Como apresentar temas difíceis nas aulas de ensino religioso

3.578 visualizações

Publicada em

Palestra para capelães e professores de Ensino Religioso

Publicada em: Espiritual
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
3.578
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2.295
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
47
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Como apresentar temas difíceis nas aulas de ensino religioso

  1. 1. como tratar , de MHGEAâ nas aulas de ensino religioso Douglas Reis autor. Paixão Cega (CPB, 2010). Marcados pelo Futuro (ADOS, 2011). Explosão Y (IAP, 2013). Adv/ autismo par¡ uma nova geração (IAP, 2014), 0 Mensageiro do deserto (CPB, 2014) MittenQdoUQhsmis facebook: httpzllwwwJnceboolncomldouglasJeis blog: hltpzllwww. queslaodeconñnncahlugspouzoln
  2. 2. «H I . V1 , x» i _J ' “s , ,»/ _w [ a É Em suas atribuições, o pastor disitrital lida com uma comunidade religiosa com identidade definida.
  3. 3. O capelão pastoreia uma comunidade com perfil religioso diversificado, razão de conflitos em potencial.
  4. 4. original "1843 is the end"chart used by William Miller www. b¡b| c [aracÍ url/ Qd' : :u/ mo 267701: 33-1/ LF 2 A 67 7 252o 12 Campi-narram! 0/1/39 sem¡ lime: [sw 'xa/ y 2: 2a u; 6 7 7 2 Mraz¡ 33.7/ . *ara A i ' @pI/ /Ízowo/ Àmpw/ Baâybí/ Davíw-a/ 1 8 43"""'”'”""°/7””m8 4' Ma' BABYLON 538 2300 N mrKmm/ Íá ¡tÁÊÍ-«nm- màmíysíf” , zavm 5 Q 5 u ! na 4 i gl z 3 mms, - M ED IA &m; /âriñ J/ /Ir dez/ ala rss/ pra ma' m" Êíçiíüíííálâf/ ÊEÇJOZÀ/ ?Àiñifdpt l 8 4 8 YErzrnna/ ¡ono/ zsoa diz/ J vazia/ rd: PERSÍA 3 32 / ndyndroaDar/ BJ? . ísíífíéízzíízzàzysir'°'* WQQSEÀWL u GMA l " w tram: @Q2442 ' l vIsImNs 0FEIANiEL&u LL r no o 69W"? À/ krü/ ¡À/ ÁÔQKEM/ a _areal bom beíween ! maya anof/ ¡er/ /lp a / Mpirdí w/ I/r/ zfaz' Cir/ lr). JeeJAuPW/ tv/ /wt a GRECIA i( / zr/ k/lgazlbwdafbmm É? "A ' rwzmá** Í'ÊÊÊJÊ%ͧ'””ÍÉ“yí 5a/ ._ ' buy» . n. _ . .. __. .r u». v / à a few! , ! be leds! hda/ :ri: %qr . Wen &Mfsjwd dum/ mv” M” yum” , Ú? ? Bmw al' Fhnrvs, .ss 77a J , bm/ z a 1 ' A c- q¡ - ! be pnbrea/ pr/ r/ca mas bar/ z ' Q 75hs af/ Àa / Figus às »nc/ h m: an( 512mm: : A apresentação de temas bíblicos fundamentais à compreensão adventista pode suscitar oposição.
  5. 5. .É J_ o 3V- / eu: : ; ._ . ›_. __-. , - ~ 'sig ' . ' . V: - , ' u. . - l rqyaéã_ ' w '_ / / f/ - , E , i ›_ . Jari-J E isso não d Ve nos chocar, pois o próprio Jesus enfrentou a oposição suscitada por Seus ensinamentos.
  6. 6. xr. - Como apresentar a verdade dentro de salas de aulas heterogêneas, quando mesmo alunos adventistas estão “abertos” às influências de outras crenças?
  7. 7. Apresento alguns conceitos simples para abordar temas difíceis nas aulas de Ensino Religioso.
  8. 8. 1. Conheça o perfil do aluno
  9. 9. s . '. i 'il 5'* "I E fundamental mapear características dos alunos individualmente e da turma como um todo.
  10. 10. &Íxgà . _ _-'; .:, 2. Estude exaustivamente O assunto antes de apresenta-Io
  11. 11. ¡ t¡ g Í¡ ¡! "'II¡' $113' _ , |s'. '¡"'~. ' URV? :›""ui : :NÊÊJ - 1- ! '|| l¡n¡. _!| lI¡. '.. ”: ' Not. . 52401.1 A internet dá acesso adytlodo tipo de conhecimento, o que faz o aluno hoje muito mais exigente intelectualmente.
  12. 12. Prepare-se para perguntas e eventuais objeções em reação à sua exposição.
  13. 13. › Responda às perguntas de forma clara e objetiva.
  14. 14. m- ~. 'u' r x - É i / ' -r-r ' u; -u u* _T W k 3. Não permita que o 'tema gere conflitos em nível pessoal x' ' , Ã e": _V |
  15. 15. í, / . _ ç ÍÁÀXV_ es* (v. Á . .. A k Adolescentes ainda estão aprendendo a lidar com as emoções e desenvolvendo o pensamento abstrato.
  16. 16. ;l a_ J. ._. c. c I. JW- ›-*P*Í ru ; x na», n . › 4!. ... .C-I. ' .1 . .f . « nJ-. ao
  17. 17. _y JJ -Í x J-Í ' l ; x 7'/ f! ) i -" W* l' 'j "~ a, j '0_ " lí. 1 W s '. j. à, f¡ t¡ , s , , *f 'Í r_ i OI; ,í y , .H ' v' _ . c» *I n' , . ...45 _-- . .A i “v, = . i r _i ir: : . N 'li 4:1. @Liancío surgir galanejacão, aja com natu um tema 'na IC: x to cão Hdade.
  18. 18. f¡ *a , z_ _ . .______ . j e é L Use a curiosidade do aluno a seu favor.
  19. 19. l Isso fará a aula fugir de sua previsibilidade, abrindo oportunidades para novos enfoques.
  20. 20. 1 c a 4 I àicí. ~_ 7 'i . . _é “ágar í. ç us. . an, 7.5_ _ F A ¡ 4, , . ; 5. Sejaum ¡arofuncêo incentivacêoi' cêaipescguisja
  21. 21. í 7'( _ / *.45 ____ já '<. .;. . Quando OS alunos SC interessam POI' um assunto, ClCS se dedicam a buscar mais informações.
  22. 22. S. Adote a postura cêe um legítimo líder espiritual
  23. 23. if il: ii a ; iii l; i' M 'i'll ¡, ' viii I' ¡Wllt Ji. ” 4"' l , *A ja¡ j_ l J ' "l ç A sala de aula deve ser um espaço sagrado, onde oração, estudo da Bíblia e incentivo missionário soem naturais e desejáveis.
  24. 24. g . . U7.. e/ W ' ; ii ta( QQ¡ r : . _ _ L 4.5:* . __ _. .. g '. 1._ , ._~ o j , ç . t - Utilize uma abordagem cristocêntrica
  25. 25. Mostre que a Bíblia não é apenas um livro antigo, mas a própria Palavra do Deus vivo.
  26. 26. Incentive a leitura da Bíblia, para que o aluno aprenda a buscar nela as respostas por si mesmo.
  27. 27. .llv l, I f / í _, i Í l, #JG . .é O . _lt 'w A¡ , nto f” " -me ' g. . l¡ f _g ã : /« ' ' “ 7. Enfatize aspectos práticos e benefícios de seguir ensinamentos bíblicos.
  28. 28. O conhecimento não deve se restringir à sala de aula; convide o aluno a experimenta-lo em sua vida diária.
  29. 29. É. . . Cada temática difícil nos faz deparar com possibilidades evangelísticas que merecem ser aproveitadas!

×