SlideShare uma empresa Scribd logo

Lixo5

1 de 43
Baixar para ler offline
COLÉGIO ESTADUAL PLÍNIO CARNEIRO DA SILVA
DISCIPLINA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL
DOCENTE: EMILY SOUZA




                   Lixo
Lixo

O que é         ?

 Resíduos sólidos produzidos e descartados,
 individual ou coletivamente, pela ação
 humana, animal ou por fenômenos naturais,
 nocivos à saúde, ao meio ambiente e ao
 bem-estar da população.
Como se classificar o          ?

Por sua natureza física:
Lixo seco:
É qualquer espécie de papel, plástico, lata,
metal, vidro e qualquer material reciclável.

Lixo molhado:
É formado principalmente por matéria
orgânica, facilmente degradável originados
principalmente por restos de alimentos.
Como se classificar o           ?

Por sua composição química:

Matéria orgânica:
É todo lixo que tem origem animal ou vegetal, ou
seja, que recentemente fez parte de um ser vivo.
Como se classificar o            ?

Por sua composição química:

Matéria Inorgânica:
Inclui todo material que não possui origem
biológica, ou que foi produzida através de meios
humanos.
Como se classificar o            ?


Pelos riscos potenciais ou meio ambiente:

Perigosos:
São os que apresentam riscos ao meio ambiente
e exigem tratamento e disposição especiais, ou
que apresentam riscos à saúde pública.
Anúncio

Recomendados

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Reciclagem-
 
Armazenamento e tratamento de residuos sólidos parte1
Armazenamento e tratamento de residuos sólidos   parte1Armazenamento e tratamento de residuos sólidos   parte1
Armazenamento e tratamento de residuos sólidos parte1Gilson Adao
 
Seminario residuos rejeitos apresentação power point
Seminario residuos rejeitos apresentação power pointSeminario residuos rejeitos apresentação power point
Seminario residuos rejeitos apresentação power pointLeandro Tomé
 
Projeto vasconcelos jardim - lixo - jonas
Projeto   vasconcelos jardim - lixo - jonasProjeto   vasconcelos jardim - lixo - jonas
Projeto vasconcelos jardim - lixo - jonasClarissa Trojack
 
Saiba mais sobre o seu LIXO.
Saiba mais sobre o seu LIXO.Saiba mais sobre o seu LIXO.
Saiba mais sobre o seu LIXO.Italo Malta
 
LIXÃO DE CONCEIÇÃO DO COITÉ.
LIXÃO DE CONCEIÇÃO DO COITÉ.LIXÃO DE CONCEIÇÃO DO COITÉ.
LIXÃO DE CONCEIÇÃO DO COITÉ.Juliana Boaventura
 
Resíduos - um mal necessário.O que fazer?
Resíduos - um mal necessário.O que fazer?Resíduos - um mal necessário.O que fazer?
Resíduos - um mal necessário.O que fazer?Helena Marques
 
Residúos Sólidos
Residúos SólidosResidúos Sólidos
Residúos SólidosFATEC Cariri
 

Mais procurados (18)

Lixo
LixoLixo
Lixo
 
Reciclagem
ReciclagemReciclagem
Reciclagem
 
Lixo 1201307853819881-3
Lixo 1201307853819881-3Lixo 1201307853819881-3
Lixo 1201307853819881-3
 
Armazenamento e tratamento de residuos sólidos parte1
Armazenamento e tratamento de residuos sólidos   parte1Armazenamento e tratamento de residuos sólidos   parte1
Armazenamento e tratamento de residuos sólidos parte1
 
Tipos de Lixo
Tipos de LixoTipos de Lixo
Tipos de Lixo
 
Seminario residuos rejeitos apresentação power point
Seminario residuos rejeitos apresentação power pointSeminario residuos rejeitos apresentação power point
Seminario residuos rejeitos apresentação power point
 
Projeto vasconcelos jardim - lixo - jonas
Projeto   vasconcelos jardim - lixo - jonasProjeto   vasconcelos jardim - lixo - jonas
Projeto vasconcelos jardim - lixo - jonas
 
Saiba mais sobre o seu LIXO.
Saiba mais sobre o seu LIXO.Saiba mais sobre o seu LIXO.
Saiba mais sobre o seu LIXO.
 
Resíduos
ResíduosResíduos
Resíduos
 
A Reciclagem
A ReciclagemA Reciclagem
A Reciclagem
 
Coleta seletiva 2003
Coleta seletiva 2003Coleta seletiva 2003
Coleta seletiva 2003
 
Coleta seletiva - Sheila
Coleta seletiva - SheilaColeta seletiva - Sheila
Coleta seletiva - Sheila
 
LIXÃO DE CONCEIÇÃO DO COITÉ.
LIXÃO DE CONCEIÇÃO DO COITÉ.LIXÃO DE CONCEIÇÃO DO COITÉ.
LIXÃO DE CONCEIÇÃO DO COITÉ.
 
Lixo!
Lixo!Lixo!
Lixo!
 
Resíduos - um mal necessário.O que fazer?
Resíduos - um mal necessário.O que fazer?Resíduos - um mal necessário.O que fazer?
Resíduos - um mal necessário.O que fazer?
 
Resíduos sólidos
Resíduos sólidosResíduos sólidos
Resíduos sólidos
 
Lixo
LixoLixo
Lixo
 
Residúos Sólidos
Residúos SólidosResidúos Sólidos
Residúos Sólidos
 

Destaque

Destaque (7)

Zanzibar, Royalty
Zanzibar, RoyaltyZanzibar, Royalty
Zanzibar, Royalty
 
10 pontos
10 pontos10 pontos
10 pontos
 
Lixo
LixoLixo
Lixo
 
Isótopos
IsótoposIsótopos
Isótopos
 
Komski1
Komski1Komski1
Komski1
 
Pengertian Ilmu ekonomi
Pengertian Ilmu ekonomiPengertian Ilmu ekonomi
Pengertian Ilmu ekonomi
 
Trendsfactory 2010 Social Media In De Praktijk Sonja Loth
Trendsfactory 2010   Social Media In De Praktijk   Sonja LothTrendsfactory 2010   Social Media In De Praktijk   Sonja Loth
Trendsfactory 2010 Social Media In De Praktijk Sonja Loth
 

Semelhante a Lixo5

0508 Aterro sanitário - Rose
0508 Aterro sanitário - Rose0508 Aterro sanitário - Rose
0508 Aterro sanitário - Roselaiscarlini
 
Promocao Saúde e Qualidade de Vida
Promocao Saúde e Qualidade de VidaPromocao Saúde e Qualidade de Vida
Promocao Saúde e Qualidade de VidaCarmenElica
 
Tcvb2 marco gomes_residos urbanos
Tcvb2 marco gomes_residos urbanosTcvb2 marco gomes_residos urbanos
Tcvb2 marco gomes_residos urbanosMarco Gomes
 
O problema dos resíduos 9g
O problema dos resíduos 9gO problema dos resíduos 9g
O problema dos resíduos 9gMayjö .
 
Dimensionamento de aterros sanitários
Dimensionamento de aterros sanitáriosDimensionamento de aterros sanitários
Dimensionamento de aterros sanitáriosCarlos Elson Cunha
 
Slides de reciclagem
Slides de reciclagemSlides de reciclagem
Slides de reciclagemmo27tta60
 
Olixourbano 100629124536-phpapp01
Olixourbano 100629124536-phpapp01Olixourbano 100629124536-phpapp01
Olixourbano 100629124536-phpapp01Kelvin Oliveira
 
Residuos 9 f
Residuos 9 fResiduos 9 f
Residuos 9 fMayjö .
 
Residuos 9e
Residuos 9eResiduos 9e
Residuos 9eMayjö .
 
Disposição e tratamentos de residuos sólidos
Disposição e tratamentos de residuos sólidos Disposição e tratamentos de residuos sólidos
Disposição e tratamentos de residuos sólidos Luiz Carlos
 
Resíduos sólidos.pdf
Resíduos sólidos.pdfResíduos sólidos.pdf
Resíduos sólidos.pdfrickriordan
 

Semelhante a Lixo5 (20)

PROJETO LIXO NO LIXO.ppt
PROJETO LIXO NO LIXO.pptPROJETO LIXO NO LIXO.ppt
PROJETO LIXO NO LIXO.ppt
 
0508 Aterro sanitário - Rose
0508 Aterro sanitário - Rose0508 Aterro sanitário - Rose
0508 Aterro sanitário - Rose
 
Promocao Saúde e Qualidade de Vida
Promocao Saúde e Qualidade de VidaPromocao Saúde e Qualidade de Vida
Promocao Saúde e Qualidade de Vida
 
Resíduos sólidos indústriais Fastweld
Resíduos sólidos indústriais FastweldResíduos sólidos indústriais Fastweld
Resíduos sólidos indústriais Fastweld
 
Autor
AutorAutor
Autor
 
Tcvb2 marco gomes_residos urbanos
Tcvb2 marco gomes_residos urbanosTcvb2 marco gomes_residos urbanos
Tcvb2 marco gomes_residos urbanos
 
O problema dos resíduos 9g
O problema dos resíduos 9gO problema dos resíduos 9g
O problema dos resíduos 9g
 
Residuos e Compostagem
Residuos e Compostagem Residuos e Compostagem
Residuos e Compostagem
 
Dimensionamento de aterros sanitários
Dimensionamento de aterros sanitáriosDimensionamento de aterros sanitários
Dimensionamento de aterros sanitários
 
Slides de reciclagem
Slides de reciclagemSlides de reciclagem
Slides de reciclagem
 
Olixourbano 100629124536-phpapp01
Olixourbano 100629124536-phpapp01Olixourbano 100629124536-phpapp01
Olixourbano 100629124536-phpapp01
 
Residuos8ano
Residuos8anoResiduos8ano
Residuos8ano
 
Lixo
LixoLixo
Lixo
 
Residuos 9 f
Residuos 9 fResiduos 9 f
Residuos 9 f
 
Resíduos.pdf
Resíduos.pdfResíduos.pdf
Resíduos.pdf
 
O lixo urbano
O lixo urbanoO lixo urbano
O lixo urbano
 
Residuos 9e
Residuos 9eResiduos 9e
Residuos 9e
 
Disposição e tratamentos de residuos sólidos
Disposição e tratamentos de residuos sólidos Disposição e tratamentos de residuos sólidos
Disposição e tratamentos de residuos sólidos
 
Trabalho de cidadania
Trabalho de cidadaniaTrabalho de cidadania
Trabalho de cidadania
 
Resíduos sólidos.pdf
Resíduos sólidos.pdfResíduos sólidos.pdf
Resíduos sólidos.pdf
 

Lixo5

  • 1. COLÉGIO ESTADUAL PLÍNIO CARNEIRO DA SILVA DISCIPLINA: EDUCAÇÃO AMBIENTAL DOCENTE: EMILY SOUZA Lixo
  • 2. Lixo O que é ? Resíduos sólidos produzidos e descartados, individual ou coletivamente, pela ação humana, animal ou por fenômenos naturais, nocivos à saúde, ao meio ambiente e ao bem-estar da população.
  • 3. Como se classificar o ? Por sua natureza física: Lixo seco: É qualquer espécie de papel, plástico, lata, metal, vidro e qualquer material reciclável. Lixo molhado: É formado principalmente por matéria orgânica, facilmente degradável originados principalmente por restos de alimentos.
  • 4. Como se classificar o ? Por sua composição química: Matéria orgânica: É todo lixo que tem origem animal ou vegetal, ou seja, que recentemente fez parte de um ser vivo.
  • 5. Como se classificar o ? Por sua composição química: Matéria Inorgânica: Inclui todo material que não possui origem biológica, ou que foi produzida através de meios humanos.
  • 6. Como se classificar o ? Pelos riscos potenciais ou meio ambiente: Perigosos: São os que apresentam riscos ao meio ambiente e exigem tratamento e disposição especiais, ou que apresentam riscos à saúde pública.
  • 7. Como se classificar o ? Pelos riscos potenciais ou meio ambiente: Não-Inertes: São basicamente os resíduos com as características do lixo doméstico.
  • 8. Como se classificar o ? Pelos riscos potenciais ou meio ambiente: Inertes: São os resíduos que não se degradam ou não se decompõem quando dispostos no solo.
  • 9. Como se classificar o ? Origem em relação à atividade humana: Domiciliar Aquele originado da vida diária das residências, constituído por setores de alimentos (tais como, cascas de frutas, verduras etc.), produtos deteriorados, jornais e revistas, garrafas, embalagens em geral, papel higiênico, fraldas descartáveis e uma grande diversidade de outros itens. Contém, ainda, alguns resíduos que podem ser tóxicos.
  • 10. Como se classificar o ? Origem em relação à atividade humana: Comercial Aquele originado dos diversos estabelecimentos comerciais e de serviços, tais como, supermercados, estabelecimentos bancários, lojas, bares, restaurantes etc.
  • 11. Como se classificar o ? Origem em relação à atividade humana: Público São aqueles originados dos serviços: •de limpeza pública urbana, incluindo todos os resíduos de varrição das vias públicas, limpeza de praias, de galerias, de córregos e de terrenos, restos de podas de árvores etc.; •de limpeza de áreas de feiras livres, constituídos por restos vegetais diversos, embalagens etc.
  • 12. Como se classificar o ? Origem em relação à atividade humana: Serviços de saúde e hospitalar Constituem os resíduos sépticos, ou seja, que contêm ou potencialmente podem conter germes patogênicos.São produzidos em serviços de saúde.
  • 13. Como se classificar o ? Origem em relação à atividade humana: Portos, aeroportos, terminais rodoviários e ferroviários: Constituem os resíduos sépticos, ou seja, aqueles que contêm ou potencialmente podem conter germes patogênicos, trazidos aos portos, terminais rodoviários e aeroportos.
  • 14. Como se classificar o ? Origem em relação à atividade humana: Industrial Aquele originado nas atividades dos diversos ramos da indústria, tais como, metalúrgica, química, petroquímica, papelaria, alimentícia etc.
  • 15. Como se classificar o ? Origem em relação à atividade humana: Agrícola Resíduos sólidos das atividades agrícolas e da pecuária, como embalagens de adubos, defensivos agrícolas, ração, restos de colheita etc.
  • 16. Como se classificar o ? Origem em relação à atividade humana: Lixo radioativo Resíduo tóxico e venenoso formado por substâncias radioativas resultantes do funcionamento de reatores nucleares.
  • 17. Como se classificar o ? Origem em relação à atividade humana: Lixo atômico Produto resultante da queima do combustível nuclear, composto de urânio enriquecido com isótopo atômico 235.
  • 18. Como se classificar o ? Origem em relação à atividade humana: Lixo espacial Restos provenientes dos objetos lançados pelo homem no espaço, que circulam ao redor da Terra com a velocidade de cerca de 28 mil quilômetros por hora.
  • 19. Como se classificar o ? Origem em relação à atividade humana: Entulho Resíduos da construção civil: demolições e restos de obras, solos de escavações etc. O entulho é, geralmente, um material inerte, passível de reaproveitamento.
  • 20. Tempo necessário para decomposição do MATERIAL PRESERVAÇÃO DECOMPOSIÇÃO RECICLADO 1000 kg de o corte de 20 1 a 3 meses papel árvores 1000 kg de extração de 200 a 450 anos plástico milhares de litros de petróleo 1000 kg de extração de 5000 100 a 500 anos alumínio kg de minério 1000 kg de extração de 1300 4000 anos vidro kg de areia
  • 21. Conseqüências do para o ambiente 1. Contaminações dos lençóis freáticos 2. Contaminações de rios e oceanos 3. Poluição do ar 4. Desequilíbrios dos ciclos naturais 5. Proliferação de insetos e ratos
  • 22. Conseqüências para a saúde Disseminação de diversas e graves doenças Ex: dengue, febre amarela, disenteria, febre tifóide, cólera, leptospirose, giardíase, peste bubônica, tétano, hepatite A ou infecciosa, malária e esquistossomose
  • 23. Tratamento do Aterro sanitário: São grandes terrenos onde o lixo é depositado, comprimido e depois espalhado por tratores em camadas separadas por terra.
  • 28. Tratamento do Incineradores: Indicados sobretudo para materiais de alto risco, podem ser utilizados para a queima de outros resíduos, reduzindo seu volume. As cinzas ocupam menos espaço nos aterros e reduz-se o risco de poluição do solo. Entretanto, podem liberar gases nocivos à saúde, e seu alto custo os torna inacessíveis para a maioria dos municípios.
  • 29. Tratamento do Usinas de compostagem: Transformam os resíduos orgânicos presentes no lixo em adubo, reduzindo o volume destinado aos aterros.
  • 30. Tratamento do Coleta seletiva: É uma alternativa ecologicamente correta que desvia, do destino em aterros sanitários ou lixões, resíduos sólidos que poderiam ser reciclados.
  • 32. Tratamento do O que depositar:
  • 34. Tratamento do O que não depositar:
  • 35. Tratamento do Resultados da coleta seletiva 1.Ambientais: Os maiores beneficiados por esse sistema são o meio ambiente e a saúde da população, a reciclagem implica uma redução significativa dos níveis de poluição ambiental e do desperdício de recursos naturais, através da economia de energia e matérias-primas.
  • 36. Tratamento do Resultados da coleta seletiva 2.Econômicos: A coleta seletiva e reciclagem do lixo doméstico apresenta, normalmente, um custo mais elevado do que os métodos convencionais.
  • 37. Tratamento do Resultados da coleta seletiva 3.Políticos: Além de contribuir positivamente para a imagem do governo e da cidade a coleta seletiva exige um exercício de cidadania, no qual os cidadãos assumem um papel ativo em relação à administração da cidade.
  • 38. Tratamento do Você sabe o que é preciclar? É muito simples! É pensar antes de comprar. 40% do que nós compramos é lixo. Pense no resíduo da sua compra antes de comprar. Às vezes um produto um pouco mais caro tem uma embalagem aproveitável para outros fins.
  • 39. Como diminuir a produção de 1. Reduzindo o desperdício; 2. Separando o material reciclável para a coleta seletiva; 3. Substitua descartáveis; 4. Evite embalagens supérfluas ou de difícil reciclagem;
  • 40. Como diminuir a produção de 5. Reaproveite papel para rascunho, frascos e potes; 6. Conserte utensílios em sapateiros; 7. Doe, troque ou venda seus materiais usados antes de descartar; 8. Transforme sobras de comida e poda de vegetação em um tipo de adubo em casa ou no trabalho.
  • 41. Como diminuir a produção de O principal meio para diminuirmos a poluição, é nos conscientizarmos e nos reeducarmos. Fotos de um bairro de Jequié – BA:
  • 42. "Muitas pessoas costumam perguntar o que precisamos fazer para mudarmos nossas atitudes e hábitos em relação à conservação do meio ambiente, e sempre fico pensando que não precisamos fazer grandes coisas" [...] 17/09/2012Editorial - Solange T. de Lima
  • 43. Referências bibliográficas PEREIRA, W. L.; SOUZA, G.; NILVANA, E.; TAKAKO, R.; BARBOSA, S.; MEIRY, S.Química e Sociedade. A ciência, os materiais e o lixo. mod.1, ed. Nova geração: 2003. Disponível em: http://www.lixo.com.br/ http://www.lixozero.com.br/ http://www.compam.com.br http://www.usp.br