos gestos de Amélie Poulain. encantador se passa entre os dois. Recebeu duas indicações ao Prêmio César de Cinema na França.16 www.ocinefilo.com
  17. 17. Eu Amo Você que Ama Zé Pequeno que Não Ama Ninguém.C idade de Deus é um filme sobre Nos anos 60, a fotografia privilegia o tom terra, A união de Mané com Cenoura tem motivos pessoas acima de tudo. Pessoas predominando os vermelhos e os amarelos. diferentes. O primeiro está pela honra – sua própria, em busca de algo que as preencha. Esta opção dialoga diretamente com a locação de sua namorada e de sua família – enquanto o São personagens em situação de do loteamento ainda no chão de terra batida, segundo está pela manutenção e ampliação do desorientação constante. Desejando campinhos, tijolos à vista, isolamento. Já nos anos poder na favela. Em comum apenas o inimigo:suprir este vazio por meio do estabelecimento 70, as cores estouram e se espalham pela tela, Zé Pequeno. A influência da publicidade e dosde relações humanas. Ainda que estas relações nas roupas, nas luzes, nas paredes, um mosaico videoclipes está nitidamente presente no correrocorram de diversas maneiras: pela vingança multicolorido que remete ao tema da psicodelia. Na do filme. Cenas como a morte de Bené em sua(Mané Galinha X Zé Pequeno), pelo zelo (Marreco X terceira e última fasee, temos uma fotografia mais festa de despedida e o uso da luz estroboscópica;Buscapé), pela paixão (Berenice X Cabelera), pela sombria, predominando o azulado. Muita sombra, a evolução da boca dos apês, com a câmeratensão (Cenoura X Zé pequeno), pela amizade (Zé penumbra, ambientes azuis por todos os lados, um fixa e o belo trabalho de cenografia. TemosPequeno X Bené), pela fraternidade (Trio Ternura), ar de caos, de precipício. A direção foi muito feliz na ainda a inusitada cena inicial onde uma galinha,Pelo medo (Buscapé X Zé Pequeno) e, seguindo opção e na execução desta fotografia.Retomando percebendo seu fim próximo, foge e é perseguidaeste raciocínio, a lista seguiria. Fernando Meirelles a questão dos relacionamentos dentro do filme. por entre becos e vielas, até chegar ao asfalto e(e Kátia Lund) dirigem com maestria esta película. Enquanto Bené - braço direito de Zé Pequeno – nos apresentar ao narrador Buscapé - que se vê noAnalisando todo o projeto de Meirelles é possível sente uma necessidade de criar relacionamento meio de fogo cruzado entre o tráfico e a polícia.Operceber a confiança e a absoluta organização nas fora da CDD, e encontra em Thiago, da turma dos caos vai tomando conta do filme gradativamente,etapas que antecederam à filmagem propriamente Cocotas uma possibilidade de respirar, de poder conforme as palavras do próprio Meirelles, “Odita. Da aquisição dos direitos do livro Cidade de aproveitar do poder que tem, comprar roupas estado vai perdendo controle da comunidade eDeus de Paulo Lins, em 1998, até a estréia em 18 “de marca”, ir à praia, conversar, se afastar do a equipe vai perdendo o controle do filme”. Nade maio de 2002, no Festival de Cannes, Meirelles estresse da CDD, vemos Zé Pequeno cada vez primeira fase, é possível ver o horizonte compondoselecionou dentre mais de 2000 testes, um grupo mais decidido a conquistar todas as bocas do as tomadas, opção que não ocorre na terceirade 200 que fez três meses intensivos de oficina morro. Não há relações humanas no seu jogo, fase do filme, onde as personagens andam,de interpretação. Deste grupo, peneirou-se o apenas a busca incessante pelo poder máximo. correm, se trombam em cômodos apertados eelenco final que ficou mais dois meses ensaiando Pequeno é só, Pequeno é triste. A cena da festa de paredes gastas.Cidade de Deus não exagera.já especificamente para o filme. O diretor tinha despedida de Bené - onde Pequeno, aparentando Não estereotipa, não subestima a dinâmica dauma única certeza, ao iniciar o processo de um adolescente tímido, recebe a negativa de uma favela. Confirmando isso, apresenta o fim de Zépré-produção: o elenco deveria ser formado moça após tê-la convidado para dançar – resume Pequeno pelas mãos das crianças Caixa-Baixa.apenas por não-atores. Posto isso, a saga de a essência da personagem magistralmente Simples assim. A banalidade da violência.E,formação deste elenco começou.Por conta deste interpretada por Leandro Firmino da Hora.No meio paradoxalmente, ali está Buscapé para registrarintenso processo, durante as filmagens a energia destas duas personagens temos um equilíbrio em tudo: a extorsão policial, a execução, o corpodominava locações, estúdios e corpos des atores Cenoura (Matheus Nachtergaele), um traficante estendido no chão. Todo o processo criminale produção. Somente não-atores poderiam ter feito que durante todo o filme procura minimizar da favela sendo capturado por sua objetiva.o que foi feito em Cidade de Deus, e funcionou. A tensões, principalmente com Zé Pequeno. Bené Paradoxal porque Buscapé sempre se esquivavanarrativa atravessa três décadas – anos 60, 70 e sempre contemporiza os acessos do parceiro do Zé Pequeno e foi este mesmo Zé Pequeno que80 – e, em cada uma destas fases, a fotografia é em querer invadir as bocas de Cenoura. Com a o lançaria como fotógrafo profissional.Dadinho eratrabalhada de maneira particular. chegada de Mané Galinha (Seu Jorge) ao bando feliz, ele amava Zé Pequeno. Zé Pequeno, coitado, de Cenoura é que as coisas mudam de figura. não amava ninguém. o cinéfilo nov 2012 17
  18. 18. TRILOGIADE VOLTA PARA O FUTUROCuriosidades, bastidores, novidades, e até segredos escondidos de “De Volta para o Futuro” e das filmagens!B ack to the Future (De Volta para o Além disso, Marty é também assistente do Era necessário acelerar o De Lorean até às Futuro) é um filme americano de Dr. Emmett Brown(Christopher Lloyd), um 88 mph (140 km/h) que, consequentemente, 1985, uma ficção científica, dirigido cientista bastante ambicioso em descobertas fazia ativar o capacitor de fluxos, que por Robert Zemeckis.Teve duas megalómanas. A primeira descoberta usaplutónio para produzir uma energiaseqüências, filmadas simultaneamente: descrita na história é a de um sistema para elétrica de 1,21 GW para transportar oBack to the Future II (1989) e Back to the sincronizar com igual hora todos os relógios veículo para a data programada. Assim queFuture III (1990).A história começa em 1985. do mundo. Para isso, Emmett coloca mais chega ao local, Marty encontra Einstein,Marty McFly (Michael J. Fox) é um jovem de 30 relógios de pêndulo em casa para o cão de Emmett e, para seu espanto, umrebelde e desobediente de 17 anos que que estes toquem todos à hora programada. automóvel De Lorean saindo, envolto numavive com os seus pais (George e Lorraine Emmett ouve os toques quando Marty nuvem de fumaça, de um caminhão. NesseMcFly) e irmãos em Hill Valley, uma pequena estava com ele ao telefone para combinarem De Lorean vinha Emmett que diz a Martycidade da California. É estudante, mas só uma nova experiência e, fica histérico de tratar-se da nova experiência que tinhapensa no seu namoro com Jennifer Parker entusiasmo, algo que já era comum.Emmett preparado.(Claudia Wells) (o que não agrada seus pais, diz a Marty para encontrá-lo às 1h30 daprincipalmente sua mãe, por ser bastante madrugada desse dia (26 de Outubroconservadora) e na música que toca numa de 1985) no estacionamento do Centrobanda de garagem.Nesse ano, estava Comercial Dois Pinheiros, local escolhidoacontecendo uma arrecadação para salvar para o novo experimento científico. Era umaa torre do relógio da cidade, que tinha sido máquina do tempo que funcionava atravésatingida 30 anos antes, na noite de 12 de da energia cinética do movimento do carro.Novembro de 1955, por um raio, destruindo O prefeito de Hill Valley queria substituir oos seus mecanismos de funcionamento, relógio, mas a população preferia mantê-loestando apenas a parte externa para apenas para decoração. Marty e Jenniferdecoração. são interceptados, quando namoravam num banco de jardim, por uma mulher pedindo donativos e lhes dá um folhetoa respeito.18 www.ocinefilo.com
  19. 19. De volta para o futuro De volta para o futuro De volta para o futuro I II IIIUm jovem (Michael J. Fox) aciona O cientista Doc Brown (Christopher Lloyd) Após de receber uma carta de Docacidentalmente uma máquina do tempo leva Marty (Michael J. Fox) e sua namorada (Christopher Lloyd) datada de 1885, Martyconstruída por um cientista (Christopher (Elisabeth Shue) para o ano 2015, com a McFly (Michael J. Fox) decide viajar paraLloyd) em um Delorean, retornando aos anos finalidade de resolver uma questão familiar o Velho Oeste, no dia 2 de setembro do50. Lá conhece sua mãe (Lea Thompson), no futuro deles. Mas Biff (Thomas F. Wilson), mesmo ano. Lá ele descobre que o doutorantes ainda do casamento com seu pai, que velho inimigo da família, obriga-os a correrem está fugindo de uma gangue de bandidos efica apaixonada por ele. Tal paixão põe em contra o tempo (literalmente falando) para se apaixonou por uma professora da época.risco sua própria existência, pois alteraria não alterarem os acontecimentos. Além de Agora, Marty tem apenas cinco dias paratodo o futuro, forçando-o a servir de cupido interpretar o personagem Marty McFly, o salvar a si e aos seus amigos e voltar paraentre seus pais. De Volta Para o Futuro ator Michael J. Fox ainda interpretou os dois o futuro. O editor do jornal de Hill Valleyarrecadou nas bilheterias de todo o planeta filhos de Marty, Marty McFly Jr. e Marlene chama-se M.R. Gale, uma homenagemmais de US$ 350 milhões. Originalmente, McFly. Em De Volta Para o Futuro 2, um a Bob Gale, um dos roteiristas da trilogiaera intenção de Robert Zemeckis que a cinema do futuro anuncia o lançamento De Volta Para o Futuro. Este é o 3º de 4máquina do tempo fosse construída em de Tubarão 19, dirigido por Max Spielberg. filmes em que o diretor Robert Zemeckisuma geladeira. A idéia foi abortada porque Steven Spielberg, um dos produtores e o ator Michael J. Fox trabalharam juntos.havia o temor de que crianças resolvessem executivos do filme, realmente tem um filho Os demais foram De Volta para o Futuroescalar geladeiras e até mesmo entrar chamado Max.Quando Marty McFly chega (1985), De Volta para o Futuro 2 (1989) e Osnelas, por causa do filme.Houve várias em 2015, ele olha pela vitrine de uma loja Fantasmas de Scrooge (2009). As filmagensmodificações até que se encontrasse a de antiguidades e lá vê uma jaqueta que de De Volta Para o Futuro 2 e De Volta Paramáquina do tempo perfeita para De Volta ele mesmo usava em 1985, um boneco o Futuro 3 ocorreram simultaneamente, comPara o Futuro. Uma delas era que a máquina do personagem Roger Rabbit e um jogo os dois filmes sendo lançados nos cinemasestivesse instalada em um Delorean, mas da Nintendo baseado no filme Tubarão, com uma diferença de apenas 6 meses.apenas funcionasse se o carro fosse dirigido de 1975. Trata-se de uma homenagem ao Este é o 3º de 4 filmes em que o diretordurante uma simulação de explosão de uma grande sucesso de Steven Spielberg, e Robert Zemeckis e o ator Michael J. Foxbomba atômica.A rua principal da cidade a Uma Cilada para Roger Rabbit(1988), trabalharam juntos. Os demais foram Demostrada em De Volta Para o Futuro é a dirigido pelo próprio Robert Zemeckis. Volta para o Futuro (1985), De Volta para omesma utilizada em Gremlins (1984). Futuro 2 (1989) e Os Fantasmas de Scrooge (2009). o cinéfilo nov 2012 19
  20. 20. www.ocinefilo.com
  21. 21. o cinéfilo nov 2012
  22. 22. HISTÓRIA DO CINEMA22 www.ocinefilo.com
  23. 23. GEORGESMELLIÉSO MÁGICODO CINEMA MIS traz exposição inédita e in-terativa sobre Georges Meliés. Cartazes,figurinos, filmes e desenhos originaisestão na exposição. Visitantes podemcriar filmes de 30 segundos em espaçointerativo.A trajetória do francês Georges Meliés e de suas invenções revolucionárias no cinema podem ser vistas na exposição "Georges Méliès, o Mágico do Cinema" no Museu da Imagem e do Som (MIS),em São Paulo, até 16 de setembro.Além de cartazes,figurinos e desenhos originais, a organização criouum espaço interativo com roupas e cenários paraos visitantes soltarem a criatividade e criaremfilmes de 30 segundos.George Meliés era muitodetalhista e desenhava cada cena antes de gravar.Na exposição, o visitante vai poder acompanharo passo a passo das ideias criativas do artista eassistir a um dos filmes mais famosos do francês:“A Viagem à Lua".Meliés fez mais de 500 filmes, masboa parte do material foi perdida. A exposição traz11 deles – mas é o suficiente para curtir o trabalho dealguém que sempre esteve à frente do seu tempo.Oartista foi muito lembrado recentemente porque foipersonagem do filme "A Invenção de Hugo Cabret".Na história, ele é um inventor de efeitos especiaisnum tempo em que o cinema nem sonhava com tantatecnologia. A ficção representa bem o que foi Meliésna vida real. O cinema colorido foi desenvolvido sóna decada de 30, mas bem antes o artista tambéminovou pintando os negativos a mão. o cinéfilo nov 2012 23
  24. 24. A INVENÇÃO DE HUGO CABRET Cineasta francês (8/12/1861-21/1/1938). Um dos principais responsáveis pelo desenvolvimento da indústriaBrian Selznick nos tranporta cinematográfica, o primeiro a filmar compara o universo nostálgico figurinos, cenários e maquiagem. Nasce em Paris, em uma família de industriais.inspirado pela Belle Époque Na juventude trabalha como desenhistaem livro infantil recomendado e mágico, mas se interessa pelo cinema depois de assistir à primeira apresentaçãopara todas as idades. dos irmãos Lumière, em 1895. Começa como ator, vira produtor, fotógrafo, figurinista e diretor. Cria técnicas de trucagem e efeitosHugo Cabret é um menino órfão que especiais, empregando fusão de imagens,vive escondido na central de trem de exposição múltipla de negativos, maquetesParis dos anos 1930. Esgueirando-se e truques ópticos. Consegue pôr na telapor passagens secretas, Hugo cuida dos fantasmas transparentes, multiplica cabeçasgigantescos relógios do lugar - escuta seus e as lança ao ar como bolinhas, transformacompassos, observa os enormes ponteiros um ator em centenas. Com isso, opõe-se aoe responsabiliza-se pelo funcionamento estilo documentário e produz filmes de ficçãodas máquinas. A sobrevivência de Hugo científica utilizando técnicas que inventa.depende do anonimato - ele tenta se manter Entre suas melhores fitas estão Viagem àinvisível porque guarda um incrível segredo, Lua, baseada na história do escritor francêsque é posto em risco quando o severo Júlio Verne, e As Viagens de Gulliver,dono da loja de brinquedos da estação e adaptada do romance do irlandês Jonathansua afilhada cruzam o caminho do garoto. Swift, ambas de 1902.Nessa época, suaUm desenho enigmático, um caderno empresa Star Films, em Paris, é consideradavalioso, uma chave roubada e um homem o centro mundial do cinema, com mais demecânico estão no centro desta intrincada e 500 filmes produzidos. Depois de 1908, aimprevisível história, que, narrada por texto e empresa passa por dificuldades por causaimagens, mistura elementos dos quadrinhos da concorrência com as produtoras Pathé,e do cinema, oferecendo uma diferente Gaumont e Éclair. Em seis anos, Mélièse emocionante experiência de leitura. O fica arruinado e tem de vender doces paraLivro chama atenção por sua forma de ser sobreviver. Morre em Paris.impresso e no modo de contar sua historiapois o livro da uma visão cinematográfica aoleitor, deixando de lado a parte descritivae dando lugar a parte visual que é poucaexplorada pelos livros convencionais. Aarte é impecável fazendo você imaginara movimentação dos personagens, comoseus sentimentos somente olhando as pelasartes espalhadas pelas paginas negras dolivro, alem é claro ambientação da historiaque se passa na Paris dos anos 30.Ahistoria também é muito inovadora tanto queesta sendo adaptadoa para o cinema.O livroé impecável, pois mesmo com mais 500paginas ele ira agradar do mais jovem leitorate o maior admirador de arte, literatura,cinema e algo mais. Ilustração feita por Meliés para o filme Viagem à Lua.24 www.ocinefilo.com
  25. 25. Deixado por seu pai (Jude Law). Um dia, ele conhece Isabelle (Chloe Moretz), que passa a ajudá-lo. Butterfield, que já havia se destacado em O Menino do Pijama Listrado, faz um trabalho ainda mais impressionante, auxiliado bastante por seus expressivos olhos azuis. Já Moretz, apenas ratifica o talento que tínhamos visto em Kick Ass - Quebrando Tudo e Deixe-me Entrar. O elenco conta ainda com as presenças de Ben Kingsley (sempre ótimo),Sacha Baron Cohen, Christopher Lee, Emily Mortimer e Helen McCrory.Reminiscências à parte, a relação entre Hugo e Isabelle é o ponto alto da produção. A amizade dos dois é construída de forma delicada e sensível, sem precisar em momento algum sugerir um sentimento que fosse além do companheirismo e da solidariedade. Eles se dão as mãos em vários momentos da história e em todos é OBRIGADO, SCORSESE! possível se emocionar com a genuinidade do ato.Três vezes vencedor do Oscar, Howard Shore faz um trabalho memorável. Sua trilha sonora é bela e dá bem o tomN o livro de entrevistas “Conversas Assim como consideram os irmãos Wright nostálgico e contemplativo da obra. Ele com Scorsese”, de Richard Schickel, os precursores do avião, os americanos é auxiliado por um visual deslumbrante. Martin Scorsese revela certo apontam Thomas Edison como o sujeito Design de produção, figurino, maquiagem,incômodo quando é apontado como diretor responsável pela invenção do cinema. direção de arte, efeitos especiais, tudode filmes de gângsteres, afinal realizou A Academia de Artes e Ciências mantém um nível de excelência durante osmuitas obras que não encaixam no gênero, Cinematográficas chegou ao ponto de 126 minutos de duração.Também merececomo Alice Não Mora Mais Aqui, New York, comemorar os 100 anos da sétima arte na destaque a utilização do 3D. ApaixonadoNew York, O Aviador e muitas outras. Mas cerimônia do Oscar de 1991, enquanto que por cinema, o diretor jamais aceitaria operarnem ele é capaz de negar que a infinita o resto do mundo celebrou a data quatro seu filme através de uma conversão paramaioria de suas produções possuem temas anos depois, em 1995. Aqui, o longa diz o formato e, por isso, optou por rodá-loadultos. Incomodada com o fato, a esposa com todas as letras: os irmãos Lumière inteiramente com câmeras 3D. O resultadodo cineasta sugeriu que ele fizesse um longa inventaram o cinema em 1895. É claro que é belíssimo e não irá decepcionar o público.que sua filha de 12 anos pudesse assistir, esta nunca foi uma discussão muito séria, A noção de profundidade e a precisão dostendo em vista que a jovem ainda não pode mas não deixa de ser significativo um dos objetos que voam ao seu encontro sãochegar perto de Taxi Driver, Touro Indomável maiores nomes da cinematografia norte- dignas de aplauso. James Cameron assistiue companhia. Daí nasceu A Invenção de americana defender tal posição. Ainda ao longa e afirmou que este é o melhor 3DHugo Cabret.O longa é absolutamente sobre a “invenção do cinema”, o filme pode já visto nas telonas, superando inclusive oencantador, sendo atrativo para todos os ser visto como uma ótima oportunidade para seu Avatar. E é isso mesmo, o formato gerapúblicos. Uma de suas características mais as pessoas descobrirem um pouco mais uma experiência fenomenal ao espectador.importantes é a multiplicidade de gêneros. sobre a mesma. Mesmo fazendo uma série Recordista em indicações ao Oscar 2012,É difícil enquadrar Hugo em um simples de liberdades poéticas na construção da concorrendo em 11 categorias, o longa foisegmento cinematográfico. O filme é, ao figura de Méliès, a produção traz não apenas escrito por John Logan (Gladiador) a partirmesmo tempo, aventura, fantasia, ação, regravações de suas obras, mas também da obra de Selznick, que é sobrinho neto decomédia, romance, drama, ficção científica imagens originais de clássicos como Viagem David O. Selznick, produtor de ...E o Ventoe, até, documentário. E todos os gêneros à Lua. Também pode ser visto na íntegra A Levou.Como disse acima, Hugo é uma cartafuncionam numa harmonia impressionante, Chegada do Trem na Estação, de Auguste de agradecimento de Scorsese a Georgefruto de uma direção talentosíssima de e Louis Lumière, que foi o primeiro filme Méliès, Auguste Lumière, Louis LumièreScorsese e de uma edição bem trabalhada exibido para uma plateia em 6 de janeiro de e todos aqueles que foram responsáveisde Thelma Schoonmaker, parceira de 1896.Existe muita nostalgia em A Invenção não apenas pela criação do cinema, maslonga data do cineasta. Adaptação de livro de Hugo Cabret, mas é muito mais do que principalmente por torná-lo o que é hoje.homônimo de Brian Selznick, o filme chegou apenas o retrato de um acontecimento. Não se trata do melhor longa do cineastaao Brasil uma semana depois de O Artista. Traz uma trama nova e especial sobre a nova-iorquino, mas não deixa de ser umaPodemos dizer que este último, que é mudo jornada de duas crianças. Hugo Cabret (Asa grande oportunidade para agradecere em preto e branco, é uma carta de amor Butterfield) é um órfão que vive escondido também àquele que há mais de cincoao cinema clássico. Pois bem, Scorsese na estação de trem de Paris. Ele junta décadas vem contribuindo para fomentarfoi ainda mais longe e bolou uma carta de peças variadas para tentar consertar um a paixão de muitos pela sétima arte. Assim,agradecimento.Ele, e qualquer cineasta robô quebrado, deixado por seu pai (Jude resta dizer: obrigado, Scorsese!um pouco mais inteirado sobre a origem Law). Um dia, ele conhece Isabelle (Chloeda sétima arte, sabe que George Méliès Moretz), que passa a ajudá-lo. Existe muitafoi fundamental para o desenvolvimento nostalgia em A Invenção de Hugo Cabret,do cinema como contador de histórias. Por mas é muito mais do que apenas o retrato deisso, resolveu traçar aqui algumas linhas um acontecimento. Traz uma trama nova epara mostrar sua gratidão.Hugo ainda é especial sobre a jornada de duas crianças.responsável pela correção de um equívoco Hugo Cabret (Asa Butterfield) é um órfãohistórico. que vive escondido na estação de trem de Paris. Ele junta peças variadas para tentar consertar um robô quebrado. o cinéfilo nov 2012 25
  26. 26. CINEMA BRASIL Novo filme de Walter Salles chega aos Kristen Stewart é a grande estrela do road-movie “Na Estrada”. N a Estrada é baseado no best-seller de Jack Kerouac e Sinopse: Nova York, final dos anos 40. Sal Paradise (Sam Riley) conta a história do escritor iniciante Sal Paradise (Sam é um homem comum, que vive em Nova Jersey e conhece o Riley) que ganha um novo fôlego na vida ao conhecer jovem libertário Dean Moriarty (Garrett Hedlund), um andarilho Dean Moriarty (Garrett Hedlund), jovem rebelde que já teve alucinante de Denver, e sua namorada Marylou (Kristen Stew- várias passagens pela cadeia. Entre os dois, está a bela Marylou art), de 16 anos. A personalidade magnética do recém-chegado (Kristen Stewart), paixão dos dois rapazes.Em conjunto, eles ini- conquista Sal e juntos partem para conhecer os Estados Unidos ciam uma viagem pelos Estados Unidos, na qual acabam fazendo numa jornada de autoconhecimento. uma jornada cheia de descoberta.26 www.ocinefilo.com
  27. 27. Filmografia Na Estrada de Walter Salles - Nos cinemas em 2012 Direção Transeunte de Eryk Rocha - Nos cinemas em 2011 Produtor No Meu Lugar de Eduardo Valente - Produzido em 2009 produção Crítico de Kleber Mendonça Filho - Nos cinemas em 2008 Ator Leonera de Pablo Trapero - Nos cinemas em 2008 Coprodutor Linha de Passe de Walter Salles, Daniela Thomas - Nos cinemas em 2008 Direção, produção Cada Um Com Seu Cinema de Théo Angelopoulos, Olivier Assayas, B. August, Jane C. ,Youssef Chahine - Produzido em 2007 Direção Nascido e Criado de Pablo Trapero - Produzido em 2006 Coprodutor O Céu de Suely de Karim Aïnouz - Produzido em 2006 produção Cidade Baixa de Sérgio Machado - Nos cinemas em 2005 produção Casa de Areia de Andrucha Waddington - Nos cinemas em 2005 produção Paris, Te Amo de Olivier Assayas, Frédéric Auburtin, Sylvain Chomet, Ethan Coen, Joel Coen - Produzido em 2005 Direção, roteiro Água Negra de Walter Salles - Nos cinemas em 2005 Direção Diários de Motocicleta de Walter Salles - Nos cinemas em 2004 Direção Cidade de Deus de Fernando Meirelles, Katia Lund - Nos cinemas em 2002cinemas de Manaus produção Abril Despedaçado de Walter Salles - Nos cinemas em 2002 Direção, roteiro Madame Satã de Karim Aïnouz - Produzido em 2001 produção Central do Brasil de Walter Salles - Nos cinemas em 1998 Direção, roteiro O Primeiro Dia de Walter Salles, Daniela Thomas - Produzido em 1997 Direção, roteiro o cinéfilo nov 2012 27
  28. 28. SELTON MELLO MIL E UMA FACES ENTREVISTA EXCLUSIVA COM SELTON MELLOE le já interpretou um traficante de drogas Você nunca teve medo de palhaço? Qual o melhor papel de sua carreira? em “Meu nome não é Johnny”, um tenente na minissérie “Guerra de Canudos”, um Pelo contrário. Sei que tem gente que tem Hum. Difícil dizer. Tenho carinho por todos osatormentado na novela “A Indomada”, um maluco pânico de ver palhaço, mas eu sempre adorei. papéis. Um dos que mais marcaram talvez tenhaapaixonado em “A mulher Invisível”… Faltava Passei minha infância em Minas Gerais e em sido o Chicó, em o “Auto da Compadecida”. Atépouco para Selton Mello dizer que já fez tudo São Paulo indo a circos. Escolhi fazer esse filme hoje as pessoas se lembram.na dramaturgia. Agora não falta mais. No filme para homenagear todos os palhaços, que são“O Palhaço”, que estreia nas telonas no dia 28, verdadeiros atores. Cinema, teatro ou TV?um dos maiores talentos do país trabalha comoator, roteirista e diretor. É como se um jogador Palhaço perde a graça? Tem ator que prefere teatro, outros gostam dede futebol batesse o escanteio e fosse à área TV, mas eu me entendi muito com o pessoal dopara cabecear no gol. Ou como se o médico Provavelmente. Tem dias em que ele pode estar cinema, com sua linguagem… E tem outra: emoperasse ele mesmo. Nesta entrevista à @ mais feliz, outros nem tanto. Pelo menos é assim um ano eu posso fazer dois ou três filmes, coisaMultticlique, o mineiro de 38 anos fala da sua mais comigo e com todos que eu conheço impossível com uma novela, que dura quase umnova experiência no cinema, paixão pela arte de ano inteiro. Esse dinamismo me atraiu bastante.interpretar, ídolos de infância… Você costuma acompanhar as críticas dos jornalistas sobre seus filmes? Quem era seu ídolo de infância?O CINÉFILO: Como foi dirigir e interpretarem “O Palhaço”? Eu leio sempre, a menos que saiba que pode vir Putz, eu adorava Os Trapalhões. Didi, Dedé, alguma crítica por perseguição pessoal. Eu me Mussum e Zacarias eram sensacionais. GostavaSELTON MELLO: Reconheço que foi meio importo com a avaliação porque sei que o público tanto que chegava ao cinema para ver um filmeesquizofrênico. Mas nada de diferente ou você se importa. E sinto falta de mais espaço para deles ao meio-dia e só saía às 18 horas, depoisnão se lembra que eu já tive uma namorada que as opiniões. Às vezes, é só uma estrelinha ou de assistir a três sessões seguidas. Minha mãenão existia (no filme A mulher Invisível, em que um bonequinho. Seria importante saber o que o levava sanduíche e a gente fazia a maior farofadaele se apaixona por Luana Piovani, fruto desua crítico gostou e não gostou. dentro do cinema.imaginação). Jogador de futebol reclama muito dasMas você gravava a cena e depois notas dos jornais sobre as atuaçõesgritava “corta”? no jogo. A imprensa especializada em cinema também é chata?Exatamente. Para quem está de fora, fica meioesquisito de ver, mas depois todo mundo acaba Acho que menos do que a crônica esportiva.se acostumando. Em “O Palhaço”, eu atuo ao ladodo Paulo José, um dos ícones da cultura destepaís. Fiquei um pouco intimidado nas primeirascenas, mas passou rapidinho.Por que virar diretor?Acho que era um caminho meio que natural,porque sou ator desde criança. São quase30 anos na profissão, vendo, ouvindo… Háuns 10 anos, passei a me interessar mais em28 www.ocinefilo.com
  29. 29. CINEMA INDEPENDENTE13ª Festa do Cinema FrancêsO Instituto Franco-Português realizou mais uma grande homenagem Cinema Francês.Cerca de 50 filmes de produção recente francesa, A organização, a cargo do Instituto Franco-Português,com particular atenção para os movimentos cívicos sublinhou que, além das comédias e dramas, da ficçãopela democracia, compõem a 13.ª Festa do Cinema e documentário que tornam o cinema francês “bastanteFrancês. O festival arranca em Lisboa, seguindo depois diversificado, mas com identidade forte”, a Festa dopara outras cidades portuguesas: Almada, Faro, Porto, Cinema Francês estará “atenta às inquietações e àCoimbra e Guimarães, estando confirmadas ainda realidade social”. Entre a programação, há espaço paraexibições em Évora, Estarreja, Seixal e Setúbal. o documentário “Fragments d’une revolution”, filmeEm exibição estarão um total de 52 filmes, dos quais colectivo feito durante as eleições de 2009, no Irão, e20 em antestreia nacional (como “Paulette”, de Jérôme “Indignados”, do realizador Tony Gatlif, inspirado emEnrico, ou “De Rouille et d’Os”, de Jacques Audiard). “Indignai-vos”, de Stéphane Hessel, com imagens deAinda em destaque, uma homenagem ao realizador protestos em Espanha, França e Grécia. A eles juntar-Olivier Assayas, uma retrospectiva de Jacques Audiard e se-á ainda o documentário “Portugal, os caminhos daa presença da actriz e cantora Maria de Medeiros como incerteza”, feito por François Manceaux, em parceria commadrinha do evento a SIC Notícias ao longo de um ano, entre 5 de Outubro de 2010 e 5 de Outubro de 2011. o cinéfilo nov 2012 29

×