Mídia, consumo e música: um estudo de recepção da Banda Restart

530 visualizações

Publicada em

Trabalho Final de Graduação apresentado ao Curso de Publicidade e Propaganda do Centro Universitário Franciscano, como requisito parcial para obtenção do grau de Bacharel em Publicidade e Propaganda. Santa Maria, RS. Julho/2012.

Publicada em: Negócios
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
530
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
8
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Mídia, consumo e música: um estudo de recepção da Banda Restart

  1. 1. 1 CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES: DAS MOTIVAÇÕES E DIRETRIZESProblema:de que modos são percebidos comportamentose padrões de consumo, adquiridos a partir dareferenciabilidade da Banda Restart,em adolescentes na faixa etária de 12 a 14 anos?Estudos Culturais Formação de Grupos IdentidadeCultura Digital Geração ZHappy Rock Banda Restart
  2. 2. 1 CONSIDERAÇÕES PRELIMINARES: DAS MOTIVAÇÕES E DIRETRIZESObjetivos:a) Mapear o comportamento de compra demeninas de 12 a 14 anos, fãs da Banda Restart;b) Observar como essas adolescentes interagem nas mídias e redes sociais;c) Identificar como essas adolescentes interagemem seus grupos de referência, relacionandoseus comportamentos com suas práticas de consumo;d) Analisar como a referência da Banda Restart interferenas práticas de consumo identificadas.
  3. 3. 2 QUADRO TEÓRICO: DOS CONCEITOS ÀS RELAÇÕESEstudos CulturaisCultura como um processo global deprodução de sentidoCultura popular como um discursosocial relevanteMediações, usos e apropriações
  4. 4. 2 QUADRO TEÓRICO: DOS CONCEITOS ÀS RELAÇÕESFormação de Grupos Identidade e diferençaTribalismoVínculo social
  5. 5. 2 QUADRO TEÓRICO: DOS CONCEITOS ÀS RELAÇÕESCultura DigitalGeração Z Cultura das mídiasGeração Z: nascidos a partir de 1991No Brasil, 11,6 milhões de pessoas
  6. 6. 3 METODOLOGIA: DO PERCURSO À MATRIZEstudos de RecepçãoReceptores: participantes ativos doprocesso de comunicaçãoNatureza e Tipo daPesquisaPesquisa qualitativaEstudo de caso
  7. 7. 3 METODOLOGIA: DO PERCURSO À MATRIZPercursoMetodológicoQuestionárioGrupo focalMatriz metodológica
  8. 8. 3 METODOLOGIA: DO PERCURSO À MATRIZObjeto:Banda RestartAmostra:08 fãs
  9. 9. 3 METODOLOGIA: DO PERCURSO À MATRIZContexto e aplicaçãodo grupo focalVídeo: Históriada RestartExecução
  10. 10. 4 DISCUSSÕES E RESULTADOS: DA MÚSICA AO CONSUMODos QuestionáriosRádio, internet e revista  cultura dasmídiasMudanças  estilo de vestir, relaçõesde amizade, formas de pensarPais  aprovam a relação com a banda(tribalismo e identidade provisória)Outras bandas: Fiuk, Cine, Fresno, NXZero  hibridação culturalConsumo: vestuário, material escolar,pôsteres  racionalidade econômicaNíveis de sentimento: amor, afeto,carinho x repúdio, ódio x respeito
  11. 11. 4 DISCUSSÕES E RESULTADOS: DA MÚSICA AO CONSUMODo Grupo FocalSemelhançasUsos de dispositivos midiáticosTelevisão, internetGrupo de referênciasColegasNão buscam as redes sociaisVoz e roupa da banda chamam aatenção (loja virtual)
  12. 12. 4 DISCUSSÕES E RESULTADOS: DA MÚSICA AO CONSUMODo Grupo FocalSemelhançasNão percebem mudanças no álbumGeração Z (apropriação)Hábito de compartilhamentoInternet não é para desconhecidosPrioridade para o respeito
  13. 13. 4 DISCUSSÕES E RESULTADOS: DA MÚSICA AO CONSUMODo Grupo FocalDiferençasUsos da banda/produtos: peças deroupas, acessórios, material escolarIndividualidade  consumismoStatus de fãEmoção x Razão
  14. 14. 4 DISCUSSÕES E RESULTADOS: DA MÚSICA AO CONSUMODo Grupo FocalContradiçõesUso das redes sociais (desconexão)Descompasso entre as formas decontato com a banda (internet)Incoerência relacionada ao estilo dabanda: novo álbum
  15. 15. 4 DISCUSSÕES E RESULTADOS: DA MÚSICA AO CONSUMOCruzamento dosDadosUso de dispositivos midiáticos convergência das mídiasInterferência da banda no cotidiano consumo de produtosConsumo  apropriação de produtos produção de sentidos  valor simbólicoIdentidade  diferença e multiplicidadePonto de tensão: questionários x grupofocal  sentimento de respeitoSemelhanças (8) > Contradições (3) >Diferenças (2)
  16. 16. 5 NOTAS CONCLUSIVASRecepção: empíricapor naturezaSujeito com potencial de interpretaçãoConsumidores  papel ativo noprocesso de comunicaçãoTécnicas combinadas =complementaçãoBens de consumo = circuitoscomunicacionaisAutenticidade das identidades xrepresentatividade culturalImportância dos grupos de referência
  17. 17. 5 NOTAS CONCLUSIVASNão há como apontaruma conclusão finalDe que forma as mídias digitais e asredes sociais são utilizadas pela esferada recepção para a troca deinformações e compartilhamento deconteúdos relacionados às bandas deHappy Rock?
  18. 18. REFERÊNCIASCANCLINI, Néstor García. Consumidores e cidadãos: conflitosmulticulturais da globalização. 4.ed. Rio de Janeiro: UFRJ, 1999.HALL, Stuart. Quem precisa de identidade? In: SILVA, Tomaz Tadeuda (org.). Identidade ediferença: a perspectiva dos estudos culturais. Petrópolis-RJ:Vozes, 2000. Cap. 3, p. 103-133.JACKS, Nilda; ESCOSTEGUY, Ana Carolina D. Comunicação erecepção. São Paulo: HackerEditores, 2005.MAFFESOLI, Michel. No fundo das aparências. 2. ed. Petrópolis, RJ:Vozes, 1999.________. O tempo das tribos: o declínio do individualismo nassociedades de massa. 2. ed. Rio deJaneiro: Forense Universitária, 1998.MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação,cultura e hegemonia. Traduçãode Ronald Polito e Sérgio Alcides. 2. ed. Rio de Janeiro: EditoraUFRJ, 2001.SANTAELLA, Lucia. Culturas e artes do pós-humano: da culturadas mídias à cibercultura. SãoPaulo: Paulus, 2003.

×