Professor: Franklin Emygdio
História do Brasil
A expansão Ultramarina Portuguesa
dos séculos XV e XVI.
MOTIVAÇÕES:
• TERRAS PARA SUPRIR A SATURAÇÃO
EUROPÉIA
• METAIS PRECIOSOS PARA AS NECESSIDADES
COMERCIAIS
• ROTAS DE COMÉRC...
PRODUTOS ORIENTAIS
PRATA
COMÉRCIO MEDIEVAL APÓS O
SÉCULO XII
A crise dos preços
$ DE MAIS
PRODUTO
DE MENOS = ALTA GERAL DE PREÇOS
América Espanhola
Europa em crise
O COMÉRCIO ORIENTAL ESTAVA EM MÃOS DOS
MERCADORES ÁRABES QUE SE RELACIONAVAM
COM AS CIDADES ITALIANAS DE GÊNOVA E
VENEZA, ...
EXPANSÃO PORTUGUESA
A BURGUESIA CENTRALIZADA EM TORNO DO REI FAZ
O FINANCIAMENTO PARA AS GRANDES
NAVEGAÇÕES
FIM DO PÉRIPLO AFRICANO
• 1488- Bartolomeu Dias chega ao
cabo da Boa Esperança
• 1498- Vasco da Gama chega às
Índias
• 150...
1) A respeito das grandes navegações (segunda metade do século XV e
primeira metade do século XVI), pode-se afirmar que, a...
LETRA D
2) Entre as principais conseqüências da expansão marítima e comercial européia dos séculos XV
e XVI, pode-se assinalar.
A)...
Letra B
3) Dispostos a participar do lucrativo comércio de
especiarias, realizado pelos portos do levante
mediterrâneo e controlad...
Letra E
4) (...) As vias estão portanto abertas simultaneamente para sudoeste, logo para as Américas, e para
sudeste, logo para o ...
Letra A
A FUNDAÇÃO DO BRASIL
NO
MODELO MERCANTILISTA
- Colônia deveria produzir para o fornecimento de gêneros
inexistentes na Europa).
- Monocultura.
- Agroexportação.
- Lati...
O PACTO COLONIAL
COLÔNIA METRÓPOLEMONOPÓLIO
Consumo de manufaturas
Envio de matéria-prima
1) Leia o texto abaixo.
Durante cerca de trinta anos após a chegada da esquadra comandada por
Cabral, o Estado Português n...
Letra C
2) Os primitivos habitantes do Brasil foram vítimas do processo colonizador. O
europeu, com visão de mundo calcada em prec...
Letra E
3) “A língua de que [os índios] usam, toda pela costa, é uma: ainda que em
certos vocábulos difere em algumas partes; mas ...
Letra A
4) A colonização portuguesa de suas terras americanas tinha
com um dos objetivos a proteção, através da posse efetiva,
poi...
Letra A
5) São características das Colônias de Exploração implantadas no Continente
Americano a partir do século XVII:
A) trabalho...
Letra D
BRASIL COLONIAL
• BRA em 2º plano: comércio com as Índias
+ ausência de metais preciosos.
• Pau-Brasil
– Fabricação de tintura para tecido...
ÁREAS DE EXPLORAÇÃO DO
PAU-BRASIL
Sistema de Feitorias
A Colonização:
– Decadência do comércio com as Índias.
– Medo de perder as terras para invasores.
– Esperança de encontrar...
ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO BRASIL
COLÔNIA
As Capitanias Hereditárias:
– 15 lotes horizontais de terra entregues pelo rei ...
– Motivos para a aplicação deste tipo de organização:
• POR já havia testado essa forma administração em suas ilhas
do Atl...
GOVERNOS GERAIS
• Os Governos Gerais:
– Correção de erros das Capitanias .
– Centralização Administrativa.
– Cargos auxili...
Tomé de Souza (1549 – 1553):
– Salvador (capital), doação de sesmarias,
criação de engenhos, criação do primeiro
bispado d...
Duarte da Costa (1553 – 1558):
- atritos entre colonos e jesuítas, bispo e
governador, atritos com índios, invasão de
fran...
Mem de Sá (1558 – 1572):
restabelecimento da paz interna e expulsão de
franceses do RJ.
• As Câmaras Municipais:
– Instâncias de poder local.
– Homens bons (homens brancos e ricos
proprietários de terra). Norma...
1) A criação do Governo-Geral do Brasil pode ser encarada
como uma tentativa do governo português para:
a) Diminuir a inte...
Letra C
2) O governo do Estado do Rio de Janeiro acusa o prefeito Cesar Maia de difamar a
polícia em artigo.
O procurador-geral do...
Letra A
3) Durante a maior parte do período colonial a participação nas
câmaras das vilas era uma prerrogativa dos chamados
"homen...
Letra B
4) Um dos principais problemas brasileiros atuais é a questão da
concentração da propriedade da terra. Os meios de comunic...
Letra B
5) Sobre a “Carta de Doação” e o “Foral”, documento referente ao uso e posse
da terra, no Brasil Colonial, assinale a afir...
Letra B
6) Sobre o Governo Geral, instalado no Brasil pelo regimento de
1548, pode-se afirmar que:
A) acabou, de imediato, com o s...
Letra D
INVASÕES ESTRANGEIRAS
– Não reconhecimento do Tratado de
Tordesilhas.
– Contrabando e pirataria.
– França Antártica (RJ – ...
França Equinocial (MA 1612 – 1615).
• União Ibérica – enfraquecimento de POR.
• Empreendimento oficial da coroa francesa.
...
O BRASIL É ESPANHOL OU HOLANDÊS?
UNIÃO IBÉRICA (1580-1640)
União Ibérica (1580 – 1640):
– Período em que POR e ESP foram governados pelos
mesmos reis. POR foi dominada pela ESP.
– D...
A ENTRADA DOS HOLANDESES NO
BRASIL
– Acordo com nobreza portuguesa determina manutenção de
órgãos administrativos portugue...
As invasões holandesas
(1624 – 1654):
–Tentativa de romper o bloqueio
econômico imposto pelo governo
espanhol ao comércio ...
Ares de
modernidade
Maurício de Nassau – governante
holandês responsável pelo controle de
PE e estabelecer um clima amistoso com
os brasileiro...
- ESCRAVOS MAIS BARATOS
- MAIORES PREÇOS AO PRODUTOR
- MELHORIAS NOS ENGENHOS
- MAIOR PRODUÇÃO
COM O FIM DA UNIÃO IBÉRICA O CENÁRIO
MUDA. PRESSIONADA, A HOLANDA MUDA SUA
POLÍTICA COLONIAL PARA MEHORAR SUA
ARRECADAÇÃO....
Insurreição Pernambucana (1645 – 54): movimento luso-
brasileiro que expulsou os holandeses do BRA.
Conseqüência da expuls...
Historia total
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Historia total

897 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
897
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
14
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
17
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Historia total

  1. 1. Professor: Franklin Emygdio História do Brasil
  2. 2. A expansão Ultramarina Portuguesa dos séculos XV e XVI.
  3. 3. MOTIVAÇÕES: • TERRAS PARA SUPRIR A SATURAÇÃO EUROPÉIA • METAIS PRECIOSOS PARA AS NECESSIDADES COMERCIAIS • ROTAS DE COMÉRCIO SEM INTERMEDIÁRIOS PARA O ORIENTE • A FORMAÇÃO DOS PRIMEIROS ESTADOS NACIONAIS NA EUROPA
  4. 4. PRODUTOS ORIENTAIS PRATA COMÉRCIO MEDIEVAL APÓS O SÉCULO XII
  5. 5. A crise dos preços $ DE MAIS PRODUTO DE MENOS = ALTA GERAL DE PREÇOS América Espanhola Europa em crise
  6. 6. O COMÉRCIO ORIENTAL ESTAVA EM MÃOS DOS MERCADORES ÁRABES QUE SE RELACIONAVAM COM AS CIDADES ITALIANAS DE GÊNOVA E VENEZA, ALÉM DE CONSTANTINOPLA, ANTIÓQUIA E ALEXANDRIA
  7. 7. EXPANSÃO PORTUGUESA A BURGUESIA CENTRALIZADA EM TORNO DO REI FAZ O FINANCIAMENTO PARA AS GRANDES NAVEGAÇÕES
  8. 8. FIM DO PÉRIPLO AFRICANO • 1488- Bartolomeu Dias chega ao cabo da Boa Esperança • 1498- Vasco da Gama chega às Índias • 1500- Cabral chega ao Brasil
  9. 9. 1) A respeito das grandes navegações (segunda metade do século XV e primeira metade do século XVI), pode-se afirmar que, além de mera expansão geográfica, elas: A) transformaram o Brasil, então Terra de Santa Cruz, em parada obrigatória para as rotas orientais. B) representaram a chegada, pela primeira vez, de mercadorias africanas ao mercado europeu. C) criaram uma rota comercial mais ágil e lucrativa para as índias através da Terra do Fogo. D) foram responsáveis pelo deslocamento do eixo econômico do Mar Mediterrâneo para o Oceano Atlântico. E) Causaram um processo inflacionário na Europa com a importação maciça de ouro e açúcar provenientes do sul da África.
  10. 10. LETRA D
  11. 11. 2) Entre as principais conseqüências da expansão marítima e comercial européia dos séculos XV e XVI, pode-se assinalar. A) A mudança do eixo da navegação do Atlântico Norte para o Atlântico Sul; a definitiva comprovação da esfericidade da Terra pelos navegantes e o deslocamento imediato das potências pioneiras (Portugal e Espanha) da posição de supremacia naval-militar pelas potências do norte europeu (França, Holanda e Inglaterra), de maior poderio econômico. B) mudança do eixo da navegação do Mar Mediterrâneo para o Oceano Atlântico; a definitiva comprovação da esfericidade da Terra pelos navegantes e a supremacia naval-militar das potências ibéricas (Portugal e Espanha) até a segunda metade do século XVI. C) A mudança do eixo da navegação do Mar Mediterrâneo para o Oceano Atlântico; a ratificação da tese da esfericidade da Terra (defendida por todos os sábios desde a Antiguidade) e o deslocamento imediato das potências pioneiras (Portugal e Espanha) da posição de supremacia naval-militar pelas potências do norte europeu (França, Holanda e Inglaterra), de maior poderio econômico. D) A mudança do eixo da navegação do Oceano Atlântico para o Oceano índico, em virtude do interesse de Portugal e Espanha em conquistar as regiões orientais produtoras de especiarias e metais preciosos, e a derrocada destas duas potências ibéricas na segunda metade do século XVI, por não conseguirem resistir ao maior poderio naval-rnilitar da França, Holanda e Inglaterra. E) A comprovação definitiva da tese da esfericidade da Terra e a mudança do eixo da navegação para os Oceanos índico e Pacífico, por serem áreas de acesso direto às regiões orientais produtoras de especiarias e metais preciosos, controlados por Portugal e Espanha até o século XVII.
  12. 12. Letra B
  13. 13. 3) Dispostos a participar do lucrativo comércio de especiarias, realizado pelos portos do levante mediterrâneo e controlado pelos venezianos, os portugueses buscaram um caminho alternativo. Em 1498, Vasco da Gama conseguiu chegar à Índia: A) através dos portos do poente mediterrâneo. B) utilizando as antigas rotas terrestres do Meio Oriente. C) utilizando o canal do Panamá. D) através do Estreito de Magalhães. E) circunavegando a África.
  14. 14. Letra E
  15. 15. 4) (...) As vias estão portanto abertas simultaneamente para sudoeste, logo para as Américas, e para sudeste, logo para o oceano Índico e para a Ásia. Os terrores que enchiam a alma dos marinheiros sobre as extremidades da Terra estão ultrapassados. O sistema dos ventos atlânticos está compreendido. A bússola, o astrolábio, as tabelas de navegação permitem localizar mais ou menos a posição do navio na imensidade marítima. A nau ou nave e a caravela substituem vantajosamente a galera e suas derivadas, frente às vagas do oceano. Os europeus estão ávidos de saber o que se passa além-oceano. Os Estados reencontraram uma paz e uma relativa prosperidade. Tudo está no seu lugar para os grandes descobrimentos. Frédéric Mauro A expansão européia Os “grandes descobrimentos” a que o trecho acima se refere: A) foram possíveis, no caso de Portugal, graças à combinação de vários fatores, destacadamente, a centralização do poder monárquico em 1385, que aproximou o poder real dos interesses dos comerciantes lusos. B) não despertaram, por todo o século XV, nenhum interesse nos “Reis Católicos” da Espanha, preocupados exclusivamente com as lutas contra os mouros que ainda ocupavam a Península Ibérica. C) permitiram o estabelecimento de amplas relações comerciais, pacíficas e mutuamente vantajosas, entre os povos europeus e os povos africanos e americanos. D) provocaram um enfraquecimento imediato das monarquias absolutistas (sobretudo as ibéricas), substituídas por repúblicas governadas daí em diante pelos grupos burgueses. E) ocorreram numa época de grande obscurantismo cultural e científico, de recusa sistemática a toda inovação técnica, e de desprezo pela herança artística e filosófica do mundo greco-romano.
  16. 16. Letra A
  17. 17. A FUNDAÇÃO DO BRASIL NO MODELO MERCANTILISTA
  18. 18. - Colônia deveria produzir para o fornecimento de gêneros inexistentes na Europa). - Monocultura. - Agroexportação. - Latifúndio. - Escravismo. MODELO CHAMADO DE PLANTATION - Pacto Colonial ou Exclusivo Colonial (monopólio de comércio da metrópole sobre a colônia). CARACTERÍSTICAS GERAIS DO PERÍODO COLONIAL
  19. 19. O PACTO COLONIAL COLÔNIA METRÓPOLEMONOPÓLIO Consumo de manufaturas Envio de matéria-prima
  20. 20. 1) Leia o texto abaixo. Durante cerca de trinta anos após a chegada da esquadra comandada por Cabral, o Estado Português não iniciou a colonização de fato do Brasil, ficando o período conhecido como pré-colonial. Assinale a opção que apresenta características marcantes desse período. A) Intensa chegada de colonos de origem espanhola para o Brasil. B) Início da produção de café, principalmente na região Nordeste. C) Extração do pau-brasil e o uso da mão de obra indígena. D) Plantio sistemático de cana-de-açúcar, principalmente na região Centro- Oeste. E) Mecanização da produção e bens de serviços duráveis.
  21. 21. Letra C
  22. 22. 2) Os primitivos habitantes do Brasil foram vítimas do processo colonizador. O europeu, com visão de mundo calcada em preconceitos, menosprezou o indígena e sua cultura. A acreditar nos viajantes e missionários, a partir de meados do século XVI, há um decréscimo da população indígena, que se agrava nos séculos seguintes. Os fatores que mais contribuíram para o citado decréscimo foram: A) a captura e a venda do índio para o trabalho nas minas de prata do Potosí. B) as guerras permanentes entre as tribos indígenas e entre índios e brancos. C) o canibalismo, o sentido mítico das práticas rituais, o espírito sanguinário, cruel e vingativo dos naturais D) as missões jesuíticas do vale amazônico e a exploração do trabalho indígena na extração da borracha. E) as epidemias introduzidas pelo invasor europeu e a escravidão dos índios.
  23. 23. Letra E
  24. 24. 3) “A língua de que [os índios] usam, toda pela costa, é uma: ainda que em certos vocábulos difere em algumas partes; mas não de maneira que se deixem de entender. (...) Carece de três letras, convém a saber, não se acha nela F, nem L, nem R, coisa digna de espanto, porque assim não tem Fé, nem Lei, nem Rei, e desta maneira vivem desordenadamente (...)." (GANDAVO, Pero de Magalhães, História da Província de Santa Cruz, 1578.) A partir do texto, pode-se afirmar que todas as alternativas expressam a relação dos portugueses com a cultura indígena, exceto: A) A busca de compreensão da cultura indígena era uma preocupação do colonizador. B) A desorganização social dos indígenas se refletia no idioma C) A diferença cultural entre nativos e colonos era atribuída à inferioridade do indígena. D) A língua dos nativos era caracterizada pela limitação vocabular. E) Os signos e símbolos dos nativos da costa marítima eram homogêneos
  25. 25. Letra A
  26. 26. 4) A colonização portuguesa de suas terras americanas tinha com um dos objetivos a proteção, através da posse efetiva, pois elas estavam ameaçadas por invasões estrangeiras, no afã de usufruírem das riquezas naturais. A política, que vai nortear o processo de colonização, esteve inserida: A) No Mercantilismo Ibérico. B) No Mercantilismo Bullhônico. C) No Mercantilismo de Balança comercial favorável. D) No Mercantilismo Colbertista
  27. 27. Letra A
  28. 28. 5) São características das Colônias de Exploração implantadas no Continente Americano a partir do século XVII: A) trabalho compulsório, mercado interno, plantações de subsistência e Pacto Colonial. B) pequena propriedade familiar, manufaturas, policultura, autonomia econômica e mão-de-obra livre. C) grandes propriedades de terras, ação colonizadora em nada relacionada aos conflitos religiosos na Metrópole, monocultura e trabalho escravo. D) trabalho escravo, produção voltada para a exportação, economia limitada pelo Exclusivo Colonial e latifúndio monocultor. E) pequenas plantações de subsistência, monocultura, ação colonizadora baseada nas propostas mercantilistas e mão-de-obra livre.
  29. 29. Letra D
  30. 30. BRASIL COLONIAL
  31. 31. • BRA em 2º plano: comércio com as Índias + ausência de metais preciosos. • Pau-Brasil – Fabricação de tintura para tecidos. – Exploração nômade e predatória. – Escambo com índios. – Incursões estrangeiras (ESP, INGL e FRA). • Expedições guarda-costas (fracasso). O PAU-BRASIL O PERÍODO PRÉ-COLONIAL (1500 – 1530):
  32. 32. ÁREAS DE EXPLORAÇÃO DO PAU-BRASIL Sistema de Feitorias
  33. 33. A Colonização: – Decadência do comércio com as Índias. – Medo de perder as terras para invasores. – Esperança de encontrar metais preciosos. OCUPAR A TERRA PARA NÃO PERDÊ-LA!
  34. 34. ESTRUTURA ADMINISTRATIVA DO BRASIL COLÔNIA As Capitanias Hereditárias: – 15 lotes horizontais de terra entregues pelo rei a membros da corte de sua confiança. – Carta de Doação: documento que transferia a posse da terra. – Capitão Donatário – aquele que recebe um dos lotes de terra. – Carta Foral: direitos e deveres dos donatários. • Direitos – aplicar a justiça, escravizar índios e doar sesmarias. • Deveres – fundar povoados, cobrar impostos e defender o território. – Privilégios metropolitanos: • 100% sobre o Pau Brasil. • 100% sobre as drogas do sertão. • 20% sobre metais preciosos. • 10% sobre a produção agrícola.
  35. 35. – Motivos para a aplicação deste tipo de organização: • POR já havia testado essa forma administração em suas ilhas do Atlântico. • Transferência de despesas para particulares (POR não gastava nada). – Fracasso: falta de recursos e de interesse dos donatários + distância excessiva da metrópole + invasões estrangeiras + ataques de indígenas. – Únicas Capitanias que deram certo: Pernambuco e São Vicente.
  36. 36. GOVERNOS GERAIS • Os Governos Gerais: – Correção de erros das Capitanias . – Centralização Administrativa. – Cargos auxiliares: Ouvidor-mor (justiça), Provedor-mor (tesouro – cobrança de impostos), Capitão-mor (defesa).
  37. 37. Tomé de Souza (1549 – 1553): – Salvador (capital), doação de sesmarias, criação de engenhos, criação do primeiro bispado do Brasil, vinda de jesuítas;
  38. 38. Duarte da Costa (1553 – 1558): - atritos entre colonos e jesuítas, bispo e governador, atritos com índios, invasão de franceses ao RJ;
  39. 39. Mem de Sá (1558 – 1572): restabelecimento da paz interna e expulsão de franceses do RJ.
  40. 40. • As Câmaras Municipais: – Instâncias de poder local. – Homens bons (homens brancos e ricos proprietários de terra). Normalmente eram pessoas perseguidas pelos católicos que haviam se tornado cristãos. Cristãos Novos
  41. 41. 1) A criação do Governo-Geral do Brasil pode ser encarada como uma tentativa do governo português para: a) Diminuir a intervenção do rei na administração colonial. b) Delegar maiores poderes aos Donatários. c) Centralizar a administração colonial. d) Dar maiores poderes aos Donatários.
  42. 42. Letra C
  43. 43. 2) O governo do Estado do Rio de Janeiro acusa o prefeito Cesar Maia de difamar a polícia em artigo. O procurador-geral do Estado do Rio, Francesco Conte, pediu ontem à Justiça agilidade no processo aberto na quarta-feira contra o prefeito Cesar Maia, que atacou a política de segurança do governo estadual em artigo publicado no dia 15 de agosto na seção “Tendências/Debates” da Folha. (Folha de São Paulo, 24/08/2001). Os conflitos entre várias instâncias político-administrativas não constituem um problema exclusivo dos dias de hoje. Desde a época colonial, cada instância administrativa desejava o poder para si, tornando-se cenário de disputas diversas. O seguinte órgão local de administração constituía-se como espaço de negociação política, no Brasil colonial: A) Câmara Municipal B) Tribunal de Relação C) Capitania Hereditária D) Conselho Ultramarino
  44. 44. Letra A
  45. 45. 3) Durante a maior parte do período colonial a participação nas câmaras das vilas era uma prerrogativa dos chamados "homens bons", excluindo-se desse privilégio os outros integrantes da sociedade. A expressão "homem bom" dizia respeito a: A) homens que recebiam a concessão da Coroa portuguesa para explorar minas de ouro e de diamantes; B) senhores de engenho e proprietários de escravos; C) funcionários nomeados pela Coroa portuguesa para exercerem altos cargos administrativos na colônia; D) homens considerados de bom caráter, independentemente do cargo ou da função que exerciam na colônia.
  46. 46. Letra B
  47. 47. 4) Um dos principais problemas brasileiros atuais é a questão da concentração da propriedade da terra. Os meios de comunicação de massa (rádio, televisão, jornal) trazem todos os dias, matérias sobre invasões promovidas por camponeses sem-terra, mas a falta de terra para quem realmente quer trabalhar nela não é um problema atual. Um instrumento de distribuição de terra do período colonial que comprova a longa duração deste problema no Brasil é: A) o Regimento Geral; B) a Carta de Sesmaria; C) o Tratado de Tordesilhas; D) as Feitorias.
  48. 48. Letra B
  49. 49. 5) Sobre a “Carta de Doação” e o “Foral”, documento referente ao uso e posse da terra, no Brasil Colonial, assinale a afirmativa correta: A) A Carta de Doação estabelecia os direitos e deveres dos colonos. B) O Foral estabelecia os direitos e deveres dos donatários. C) Pela Carta de Doação o donatário poderia conceder sesmarias a colonos – portugueses ou não – que professassem a fé católica. D) O Foral estabelecia que os atos dos donatários só poderiam ser julgados pelo rei. E) Pela Carta de Doação, o donatário podia fundar vilas e povoados e criar instrumentos administrativos, jurídicos, civis e criminais para regê-los.
  50. 50. Letra B
  51. 51. 6) Sobre o Governo Geral, instalado no Brasil pelo regimento de 1548, pode-se afirmar que: A) acabou, de imediato, com o sistema de capitanias hereditárias. B) teve total sucesso ao impor a centralização política em toda a colônia, como forma de facilitar a defesa do território. C) teve curta duração, pois foi dissolvido durante a ocupação francesa do Rio de Janeiro, em 1555. D) durou até 1808, apesar de, a partir de 1720, os governadores passarem a ser chamados de vice-reis. E) adotou, desde o início, o Rio de Janeiro como única capital, em virtude do grande sucesso da cultura canavieira nas províncias do Rio de Janeiro e São Paulo.
  52. 52. Letra D
  53. 53. INVASÕES ESTRANGEIRAS – Não reconhecimento do Tratado de Tordesilhas. – Contrabando e pirataria. – França Antártica (RJ – 1555 – 1567). • Fuga de huguenotes perseguidos. • Capitão Villegaignon (líder francês). • Estácio de Sá – sobrinho de Mem de Sá, responsável pela expulsão dos franceses do RJ, com a ajuda dos índios tamoios.
  54. 54. França Equinocial (MA 1612 – 1615). • União Ibérica – enfraquecimento de POR. • Empreendimento oficial da coroa francesa. • Fundação de São Luís. • Expulsos por coligação luso-espanhola. • As invasões inglesas: – Ataques de piratas e corsários. – Cidades litorâneas (Santos e Recife).
  55. 55. O BRASIL É ESPANHOL OU HOLANDÊS? UNIÃO IBÉRICA (1580-1640)
  56. 56. União Ibérica (1580 – 1640): – Período em que POR e ESP foram governados pelos mesmos reis. POR foi dominada pela ESP. – D. Sebastião (POR) morre em 1578 sem deixar sucessores.Mito do Sebastianismo, em POR. – D. Henrique, seu tio já idoso assume o trono e falece em 1580, também sem sucessores. – Felipe II, rei da ESP invade o país e impõe governo conjunto, afinal, era da mesma família. – Possessões portuguesas passam a ser da ESP.
  57. 57. A ENTRADA DOS HOLANDESES NO BRASIL – Acordo com nobreza portuguesa determina manutenção de órgãos administrativos portugueses nas colônias, portanto, internamente não houve alterações no Brasil. – Tratado de Tordesilhas começa a ser ultrapassado. – Inimigos da ESP na Europa invadem o BRA em represália ao governo espanhol. – HOL, um dos inimigos da ESP é impedida de fazer comércio em qualquer possessão espanhola. – Comércio do açúcar no BRA que tinha participação holandesa é atingido. – Holandeses invadem o BRA tentando romper o bloqueio espanhol ao comércio de açúcar.
  58. 58. As invasões holandesas (1624 – 1654): –Tentativa de romper o bloqueio econômico imposto pelo governo espanhol ao comércio do açúcar. –1624 – Invasão da BA (fracasso). –Criação da Companhia das Índias Ocidentais – empresa holandesa responsável por viabilizar recursos para invadir novamente o Brasil. –1630 – 1654 – Invasão de PE (maior centro mundial de produção açucareira).
  59. 59. Ares de modernidade
  60. 60. Maurício de Nassau – governante holandês responsável pelo controle de PE e estabelecer um clima amistoso com os brasileiros. –Modernização e urbanização. –Embelezamento de cidades (com a vinda de artistas holandeses). –Financiamento para donos de engenho. –Liberdade de culto. –Demitido em 1644 pela CIA. das Índias Ocidentais. MAURÍCIO DE NASSAU
  61. 61. - ESCRAVOS MAIS BARATOS - MAIORES PREÇOS AO PRODUTOR - MELHORIAS NOS ENGENHOS - MAIOR PRODUÇÃO
  62. 62. COM O FIM DA UNIÃO IBÉRICA O CENÁRIO MUDA. PRESSIONADA, A HOLANDA MUDA SUA POLÍTICA COLONIAL PARA MEHORAR SUA ARRECADAÇÃO. - AUMENTA OS IMPOSTOS - SOBE O PREÇO DO ESCRAVO - REDUZ O QUE PAGA AO PRODUTOR
  63. 63. Insurreição Pernambucana (1645 – 54): movimento luso- brasileiro que expulsou os holandeses do BRA. Conseqüência da expulsão dos holandeses: início da crise do ciclo do açúcar pois os holandeses ao saírem do BRA instalam-se nas Antilhas (América Central), produzindo lá um açúcar mais barato e de melhor qualidade que o nosso.

×