SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 42
Baixar para ler offline
Vivendo em Santidade e Integridade
Alegria, Crescimento e
Firmeza nas Cartas de
Pedro.
A RAZÃO DA NOSSA
ESPERANÇA
3º Trimestre
Ano 2019
Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e
Firmados na Verdade
Lição 2 - Desfrutando a Alegria na Esperança da Salvação
Lição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade
Lição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com
os Superiores
Lição 5 - Conselhos Valiosos para a Vida Cristã em Família
Lição 6 - A Razão da Nossa Esperança
Lição 7 - Alegria em Meio à Dor
Lição 8 - O Papel do Líder e a Convivência Cristã
Lição 9 - O Conhecimento de Deus que Conduz ao
Crescimento Espiritual
Lição 10 - Permaneçam Firmes na Palavra da Verdade
Lição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas Heresias
Lição 12 - A Impiedade Decorrente dos Falsos Ensinos
Lição 13 - A Vinda do Senhor: a Nossa Suprema Esperança
COMPREENDER os conselhos de
Pedro para uma vida de santidade;
REFLETIR a respeito do
mandamento divino para sermos
santos em toda nossa maneira de
viver;
SABER acerca do fundamento e
da natureza da Igreja.
1 Pedro 1.13-16;22-25
13 - Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede
sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na
revelação de Jesus Cristo,
14 - como filhos obedientes, não vos conformando com as
concupiscências que antes havia em vossa ignorância;
15 - mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também
santos em toda a vossa maneira de viver,
16 - porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo.
22 - Purificando a vossa alma na obediência à verdade, para
caridade fraternal, não fingida, amai-vos ardentemente uns aos
outros, com um coração puro;
23 - sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da
incorruptível, pela palavra de Deus, viva e que permanece para
sempre.
24 - Porque toda carne é como erva, e toda a glória do homem, como
a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor;
25 - mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a
palavra que entre vós foi evangelizada.
1 Pedro 2.9,10
9 - Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação
santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes
daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa
luz;
10 - vós que, em outro tempo, não éreis povo, mas, agora,
sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia,
mas, agora, alcançastes misericórdia.
"Mas, como é santo aquele que
vos chamou, sede vós também
santos em toda a vossa
maneira de viver, porquanto
escrito está: Sede santos, porque
eu sou santo."
(1 Pedro 1.15,16)
A santidade de Deus, o
atributo da sua perfeição
moral, é a razão que nos
inspira ao vivermos de
maneira santa e íntegra
neste mundo.
Para muitos estudiosos, a Primeira Carta de Pedro,
além de "Epístola da Esperança", também poderia
ser chamada de "Epístola da Vida Santa",
pois enfatiza a importância da santidade após o
novo nascimento.
Santidade não
significa isolamento
social ou
afastamento de
outras pessoas.
Os salvos testificam que são santos vivendo de
acordo com a vontade de Deus, e interagindo em
uma sociedade contaminada pelo pecado.
Segundo a Bíblia
Vamos Recordar ?
Ao estado daqueles
que foram salvos por
Cristo.
1 Coríntios 6.11
Colossenses 2.10
Hebreus 10.10
Ao processo de
contínuo
aperfeiçoamento
dos crentes.
2 Coríntios 7.1
A Santificação refere-se :
❶ ❷
I – Conselhos para uma
Vida de Santidade
“Portanto,
cingindo os lombos
do vosso entendimento,
sede sóbrios e
esperai inteiramente na graça
que se vos ofereceu na
revelação de Jesus Cristo,”
1 Pedro 1.13
❶ Prepare a
Mente
❷ Seja
Sóbrio
❸ Espere
na Graça
1 – Prepare a mente.
I – Conselhos para uma
Vida de Santidade
A santificação abrange primeiramente
a mente, o centro das decisões e das
faculdades da pessoa.
Não podemos
impedir que
determinados
pensamentos
entrem em
nossa mente.
Tudo que
podemos fazer é
administrá-lo.
1 – Prepare a mente.
I – Conselhos para uma
Vida de Santidade
Se é um pensamento negativo, pecador e
destrutivo, podemos :
prendê-lo,
rejeitá-lo e
lançá-lo fora da
mente.
1 – Prepare a mente.
I – Conselhos para uma
Vida de Santidade
detê-lo,
Meditar sobre ele
e aplicá-lo
à vida.
Se é um pensamento positivo, santo
e produtivo, podemos
2 – Seja sóbrio.
I – Conselhos para uma
Vida de Santidade
Viver sóbrio
também é viver
com moderação,
em constante
equilíbrio.
(Ef 5.8; Rm 12.3)
Pedro também assevera que o cristão deve ser
sóbrio, ou seja, ter domínio próprio, autocontrole,
pois a vida cristã é incompatível com os excessos.
3 – Espere na graça.
I – Conselhos para uma
Vida de Santidade
A santificação envolve ainda esperar
inteiramente na graça... os destinatários são
encorajados a olharem para frente e aguardarem.
Isso não é passividade, é
paciência: o ato de confiar
na providência divina.
3 – Espere na graça.
I – Conselhos para uma
Vida de Santidade
Portanto, a espera
confiante em Deus...
contribui para que o
crente tenha uma
vida emocionalmente
saudável.
O adoecimento emocional e psíquico que acomete
boa parte da população de hoje é em grande parte
consequência da ansiedade descontrolada.
II – A Ordem da Santidade
“como
filhos obedientes,
não vos conformando
com as concupiscências que
antes havia em vossa
ignorância”
1 Pedro 1.14
somos exortados a
ter um padrão de
conduta exemplar.
Quando a
santidade de Deus
molda o nosso
caráter, não nos
conformamos com
o pecado.
1 – Filhos obedientes e inconformados..
1 – Filhos obedientes e inconformados..
II – A Ordem da Santidade
“E não sede conformados
com este mundo, mas sede
transformados pela
renovação do vosso
entendimento, para que
experimenteis qual seja a
boa, agradável, e perfeita
vontade de Deus.” (Rm 12:2)
A prova dessa obediência sincera é a inconformidade
com o mundo e com as concupiscências – os desejos
e as paixões carnais da antiga vida.
2 – O imperativo da santidade.
II – A Ordem da Santidade
O apóstolo Pedro
reitera uma ordem
divina: Sede santos,
porque eu sou
santo!
(Lv 11.44; 19.2).
A santidade não é uma opção na vida cristã.
É um imperativo para nos tornarmos cada vez mais
parecidos com aquele que nos chamou (Sl 99.9; Ap 4.8).
“mas, como é santo
aquele que vos
chamou, sede vós
também santos em
toda a vossa maneira
de viver,” (1 Pe 1.15)
❶ A santificação decorre da ação libertadora e
transformadora de Deus em nós. Precisamos deixar
Deus trabalhar em nós, corrigindo, guiando e
purificando as nossas vidas (Jo 17.17; 1 Ts 5.23).
❷ A santificação não decorre do mérito do homem,
mas da graça de Deus. Mas este processo requer a
disposição e a cooperação do indivíduo (1 Jo 3.3).
❸ O Espírito Santo é o agente da santificação
(Rm 1.4)
❹ A Palavra de Deus, o instrumento (Jo 17.17).
Observações sobre a Santificação
3 – Santidade que gera integridade.
II – A Ordem da Santidade
A santidade tem a ver com integridade; santificação
produz uma conduta autêntica, honesta e virtuosa,
que afasta o salvo das práticas reprováveis.
Santidade Integridade
andam juntas.
❶ Malícia
❷ Engano
❸ Fingimentos
❹ Invejas
❺ Murmurações
cincos vícios morais que os cristãos
devem deixar:
“Deixando, pois,
toda a malícia, e
todo o engano, e
fingimentos, e
invejas, e todas as
murmurações,”
1 Pedro 2:1
4 – A razão da nossa santidade.
II – A Ordem da Santidade
Pedro faz recordar da razão para uma conduta
digna por parte do crente.
Não fomos
resgatados por
ouro e prata, e
sim pelo precioso
sangue de Jesus
(1 Pedro 1.18,19).
1 – Cristo, a pedra de esquina.
III – A Natureza da Igreja
“Eis que ponho em Sião a
pedra principal da esquina,
eleita e preciosa; e quem
nela crer não será confundido.”
(1 Pedro 2:6)
A metáfora da
pedra de esquina é
uma referência
direta a Cristo.
1 – Cristo, a pedra de esquina.
III – A Natureza da Igreja
A Igreja está
edificada em Jesus.
Ele é a pedra
principal, o
firmamento
espiritual da sua
Igreja.
A pedra de esquina ou pedra angular era a mais
importante de uma construção, aquela que ficava
na base e dava a direção do edifício.
2 – Igreja, o povo eleito de Deus.
III – A Natureza da Igreja
“Mas vós sois a geração eleita,
o sacerdócio real, a nação
santa, o povo adquirido”
(1 Pedro 1.9).
Pedro quer
demonstrar que os
crentes encontram-se
numa posição
privilegiada
2 – Igreja, o povo eleito de Deus.
III – A Natureza da Igreja
Deus faz surgir um novo
povo (a Igreja) , formado
por todos aqueles que
creram em Cristo e em
sua obra salvadora,
sejam judeus, sejam
gentios (Ef 2.14).
A nação de Israel foi eleita para ser um canal de
bênção para as demais nações (Gn 12.3). Mas,
devido à sua desobediência e fracasso,
3 – Sacerdócio real.
III – A Natureza da Igreja
“Mas vós sois a
geração eleita,
o sacerdócio real,
a nação santa, o povo
adquirido”
(1 Pedro 1.9).
Aqui Pedro destaca
que, enquanto o
ofício de sacerdote
era privilégio dos
membros da tribo de
Levi, na Nova Aliança
a Igreja ocupa a
posição de sacerdócio
real.
3 – Sacerdócio real.
III – A Natureza da Igreja
A Reforma
Protestante revigorou
a doutrina do
sacerdócio de todos
os crentes, no sentido
de que cada cristão
tem livre acesso à
presença do Pai,
Como vimos nesta lição, para os salvos a santidade
nunca sai de moda.
Mesmo em tempos de relativismo moral e inversão
de valores, nós cristãos temos a responsabilidade
de sermos santos em toda a nossa maneira de viver.
Isso porque, a santificação verdadeira leva a uma
vida íntegra, a ser testemunhada em todas as
esferas da sociedade.
Qual o sentido da expressão "cingindo os
lombos do vosso entendimento“ ?
A expressão tem um sentido metafórico;
remete à prática da época de amarrar a vestimenta
acima da cintura para ficar pronto para a ação.
Em nossos dias, possui a mesma acepção de
"arregaçar as mangas".
Qual a principal razão pela qual os
crentes devem ser santos?
Porque Deus é santo (1 Pe 1.15, 16).
O que era uma pedra de esquina?
Pedra de esquina ou pedra angular era a mais
importante de uma construção, aquela que ficava
na base e dava a direção do edifício
Quais são os cinco vícios morais que Pedro
aponta em sua Primeira Carta?
Malícia, engano, fingimentos, invejas e
murmurações (1 Pe 2.1).
Conforme a lição, qual doutrina foi
revigorada na Reforma Protestante?
A doutrina do sacerdócio de todos os crentes, no
sentido de que cada cristão tem livre acesso à
presença do Pai, tendo como único mediador o
Senhor Jesus Cristo (1Tm 2.5)
Lição 4 - O Relacionamento do Cristão com o
Estado e com os Superiores
Deus Abençoe !

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

A Vinda de Jesus em Glória
A Vinda de Jesus em GlóriaA Vinda de Jesus em Glória
A Vinda de Jesus em GlóriaMárcio Martins
 
3)Escatologia principio do fim - principio das dores
3)Escatologia principio do fim - principio das dores3)Escatologia principio do fim - principio das dores
3)Escatologia principio do fim - principio das doresJean Jorge Silva
 
O tribunal de cristo e os galardões
O tribunal de cristo e os galardõesO tribunal de cristo e os galardões
O tribunal de cristo e os galardõesMárcio Martins
 
O Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da IgrejaO Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da IgrejaMárcio Martins
 
As Bestas do Apocalipse
As Bestas do ApocalipseAs Bestas do Apocalipse
As Bestas do Apocalipseorkubbe
 
55 Estudo Panorâmico da Bíblia (O Livro de Neemias)
55   Estudo Panorâmico da Bíblia (O Livro de Neemias)55   Estudo Panorâmico da Bíblia (O Livro de Neemias)
55 Estudo Panorâmico da Bíblia (O Livro de Neemias)Robson Tavares Fernandes
 
Lição 3 - Moisés, um Líder Excelente
Lição 3 - Moisés, um Líder ExcelenteLição 3 - Moisés, um Líder Excelente
Lição 3 - Moisés, um Líder ExcelenteÉder Tomé
 
O Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aula
O Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aulaO Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aula
O Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aulaLuis Carlos Oliveira
 
Razões porque ser cheio do Espírito Santo
Razões porque ser cheio do Espírito SantoRazões porque ser cheio do Espírito Santo
Razões porque ser cheio do Espírito SantoSidinei Kauer
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadeIBMemorialJC
 
OS DECRETOS DE DEUS
OS DECRETOS DE DEUSOS DECRETOS DE DEUS
OS DECRETOS DE DEUSEli Vieira
 

Mais procurados (20)

A Vinda de Jesus em Glória
A Vinda de Jesus em GlóriaA Vinda de Jesus em Glória
A Vinda de Jesus em Glória
 
3)Escatologia principio do fim - principio das dores
3)Escatologia principio do fim - principio das dores3)Escatologia principio do fim - principio das dores
3)Escatologia principio do fim - principio das dores
 
O tribunal de cristo e os galardões
O tribunal de cristo e os galardõesO tribunal de cristo e os galardões
O tribunal de cristo e os galardões
 
O Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da IgrejaO Arrebatamento da Igreja
O Arrebatamento da Igreja
 
O arrebatamento da igreja lição 5
O arrebatamento da igreja   lição 5O arrebatamento da igreja   lição 5
O arrebatamento da igreja lição 5
 
Agrande tribulação 4
Agrande tribulação 4Agrande tribulação 4
Agrande tribulação 4
 
O tribunal de cristo e os galardões lição 6 completa
O tribunal de cristo e os galardões   lição 6  completaO tribunal de cristo e os galardões   lição 6  completa
O tribunal de cristo e os galardões lição 6 completa
 
70 SEMANAS DE DANIEL
70 SEMANAS DE DANIEL70 SEMANAS DE DANIEL
70 SEMANAS DE DANIEL
 
A Grande Tribulação
A Grande TribulaçãoA Grande Tribulação
A Grande Tribulação
 
As Bestas do Apocalipse
As Bestas do ApocalipseAs Bestas do Apocalipse
As Bestas do Apocalipse
 
Lição 11 - O Juízo Final
Lição 11 - O Juízo FinalLição 11 - O Juízo Final
Lição 11 - O Juízo Final
 
55 Estudo Panorâmico da Bíblia (O Livro de Neemias)
55   Estudo Panorâmico da Bíblia (O Livro de Neemias)55   Estudo Panorâmico da Bíblia (O Livro de Neemias)
55 Estudo Panorâmico da Bíblia (O Livro de Neemias)
 
Tribulação fim
Tribulação fimTribulação fim
Tribulação fim
 
Lição 3 - Moisés, um Líder Excelente
Lição 3 - Moisés, um Líder ExcelenteLição 3 - Moisés, um Líder Excelente
Lição 3 - Moisés, um Líder Excelente
 
O Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aula
O Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aulaO Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aula
O Padrão da Lei Moral | Os dez mandamentos | lição 2 | plano de aula
 
Razões porque ser cheio do Espírito Santo
Razões porque ser cheio do Espírito SantoRazões porque ser cheio do Espírito Santo
Razões porque ser cheio do Espírito Santo
 
Princípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de SantidadePrincípios para uma Vida de Santidade
Princípios para uma Vida de Santidade
 
8. O Livro de Números
8. O Livro de Números8. O Livro de Números
8. O Livro de Números
 
OS DECRETOS DE DEUS
OS DECRETOS DE DEUSOS DECRETOS DE DEUS
OS DECRETOS DE DEUS
 
7. arrebatamento
7. arrebatamento7. arrebatamento
7. arrebatamento
 

Semelhante a Vivendo em santidade e integridade: os conselhos de Pedro

E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09Joel Silva
 
Missões Setor 13. Paróquia Coração de Jesus - diocese de SJCampos - SP
Missões Setor 13. Paróquia Coração de Jesus - diocese de SJCampos - SPMissões Setor 13. Paróquia Coração de Jesus - diocese de SJCampos - SP
Missões Setor 13. Paróquia Coração de Jesus - diocese de SJCampos - SPBernadetecebs .
 
Participantes da natureza divina
Participantes da natureza divina Participantes da natureza divina
Participantes da natureza divina Sergio Schmidt
 
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo Robson Rocha
 
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGRGerson G. Ramos
 
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusConquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusQuenia Damata
 
Cultura x fe (encontro 3 de 8)
Cultura x fe (encontro 3 de 8)Cultura x fe (encontro 3 de 8)
Cultura x fe (encontro 3 de 8)Pedro Siena
 
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?Jonas Martins Olímpio
 
Dez ideais de Deus para os seus filhos
Dez ideais de Deus para os seus filhosDez ideais de Deus para os seus filhos
Dez ideais de Deus para os seus filhosJUERP
 
Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa
Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa
Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa Erberson Pinheiro
 
Dízimo no Ano da Fé
Dízimo no Ano da Fé Dízimo no Ano da Fé
Dízimo no Ano da Fé Conage
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santa
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santaLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santa
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santaNatalino das Neves Neves
 
Porta Fidei [síntese]
Porta Fidei [síntese]Porta Fidei [síntese]
Porta Fidei [síntese]Blog VALDERI
 
Declaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBBDeclaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBBmdscs81
 

Semelhante a Vivendo em santidade e integridade: os conselhos de Pedro (20)

E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09E.b.d   adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
E.b.d adultos 3ºtrimestre 2017 lição 09
 
LICAO 7 - SANTIDADE.pdf
LICAO 7 - SANTIDADE.pdfLICAO 7 - SANTIDADE.pdf
LICAO 7 - SANTIDADE.pdf
 
Epistola de efeso
Epistola de efesoEpistola de efeso
Epistola de efeso
 
Santificação.pptx
Santificação.pptxSantificação.pptx
Santificação.pptx
 
A fé
A féA fé
A fé
 
1-celulas-apostolicas-aula-1.pdf
1-celulas-apostolicas-aula-1.pdf1-celulas-apostolicas-aula-1.pdf
1-celulas-apostolicas-aula-1.pdf
 
Missões Setor 13. Paróquia Coração de Jesus - diocese de SJCampos - SP
Missões Setor 13. Paróquia Coração de Jesus - diocese de SJCampos - SPMissões Setor 13. Paróquia Coração de Jesus - diocese de SJCampos - SP
Missões Setor 13. Paróquia Coração de Jesus - diocese de SJCampos - SP
 
Participantes da natureza divina
Participantes da natureza divina Participantes da natureza divina
Participantes da natureza divina
 
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo Apostila   os  Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
Apostila os Ministérios e Dons da Igreja de Jesus Cristo
 
Boletim cbg n°_42_19_out_2014
Boletim cbg n°_42_19_out_2014Boletim cbg n°_42_19_out_2014
Boletim cbg n°_42_19_out_2014
 
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
❉ Respostas_1112016_O que Pedro disse sobre o grande conflito_GGR
 
Conquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de DeusConquistando vidas para o Reino de Deus
Conquistando vidas para o Reino de Deus
 
Cultura x fe (encontro 3 de 8)
Cultura x fe (encontro 3 de 8)Cultura x fe (encontro 3 de 8)
Cultura x fe (encontro 3 de 8)
 
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
Sou Crente... E Agora, o Que Eu Faço?
 
Dez ideais de Deus para os seus filhos
Dez ideais de Deus para os seus filhosDez ideais de Deus para os seus filhos
Dez ideais de Deus para os seus filhos
 
Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa
Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa
Lição 9 - A necessidade de termos uma vida santa
 
Dízimo no Ano da Fé
Dízimo no Ano da Fé Dízimo no Ano da Fé
Dízimo no Ano da Fé
 
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santa
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santaLBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santa
LBA 2017 3 TRI LIÇÃO 9 - A necessidade de termos uma vida santa
 
Porta Fidei [síntese]
Porta Fidei [síntese]Porta Fidei [síntese]
Porta Fidei [síntese]
 
Declaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBBDeclaração doutrinária da CBB
Declaração doutrinária da CBB
 

Mais de Éder Tomé

Lição 4 - Dons de Poder (Windscreen)
Lição 4 - Dons de Poder (Windscreen)Lição 4 - Dons de Poder (Windscreen)
Lição 4 - Dons de Poder (Windscreen)Éder Tomé
 
Lição 4 - Dons de Poder
Lição 4 - Dons de Poder Lição 4 - Dons de Poder
Lição 4 - Dons de Poder Éder Tomé
 
Lição 3 - O Deus Criador (Windscreen)
Lição 3 - O Deus Criador (Windscreen)Lição 3 - O Deus Criador (Windscreen)
Lição 3 - O Deus Criador (Windscreen)Éder Tomé
 
Lição 3 - O Deus Criador
Lição 3 - O Deus CriadorLição 3 - O Deus Criador
Lição 3 - O Deus CriadorÉder Tomé
 
Lição 3 - Dons de Revelação (windscreen)
Lição 3 - Dons de Revelação (windscreen)Lição 3 - Dons de Revelação (windscreen)
Lição 3 - Dons de Revelação (windscreen)Éder Tomé
 
Lição 3 - Dons de Revelação
Lição 3 - Dons de RevelaçãoLição 3 - Dons de Revelação
Lição 3 - Dons de RevelaçãoÉder Tomé
 
Lição 2 - Conhecendo os Atributos de Deus (Windscreen)
Lição 2 - Conhecendo os Atributos de Deus (Windscreen)Lição 2 - Conhecendo os Atributos de Deus (Windscreen)
Lição 2 - Conhecendo os Atributos de Deus (Windscreen)Éder Tomé
 
Lição 2 - Conhecendo os Atributos de Deus
Lição 2 - Conhecendo os Atributos de DeusLição 2 - Conhecendo os Atributos de Deus
Lição 2 - Conhecendo os Atributos de DeusÉder Tomé
 
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais (Windscreen)
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais (Windscreen)Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais (Windscreen)
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais (Windscreen)Éder Tomé
 
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais
Lição 2 - O Propósito dos Dons EspirituaisLição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais
Lição 2 - O Propósito dos Dons EspirituaisÉder Tomé
 
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)Éder Tomé
 
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade
Lição 1 - Deus se revelou à humanidadeLição 1 - Deus se revelou à humanidade
Lição 1 - Deus se revelou à humanidadeÉder Tomé
 
Lição 1 - E deu Dons aos Homens (windscreen)
Lição 1 - E deu Dons aos Homens (windscreen)Lição 1 - E deu Dons aos Homens (windscreen)
Lição 1 - E deu Dons aos Homens (windscreen)Éder Tomé
 
Lição 1 - E deu Dons aos Homens
Lição 1 - E deu Dons aos HomensLição 1 - E deu Dons aos Homens
Lição 1 - E deu Dons aos HomensÉder Tomé
 
Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita Esperança (windscreen)
Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita Esperança (windscreen)Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita Esperança (windscreen)
Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita Esperança (windscreen)Éder Tomé
 
Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita Esperança
Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita EsperançaLição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita Esperança
Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita EsperançaÉder Tomé
 
Lição 13 - Uma serva de coragem (windscreen)
Lição 13 - Uma serva de coragem (windscreen)Lição 13 - Uma serva de coragem (windscreen)
Lição 13 - Uma serva de coragem (windscreen)Éder Tomé
 
Lição 13 - Uma serva de coragem
Lição 13 - Uma serva de coragemLição 13 - Uma serva de coragem
Lição 13 - Uma serva de coragemÉder Tomé
 
Lição 12 - Testemunhando a grandeza de Deus (windscreen)
Lição 12 - Testemunhando a grandeza de Deus (windscreen)Lição 12 - Testemunhando a grandeza de Deus (windscreen)
Lição 12 - Testemunhando a grandeza de Deus (windscreen)Éder Tomé
 
Lição 12 - Testemunhando a grandeza de Deus
Lição 12 - Testemunhando a grandeza de DeusLição 12 - Testemunhando a grandeza de Deus
Lição 12 - Testemunhando a grandeza de DeusÉder Tomé
 

Mais de Éder Tomé (20)

Lição 4 - Dons de Poder (Windscreen)
Lição 4 - Dons de Poder (Windscreen)Lição 4 - Dons de Poder (Windscreen)
Lição 4 - Dons de Poder (Windscreen)
 
Lição 4 - Dons de Poder
Lição 4 - Dons de Poder Lição 4 - Dons de Poder
Lição 4 - Dons de Poder
 
Lição 3 - O Deus Criador (Windscreen)
Lição 3 - O Deus Criador (Windscreen)Lição 3 - O Deus Criador (Windscreen)
Lição 3 - O Deus Criador (Windscreen)
 
Lição 3 - O Deus Criador
Lição 3 - O Deus CriadorLição 3 - O Deus Criador
Lição 3 - O Deus Criador
 
Lição 3 - Dons de Revelação (windscreen)
Lição 3 - Dons de Revelação (windscreen)Lição 3 - Dons de Revelação (windscreen)
Lição 3 - Dons de Revelação (windscreen)
 
Lição 3 - Dons de Revelação
Lição 3 - Dons de RevelaçãoLição 3 - Dons de Revelação
Lição 3 - Dons de Revelação
 
Lição 2 - Conhecendo os Atributos de Deus (Windscreen)
Lição 2 - Conhecendo os Atributos de Deus (Windscreen)Lição 2 - Conhecendo os Atributos de Deus (Windscreen)
Lição 2 - Conhecendo os Atributos de Deus (Windscreen)
 
Lição 2 - Conhecendo os Atributos de Deus
Lição 2 - Conhecendo os Atributos de DeusLição 2 - Conhecendo os Atributos de Deus
Lição 2 - Conhecendo os Atributos de Deus
 
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais (Windscreen)
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais (Windscreen)Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais (Windscreen)
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais (Windscreen)
 
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais
Lição 2 - O Propósito dos Dons EspirituaisLição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais
Lição 2 - O Propósito dos Dons Espirituais
 
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade (windscreen)
 
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade
Lição 1 - Deus se revelou à humanidadeLição 1 - Deus se revelou à humanidade
Lição 1 - Deus se revelou à humanidade
 
Lição 1 - E deu Dons aos Homens (windscreen)
Lição 1 - E deu Dons aos Homens (windscreen)Lição 1 - E deu Dons aos Homens (windscreen)
Lição 1 - E deu Dons aos Homens (windscreen)
 
Lição 1 - E deu Dons aos Homens
Lição 1 - E deu Dons aos HomensLição 1 - E deu Dons aos Homens
Lição 1 - E deu Dons aos Homens
 
Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita Esperança (windscreen)
Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita Esperança (windscreen)Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita Esperança (windscreen)
Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita Esperança (windscreen)
 
Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita Esperança
Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita EsperançaLição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita Esperança
Lição 13 - Voltados os Olhos para a Bendita Esperança
 
Lição 13 - Uma serva de coragem (windscreen)
Lição 13 - Uma serva de coragem (windscreen)Lição 13 - Uma serva de coragem (windscreen)
Lição 13 - Uma serva de coragem (windscreen)
 
Lição 13 - Uma serva de coragem
Lição 13 - Uma serva de coragemLição 13 - Uma serva de coragem
Lição 13 - Uma serva de coragem
 
Lição 12 - Testemunhando a grandeza de Deus (windscreen)
Lição 12 - Testemunhando a grandeza de Deus (windscreen)Lição 12 - Testemunhando a grandeza de Deus (windscreen)
Lição 12 - Testemunhando a grandeza de Deus (windscreen)
 
Lição 12 - Testemunhando a grandeza de Deus
Lição 12 - Testemunhando a grandeza de DeusLição 12 - Testemunhando a grandeza de Deus
Lição 12 - Testemunhando a grandeza de Deus
 

Último

Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxCelso Napoleon
 
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfRoteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfLehonanSouza
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaFranklinOliveira30
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalAmaroJunior21
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024RaniereSilva14
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptxPIB Penha
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxCelso Napoleon
 

Último (8)

Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptxLição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
Lição 2 - A Escolha entre a Porta Estreita e a Porta Larga.pptx
 
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdfRoteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
Roteiro-para-Preparação-das-Visitas-Missionárias-3.pdf
 
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdfO Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
O Livro dos Espiritos - Allan Kardec.pdf
 
slide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarísticaslide da missa com leituras e oração eucarística
slide da missa com leituras e oração eucarística
 
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica DominicalLIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
LIÇÃO 02 - JOVENS - Escola Bíblica Dominical
 
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
AUXADO_1TRIM_2024.pdf ESCOLA SABATINA 2024
 
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptxO concílio de Jerusalém  Cap 14 e 15.pptx
O concílio de Jerusalém Cap 14 e 15.pptx
 
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptxLição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
Lição 1 - O início da caminhada - CPAD.pptx
 

Vivendo em santidade e integridade: os conselhos de Pedro

  • 1. Vivendo em Santidade e Integridade
  • 2. Alegria, Crescimento e Firmeza nas Cartas de Pedro. A RAZÃO DA NOSSA ESPERANÇA 3º Trimestre Ano 2019
  • 3. Lição 1 - As Cartas de Pedro: Vivendo em Esperança e Firmados na Verdade Lição 2 - Desfrutando a Alegria na Esperança da Salvação Lição 3 - Vivendo em Santidade e Integridade Lição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os Superiores Lição 5 - Conselhos Valiosos para a Vida Cristã em Família Lição 6 - A Razão da Nossa Esperança Lição 7 - Alegria em Meio à Dor Lição 8 - O Papel do Líder e a Convivência Cristã Lição 9 - O Conhecimento de Deus que Conduz ao Crescimento Espiritual Lição 10 - Permaneçam Firmes na Palavra da Verdade Lição 11 - Alerta Contra os Falsos Mestres e Suas Heresias Lição 12 - A Impiedade Decorrente dos Falsos Ensinos Lição 13 - A Vinda do Senhor: a Nossa Suprema Esperança
  • 4. COMPREENDER os conselhos de Pedro para uma vida de santidade; REFLETIR a respeito do mandamento divino para sermos santos em toda nossa maneira de viver; SABER acerca do fundamento e da natureza da Igreja.
  • 5. 1 Pedro 1.13-16;22-25 13 - Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo, 14 - como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância; 15 - mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, 16 - porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo. 22 - Purificando a vossa alma na obediência à verdade, para caridade fraternal, não fingida, amai-vos ardentemente uns aos outros, com um coração puro; 23 - sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva e que permanece para sempre. 24 - Porque toda carne é como erva, e toda a glória do homem, como a flor da erva. Secou-se a erva, e caiu a sua flor; 25 - mas a palavra do Senhor permanece para sempre. E esta é a palavra que entre vós foi evangelizada.
  • 6. 1 Pedro 2.9,10 9 - Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz; 10 - vós que, em outro tempo, não éreis povo, mas, agora, sois povo de Deus; que não tínheis alcançado misericórdia, mas, agora, alcançastes misericórdia.
  • 7. "Mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver, porquanto escrito está: Sede santos, porque eu sou santo." (1 Pedro 1.15,16)
  • 8. A santidade de Deus, o atributo da sua perfeição moral, é a razão que nos inspira ao vivermos de maneira santa e íntegra neste mundo.
  • 9. Para muitos estudiosos, a Primeira Carta de Pedro, além de "Epístola da Esperança", também poderia ser chamada de "Epístola da Vida Santa", pois enfatiza a importância da santidade após o novo nascimento. Santidade não significa isolamento social ou afastamento de outras pessoas.
  • 10. Os salvos testificam que são santos vivendo de acordo com a vontade de Deus, e interagindo em uma sociedade contaminada pelo pecado.
  • 11. Segundo a Bíblia Vamos Recordar ? Ao estado daqueles que foram salvos por Cristo. 1 Coríntios 6.11 Colossenses 2.10 Hebreus 10.10 Ao processo de contínuo aperfeiçoamento dos crentes. 2 Coríntios 7.1 A Santificação refere-se : ❶ ❷
  • 12.
  • 13. I – Conselhos para uma Vida de Santidade “Portanto, cingindo os lombos do vosso entendimento, sede sóbrios e esperai inteiramente na graça que se vos ofereceu na revelação de Jesus Cristo,” 1 Pedro 1.13 ❶ Prepare a Mente ❷ Seja Sóbrio ❸ Espere na Graça
  • 14. 1 – Prepare a mente. I – Conselhos para uma Vida de Santidade A santificação abrange primeiramente a mente, o centro das decisões e das faculdades da pessoa. Não podemos impedir que determinados pensamentos entrem em nossa mente. Tudo que podemos fazer é administrá-lo.
  • 15. 1 – Prepare a mente. I – Conselhos para uma Vida de Santidade Se é um pensamento negativo, pecador e destrutivo, podemos : prendê-lo, rejeitá-lo e lançá-lo fora da mente.
  • 16. 1 – Prepare a mente. I – Conselhos para uma Vida de Santidade detê-lo, Meditar sobre ele e aplicá-lo à vida. Se é um pensamento positivo, santo e produtivo, podemos
  • 17.
  • 18. 2 – Seja sóbrio. I – Conselhos para uma Vida de Santidade Viver sóbrio também é viver com moderação, em constante equilíbrio. (Ef 5.8; Rm 12.3) Pedro também assevera que o cristão deve ser sóbrio, ou seja, ter domínio próprio, autocontrole, pois a vida cristã é incompatível com os excessos.
  • 19. 3 – Espere na graça. I – Conselhos para uma Vida de Santidade A santificação envolve ainda esperar inteiramente na graça... os destinatários são encorajados a olharem para frente e aguardarem. Isso não é passividade, é paciência: o ato de confiar na providência divina.
  • 20. 3 – Espere na graça. I – Conselhos para uma Vida de Santidade Portanto, a espera confiante em Deus... contribui para que o crente tenha uma vida emocionalmente saudável. O adoecimento emocional e psíquico que acomete boa parte da população de hoje é em grande parte consequência da ansiedade descontrolada.
  • 21. II – A Ordem da Santidade “como filhos obedientes, não vos conformando com as concupiscências que antes havia em vossa ignorância” 1 Pedro 1.14 somos exortados a ter um padrão de conduta exemplar. Quando a santidade de Deus molda o nosso caráter, não nos conformamos com o pecado. 1 – Filhos obedientes e inconformados..
  • 22. 1 – Filhos obedientes e inconformados.. II – A Ordem da Santidade “E não sede conformados com este mundo, mas sede transformados pela renovação do vosso entendimento, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.” (Rm 12:2) A prova dessa obediência sincera é a inconformidade com o mundo e com as concupiscências – os desejos e as paixões carnais da antiga vida.
  • 23. 2 – O imperativo da santidade. II – A Ordem da Santidade O apóstolo Pedro reitera uma ordem divina: Sede santos, porque eu sou santo! (Lv 11.44; 19.2). A santidade não é uma opção na vida cristã. É um imperativo para nos tornarmos cada vez mais parecidos com aquele que nos chamou (Sl 99.9; Ap 4.8). “mas, como é santo aquele que vos chamou, sede vós também santos em toda a vossa maneira de viver,” (1 Pe 1.15)
  • 24. ❶ A santificação decorre da ação libertadora e transformadora de Deus em nós. Precisamos deixar Deus trabalhar em nós, corrigindo, guiando e purificando as nossas vidas (Jo 17.17; 1 Ts 5.23). ❷ A santificação não decorre do mérito do homem, mas da graça de Deus. Mas este processo requer a disposição e a cooperação do indivíduo (1 Jo 3.3). ❸ O Espírito Santo é o agente da santificação (Rm 1.4) ❹ A Palavra de Deus, o instrumento (Jo 17.17). Observações sobre a Santificação
  • 25. 3 – Santidade que gera integridade. II – A Ordem da Santidade A santidade tem a ver com integridade; santificação produz uma conduta autêntica, honesta e virtuosa, que afasta o salvo das práticas reprováveis. Santidade Integridade andam juntas.
  • 26. ❶ Malícia ❷ Engano ❸ Fingimentos ❹ Invejas ❺ Murmurações cincos vícios morais que os cristãos devem deixar: “Deixando, pois, toda a malícia, e todo o engano, e fingimentos, e invejas, e todas as murmurações,” 1 Pedro 2:1
  • 27. 4 – A razão da nossa santidade. II – A Ordem da Santidade Pedro faz recordar da razão para uma conduta digna por parte do crente. Não fomos resgatados por ouro e prata, e sim pelo precioso sangue de Jesus (1 Pedro 1.18,19).
  • 28. 1 – Cristo, a pedra de esquina. III – A Natureza da Igreja “Eis que ponho em Sião a pedra principal da esquina, eleita e preciosa; e quem nela crer não será confundido.” (1 Pedro 2:6) A metáfora da pedra de esquina é uma referência direta a Cristo.
  • 29. 1 – Cristo, a pedra de esquina. III – A Natureza da Igreja A Igreja está edificada em Jesus. Ele é a pedra principal, o firmamento espiritual da sua Igreja. A pedra de esquina ou pedra angular era a mais importante de uma construção, aquela que ficava na base e dava a direção do edifício.
  • 30. 2 – Igreja, o povo eleito de Deus. III – A Natureza da Igreja “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido” (1 Pedro 1.9). Pedro quer demonstrar que os crentes encontram-se numa posição privilegiada
  • 31. 2 – Igreja, o povo eleito de Deus. III – A Natureza da Igreja Deus faz surgir um novo povo (a Igreja) , formado por todos aqueles que creram em Cristo e em sua obra salvadora, sejam judeus, sejam gentios (Ef 2.14). A nação de Israel foi eleita para ser um canal de bênção para as demais nações (Gn 12.3). Mas, devido à sua desobediência e fracasso,
  • 32. 3 – Sacerdócio real. III – A Natureza da Igreja “Mas vós sois a geração eleita, o sacerdócio real, a nação santa, o povo adquirido” (1 Pedro 1.9). Aqui Pedro destaca que, enquanto o ofício de sacerdote era privilégio dos membros da tribo de Levi, na Nova Aliança a Igreja ocupa a posição de sacerdócio real.
  • 33. 3 – Sacerdócio real. III – A Natureza da Igreja A Reforma Protestante revigorou a doutrina do sacerdócio de todos os crentes, no sentido de que cada cristão tem livre acesso à presença do Pai,
  • 34. Como vimos nesta lição, para os salvos a santidade nunca sai de moda. Mesmo em tempos de relativismo moral e inversão de valores, nós cristãos temos a responsabilidade de sermos santos em toda a nossa maneira de viver. Isso porque, a santificação verdadeira leva a uma vida íntegra, a ser testemunhada em todas as esferas da sociedade.
  • 35. Qual o sentido da expressão "cingindo os lombos do vosso entendimento“ ? A expressão tem um sentido metafórico; remete à prática da época de amarrar a vestimenta acima da cintura para ficar pronto para a ação. Em nossos dias, possui a mesma acepção de "arregaçar as mangas".
  • 36. Qual a principal razão pela qual os crentes devem ser santos? Porque Deus é santo (1 Pe 1.15, 16).
  • 37. O que era uma pedra de esquina? Pedra de esquina ou pedra angular era a mais importante de uma construção, aquela que ficava na base e dava a direção do edifício
  • 38. Quais são os cinco vícios morais que Pedro aponta em sua Primeira Carta? Malícia, engano, fingimentos, invejas e murmurações (1 Pe 2.1).
  • 39. Conforme a lição, qual doutrina foi revigorada na Reforma Protestante? A doutrina do sacerdócio de todos os crentes, no sentido de que cada cristão tem livre acesso à presença do Pai, tendo como único mediador o Senhor Jesus Cristo (1Tm 2.5)
  • 40. Lição 4 - O Relacionamento do Cristão com o Estado e com os Superiores
  • 41.