A República velha

6.140 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
15 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.140
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
706
Comentários
0
Gostaram
15
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A República velha

  1. 1. <ul><li>BRASIL: </li></ul><ul><li>REPÚBLICA VELHA (1889 à 1930) ‏ </li></ul>
  2. 4. REPÚBLICA VELHA <ul><li>A República velha é dividida em duas fases : </li></ul><ul><li>República das Espadas </li></ul><ul><li>República Oligárquica </li></ul>
  3. 5. REPÚBLICA DA ESPADA <ul><li>Período onde os militares estão à frente do governo brasileiro </li></ul><ul><li>1º Presidente = Marechal Deodoro da Fonseca </li></ul><ul><li>2º Presidente = Marechal Floriano Peixoto </li></ul>
  4. 6. MARECHAL DEODORO DA FONSECA
  5. 7. MARECHAL FLORIANO PEIXOTO
  6. 8. REPÚBLICA DA ESPADA <ul><li>Consolidação do Regime Republicano </li></ul><ul><li>Elaboração da primeira Constituição Republicana </li></ul>
  7. 10. 1ª CONSTITUIÇÃO REPUBLICANA <ul><li>Sistema de governo = Presidencialista </li></ul><ul><li>Regime Político = Democrático </li></ul><ul><li>Separação entre Igreja e Estado </li></ul><ul><li>Eleições Diretas </li></ul><ul><li>Voto = Universal não-secreto para homens acima de 21 anos </li></ul>
  8. 12. REPÚBLICA OLIGÁRQUICA <ul><li>Oligarquia = Governo de Poucos </li></ul><ul><li>Período em que o Brasil é governado segundo os interesses de um pequeno grupo : Os fazendeiros ligados ao café. </li></ul>
  9. 13. FAZENDEIROS DO CAFÉ
  10. 14. REPÚBLICA OLIGÁRQUICA <ul><li>Cafeicultores no comando da nação </li></ul><ul><li>Política do “Café com Leite” </li></ul><ul><li>Coronelismo </li></ul><ul><li>Política dos Governadores </li></ul><ul><li>Fraudes eleitorais </li></ul>
  11. 15. CAFÉ COM LEITE CAFÉ SP LEITE MG
  12. 16. CAFÉ COM LEITE <ul><li>Este é o apelido da República Oligárquica porque se alternavam no poder presidentes do PRP (Partido Republicano Paulista) e do PRM (Partido Republicano Mineiro), ou seja, somente São Paulo e Minas Gerais governavam o Brasil </li></ul>
  13. 17. POLÍTICA DOS GOVERNADORES <ul><li>Sistema Criado pelo presidente Campos Salles (1898 - 1902) ‏ </li></ul><ul><li>Governadores recebem verba e apoio do Presidente desde que apoiem campanhas de deputados e senadores fieis ao Governo Federal </li></ul>
  14. 18. PRESIDENTE CAMPOS SALLES
  15. 19. CORONELISMO <ul><li>CORONEL = Chefe político de uma localidade que pressiona os eleitores a votarem em quem eles indicam (voto do cabresto) ‏ </li></ul><ul><li>O Coronel recebe autoridade local dos governantes desde que lhes garanta muitos votos </li></ul>
  16. 20. CORONELISMO E VOTO
  17. 21. REVOLTAS NA REPÚBLICA VELHA <ul><li>REVOLTA DA VACINA </li></ul><ul><li>REVOLTA DA CHIBATA </li></ul><ul><li>GREVE DE 1917 </li></ul><ul><li>TENENTISMO </li></ul><ul><li>REVOLTA DO FORTE DE COPACABANA </li></ul><ul><li>COLUNA PRESTES </li></ul>
  18. 22. REVOLTA DA VACINA <ul><li>Ocorreu no governo de Rodrigues Alves (1902 - 1906) ‏ </li></ul><ul><li>Rio de Janeiro era foco de epidemias e o sanitarista Osvaldo Cruz decretou a Vacinação Obrigatória </li></ul>
  19. 23. REVOLTA DA VACINA <ul><li>A população do Rio de Janeiro temia a vacina e a achava imoral </li></ul><ul><li>População se revoltou e o governo teve de recuar </li></ul>
  20. 24. REVOLTA DA VACINA
  21. 25. REVOLTA DA VACINA OSVALDO CRUZ
  22. 26. REVOLTA DA VACINA PRESIDENTE RODRIGUES ALVES
  23. 27. REVOLTA DA CHIBATA <ul><li>Ocorreu no Governo de Hermes da Fonseca ( 1910 - 1914 ) ‏ </li></ul><ul><li>Oficiais Brancos da Marinha puniam marujos (maioria negra) com chibatadas </li></ul>
  24. 28. REVOLTA DA CHIBATA
  25. 29. REVOLTA DA CHIBATA <ul><li>O Marinheiro João Cândido liderou a revolta exigindo: </li></ul><ul><li>Fim das Chibatadas </li></ul><ul><li>Melhores condições de trabalho </li></ul><ul><li>Melhor Alimentação </li></ul>
  26. 30. REVOLTA DA CHIBATA
  27. 31. REVOLTA DA CHIBATA <ul><li>Os marinheiros ameaçaram bombardear o R.J. </li></ul><ul><li>Governo decreta anistia (perdão) e promete o fim das chibatadas </li></ul><ul><li>Muitos rebeldes são presos e outros mortos </li></ul>
  28. 32. A GREVE DE 1917 <ul><li>1917 - ANO DA REVOLUÇÃO RUSSA </li></ul><ul><li>Greve de operários em SP (70 mil) ‏ </li></ul><ul><li>Grevistas Reivindicam: </li></ul><ul><ul><ul><li>Aumento Salarial </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Fim do Trabalho Noturno para mulheres e crianças </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Jornada de 8 horas </li></ul></ul></ul>
  29. 33. A GREVE DE 1917 <ul><li>Diante da força da greve o governo sede um pouco: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Concede aumento salarial </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Impede demissões </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  30. 34. A GREVE DE 1917
  31. 35. TENENTISMO <ul><li>JOVENS OFICIAIS DO EXÉRCITO SE MOBILIZAM CONTRA O GOVERNO DOS FAZENDEIROS </li></ul>
  32. 36. TENENTISMO <ul><li>1922 - Eleições: </li></ul><ul><ul><li>Artur Bernardes (cafeicultores) x Nilo Peçanha (Tenentes) ‏ </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>A vitória foi de Artur Bernardes mas os tenentes não aceitam o resultado </li></ul></ul></ul>
  33. 37. TENENTISMO Nilo Peçanha Arthur Bernardes
  34. 38. TENENTISMO <ul><li>REVOLTA DO FORTE DE COPACABANA </li></ul><ul><li>300 OFICIAIS INICIAM A REVOLTA CONTRA OS SOLDADOS LEGALISTAS (QUE APOIAM O GOVERNO) ‏ </li></ul><ul><li>SOMENTE 18 OFICIAIS PERMANECEM NO FORTE E SÃO DERROTADOS </li></ul>
  35. 39. TENENTISMO FORTE DE COPACABANA
  36. 40. COLUNA PRESTES <ul><li>Foi o mais expressivo movimento militar contra a República Oligárquica. </li></ul><ul><li>Seu líder foi CARLOS PRESTES </li></ul><ul><li>consistiu em uma longa marcha de oficiais pelo interior do Brasil (do Rio Grande do Sul ao Nordeste e do Nordeste à Bolívia) ‏ </li></ul>
  37. 41. COLUNA PRESTES <ul><li>O Objetivo da Marcha era difundir o ideal revolucionário contra o Governo dos Fazendeiros </li></ul><ul><li>O Resultado não foi satisfatório pois o exército reprimiu a marcha e muitos líderes fugiram para o Paraguai </li></ul>
  38. 42. COLUNA PRESTES <ul><ul><ul><ul><li>LUÍS CARLOS PRESTES </li></ul></ul></ul></ul>
  39. 43. COLUNA PRESTES COLUNA PRESTES
  40. 44. SEMANA DE ARTE MODERNA <ul><li>NOVA PROPOSTA CULTURAL PARA O BRASIL DO SÉCULO XX </li></ul><ul><li>Ocorreu no Teatro Municipal de São Paulo nos dias 13-15-17/02/1922 </li></ul><ul><li>Contou com: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>apresentações de Músicas </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Exposições de Pintura e Escultura </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Declamações de Poemas </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  41. 45. SEMANA DE ARTE MODERNA <ul><li>Foi um movimento influenciado pelo Modernismo Europeu mas seu objetivo era exatamente o oposto </li></ul><ul><li>OBJETIVOS da Semana de Arte Moderna: </li></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Afirmar o valor da Cultura Brasileira </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Criar a identidade artística nacional </li></ul></ul></ul></ul></ul><ul><ul><ul><ul><ul><li>Combater “Estrangeirismos” </li></ul></ul></ul></ul></ul>
  42. 46. SEMANA DE ARTE MODERNA <ul><li>RESULTADO DA SEMANA DE ARTE MODERNA </li></ul><ul><ul><ul><li>Opinião Pública fica chocada </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Elite Paulistana boçal e conservadora critica este novo estilo </li></ul></ul></ul>
  43. 47. SEMANA DE ARTE MODERNA
  44. 48. SEMANA DE ARTE MODERNA
  45. 49. SEMANA DE ARTE MODERNA

×