UFPR

458 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
458
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
13
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

UFPR

  1. 1. Seminário de Acompanhamento dos Programas de Pós-Graduação da Área de Artes/Música Brasília, 14 a 16 de fevereiro de 2012 - Programa de Pós-Graduação em Música - UFRGS
  2. 2.  Composição Educação Musical Musicologia/Etnomusicologia Práticas Interpretativas (flauta*, órgão, piano, violão, violino)[* Somente Mestrado]
  3. 3.  Composição Processos de construção musical Educação Musical Práticas educacionais e sócio-culturais em música Musicologia/Etnomusicologia Transmissão e recepção de repertórios musicais históricos e contemporâneos Práticas Interpretativas Práticas e processos de interpretação musical
  4. 4.  Processos de construção musical: Aspectos analíticos, históricos e documentais da composição Práticas educacionais e sócio-culturais em música: Investigação dos processos de transmissão e apropriação musical em diferentes contextos culturais e institucionais Transmissão e recepção de repertórios musicais históricos e contemporâneos: Pesquisas de cunho etnomusicológico desenvolvidas a partir de fundos arquivísticos e/ou etnografias musicais Práticas e processos de interpretação musical: Investigação sistemática dos processos e práticas aplicadas à execução musical
  5. 5.  Processos de construção musical- Genealogia das obras de Armando Albuquerque (CNPq/FAPERGS)- Concerto para viola e orquestra de Antônio Carlos Borges Cunha: investigação e reflexões sobre processos de composição- Música, Ciência e Tecnologia (CNPq/Propesq-UFRGS)
  6. 6.  Práticas educacionais e socioculturais em música- Educação musical e culturas juvenis: socialização musical, nova oralidade e outras aprendizagens musicais mediadas pela tecnologia (CNPq)- Modos de pensar a educação musical escolar: subsídios para uma discussão epistemológica no campo da educação musical (CNPq)- Motivação para aprender música: um estudo sobre a relação entre a competência, dificuldade e o valor atribuído por alunos (CNPq)- Tecnologia digital aplicada à educação musical: quatro estudos de caso (Projeto Guri/Quanta Brasil)- Música, cotidiano e educação (PROEXT 2010)
  7. 7.  Transmissão e recepção de repertórios musicais históricos e contemporâneos- Memória musical do Rio Grande do Sul: estudo das gravações históricas da Missão de Pesquisas Folclóricas (1946) de Luiz Heitor Corrêa de Azevedo- Narrativas cantadas e faladas em espaços quilombolas: etnomusicologia das diásporas africanas no Rio Grande do Sul (CNPq)- Saberes musicais compartilhados: intervivências universitárias com jovens rurais do Rio Grande do Sul no uso de tecnologias (CNPq – Programa Intervivência Universitária/Propesq-UFRGS)
  8. 8.  Práticas e processos de interpretação musical- Desenvolvimento de metodologia para elaboração de arranjos para violão- Estratégias de estudo na prática deliberada: investigação sobre a preparação de obras contrapontísticas para teclado (CNPq)- Interações compositor-intéprete na música contemporânea- Investigação de processos de ensino e aprendizagem instrumental visando a comunicação expressivo-intencional (CNPq)- Música de câmara de compositores gaúchos para flauta transversal- Processos de ensino e de aprendizagem da prática instrumental- Programação Artística do PPG Música -
  9. 9. Matriz curricular: 49 disciplinasNúcleo comum obrigatório Eixos: pesquisa e estágio Núcleo obrigatório D: 4 disciplinas por Área de Concentração M: 2 disciplinas Núcleo diversificado: disciplinas opcionais
  10. 10. Requisitos para obtenção do título Doutorado Integralização de 36 créditos (disciplinas obrigatórias e opcionais) Aprovação em Exame de Qualificação Proficiência em dois idiomas (inglês e francês ou alemão) 3 recitais públicos na área de Práticas Interpretativas Defesa pública de Tese
  11. 11. Requisitos para obtenção do título Mestrado Integralização de 24 créditos (disciplinas obrigatórias e opcionais) Dois recitais públicos na área de Práticas Interpretativas Recital público com obras compostas durante o curso na área de Composição Proficiência em inglês Defesa pública de Dissertação ou Trabalho Conclusivo de Mestrado (Artigo/Memorial)
  12. 12. Instâncias de avaliação, discussão e planejamento da PG na IES Ações e estratégias da Pró-Reitoria de Pós-Graduação Acompanhamento da Câmara de Pós-Graduação Reuniões do Fórum de Coordenadores de Pós-Graduação Seminários bianuais de Avaliação da Pós-Graduação na UFRGS
  13. 13. Instâncias de avaliação, discussão e planejamento no PPGI - Comissão de Gestão – Proex: Plano de Metas Acadêmicas Incremento do intercâmbio nacional:  Formação: planejamento conjunto de seminários, cursos de curta duração, masterclasses e módulos em disciplinas com professores de instituições nacionais, conforme demandas da área e de formação dos discentes; qualificação das bancas examinadoras.  Projetos colaborativos com outras IES. Incremento do intercâmbio internacional:  Busca de parcerias para a realização de projetos colaborativos de pesquisa, ensino e artísticos; apoio à vinda de pesquisadores e docentes de instituições estrangeiras; realização de doutorado sanduíche.  Apoio à participação de docentes e doutorandos em eventos no exterior.
  14. 14. Instâncias de avaliação, discussão e planejamento no PPGI - Comissão de Gestão – Proex (CPG): Plano de Metas Acadêmicas Incremento e maior divulgação da produção do Programa:  Apoio financeiro para participação de docentes e discentes em eventos nacionais e internacionais.  Apoio financeiro para publicação da produção artística e bibliográfica.II – Comissão de Pós-Graduação e Coordenação, em articulação com docentes  Acompanhamento do desempenho acadêmico do corpo discente.  Revisão/ampliação das disciplinas e conteúdos curriculares.III – Representação discente  Avaliação das disciplinas e do desempenho dos docentes.  Identificação de necessidades formativas.
  15. 15. Inserção social dos discentes Estratégias de qualificação da formação: Atendimento a demandas e necessidades formativas Ampliação/revisão curricular Intercâmbio com docentes e pesquisadores de instituições nacionais e internacionais Participação em eventos no país e no exterior Qualificação das bancas examinadoras (tese, dissertação/trabalho conclusivo, exame de qualificação e recital) Divulgação de concursos e orientação para participação nos mesmos
  16. 16.  Sede própria, reformada em 2009: mini-auditório, quatro salas de estudo, dois espaços exclusivos para discentes, três salas de aula/orientação, oito gabinetes individuais para professores, duas salas integradas para secretaria e coordenação; todos os espaços com acesso a internet. Salas de aula de instrumento, Auditorium Tasso Correa e Centro de Música Eletrônica compartilhados com a graduação, na sede do Instituto de Artes. Equipamentos:  Instrumentos: sete pianos Steinway (três modelos 1D; um modelo 1L e três modelos 1B); um piano Petroff e um piano Gaveau (ambos meia-cauda); cinco pianos verticais; um órgão de três manuais e pedaleira; uma Clavinova Yamaha; um Disklavier Yamaha DU1, um Disklavier Yamaha DGC3.
  17. 17.  Equipamentos:  Equipamentos de aúdio e vídeo (câmeras, projetores multimídia, DVDs, TVs, gravadores digitais, amplificadores, microfones, pedestais, minisystems e microsystems).  Informática: 16 desktops, quatro notebooks e 13 impressoras; acesso a internet por rede sem fio.  Biblioteca: Biblioteca setorial do Instituto de Artes, com acesso às demais 32 bibliotecas do Sistema de Bibliotecas da UFRGS, ao Portal de Periódicos, a bases de dados e livros eletrônicos. Desde 2008, a Biblioteca Digital de Teses e Dissertações passou a integrar o Lume – Repositório Digital, com documentos diversos da produção intelectual da Universidade.
  18. 18. Corpo Docente Nome P, C ou V Titula Ano Disciplina(s) Disciplina(s) Bolsa 2010 2011 ção 2010 2011Antonio C. Borges P P D 1995 2 (PG) 2 (PG)Cunha 2 (G) 2 (G)Any Raquel P P D 1988 1 (PG) 3 (PG) PQ-2Carvalho 3 (G) 3 (G)Catarina L Domenici --- P D 2000 --- 3 (PG) 4 (G)Celso GL Chaves P P D 1988 2 (PG) 2 PG) PQ-1A 3 (G) 3 (G)Cristina M. P. C. P P D 1985 2 (PG) 10 (PG) PQ-1BGerling 2 (G) 2 (G)Daniel Wolf P P D 1998 1 (PG) 2 (PG) 2 (G) 2 (G)Fredi V. Gerling P P D 2000 2 (PG) 2 (PG) 4 (G) 4(G)Jusamara V. Souza P P D 1993 5 (PG) 5 (PG) PQ-1C 2 (G) 2 (G)
  19. 19. Corpo Docente Nome P, C ou V Titula Ano Disciplina(s) Disciplina(s) Bolsa 2010 2011 ção 2010 2011Leonardo L. Winter P P D 2005 2 (PG) 2 (PG) 2 (G) 2 (G)Liane Hentschke P P D 1993 2 (PG) 3 (PG) PQ-1C 0 (G) 0 (G)Luciana M. Del Ben P P D 2001 3 (PG) 3 (PG) PQ-2 3 (G) 3 (G)Maria Elizabeth S. P P D 1990 3 (PG) 3 PG) PQ-1BLucas 1 (G) 1 (G)Ney Fialkow P P D 1995 1 (PG) 2 (PG) 2 (G) 2 (G)Eloi F. Fritsch C C D 2001 1 (PG) 1 (PG) CNPq-DT 4(G) 5 (G)Reginaldo G. Braga C C D 2003 2 (PG) 2 (PG) 2 (G) 2 (G)
  20. 20. Corpo Discente, Teses e Dissertações Teses T/Doc Dissert. D/Doc Total TD/Do c2010 3 0,25 8 0,67 11 0,92 Dimensão do corpo docente2010: 12 permanentes e 2 colaboradores
  21. 21. Corpo Discente, Teses e Dissertações Teses T/Doc Dissert. D/Doc Total TD/Do c2010 3 0,25 8 0,67 11 0,922011 4 0,31 17 1,31 21 1,622012 7 0,54 8 0,62 15 1,15Triênio 14 1,08 33 2,54 47 3,62 Dimensão do corpo docente2010: 12 permanentes e 2 colaboradores2011: 13 permanentes e 2 colaboradores2012: 13 permanentes e 2 colaboradores
  22. 22. Corpo Discente, Teses e Dissertações Teses T/Disc Dissert D/ Total TD/ . Disc Disc2010 3 0,14 8 0,31 11 0,23 Dimensão do corpo discente2010: 22 doutorandos e 26 mestrandos = 48
  23. 23. Corpo Discente, Teses e Dissertações Teses T/Disc Dissert D/ Total TD/ . Disc Disc2010 3 0,14 8 0,31 11 0,232011 4 0,13 17 0,74 21 0,392012 7 0,24 8 0,25 15 0,25 Dimensão do corpo discente2010: 22 doutorandos e 26 mestrandos = 482011: 31 doutorandos e 23 mestrandos = 542012: 29 doutorandos e 32 mestrandos = 61 + 8 Dinter = 69
  24. 24. Corpo Discente, Teses e DissertaçõesDistribuição das orientações das teses e dissertaçõesdefendidas em relação aos docentes do Programa20103 Teses aprovadas de 3 orientadores8 Dissertações aprovadas de 5 orientadores20114 Teses aprovadas de 4 orientadores17 Dissertações aprovadas de 10 orientadores (1 colaborador)Todos os docentes orientadores, exceto a docente credenciadaem 2011, tiveram trabalhos concluídos em 2010-2011: 2 docentes: 4 orientações 6 docentes: 3 orientações 1 docente: 2 orientações 4 docentes: 1 orientação
  25. 25. Corpo Discente, Teses e DissertaçõesProdução bibliográfica ou artística associada a cada teseou dissertação20101 dos 3 doutorandos titulados e 3 dos 8 mestrandos tituladoscom produção registrada em 2010 e/ou 2011Os demais tiveram produção declarada no triênio 2007-20092011Todos os 4 doutorandos titulados e 16 dos 17 mestrandostitulados com produção registrada em 2010 e/ou 20112010 e 2011: 49 discentes autores e/ou coautores de produçãobibliográfica e artística
  26. 26. Corpo Discente, Teses e DissertaçõesTempo de formação de mestres e doutores Mestrado Doutorado Média Mediana Média Mediana 2010 27 27 50 48 2011 28 27 51 50 2010-2011 27 27 50 50Percentual de bolsistas titulados Mestrado Doutorado 2010 100% 100% 2011 87% 100% 2010-2011 91% 100%
  27. 27. Produção intelectual Produção bibliográfica: artigos em periódicos A1 A2 B1 B2 B3 B4 B5 C NC Tota l2010 3 6 0 0 1 0 0 1 0 10
  28. 28. Produção intelectual Produção bibliográfica: artigos em periódicos A1 A2 B1 B2 B3 B4 B5 C NC Tota l2010 3 6 0 0 1 0 0 1 0 102011 0 1 0 0 0 0 1 0 3 52010 3 7 0 0 1 0 1 1 3 15*2011 *11 com docentes permanentes [6 docentes autores/coautores] 3 com discentes [3 discentes autores/coautores] 6 com egressos [5 egressos autores/coautores]
  29. 29. Produção intelectual Produção bibliográfica: livros e capítulos Integral Capítulo Total2010 1 3 4
  30. 30. Produção intelectual Produção bibliográfica: livros e capítulos Integral Capítulo Total2010 1 3 42011 1 4 52010-2011 2 7 9* *7 com docentes permanentes [6 docentes autores] 1 com docente colaborador 1 com discente
  31. 31. Produção intelectual Produção bibliográfica: trabalhos completos em anais EV1 EV2 EV3 EV4 EV5 NC Total2010 0 23 15 2 1 1 42
  32. 32. Produção intelectual Produção bibliográfica: trabalhos completos em anais EV1 EV2 EV3 EV4 EV5 NC Total2010 0 23 15 2 1 1 422011 3 34 2 2 2 1 442010-20 3 57 17 4 3 2 86*11 *31 com docentes [9 docentes autores/coautores:7 per e 2 col] 62 com discentes/egressos [27 discentes e 3 egressos autores/coautores]
  33. 33. Produção intelectual Produção bibliográfica: distribuição das publicações 2010 2011 2010-2011 DOC. DOC. DOC. DISC. DISC. DiSC.* PER PER PERArtigos 0,83 0,2 0,38 0,09 1,15 0,29Livros/capítulos 0,33 0,08 0,38 0,09 0,69 0,17Trabalhoscompletos em 3,5 0,87 3,54 0,85 6,61 1,68anais *Calculada com base na média de alunos matriculados em cada ano base
  34. 34. Produção intelectual Produção artística de ponta- C. Caparreli Gerling: CD “Cristina Capparelli interpreta a obrapara piano de Alda Oliveira e Jamary Oliveira” (com 11 obras e19 faixas), apoio ABM e Sonare, 2011.- C. Domenici: gravação da faixa “Confini”, de Paolo Cavallone,para piano solo, no CD “Confini”, Gravadora: Raí Trade/Centerfor 21st Century Music, Tactus; Estados Unidos, 2011- A.C. Borges Cunha: Estreia da composição Maxakali (ConcursoFunarte de Composição 2010) na XIX Bienal de MúsicaContemporânea, Rio de Janeiro, Orquestra Petrobrás Sinfônica,Regência: André Cardoso, 2011.-N. Fialkow: Turnê do Duo Marcos Machado (contrabaixo) e NeyFialkow (piano) em quatro universidades norte-americanas,executando obras de Proto, Haydn, Glier e Korngold, 2011.
  35. 35. Produção intelectual Produção artística de ponta-D. Wolff: Brasil em Corda – Circuito Funarte de Música Clássica.Temporada de concertos para violão e quarteto de cordas emsete cidades brasileiras (6 capitais), 2010.-D. Wolff: Recital de violão solo na Biennale Internationale de laGuitare, França, 2010.-A. C. Borges Cunha e outros: CD “Mahavidyas”, Ballet para doispianos , flauta, percussão e orquestra de cordas, de VagnerCunha (discente). Regência: A.C. Borges Cunha; pianos: CristinaGerling e Ney fialkow; flauta: Leonardo Winter; percussão: DiegoSilveira. Theatro São Pedro / Estúdio Transcendental, 2010.
  36. 36. Inserção socialIntegração e cooperação com outros programas e centros de pesquisa e desenvolvimento profissionalProgramas e IES:- Dinter Unespar (Embap e FAP/PR)- Casadinho: UFBA-Unicamp-UFRGS- Participação de docentes de outras IES nos grupos depesquisa vinculados ao Programa (UFSM, UFPel, UERGS,UDESC, UEL, UFU, UNIRIO e UFPB).- Participação de docentes de outras IES nas atividades doPrograma (bancas, seminários, masterclasses, disciplinas).- Consultorias para implantação de curso de graduação emestrado em duas IES.
  37. 37. Inserção socialIntegração e cooperação com outros programas e centros de pesquisa e desenvolvimento profissionalOrquestras:- Direção artística de concertos didáticos para alunos doensino fundamental e médio;- Direção artística de projeto de profissionalização demúsicos (solistas) e interiorização da música de concerto.CEP e escolas de música:- Masterclasses e cursos de formação continuada demúsicos e de professores de escolas de música.
  38. 38. Inserção socialIntegração e cooperação com outros programas e centros de pesquisa e desenvolvimento profissionalEducação básica:- Cursos de formação continuada para professores deescolas de educação básica em diversos estados do país(PROEXT 2010);- Publicação de material didático para a educação básica;- Coordenação do Grupo Técnico para implementação daLei n. 11.769/2008 no Rio Grande do Sul.- Participação de docentes da educação básica nos gruposde pesquisa vinculados ao Programa.
  39. 39. Inserção social Visibilidade e transparência• Teses de Doutorado e Dissertações/TrabalhosConclusivos de Mestrado: Lume - Repositório Digital da UFRGS http://www.lume.ufrgs.br/Página do Programa: http://www6.ufrgs.br/ppgmusica/
  40. 40. Níveis de qualificação, de produção e de desempenho equivalentes aos dos centros internacionais• Qualificação do corpo docente:- 11 docentes titulados no exterior[em 11 instituições dos EUA, Alemanha e Inglaterra]- 4 docentes titulados no Brasil, 2 com estágio sanduícheno exterior[EUA e Inglaterra]- 6 docentes com/em pós-doutorado no exterior[EUA, Alemanha, Inglaterra, Portugal]
  41. 41. Níveis de qualificação, de produção e de desempenho equivalentes aos dos centros internacionais• Produção e desempenho:- Produção (docente e discente) bibliográfica e artísticacontinuada e socializada através de meios consideradosqualificados pela área.- Produção (docente) técnica em âmbito internacional.- Participação de docentes em sociedades/associaçõesinternacionais.- Mobilidade docente: - Participação de docentes de IES estrangeiras em atividades do Programa. - Participação dos docentes do Programa em atividades de orientação e coorientação no exterior; projetos de pesquisa conjuntos e intercâmbios acadêmicos.
  42. 42. Consolidação e liderança nacional do Programa como formador de recursos humanos para a pesquisa e pós-graduação• Proveniência dos mestrandos 1987-2011:- 151 titulados Sul: RS: 85; SC: 5; PR: 20 Sudeste: SP: 8; MG: 9 Centro-Oeste: MS: 1; DF: 3 Nordeste: BA: 1; PB: 3; PE: 2 Norte: AM: 1; AP: 1; PA: 1 Cone Sul: 3 RS: 56,3% Região Sul: 72,8% Demais regiões: 27,2%
  43. 43. Consolidação e liderança nacional do Programa como formador de recursos humanos para a pesquisa e pós-graduação• Inserção dos egressos de Mestrado 1987-2011:- 151 titulados • 84 (53,6%) vinculados a 28 IES no país Sul: 60 [RS: 42] Sudeste: 11 Centro-Oeste: 2 Nordeste: 9 Norte: 2 • Dentre os 83: RS: 50% Região Sul: 71,4% Demais regiões: 28,6%
  44. 44. Consolidação e liderança nacional do Programa como formador de recursos humanos para a pesquisa e pós-graduação• Proveniência dos doutorandos 1995-2011:- 42 titulados Sul: RS: 19; SC: 3; PR: 2 Sudeste: SP: 2; MG: 4; RJ: 1 Centro-Oeste: MT: 1; DF: 2 Nordeste: BA: 1; PB: 3; PE: 1; PI: 1 Norte: PA: 3 Cone Sul/Uruguai: 1 RS: 45,2% Região Sul: 57,1% Demais regiões: 42,9%
  45. 45. Consolidação e liderança nacional do Programa como formador de recursos humanos para a pesquisa e pós-graduação• Inserção dos egressos de Doutorado 1995-2011:- 42 titulados • 37 (88,1%) vinculados a 20 IES no país: Sul: 22 [RS: 17] Sudeste: 6 Centro-Oeste: 1 Nordeste: 5 Norte: 3 17 atuam em PPGs • Dentre os 37: RS: 45,9% Região Sul: 59,5% Demais regiões: 40,5%
  46. 46. Inserção e impacto regional e nacional do Programa• Inserção nacional dos docentes- Bolsistas de agências;- Captação de recursos via editais;- Membros de comitês nacionais e comissões de avaliaçãode agências;- Membros de diretoria de associações nacionais (Abem,Abet, Abrapem, Anppom);- Membros de conselhos editoriais de periódicos;- Membros de comitês científicos de congressos;- Convidados para eventos científicos e artísticos de âmbitoregional e nacional.
  47. 47. Inserção e impacto regional e nacional do Programa• Impacto regional e nacional do Programa- Colocação profissional dos egressos em IES da Região Sul: Dos titulados vinculados a IES: Mestres: 71,4% Doutores: 59,5%- Colocação profissional dos egressos em IES das demaisregiões do país: Dos titulados vinculados a IES: Mestres: 28,6% Doutores: 40,5%
  48. 48. Inserção internacional e integração com centros internacionais10 (77%) dos 13 docentes permanentes com pelo menos 2 produções; e 8 (61%) com pelo menos 3 produções nas categorias listadas a seguir em 2010-2011:- Participação em diretoria de sociedades/associaçõesinternacionais- Representação no Brasil de sociedades/associações internacionais- Consultoria a agências estrangeiras e internacionais- Participação em conselhos editoriais de periódicos internacionais- Participação em comitês científicos de eventos internacionais- Apresentação de trabalhos em congressos internacionais- Atuação docente (masterclass/cursos de curta duração) emeventos artísticos internacionais
  49. 49. Inserção internacional e integração com centros internacionais- Atuação como professor visitante/convidado (masterclass/cursosde curta duração/seminários) em instituições estrangeiras- Acordos de cooperação acadêmica e intercâmbio científico cominstituições estrangeiras- Projetos artísticos, editoriais e de pesquisa colaborativos cominstituições/docentes estrangeiros- Orientação e coorientação de mestrandos e doutorandos eminstituições estrangeiras- Estágios de doutorado e pós-doutorado em instituiçõesestrangeiras
  50. 50. Avaliação geral• Pontos positivos- Verticalidade da proposta pedagógica do Programa- Número de bolsistas de produtividade em pesquisa- Integração com a graduação- Participação de discentes como autores e coautores(produção bibliográfica e artística)- Inserção profissional dos egressos- Aumento do corpo discente (principalmente dedoutorandos)
  51. 51. Avaliação geral• Pontos negativos- Desequilíbrio do fluxo discente no atual triênio em funçãodo aumento do número de alunos-TMT mais alto em 2010-2011 em relação ao triênioanterior- Quebra da regularidade da Revista Em Pauta econsequente rebaixamento no Qualis Periódicos- 3 docentes com mais de 8 orientandos (considerandoDinter e atuação em outro Programa)- Visibilidade do Programa: - Atualização de todos os itens da página - Tradução da página para a língua inglesa

×