Prova brasil e o direito a educacao - P. Alegre

1.778 visualizações

Publicada em

Seminário APROVA BRASIL - Amaury Patrick Gremaud

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.778
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
279
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
26
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Prova brasil e o direito a educacao - P. Alegre

  1. 1. Prova Brasil e o Direito à EducaçãoSeminário APROVABRASIL <br />Amaury Patrick Gremaud<br />Porto Alegre, 28.04.2010<br />
  2. 2. Pressuposto<br />Direito à educação = direito a aprender<br /><ul><li>Se não há aprendizado, não há atendimento aos direitos educacionais dos alunos</li></li></ul><li>Sujeitos <br />Este direito é um direito de todos e de cada um de nós <br /><ul><li>Para se verificar se este direito está sendo atendido – necessário conhecer quem são os sujeitos deste direito </li></ul>Os censos demográfico e escolar deveriam identificar TODOS e CADA UM dos brasileiros: sujeitos do direito à educação. <br />
  3. 3. Como verificar?<br />Há vagas para todos ?<br />Censos<br />Há recursos suficientes ?<br />Dados de orçamento.<br />Há funcionamento regular ?<br />Dados Escolares: faltas, alocação alunos, material didático, clima escolar.<br />Há aprendizado ?<br />Prova Brasil<br />
  4. 4. Aprender o que?<br />Leitura e Matemática <br /> competências fundamentais para o desenvolvimento de todas as outras <br />Mas:<br /> objetivos da escola vão além disto ...<br />Ética, convívio dos diferenças, autonomia<br />Necessário reconhecer os limites da análise, o que não quer dizer que se deva descartá-la<br />
  5. 5. Padrão Único<br />O sistema educacional brasileiro é analisado usando testes padronizados e uma métrica comum a todos os alunos.<br />Art. 210. da Constituição:<br />Serão fixados conteúdos mínimos para o ensino fundamental, de maneira a assegurar formação básica comum e respeito aos valores culturais e artísticos, nacionais e regionais.<br />É sobre esse núcleo comum que a Prova Brasil é organizada. <br />
  6. 6. Expectativas e diferenças<br />Expectativas de aprendizagem (dentro deste núcleo comum - mínimo) são as mesmas para todos<br />mesmo que existam dificuldades diferentes para cada um dos alunos e estas conduzam a formas diferentes de organização do ensino<br />Prova Brasil – exames padronizados <br />Padronização tem um sentido importante que reflete a expressão da cidadania comum a todos<br />
  7. 7. SAEB - MATRIZ DE REFERÊNCIA<br />A matriz é o documento que orienta a elaboração dos itens (questões) que compõe os testes do SAEB e da Prova Brasil<br />Os conteúdos são subdivididos descritores que estão associados às habilidades a serem desenvolvidas em cada série e disciplina.<br /><ul><li>Cada descritor dá origem a diferentes itens;</li></li></ul><li>MATRIZ DE REFERÊNCIA<br />
  8. 8. MATRIZ DE REFERÊNCIA<br />
  9. 9. 1<br />2<br />3<br />…<br />11<br />1<br />2<br />3<br />…<br />11<br />1<br />2<br />3<br />…<br />10<br />1<br />2<br />3<br />…<br />11<br />1<br />2<br />3<br />…<br />11<br />1<br />2<br />3<br />…<br />11<br />1<br />2<br />3<br />…<br />11<br />1<br />2<br />3<br />…<br />11<br />1<br />2<br />3<br />…<br />11<br />Caderno de Teste Prova Brasil<br />=<br />21 testes <br />diferentes<br />BIB - MONTAGEM DOS TESTES PROVA BRASIL<br />11 itens (4ª série) = 77 itens<br />13 itens (8ª série) = 91 itens<br />7 blocos<br />Todos os alunos fazem as 2 provas LP e M<br />4ª série – 22 itens de Port e 22 de Mat.<br />8ª série – 26 itens de Port e 26 de Mat<br />
  10. 10. RESULTADOS – ESCALA DE PROFICIÊNCIA<br />A Escala: ferramenta utilizada para sistematizar informações. <br />Cada escala é comum às séries avaliadas e cumulativas.<br />
  11. 11. RESULTADOS – ESCALA DE PROFICIÊNCIA<br />3ª séri3EM<br />8ª série<br />LÍNGUA PORTUGUESA - LEITURA<br />
  12. 12. PROVA BRASIL – Escala de Língua Portuguesa<br />
  13. 13. OS NÍVEIS DAS ESCALAS<br /> Possuem complexidades crescentes dadas:<br /><ul><li>pelo “conteúdo” do conhecimento avaliado
  14. 14. pela operação mental requerida
  15. 15. por fatores como a construção do enunciado ou a tipologia textual.</li></li></ul><li>ALGUMAS CONSIDERAÇÕES<br />Cada nível acumula as habilidades nele descritas e as constantes nos níveis anteriores; conseqüentemente, o final das escalas são compostos pelas mais altas habilidades avaliadas.<br />Pela localização numérica do desempenho na escala, é possível saber quais habilidades os alunos já construíram, quais estão desenvolvendo e aquelas a serem alcançadas<br />Pela complexidade das habilidades já construídas pelos alunos, é possível pressupor que tenham desenvolvido habilidades mais simples, ainda que não tenham sido apresentadas a eles nas provas <br />
  16. 16. QUESTIONAMENTOS<br />1 – Espera-se que os alunos da 4ª série atinjam os níveis finais das escalas?<br />2 – Quais são os níveis de desempenho que meus alunos devem atingir em cada série e disciplina?<br />
  17. 17. Apresentação dos Resultados <br />Como sintetizar os resultados de forma útil ? <br />Interpretação Normativa e Pedagógica. <br /> Os níveis de aprendizado como proposta de solução. <br />
  18. 18. Níveis de Desempenho<br />Abaixo do Básico (Insuficiente)<br />Básico<br />Adequado (Proficiente)<br />Avançado<br />
  19. 19. Pontos de Corte <br />
  20. 20. Resultados <br />
  21. 21. Importância dos Níveis<br />
  22. 22. Interpretação Pedagógica– Abaixo do Básico<br />Compreender as relações de causa e conseqüência entre idéias em uma tirinha. <br />Compreender, em uma tirinha o sentido de uma palavra. <br />Recuperar informações explícitas, com auxílio de imagens, em cartazes. <br />Localizar informação implícita no texto em um bilhete eletrônico. <br />
  23. 23. Interpretação Pedagógica – Básico<br />Selecionar legenda apropriada para uma foto de revista. <br />Localizar informação explícita em um texto narrativo simples. <br />Identificar o tema ou assunto principal do texto.<br />Recuperar a informação explícita do texto.<br />Identificar personagem de uma narrativa literária simples.<br />Identificar o efeito de sentido produzido em um texto pelo uso intencional de recursos expressivos gráfico-visuais.<br />
  24. 24. Interpretação Pedagógica – Adequado<br />Recuperar informação do texto, localizando o locutor e o interlocutor por marcas lingüísticas.<br />Localizar e organizar, na seqüência em que aparecem, itens de informação explícita, distribuídos ao longo de um texto.<br />Interpretar o efeito de sentido que provoca o humor. <br />Estabelecer relações lógico-semânticas entre partes do texto que dão coesão às idéias.<br />
  25. 25. Interpretação Pedagógica – Avançado<br />Inferir o assunto principal de um texto, com base em informações contidas em título, subtítulo ou corpo do texto.<br />Identificar os possíveis elementos constitutivos da organização interna de um bilhete pessoal.<br />Identificar marcas de variação lingüística de natureza social ou geográfica, no léxico de um texto literário narrativo. <br />Identificar o efeito de sentido produzido em um texto literário pelo uso intencional de pontuação expressiva (interrogação, exclamação, reticências etc.).<br />
  26. 26. Indicadores Gerenciais <br />IDEB<br />Outras Alternativas<br />
  27. 27. O IDEB<br />Indicador sintético que combina informações de:<br /> desempenho - N (proficiência média dos alunos na Prova Brasil / SAEB) <br /> rendimento escolar - P (taxa média de aprovação na etapa de ensino) - inverso do tempo para fazer série<br />
  28. 28. Redução da desigualdade<br />
  29. 29. Indicador Gerencial <br />
  30. 30. Indicador Gerencial de Desempenho <br />
  31. 31. Nível Socioeconômico <br />Síntese de Indicadores de Renda, Educação, Ocupação.<br />O questionário contextual da Prova Brasil 2007 permite seu cálculo. <br />
  32. 32. Prova Brasil Leitura – Quarta Série<br />
  33. 33. Uso dos resultados<br />Compreensão dos resultados: estudo detalhado das planilhas de resultados nas avaliações. Identificar o que fazer, pedagogicamente, para tirar os alunos dos níveis mais baixos e colocá-los nos níveis de desempenho mais altos. <br />Buscar causas objetivas e não genéricas para os problemas.<br />
  34. 34. Uso dos resultados<br />Identidade da escola: quem atende, onde está situada, alguma história, as profissões dos pais dos alunos.<br />Registro dos investimentos realizados na escola: Infra-estrutura, rotinas administrativas etc. Explicitar o que é ainda necessário. <br />Estabelecimento de metas e mudanças necessárias para os anos futuros. <br />
  35. 35. Explicações <br />Analises de fatores associados:<br />Efeito escola x Família (sócio-econômico) – existe importante espaço para trabalhos dos gestores<br />Recursos <br />Organização/gestão <br />Clima acadêmico/ênfase pedagógica<br />Salário/formação<br />Pesquisas qualitativas<br />
  36. 36. Simulação do Efeito Escola para Todas as Escolas – Estado de São Paulo<br />
  37. 37. Visão compartilhada sobre as metas da escola<br />Aprendizagem como foco central da escola<br />Ênfase no desempenho<br />Aprendizagem voltada para a trajetória<br />Ênfase no equilíbrio entre desempenho e participação social<br />Aprendizagem situada na vida social<br />Preocupação com a apropriação de conteúdos, competências e habilidades<br />Senso elevado de responsabilidade profissional<br />Normas de convivência claras, aceitas e incorporadas<br />Otimização do tempo escolar<br />Expectativas<br />positivas<br />Relações interpessoais positivas<br />eficácia escolar<br />Ambiente produtivo<br />Autonomia e proatividade da equipe escolar<br />
  38. 38. AmauryGremaudagremaud@usp.br<br />OBRIGADO<br />

×