O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

Jornal Paraná Notícias

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Próximos SlideShares
Jornal Paraná Notícias
Jornal Paraná Notícias
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 8 Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Diapositivos para si (20)

Anúncio

Semelhante a Jornal Paraná Notícias (20)

Mais recentes (20)

Anúncio

Jornal Paraná Notícias

  1. 1. "Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para perdoar os nossos pecados e nos purificar de toda injustiça” (1 João 1: 9) Campo Mourão, 13 e 14 de maio de 2016 Pág. 06 Cinco atitudes que você deve ter diante de situações difíceis e desesperadoras Legislativo em destaque Acompanhe as Indicações e os Requerimentos dos vereadores de Peabiru Em Farol, situação precária de quadra esportiva preocupa vereador Pág. 02 Mudança se tornou imprescindível para a retomada do crescimento, diz Richa O governador Beto Richa afirmou nesta quarta-feira, 11, na abertura do 88º Congresso Nacional da Indústria da Construção (Enic), em Foz do Iguaçu, que a mudança pela qual passa o Brasil neste momento é imprescindível e necessária para a retomada do crescimento econômico e da estabilidade política e institucional. Engenheiro Beltrão: prorrogado prazo de pagamento à vista do IPTU por mais um mês O contribuinte beltrãoense terá mais uma oportunidade para o pagamento à vista do Imposto Predial Territorial Urbano (IPTU). É que o município prorrogou o prazo por mais um mês. Ou seja, agora o pagamento à vista do tributo pode ser feito até o dia 10 de junho, e com desconto de até 20%. Deputado Estadual Márcio Pauliki, visita Peabiru e confirma apoio à pré-candidatura de Júlio Frare a prefeito Na última semana, o Deputado Estadual Márcio Pauliki (PDT), esteve na cidade de Peabiru onde na Câmara Municipal, recebeu lideranças políticas de Peabiru e região. Na reunião, o deputado confirmou apoio à pré-candidatura de Júlio Frare (PR) a prefeito. Pág. 05 Pág. 03 Pág. 07
  2. 2. GeralPágina 02 Campo Mourão, 13 e 14 de maio de 2016 PARANÁ NOTÍCIAS LEGISLATIVO EM DESTAQUE ILUMINAÇÃO PÚBLICA O vereador Claudino de Oliveira Linosolicitou ao Executivo Municipal a que o mesmo viabilize a troca das lâmpadas queimadas dos postes de iluminação pública do Conjunto Le- blon. Segundo o vereador, tem ruas que todas as lâm- padas estão queimadas, trazendo muita inseguran- ça para todos. O vereador também solicitou o recape- amento asfáltico das se- guintes localidades: - Rua João Albino Casali, próximo a Escola Municipal Princesa Isabel; e - Rua Palmeira, próxi- mo ao Conjunto Orlando Bassi. O vereador também solicitou para que viabilize a roçada e limpeza das mar- gens das seguintes Ruas: - Rua que dá acesso ao Parque Industrial; - Rua Santos Dumont, próximo à chácara dos Bai- se; - Rua Papa João XXIII, próximo a Associação Vi- deiraComunidadeTerapêu- tica. “Nos locais mencio- nados acima é grande o nú- mero de reclamações dos moradores pelo acúmulo de mato e lixo, uma vez que causa muita preocupação e transtornos os mesmos”. Disse o vereador. Claudino ainda pediu comurgênciaorecolhimen- to dos entulhos das ruas do Residencial Donatti. INFORMAÇÕES SOBRE A PISTA DE SKATE Claudinosolicitaainda quesejaencaminhadoaoPo- der Legislativo, informações sobre a situação da constru- ção da Pista de Skate. “Temos conhecimen- to que os recursos para a construção da pista de Ska- te estão disponíveis pelo Governo do Estado, porém não vemos nenhuma movi- mentação para se começar a construção. Portanto gos- taríamos de informações, no prazo legal, sobre a real situação para as obras não terem se iniciado”, explicou o vereador. RECAPEAMENTO ASFÁLTICA O Vereador Osmar Pereira solicitou que seja realizado com ur- gência o recapeamento asfáltico da Avenida Ra- poso Tavares, entre as Ruas Cassemiro Rado- minski e Souza Naves. Sabemos que são muitas as ruas de nossa cidade que se encon- tram em péssimo estado de conservação asfáltica, porém salientamos que a Avenida Raposo Tavares é uma das avenidas principais denossacidadeeotrechomencionadoencontra-sepra- ticamente intransitável. A Administração já realizou o recapeamento de algumas ruas e não sabemos o crité- rio utilizado para até o momento não ter sido realizado este importante serviço no centro da cidade. O vereador Osmar Pereira - Botinha – também requereu que a este subscreve, com fundamento no art. 31 da Constituição Federal, nos arts: 253, e 155, inciso IV, combinado com o art. 325, do Regimento In- terno da Câmara Municipal de Peabiru, e o art. 55, in- ciso XVI, da Lei Orgânica Municipal, Lei Federal nº 12.257/2011, Lei de Acesso à Informação, requer que, após os trâmites regimentais, seja encaminhado re- querimento ao Excelentíssimo Prefeito, solicitando o encaminhado a este Poder Legislativo, o que abaixo segue: 1. Informações acerca da situação do funciona- mento do POÇO ARTESIANO, localizado na Vila Rural de nosso Município, perfurado pelo Instituto das Águas do Paraná, há aproximadamente três anos, e a Prefei- tura Municipal ficou responsável pela instalação da bomba e fazer a distribuição. 2. Existe uma data para que esse poço entre em operação. RECAPEAMENTO ASFÁLTICO E INFORMAÇÕES SOBRE EVENTOS REALIZADOS PELA SECRETARIA MUNICIPAL DE ASSISTÊNCIA SOCIAL, NO PERÍODO REFERENTE AO EXERCÍCIO DE 2015 A MARÇO DE 2016 OJosinelPezinidosSan- tos solicitou o Recapeamen- toasfálticonofinaldaAveni- da Raposo Tavares, entre as Ruas José Maria de Barros e Santos Dumont. “Nossa soli- citação é em virtude de aci- dentes que já ocorreram no local e dos transtornos que acontecem diariamente em decorrência das péssimas condições que se encon- tram a pavimentação asfál- tica. Esperamos contar com a compreensão do Excelen- tíssimo Senhor Prefeito no que tange ao atendimento ao nosso pedido”, salientou o vereador Pezini. Por meio de requeri- mento Pezini solicitou seja encaminhado um oficio a Secretária Municipal de As- sistência Social do Municí- pio de Peabiru, Sra. Isabel Cristina Carlos, solicitando o encaminhamento a este Poder Legislativo, o que abaixo segue: - Cópias de contratos, empenhos, notas fiscais, e comprovantes de paga- mentos, de forma individu- alizado, referente aos even- tos realizados pela Secreta- ria Municipal de Assistência Social, no período referen- te ao exercício de 2015 a março de 2016. CASCALHAMENTO DE ESTRADAS O vereador Paulo Sérgio Avanço solicitou a viabilização de cascalho da Estrada Lambari, subida para a propriedade do Sr. Braz. “Nossa indicação visa atender a solicitação dos moradores que reclamam que a falta de cascalho traz muitos transtornos”, disse o vereador. INFORMAÇÕES SOBRE A SAAE Os vereadores Cícero Souza da Silva, Ângelo Pru- dêncio de Britto e Osmar Pereira, por meio de requeri- mento encaminhado ao Diretor do Serviço Autônomo de Água e Esgoto-SAAE, de Peabiru, Sr. Luiz Carlos Bertipa- lha, solicitando o que abaixo segue: Seja encaminhado o Laudo assinado pelo res- ponsável (eis), que qualificou o reservatório de água com capacidade de 100 mil litros, na cate- goria de inservível, de propriedade do SAAE, ci- tado na Portaria 7/2015, de 05 de dezembro de 2015; Seja encaminhado informação do local a onde se encontra o mencionado reservatório de água, e qual o destino dado a este bem; Caso tenha sido transferido para terceiro, seja encaminhado o processo completo da respecti- va alienação. O vereador Ângelo Prudêncio de Britto reque- reu que seja encaminhado requerimento ao Excelen- tíssimo Prefeito, solicitando o encaminhado a este Po- der Legislativo, o que abai- xo segue: Cópia completa das normas que instituíram as seguintesreceitas,noâmbi- to do Município de Peabiru, e as justificativas a saber: RECEITAS: 1. Correção monetá- ria de reparcelamento; 2. Emolumentos; 3. Juros e Multas de outros tributos; 4. Juros e multas do IPTU; 5. Juros e multas de outros tributos; 6. Licença sanitária, e 7.Taxadelicençap/lo- calização e funcionamento Nosso pedido tem fundamento em carnês de reparcelamento fiscal, cujo rol de tributos que compõe o montante de cada parce- la registra as denominações acima especificados, que, numa análise geral, suscita algumas dúvidas tais como: a) O Reparcelamento não trata de IPTU, portan- to, porque do registro de “Juros e multas de IPTU”? b) Qual a razão do re- gistro em duplicidade de “Juros e multas de outros tributos? c) A denominação “Outros Tributos”, refere-se a que tipo de tributo? d) Porque não especi- ficar, haja vista que tributo égênerocujasespéciessão: Imposto, Taxas e Contribui- ção de Melhoria? e) À quais destas es- pécies refere-se o título “Outros Tributos”? O vereador também requer que, após os trâmi- tes regimentais, seja enca- minhado requerimento ao Poder Legislativo, o que abaixo segue: 1. Cópia completa do Processo n.º 04/2016 da Li- citaçãon.º02/2016,promo- vido pelo Município de Pea- biru, na modalidade de Pre- gão, cujo objeto trata de re- gistro de preços para futura contratação, sob demanda, deempresaspararealização de serviços de manutenção preventivaecorretiva,inclu- ídofornecimentodePeçase Serviços para veículos da Frota Municipal. 2. Encaminhar justifi- cativa esclarecendo qual a razão de não ter observado, nestalicitação,aLeiComple- mentarFederalnº147/2014, com relação ao tratamento a ser dada às Micros e Em- presas de Pequeno Porte, especificamente, no que diz respeito, às disposições do art. 47 em diante, desta Lei Complementar, que alterou o estatuto das Micros e Em- presas de Pequeno Porte, que trata a Lei Complemen- tar Federal nº 123/2006. O mesmo vereador solici- ta ainda que seja encami- nhado ao Poder Legislati- vo, o que abaixo segue: 1. Informações acer- ca do momento exato que foi iniciada a coleta de lixo com o novo caminhão ad- quirido pelo Município para esta finalidade; 2. Informações refe- rente ao tempo de garantia dada pelo fabricante sobre o caminhão coletor de lixo; 3. Informações acer- ca do problema técnico que ocasionou a paralização do caminhão coletor de lixo, recentemente adquirido, e qual o tempo previsto para a realização do conserto adequado. Em sua justificativa, o vereador alegou que: “Utili- zandodafunçãofiscalizado- ra inerente do Poder Legis- lativo,econsiderandoqueo caminhão coletor foi adqui- ridocomrecursosdesobras deste Poder Legislativo, é que nos motiva a requerer as informações acima, ten- do, em vista, inclusive que tais solicitações foram soli- citadas via telefone ao Ser- vidor Everton, que por mo- tivo não justificado, não ob- tivemosnenhumaresposta. Portanto, por considerar re- levante esta questão, é que estamos formalmente, re- querendo as informações, quereputamospertinentes, acercadautilizaçãoadequa- da do Caminhão Coletor de lixo, que se constituiu numa importanteconquistaparaa população peabiruense”, disseovereadorÂngeloPru- dêncio de Britto. INFORMAÇÕES SOBRE REPARCELAMENTO FISCAL E INFORMAÇÕES SOBRE FORNECIMENTO DE PEÇAS E SERVIÇOS PARA VEÍCULOS DA FROTA MUNICIPAL E INFORMAÇÕE SOBRE A COLETA DE LIXO FAROL Cidadãos da Comunidade de Farol procuraram o Vereador Genivaldo Ferreira (PSD), indignados com a situação precária da Quadra Esportiva do Colégio Cultura Universal – Ensino Funda- mental e Ensino Médio, do Município de Farol, o Verea- dor apresentou em regime de Urgência pedido de provi- dencias, o qual foi aprovada por unanimidade por todos os Vereadores. Ferreira justificou que é necessário providências das autoridades competentes, com relação a reforma e manutenção da infraestrutura, não só da quadra mas de todo o Prédio Escolar, e sabedores ainda que o espaço é utilizado na pratica da atividade esportiva dos alunos do referido Colégio. Sendo de tal forma que estamos colocando a saúde de nossos queridos alunos em situação de risco. SITUAÇÃO PRECÁRIA DA QUADRA ESPORTIVA PREOCUPA VEREADOR Sabedores que a Prefeita Municipal de Farol e a Direção do Prédio escolar, já fizeram inúmeras solicitações aos seus representantes na esfera estadual, os quais tem competência para atuar, e até o presente momento, ainda encontrasse da tal forma como podemos observar nas fotos, tirados pelos próprios pais, anexas aos Pedidos. A Câmara Municipal de Farol, na sua totalidade/ unanimidade da representa- ção legislativa, aprovou o pedido da Comunidade através da intervenção do Vereador Genivaldo Ferreira, e encaminha para as autori- dades a seguir: SECRETÁ- RIA DE ESTADO DA EDUCAÇÃO – PARANÁ SENHORAANA SERES TRENTO; SENHOR VAL- DIR LUIZ ROSSONI CHEFE DA CASA CIVIL - CC - CASA CIVIL – PARANÁ; SENHORITA ROSIMEIREAPARECIDA DE CAIRES CHEFE DO NÚCLEO REGIONAL DE EDUCAÇÃO DE CAMPO MOURÃO; SENHOR CARLOS ROBERTO MASSA JÚNIOR SECRETARIA DO DESENVOLVIMEN- TO URBANO; E SENHO- RA ELENITA MORTEAN DIRETORA: 11ª. RS. CAMPO MOURÃO
  3. 3. & FatosPolíticaFaltam 147 dias para as próximas eleições... Campo Mourão, 13 e 14 de maio de 2016 Página 03PARANÁ NOTÍCIAS Peabiru: Deputado Estadual Márcio Pauliki confirma apoio à pré-candidatura de Júlio Frare Na última semana, o Deputado Estadual Márcio Pauliki (PDT), esteve na cidade de Peabiru onde na Câmara Municipal, recebeu lideranças políticas de Peabiru e região. Na reunião, o deputado confirmou apoio à pré-can- didatura de Júlio Frare (PR). O deputado também parabenizou Antônio Carlos o "Xinho", que na oportunidade lançou sua pré-candidatura a vice-prefeito na chapa de Júlio. Segundo o pré-candidato Júlio a visita do deputado fortaleceu ainda mais o grupo que pretende disputar as próximas eleições. "Temos alguns nomes que podem compor nossa candidatura, o “Xinho” com certeza, veio para somar", disse Júlio. A Câmara de Verea- dores de Engenheiro Bel- trão julgou recentemente as contas do prefeito Elias Lima, referentes aos exer- cícios de 2009 e 2011. O Legislativo manteve pare- cer do Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE- PR), aprovando as presta- ções das contas. As resolu- ções foram publicadas na semana passada pelo presi- dente do Legislativo, Wi- llans Kleber Ferreira Presa. Segundo o prefeito, apesar das dificuldades fi- TCE e Câmara Municipal aprovam contas do prefeito Elias Lima Segundo o prefeito, apesar das dificuldades financeiras o município vem conseguindo "fazer sua parte" nanceiras o município vem conseguindo "fazer sua par- te". Lima classificou a apro- vação de suas contas de "boa notícia". "Os últimos anos estão sendo muito di- fíceis para nós. A aprovação das nossas contas vem brin- dar e premiar toda nossa contabilidade e nós como gestor, mostrando a trans- parência e o respeito com o recurso público", comentou. Lima lembrou que a exemplo de muitos municí- pios da região, Engenheiro Beltrãotambémvemenfren- tando dificuldades financei- ras. Algumas prefeituras até tiveram suas contas rejeita- das pelo Tribunal por não conseguir honrar os com- promissos. "Mas graças a Deus, pela seriedade da nos- sa equipe, estamos conse- guindo fechar as contas den- tro do que prevê a Lei de Responsabilidade Fiscal", emendou. Transparência - O gestormunicipalacrescentou que tem administrado o mu- nicípioprezandosemprepela transparêncianascontaspú- blicas.Elecitouqueaprópria Câmara de Vereadores da ci- dade tem cobrado muito a prefeituracomrelaçãoaisso. "Nos comprometemos com um mandato transparente desde o nosso primeiro ano de gestão", ressaltou. Justiça intima Requião para responder sobre desvio de R$ 40 milhões de contrato dos pedágiosA 4ª Vara da Fazenda Pública de Curitiba conse- guiu intimar o senador Ro- berto Requião (PMDB), réu na ação movida pelo Fórum NacionaldeTransporte,que busca a devolução de R$ 40 milhões (valores atualiza- dos) pagos ao IBQP (Insti- tuto Brasileiro da Qualida- deeProdutividade),emcon- trato sem licitação em 2004, para fiscalizar as estradas pedagiadas no Paraná. “A citação dele (Re- quião) foi em novembro e ele já apresentou a contestação afirmando que os responsá- veis por este contrato são os diretores do DER/PR, da TecpareIBQP,enãoele,che- fe do executivo estadual, e não pode ser responsabiliza- do.Esqueceu-se,todavia,que foi dele o decreto autorizan- do a liberação de tal contra- tação,queseoperacionalizou, evidentemente, através dos órgãos inferiores a ele como o DER e o Tecpar”, disse o coordenador do fórum, Acir Mezzadri. Segundo a ação, Re- quião autorizou o contrato sem licitação, firmado atra- vés da Tecpar com a IBPQ. Três aditivos ao contrato foram feitos entre as partes, Tecpar e IBPQ. A ação pede tutelaantecipadaeobloqueio de bens dos envolvi- dos (Requião, entre eles) para garantir o ressarcimento dos recursos aos cofres públicos. O TCE (Tribunal de Contas do Estado), diz a ação, encontrou em 2007irregularidades no contrato e apon- tou a devolução dos recursos desviados. (Fonte: Fabio Cam- pana) Segundo a ação, Requião autorizou o contrato sem licitação, firmado através da Tecpar com a IBPQ
  4. 4. De segunda a sábado R$ 15,00 - Domingos e feriados R$ 17,00 - Marmitex pequena R$ 7,50 - Média R$ 10,00 - Grande R$ 12,00 Rua Santa Catarina, 2120 - Centro - Campo Mourão PR Fone: (44) 3017-1141 Campo Mourão, 13 e 14 de maio de 2016 O restaurante do Moacir, localizado na área central de Campo Mourão, vem se tornando ponto de encontro de pessoas de toda região. A passeio ou a trabalho, muitas pessoas tem preferido o restaurante para fazer uma saborosa refeição. Com preços acessíveis e uma ótima qualidade, o restaurante já virou referência na região da Comcam. PARANÁ NOTÍCIASGovernoPágina 04 Escolas estaduais começam a receber 80 toneladas de carne bovina As escolas da rede es- tadual de ensino começa- ram a receber nesta sema- na 80 toneladas de carne bovina para a merenda es- colar. Estão sendo entre- gues nesta remessa 32 to- neladas de almôndegas e 48 toneladas de carne em tiras. A Secretaria de Estado da Educação já tem assegura- do em contrato cerca de duas mil toneladas de car- ne bovina, suína e peixes que serão entregues as es- colas estaduais ao longo do ano letivo. Além das carnes, al- gumas escolas estão rece- bendo, simultaneamente, a segunda remessa de alimen- tos não perecíveis, que in- clui mais de 18 itens. No início do próximo mês, as escolas estaduais devem co- meçar a receber a terceira remessa dos não perecíveis. Em abril, o Governo do Paraná depositou direto na conta das escolas R$ 2,6 milhões, via Fundo Rotati- vo, para que as unidades pudessem repor os estoques até a chegada das novas re- messas. “A alimentação es- colar reflete no processo de ensino e aprendizagem, por isso trabalhamos para que as escolas tenham cardápi- os variados que garantam a qualidade da alimentação dos nossos estudantes”, dis- se a secretária da Educação, Ana Seres. TERCEIRA - Essa é a terceira entrega de carnes que chega às escolas esta- duais nesse ano. A primei- ra, em fevereiro, incluiu car- ne bovina. A segunda, rea- lizada em março, foi de filé de peixe e almôndegas. O investimento anual para a aquisição dos gêneros ali- mentícios congelados, que inclui as carnes de frango, bovina, suína e filé de pei- xe, é superior a R$ 22 mi- lhões. “É uma grande vari- edade de carnes que chegam as escolas e garantem o pre- paro de pratos saudáveis, nutritivas e com ótima acei- tabilidade dos estudantes”, disse a coordenadora de nutrição e alimentação es- colar, Marcia Stolarski. OVOS – Na próxima semana o governo começa a entregar, também, mais de 1,4 milhão de dúzias de ovos. Junto com a distribui- ção dos alimentos, a Secre- taria de Estado da Educa- ção vai disponibilizar uma lista de receitas elaboradas por nutricionistas para au- xiliar os profissionais que atuam nas cozinhas escola- res no preparo de pratos variados e saudáveis. O in- vestimento é de R$ 5,4 mi- lhões. INVESTIMENTO - Para este ano, serão desti- nados R$ 100 milhões para a aquisição de alimentos para a merenda escolar. O investimento é parte do Programa Estadual de Ali- mentação Escolar, que pre- vê refeições com cardápio diversificado, pois assim os estudantes terão todos os nutrientes necessários ao seu desenvolvimento. A lista de alimentos entregues anualmente as escolas estaduais contem- plam mais de 140 itens di- vididos em três grupos: produtos não perecíveis, entregues quatro a cinco vezes por ano as escolas; alimentos congelados (car- nes e peixes), entregues a cada 15 dias; e os alimentos da agricultura familiar, que são encaminhados semanal- mente às escolas. COLÉGIO MANTÉM CARDÁPIO VARIADO E REFORÇADO No Colégio Estadual Leôncio Correia, em Curi- tiba, o preparo da merenda escolar começa com uma visita rápida à despensa. Ali, a merendeira Rosemari Provin Dias, e suas colegas, elaboram os pratos que se- rão servidos aos 2.400 alu- nos do ensino fundamental, médio e técnico. O lanche servido na escola é variado entre ali- mentos doces e salgados, de acordo com os hábitos alimentares dos estudan- tes. “Assim não sobra e nem falta merenda e consegui- mos elaborar pratos varia- dos e muito bem aceitos pelos alunos”, disse Rose- mari, que trabalha na esco- la há cinco anos. A merenda servida na escola nesta quinta-fei- ra (12) foi um almoço bem reforçado com arroz, feijão, saladas e almôndegas ao molho. “É muito importan- te ter uma alimentação re- forçada na escola porque muitos alunos saem daqui e vão direto para o traba- lho e só voltarão a se ali- mentar bem novamente à noite”, contou a aluna Ana Claudia, 18 anos, do 3° ano do ensino médio, que estu- da pela manhã e trabalha no período da tarde. Segundo a estudante Sabriana Smeck, 17 anos, também do 3° ano do ensi- no médio, muitos alunos têm na escola a principal re- feição do dia. “É importan- te que a alimentação seja variada e saudável, sem fri- tura, com alguma carne, sa- lada e bem reforçada porque para muitos alunos essa é a principal refeição dia”, des- tacou Sabrina. A Secretaria de Estado da Educação já tem assegurado em contrato cerca de duas mil toneladas de carne bovina, suína e peixes que serão entregues as escolas estaduais ao longo do ano letivo Projeto oferece atividades de esporte e lazer para famílias de baixa renda A Secretaria da Famí- lia e Desenvolvimento So- cial, por meio do programa Família Paranaense, desen- volve ações articuladas com outras secretarias do esta- do para melhorar a qualida- de de vida das famílias em situação de risco e vulnera- bilidade social. Esses projetos, cha- mados de complementares, são executados em cidades com baixos índices de de- senvolvimento em todas as regiões do estado. Um exemplo bem su- cedido é o Lazer no Para- ná, projeto da Secretaria de Estado do Esporte e Turis- mo, desenvolvido em parce- ria com a Secretaria da Fa- mília e Desenvolvimento Social. De acordo com a co- ordenadora do Família Pa- ranaense, Letícia Reis, o objetivo das ações é tornar fisicamente ativas o maior número de crianças, adoles- centes e pessoas da comu- nidade. “Esse projeto visa estimular a criação de uma cultura de esporte, lazer e atividades físicas para cri- anças, adolescentes e seus familiares, possibilitando uma melhora na qualidade de vida de toda a comuni- dade”. Letícia explica que, além disso, o Governo do Estado também capacita os gestores locais para a pro- moção do lazer nas cidades e para estimular a criação de políticas públicas de espor- te e lazer e valorizar o tem- po livre com atividades que contribuam para o desen- volvimento do ser humano. ETAPAS - Na pri- meira fase do projeto foram distribuídos kits com ma- teriais esportivos para os 81 municípios prioritários do programa Família Para- naense. Também foram ofertadas cinco capacita- ções para preparar profis- sionais e acadêmicos da área de educação física e esporte que atuam com a comuni- dade, em especial com as crianças e adolescentes. Até abril deste ano, foram investidos R$ 496, 5 mil na execução do projeto. Os recursos são do Fundo Estadual para a Infância e Adolescência (FIA), com a aprovação do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente (Cedca). Atualmente, o Lazer do Paraná está em fase de ampliação. A nova etapa do projeto prevê o atendimen- to de até 150 municípios com, no máximo, 30 mil ha- bitantes, priorizando famí- lias com adolescentes e cri- anças em situação de risco e vulnerabilidade social. CRONOGRAMA - As ati- vidades acontecem três ve- zes por semana, com dura- ção de duas horas por tur- ma. São grupos de até 30 pessoas, divididos em faixas etárias compatíveis, que participam dos jogos de vô- lei, basquete, handebol, fut- sal, peteca, futebol. Também há uma pro- gramação fixa, com ativida- des em datas específicas do ano: passeio ciclístico (se- tembro), semana da crian- ça (outubro), minicorrida (novembro) e o festival de futebol e voleibol (dezem- bro). FAMÍLIA PARA- NAENSE - O programa Família Paranaense é a principal estratégia do Go- verno do Estado para a er- radicação da pobreza e emancipação das famílias em situação de risco e vul- nerabilidade social. De maneira integra- da, o programa articula ações que envolvem diver- sas secretarias e órgãos es- taduais. Pelo período de dois anos, as famílias rece- bem atendimento e acompa- nhamento individualizado nas áreas de saúde, educa- ção, habitação, trabalho, as- sistência social, segurança alimentar e nutricional. Até o último mês de abril, foram atendidas 224 mil famílias, 34 mil delas com acompanhamento fa- miliar. O investimento em ações do programa já che- ga a R$ 88 milhões. De acordo com a coordenadora do Família Paranaense, Letícia Reis, o objetivo das ações é tornar fisicamente ativas o maior número de crian- ças, adolescentes e pessoas da comunidade
  5. 5. Governo Campo Mourão, 13 e 14 de maio de 2016 Página 05PARANÁ NOTÍCIAS Mudança se tornou imprescindível para a retomada do crescimento, diz Richa O governador Beto Richa afirmou nesta quar- ta-feira, 11, na abertura do 88º Congresso Nacional da Indústria da Construção (Enic), em Foz do Iguaçu, que a mudança pela qual passa o Brasil neste mo- mento é imprescindível e necessária para a retomada do crescimento econômico e da estabilidade política e institucional. “Temos um longo ca- minho a percorrer, com per- calços e obstáculos. Mas talvez seja o começo do fim dos equívocos, omissões, crimes e leviandades que solaparam o País, ao ponto de arrastá-lo à maior reces- são das últimas décadas”, afirmou o governador, para as mais de 2 mil pessoas que participam do evento. Realizado pela Câma- ra Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e orga- nizado pelo Sinduscon Pa- raná/Oeste, o congresso tem como tema central “O Futuro Nós Construímos”. O governador lembrou que o setor enfrenta, no atual contexto, um cenário de desafios, talvez até mais complexos que os demais segmentos da economia. “A construção opera como uma espécie de termômetro avançado da atividade eco- nômica. Quando a econo- mia brasileira cresce, a construção dispara. Mas na retração, sofre fortemente estes efeitos”, disse ele. Entre 2007 e 2011, quando o PIB brasileiro cresceu a uma média anual de 4%, a construção cresceu mais de 8% ao ano. Com o acirramento da crise, sofreu forte desaquecimento, com retração de 0,9% em 2014 e de 7,6% no ano passado, de acordo com os indicadores do IBGE. O presidente da CBIC, José Carlos Martins, destacou que o setor neces- sita de um clima de confi- ança para continuar inves- tindo. “Esperamos que após este momento trágico que passamos, iremos recuperar a confiança e os investimen- tos para que a nossa ativi- dade volte ao normal”, dis- se. “O setor se encontra hoje em uma situação muito di- fícil, com a perda de 670 mil empregos desde o início da crise. Quando há retração nos investimentos, a vida das pessoas fica prejudica- da”, declarou Martins. CONFIANÇA – Para o go- vernador, essa assimetria está associada a um fenôme- no determinante na econo- mia, que é a confiança. Quando confiantes, disse ele, os consumidores abra- çam projetos que fazem a diferença para uma vida in- teira, como é o caso da casa própria ou a abertura de um negócio, e as empresas são mais ousadas nos investi- mentos. Os governos, enco- rajados pela melhoria da arrecadação, investem na modernização da infraes- trutura de transporte e lo- gística. “A eventual mudança em Brasília abre esta pers- pectiva, de restaurar a tão necessária confiança, que vai se fortalecer se o gover- no arrumar a casa e iniciar reformas que são inadiá- veis”, afirmou Richa. “Espe- ramos que o novo governo ajuste as contas federais, acabe com as incertezas que agitam a vida nacional e restabeleça o clima de segu- rança jurídica necessário ao desenvolvimento do País”, disse o governador. O presidente do Sin- duscon Paraná/Oeste, Ed- son José de Vasconcelos, afirmou que a construção é um setor importante na mudança econômica do País. “Neste ano, em espe- cial, precisamos ter uma vi- são criteriosa e fazer um pacto em busca de soluções entre todos aqueles que fa- zem parte de nosso setor”, disse. “Teremos que ter, da- qui para a frente, habilida- de para tocar as políticas de governo nas áreas da habi- tação e infraestrutura”, ava- liou Vasconcelos. BEM SUCEDIDA – Richa ressaltou que, quan- to ao reequilíbrio nas con- tas, o Paraná teve uma ex- periência bem sucedida com seu próprio ajuste fiscal. “Devido ao ajuste, feito an- tes que a crise se aprofun- dasse, o Paraná reduziu suas despesas correntes em 7,5%, os gastos com pessoal caíram 11% e a arrecadação subiu 20%. Para este ano o Estado tem uma projeção de cerca de R$ 8 bilhões de in- vestimentos públicos, cifra recorde que certamente vai estimular o setor da cons- trução”, disse ele. Para fazer o ajuste, ressaltou, foi necessário to- mar medidas impopulares. “Fui muito criticado na épo- ca, embora estivéssemos, em grande parte do ajuste, apenas equalizando algu- mas alíquotas de ICMS e as do IPVA às alíquotas já cobradas em outros estados. Mas o sacri- fício foi recompensa- do com a situação mais saudável que o Estado vive hoje”, disse ele. P A R A N Á COMPETITIVO - O Paraná sofre menos os efeitos da crise, não apenas por causa do ajuste, mas pelo conjunto de ações adotadas nos últimos cinco anos, segundo o governador. Entre as ações, se destaca o ciclo de industrialização estimulado pelo programa Paraná Competitivo. “Segundo o IBGE, o Estado alcançou recente- mente a condição de quarta maior economia do País, agora à frente do Rio Gran- de do Sul. Em levantamen- to do jornal Financial Ti- mes, o Paraná foi indicado o Estado sul-americano com a melhor estratégia de atração de investimentos. Antes disso, havia sido apontado pelo grupo britâ- nico The Economist como o segundo estado mais com- petitivo do Brasil. Trocan- do em miúdos: o ajuste teve seu papel, mas antes dele o Estado já seguia na rota do desenvolvimento sustenta- do pelo investimento, não só por consumo”, disse Ri- cha. NOVAS PARCERI- AS – O governador reafir- mou o compromisso do seu governo com o desenvolvi- mento econômico e a res- ponsabilidade fiscal e reite- rou a disposição para novas parcerias com a iniciativa privada. “Vamos intensifi- car o diálogo com o setor de construção, que é um dos maiores e mais dinâmicos geradores de emprego nes- te País. Avançar na implan- tação e operacionalização das parcerias público-priva- das, modelo que considero estratégico para a moderni- zação da infraestrutura, e examinar cuidadosamente a introdução das PPPs em outras áreas, como a habi- tação popular, como tem sido feito com êxito em ou- tros países”. PRESENÇAS – Participa- ram da solenidade de aber- tura do evento o presidente da Sanepar, Mounir Chao- wiche; a vice-prefeita de Foz do Iguaçu, Ivone Barofaldi; o diretor-geral brasileiro da Itaipu Binacional, Jorge Sa- mek; o presidente da Fede- ração das Indústrias do Pa- raná (Fiep), Edson Cam- pagnolo; o presidente do Sinduscon Paraná, José Eu- gênio Gizzi; o presidente do Fórum Brasil-Paraguai, Ju- lio Dantas; e o deputado estadual José Carlos Schia- vinato. “A eventual mudança em Brasília abre esta perspectiva, de restaurar a tão necessária confiança, que vai se fortalecer se o governo arrumar a casa e iniciar reformas que são inadiáveis”, afirmou Richa. “Esperamos que o novo governo ajuste as contas federais, acabe com as incertezas que agitam a vida nacional e restabeleça o clima de segurança jurídica necessário ao desenvolvimento do País”, disse o governador Realizado pela Câmara Brasileira da Indústria da Construção (CBIC) e organizado pelo Sinduscon Paraná/Oeste, o congresso tem como tema central “O Futuro Nós Construímos” ICMS: Paraná oferece oportunidade para regularização de débitos A Secretaria estadual da Fazenda reabriu o prazo de adesão ao Programa de Parcelamento Incentivado (PPI). Até o dia 15 de ju- lho, contribuintes com dívi- das do Imposto sobre a Cir- culação de Mercadorias e Serviços (ICMS) geradas até 31 de dezembro de 2014 terão descontos em multas e juros para pagamento dos débitos à vista ou em até 120 meses. O secretário da Fa- zenda, Mauro Ricardo Cos- ta, explica que a reabertura do PPI vai permitir que em- presas que possuem débitos e estão usando indevida- mente benefícios fiscais como crédito presumido e redução da base de cálculo regularizem suas pendênci- as com o Estado e evitem autuações. Outro alvo do programa é o devedor con- tumaz, que pratica inadim- plência reiterada e sistemá- tica e acaba praticando con- corrência desleal com con- tribuintes que pagam regu- larmente os impostos. O PPI é destinado ex- clusivamente à regulariza- ção de débitos tributários relativos ao ICMS e prevê redução de 75% nas multas e de 60% nos juros para pa- gamento em parcela única. No caso de parcelamento em até 10 anos, a multa cai- rá pela metade (desconto de 50%) e os juros serão redu- zidos em 40%. Ele também vai servir de incentivo para empresas que possuem dé- bitos de substituição tribu- tária. A reabertura do PPI foi feita por meio do Decreto 3.990, publicado no Diário Oficialem2demaiode2016. ACoordenaçãodaReceitado Estadoinformaqueoshono- rários incidentes sobre as dí- vidas ativas ajuizadas ficam limitadosa1%dovalorpago ou parcelado. Para parcela- mento, não será exigida a apresentaçãodegarantias.O pagamento da primeira par- cela é no último dia útil do mês de adesão e as mensali- dades seguintes vencerão todo dia 25. Para consultar débi- tos, realizar simulações, im- primir a guia para paga- mento em parcela única ou para realizar os parcela- mentos, o requerente deve- rá acessar o Programa Es- pecial de Parcelamento no portal da Secretaria da Fa- zenda(www.fazenda.pr.gov.br) ouwww.ppi.pr.gov.br.Emcaso de dúvidas, o contribuinte pode recorrer ao Serviço de Atendimento ao Cidadão (SAC). O telefone para Cu- ritiba e Região Metropolita- na é o 3200-5009 e, para outraslocalidades,o080041 1528 (ligação gratuita). O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7h às 19h. Além dos casos já ci- tados, o programa vai auxi- liar contribuintes em difi- culdades financeiras a acer- tar débitos com o governo. “Será uma oportunidade a mais para os contribuintes regularizarem suas pendên- cias”, diz o secretário da Fazenda, citando a expres- siva redução de multas e juros. Se a opção for por li- quidação parcelada, os va- lores serão corrigidos men- salmente pela taxa Selic. D E V E D O R E S CONTUMAZES - A lei 18.468/2015, ao alterar o art. 52 da lei orgânica do ICMS no Paraná (11.580/ 96), instituiu no Estado tra- tamento diferenciado aos devedores contumazes. Além de conceituar o que são devedores contumazes, ela inseriu a possibilidade de o fisco incluir tais con- tribuintes no Regime Espe- cial de Controle, de Fiscali- zação e de Pagamento. O devedor contumaz utiliza a inadimplência sis- temática e reiterada do tri- buto como diferencial com- petitivo. Usa o imposto como forma de violar as normas concorrências mí- nimas, promovendo concor- rência desleal e desequilí- brio das condições de mer- cado ao não considerar o tributo na formação do pre- ço ou agregar tal montante no lucro obtido. É considerado deve- dor contumaz o contribuin- te que, no período de doze meses, apresentar oito ou mais inadimplências, conse- cutivas ou não, no recolhi- mento do ICMS declarado, assim como a empresa que tiver dívidas ativas em montante superior a 30% do patrimônio ou do fatu- ramento anual declarado ao fisco estadual. O devedor contumaz incluído no Regime Especi- al de Controle, de Fiscali- zação e de Pagamento fica- rá sujeito a medidas restri- tivas como: impedimento à utilização de benefícios ou incentivos fiscais (crédito presumido, reduções de base de cálculo, entre ou- tros); exigência de paga- mento do imposto a cada operação; inclusão automá- tica no programa de fiscali- zação, autorização prévia para emissão de documen- tos fiscais e diferimento do pagamento do imposto. De acordo com Mau- ro Ricardo Costa, além de recuperar o prejuízo aos cofres públicos, é papel do Estado combater a concor- rência desleal e tratar com isonomia seus contribuin- tes. “Não se pode tratar igualmente contribuintes que cumprem com suas obrigações tributárias e contribuintes que se apro- priam reiteradamente do imposto pago pelos consu- midores”, diz. Do total de contribuintes com dívidas ativas pendentes, decorren- tes do imposto declarado, 27% dos contribuintes são considerados contumazes. O secretário da Fazenda, Mauro Ricardo Costa, explica que a reabertura do PPI vai permitir que empresas que possuem débitos e estão usando indevidamente benefícios fiscais como crédito presumido e redução da base de cálculo regularizem suas pendên- cias com o Estado e evitem autua- ções
  6. 6. Página 06 Campo Mourão, 13 e 14 de maio de 2016 PARANÁ NOTÍCIAS PiadaPiadaPiadaPiadaPiada VARIEDADES Cinco atitudes que você deve ter diante de situações difíceis e desesperadoras Quem nunca passou por situações desesperado- ras? Para alguns, pode ser desesperador apresentar um trabalho de final de cur- so na faculdade, para outros, pode ser uma grave doença na família ou mesmo a per- da de emprego e outras ins- tabilidades que a vida sem- pre traz sobre nós. O fato é que todos nos passaremos por algumas dessas difíceis aflições e precisamos apren- der a como lidar com elas, o que fazer diante delas. Ape- sar de cada aflição e situa- ção desesperadora exigir ações específicas de nossa parte, existem algumas ações que a Bíblia nos ensi- naque,certamente,funciona- rão para qual- quer situação. Mas an- tes de falar dessas cinco coisas, quero citar que o personagem que irá nos ajudar a ver o ensino de Deus sobre isso é Jairo, chefe da sinagoga, ci- tado em Marcos 8:41. Jairo vivia uma situação desespe- radora. Sua filha de 12 anos estava morrendo. Mas, é di- ante dessa situação desespe- radora que veremos cinco coisas que Jairo fez e que fi- zeram toda a diferença para que ele passasse por essa situação de forma vitoriosa. Atitudes que deve- mos ter diante de situações difíceis Primeira - Jairo pro- curou Jesus Jesus estava fazendo a sua missão como de costu- me. Mas naquele dia um ho- mem saiu de sua zona de conforto, saiu do lugar da inércia e buscou ao Senhor Jesus. Ele era Jairo, chefe de uma sinagoga: “Eis que se chegou a ele um dos princi- pais da sinagoga, chamado Jairo, e, vendo-o, prostrou- se a seus pés” (Marcos 5:22). Situações desesperadoras e difíceis exigem que intensi- fiquemos a nossa busca, que derramemos o nosso cora- ção, que, mais do que nun- ca, nos empenhemos em buscar o Senhor todo pode- roso, que é a resposta para as nossas dores. Jairo fez isso. Poderia ter ficado cho- rando, murmurando, la- mentando-se da dificuldade que estava vivendo, mas ele preferiu sair de seu lugar e buscar a Jesus. Segunda - Jairo cla- mou a Jesus Ao encontrar Jesus, Jairo sabe diante de quem está, do poderoso Deus, e suplica ao Senhor o socor- ro que precisava: “e insis- tentemente lhe suplicou” (Marcos 5:23). Jairo sabia aquilo que buscava, sabia onde procurar e sabia que podia clamar a Jesus com fé, pois seria ouvido. A ousa- dia de Jairo é uma ousadia que precisamos ter quando passamos por situações de- sesperadoras. Devemos re- sistir a vontade de desistir ou mesmo de murmurar, e nos entregar ao clamor e a suplica. Terceira - Jairo creu que Jesus podia mudar a sua situação Jairo estava tão foca- do em sua busca, com a sua fé operando de tal forma, que teve até mesmo a ousa- dia de dizer a Jesus aquilo que o mestre deveria fazer. É claro que Jairo não esta- va desrespeitando Jesus aqui, mas apenas demons- trando o tamanho de sua fé no poder de Jesus Cristo de mudar a situação dele: “Mi- nha filhinha está à morte; vem, impõe as mãos sobre ela, para que seja salva, e viverá” (Marcos 5:23). Di- ante de uma situação deses- peradora a nossa fé é a nos- sa maior arma. Precisamos crer, precisamos colocar a nossa fé em ação. Quarta - Jairo não desanimou diante das más notícias Aqueles que estavam cuidando da filha de Jairo logo vieram até ele para tra- zer a má notícia: a menina havia morrido. Em outras palavras, toda a disposição de Jairo, na visão deles, ha- via falhado, ele não havia conseguido o milagre que com tamanha fé e disposi- ção tinha ido buscar. Porém, Jairo, mostra uma fé im- pressionante. Enquanto os outros estavam pedindo para que Jesus não fosse mais incomodado e alguns estavam rindo da fala de Je- sus de que a menina estava apenas dormindo (Marcos 8:40), Jairo se mantém ao lado de Cristo até ver a sua missão cumprida, que era a de levar Jesus para impor as mãos sobre sua filha. Nem mesmo diante da notícia da morte da sua filha Jairo teve sua fé abalada. Ele creu na palavra de Jesus e não de- sanimou diante das más notícias. Quinta - Jairo teste- munhou o milagre de Jesus Toda a boa disposição de Jairo o levou a testemu- nhar o milagre de Deus em sua vida: “Imediatamente, a menina se levantou e pôs- se a andar; pois tinha doze anos. Então, ficaram todos sobremaneira admirados” (Marcos 5:42). Mas e se Ja- iro tivesse ficado se lamen- tando, se não tivesse ido a Jesus, se não tivesse venci- do as más notícias com a sua fé, o que poderia ter acon- tecido? Não sabemos! Mas, certamente, muitas pessoas têm sido vencidas pelas si- tuações desesperadoras, quando poderiam estar co- lhendo o fruto da sua fé, quando poderiam estar ven- do os milagres acontecerem e glorificando a Deus pelo cuidado Dele. (Por André Sanches / via site Esboçan- do ideias) Memória VivaMemória VivaMemória VivaMemória VivaMemória Viva Os três pedreiros Três pedreiros entram de férias e vão a praia pela primeira vez. O primeiro diz: tanta água! O segundo diz: tanta areia! Aí o terceiro diz: vamos embora antes que alguém traga o cimento. O bêbado se achando O bêbado chegou ao bar e disse: Compadre, eu sou Deus. O dono do bar disse: Para de blasfemar, você já disse isso mais de mil vezes! O bêbado falou: Eu vou te provar vem comigo! Chegando à igreja o padre disse: Meu Deus você aqui de novo! CERRADO DE CAMPO MOURÃO, 1948: Reinhard Maack tendo como assistente o jovem Bigarella em missão do IBGE tirou 5 mil fotos do PR. Entre elas, esta nas proximidades do centro de Campo Mourão, na qual a assistente Dora Romariz do Amarante observa a palmeira. (Acervo do Prof. Bigarella, via Prof. Edson Edson Noriyuki Yokoo) (Fonte: Museu Municipal de Campo Mourão)
  7. 7. CidadesPARANÁ NOTÍCIAS Campo Mourão, 13 e 14 de maio de 2016 Página 07 Engenheiro Beltrão: prorrogado prazo de pagamento à vista do IPTU por mais um mês O contribuinte bel- trãoense terá mais uma oportunidade para o pa- gamento à vista do Im- posto Predial Territorial Urbano (IPTU). É que o município prorrogou o prazo por mais um mês. Ou seja, agora o pa- gamento à vista do tribu- to pode ser feito até o dia 10 de junho, e com des- conto de até 20%. “Quem não conseguiu fazer o pa- gamento à vista agora tem novamente esta opor- tunidade”, assegurou o chefe do setor de tributa- ção do município, Walmir Seguraço. O setor de arreca- A prefeitura já concluiu no mês passado a entrega dos 6,5 mil carnês do tributo Município promove Campanha do Agasalho no sábado O município de En- genheiro Beltrão promo- ve no próximo sábado, 14, a Campanha do Agasalho 2016. O evento é promo- vido pela Secretaria Mu- nicipal de Assistência e O evento é promovido pela Secretaria Municipal de Assistência e Desen- volvimento Social em parceria com várias entidades do município De acordo com nú- meros divulgados pela Vi- gilância Epidemiológica de Engenheiro Beltrão, a imunização contra a gri- pe no município já alcan- ça 57% dos grupos soci- ais considerados prioritá- rios. O resultado foi alcan- çado ao final do último sábado (30/04), quando foi realizado o “Dia D” da vacina. Do início da campa- nha até sábado, pelo me- nos 2,2 mil moradores já foram imunizadas no mu- nicípio. A meta da secre- taria da Saúde é vacinar 3.848 pessoas. Como ain- da faltam duas semanas para o encerramento da campanha, a expectativa é Campanha contra gripe atinge 57% dos grupos prioritários em Engenheiro Beltrão A meta da secretaria da Saúde é vacinar 3.848 pessoas Engenheiro Beltrão inicia atualização do cadastro únicoBeneficiários do Programa Bolsa Família em Engenheiro Beltrão estão sendo convocados a partir da próxima semana para atualizar o cadastro único para que possam continuar recebendo o be- nefício. No município, um total de 394 famílias deve fazer a atualização na sede doCentrodeReferênciada Assistência Social (CRAS) A atualização deve ser feita com documentos pessoais e dos demais integrantes da família dação do município mantém a estimativa de que 70% dos contribuintes optem pelo pagamento à vista. Já para quem preferir, pode parce- lar em até cinco vezes, com o primeiro pagamento tam- bém para o dia 10, mas nes- te caso sem descontos. O município projeta para este ano uma arreca- dação total com IPUT em cerca de R$ 1 milhão. A pre- feitura já concluiu no mês passado a entrega dos 6,5 mil carnês do tributo. Quem não recebeu em casa deve se dirigir à praça de atendi- mento da prefeitura para solicitar o mesmo. Seguraço pede a cola- boração da população para que fique em dia como pa- gamento do imposto. Se- gundo ele, os recursos do tributo são revertidos em melhorias ao município. “A arrecadação é revertida para infraestrutura da cida- de, ou seja, o contribuinte é o próprio beneficiado”, lem- brou. Ele acrescentou que ano passado o município teve cerca de 15% dos con- tribuintes inadimplentes com o imposto, o equivalen- te a cerca de R$ 300 mil, cujo dinheiro acabou dei- xando de ser investido em melhorias na infraestrutu- ra do município pelo não re- cebimento. (Assessoria de Imprensa) Desenvolvimento Social em parceria com várias entida- des do município. O objeti- vo da campanha, que acon- tece anualmente, é arrecadar agasalhos e cobertores para famílias carentes da cidade. A concentração da campanha será a partir das 7h30, na praça da Igreja Ma- triz. Em seguida as equipes sairão em visita às residênci- as arrecadando os donativos. “Convocamos todos os volun- tários e pessoas que possam auxiliar neste ato de solida- riedade ao próximo”, co- mentou o secretário de As- sistência e Desenvolvimen- to Social do município, Mar- cos Alexandre de Carvalho. De acordo com Car- valho, a cada ano a campa- nha bate recorde de doações. Para se ter ideia, no ano pas- sado, por exemplo, os dona- tivos arrecadados beneficia- ramcercade680famíliasca- rentes de Engenheiro Bel- trão. “No município o dife- rencial da campanha é o au- xilio de várias entidades que colaboram. Isso tem feito com que cada ano a gente consiga bater recorde de do- ações”, destacou. Além de entidades as- sistenciais e clubes de ser- viços, todas as secretarias municipais também estarão envolvidas na ação. “As fa- mílias carentes serão as grandes beneficiadas, uma vez que a previsão da mete- orologia para esse ano é de um inverno rigoroso. A meta é superar a doação do ano passado”, falou o secre- tário, solicitando a colabo- ração da população. (Asses- soria de Imprensa) que a meta de vacinação (80%) seja ultrapassada. A vacinação segue até o próximo dia 20 de maio em todas as unidades de saúde do município, que seguem abertas das 7 às 17 horas, cumprindo o calendário na- cional de vacinação. A ori- entação é que as pessoas do grupo prioritário que não vacinaram compareçam aos postos de saúde para tomar a vacina. Devem ser imuniza- das dentro dos grupos de- terminados na campanha idosos com mais de 60 anos; crianças de seis meses até cinco anos incompletos; gestantes; mulheres que deram a luz nos últimos 45 dias e portadores de doen- ças crônicas (cardíacas, res- piratórias, hepáticas, renal, diabetes, neurológicas, obe- sidade mórbida grau III, transplantados e portado- res de trissomias). A campanha também atinge outros públicos de risco, como trabalhadores de saúde, população indíge- na e privados de liberdade. Até o momento, segundo o setor de epidemiologia do município, não há casos da doença confirmados em Engenheiro Beltrão. Cuidados - Mesmo com a imunização, os cuida- dos para prevenir a doença devem continuar. A Secre- taria da Saúde recomenda a lavagem frequente das mãos com água e sabão principalmente depois de tossir ou espirrar e ao che- gar da rua. Outra recomendação é cobrir a boca e o nariz com um lenço descartável quan- do for tossir ou espirrar, bem como evitar locais fe- chados com aglomeração de pessoas. (Assessoria de Imprensa) nas segundas, terças e quin- tas-feiras das 13 às 16 horas, e nas quartas-feiras, das 8 às 11 horas. A atualização deve ser feita com documentos pesso- ais e dos demais integrantes da família, sob pena do blo- queio do benefício dos que não fizerem o procedimento e posteriormente o cancela- mento. A revisão acontece todos os anos para as famíli- as manterem os dados em dia e garantir que estão dentro dos critérios estabelecidos para receber o auxílio. O ca- dastro tem o prazo de dois anos e quando expira é obri- gado a revisão. Beneficiários que apresentarem inconsis- tências nos dados, como ren- da maior que R$ 164, por exemplo, o bloqueio é auto- mático. Em Engenheiro Bel- trão um total de 704 famílias recebe o beneficio, das quais 203 possuem o Mãe Parana- ense. Os beneficiários com renda menor que R$ 164 re- cebem do programa R$ 107,40. Dentro do Bolsa Família, existem ainda os benefícios básicos para famí- lias ou indivíduos que pos- suem uma renda menor que R$ 82 por per capita e o Bol- sa Jovem. BolsaFamília-Asele- ção das famílias é feita com base nas informações regis- tradaspelomunicípionoCa- dastro Único para Progra- mas Sociais do Governo Fe- deral. Com esses dados, o Ministério do Desenvolvi- mento Social e Combate à Fome(MDS)selecionaàque- las que serão incluídas para receber o benefício. No en- tanto, o cadastramento não implica a entrada imediata das famílias no programa e o recebimento do benefício. O Bolsa Família inte- gra o Plano Brasil Sem Mi- séria, que tem como foco de atuação os 16 milhões de brasileiros com renda fami- liar per capita inferior a R$ 70 mensais e está baseado na garantia de renda, inclusão produtiva e no acesso aos serviços públicos. (Assesso- ria de Imprensa)
  8. 8. Página 08 Campo Mourão, 13 e 14 de maio de 2016 Especial PARANÁ NOTÍCIAS Liminar do STF possibilita recálculo da dívida pública do ParanáO Estado do Paraná, por meio da atuação da Pro- curadoria-Geral do Estado, obteve nesta quarta-feira, 11, uma medida liminar na ação de refinanciamento da dívida pública do Estado com a União. A decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) possibilita que o Es- tado, independentemente do contrato com a União, recal- cule e pague sua dívida com juros simples, sem que haja sanções. A União aplica, em seuscálculos,ojurocompos- to – juro sobre juro. Com a aplicação do novo método, a estimativa da Secretaria da Fazenda do Paraná é de que não apenas a dívida parana- ense estaria totalmente qui- tada,comorestariaaindaum saldo credor de pouco mais de R$ 1 bilhão. O valor da dívida pública estadual esta- va em R$ 9,89 bilhões. RENEGOCIAÇÃO – Em meados de abril, o go- vernador Beto Richa já ha- via assinado um termo adi- tivo de revisão do indexador dadívidapública.Comamu- dança, o novo índice passou a ser o IPCA mais 4% ao ano, substituindo o que vi- gorava até então, que era o IGP-DI mais 6% ao ano. Somente essa mudan- ça possibilitou redução de R$ 466,8 milhões no saldo devedor e economia mensal de R$ 16 milhões nas par- celas a pagar. A revisão foi conseguida após forte pres- são dos Estados. O Paraná foi uma das primeiras uni- dades da federação a assinar o aditivo para a mudança no indexador. O Paraná contraiu fi- nanciamento de R$ 5,6 bi- lhões em 1998, com paga- mento em 30 anos, corrigi- dos pela variação do IGP- DI mais 6% de juro ao ano. Em dezembro de 2015, o Estado já havia pago R$ 13,5 bilhões e, mesmo as- sim, continuava a dever R$ 9,89 bilhões. CONFIANTE - O governador Beto Richa re- cebeu a imprensa nesta quinta-feira, 12, para falar sobre o novo momento po- lítico brasileiro e afirmou que o Paraná espera ter com o governo Michel Temer uma relação mais respeito- sa e republicana. “Será bem melhor. Queremos O Paraná contraiu financiamento de R$ 5,6 bilhões em 1998, com pagamento em 30 anos, corrigidos pela variação do IGP-DI mais 6% de juro ao ano. Em dezembro de 2015, o Estado já havia pago R$ 13,5 bilhões e, mesmo assim, continuava a dever R$ 9,89 bilhões resgatar a dívida histórica que o governo federal tem com o Paraná”, afirmou o governador. O afastamento da presidente Dilma Rousseff, disse Richa, representa uma importante etapa para o Brasil reencontrar o cami- nho do desenvolvimento, crescimento e geração de emprego. “A pressão popu- lar foi fundamental para an- damento do processo. Esse clamor deve permanecer agora. É importante que a classe política assuma uma nova postura, mais correta, transparente, ética e cum- pridora da sua missão”, de- fendeu. Richa elogiou o pre- sidente Michel Temer e o definiu como um político ar- ticulado e respeitoso. “Te- nho certeza que a postura com relação ao Paraná irá melhorar. Teremos um tra- tamento mais justo.” Richa falou sobre a indicação do deputado pa- ranaense Ricardo Barros para o Ministério da Saúde e salientou a importância para o estado ter uma lide- rança em uma das princi- pais pastas do governo fe- deral. "Tem muito trabalho a ser feito nesta área, mas confio na capacidade do novo ministro para dar con- ta do recado”.

×