SlideShare uma empresa Scribd logo

Leitura de partitura

Como ler uma partitura simples, destinados a pessoas que queiram entender um pouco sobre a leitura.

1 de 21
Baixar para ler offline
Leitura de partitura
   Achou difícil demais???

   Aqui você encontrará dicas para ler partituras
    simples. E depois de um tempo de dedicação,
    você verá que não é tão complicado.
   Para Lermos uma partitura    devemos
    conhecer alguns elementos:

   A Pauta ou Pentagrama;
   A Clave;
   O Compasso e;
   As figuras.
   É a reunião de cinco linhas paralelas, horizontais
    e equidistantes, que formam entre si quatro
    espaços. São nessas linhas que nos escrevemos
    as notas. As linhas e espaços são contadas de
    baixo para cima.
   Precisamos de linhas e espaços suplementares
    para fazer algumas notas, mais graves ou mais
    agudas (grossas ou finas).
    ___________________________________________________________________________________________________________________________
    ___________________________________________________________________________________________________________________________
    ___________________________________________________________________________________________________________________________
    ___________________________________________________________________________________________________________________________
    ___________________________________________________________________________________________________________________________
   É o sinal que colocamos no início da
    pauta, com a finalidade de dar nome as
    linhas e espaços da pauta.
   Temos três sinais de clave:
   Clave de Sol, escrita na 2º linha;
   Clave de Fá, escrita na 3ª ou 4ª linha e,
   Clave de Dó, escrita na 1ª, 2ª, 3ª ou 4ª
    linha.
Como podemos ver cada uma tem seu
formato, na medida que usamos uma
delas, as notas podem mudar de posição
na pauta.

Recomendados

Evangelização - Apostila de Música - Teoria Musical Infantil
Evangelização - Apostila de Música - Teoria Musical InfantilEvangelização - Apostila de Música - Teoria Musical Infantil
Evangelização - Apostila de Música - Teoria Musical InfantilAntonino Silva
 
Apostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicalApostila de Teoria musical
Apostila de Teoria musicaljaconiasmusical
 
Apostila de teoria musical - Princípios básicos da música - Jorge Nobre
Apostila  de teoria musical - Princípios básicos da música - Jorge NobreApostila  de teoria musical - Princípios básicos da música - Jorge Nobre
Apostila de teoria musical - Princípios básicos da música - Jorge NobrePartitura de Banda
 
Ler partitura
Ler partituraLer partitura
Ler partitura08012001
 
Apostilha de flauta transversal ccb
Apostilha de flauta transversal   ccbApostilha de flauta transversal   ccb
Apostilha de flauta transversal ccbDaniel Siqueira
 
Apostila violao-iniciantes (1)
Apostila violao-iniciantes (1)Apostila violao-iniciantes (1)
Apostila violao-iniciantes (1)Kenneswester
 
Apostila Teoria Musical
Apostila Teoria MusicalApostila Teoria Musical
Apostila Teoria Musicalroseandreia
 
Aula 2 - Flauta Transversal - Nível 1 e 2 - Projeto Aprendiz VV - 2012
Aula 2 - Flauta Transversal - Nível 1 e 2 - Projeto Aprendiz VV - 2012Aula 2 - Flauta Transversal - Nível 1 e 2 - Projeto Aprendiz VV - 2012
Aula 2 - Flauta Transversal - Nível 1 e 2 - Projeto Aprendiz VV - 2012Ramon Fávero
 

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Conceitos para tirar e tocar músicas de ouvido
Conceitos para tirar e tocar músicas de ouvidoConceitos para tirar e tocar músicas de ouvido
Conceitos para tirar e tocar músicas de ouvidopaulo_206
 
Curso de teclado
Curso de tecladoCurso de teclado
Curso de tecladoNeo Vader
 
Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)
Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)
Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)Saulo Gomes
 
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Henrique Antunes
 
Caderno de exercicios mts (2)
Caderno de exercicios mts (2)Caderno de exercicios mts (2)
Caderno de exercicios mts (2)Eliel Mariano
 
Exercicios para digitação no violão
Exercicios para digitação no violãoExercicios para digitação no violão
Exercicios para digitação no violãoMarcos Duprá
 
Curso de teclado completo
Curso de teclado completoCurso de teclado completo
Curso de teclado completoClaudio Luiz
 
Apostila Musical Teclado Para Iniciantes
Apostila Musical Teclado Para IniciantesApostila Musical Teclado Para Iniciantes
Apostila Musical Teclado Para IniciantesRenanAdvart
 
Harpa cristã em bb
Harpa cristã em bbHarpa cristã em bb
Harpa cristã em bbtio-jassa
 
Introdução à Música
Introdução à MúsicaIntrodução à Música
Introdução à MúsicaIvanilson Lima
 
Leitura de partituras
Leitura de partiturasLeitura de partituras
Leitura de partiturasdea7gil
 
Teoria musical
Teoria musicalTeoria musical
Teoria musicalOMAESTRO
 
Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!
Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!
Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!Priscila Alencastre
 
Apostila batidas de violao vol 3
Apostila batidas de violao   vol 3Apostila batidas de violao   vol 3
Apostila batidas de violao vol 3Leafar Azous
 

Mais procurados (20)

Conceitos para tirar e tocar músicas de ouvido
Conceitos para tirar e tocar músicas de ouvidoConceitos para tirar e tocar músicas de ouvido
Conceitos para tirar e tocar músicas de ouvido
 
Curso de teclado
Curso de tecladoCurso de teclado
Curso de teclado
 
Curso de violao
Curso de violaoCurso de violao
Curso de violao
 
Curso de teoria musical
Curso de teoria musicalCurso de teoria musical
Curso de teoria musical
 
Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)
Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)
Método rápido para tocar teclado vol.3 (mário mascarenhas)
 
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
Teoria Musical Básica Aulas 1 e 2
 
Apostila de violão - Módulo Iniciante
Apostila de violão - Módulo InicianteApostila de violão - Módulo Iniciante
Apostila de violão - Módulo Iniciante
 
Caderno de exercicios mts (2)
Caderno de exercicios mts (2)Caderno de exercicios mts (2)
Caderno de exercicios mts (2)
 
Abc musical
Abc musicalAbc musical
Abc musical
 
Novo bona ccb
Novo bona ccbNovo bona ccb
Novo bona ccb
 
Exercicios para digitação no violão
Exercicios para digitação no violãoExercicios para digitação no violão
Exercicios para digitação no violão
 
Curso de teclado completo
Curso de teclado completoCurso de teclado completo
Curso de teclado completo
 
Apostilas Conservatório
Apostilas ConservatórioApostilas Conservatório
Apostilas Conservatório
 
Apostila Musical Teclado Para Iniciantes
Apostila Musical Teclado Para IniciantesApostila Musical Teclado Para Iniciantes
Apostila Musical Teclado Para Iniciantes
 
Harpa cristã em bb
Harpa cristã em bbHarpa cristã em bb
Harpa cristã em bb
 
Introdução à Música
Introdução à MúsicaIntrodução à Música
Introdução à Música
 
Leitura de partituras
Leitura de partiturasLeitura de partituras
Leitura de partituras
 
Teoria musical
Teoria musicalTeoria musical
Teoria musical
 
Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!
Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!
Ensinando figuras de rítmo e valores musicais de forma divertida!
 
Apostila batidas de violao vol 3
Apostila batidas de violao   vol 3Apostila batidas de violao   vol 3
Apostila batidas de violao vol 3
 

Destaque

Partitura saltos no-tempo
Partitura saltos no-tempoPartitura saltos no-tempo
Partitura saltos no-tempoedublogntem
 
Como ler partituras
Como ler partiturasComo ler partituras
Como ler partiturasElvis Live
 
Exercicios silabacao ritmica
Exercicios silabacao ritmicaExercicios silabacao ritmica
Exercicios silabacao ritmicaNando Costa
 
INTRODUÇÃO AO TECLADO - COLEÇÃO UAB-UFSCar
INTRODUÇÃO AO TECLADO - COLEÇÃO UAB-UFSCarINTRODUÇÃO AO TECLADO - COLEÇÃO UAB-UFSCar
INTRODUÇÃO AO TECLADO - COLEÇÃO UAB-UFSCarEdson Diniz
 
Rita lee
Rita leeRita lee
Rita leetonin98
 
Gibido empreendedor
Gibido empreendedorGibido empreendedor
Gibido empreendedorEdson Diniz
 
O Exemplo de Cristo
O Exemplo de CristoO Exemplo de Cristo
O Exemplo de CristoJUERP
 
Filipenses aulas 01 e 02 (jin)
Filipenses aulas 01 e 02 (jin)Filipenses aulas 01 e 02 (jin)
Filipenses aulas 01 e 02 (jin)Jeronimo Nunes
 
O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo CristãoO Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo CristãoJUERP
 
Conselhos Necessários à Vida Cristã
Conselhos Necessários à Vida CristãConselhos Necessários à Vida Cristã
Conselhos Necessários à Vida CristãJUERP
 
IDE - CURSO DE MÚSICA
IDE - CURSO DE MÚSICAIDE - CURSO DE MÚSICA
IDE - CURSO DE MÚSICAMarkson Cézar
 
Curso de teclado step 1
Curso de teclado step 1Curso de teclado step 1
Curso de teclado step 1André Pires
 
Altura definida e indefinida
Altura definida e indefinidaAltura definida e indefinida
Altura definida e indefinidaFátima Simões
 
“A fé é pelo ouvir”
“A fé é pelo ouvir”“A fé é pelo ouvir”
“A fé é pelo ouvir”JUERP
 
Apostilha iniciciacao musical
Apostilha iniciciacao musicalApostilha iniciciacao musical
Apostilha iniciciacao musicalJorge Nobre
 

Destaque (20)

Partitura saltos no-tempo
Partitura saltos no-tempoPartitura saltos no-tempo
Partitura saltos no-tempo
 
Como ler partituras
Como ler partiturasComo ler partituras
Como ler partituras
 
Exercicios silabacao ritmica
Exercicios silabacao ritmicaExercicios silabacao ritmica
Exercicios silabacao ritmica
 
INTRODUÇÃO AO TECLADO - COLEÇÃO UAB-UFSCar
INTRODUÇÃO AO TECLADO - COLEÇÃO UAB-UFSCarINTRODUÇÃO AO TECLADO - COLEÇÃO UAB-UFSCar
INTRODUÇÃO AO TECLADO - COLEÇÃO UAB-UFSCar
 
Notação musical
Notação musicalNotação musical
Notação musical
 
Rita lee
Rita leeRita lee
Rita lee
 
Gibido empreendedor
Gibido empreendedorGibido empreendedor
Gibido empreendedor
 
Escalas pentatónicas
Escalas pentatónicasEscalas pentatónicas
Escalas pentatónicas
 
Desculpe o auê
Desculpe o auêDesculpe o auê
Desculpe o auê
 
O Exemplo de Cristo
O Exemplo de CristoO Exemplo de Cristo
O Exemplo de Cristo
 
Comprometimento
ComprometimentoComprometimento
Comprometimento
 
Curso de teclado
Curso de tecladoCurso de teclado
Curso de teclado
 
Filipenses aulas 01 e 02 (jin)
Filipenses aulas 01 e 02 (jin)Filipenses aulas 01 e 02 (jin)
Filipenses aulas 01 e 02 (jin)
 
O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo CristãoO Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
O Evangelho a Ser Vivido Pelo Cristão
 
Conselhos Necessários à Vida Cristã
Conselhos Necessários à Vida CristãConselhos Necessários à Vida Cristã
Conselhos Necessários à Vida Cristã
 
IDE - CURSO DE MÚSICA
IDE - CURSO DE MÚSICAIDE - CURSO DE MÚSICA
IDE - CURSO DE MÚSICA
 
Curso de teclado step 1
Curso de teclado step 1Curso de teclado step 1
Curso de teclado step 1
 
Altura definida e indefinida
Altura definida e indefinidaAltura definida e indefinida
Altura definida e indefinida
 
“A fé é pelo ouvir”
“A fé é pelo ouvir”“A fé é pelo ouvir”
“A fé é pelo ouvir”
 
Apostilha iniciciacao musical
Apostilha iniciciacao musicalApostilha iniciciacao musical
Apostilha iniciciacao musical
 

Semelhante a Leitura de partitura

Livro digital paulo zuben
Livro digital paulo zubenLivro digital paulo zuben
Livro digital paulo zubenRogerio Lima
 
Pauta, Claves E NoçõEs De Partitura
Pauta, Claves E NoçõEs De PartituraPauta, Claves E NoçõEs De Partitura
Pauta, Claves E NoçõEs De PartituraHOME
 
Apostila de teoria musical
Apostila de teoria musicalApostila de teoria musical
Apostila de teoria musicalAlex Damasceno
 
Apresentação slide ludmila
Apresentação slide   ludmilaApresentação slide   ludmila
Apresentação slide ludmilaludmila1roder
 
Apostila iniciacao musical
Apostila iniciacao musicalApostila iniciacao musical
Apostila iniciacao musicalArnaldo Alves
 
Apostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdf
Apostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdfApostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdf
Apostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdfRcivalAlves1
 
Apostila teoria musical
Apostila teoria musicalApostila teoria musical
Apostila teoria musicalAdriana Reis
 
Teoria musical para iniciante
Teoria musical para iniciante Teoria musical para iniciante
Teoria musical para iniciante FelipeAbreu45
 
Apostilade teoria musical
Apostilade teoria musicalApostilade teoria musical
Apostilade teoria musicaltricolornaveia
 
Apostila de teoria musical 01
Apostila de teoria musical 01Apostila de teoria musical 01
Apostila de teoria musical 01Jorge Oliveira
 
Teoria Musical
Teoria MusicalTeoria Musical
Teoria MusicalHOME
 

Semelhante a Leitura de partitura (20)

Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdfApostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
Apostila teoria musical - Rose Andréia.pdf
 
Livro digital paulo zuben
Livro digital paulo zubenLivro digital paulo zuben
Livro digital paulo zuben
 
Pauta, Claves E NoçõEs De Partitura
Pauta, Claves E NoçõEs De PartituraPauta, Claves E NoçõEs De Partitura
Pauta, Claves E NoçõEs De Partitura
 
Lendo partitura.docx
Lendo partitura.docxLendo partitura.docx
Lendo partitura.docx
 
Abcmusical
AbcmusicalAbcmusical
Abcmusical
 
Apt000002
Apt000002Apt000002
Apt000002
 
Apostila de teoria musical
Apostila de teoria musicalApostila de teoria musical
Apostila de teoria musical
 
Apresentação slide ludmila
Apresentação slide   ludmilaApresentação slide   ludmila
Apresentação slide ludmila
 
Apostila iniciacao musical
Apostila iniciacao musicalApostila iniciacao musical
Apostila iniciacao musical
 
Apostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdf
Apostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdfApostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdf
Apostila de Teoria -M.Jorge Nobre.pdf
 
Apostila de Música.pdf
Apostila de Música.pdfApostila de Música.pdf
Apostila de Música.pdf
 
Apostila teoria musical
Apostila teoria musicalApostila teoria musical
Apostila teoria musical
 
Teoria musical para iniciante
Teoria musical para iniciante Teoria musical para iniciante
Teoria musical para iniciante
 
Apostila de teoria musical
Apostila de teoria musicalApostila de teoria musical
Apostila de teoria musical
 
Apostilade teoria musical
Apostilade teoria musicalApostilade teoria musical
Apostilade teoria musical
 
Apostila de teoria musical 01
Apostila de teoria musical 01Apostila de teoria musical 01
Apostila de teoria musical 01
 
Exercicios
ExerciciosExercicios
Exercicios
 
Teoria musical
Teoria musicalTeoria musical
Teoria musical
 
Teoria musical2009
Teoria musical2009Teoria musical2009
Teoria musical2009
 
Teoria Musical
Teoria MusicalTeoria Musical
Teoria Musical
 

Último

a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...azulassessoriaacadem3
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...apoioacademicoead
 
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...assessoriaff01
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Mary Alvarenga
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...azulassessoriaacadem3
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...azulassessoriaacadem3
 
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...apoioacademicoead
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...azulassessoriaacadem3
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...azulassessoriaacadem3
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIAHenrique Pontes
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioElementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioProfessor Belinaso
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...azulassessoriaacadem3
 
A) Comportamento treino-instrução. B) Comportamento de apoio social. C) Compo...
A) Comportamento treino-instrução. B) Comportamento de apoio social. C) Compo...A) Comportamento treino-instrução. B) Comportamento de apoio social. C) Compo...
A) Comportamento treino-instrução. B) Comportamento de apoio social. C) Compo...apoioacademicoead
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;azulassessoriaacadem3
 
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...apoioacademicoead
 

Último (20)

a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
a. Cite e explique os três princípios básicos da progressão do treinamento de...
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
A Organização Racional do Trabalho (ORT), proposta por Frederick Taylor no in...
 
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
MAPA - CÁLCULO DIFERENCIAL E INTEGRAL II - 51/2024 (ENGENHARIA DE PRODUÇÃO) 2...
 
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
Letra da música Maria, Maria de Milton Nascimento
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
Depois de refletir sobre essas etapas, o planejamento será registrado por mei...
 
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
Considerando a Teoria da Autodeterminação abordada no livro da disciplina, de...
 
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docxGABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
GABARITO CRUZADINHA PATRIM E FONTES.docx
 
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
2. É possível a denúncia do Estado agressor junto ao Tribunal Penal Internaci...
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
Desenvolva um texto dissertativo sobre como a experiência de Deus pode ser re...
 
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIACONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
CONCEITOS BÁSICOS DA GEOGRAFIAGEOGRAFIAGEOGRAFIA
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médioElementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
Elementos da Formação Social: sociologia no ensino médio
 
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
3 – As principais características de cada tendência pedagógica, na ordem: o p...
 
A) Comportamento treino-instrução. B) Comportamento de apoio social. C) Compo...
A) Comportamento treino-instrução. B) Comportamento de apoio social. C) Compo...A) Comportamento treino-instrução. B) Comportamento de apoio social. C) Compo...
A) Comportamento treino-instrução. B) Comportamento de apoio social. C) Compo...
 
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
1 – O nome de cada uma das tendências pedagógicas, em ordem cronológica;
 
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
4. Descreva como a empresa funciona e de que maneira a teoria da ORT é observ...
 

Leitura de partitura

  • 2. Achou difícil demais???  Aqui você encontrará dicas para ler partituras simples. E depois de um tempo de dedicação, você verá que não é tão complicado.
  • 3. Para Lermos uma partitura devemos conhecer alguns elementos:  A Pauta ou Pentagrama;  A Clave;  O Compasso e;  As figuras.
  • 4. É a reunião de cinco linhas paralelas, horizontais e equidistantes, que formam entre si quatro espaços. São nessas linhas que nos escrevemos as notas. As linhas e espaços são contadas de baixo para cima.  Precisamos de linhas e espaços suplementares para fazer algumas notas, mais graves ou mais agudas (grossas ou finas). ___________________________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________________________ ___________________________________________________________________________________________________________________________
  • 5. É o sinal que colocamos no início da pauta, com a finalidade de dar nome as linhas e espaços da pauta.  Temos três sinais de clave:  Clave de Sol, escrita na 2º linha;  Clave de Fá, escrita na 3ª ou 4ª linha e,  Clave de Dó, escrita na 1ª, 2ª, 3ª ou 4ª linha.
  • 6. Como podemos ver cada uma tem seu formato, na medida que usamos uma delas, as notas podem mudar de posição na pauta.
  • 7. Hoje vamos aprender as posições das notas na pauta, com o uso da clave de sol.  Como a clave é escrita na 2ª linha, chamamos a segunda linha de sol, portanto o espaço entre a 2ª e 3ª linha se chamará lá, a 3ª linha será si, o terceiro espaço dó e assim por diante, tanto para cima como para baixo, veja o exemplo.
  • 9. As Figuras são sete:  Semibreve;  Mínima;  Semínima;  Colcheia;  Semicolcheia;  Fusa e;  Semifusa.
  • 10. Semibreve  Mínima  Semínima  Colcheia
  • 11. Essas figuras representam o silêncio, toda vez que forem lidas devem ser obedecidas o seu valor em silêncio.  Pausa da Semibreve:  Pausa da Mínima:  Pausa da Semínima:  Pausa da Colcheia:
  • 12. Compasso é a métrica que utilizamos para dividir as frases musicais.  Existem compassos (mais comuns) de dois, três ou quatro tempos, ou seja, Binário, Ternário e Quaternário  Chamamos de tempo a unidade métrica da música.
  • 13. O Samba é composto no Compasso Binário (dois tempos).  A Valsa é composta no Compasso Ternário (três tempos)  O Bolero é composto no Compasso Quaternário (quatro tempos)
  • 14. É a fração numérica colocada, após a armadura de clave, onde indica a quantidade de tempo e a unidade de tempo(figura que valerá um tempo).  2/4: o dois indica o número de tempo e o quatro indica a figura que será a unidade de tempo.  3/8: o três indica o número de tempo e o oito indica a figura que será a unidade de tempo.
  • 15.  As figuras têm o seu RG, numero que a identifica na fórmula de compasso, a partir dali se distribui valores para as outras figuras.  Semibreve - 1  Mínima - 2  Semínima - 4  Colcheia - 8  Semicolcheia -16  Fusa - 32  Semifusa - 64
  • 16.  2/4 : é um compasso de dois tempos cuja a unidade de tempo é a semínima. Se a semínima vale um tempo a mínima valerá dois, e a semibreve valerá quatro tempos  3/8: é um compasso de três tempos cuja a unidade de tempo é a colcheia. Se colcheia vale um tempo, a semínima valerá dois, e a mínima valerá quatro tempos.
  • 17. As figuras de um tempo, vamos pronunciar: Pão  Duas figuras de meio tempo, vamos pronunciar: Bo-lo  Exemplo: pão pão bo-lo bo-lo pão bo-lo pão bo-lo
  • 20. Espero que você tenha reconhecido o ritmo do PARABÉNS, a melodia podemos ver em outra ocasião.  Não foi tão difícil, procure outras músicas com as mesmas figuras e tente executá-las.  Até a próxima aula...
  • 21. Estudante de Licenciatura em Música da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro – UNIRIO.