Os Raciocínios dedutivos e
indutivos Parte 2
 Os tipos de raciocínio que nos
interessaram para o estudo da Lógica
serão os dedutivos. No entanto, os
raciocínios indut...
 Raciocínio por analogia é todo o raciocínio que
fundamenta a sua conclusão com recurso a
algumas semelhanças entre duas ...
 Raciocínio abdutivo é aquele raciocínio cuja
conclusão se baseia em alguns indícios (o
raciocínio predilecto dos detecti...
Os raciocínios indutivos não se dizem
válidos ou inválidos, mas apenas fortes ou
fracos – serão fortes caso as premissas
...
Raciocínio parte 2
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Raciocínio parte 2

341 visualizações

Publicada em

Lógica

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
341
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
7
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
3
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Raciocínio parte 2

  1. 1. Os Raciocínios dedutivos e indutivos Parte 2
  2. 2.  Os tipos de raciocínio que nos interessaram para o estudo da Lógica serão os dedutivos. No entanto, os raciocínios indutivos podem ainda dividir- se em mais géneros de raciocínios. Vejamos quais os raciocínios indutivos possíveis.
  3. 3.  Raciocínio por analogia é todo o raciocínio que fundamenta a sua conclusão com recurso a algumas semelhanças entre duas coisas.  Exemplo: Luanda e Lobito são cidades, Luanda tem muito trânsito. Logo, o Lobito terá muito trânsito.  A conclusão baseia-se no facto de Luanda e Lobito serem ambos cidades (uma primeira semelhança) e pretende retirar dessa primeira semelhança uma outra (de que ambas as cidades têm muito trânsito).
  4. 4.  Raciocínio abdutivo é aquele raciocínio cuja conclusão se baseia em alguns indícios (o raciocínio predilecto dos detectives).  Exemplo: a rua está molhada. Logo esteve a chover.  A conclusão baseia-se num indício (a rua estar molhada) que parece apenas poder ser explicado pela conclusão (de que está a chover).
  5. 5. Os raciocínios indutivos não se dizem válidos ou inválidos, mas apenas fortes ou fracos – serão fortes caso as premissas sejam verdadeiras e que, por isso, a conclusão seja improvavelmente falsa; serão fracos caso as premissas sejam verdadeiras e, ainda assim, a conclusão ser provavelmente falsa.

×