SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 10
João Cândido (Almirante Negro): Líder da Revolta
Introdução
A Revolta da Chibata foi um

importante movimento social
ocorrido, no início do século XX,
na cidade do Rio de Janeiro.
Começou no dia 22 de novembro
de 1910.
Introdução
 Neste período, os marinheiros

brasileiros eram punidos com castigos
físicos. As faltas graves eram punidas
com 25 chibatadas (chicotadas). Esta
situação gerou uma intensa revolta
entre os marinheiros.
Causas da Revolta
 O estopim da revolta ocorreu quando o

marinheiro Marcelino Rodrigues foi
castigado com 250 chibatadas, por ter
ferido um colega da Marinha, dentro
do encouraçado Minas Gerais. O navio
de guerra estava indo para o Rio de
Janeiro e a punição, que ocorreu na
presença dos outros marinheiros,
desencadeou a revolta.
Causas da Revolta

O motim se agravou e os revoltosos

chegaram a matar o comandante do
navio e mais três oficiais. Já na Baía
da Guanabara, os revoltosos
conseguiram o apoio dos
marinheiros do encouraçado São
Paulo.
Reivindicações
 O líder da revolta, João Cândido

(conhecido como o Almirante Negro),
redigiu a carta reivindicando o fim dos
castigos físicos, melhorias na alimentação
e anistia para todos que participaram da
revolta. Caso não fossem cumpridas as
reivindicações, os revoltosos ameaçavam
bombardear a cidade do Rio de
janeiro (então capital do Brasil).
Segunda revolta

 Diante da grave situação, o presidente Hermes da
Fonseca resolveu aceitar o ultimato dos revoltosos.
Porém, após os marinheiros terem entregue as armas e

embarcações, o presidente solicitou a expulsão de
alguns revoltosos. A insatisfação retornou e, no
começo de dezembro, os marinheiros fizeram outra
revolta na Ilha das Cobras. Esta segunda revolta foi
fortemente reprimida pelo governo, sendo que vários
marinheiros foram presos em celas subterrâneas da
Fortaleza da Ilha das Cobras. Neste local, onde as
condições de vida eram desumanas, alguns
prisioneiros faleceram. Outros revoltosos presos foram
enviados para a Amazônia, onde deveriam prestar
trabalhos forçados na produção de borracha.
Segunda revolta
 O líder da revolta João Cândido foi

expulso da Marinha e internado como
louco no Hospital de Alienados. No
ano de 1912, foi absolvido das
acusações junto com outros
marinheiros que participaram da
revolta.
Conclusão
 Podemos considerar a Revolta da Chibata

como mais uma manifestação de insatisfação
ocorrida no início da República. Embora
pretendessem implantar um sistema políticoeconômico moderno no país, os republicanos
trataram os problemas sociais como “casos de
polícia”. Não havia negociação ou busca de
soluções com entendimento. O governo quase
sempre usou a força das armas para colocar
fim às revoltas, greves e outras manifestações
populares.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
poxalivs
 
O Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do BrasilO Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do Brasil
Felipe de Souza
 
Revolta da vacina
Revolta da vacina Revolta da vacina
Revolta da vacina
adriana
 

Mais procurados (20)

Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
.pptx
.pptx.pptx
.pptx
 
Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.
Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.
Revolta da vacina.PRODUZIDO POR ZELMA ALZARETH ALMEIDA.
 
Aula Revolta da Chibata
Aula Revolta da ChibataAula Revolta da Chibata
Aula Revolta da Chibata
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
Revolta da Vacina
Revolta da VacinaRevolta da Vacina
Revolta da Vacina
 
Balaiada ok
Balaiada okBalaiada ok
Balaiada ok
 
O REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO IO REINADO DE D. PEDRO I
O REINADO DE D. PEDRO I
 
GUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOSGUERRA DE CANUDOS
GUERRA DE CANUDOS
 
Revolta da Chibata
Revolta da ChibataRevolta da Chibata
Revolta da Chibata
 
A revolta da vacina
A revolta da vacinaA revolta da vacina
A revolta da vacina
 
Revolta da Vacina
Revolta da VacinaRevolta da Vacina
Revolta da Vacina
 
O Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do BrasilO Processo de Independência do Brasil
O Processo de Independência do Brasil
 
A Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do BrasilA Redemocratização do Brasil
A Redemocratização do Brasil
 
Independência do brasil
Independência do brasilIndependência do brasil
Independência do brasil
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
Revolta da vacina
Revolta da vacina Revolta da vacina
Revolta da vacina
 
Revolta da Vacina
Revolta da VacinaRevolta da Vacina
Revolta da Vacina
 
Independência do Brasil
Independência do BrasilIndependência do Brasil
Independência do Brasil
 
Movimento Tenentista.
Movimento Tenentista.Movimento Tenentista.
Movimento Tenentista.
 

Destaque

Revoltas sociais na República Velha
Revoltas sociais na República VelhaRevoltas sociais na República Velha
Revoltas sociais na República Velha
msmanaus
 
João Candido ea Chibata
João Candido ea ChibataJoão Candido ea Chibata
João Candido ea Chibata
guest5eb864
 
Republica velha resumão
Republica velha resumãoRepublica velha resumão
Republica velha resumão
Fabio Santos
 
Slide 10 Da Base 3 N2
Slide 10   Da Base   3 N2Slide 10   Da Base   3 N2
Slide 10 Da Base 3 N2
hsjval
 
A república velha
A república velhaA república velha
A república velha
historiando
 

Destaque (15)

A revolta da chibata
A revolta da chibata A revolta da chibata
A revolta da chibata
 
Revolta da Chibata T.81
Revolta  da Chibata T.81Revolta  da Chibata T.81
Revolta da Chibata T.81
 
ALMIRANTE NEGRO
ALMIRANTE NEGROALMIRANTE NEGRO
ALMIRANTE NEGRO
 
Revoltas sociais na República Velha
Revoltas sociais na República VelhaRevoltas sociais na República Velha
Revoltas sociais na República Velha
 
Revolta da vacina
Revolta da vacinaRevolta da vacina
Revolta da vacina
 
João Candido ea Chibata
João Candido ea ChibataJoão Candido ea Chibata
João Candido ea Chibata
 
Revolta da Vacina T.82
Revolta da Vacina T.82Revolta da Vacina T.82
Revolta da Vacina T.82
 
Guerra dos canudos
Guerra dos canudosGuerra dos canudos
Guerra dos canudos
 
Revoltas na República Velha
Revoltas na República VelhaRevoltas na República Velha
Revoltas na República Velha
 
Republica velha resumão
Republica velha resumãoRepublica velha resumão
Republica velha resumão
 
Slide 10 Da Base 3 N2
Slide 10   Da Base   3 N2Slide 10   Da Base   3 N2
Slide 10 Da Base 3 N2
 
A república velha
A república velhaA república velha
A república velha
 
Campos sales 2009
Campos sales 2009Campos sales 2009
Campos sales 2009
 
Pré modernismo novo (1)
Pré modernismo novo (1)Pré modernismo novo (1)
Pré modernismo novo (1)
 
A guerra de canudos,
 A guerra de canudos, A guerra de canudos,
A guerra de canudos,
 

Semelhante a Revolta da chibata

Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
historiando
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
historiando
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
Nelia Salles Nantes
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
historiando
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
historiando
 
Revoltas sociais no brasil república
Revoltas sociais no brasil repúblicaRevoltas sociais no brasil república
Revoltas sociais no brasil república
Adriana Gomes Messias
 
Revoltas sociais no Brasil Oligarquico
Revoltas sociais no Brasil OligarquicoRevoltas sociais no Brasil Oligarquico
Revoltas sociais no Brasil Oligarquico
Adriana Gomes Messias
 
Revoltas na república velha
Revoltas  na  república velhaRevoltas  na  república velha
Revoltas na república velha
Fabiana Tonsis
 

Semelhante a Revolta da chibata (20)

Revolta_da_Chibata.pdf
Revolta_da_Chibata.pdfRevolta_da_Chibata.pdf
Revolta_da_Chibata.pdf
 
Revolta_da_Chibata.pdf
Revolta_da_Chibata.pdfRevolta_da_Chibata.pdf
Revolta_da_Chibata.pdf
 
A Revolta dos Marinheiros
A Revolta dos MarinheirosA Revolta dos Marinheiros
A Revolta dos Marinheiros
 
Revolta da Chibata T.82
Revolta da Chibata T.82Revolta da Chibata T.82
Revolta da Chibata T.82
 
REVOLTA DA CHIBATA .pdf
REVOLTA DA CHIBATA .pdfREVOLTA DA CHIBATA .pdf
REVOLTA DA CHIBATA .pdf
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
 
Revoltas na primeira república 3º. ano ensino médio
Revoltas na primeira república   3º. ano ensino médioRevoltas na primeira república   3º. ano ensino médio
Revoltas na primeira república 3º. ano ensino médio
 
Revoltas Primeira República velha - Contestado SC
Revoltas Primeira República velha - Contestado SCRevoltas Primeira República velha - Contestado SC
Revoltas Primeira República velha - Contestado SC
 
Os conflitos urbanos na república velha
Os conflitos urbanos na república velhaOs conflitos urbanos na república velha
Os conflitos urbanos na república velha
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
 
Os conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velhaOs conflitos urbanos na rep. velha
Os conflitos urbanos na rep. velha
 
Texto Introdutório - Revoltas na República Velha
Texto Introdutório -  Revoltas na República VelhaTexto Introdutório -  Revoltas na República Velha
Texto Introdutório - Revoltas na República Velha
 
Revoltas sociais no brasil república
Revoltas sociais no brasil repúblicaRevoltas sociais no brasil república
Revoltas sociais no brasil república
 
Revoltas sociais no Brasil Oligarquico
Revoltas sociais no Brasil OligarquicoRevoltas sociais no Brasil Oligarquico
Revoltas sociais no Brasil Oligarquico
 
Documento 1
Documento 1Documento 1
Documento 1
 
Gazeta do Jovem Historiador/Revolta da Chibata
Gazeta do Jovem Historiador/Revolta da ChibataGazeta do Jovem Historiador/Revolta da Chibata
Gazeta do Jovem Historiador/Revolta da Chibata
 
Revoltas na república velha
Revoltas  na  república velhaRevoltas  na  república velha
Revoltas na república velha
 
Revolta da Armada T.81
Revolta da Armada T.81Revolta da Armada T.81
Revolta da Armada T.81
 

Mais de Douglas Barreto

Sociologia geral e jurídica - O que é sociologia? 2014
Sociologia geral e jurídica - O que é sociologia? 2014Sociologia geral e jurídica - O que é sociologia? 2014
Sociologia geral e jurídica - O que é sociologia? 2014
Douglas Barreto
 
Sociologia geral e jurídica - Karl Marx 2014
Sociologia geral e jurídica - Karl Marx 2014Sociologia geral e jurídica - Karl Marx 2014
Sociologia geral e jurídica - Karl Marx 2014
Douglas Barreto
 
Sociologia geral e jurídica - Interação Social 2014
Sociologia geral e jurídica -  Interação Social 2014Sociologia geral e jurídica -  Interação Social 2014
Sociologia geral e jurídica - Interação Social 2014
Douglas Barreto
 
Sociologia geral e jurídica - Emile Durkheim 2014
Sociologia geral e jurídica - Emile Durkheim 2014Sociologia geral e jurídica - Emile Durkheim 2014
Sociologia geral e jurídica - Emile Durkheim 2014
Douglas Barreto
 
Sociologia Geral e Jurídica - Cultura e Sociedade 2014
Sociologia Geral e Jurídica - Cultura e Sociedade 2014Sociologia Geral e Jurídica - Cultura e Sociedade 2014
Sociologia Geral e Jurídica - Cultura e Sociedade 2014
Douglas Barreto
 
Sociedade em Estado Bruto
Sociedade em Estado BrutoSociedade em Estado Bruto
Sociedade em Estado Bruto
Douglas Barreto
 
Sociologia geral e jurídica - Perspectivas Teóricas 2014
Sociologia geral e jurídica - Perspectivas Teóricas 2014Sociologia geral e jurídica - Perspectivas Teóricas 2014
Sociologia geral e jurídica - Perspectivas Teóricas 2014
Douglas Barreto
 
Sobre escrever - lucilia garcez
Sobre escrever - lucilia garcezSobre escrever - lucilia garcez
Sobre escrever - lucilia garcez
Douglas Barreto
 
Trabalho na sociedade moderna capitalista
Trabalho na sociedade moderna capitalistaTrabalho na sociedade moderna capitalista
Trabalho na sociedade moderna capitalista
Douglas Barreto
 
Conflitos no oriente médio
Conflitos no oriente médioConflitos no oriente médio
Conflitos no oriente médio
Douglas Barreto
 
A critica da_razao_pratica
A critica da_razao_praticaA critica da_razao_pratica
A critica da_razao_pratica
Douglas Barreto
 

Mais de Douglas Barreto (20)

Conceitos básicos de genética
Conceitos básicos de genéticaConceitos básicos de genética
Conceitos básicos de genética
 
Sociologia geral e jurídica - O que é sociologia? 2014
Sociologia geral e jurídica - O que é sociologia? 2014Sociologia geral e jurídica - O que é sociologia? 2014
Sociologia geral e jurídica - O que é sociologia? 2014
 
Sociologia geral e jurídica - Karl Marx 2014
Sociologia geral e jurídica - Karl Marx 2014Sociologia geral e jurídica - Karl Marx 2014
Sociologia geral e jurídica - Karl Marx 2014
 
Sociologia geral e jurídica - Interação Social 2014
Sociologia geral e jurídica -  Interação Social 2014Sociologia geral e jurídica -  Interação Social 2014
Sociologia geral e jurídica - Interação Social 2014
 
Sociologia geral e jurídica - Emile Durkheim 2014
Sociologia geral e jurídica - Emile Durkheim 2014Sociologia geral e jurídica - Emile Durkheim 2014
Sociologia geral e jurídica - Emile Durkheim 2014
 
Sociologia Geral e Jurídica - Cultura e Sociedade 2014
Sociologia Geral e Jurídica - Cultura e Sociedade 2014Sociologia Geral e Jurídica - Cultura e Sociedade 2014
Sociologia Geral e Jurídica - Cultura e Sociedade 2014
 
Sociedade em Estado Bruto
Sociedade em Estado BrutoSociedade em Estado Bruto
Sociedade em Estado Bruto
 
Sociologia geral e jurídica - Perspectivas Teóricas 2014
Sociologia geral e jurídica - Perspectivas Teóricas 2014Sociologia geral e jurídica - Perspectivas Teóricas 2014
Sociologia geral e jurídica - Perspectivas Teóricas 2014
 
Fontes do Direito
Fontes do DireitoFontes do Direito
Fontes do Direito
 
Teoria Geral do Direito
Teoria Geral do DireitoTeoria Geral do Direito
Teoria Geral do Direito
 
Sobre escrever - lucilia garcez
Sobre escrever - lucilia garcezSobre escrever - lucilia garcez
Sobre escrever - lucilia garcez
 
Trabalho na sociedade moderna capitalista
Trabalho na sociedade moderna capitalistaTrabalho na sociedade moderna capitalista
Trabalho na sociedade moderna capitalista
 
Movimentos sociais
Movimentos sociaisMovimentos sociais
Movimentos sociais
 
Semana de arte moderna
Semana de arte modernaSemana de arte moderna
Semana de arte moderna
 
Futurismo
FuturismoFuturismo
Futurismo
 
A prosa de 30
A prosa de 30A prosa de 30
A prosa de 30
 
Conflitos no oriente médio
Conflitos no oriente médioConflitos no oriente médio
Conflitos no oriente médio
 
Ideologia e alienação
Ideologia e alienaçãoIdeologia e alienação
Ideologia e alienação
 
David hume
David humeDavid hume
David hume
 
A critica da_razao_pratica
A critica da_razao_praticaA critica da_razao_pratica
A critica da_razao_pratica
 

Revolta da chibata

  • 1. João Cândido (Almirante Negro): Líder da Revolta
  • 2. Introdução A Revolta da Chibata foi um importante movimento social ocorrido, no início do século XX, na cidade do Rio de Janeiro. Começou no dia 22 de novembro de 1910.
  • 3. Introdução  Neste período, os marinheiros brasileiros eram punidos com castigos físicos. As faltas graves eram punidas com 25 chibatadas (chicotadas). Esta situação gerou uma intensa revolta entre os marinheiros.
  • 4.
  • 5. Causas da Revolta  O estopim da revolta ocorreu quando o marinheiro Marcelino Rodrigues foi castigado com 250 chibatadas, por ter ferido um colega da Marinha, dentro do encouraçado Minas Gerais. O navio de guerra estava indo para o Rio de Janeiro e a punição, que ocorreu na presença dos outros marinheiros, desencadeou a revolta.
  • 6. Causas da Revolta O motim se agravou e os revoltosos chegaram a matar o comandante do navio e mais três oficiais. Já na Baía da Guanabara, os revoltosos conseguiram o apoio dos marinheiros do encouraçado São Paulo.
  • 7. Reivindicações  O líder da revolta, João Cândido (conhecido como o Almirante Negro), redigiu a carta reivindicando o fim dos castigos físicos, melhorias na alimentação e anistia para todos que participaram da revolta. Caso não fossem cumpridas as reivindicações, os revoltosos ameaçavam bombardear a cidade do Rio de janeiro (então capital do Brasil).
  • 8. Segunda revolta  Diante da grave situação, o presidente Hermes da Fonseca resolveu aceitar o ultimato dos revoltosos. Porém, após os marinheiros terem entregue as armas e embarcações, o presidente solicitou a expulsão de alguns revoltosos. A insatisfação retornou e, no começo de dezembro, os marinheiros fizeram outra revolta na Ilha das Cobras. Esta segunda revolta foi fortemente reprimida pelo governo, sendo que vários marinheiros foram presos em celas subterrâneas da Fortaleza da Ilha das Cobras. Neste local, onde as condições de vida eram desumanas, alguns prisioneiros faleceram. Outros revoltosos presos foram enviados para a Amazônia, onde deveriam prestar trabalhos forçados na produção de borracha.
  • 9. Segunda revolta  O líder da revolta João Cândido foi expulso da Marinha e internado como louco no Hospital de Alienados. No ano de 1912, foi absolvido das acusações junto com outros marinheiros que participaram da revolta.
  • 10. Conclusão  Podemos considerar a Revolta da Chibata como mais uma manifestação de insatisfação ocorrida no início da República. Embora pretendessem implantar um sistema políticoeconômico moderno no país, os republicanos trataram os problemas sociais como “casos de polícia”. Não havia negociação ou busca de soluções com entendimento. O governo quase sempre usou a força das armas para colocar fim às revoltas, greves e outras manifestações populares.