Efeitos Colaterais da Radioterapia e Quimioterapia na Cavidade Bucal

11.737 visualizações

Publicada em

Orientação de TCC UNICID

Publicada em: Saúde
1 comentário
9 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Interesante presentacion sobre odontologia en costa rica, me fue de mucha utilidad ya que estoy iniciando mis estudios en esta area, si están interesados comparto con ustedes el sitio http://medicoscr.net/26-odontologia.html donde encontrarán un directorio de especialistas en odontologia, saludos y espero ver más aportes.
       Responder 
    Tem certeza que deseja  Sim  Não
    Insira sua mensagem aqui
Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
11.737
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
0
Comentários
1
Gostaram
9
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Efeitos Colaterais da Radioterapia e Quimioterapia na Cavidade Bucal

  1. 1. 24/02/2012 RESUMO Atualmente, são adotadas três modalidades principais de tratamento antineoplásico: cirurgia, radioterapia e/ou quimioterapia. Assim, o propósito deste trabalho é, através de uma revisão de literatura, apresentar as principais manifestações bucais oriundas da quimioterapia e/ou radioterapia, ressaltando a importância da Odontologia na equipe multidisciplinar possibilitando assim uma melhor qualidade de vida ao paciente e aumentando as chances de sucesso do tratamento. ressaltando a importância da Odontologia na equipe multidisciplinar, possibilitando assim uma melhor qualidade de vida ao paciente e aumentando as chances de sucesso do tratamento. FATORES QUE INDUZEM E OU AGRAVAM OCÂNCER BUCAL CÂNCER BUCAL Ocorre pelo crescimento desordenado de células que Predisposição genética invadem os tecidos e órgãos, podendo espalhar-se Tabagismo e Poluição Etilismo atmosférica (metástase) para outras regiões do corpo .É a patologia mais frequente na população mundial, acometendo, Exposição Multifatorial frequente à luz principalmente, os indivíduos dos países em ultravioleta Vírus como o HPV desenvolvimento. Fatores hormonais Fontes de radiação. (MINISTÉRIO DA SAÚDE, 2009) (HUBER E TEREZHALMY ET AL.2003) Características clínicas Características clínicas Imagens cedidas pela Profª.Dulce Helena Cabelho Passarelli Úlcera vegetante em Úlcera crateriforme em palato duro entremeadas rebordo inferior com Imagens cedidas pela Profª.Dulce por lesões brancas e áreas de necrose e Helena Cabelho vermelhas sangramento Passarelli espontâneo 1
  2. 2. 24/02/2012 EFEITOS COLATERAIS DA RADIOTERAPIA RADIOTERAPIA NA CAVIDADE BUCAL A radioterapia tem finalidade de exterminar as Mucosite Disfagia Cárie de células neoplásicas para que haja a redução radiação ou desaparecimento da neoplasia maligna, Osteorradio- necrose Trismo entretanto, o efeito desse tratamento também Disgeusia Doença periodontal será sentido nas células normais do Candidíase Xerostomia organismo (CAIELLI E MARTHA E DIB 1995).MUCOSITE - RADIOTERAPIA XEROSTOMIA - RADIOTERAPIA Sinais e Sintomas  A saliva residual toma-seSinais e Sintomas viscosa, com menor poder de lubrificação e proteção. Processo de inflamação.  Acentuada diminuição do pH Dor intensa, ardência. Imagens cedidas pela Profª.Dulce  Atrofia dos ácinos, Helena Cabelho Eritematosas. Passarelli substituição do tecido glandular por tecido Ulcerações. conjuntivo fibroso,Ramos et al., (2005) degeneração adiposa e Imagem cedida pela Profª.Dulce Helena Cabelho necrose celular. Passarelli Ramos et al., (2005) CÁRIE DE RADIAÇÃO CÁRIE DE RADIAÇÃO Sinais e Sintomas  Surgi de 3 a 12 semanas após a radioterapia. Salazar et al., (2008).  Em um estudo com 110  O dente adquire o aspecto quebradiço. Ramos et al., (2005). pacientes, observou-se  Coloração amarronzada para negra com aparente desmineralização, grande que 20,9% dos pacientes perda de estrutura. Modesto e Alves, (2006). apresentaram cárie de radiação. A maioria dos pacientes afetados foram os do gênero masculino, com faixa etária de 51-60 anos. Imagem cedida pela Profª.Dulce Helena Cabelho Passarelli Imagem cedida pela Caccelli e Rapoport (2008). Profª.Dulce Helena Cabelho Passarelli 2
  3. 3. 24/02/2012DOENÇA PERIODONTAL DOENÇA PERIODONTAL Radioterapia  Caracteriza-se por perda de inserção Aumento do Destruição risco da periodontal periodontal devido à perda de inserção destruição do ligamento periodontal e perda do osso de suporte. Alteração da Ação direta resposta Carranza et al., (2007). sobre Imagem cedida pela Profª.Dulce Helena Cabelho Passarelli imunológica tecido do hospedeiro Epstein et al., (2001) CANDIDÍASE DISGEUSIAA Candidíasepseudomembranosa  Observaram que 72% comissuras tiveram dificuldade no embaixo de próteses paladar com ausência de parte dorsal Imagens cedidas pela Profª.Dulce Helena sensibilidade ao gosto. lateral da língua, gengiva, Cabelho Passarelli Sawada, Dias e Zago palato e na mucosa jugal. (2006). Modesto e Alves (2006)A Candidíase eritematosa  A língua apresenta seaparece como uma mancha eritematosa, fissurada eavermelhada sobre o palatoduro, dorso da língua e mucosa com atrofia de suas Imagens cedidas pela Profª.Dulce Helena Cabelho Passarellijugal. Costa et al., (2007). papilas. Costa et al., (2007) DISFAGIA TRISMO  Espasmos dos músculos mastigatórios que limitam a abertura de boca, Lôbo e Martins (2009) propuseram que a xerostomia é o principal fator da Caccelli e Rapoport (2008) dificuldade de deglutição relatada pelos pacientes que receberam dose média de radiação em torno de 6063cGy.  Localizadas na região retromolar palato mole, ocorrendo devido à Caccelli, Pereira e Rapoport (2009) envolveram uma amostra de 110 exposição da articulação têmporomandibular e músculos mastigatórios. pacientes, sendo que 92 (83,6%) apresentaram mucosite, como a principal Lobô e Martins (2009) causa da disfagia. Imagens cedidas pela Imagens cedidas pela Profª.Dulce Helena Profª.Dulce Helena Cabelho Passarelli Cabelho Passarelli 3
  4. 4. 24/02/2012 OSTEORRADIONECROSE OSTEORRADIONECROSE Radiograficamente Sinais e Sintomas  Osso torna-se desvitalizado;  áreas radiolúcidas;  Dor local;  mal definidas ;  Trismo;  perda do trabeculado ósseo;  Halitose;  destruição cortical;  Exposição óssea;  radiopacidade à medida que o osso  Drenagem de secreção;  Fistulização para pele ou necrosado separa-se das áreas mucosa. Paciente atendido pela Profª.Dulce Helena Cabelho Passarelli Conduta et al., (2010) vitais residuais. Vier e Cherubine e Figueredo e Yurgel (2005). QUIMIOTERAPIA EFEITOS COLATERAIS DA QUIMIOTERAPIA NA CAVIDADE BUCAL A quimioterapia consiste na utilização de drogas Mucosite antineoplásicas com o objetivo de curar Candidíase determinadas neoplasias malignas; minimizar os Disgeusia sistemas decorrentes da proliferação tumoral Osteonecrose Xerostomia (reduzindo células neoplásicas); o tratamento Infecção diminui o índice de recaídas, aumentando o bacteriana Hemorragia oral intervalo livre da doença. ou Infecção Trombocitopenia (KIGNEL ET AL.,1997). viral Neurotoxicidade MUCOSITE - QUIMIOTERAPIA XEROSTOMIA - QUIMIOTERAPIAMetotrexato  A xerostomia na5-fluoruoracil quimioterapia como uma alteração transitória noBleomicina funcionamento das Doxorrubicina glândulas salivares,Cisplatina, cessando logo após oVinblastina término do tratamento. Vincristina Paciente atendido pela Kroetz e Czlusniak (2003)Santos, Messaggi, Profª.Dulce Helena Cabelho Passarelli Paciente atendido pela Profª.Dulce Helena Cabelho PassarelliMantesso e Magalhães(2009) 4
  5. 5. 24/02/2012 NEUROTOXICIDADE NEUROTOXICIDADE  Os sintomas desaparecem, frequentemente, com a suspensão da droga. Aproximadamente uma semana ou 15 dias após a Representa 6% das complicações bucais; sessão de quimioterapia. Antunes, Ribeiro e Filho (2004).  desconforto  Desencadear necrose pulpar, podendo evoluir para um quadro de abscesso dentoalveolar. Santos e Fernandes (2006).  queixa de dor semelhante à pulpite  maior incidência nos molares inferiores, geralmente por causa de alcalóides de vinca, etoposido ou cisplatina, parestesia,  disfunção motora ou dor aguda no maxilar inferior.  espessamento do ligamento periodontal em dentes com polpa Paciente atendido pela Profª.Dulce Helena Cabelho Passarelli viva. Sonis (1996). CANDIDÍASE - QUIMIOTERAPIA INFECÇÕES BACTERIANAS  De 26 pacientes examinados, 77% As infecções bacterianas bucal podem envolver os apresentaram dentes, a gengiva ou a mucosa, e muitas vezes os Candidíase sinais clínicos de infecção estão ausentes, devido à Kemmelmeier, Ferreira, Filho e Svidzinski (2008) falta de uma resposta inflamatória normal, afirmam  Sweeney et al., (1998) que as lesões infectadas em mucosa oral podem ser detectaram a presença significativas para o desenvolvimento de quadros de fungos em 26% dos sépticos, podendo levar o paciente a óbito. Santos e pacientes, queilite angular foi detectada Fernandes (2006) Imagens cedidas pela Profª.Dulce Helena Cabelho Passarelli em 11% e candidose pseudomembranosa em 9% dos pacientes.HEMORRAGIA ORAL OU TROMBOCITOPENIA Depressão inespecífica da DISGEUSIA - QUIMIOTERAPIA medula, resulta em hemorragias  Fluorouracil 13 indivíduos adultos subcutâneas. observou-se 61,5% dos Sangramento gengival e  Ciclofosfamida consultados a disgeusia sangramento submucoso. iniciou nas primeiras 12  Doxorrubicina horas após infusão, Sung et al., (1995). permanecendo de três  Cisplatina As manifestações são ecmozes, Trombocitopenia por quimioterapia. semanas á quatro semanas petéquias e púrpuras. FONTE: Santos e Fernandes 2006 ou mais. Sawada et., al (2009) Ferreira, Scarpa e Silva Kroetz e Czlusniak (2003). (2008) 5
  6. 6. 24/02/2012 OSTEONECROSE OSTEONECROSE Sinais e Sintomas  Assintomática por semanas, meses e anos ou apresentar dor. Infecção  Localizadas nas proximidades de lesões ulceradas ou infectadas.  Exposição do osso mandibular ou maxilar.  Mobilidade dentária, edema na mucosa.  Eritema, ulceração, halitose.  Necrose óssea. Sousa e Junior (2008) Bifosfonato via Metabolismo parenteral ósseo Junior, Casado e Barboza (2008) OSTEONECROSERadiograficamente CONCLUSÃO Radiolúcidas irregulares. Os pacientes Oncológicos geralmente apresentam Limites indefinidos. manifestações orais em consequência da intensa Áreas com aspecto difuso em toda extensão do processo alveolar. Atinge mais regiões de molares e pré molares. Gegler et al., (2006). imunossupressão obtida através de quimioterapia e/ou radioterapia. Portanto, o trabalho apresentado mostra, a importância da Odontologia na equipe multidisciplinar, possibilitando assim, uma melhor qualidade de vida ao paciente e aumentando as chances de sucesso do tratamento. REFERÊNCIAS ALMEIDA, F. C. S. et al.; Radioterapia em cabeça e pescoço: efeitos colaterais agudos e crônicos bucais. Revista Brasileira de Patologia Oral, REFERÊNCIAS  KROETZI, M. F.; CZLUSNIAK, D. G.; Alterações bucais e condutas terapêuticas em pacientes infanto-juvenis submetidos ao tratamentos v.4, n.3. São Paulo, jullho/agosto/setembro 2005. antineoplásicos. Revista Publicatio UEPG: Ciências Biológicas e da Saúde, Ponta Grossa. 9 (2): 41-48, junho 2003. ALMEIDA, L. V. et al.; Câncer e agentes antineoplásicos ciclo-celular específicos e ciclo-celular não específicos que interagem com o DNA: uma introdução. Revista Química Nova, v. 28, n.1. São Paulo, janeiro/ fevereiro, 2005.  LOPES, M. A. et al.; Reconhecendo e controlando os efeitos colaterais da radioterapia. Revista da Associação Paulista dos cirurgiões dentistas – APCD, v.52, n.3. São Paulo, maio/junho 1998. CACCELLI, E. M. N.; PEREIRA, M. L.M.; RAPOPORT.; Avaliação da mucosite e xerostomia como complicações do tratamento de radioterapia no câncer de boca e orofaringe. Revista Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, v. 38, n. 2, p. 80 – 83. São Paulo, abril/ maio/ junho, 2009.  McCarthy G. M. et al.; Risk factors associated with mucositis in cancer patients receiving 5- fluorouracil. Oral Oncology, v. 34, n.6, p.484-90, 1998 CAIELLI, C.; MARTHA, P. M., DIB, L. L.; Sequelas orais da radioterapia: atuação da odontologia na prevenção e tratamento. Revista brasileira de cancerologia, v.41, n.4, p.231-241. São Paulo, outubro/ dezembro/ novembro/ dezembro1995.  MIGLIORATI, A. C. et al.; Tratamento de paciente com osteonecrose associada aos bifosfonatos - uma tomada de posição da Academia Americana de Medicina Oral. Journal of American Dental Association, v.6, n.3, maio/junho 2006. CARDOSO, M. F. A. et al.; Prevenção e controle das sequelas bucais em pacientes irradiados por tumores de cabeça e pescoço. Pesquisa da Universidade Federal de São Paulo e Escola Paulista de Medicina Unifesp/EPM, 2004.  MINISTÉRIO DA SAÚDE. Estimativa para o câncer de boca. Biênio 2008/2009. Disponível: http://www.inca.gov.br/MODESTO, D. F.; ALVES, F. A.; Avaliação das alterações orais em pacientes com câncer de cabeça e pescoço submetidos à radioterapia – Dissertação. Universidade Vale CARRANZA, J et al.; Periodontia Clínica. Elsever Medicina Brasil, ed.10, 2007. do Rio Preto (UNINCOR). Três corações, 2006. CONDUTA, J. L. et al.; Osteorradionecrose em face: fisiopatologia, diagnóstico, e tratamento – revisão de literatura. Revista Brasileira de  MORRISON, V. A et al; Impact of theraphy with chlorambucil, fludarabine or fludarabine plus chlorambucil on infections in patients with Cirurgia Plástica, v. 25, n. 2, p. 381 – 387. São Paulo, 2010. chronic Lymphocytic Leukemia intergroup study center and leukemia group B9011. Jornal of Clinical Oncology, v.19, n.16, p. 3611-21, Aug. 2001. COSTA, L. C. R. et al.; Manifestações bucais em pacientes infanto-juvenis submetidos a tratamento antineoplásico – revisão de literatura. Revista do Laboratório Moderno, Newslab v. 84, p.130-142, 2007.  NEVILLE B. W ; Damm D.D E Allen C.M. Oral & Maxillofacial Pathology. Hardcover: December 2001. EPSTEIN J. B. et al; Quality of life and oral function in patients treated with radiation therapy for head and neck cancer. Head & Neck, 2001;  RAMOS, F. M. M. et al.; Papel do cirurgião - dentista na radioterapia de cabeça e pescoço. Revista de Odontologia. Clínica.-Científica., Recife, 23(5): 389-398. v. 4, n.2, p.89-94, maio/agosto 2005. GEGLER, A. et al.; Bisfosfonatos e osteonecrose maxilar – revisão de literatura e relato de caso. Revista Brasileira de Cancerologia, 52(1): 25-  RAPOPORT, A. et al. Rastreamento, Diagnóstico e Tratamento do Câncer de Boca. Revista Projeto Diretrizes da Associação Médica Brasileira e Conselho Federal de Medicina; Sociedade Brasileira de Cirurgia de Cabeça e Pescoço, maio 2001. SANTOS, S.S.P.; MESSAGGI, C.A.; 31, agosto 2006. MANTESSO, A.; MAGALHÃES, G.C.H.M.; Mucosite oral: perspectivas atuais na prevenção e tratamento – revisão de literatura. Revista Gaúcha de Odontologia, Porto Alegre, v. 57, n.3, p. 399-344. julho/setembro 2009. HESPANHOL, L. F. et al.; Manifestações bucais em pacientes submetidos à quimioterapia. Revista Ciência e Saúde Coletiva, v. 15, n. 1. Rio de Janeiro, junho 2010. HUBER, M.A.; TEREZHALMY, G.T. HANCOCK ET AL. 2003; The head and neck radiation oncology patient. Quintessence  SANTOS, S.S.P.; MESSAGGI, C.A.; MANTESSO, A.; MAGALHÃES, G.C.H.M.; Mucosite oral: perspectivas atuais na prevenção e tratamento – International, v. 34, n. 09, 2003. revisão de literatura. Revista Gaúcha de Odontologia, Porto Alegre, v. 57, n.3, p. 399-344. julho/setembro 2009 Ministério da Saúde. Instituto Nacional do Câncer-INCA, 2009. Disponível na Internet: <URL: htpp: www.inca.org.br.  SAWADA, O.N. et al.; Avaliação da qualidade de vida de pacientes com câncer submetidos à quimioterapia. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 43, n.3, p. 581-587. São Paulo, setembro de 2009. JUNIOR, F.D.C.; CASADO, L.P.; BARBOZA, P.S. E.; Osteonecrose associada ao bifosfonatos na Odontologia. Revista Periodontia, Rio de  SONIS, S.; Princípios e Prática de Medicina Oral. Rio de Janeiro: Editora Guanabara: 2ª. Edição: 1996. Janeiro, v. 17, n. 4. p.24-30, dezembro 2008.  VIER, F. V.; CHERUBINE, K.; FIGUEREDO, M. A. Z.; YURGEL, L. S.; Manejo da osteorradionecrose em pacientes submetidos à radioterapia de .KINGNEL S. et al; Diagnostico bucal. São Paulo: Robe, 1997. cabeça e pescoço. Revista Odonto Ciência – Faculdade de Odontologia da PUC, Rio Grande do Sul, v. 20, n. 47, p. 23 – 27, janeiro/março 2005 6
  7. 7. 24/02/2012AGRADECIMENTOS Obrigada!!!  Agradeço a Deus pela oportunidade.  Aos meus pais amados Creuza e Luiz que me deram carinho, atenção, dedicação e principalmente apoio.  Aos professores que me apoiaram e que compartilharam comigo suas experiências Dulce Helena, Eduardo Russo, Eduardo Del Buono. Ao meu namorado, Diego pela paciência e ajuda em todos os momentos.  Às minhas amigas que por várias vezes me ajudaram e que compartilharam rizadas e tristezas. 7

×