Fundamentos nazifascistas

7.641 visualizações

Publicada em

Fundamentos nazifascistas

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
7.641
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4.293
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
12
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Fundamentos nazifascistas

  1. 1. O termo Nazismo designa a política da ditadura governada por Adolf Hitler na Alemanha de 1933 a 1945: o Terceiro Reich. Fundamentos nazi-fascistas
  2. 2. <ul><li>Pangermanismo </li></ul><ul><li>Nacionalismo </li></ul><ul><li>Anti-semitismo </li></ul><ul><li>Racialismo </li></ul><ul><li>Integralismo </li></ul><ul><li>Partido nazista </li></ul><ul><li>III Reich - Alemanha </li></ul>
  3. 3. O NACIONALISMO <ul><li>É um sentimento de valorização marcado pela aproximação e identificação com uma nação, mais precisamente com o ponto de vista ideológico. </li></ul><ul><li>O nacionalismo é uma antiga ideologia moderna: surgiu numa Europa pré-moderna e pós-medieval, a partir da superação da produção e consumo feudais pelo mercado capitalista, como uma ideologia popular revolucionária, pois foi contrária ao domínio imperialista. </li></ul>       Ilustração nacionalista chinesa de 1891, que estimulava a guerra contra os estrangeiros e a queima de seus livros.
  4. 4. ANTI-SEMITISMO <ul><li>Anti-semita é todo inimigo da raça judaica, de sua cultura ou de sua influência. Trata-se de uma definição anacrônica por duas razões: </li></ul><ul><li>1) porque a ciência não admite hoje que as diferenças étnicas entre os seres humanos alcancem a classificação de raça; todos os homens e mulheres pertencem a uma única raça, a humana. </li></ul><ul><li>2) porque a religião, cultura e tradição judaicas são compartilhadas por vários grupos étnicos. </li></ul><ul><li>A definição contém, ainda, um terceiro erro: os ´semitas´, que segundo a Bíblia seriam os descendentes de Sem, filho de Noé, não só são apenas os judeus, mas também os povos árabes. </li></ul>Anti-semitismo para crianças, patrocinado pelo &quot;Der Stürmer&quot;, o jornal de Julius Streicher, editado na Alemanha nos anos 20, 30 e primeira metade dos anos 40 do século XX
  5. 5. RACIALISMO <ul><li>É um neologismo que designa a &quot;teoria científica das raças humanas&quot;. </li></ul><ul><li>Trata-se da questão de criar um termo bem diferenciado da palavra racismo, permitindo, de acordo com seus promotores, não fazer confusão entre: </li></ul><ul><li>uma definição arbitrária e eventualmente útil de raças humanas, por um lado; </li></ul><ul><li>qualquer idéia de conseqüências e eventuais medidas a serem tomadas (superioridade desta ou daquela raça sobre uma outra, de maneira geral ou num campo específico; implicações políticas, a favor ou contra a miscigenação, etc), por outro lado. </li></ul>?
  6. 6. INTEGRALISMO <ul><li>Chamado também de “nacionalismo integral&quot; é uma corrente política tradicionalista, inspirada na Doutrina Social da Igreja Católica, que apareceu em Portugal nos inícios do século XX defendendo que uma sociedade só pode funcionar com ordem e paz, no respeito das hierarquias sociais, baseadas nas aptidões e nos méritos pessoais demonstrados (em oposição às doutrinas igualitárias saídas da Revolução Francesa, como o Socialismo, comunismo e anarquismo), e na harmonia e união social. </li></ul>Integralismo no Brasil O lema ao lado aponta o que era necessário para manter a “ordem” no país.
  7. 7. O PANGERMANISMO <ul><li>Era um movimento político do século XIX que defendia a união dos povos germânicos da Europa Central. </li></ul><ul><li>Ganhou grande força com o sentimento nacionalista alemão, e logo depois com a unificação da Alemanha. </li></ul>
  8. 8. IDEOLOGIA NAZISTA <ul><li>Totalitarismo </li></ul><ul><li>Reacionarismo </li></ul><ul><li>Neonazismo </li></ul>Arianismo : representantes da raça “superior” Supremacia branca. Homofobia
  9. 9. Adolf Hitler: O GRANDE MENTOR NAZISTA <ul><li>Adolf Hitler foi o líder do Partido Nazista, chanceler e, posteriormente, ditador alemão. Era filho de um funcionário de alfândega de uma pequena cidade fronteiriça da Áustria com a Alemanha. As suas teses racistas e anti-semitas e os seus objetivos para a Alemanha ficaram patentes no seu livro de 1924, Mein Kampf (Minha luta). </li></ul><ul><li>Hitler seria derrotado apenas pela intervenção externa dos países aliados no prosseguimento da Segunda Guerra Mundial, que acarretou a morte de um total estimado em 50 ou 60 milhões de pessoas. Cometeu suicídio no seu Quartel-General (o Führerbunker), em Berlim, 1945. </li></ul>Edição francesa de Mein Kampf. Hitler
  10. 10. <ul><li>A suástica é um símbolo místico encontrado em muitas culturas em tempos diferentes, dos índios Hopi aos Astecas, dos Celtas aos Budistas, dos Gregos aos Hindus. </li></ul><ul><li>Alguns autores acreditam que a suástica tem um valor especial por ser encontrada em muitas culturas sem contatos umas com as outras. Os símbolos a que chamamos suástica possuem detalhes gráficos bastante distintos. </li></ul><ul><li>Vários desenhos de suásticas usam figuras com três linhas. A nazista tem os braços, apontando para o sentido horário, ou seja, indo para a direita e roda a figura de modo a um dos braços estar no topo. </li></ul>Suástica &quot;virada à direita&quot; - uma decorativa forma Hindu. Emblema da Seicho- No-ie
  11. 11. TRISTEZA: O HOLOCAUSTO <ul><li>No período da ditadura de Hitler, os judeus e outros grupos minoritários considerados &quot;indesejados&quot;, como testemunhas de Jeová , eslavos, poloneses, ciganos, negros, homossexuais, deficientes físicos e mentais, foram perseguidos e exterminados no que se convencionou chamar de Holocausto. </li></ul>Fileiras de corpos enchem o campo de concentração de Nordhausende, Alemanha de 1945. Monumento ao Holocausto.
  12. 12. FASCISMO <ul><li>Foi uma doutrina totalitária desenvolvida por Benito Mussolini na Itália, a partir de 1919.Fascismo deriva de fascio , nome de grupos políticos ou de militância que surgiram na Itália entre fins do século XIX e começo do século XX; mas também de fasces , que nos tempos do Império Romano era um símbolo dos magistrados: um machado cujo cabo era rodeado de varas, simbolizando o poder do Estado e a unidade do </li></ul><ul><li>povo. </li></ul>Um fasce.
  13. 13. <ul><li>Concepção filosófica. </li></ul><ul><li>Apresenta o Fascismo como ação (prática) e pensamento (idéia) político. Considera que toda a ação é contingente ao espaço e ao tempo, havendo no seu pensamento um &quot;conteúdo ideal que a eleva a fórmula de verdade na história superior do pensamento&quot; . </li></ul><ul><li>Diz que para se conhecer os homens é preciso conhecer o homem; e para conhecer o homem é preciso conhecer a realidade e as suas leis: </li></ul><ul><li>não há um conceito de Estado que não seja uma concepção da vida e do mundo. </li></ul>Propaganda fascista
  14. 14. Concepção espiritual É a partir de uma &quot;concepção espiritual&quot; que o homem é definido pelo fascismo. Na sua concepção, o homem é um '' indivíduo que é nação e pátria “; há, na sua perspectiva, &quot;uma lei moral que liga os indivíduos e as gerações numa tradição e numa missão“. Mussolini e as massas
  15. 15. <ul><li>Concepção ética </li></ul><ul><li>Tem uma concepção ética da vida, &quot;séria, austera, religiosa&quot;: o fascismo desdenha a vida &quot;cômoda&quot;; </li></ul><ul><li>Concepção religiosa </li></ul><ul><li>O homem é visto numa relação imanente com uma lei superior, com uma Vontade objetiva que transcende o indivíduo particular e o eleva a membro de uma sociedade espiritual. </li></ul><ul><li>Concepção positiva da vida como luta . </li></ul><ul><li>A sua &quot;concepção espiritual&quot; define-se por oposição ao materialismo filosófico do século XVIII; sendo antipositivista, é porém positiva; não é céptica, nem agnóstica, nem pessimista. </li></ul><ul><li>Pretende o homem ativo e impregnado na ação com toda a sua energia. O que se aplica ao indivíduo, aplica-se à nação. </li></ul>
  16. 16. <ul><li>Concepção histórica e realista </li></ul><ul><li>O homem é visto como um ser na história, num fluxo continuo em processo de evolução; tem no entanto uma visão &quot;realista&quot;, não partilhando o otimismo do materialismo filosófico do século XVIII que via o homem a caminho da &quot;felicidade&quot; na terra. </li></ul><ul><li>Concepção do Estado corporativo </li></ul><ul><li>&quot;Não há indivíduos fora do Estado, nem grupos (partidos políticos, associações, sindicatos, classes)&quot; : defende um corporativismo no qual os interesses são conciliados na unidade do Estado: diz-se contrário ao socialismo que reduz o movimento histórico à luta de classes e, analogamente, é também contrário ao sindicalismo. </li></ul><ul><li>O indivíduo e a liberdade </li></ul><ul><li>A concepção fascista é definida como &quot;anti-individualista&quot;, colocando o Estado antes do indivíduo o liberalismo negou o Estado no interesse dos indivíduos particulares, o fascismo reafirma o Estado como a verdadeira realidade do indivíduo. </li></ul><ul><li>Para o fascismo, tudo está no Estado - a sua concepção é totalitária. </li></ul><ul><li>Para o fascismo, fora do Estado não há valores humanos ou espirituais. </li></ul>
  17. 17. <ul><li>Democracia </li></ul><ul><li>O fascismo opõe-se à democracia que entende a nação como a maioria, descendo o seu nível ao maior número; o fascismo considera-se no entanto como &quot;a mais pura forma de democracia se o povo for considerado do ponto de vista da qualidade em vez da quantidade&quot;, como uma &quot;multidão unificada por uma idéia, que é vontade de existência e de potência: consciência de si, personalidade“. </li></ul><ul><li>O fascismo defende &quot;uma democracia organizada, centralizada, autoritária&quot;, exercida através do partido único. </li></ul>Emblema do Partido Nacional Fascista
  18. 18. <ul><li>Concepção do Estado </li></ul><ul><li>Para o Fascismo a nação não cria o Estado; é o Estado que cria a nação. Considera o Estado como a expressão de uma &quot;vontade ética universal&quot;, criadora do direito, e &quot;realidade ética&quot;. Na sua concepção é o Estado &quot;que dá ao povo unidade moral, uma vontade, e portanto uma efetiva existência“. </li></ul><ul><li>Realidade dinâmica </li></ul><ul><li>Na concepção fascista o Estado deve ser o educador e o promotor da vida espiritual. Para alcançar o seu objetivo, quer refazer não a forma da vida humana, mas o conteúdo, o homem, o caráter, a fé. </li></ul><ul><li>A filosofia do Fascismo, tal como a definiu Mussolini, é assim uma filosofia essencialmente moderna e modernista . </li></ul>Hitler e Mussolini
  19. 19. Os desastrosos efeitos da Primeira Guerra favoreceram a ascensão desses governos ditatoriais, defensores de um Estado forte e centralizado, que se traduziram no que se convencionou chamar de nazifascismo. Tais governos assumiram um caráter marcadamente nacionalista, burguês, anticomunista . “ A FORÇA DAS EXPERIÊNCIAS FAZ COM QUE O HOMEM NÃO REPITA OS MESMOS ERROS DO PASSADO”?
  20. 20. Imagens: google- nethistoria.

×