Livro portugues falado

1.373 visualizações

Publicada em

0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.373
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
22
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Livro portugues falado

  1. 1. P O RTUGUÊS FALADO POR TERESINENSES (Entrevistas) VOL.I- Corpus parapesquisalinguística
  2. 2. P853 Português falado por teresinenses (entrevistas) / Organi- zado por Maria Auxiliadora Ferreira Lima e Ma- ria Anecy Calland Marques Serra. - Teresina: EDUFPI, 2010. 258p. 1.Linguística.2.LínguaPortuguesa.I.Lima,Ma- ria Auxiliadora Ferreira - Org. II. Serra, Maria Anecy Calland Marques - Org. CDD - 410 ISBN - 978-85-7463-330-5 ENTREVISTADORES Assunção de Maria Almondes Leal Éder Sousa Teixeira Ivo Sodré de Carvalho Jainara Teixeira Pimentel Kelleny Cryss Lea Mara dos Santos Alves Luciana Evangelista Silva Maria Ilza da Silva Cardoso Messias dos Santos Santana Rafael Costa Bolsista FAPEPICNPq - Apoio Técnico Kaliny Rodrigues de Araújo Lima Costa
  3. 3. CORPUS DO PROJETO “ASPECTOS GRAMATICAIS DO PORTUGUÊS FALADO POR ESTUDANTES TERESINENSES” - PORFATER - PORTUGUÊS FALADO POR TERESINENSES (Entrevistas) VOL.I- Corpus parapesquisalinguística Maria Auxiliadora Ferreira Lima Maria Anecy Calland Marques Serra (organizadoras) UNIVERSIDADE FEDERAL DO PIAUÍ CENTRO DE CIÊNCIAS HUMANAS E LETRAS DEPA RTAMENTO DE LETRAS MESTRADO EM LETRAS Teresina 2010
  4. 4. SUMÁRIO APRESENTAÇÃO................................................................................................................7 ESCOLAPARTICULAR 1- EPa IM4a S..........................................................................................................................11 2-EPaIF4a S...........................................................................................................................33 3- EPa IM4a S..........................................................................................................................56 4-EPaIF4a S...........................................................................................................................77 5- EPa IM4a S.........................................................................................................................97 ESCOLA PÚBLICA 1- EPu IM4a S........................................................................................................................118 2-EPuIF4a S..........................................................................................................................129 3- EPu IM4a S........................................................................................................................152 4-EPuIF4a S..........................................................................................................................166 ESCOLAPARTICULAR 1- EPa IM8a S.........................................................................................................................188 2-EPaIF8a S..........................................................................................................................204 3- EPa IM8a S.........................................................................................................................212 4-EPaIF8a S..........................................................................................................................226 ESCOLA PÚBLICA 1- EPu IM8a S........................................................................................................................246 2-EPuIF8a S..........................................................................................................................266 3- EPu IM8a S........................................................................................................................286 4-EPuIF8a S..........................................................................................................................303 ESCOLAPARTICULAR 1- EPa IM3a S.........................................................................................................................326 2-EPaIF3a S.........................................................................................................................346 3- EPa IM3a S.........................................................................................................................368 4-EPaIF3a S.........................................................................................................................389 ESCOLA PÚBLICA 1- EPu IM3a S.......................................................................................................................407 2-EPuIF3a S..........................................................................................................................429 3- EPu IM3a S.......................................................................................................................448 4-EPuIF3a S..........................................................................................................................467
  5. 5. APRESENTA Ç Ã O As entrevistas apresentadas, neste livro, fazem parte do banco de dados formado para o Proje-to "Aspectos do Português Falado por Estu- dantes Teresinenses" - PORFATER. O corpus que se des-tina à comunida- de científica para estudos, e ao público em geral, foi constituído de uma amostra da fala de teresinenses, obtida por meio de gravações informais, realizadas com informantes previamente selecionados. Para as gravações foiutilizadoumsistemadeentrevista"nãoestruturada"que,deacordocom VEADO (1982) ,favorece um contato mais informal entre entrevistador e informante,possibili-tandoumdiscursomaiscontínuo. O material sonoro que selecionamos para gravação representa a fala de estudantes das séries terminais do Ensino Fundamental e Médio. Justifi- camos essa escolha em razão do nosso interesse em pesquisar os usos de aspectos gramaticais do português falado por teresinenses que estão expos- tos ao sistema formal de ensino da língua portuguesa em níveis diferentes. Esta amostra foi planejada, levando em consideração as variáveis referentes ao grau de esco-laridade e ao sexo. I)Escolaridade: Alunos das últimas séries do Ensino Fundamental (5ª e 9ª séries) e alunos do 3º ano do Ensino Médio de quatro escolas da rede públicaequatrodaredeparticular.Asescolaspúblicasestãoaquiindicados por Epu e as escolas particulares, indicadas por EPa. II)Sexo: De cada série, foram selecionados 02 informantes do sexo Masculino (aqui indi-cado por IM) e 02 do sexo Feminino (indicado por IF). Para a constituição do corpus, gravamos a fala de 96 alunos das séries já citadas. Quanto às escolas, optamos por aquelas localizadas em diferentes bairros de Teresina. Entretanto, não conside-ramos a variável localização da escola, tendo em vista a possibilidade de os informantes (os alunos) não residirem no bairro onde fica a escola e, mesmo que residam, é possível que o tempo de moradia no bairro não seja significativo. Em rela- ção à escola pública, também não estamos levando em consi-deração a variável rede estadual e rede municipal. Após a escolha das escolas e a devida autorização dos seus respec- tivosdirigentes,fizemosumcontatocomosinformantesatravésdaajudade professores que indicaram aqueles mais desinibidos. De cada escola, foi gravada, por série selecionada, a fala de 04 informantes, na faixa etária entre 10 a 20 anos, num total de 12 informantes por escola. Foi feita 01 entrevista de 60 minutos com cada in-formante, perfazendo um total de 96 horas de gravação.
  6. 6. Visando superar o clima de artificialidade criado pela própria situa- ção de entrevista, os entre-vistadores trabalharam com alguns temas que pudessem ser do interesse dos informantes, tais como: esporte, diversão, leitura,política, viagem, cinema, programas de televisão, juventude, droga, violên-cia,etc. Taistemasforaminseridoseexploradosduranteasentrevis- tas de acordo com asoportunidades e as características que puderam ser detectadas de cada informante, servindo como uma espécie de referência sem a obrigatoriedade da abordagem. As entrevistas foram realizadas no período de 2000 a 2003. Por questões operacionais, selecionamos para este livro apenas 24 entrevistas, constituindo um total de 24 horas de gravação, referentes a 24 informantes, sendo 12 da rede pública e 12 da rede particular.Nãoutiliza- mos nas transcrições os nomes dos entrevistados e nem os nomes de suas escolas. Fizemos as respectivas identificações dos informantes e de suas escolas por meio de códigos espe-cificados no item Relação das Entrevis- tas. Esclarecemos que nas transcrições não foram priorizadas particula- ridades fonéticas da fala pa-ra facilitar a leitura do corpus tendo em vista pesquisas nas áreas da Sintaxe, da Semântica e da Prag-mática. Todavia, para que as transcrições grafêmicas das entrevistas não anulem caracterís- ticas próprias da fala, fizemos uso das NORMAS estabelecidads para trans- crições de fala. Embora esta seja a primeira etapa da publicação do corpus constitu- ído para o Projeto acima mencionado, vale ressaltar que muitos de seus dados já foram objetos de análise de pesquisas desen-volvidas em 12 proje- tos de Iniciação Científica e em 06 Dissertações de Mestrado. Atualmente, 04 mestrandos estão fazendo uso deste corpus. Nesta oportunidade, apresentamos AGRADECIMENTOS aos Di- retores dos estabelecimentos de Ensino que gentilmente atenderam a nossa solicitação,viabilizandoasentrevistascomosalunos. Por fim, ressaltamos que a publicação deste corpus terá sua relevân- cia para o Ensino de Língua Materna nos Ensinos Fundamental e Médio por constituir uma amostragem da Língua em uso por falantes de escolas públi- caseparticularesde Teresina. Dessa forma, este livro dará aos professores importantes subsídios para trabalhar aspectos da gramática do português a partir de situações concretas de fala. Profa. Maria Anecy Calland Marques Serra Profa. Maria Auxiliadora Ferreira Lima
  7. 7. NORMAS PA R ATRANSCRIÇÃO OCORRÊNCIAS SINAIS Qualquer pausa ... Truncamento // Incompreensão de palavras ou segmentos ( ) Entonação enfática maiúscula Comentários descritivos do transcritor (( )) Prolongamento de vogal e consoante :: Hipótese do que se ouviu (entre parênteses) ( ) Silabação - Comentários que quebram a seqüência temática da exposição / Discurso direto __ __ Citações literais ou leituras de textos durante a gravação " " Entonação de exclamação !
  8. 8. -11- Português falado por teresinenses 01. ENT: Quantos anos você tem? INF: Eutenhodez 02. ENT:Você mora com seus pais? INF: Moro sim 03. ENT: Os dois? INF: Todosdois 04. ENT:Tem irmãos? INF: Eu tenho só uma irmã 05. ENT: Mais velha ou mais nova? INF: Elaémaisnovadoqueeu 06. ENT: Como é teu relacionamento com ela? INF: A gentebrigaasvezesmasagenteémuitoapegadoumaooutro porcausaqueelaésemprepedindoaminhaajudaeeupedindoaajudadela além dela ser menor... isso não não importa pra ela porque ela ela gosta mesmoéédetáajudandoosoutrosédetáfazendosempreocertoporisso que...eugostodedecompartilharmuitocomelaporqueelaelaalémdefazer ascoisascertasaindameensinaalgumascoisas...assimporqueaidadedela émenordoqueaminhaetemcoisasqueelasabeequeeunãoseientão... entãoeupossoconsiderarelaumagrandeirmãminha 07. ENT:Vocês compartilham conhecimentos um com o outro? INF: Atéminhatarefaelagostaassimdeolha::raíelaperguntaaqui::ela perguntaacolá::aíeudigoparaela...explicopraelaaíelasemprequandoa minhaprimaqueelatambémtálánauniversidadeeladizeladiz...onome delaéMariaEugêniaeladiz –MariaEugê::niatusabeissoaqui?–aíeladiz – seimeuirmãomeensinouafazerissoaquiissoaquiissoaqui-tusabeos número? – seitátudinhoaqui – rapaz!elaéengraçada...elaémuito/eugosto muitodela EPa IM4a S1 ESCOLA PARTICULAR
  9. 9. -12- Português falado por teresinenses 08. ENT: Ela já está estudando? INF: Tá::nessecolégioaquimesmo 09. ENT: E o que é que tu achas dos meninos assim que são filhos únicos... o que é que eles estão perdendo em não ter irmãos? INF: Poiséaspessoasquetemfilhosúnicos...acriançaquenãotem irmãela...elanãonãotemalguémassimprabrinca::rpracompartilharpor- queassimumamigosóficanaescolamasquandoapessoavoltapracasa... continuaaliapessoavaifazersuatarefanãotemalguémpracon//conversar pratrocaridéias...comentaralgumacoisadaesco::lacomoéquetásendoo dia...quandoeuerafilhoúnicoeupediaeu diziamuitopraminhamãe– mãe... por que que eu não tenho irmão? eu queria tanto ter um irmão um irmãoouumairmã–aífoiquandominhairmãnasceuaíeufiqueimuitofeliz porqueagoraeutenhoumapessoapracompartilharprapodertrocaridéia praconversarpradesabafarassimpracontarsobreminhavida 10. ENT: Muito importanteisso...muitobem! INF: Éporque...sempre ébomagentesempreviveremfamíliaporque comoagentetávendohojeque...é::...homensemulheresnãotãoserelaci- onandomuitobementãoésempreagentesempreéprocurarcompartilha::r... viversemprejuntoqueépranadadarerradonafamília 11. ENT:A família é a base de tudo né? INF: Éocome::çodagenteagente...temumafamíliapracomeçara vidaaíquandoagentesecasaficagrandeesecasaagentevaicomeçaruma outravidaapartirdaí 12. ENT:Você gosta de estudar? INF: Gostomuito 13. ENT: Qual é tua matéria predileta? INF: Históriaegeografia 14. ENT:Por quê? INF: PorcausaquecontamuitacoisadahistóriadoBrasilegeografia conta sobre o mundo como é que é formado é::... os oceanos... as bacias hidrográficas...oslençóisd’água...contatudogeográfico...alicontacada partedomapadoBrasiltáali...omapadoBrasilvaimostrandoondeéque aconteceu isso onde é que aconteceu isso o que é que tem isso bacia hidrográficalençóisd’águariosqualéosoceanosquebanhaa América do Sul essas coisas... história também eu tou estudando até... os Zumbi dos Palmaresqueéumahistóriamuitoimportantepramimporquefoiosímbolo da luta pela liberdade dos escravos que eles só sabiam responder – sim
  10. 10. -13- Português falado por teresinenses senhoresimsenhora–porqueelesnumtinhaaquelepoderdedizer–nãoeu não faço porque eu sou um homem livre – porque naquelas época naquela épocaeleseramcastigadosseelesdissessemissoentãoahistóriaémuito importante...pramim 14b. ENT:Pro Brasil todo né? as pessoas tomassem mais consciência INF: Porqueforamelasquemaissofreramné?elaseosíndiosvocê podeverquehoje...éraramenteapessoaencontraíndioaquinaregiãodo Brasil...raramente 15. ENT:Aqui no Piauí não tem mais índio? INF: Temnão...apessoapodeirpraqualquercantoquenãoencontra 16. ENT: Como é que ainda hoje as pessoas depois de tantos anos são racistas? INF: Poisé...eunãogostodessetipodepessoanão...racistaassim– ah!eunãovoubrincarcombrancoporqueeleébrancoeunãovoubrincar com negro porque eu não vou ser amigo porque ele é negro – não tem nada averapessoabrincaporque...aaamizadené?porqueapessoatemqueter váriosamigosporquemaistardeapessoavaichegarnumpontoquenãovai termaisamigos...nemosbrancosnemosnegrosvãoquerermaiseleporque elealémdenãoquereraparticipaçãodepessoasdiferentesaeleporquese ele quiser só pessoas que tem o mesmo pensamento dele vai ficar chato porque tudo que ele disser – ah! eu... gosto muito do do do vegetal sou vegetariano–aíooutrovaiquererserigualser vegetariano também–ah!eu soubrancotuvaiserbrancotambém–nãotemnadaaverapessoatemque serédiferentemesmopraserpratrocarasidéiaspracompartilharcomos outros...seralguémdiferente 17. ENT: É importanteser diferente né? INF: Porquealémdissoapessoaalémdetrocaridéiascomaspessoas aindatemoutrasopiniõesquerdizerpodeporexemplo...– ah!ovegetalé umserprodutoréumserprodutoreautótrofoporqueeleproduzseupróprio alimento entendeu? – é sempre um ajudando o outro nas dificuldades que cadaumtem...nãoimportaacordeleoqueéqueeleéouseeleédiferente seeletemalgumdefeitooimportanteéapessoa...éseramigadaquelapes- soa importando como ela seja ou não sendo amiga ou ou não a pessoa tem todo/ porque nós precisamos muito da ajuda dos outros não podemos ser todosabsolutosnão...nósnãosomos...ésónósquetemosquesomosdo- nosdarazãodejeitonenhumquandoéprareclamaragentereclamaquando éprafalarbemagentefala...elogiaragenteelogia...éissoaíagenteéa
  11. 11. -14- Português falado por teresinenses precisamuitodooutroqueépraaprenderoqueéobomeoqueéomal 18. ENT: Isso exatamente eu penso desse jeito também... e a gente falou que tu gostas de história e geografia e qual é a pior matéria prati? Tem uma que tu menos gosta? INF: Matemática((risos)) 19. ENT:((risos))Por que matemática? INF: Ah!porqueéumnegócioconfuso...temaquelesnúmerosebotae soma e diminui e coloca nesse mmc nessas coisas – rapaz eu me confundo toDInho–chegaeufico TONtoeuficoassimnahora...nãoeuvoudesistir... aí quando chega em casa eu sempre digo pra mamãe – mamãe se matemática nãoexistisseomundoiasermuitobommasninguémiaaprenderasomare nemiafazercomprasporquesemosnúmerosnãoé?agentenãopodefazer nada...amatemáticaétão...étãoimportantequeaténahoradadagente comprarnahoradagenteiraquinaescolaounotrabalhoagenteagentediz – ah! eu queria que matemática não existisse é um trabalho danado – aí quando a pessoa vai fazer... compra ver lá o cara fazendo a conta se não tivessesenãoexistisseamatemáticacomoéqueagentepoderiacompraras coisas né? a gente reclama né? mas também não pode querer que ela não existamaisporquevaificarmuitodifícilné? 20. ENT: É um mal necessário a matemática? INF:Ao mesmo tempo a gente quer e ao mesmo tempo a gente não quer 21. ENT:Deviaser um pouquinho mais fácil? INF: Ésenãofossetãocomplicadase/asvezeasveze oprofessorfica falandoaquelesnúmerosequandoagentenãoentendeagenteficaassimse perguntando – como é que faz isso daqui? – olha pra um lado e olha pro outroenãoentendenadaquandochegaemcasaficacheiodedúvidasvailer olivroaíeugrifoeugrifoaspartesdolivroquetemdizendoascoisasimpor- tante...eugrifoládelápis...eugrifoqueépranahoraquechegaremcasa... eu passo assim mas com a cabeça aberta como a minha mãe diz 22. ENT:Etujátirou alguma nota baixa? INF: Não aliás… abaixo da média não 23. ENT:Abaixodamédianão...esetutirassecomoéquetuiaexpli- car para tua mãe? INF: Euiadizer–ómãeeutireinotabaixaportantoeuVOUmeesfor- çarmaisVOUtentarfazertudodireitoqueépranapróximaprovaeufazer ascoisascorretasetirarnotaboa– 24. ENT: Não ia esconder a nota?
  12. 12. -15- Português falado por teresinenses INF: Nãopraqueesconder?...seesconderépioraíéquenãotiranota alta mesmo 25. ENT:Aí a gente pede ajuda né? INF: Porqueaíelesvãoexplicarbemdireitinhovãodizercomoéque fazaíagentevaificar...ébemmaispreparadoprahoradaprova 26. ENT: Qual a profissão dos teus pais? INF: Um é professor de geografia na Universidade e no CEFET e a outraéjornalistadaRádio AntaresOitocentos...elaéeditora 27. ENT:A universidade que teu pai trabalha é qual? INF: É a Federal a UFPI 28. ENT: E o que que tu quer ser quando crescer? INF: Dependeeu...eugostomuitoassimdejogoseeuqueriatrabalhar muitonumaempresaeletrônicaeeutambémtenhomuitaartepradesenhar... eugostomuitodedesenhar...eufaçobonecos...quadrinhos...façotudoaía empregadaládecasaficaolhandoassimelaparaassimaíelaencostaaquie começa a olhar...aíeudigo–táachandobonito?–aíeladiz–tuvaiser desenhistaquandocrescer–eugostomuitoaíeutenhovontadedetrabalhar nessas empresas eletrônicas porque ao mesmo tempo eu tou eu tou dese- nhando o boneco do jogo e ao mesmo tempo eu tou me divertindo porque se eufaço...obonecoaíquandovaiprapartedecomputadorizaçãoa gente podeassimverquaissãoosmovimentos–ah!issoaquivaificarlegalahisso aquipodemodificarah!ocorpodelevaificarmaisoumenosassimnahora defazerissotal–essaéessa minhavontadetrabalharnumaempresaeletrô- nica 29. ENT:Tipo fazendo jogos de videogame? INF: Issofazendoessesjogosmesmos 30. ENT:Interessante! Tu faz quadrinhos ou são bonecos? INF: Eu faço bonecos às vezes eu faço quadrinhos às vezes eu olho assimnumafolhaeucopiolá...eugostodedesenhar 31. ENT:Tu faz assim do nada né? INF: Éeupegoaliolápis...euficobatendoaquiaíeuolhoaquieufaço umabolaaínahora eufaçooutrabolaaínaoutraeufaçoosolhos...eufaço assobrancelhas...eufaçoonarizfaçoocorpofaçotudo....eaíédonada queeufaçoentendeu?assimeupegoaquiaíeuficopensandonumacoisa... geralmenteeuficosentadopensando assim aíeuficosemprecomolápisque éaímeupaitodaveznareuniãoelemeensinouumacoisaprapessoarelaxar éfazerbastantesetas...ébomagentefazerissoaíeucomeçoaquiafazera
  13. 13. -16- Português falado por teresinenses setaaíeucomeçoameinspirarquandoeucomeçoameinspirareufaçoo desenholáetudo 32. ENT: E tu começou a desenhar quando? INF: Olha!apartirdeseisanoseujádesenhava 33. ENT:Tu sabe por que tu começou a desenhar? INF: Eunãosei...euvinaquela/foiéporcausaqueomeutio...eleéum desenhistamesmomeutio...elemoralánoRiodeJaneiroaíeletrabalha numaeditoraaíelegostadedesenharMUIto...aíumavezeufiqueiolhan- do...prestandoatençãocomoeraotraçodorostoqueelefaziaaíeucome- ceiafazereassistiamuitatelevisãoné?porquenaverdadeeunãotenho esses jogos eletrônicos porque tem crianças né? que tem condições mais elevadasecomeçaajogarali...eunãotiveaindaessaoportunidadené?mas eugostomuitodedesenharporquequandoeucrescereutenhominhavonta- demesmoédefazerumfilmeeumjogoojogovaise...ojogovaiinspirar... ofilmeofilmevaiseinspirarnojogoquerdizerospersonagensquevãoser tiradosvaiserdojogo 34. ENT: Que nem esse Mortal Combate? INF: É:: Mortal Combate 35. ENT: Do videogame fizeram um filme? INF: Exato como Matrix tem o videogame e tem o filme 36. ENT:Tu sabe mais ou menos o que tem que fazer? Tem que estu- dar desenho né? INF: Temmuito...etemmuito/eugostomuitodeassistiraqueleG4 Brasilconhece? 36b. ENT: Conheço INF: PassanaBandeirante...elemostradireitinhocomoéquefaz...é numpapelcheiodelinhaassimquadradosporquefacilitaapessoaafazero traçodorostoeémuitodifícil...principalmentenessesdesenhosanimadosé quase o mesmo procedimento que faz um desenho animado... a pessoa tem quefazerelesemovimentan::doahoraqueeleporexemploumfilme...pron- tovocêdeuumexemploaíaqueleMortalCombate...eletemqueestudaros golpesporqueaquiloqueeletámovimentandoapernaobraçoéquestãodo desenho ir se movimentando... assim ó cada desenho ele vai aproximando mais... eu até tenho um livro que tem no canto da folha uma coisa que a pessoapassaassimeelevaiandandoo...émuito interessanteissoaí...eu gostodefazerissoaídesenhar...desenharemeformarnumaempresaeletrô- nica
  14. 14. -17- Português falado por teresinenses 37. ENT: E como é o teu dia? INF: Meudia...éumdiabomné?eusemprepensandoemmaiscoisas emmaiscoisaemaiscoisané?tendomaisidéiasdoquevaisernofuturoeu façoaminhatarefané?aíeudigoassim–eusoubomnissodaquieupodia sereupodiaseiissoaquiné?–aíeulevopraoutramatéria–não!eupodia ser bom nisso daqui não eu podia ser bom nisso daqui não! eu sou muito inteligentenissoaqui–aí aquinaescolaagentecomentamuitocomoé–ah! oqueéquetuvaiserquandocrescer?–ah!euvouserjornalista–euvouser doutor–não!euvouserastronauta–não!euvoutrabalharnumaempresade computação – aí sempre eu disse assim – eu vou trabalhar numa empresa eletrônica–aíopessoaldiz–nãotuvaiserdesenhistadizquetuvaiser desenhistadizdizdiz–rapaz!éaempresaeletrônicatem...temocontato com o desenho porque assim pode fazer um jogo e ao mesmo tempo eu tou atémedivertindofazendoodesenhoporqueéoúnicométodoqueeutenho demedivertiréatravésdodesenho...eassistotelevisão 38. ENT: Mas quando tu vai brincar do que que tu mais gosta de brin- car? INF: Eugostodebrincardeioiôdeboneco...principalmenteaqueles bonecos Lego aqueles de montar...eusoumuitofascinadoporaquilodali cada vez eu vou dizendo – mãe... tu compra um Lego pra mim? – pra que meufilho?vocêjátemmuito–aíeuguardoelesdentrodeumacaixaaquelas caixasdecorreio...euguardoeledentrodeumacaixa...émaisdemilpeças queeutenhodebonecoaíeuformocarro–ahmãe!–umacoisapramelho- rarofuturodagentequandoagentecresceraíficanesselugarespranão poluir...umavezeutiveumaidéiapranãopoluirolugar...apessoatinha que... tipo aquelas casas que ficam suspensas... tipo as que ficam no rio aquelas...aíficaaquelassóqueénochãoaítemraioslaserquequandocair olixo...acendedáumapitadaalarmeeofiscalvailáediz–olhaaquijogou tallixovocênãopodejogarolixoaquivocêtemquejogaraqui-fazendolá odepósito–queéassimocaminhãodelixovemerecolheolixo...éuma formademelhorarassimofuturodagenteatéporque...em Angra dos Reis aquelausinanuclearnumtem?tápoluindomuito...matandomuitagentepor- queolixotóxicoésódeurânioenriquecido...aíelesjogamaliealivaivaivai acumulandomaisurâniomaisurânioaíderepenteapopulaçãoficadoenteé comoasusinastermoelétricas...écarvãomineralcarvãovegetalálcool... tudopra/éaqueimadematerialquefazpraproduzirenergiané?entãoalivai poluirmuitoporquetemafumaça...temafumaçaisso...etambémtemuma
  15. 15. -18- Português falado por teresinenses doença uma doença também disso bem aí dessas fumaças dessas queima- das...éporqueeunãogostonemdefalaréporqueeutenhoeutenhoasma maseununcafalteioarassim...eudevezemquandonãotemaquelenegócio 38b. ENT:A bombinha INF: Éabombaasvezeseu...éasvezeseuaspiroaquilodali...não gostonãoétodavezésóquandoeutoudoenteaíeu...eutomoaquilodali masémuitoruimné?apessoateressadoençaporqueelanãopodeficarem lugardepoeiranumpodeficarrespirandofumaça...elanãopodefazernada onde tenha RISco pro pulmão dela... o pulmão da pessoa ficar infectado comaquiloné?entãoédifícil convivermasagenteacostuma 38c. ENT:Tem que tomar cuidado! INF: Étemquetomaroscuidadosmasdevezemquandoeualieudou uma vacilada mas num é muito grave assim não... eu sempre tou também incentivandoaspessoasasemprenãoficarnesseslocalderiscoé...num mexer a onde tem poeira a onde tem 38d. ENT:Porque isso faz mal pra qualquer pessoa INF: Fazmalpraqualquerpessoaeaíquemvaificarcomprejuízo?é apessoaquevaificardoentené?sósobrapraela 39. ENT: Mesmo que não tenha asma a pessoa pode ter uma infecção pulmonar a partir de muita fumaça né? pode ter uma alergia... é cada um vivendo com suas limitações INF: Eprincipalmenteeuquetenhoessesproblemasrespiratórios...não posso comer nem caranguejo nem camarão... não posso comer nada disso senãoeuficoquasepramorrer...eudigoassimporque...éviolentoomeu organismoelenãoaceita...éumacoisaqueelenãoaceitadejeitonenhum 40. ENT: O que tu gosta de ler? INF: MUIto MUIto gosto de ler muito 41. ENT: É importante né? INF: Principalmenteproaprendizadoporqueagentelereler...maisaía gentevaiaprendendopalavrasnovasetudoaquiloqueagentenãosabe... noslivrosagenteprocura...éprocuraalinodicionáriopranodiaqueapare- cernumaprovaounumarevistaapessoasaberosignificadodapalavra 42. ENT: E o que tu mais gosta de ler? INF: Eugostodelerassimlivros…livrosdeaventuraequadrinhos... quadrinhoseugostomuitoprincipalmenteaquelasrevistasRecreio...euleio umascincoquatrovezes 43. ENT: Muito boa aquela revista
  16. 16. -19- Português falado por teresinenses INF: Éetemcoisasinteressantesqueapessoadescobrebemali...é dobradura é como as montanhas de sal acumuladas... no mar é sempre educandomaisemaisné?ééumarevistaque...apessoaolhaaliejávai incentivandonapessoaaqueleespíritoláapessoalátemdizendo...euuma vezeupegueiumarevistadaquelasRecreiopraeulereliné?aítavalendo lá...éimportantelerporqueoaprendizadoquandovocêlêvocêgravanoseu cérebropalavrasnovassignificadosnovoséhistórias...émuitoémuitobom 44. ENT:Eaprende a (entender) o mundo né? a leitura leva você pra outras lugares INF: Eugostodelerasrevistasrevistasassim... VejaIstoÉeugosto muitodeleressasrevistasporqueeumeinformomaissobreoquetáacon- tecendonomundoelogoagoraquealgunsprofessores...osmeusprofesso- reselessempreperguntando–ah!vocêsviramontemnoJornalNacionalo quequeestavamostran::do?–ôeuvieuvisobreasuniversidades-euvi sobreasusinas –euvisobre...osriosdoBrasil–ésempreeducandomais emaispragente...quandoagentechegarélánauniversidadeessascoisasa gentejájáteraprendidojátereagentevaiaprendendomuitomaisqueépra serpreparadopravidanãoénão?éimportanteapessoa...lerinterpretaros textosporquesemprequandovieraquelasquestõesqueapessoanãosabe assim–ah!oqueeueuvoufazeragora?–ah!qualéosignificadodessa palavra?–aíagentetásempre...agentejágravalogonacabeçaoqueque querdizeraquelapalavra...comoeudisseeugostomuitodegrifardegrifar... aspalavrasaliásasfrasesdotextoinformativasqueépranahoradaprova oudeumtesteeujáterjáter...eujáter nacabeça...oquetoudizendo...ali euvejoaperguntaejávoulogodandoaresposta...eugostomuitodeler 45. ENT: Qual foi a última história assim que tu leu que tu gostou muito? INF: A históriaqueeumaisgostei…aqueeumaisgosteifoia::... Vinte milléguasSubmarino 45b. ENT:Foi? INF:Tou terminando 46. ENT: Como é a história? INF: HistóriadocapitãoLemo...énáuticasaespadadomar 46b. ENT: Nunca li não INF: Nunca leu não? é um submarino que ele tem é pra destruir um peixe muito grande que aterroriza uma cidade e todos os pescadores que vãopescarnomartodosnãovoltamporqueopeixevai...ecomeelesaío
  17. 17. -20- Português falado por teresinenses Lemo vai procura caçar ele... o náutico eu gostei dessa dessa é do Julio Verne 46c. ENT:Éinteressante INF: Eu também gostei muito de Dom Quixote 47. ENT: É tu tem umas leituras bem adiantadas pra tua idade INF: Éporque...eutemunslivrosaíeutenhoOs Três Mosqueteiros O MáscaradeFerro... A Ilhado Tesouro...eumeincentivosabe?emque//no meuavôeletemumarmárioqueguardamuitoslivros...émuitolivroMERmo eletem... A VoltaaoMundoemOitentaDias...eletemlivrospoéticosele tem...aDitaduraEnvergonhada A ditaduraEscancarada A DitaduraDerro- tadaeletemCAdalivroviu?queapessoaficaassimadmiradacomacole- çãoqueeletemporquesãomuitoslivros...elejáleutodosdadacoleçãoque eletemlá...eleleutodosentãoeutousempreprocurandomeincentivarmais emaisneleporqueelegostamuitodaleituraesempreelediz–euposso ser...velhoeupossoseridosomaseuaindavoumeformaremjornalismo– elesempregostadedizerisso–euaindavoumeformaremjornalismo–ele temumaleituraqueéuma...seapessoaperguntartodososlivrosqueelejá leueledádáoresumodetodoseledáoresumodetudinhooquequecada umretrataoquecadaumfalaquaissãoospersonagenselesempre...tem esseslivrosaíminhamãeelagostadecomprarassimeugostomuitodeleré gibiéMáscaradeFerroeujátounocomecinhodele...Os TrêsMosqueteiros eujátouquasenametade 48. ENT: E tu lê vários de uma vez é? INF: É 48b. ENT:((risos)) INF: ÉeuleioatéoDomQuixoteeujátoulendodenovo 49. ENT: Diz que o Dom Quixote é o segundo livro mais vendido no mundo INF: E é mesmo ele é um grossão assim... só que eu num tou lendo o grossão eu tou lendo o grosso mais ou menos desse tamanho assim desse tamanho...numtemaqueleHarryPotter? 49b. ENT: Hum rum INF: Poiseutenhoele...eugostodelerele...meuavôtambémtemo Dom Quixote já leu ele TODIM quase que não entende o livro por causa da faladelené?asexpressõesqueeletemémuitointeressante 50. ENT:Tu vês assim interesse dos teus colegas pela leitura? INF: Maisoumenos...temprincipalmentenasmeninas...asmeninas
  18. 18. -21- Português falado por teresinenses elaselasbemumascincoalugaramoDomQuixotenessabibliotecaaqui... bem umas cinco umas cinco meninas alugaram só duma vez e leram TODIM eusónum...euachoqueeualugueieleeualugueieleaí...eucompreielede novoetoulendodenovoagora 51. ENT:Aqui no colégio eles passam livros pra vocês lerem? INF: Osparadidáticos...étemumagoraRafePam A Esquina do Mun- dosobreogatoMarolaDomBastilomsobreoreinode(Carastrás)...aíé umlivromuitobomné?porquenaverdadeéumlivrodereinotipomedie- val... sobre reinos sobre a família ambiciosa do rei e o desejo maior que (Dom Bartilom) quer é salvar o gato Marola e na verdade ele quer acabar com a família real que gosta de pagarem impostos e mais impostos pro povo...ecadavezsaimaiscaroeelesempreprocuraajudaropovoeleé conhecidocomo...CavaleirodoReinoe...HeróidoPovo...ogatoMarolaé umgatoquefoienfei//enfeiti//enfeitiçadoporumtioambiciosodele...ele tinhaumtioquesóporqueeleiaherdarumaherançaeleresolveuenfeitiçaro gato Marola porque... ninguém herda nada do gato né? de um gato ninguém dáherançaprumgatoeagoraeletemelesqueelesconhecemFredericeo... parecequeéoFredericmesmo...elevaibuscarnacidadedosunicórnioso talismãotalismãquetransformaráogatoMarola...emgentedenovoporque comotodaahistóriaquetemessesgatoselestemsetevidasnãoé?aísóque agoraogatoMarolatánaelejáviveuseistánaúltima...tánaúltimaaítem que procurar o... o Frederic tem que pegar o talismã pra vir deixar...pro Marolaqueépraelevirargentenovamente...émuitointeressanteesseli- vro...olivroqueeumaisgosteiparadidáticosqueeujálidaquartasérie 52. ENT: O seus colegas eles lêem mais esses paradidáticos ou esses livros que tu falou? Dom Quixote... INF: Mais ou menos da minha idade eu só... acho que é só tem uma meninaqueelaseinteressaporisso...sótemumaeuperguntopraela–jáleu oDomQuixote?–já– VinteMilLéguasSubmarinas?–já–eupergunto um montedelivropraelaelajáleuaíaúltimaeladisse–temumcolegameu tambémqueelejáleuSeteDesafiospraSerRei–ébastante...ébastante bom esse livro é da grossura que os meus os meus livros costumam costu- mam ser...grosso...ééopessoaldizqueeusoumuitoadiantadopraminha idade pra ler isso daí mas acontece que é porque eu sou fascinado mesmo poresseslivros...eugostodelermaisemaisatéporque...eunãoseisevocê jáouviufalarnaqueleSenhordos Anéis? 52b. ENT:Já
  19. 19. -22- Português falado por teresinenses INF: Quetemumlivrogrossãodeleeujáliametadedele 52c. ENT:Verdade? INF: Eu já li quase a metade mas eu passei muitos meses eu passei muitosmesesmesmoaífiqueipensando–esselivronãovaiterminarnunca esselivronãovaiterminarnunca–eununcatermineielenãoporquealémde sermuitogrosso...aindaémuitoassim...confusoporqueohomemfazmagia evaipraláevaipracáeusaaespadaemataumemataoutromaséumlivro quesedápra...pra leréumlivromuitobom 53. ENT: Quando tu sente alguma dificuldade pra ler esseslivroso que é que tu faz? INF: Eu procuro consultar mais e mais no dicionário... que é porque nesseslivrosgrossossemprecostumaterpalavrasnovastodoselestodos queeujápegueigrossoselessempre...tem...éraramenteeuencontraruma palavra que eu conheça nesses livros... grossos nos Três Mosque-teiros mesmo tem aquelas palavras – ah! vosmecês num sei o quê – aquele jeito deles falarem... 53b. ENT:Aquele tratamento antigo não é? INF: É… aí eu pergunto sempre mas a maioriaeuperguntoprosmeus paisoquequesignificaisso...touatéfazendoaíumlivrozinho 54. ENT: É? lê tanto né? que acaba querendo escrever também né? INF: Alémdefazerolivrozinhoaindatoudesenhandoospersonagens 54b. ENT:Olha!tuvaiunir oútilaoagradável? INF: Ecomoomeutiojátrabalhanaeditoraeupossoatémandarpra ele 55. ENT:Esobrequaléahistória? INF: É a história de um menino de um menino mais ou menos grande de dezoito anos... um menino de dezoito anos chamado Anderson...poiséele moravanumaaldeiatipotipoaquelasaldeiasdeíndio...sóqueopessoal sempreperguntavaporquequeeleeratãodiferentedosoutros...eletinhaa maiordiferençaporqueelefoideixadonaaldeia...eleeleamãedeledeixou porquenãotinhacondiçõesdecriá-loné? aíaíatriborecolheuele...deu todocarinhoamorqueeleprecisavaaíelediziasempreporquequeeleera diferenteaíeledecidiuirpracidade...saberoque...realmenteoquerqueele éaíeleviajamundoaforasóquequandoelevêporque elegostamuitaassim de aventura... ele se mete ele se mete em cada encrenca viu? se mete em cadaencrencamaselevênojornal...umamoçaquefoiraptadaaíelevai tentarsalvaramoça...entendeu?
  20. 20. -23- Português falado por teresinenses 55b. ENT: Hum rum INF: Elevaitentarsalvaramoça 56. ENT: Ele é um herói? INF: Issoqua::seumheróiporquenaverdadequemajudaele//elepega ele pegaumcarro nãosabenemdirigir((risos))saibatendoemtudoqueé cantomasaídepoisocaraodonodocarrodizquepodequeemprestaraele seeletiverdecididomesmoasalvaragarotaaíelevaiedizquetádecidido mesmoaíocaravaieajudaeleadirigiraíelechegalánoprédioevaitentar salvaramoça 57. ENT: E como é o nome do teu livro? Tu já deu o nome? INF: Não... porque como diz os meus professores a gente só pode colocarotítulodepoisqueagenteterminarahistóriasenãovaificarsem sentido 58. ENT: Quer dizer então que quando chegar nofinaléquetuvaidar o nome? INF: Eutambémgostodeassistirsabequem? 58b. ENT: Hum INF: Caminho para O Eldorado 58c. ENT: É um filme? INF: É 58d. ENT: Nunca assisti não INF: Nunca assistiu não? ele é desenho animado também tem ele de verdade 58e. ENT: Não ouvi falar ainda não INF: CaminhoparaOEldorado...éahistóriadoTúlioedoMiguel... TúlioeMiguelsãodoisamigosinseparáveissóqueelessãoforadalei...tipo aquelesciganos...aíelescomeçamajogaraquelejogodedadosprasaber queméqueelesprecisamdedinheironé?praviajarpraEldoradosóqueo cara tem o mapa pra Eldorado que lá... Eldorado é uma cidade como diz o nomeEldoradoquedouradoéporquetemmuitoouroláaíentãoocaratem omapalá...eledecidetádecididoaprocuraromapaaíelesnãotemdinheiro pra viajar aíacabam...aíoMigueldáosdadosviciadossabeoqueéisso? 58f. ENT: Dados o quê? INF: Dados viciados 58g. ENT:Ah!seisei INF: Dados que só tem o mesmo número 58h. ENT: Hum rum
  21. 21. -24- Português falado por teresinenses INF: Poiséelejogapradáseteelesempredásetesempredáseteos númerosaíelevocêperde::euaítomaomapadocaraaíviajasóqueaca// acabaelesviajandonobarcoeocaraochefelá...daesquadraelepegaeles doiscolocanaprisãoaícomo/aíelesdescobremláquedentrodobarcotem umcavaloaltivotodobrancoaíeledeixacairamaçãdentrodoalçapãoné? aíoMiguelpegouamaçãedisse–Túliodeixaeu subiraquiemvocê–aí sobebotavalánoalçapão– Altivovemcásevocêprometerguardarsilêncio etiraragentedaquieutedouessamaçã–aíocarajogaachaveláembaixo ((risos)) porque ele quer a maçã aí o Túlio e o Miguel saem lá e jogam o barcoaquelesbarcosqueficamporexemplosetiveremguerra... 58i. ENT: Bota um botezinho INF: Ébotanaáguaesaifugindoaíelescolocaramocavalodentro dessedentrodesse boteechegaramatéailhadeEldorado...chegaramláe foram procurando e procurando e procurando mais procurando mais porque elespassarampormuitadificuldadeporquenãotinhanemcomidanemágua até que eles encontravam os riozinhos mas não dava pra eles/ matavam a sede mas não matavam a fome né? aí terminou eles achando o Eldorado que éumacidade...quevamosdizerqueéumacidadequenuncafoiencontra- da...umacidade 59. ENT: Nenhum homem foi lá ainda? INF: Não... só eles e eles são considerados deuses porque segundo a placa quem chegasse num cavalo... dois homens chegassem num cavalo se- riamdeusesaícomoelesnãosabiamdenadaetinhaumvulcãoláqueeleia entrar em erupção aí ele disse – como é que nós vamos fazer agora pra mostrar que nós somos deuses mesmos? – aí começa a chorar e – nós vamos morrer–aídiz–euvoufazereuvouarriscar– vaiarriscaroqueTúlio?– Vouarriscarpáraseuvulcãodemeiatigela–aíovulcãosaideerupçãoesó dáumacuspida((risos))émuitoengraçado...eugosteimuitodeterassistido ele 60. ENT: Ia acabar (assustando) os deuses lá de Eldorado ((risos)) INF: Era...masdepoisopovodescobrequeelesnãosãodeusescoisa nenhuma mas eles mesmo assim ajudam a cidade porque os homens desco- bremelaaíentramemguerramasaíoscaraspramostrarqueelestemforça (de arma) mesmo eles tem uma idéia e acabam vencendo 61. ENT: O que tu mais gosta de assistir? INF: Desenho animado 62. ENT:É?
  22. 22. -25- Português falado por teresinenses INF: Bastante… são vários mas o que eu gosto de assistir mais é X- Men essas coisas... que na verdade eu sou muito fascinado também por cinema... é uma das coisas que eu também gosto muito que eu vejo aquele Matrixnumtemdandogolpesaquidandogolpesacoláeuficoolhandoaí... principalmentenoDiscoveryconheceessecanal?DiscoveryChannel 62b. ENT: Hum hum INF: Pois é mostrou uma série... os segredos do cinema... mostrou cadapassooqueéquefazcadaumnoBladeIInumtemaquelesvampiros? 62c. ENT: Sei INF: Num são de verdade não:: são tudo boneco 62d. ENT:Ai é? INF: Naquele Matrix 62e. ENT: No computador? INF: É naquele Matrix num tem aquele golpes que mostra ele voando? 62f. ENT: Sei INF: Seelefizerissoaquiem médiamas...elesfilmamocarafazendo assim assim só filme aí tem uma certa hora que os caras colocam em ação tipo um desenho animado? 62g. ENT:Sei INF: A pessoafazodesenhoedepoiscolocaprarodarnumé?poisdá dá dátudodepressa...pramostrarelesvoandodandogolpesfazendotudo 63. ENT:Éporque são uma lutas assim absurdas não é? INF: Éetambéméumesportemuitoarriscadoprosprosdublêsporque namaioriadasvezeséosdublêsquepegamopapelprincipal...nãosãoos atoresosatoressóvãolá...pramostrarorostopradizerquesãobonitãos quem pega... quem pega caro é os dublêséosdoublês 64. ENT:Tu gosta desse tipo de filme né? de ação? INF: Éaçãoaventura...eugosto 65. ENT: Que trabalha com tecnologia? INF: Égostomuitodetecnologia 66. ENT:Tu assistiu o Ex-Men no cinema O Huck o Homem-Ara- nha... tu gosta de assistir eles? INF: Gosto… assim né? porque no desenho a gente vê coisas assim meio meio sem graça assim mas quando a gente entra assim no cinema vê queoscarastãomaisvalentes...vêqueoscarastãomaiores((risos))vê tudo...vêtudodife//diferentemesmoné?doqueagentevê táacostumadoa
  23. 23. -26- Português falado por teresinenses vernodesenhoanimadoqueéumacoisasim::plesné?aquelecaralutandoali devagarinhoquandocheganofilme–abombaça Pá!Pá!Pá!((risos))éuma coisaqueagentenãoentendeouseagenteacreditaouseagentedizassim –nãoissoaíébesteira–masnaverdadequandoapessoaacabadeassistir umfilmeapessoaficapensandoneleassim–rapaz!comofoiquefizeram aquilo?comofoiquetornaramaquilodalipossível?– 67. ENT:Tu gosta de fazer algum esporte? INF: É gosto… gosto sim 68. ENT: Quais? INF: Éporque::éporqueassimeunãosou...eunãosoubomem...em esporteassimmaseusoubomnesses...nessesbrinquedosantigos...pião pião::iôiôeusoumuitobomnisso...eueumcolegameudaí...dadaminha salasótemdoisnaminhasalaquesabejogarpião 69. ENT: Mas é o pião aquele antigo de corda né? INF: Éaqueleantigomesmoé 70. ENT: Que eu vi um dia desse um que só faz puxar umtaldedeblete INF: Édeblete 71. ENT: É isso aí mesmo aquilo ali não é pião não pião é o da corda INF:Aquiloaliéumacoisamuitochataapessoa 72. ENT:Etuaprendeu com quem? INF: Com meu tio... quando ele era menor os meninos lá da rua dele sempregostavadejogarpiãoaídiz–rapaz!comoéquevocêsrodaissoaí? –jáganheidosdoisdomeutiodomaisvelhoedomaisnovo...jáganheidos doisagenteficaassim–boraverqueméomelhor–umborazu:::::–jábotei foielenaminhamão...temgentequerodaeleatébemaquió...temcoisa absurdanesse mundo 73. ENT:((risos))Eununcaaprendiajogar aquilo na minha vida? INF: Nem iôiô? 73b. ENT: Iôiô só aquele simples mesmo lá em baixo e volta ((risos)) ioiô tu é bom também de fazer aqueles aquelas... INF: Éagentefazassimaíelerodadenovoerodadenovoerodade novoenuncaperdeaforça...agentesó/agenteeusabiafazersabeoquê?.... ( )apessoajogaelenoar...devolvenodedocaibemaquinodedoeroda umnegócioassimquefica...aquelacabeçadoioiôficasemovimentando...e temoutraquecainobolsoeununcaconseguifazerarrebenteifoiminhaca- beça uma vez 73c. ENT: Jogando?
  24. 24. -27- Português falado por teresinenses INF: Foieufizassimassimassimiú::::aíboteipracairbemaquino bolsodacalça–caiaqui – aíobichoficoulánoalto...foicairaquiaíeufiz assimpraver–PÁ!–((risos))oumasdoeu 74. ENT: São esportes perigosos não é? ((risos)) INF: Émasvaleapenasapessoafazerné? 75. ENT: Brinquedo que faz a gente brincar nãoé? INF: Não...éaquelesaquelesesportesquefazagente violentarnin- guémporqueassimagentetemumesportemasépraincentivarmaisaquela pessoaprincipalmenteessesesportesdelutasnumtemjudôjiujitsu...os professoressempredizemessesesportesnãosãopraserusadosparabriga éprasãousadosprarespeitaroOUtro...prapessoasaberissonãosignifica queelavaisairespancandotodomundoaí...comoagentevêhojenatelevi- sãotodomundoé::tápraticandoumtipodeesportemasaívaichegarnuma fasenafaseadultavaicomeçarabateremcadaum 76. ENT: É verdade a violência né? INF:A violência 77. ENT:As pessoas hoje não estão tendo mais limite INF: Não tem mais resPEIto um pelo outro que antigamente as pessoas semprerespeitavam... osassaltoserammínimosnãotinhatantasguerrasas- simquando...desdequecomeçouasguerrasaíopovocomeçouaserevol- taraícomeçouafazerissoaí...eunãogostodissoaínão 78. ENT:Eobairro que tu mora é perigoso? INF: NÃOétipoo Andaraí((risos)) 79. ENT:Ah é! ((risos)) da novela? E qual é o teu bairro? INF:Aquinocentromesmo...é minhacasaficabemaquipertinhodes- saescolaaqui...ficabemaquipertinhodessaescola 80. ENT: Nunca viu nenhuma cena de violência perto não? INF: Não...aliássófoiumavez...queeuvinhapassandocommeutio porqueéelequemedeixaaquinaescolaporqueelevaiprotrabalhodeleaí eleaproveitaemedeixaaqui...aíeuvenhoapécomeleaíumdiaumhomem ta//umhomemtavavindodebicicletaaípassouumamoto...aliásumcarro passouumcarroiadobrarné?sóqueocaraoociclistaesperouné?ocarro passarquandoocarropassoufoibatendonarodadodociclista...ociclista ficoutodocortadoaíagenteaí ocaraládapolíciadisseaíeledissedesse jeito–eimoço!vocêtemumalgodãoaícomMaravilhapramimpassaraqui passaraqui?–vocêtemqueirépromédico–aíeledisse–masomédicoda onde?–aheunãopossofazernada–távendosó?adesuniãohoje
  25. 25. -28- Português falado por teresinenses 81. ENT:Opolicialné? INF: O policial que o povo diz tanto assim – a pessoa tá em perigo a pessoa/agentetemquecolocarcoletetemquecolocar...engessaraperna engessarobraçoécolocaráguaMaravilhaaquiesparadrapoaquigaseaqui pra não ficar todo arrebentado – quando a gente chega lá o homem se acidenta – moço! me dê pelo menos aí uma água de Maravilha pra mim passarcomoalgodãoaqui–aíelediz–vocêtemqueirépromédiconé?– elesnãotãoajudandounsaosoutrosporissoqueagentetemsempreque procurar ser bem melhor...pranodiaque alguémprecisardeajudaoua gentemesmoprecisardeajudaagenteterquempossaajudaragente 81b. ENT: Exatamente INF: É como diz minha mãe... a gente dá e os outros retribuem pra gente...seeusoucarinhosocomumapessoaélógicoqueelavaimeretribuir carinho 81c. ENT: É pra ser assim né? INF: Épraserassimmasnem/asvezesagentevêcenasqueaspes- soasdãotantoamorpraumapessoaequandoelaficagrande–ah!eunão voumaisligarpraninguém-principalmentehoje...ospaisospaistãosofren- domuitodepoisqueficamvelhoseosfilhosficamadultosporqueosfilhos– ah!nãovouligarmais praelesqueelespodemaindahojeficar//cuidarda própriavida–nãoéassimagentenãopodepensarassimagentepodedizer assim–ah!quandoeucrescereuvoucuidarédomeupaieuvou//dosmeus paiseuvoucuidar...doeuvoutratarelesbemeununcavoumandarelespro pro asilo pra eles ficarem lá... porque se tem capacidade de ajudar uma pessoaeuvouajudá-lané? 81d. ENT:Ainda mais os pais da gente INF: Quecriaramagenteavidainteiraprepararamagenteprofuturo né? 82. ENT: É muito feio isso aí mesmo as pessoas crescem recebem um carinho o amor dos pais cresce e se revolta INF: Pensam que os pais não são mais nada pra gente pensam que são absolutos 82b. ENT:Sóporque já são grandes né? INF: Já podem os pais também já podem se cuidar e eles também né? aílargamelesno mundo 82c. ENT: Não pode ser assim né? INF: Não pode ser assim
  26. 26. -29- Português falado por teresinenses 83. ENT:Etutorce pra algum time de futebol? INF: Muito… sou doente 84. ENT: É doente... deixa eu ver é doente é Flamengo? INF: Como é que tu sabe? 84b. ENT: Não porque tu falou que é doente todo mundo que torce para o Flamengo é doente INF: É doente mesmo 85. ENT: ((risos)) É Flamengo mesmo? INF: Sou 86. ENT: E o Flamengo tá te dando alegria tristeza como é que tá? INF: Tánalanterna 86b. ENT:Vixe! pois tá chorando muito INF: Ébastante 87. ENT:((risos)) Tá ruim a situação pra ele? INF: Sepelomenoseleficasseassim...emdécimonononé?((risos))ou ficasseemdécimoquarto 88. ENT: Eita! tá feia mesmo a situação? INF: Eletáemvigésimoterceiro 88b. ENT: Meu Deus! INF: Tomaraqueelemelhorené?natabela...masagentetorcepra esses times mesmo pra gente não ficar sem fazer nada porque tem muita gentequenãotorcepratimealgumaífica((barulho))–numseioquetimevéi ruim–comoéquepodeacharumtimeruimsenãotorcené?temqueapren- deratorcer 89. ENT:Tem que torcer aprender asofrer né?prarir pra alegrar INF: Porque nem sempre a gente tem que ganhar a gente tem que ser campeão 90. ENT: Se não fica até chato né? ganhar toda vez INF:Todavezsercampeãoficameioruim 90b. ENT: É verdade INF: Tem que aprender a perder também... porque se não como é que vaiexistiroesportesetodosvãoganhar...isso nãoéesporteissoécombi- nação 91. ENT: É a fórmula um né? só o Schumacher que ganha ninguém nem assiste mais toda mundo já sabe INF: Elefezfoiperderelefezfoiperder 92. ENT: Ele perdeu?
  27. 27. -30- Português falado por teresinenses INF: Perdeuocarrodelequebrou 93. ENT:Ah! só quando o carro dele quebra que ele perde mas tam- bém se não quebra só ele ganha toda vez INF: ( )foiquemganhou 93b. ENT:Foi? INF: Um italiano ele se deu muito bem no prêmio de número 94. ENT: E o Rubinho quebrouocarro também? INF: Não ficou em segundo 94b. ENT:Foi? INF: Foi...elesaiudesétimoprasegundo...daoutravezeletinha saídodequinto...éumasituaçãomuitocomplicadadessecaraaí 95. ENT: Me diz uma coisa tu tem muito amigo? INF: Muito…tantodaruacomonaescolae...étantodaruacomoda escola e também tem parente meu... por exemplo meu primo tenho vários colegasoscolegasdelessãotudocolegameu...tambémconheçotudinho 96. ENT:Tu mora em prédio ou mora em casa? INF: Eumoroemcasa...aliáseupossodizerquesãoduascasaspor- queéumaligadaaoutraaminhaéligadaadaminhaavó 97. ENT:Ah! é bom né? morar perto da vovó? INF: É::peloquintaleuficonomeuquintalné?sótemumaportabasta euabriraportaeujátounoquintaldaminhavó 97b. ENT: Ô:: mas é bom demais! INF: Por isso que os carteiros as vezes estranham – rapaz! como é quetuacaboudesairdeumladotujátáaqui–nãopeloquintalquetemuma portinhaeuvenhoaquipracasadaminhavó 98. ENT:Tu tem muitos colegas lá na tua rua? INF:Tenho 99. ENT:Tu brinca na rua? INF: Não! tenho medo muito desses atropelamento né? sério 100. ENT:Aqui no centro não tem espaço né? INF: Ealémdissoporque...trân::sitotodahorané?principalmentelána minha casa que passa muito caminhão que tem um homem lá que tá venden- dopeças...pracaminhõesmotose carrostudinhoeeletransportaevaie vemesaieézoadatodadia 101. ENT:Aí tu brinca em casa? INF: Temumterraçoláemcasaaítodavezeubrincolá...eugostode brincarassimnãoqueeunãogostedebrincarcomminhairmãeugostode
  28. 28. -31- Português falado por teresinenses brincarné?porqueelabrincamaiscomminhaprima...quetambémmoralá naminhacasa...eugostodebrincarmaisoumenossóporqueassimprinci- palmenteaquelesLegoporqueeugostodeinventarmuitacoisa...euficolá concentrado...aíeumexoaquinamãoaíeuficoolhando–ah!oquequeeu posso formar aqui? – aí eu formo já formei foi um robô lá um robô... já formeiumaesfingejámontei...umtúmuloládeumacaveira...éinteressante apessoasempretemasoportunidadesdeassim–nãoaquieufaçoissoaqui eu vou fazer isso – que é sempre melhorando a convivência da população porque é hoje num tem esses meninos da da universidade que gostam de fazeressascriatividades...mexercomtecnologia...elestemumapecinha assimquemovimentatudopoiséumavezeufuilánoshoppingtavatendo issodaíaínãopodiamaisseinscreverné?játavanaetapafinalaíummenino látavacomdificuldadedemontaraíeudisse–deixaeuveraqui–monteium helicópteropraele 101b.ENT:Foi? INF: Ecomprogramaetudocoloqueiapecinhaali...–movimentaaí ele–aíahélicesemexiaahélicedofundotambémmexia...eramuitobom era muito bacana né? que assim uma pessoa ao mesmo tempo tá melhorando avidadapopulaçãoporqueteveummeninoláquedisse–óvaiterumcarro daconstrução–mesmotempoelevaitiraraterraeaomesmotempoelevai limpar...oambientenãodeixarnadasujonoambientepra porquemuitas vezes as construções as construções são as vezes tão rápidas que até são mal feitas né? por isso que a gente vê tanto buraco aí na rua porque... o calçamentoforam foifeitomuitorápidoapessoatáfazendoláopichepas- sandolá–ah!euvourecebermeusaláriomaisrápidoentãoémelhoreuir meapressandoaqui–aívaiseapressandoenãofazoserviçomal//bemfeito nãofazoserviçobemfeitosóvaipiorarné?eelerecebeodinheiromasem compensação o pessoal não vai nem poder passar na rua porque tem aque- lesburacosevaiquebrarocarro 102. ENT:Etugostadeviajar? INF: Prafalaraverdadeéraridadeeuviajar 102b. ENT:É? INF: Eusóviajei...parecequefoiumaduasvezeséfoiduasvezes 103. ENT: Foi pra onde? INF: FoipraFlorianoeoutrapraParnaíbadepoisdissoeunãolembro maisdenada ((risos)) 104. ENT:((risos))Enoslivros né?
  29. 29. -32- Português falado por teresinenses INF: Enoslivros 105. ENT:Tu tem animal de estimação? INF: Eutinha...umagata...aLadyLaura 105b.ENT: Lady o quê? INF: Laura 106. ENT: Eu conheci uma Lady Laura é a mãe do Roberto Carlos INF: Oqueéqueaconteceucomelasabeoquefoi? 106b. ENT: Hum INF: Morreu:: 107. ENT: De quê? INF: Elatavamuitovelhaelajátinhadozeanos 107b. ENT: É mesmo? INF: E o irmão dela também morreu 107c. ENT: Mais velha do que tu? INF: Éelaé maisvelhadoqueeu...tinhaumgatoláemcasa...a pessoaquechegasselápensavaqueeraqueaquilodaliera aqueles( )de colocaropé...eleeraTÃOmaseramaciotãomacio...eraoRachidetinha oolhoazulnahoraqueapessoaolhavapraelequeeleabriaaqueleolhosvia aqueleazulãodele 107d. ENT: Devia ser bonito INF: Ele foi roubado roubaram ele lá de casa e também o filho da Lady Laura ele tava caçando conversa com a mãe... aí a Lady Laura pulou emcimadeleecomeuasorelhasdele 107e. ENT: Meu Deus do céu! INF: Elasófezassimóvapo!comapatadelaaícortouaquiaíminha mãetevequecolocaresparadrapoaquipareciaaquelespilotodeavião 107f. ENT: ((risos)) Meu Deus! tadinho do bichinho! E melhorou? INF: Maséporqueeletavaca//melhoroudepoiscresceu 107g. ENT:Ainda bem INF: Vivianaruaaítodavezquandoelechegavapulavanarede... minha mãe tava dormindo ou na cama ou na rede minha mãe gostava de dormirnaredené?porqueficaassimmaisconfortávelapessoapodeolhar assimné?aíelevape!
  30. 30. -33- Português falado por teresinenses 01. ENT:Você gosta de estudar? INF: Gosto 02. ENT: Qual a importância do estudo para você? INF: É porque se a gente estudar quando pequeno quando a gente for grandeaívaiterumfuturomelhor 03. ENT: Mora com os pais? INF: Moro 04. ENT:Tem muitos amigos? INF: Muitos 05. ENT: O que é um amigo para você? INF: É::umapessoaqueagentepodecontarnatristezaenaalegria 06. ENT:Você já se decepcionou com algum amigo? INF: Já 07. ENT: Como é que foi essa decepção? INF: Éporque::...ela...umavezela...chegoupertodemimeperguntou um segredo que uma menina tinha me contado e eu não podia contar porque eraumsegredoeelamechamoudefalsa 08. ENT: Mas você continua sendo amiga dessa pessoa? INF: Hum rum 09. ENT: Como você vê o relacionamento dos jovens de hoje e seus pais? INF: Émuitodiferenteporque...osjovens...elesqueremelesnãoque- remassim...namorarnamorardeverdadeelesqueremsó/natelevisãopassa queeles/quemficarmaisbeijarmaismulheresganhamaseuachoqueisso nãoédecente...porqueseeleescolheuumamulheressamulhertemqueser pra pra vida toda dele como aconteceu com meu pai e minha mãe 10. ENT: E o que você acha que atrapalha essa relação entrepaie mãe? ou aliás entre filhos e pais? INF: É::...adesobediência 11. ENT:Você acha que os filhos são muito desobedientes? INF: Humrumetemetemfilhoque::respondeopai EPa IF4a S2
  31. 31. -34- Português falado por teresinenses 12. ENT:Tem algum coleguinha assim que seja um exemplo de deso- bediência? INF:Tem 13. ENT: O que que ele faz? INF:A mãedelaéassiméémulherné?amãedela...amãedelasaipro mercado...ecomoelaéumafilhaelatemquearrumaracasapramãedelasó queelanãofazisso...quandoamãedelachegaamãedelavaifazeroalmoço enumdátempodevarreracasafazeralmoçoeelanumfaznadaelanumfaz nadadentrodecasapaajudaramãe...queavódelaaindaédoente 14. ENT:Você ajuda os seus pais em casa? INF: Hum rum 15. ENT: O que você faz? INF: Eu varro a casa eu lavo a louça... ajudo no deveres do meu ir- mão...é::...é::euvarrolá foraeuajudono...nos::deveresdoméstico 16. ENT: O que você mais gosta de fazer? INF: Brincar 17. ENT:Você brinca de quê? INF: Debola...decordadeelástico 18. ENT: Como é essa brincadeira de cola? É Cola? INF: Corda 19. ENT: Mas não é perigoso não essas brincadeiras? INF: Não 20. ENT:A escola permite essas brincadeiras na hora do recreio? INF:A debolasóéquandoagentevainaquadraedeelásticoagente temquetermuito cuidadopranãoderrubaraspessoas 21. ENT:Além de brincar qual a outra atividade que você faz pra se divertir? INF:A:::euassistotelevisãoeuleioparadidáticosdocolégio...sãomuito interessanteporquefalam...dedrogasde::...dafédaspessoasquetraba- lhamaascriançasquetrabalhamnasroçasquesustentamospais 22. ENT:Você leu quantos livros esse ano? INF: Uns dez 23. ENT:Qualfoiolivro que você gostou mais? INF: OSinal daEsperança 24. ENT: Qual a história que contava nesse livro? INF: Era de um garoto ele a vó dele queria que ele se ele fosse um zumbiporque...elefugiaelefoi...tirarmangasassimnumtem?numachácara
  32. 32. -35- Português falado por teresinenses aí::oscachorroscomeçaramalatiraíocaradachá//matouostrêsamigos que tavam com ele só ele que se escapou e os cachorros ainda rasgaram a blusadele 25. ENT: Como foi que terminou essas história? INF:Aindafaltaumcapítulo 26. ENT:Além dessa qual você falou que gostou de um que fala sobre as drogas INF: Nãoeu...gostodelerlivrosquefalasobreadroga...drogasaeu gosteideoutrolivro foi...deixaO Admi//Esse Admirável Mundo Novo de RuthRocha...falavasobreomundoquando...osETSvierampracá...eles acharamomundomuitoloucoporque::aspessoas...faziamcoisasloucas queelesviviamemcaixas...equequeaspessoasqueteveumcapítuloque aspessoasfaziamcoisassobreosoutroste//quefalavamqueteveprimoque fez operação de risco com o outro primo e o outro acabou morrendo e o outroquefezaoperaçãoderiscotávivo...issodizqueissoaconteceuem São Paulo 27. ENT:Você acha que o mundo assim nosso mundo é muito louco? INF:Acho 28. ENT:Tipo o que que você acha muita loucura? INF:Ah! porque as pessoas… as pessoas por exemplo as pessoas não andam como deviam ser... por exemplo os adolescentes andam na droga numobedecemospais...queremqueomundosejasódeles...ospresidentes algunspresidentes...não...nãosoluci//nãosolucionamoBrasilporqueo Brasil:: éumpaísdemuitadificuldadeéumpaísgrandemasdemuitadificul- dade 29. ENT: O que você acha das drogas? INF: É… eu já chupei uma vez minha mãe comprou um pirulito num tem?aímeuirmãosin/agentetinhaumacadeirinhadepaunumtem?euma deplástico...aí sentavanoterraçocomendoessepirulitoaíquandoeumas- tigueiopirulito...eu/tinhaumpauzimdentroqueera...umdrogané?aíeu fiqueitontaaíeugritei–meupai!–aíopirulitocaiunochãochegaque... chega que aí o pó caiu no chão meu pai me deu água eu fiquei com dor de cabeçamedeudordecabaçaforte...euassistonovelasque...euchoro... porque a pessoa que depende da droga ela acaba paran::do no médico por- queelanãoseaguentamaiselacorreoriscodemorrerquandoelaquando elaconsomeaquilo 30. ENT: O teu pirulito tava com droga é isso que você tá dizendo?
  33. 33. -36- Português falado por teresinenses INF: Humrum...éunspirolitozimde::de::cabeçapequena...aminha mãenuncamaiscomprouessepirulito 31. ENT: E ela tinha comprado onde esse pirulito? INF: EusócompropirulitodecabeçagrandeeusócomproPloceBig Big...eessedaquidecoração 32. ENT: O que foi que eles fizeram além de te dar água depois que você chupou o pirulito? Foram procurar falar com quem tinha ven- dido? INF: Não…aminhamãenãoprocurounemirmaisláfalarcomeleque ele podia também também consumir...eujáfuieujáestudeinumreforço... queopessoalquecheiravalolóquetavanafrentedomeureforço...depois seiquemligouqueospoliciaisver//comoassim...umgrandemuroassimum grandecolégioqueé( )numtem?umgrandecolégioaíelestavamna esquinaaqui...ospoliciaistavamvendoelesdobraramesaíramsubindomesmo subindopra::proredonda 33. ENT:Você ficou com medo nesse dia? INF: Nessediaeutenhotinhaqueficarnacasadaminhaprofessorade reforçoqueminhavótinhasaídopromédicoqueelaiademorar...eufiquei assustada 34. ENT:Você volta sozinha pra casa? INF:Volto 35. ENT: Eles sempre estavam lá sempre apareciam esses meninos? INF: Humrumnãoalifoiaprimeiravez...elesnãovoltarammaisporque avizinhançacomentou 36. ENT:Você sabe assim de alguma história que aconteceu se eles chegaram a mexer com alguém se brigaram? INF: Um amigo deles tava ameaçando um vizinho meu... o nome dele é ( )ele/numtemassimeletavafalandodumaamigaminhaqueela...queela nãoobedeciaospais...avódelaeletavaameaçandomataravódelaporque omeninoqueeraamigodeledelebrigoucomeleaíelejátavacomhemato- masnacara...eletavapraficardoidoeletavaembriagado...eeleindafoi pedirarmapro...policialopolicialnãofeznadatambémnumdeuaarmaaí elevoltoumaselevoltoupracasadeleedisseassimantesdevoltarpracasa deleeledissequeiavoltarenuncamaisvoltouaímeupaiaímeupaiaíele disseassimseelevoltasseeleialevarelepapoliciameupaieleéépolicial... edissequeiabotareleemcana 37. ENT: Era ele que estava ameaçando a avó dele?
  34. 34. -37- Português falado por teresinenses INF: Não era 38. ENT: Era o rapaz que estava ameaçando a vó do menino e dessa tua amiga? INF: A vó do menino 39. ENT: E por que ele estava ameaçando o garoto? INF: Porqueogarotoele::...éassimogarotonumcaçouconversanum tem?aíeledeuumsocoaquinoolhodelequeeleficoucomraivadepoisno diaseguinteelefoibeber...caçouconversa 40. ENT: Ele bebia sempre esse garoto esse rapaz? INF: Humrumeuachoqueeletinha...dezesseisanos 41. ENT: E já bebia bebida? INF: Já 42. ENT:Você que gosta muito de assistir televisãoquaisprogramas que você geralmente assiste? INF:Assimeuassistoumanovelanocincoqueé VivaAs Crianças tem omeuirmão(elesfalamcoisa)muitoagradávelporque...éumaumaaventu- ranumaescola...éláelesaprendemeletemai...(eletem)muitasaventuras tem fenômenos que é:: aquela grande bola de meteoro aquela bo// grande bolade::metalmineral...caiunaescoladelesetambémtemaquela...uma parteque...queelesajudamumapesso//um::porteiroporqueeletádoen- te...docoraçãoaíelespassamanoitevigiandoeledandoremédiopraele... com ajuda de um médico 43. ENT:Você assistiu só essa novela? INF: Hum rum 44. ENT: Não assiste mais nada nada na televisão? sua mãe proíbe você assistir algum programa? INF: Hum rum… proíbe de eu assistir a novela do quatro que é muito violentamostramuito...muitosaliênciasné?queaparecenatelevisão::eal- gumasnovelasnocanalcinco...elasmeensinamelesmeensinamassistir muitojor//jornalojornalqueeumaisgostoéojornaldosetequeéoBrasil Urgente 45. ENT: Quais as notícias que você mais vê nesses jornais? INF: Notíciadoqueacon//acidentesaconteceemSãoPaulo 46. ENT:Tem algum assim que chamou atenção acidente assim que você viu? INF: Não o que me chamou atenção foi que aconteceu em São Paulo nãoéfoiacidente...umcarapassandonãonãofoiessedaquinãoa//aciden-
  35. 35. -38- Português falado por teresinenses temesmoopai/os::filhosqueosdoisfilhososdoisqueplanejarammataros pais 47. ENT: Eles conseguiram? INF: Humrum...conseguiramelesmataramdepoiselesforampresos 48. ENT:Você acha que a televisão ela influenciaria as pessoas elas vendo elas vão querer fazer essas mesmas coisas? INF: Hum rum eu acho porque eles vendo isso TOdo dia todo dia... masminhaavóassistemasnuncainfluenciouela...elachegaláemcasamas eladizprimeiro–é::épravocêsnuncaxingarvocêsvemxingandoaquipra cima de mim que vocês vão apanhar 49. ENT: Quem seria assim que se influenciaria ao assistir essa TV? INF: Umaamigaminha...ela...fazsaliênciamaisoirmãodelanoquarto enquantoospaisdelaestãolá::nocomércioqueelestemumcomércio 50. ENT: Os pais dela não sabem disso não? INF: Elessãoevangélicos 51. ENT: E ela te contou? INF: Não é porque uma vez tem uma casa alta lá num tem? aí uma vez elestavamfazendo issonoquintalaíeutavasubindoaíeuvinajanela 52. ENT: É tem algum personagem que você gosta na novela Vivaas Crianças? INF: Hum rum 53. ENT: Qual? INF: ÉaPoliana 54. ENT: Como é que é a Poliana? INF: É uma menina gordinha que ela fala assim tudo que ela acha... românticoelafalaisso–éTÃOromân::tico! 55. ENT: Mas isso parece com o Carrossel não é? INF: Hum rum VivaAsCriançasCarrosselDois 56. ENT:Você assistiu o um? INF: Não… eu parece que eu ainda tinha um ano 57. ENT:Aí esse é a continuação do outro? INF: Hum rum 58. ENT:Tem algum personagem assim que você não goste que você acha chato? INF: É::...aSimoninha...elaépreconcei-tuosa...elaépreconceituosa porquetemummeninonegroquegostadelamaseladizassim...dizpropai dela o pai dela não gosta que é o médico ela diz assim - eu não suPORto
  36. 36. -39- Português falado por teresinenses negros–aíaíeleumavezelepegouumexemploassim–minhafilha!você gostadeumaflorvermelha?–aíela–gosto–deumaflorrosa?–gosto– juntasnumjarroelasnumficammaislindas?éassimqueaconteceobranco com o negro 59. ENT: Eleépreconceituoso? INF: Não 60. ENT:Sóela? INF: Sóelaafilhadeleamãedelatambémnãoé 61. ENT: O que você acha do preconceito? INF: É::comojáécrimeeuachoissomuitoassustadorporque...eu como negra... eu num vou eu num gosto né? então eu sendo branco eu num gostariatambémqueumnegromechamasse...elestemque( )queseeles tivessemnolugardelestambémnãoiagostar...issoacontececom osapeli- dos...dentrodesala 62. ENT:Tem muito apelido assim? INF:Ah!opessoalapelidalálánasalamaseugostoporquemecha- mam de formiguinha... eu sou animal... o animal... e me chamam de trabalhadeira...seeusendoumaformigaeusoutrabalhadeiraeusouracional 63. ENT:Você não se zanga? INF: Num me zango... também num sou né? 64. ENT: E tem alguém que se zanga na escola quando alguém apeli- da? INF:Temummeninonasalachamado( )eleschamameledeleitãoele nãogosta 65. ENT: E sempre é apelido de animal? INF: Hum rum 66. ENT:Tem algum menino danado na sala? INF: Tem…( ) 67. ENT: O que que geralmente ele faz assim na sala pra vocês cha- marem ele de danado? INF: Elesquandoagentetáfazendotarefadagenteelesficainterrom- pendo apelidando a gente sem a gente fazer nada... aí... começa a fazer molecagem( )aítemvezquenahoradorecreioderrubamagente...aía gentenãogostatirambrincadeirademalgostoeagentetemquedizerpra coordenação 68. ENT: O que que é feito quando um aluno é levado pra coordena- ção?
  37. 37. -40- Português falado por teresinenses INF: Asvezesseeletive::r....senumfor(não)nasprimeirasvezesele correriscodelevaruma...umasuspensãopordoisdiasouficarnorecreio desextohorário 69. ENT:Você se consideram uma aluna comportada? INF: Não... eu me acho uma aluna assim que na hora de brincar...é horadebrincarnahoradeestudaréhoradeestudar 70. ENT: O que que seria um aluno comportado pra você? INF: Umalunoqueprestasseatenção...nãoqueficassequietoenão desseopiniãocomoa prof// comoassim...apessoaqueécalada...nãoquer dizerqueelaéquieta...porqueelanumtáparticipandodaaula...mastálá sentadanumcantosemfalarnadaentãoela táquieta 71. ENT: Como aluna ela teria que participar daaula? INF: Participardaaulanormalmente 72. ENT: Qual é a aula assim que você participa mais? INF: Éaaulade::inglês 73. ENT: Inglês você gosta de inglês? INF: Humrumprincipalmentegeografia 74. ENT:A disciplina que você gosta mais é geografia? INF: Hum rum 75. ENT:Por que Geografia? INF: Eunumseiporque::…meusonhoéserpsicólogaoujor//oujor- nalistajornalistaepsicólogatemavercomciências...tambémgostodeciên- cias...egeografia 76. ENT:Você gosta de todas as disciplina né? INF: Hum rum... mas menos de português 77. ENT: Menos de português? INF: Assim porque... é um estudo... que a gente tem que se de// se dedicar muito né?... aí como a gente estuda a gente já é PORtuguês... a gentefalaalínguaportuguesaagenteaprendeuafalardireito...aíagentefica um pouquinho irritada porque a gente fala de um jeito e tem que falar do outrojeito 78. ENT:Aí você não gosta disso? INF: Hum rum 79. ENT: Mas as aulas de português são boas? INF: São 80. ENT: Dá pra aprender? INF: Dá
  38. 38. -41- Português falado por teresinenses 81. ENT: O que que você geralmente aprende na aula de português? INF: É::substantivoadjetivoletras 82. ENT:Efalar direito também? INF: Humrum…aía::porexemplofazerumaperguntadireita...como fazer porque como escrever o porque por exemplo porque separado... uma perguntamasporquejuntojáéumaresposta 83. ENT: Nas outras disciplinas o que que você viu assim que achou interessante durante esses semestres? INF: É::...portuguêsouportuguêsnão ciências 84. ENT: Qual foi o assunto assim que ela passou interessante? INF: Foiele//eletricidade 85. ENT:Vocês fizeram algum trabalho? INF: Hum rum… um amigo meu ele trouxe um... uma uma coisa que ascendiacom...temaquelesmotoresé::aquelespilhinhadecarronumtem aqueles...motorzimdecarronumtemqueagentebrinca...elebotouumfio ligadoligadonumalâmpadabempequenininhaqueacendia...oou::tro...que:: pegavaatomadadaantenaenfiavaaíacendiaaluzinha 86. ENT:Vocês gostaram? INF: Hum rum 87. ENT:A escola ela faz algum evento assim passeio alguma ativida- de vocês fizeram esse semestre? INF: Hum rum… a gente foi pro Monumento do Jenipapo... só que eu nãopudeir...aíoprofessorexplicounasalapraspessoasquenãoforam... euviláplanaltos...planíciesviram tiposdeplantaconheceram...oqueacon- teceunanalutadoJenipapo 88. ENT:Você sabe o que aconteceu? INF: Não 89. ENT:Você não foi porque não quis ir ou? INF: Éporqueeramuitocaro 90. ENT:Você costuma ir afestas? INF: Não 91. ENT: Não gosta? INF: Gostoassimdumasfestinhadeaniversáriosimples...eunumgosto daquelenegóciodecarnaval::serestaedeshow::eusouevangélica 92. ENT: Não pode ir? INF: Não::podeirsimmaséporqueeunumgosto 93. ENT: Mas você já viu alguma dessas Micarinas por exemplo?
  39. 39. -42- Português falado por teresinenses INF:Ah!jávisimumavezeunãoeracrenteaíeuvimeparticipeida seresta...euvolteinuminstanteantesdedezhoraseujátavaemcasaporque éumbarulhomuitoaltomuitoaltomuitoalto 94. ENT:Você conhece alguém que já sofreu preconceito no colégio? INF: Não... se chama um de negro tem que chamar os outros também aísechamarumdenegroláemcasalá::lánaescolalánasaladeaulaeles vão ver!... porque preconceito pra mim é uma coisa terrível... como uma pessoativessematandoaoutrapordentro 95. ENT: Qual foi o filme assim que você mais gostou? INF: Foio::OshomensdePretoDois...eoHomem Aranha 96. ENT: Que que conta essas histórias? INF: OsHomensdePretodepretoéqueeles...protegemos...osETS quevempracá...enãodeixaqueosoutrosmatem...porquetemgentequer osETSficarcomelesedepoismatá-los...pra...faze::rcoisascientificascom eles...aíelesprotegemeles 97. ENT: Como é que foi a história do Homem Aranha? INF: O Homem Aranhaele...mostra::umapesso//umapessoaquefoi picadanumtemumapessoainteligentequefoipicada?e::depoisdaquele daquele dia ele começou salvar pessoas... de pessoas que::... que queria mataroutrasmaselenuncamatounenhumapessoa...aspessoasquesema- tavam mesmo... como como acabou o filme assim o doente verde que é uma pessoaruimtemumacapanumtem?queelemesmofez...aíeletinhatipo um::esquetevoador...aínessetinhafacasnumtem?muitoafiadasaínahora que ele ia matar O Homem Aranhaeledisse–apertaminhamãoné?–aíele apertouaí...depoisqueeleapertou–agoratchaununcamaisvoutever–ele deu um/ ele pulou assim pulou pra num ser atingido ele mesmo morreu... porquefoia...ofeitiçocontraofeiticeiro 98. ENT: Se você tivesse que ser uma heroína se transformar num super-herói qual você escolheria pra ser? INF: A... a mulhe::r… deixa eu ver… eu nunca gostei de ser super- heroínaporque...queriasernormalcomotodomundo...porqueeuassisto tambémumseriadoporqueéassim... As AventurasdoSuper-Boyqueeleé umsuper-homemsóquenajuventudedele...elefalavaquenãoqueriaser super-homem porque ele queria ser como as outras pessoas 99. ENT:Você não acha que deve ser bom não fazer muitas coisas pra ajudar os outros? INF: Eu acho que deve ser bom mas quando a gente tem poderes a
  40. 40. -43- Português falado por teresinenses gentecorrerisconahoraqueagentetiversedivertindodemachucaralguém 100. ENT: Então você queria ser mesmo normal? INF: Normal 101. ENT:Você assiste aqueles desenhos japoneses?... como é nome deles? INF: É::Jimon...teveumaépocaquemeupa::iproibiu...porquetava passandomuitaviolência...aímeuirmão...aímeuirmãoeletudoqueeleas- sistiaelequeriafazer... e teve uma vez que por causa dessa (época) meu irmãoqueriaser...queriaandardebicicletacomosefosse...grandeaíumdia eledesceunaavenidaummontedevezaímeupaidesmontouabicicleta... ninguémandavamaisdebicicleta...ninguémassistiaate/é::...filmechinês... aíficoumeuirmãoficoudecastigoporcausadisso...tambémfiqueiporque iaficarsembicicletaaoutraficaooutrotambém 102. ENT: Depois que terminou o castigo ele voltou a assistir? INF: Foi no mês passado que o pai... começou a deixar...maseu/o meuirmãoelequersercomoaqueleDragão( )aítemSuper( )ele quer( )issosóéumDEsenho...issosóéumabrincadeiraquepassana televisão 103. ENT: Seu irmão é mais velho ou mais novo do que você? INF: Maisnovo...eletemseteanosefazaprimeirasérie 104. ENT:Como é que é a relação entre vocês? Vocês são amigos? Vocês brigam? INF: Briga...éporque...agentetá...éporqueelebrigacomigoas vezesporcausaassim...ele...elenãofazatarefané?aí...quandoopaichega elebrigacomelebatenele...aíquandodádetardeeleficanervosonervoso nervosoaídiz–( )tunummeajudouemnada–eudisse–lhechameimais dedezvezesvocênãoveio 105. ENT: É você que ensina a tarefa dele? INF: Hum rum 106. ENT:Eeleaprende rápido? INF: Aprende... aí meu pai diz assim – é só ler é só ler que você entende–éamesmacoisaqueeudigopraelemaseletempreguiçadeler 107. ENT: E você já gosta de ler? INF:Asminhasprimaselasestudamaquitambémné?aí...elas...gos- tammuitodelermuitodelermuitodelerminhasprimas...láemcasatemum montedelivrotemum::livrodasegundasérie...queeugosteimuitoquetem umtextoassim...eujádecoreiotexto... Assim Assado...“eraumavez( )
  41. 41. -44- Português falado por teresinenses chorãocoitadonuncasabiaalição”nessetrechobemaílembrameuirmão porque...comosetivesseassim–eraumavezummeninochorãocoitadoele nuncasabiaalição–aímeuirmãonuncasabealiçãoesóvivechorando 108. ENT:Você sabe essa partetodinhadahistóriaousabeahistória toda? INF: Também aí tem uma parte que “era uma vez um coelho valente entra numa briga perdeu um dente” eu tava brincando mais o meu irmão... não meu irmão não meu primo que ele é quase meu irmão né? aí ele tava brincandorodandoopéaíeuescorregueiaíeletacou...tacouaquiquecaiu foiquatrodentedeumavez 109. ENT: Mas foi tu que empurrou? INF: Não foi ele que tava rodando o pé... o pé dele é pesado... ele rodourodourodounahoraqueescorregueitacouaqui...nessesquatroden- teaquidebaixo 110. ENT: Ele estuda aqui também? INF: Jáestudou 111. ENT:Você tava falando que esse ano passou a ser evangélica INF: Não! 112. ENT:Você disse antes quando eu não era evangélica? INF: Hum rum 113. ENT: Qual era a tua religião? INF: Não era nenhuma 114. ENT:Qualtuareligião? INF: Evangélicaé::Batista 115. ENT: O que que você notou de diferente depois que passou a ter religião? INF: Euachomuitodivertidoporqueagentealémdeestarláagente aprendecoisasnovas...comoaquitemreligião...láétipoestudandoreli- gião...sóquequandoeuchegoaquijáa(gente)vaifalarumacoisaeujásei... lá::láemcasaagentenãolêessabíblianormaltemumabíbliagrandeilustra- da...queensinaascriançasmais...maisclaramente 116. ENT:Tujáleuabíbliatodinha? INF: Não... agora que nós vamos chegar no Novo Testamento 117. ENT: O que que você aprendeu até agora que você achou inte- ressante? INF: Nabíblia? 117b. ENT: Hum rum
  42. 42. -45- Português falado por teresinenses INF: Foi... ArcadeNoé...quenãoqueriaacreditarnele...que::ele começou::aficarzangadoficarzangadoaíNoépassou...maisdequarenta anosconstruindoumaarcaenormeenormeenormeelejátinhacemanosesó tinhaoitentamaisosquarentané?aíficoucomcemaí...ficoucomcemanos aí...Deusfalouassim–Noé!agoraéhoradodilúvio–aíti//aíDeusjátinha mostrado... do um macho e uma fêmea de cada espécie de to::do o mundo aí entrou toda a carrada... num sei... mas isso num aconteceu mesmo não porque isso só é uma uma amostra... de que Deus é capaz 118. ENT: Não aconteceu mesmo? INF: Eu acho que não aconteceu 119. ENT:Por que você acha que não aconteceu? INF: Eunumseisóqueeunãoacredito...meupaitambémnãoacredi- ta 120. ENT:Eelefaloupor queelenão acredita? INF: Euachoquealiésóumaumaumailustração...sómostrandoque Deusécapaz...só aquilo 121. ENT: O que que mudou na sua vida depois que você entrou na igrejaBatista? INF: Eu...assim...eunummedavabemcomaspessoasnão...pessoa quequefalassealgumacoisamaldemim...sefaloumalnuncamais 122. ENT:Você brigava se intrigava? INF: Brigavaenuncamaisquerianemver 123. ENT: E agora? INF:Aítinha...aíquandoeufiqueicrenteminhamelhoramigasaiude pertonumtem?elafoimorarnolotetrêsjálon::gebemcomo...sefosse daquipraPiçarralonge...aípragenteseversónodiadedomingolánaigreja sónodiadedomingosónodia...nasfériaspassavaumanasemanaláea outravinhasemanaaqui...passavaduassemanaporque...agenteeramuita amiga depois de algum tempo... ela começou ela começou a se amigar com outrapessoamaseuachoqueessapessoanumé::verdadeiracomelapor- queamelhoramigadelaéa( )...eeuachoque::elapensaquesegredo queaquea( )contapraelaelaachaqueéverdadeiromaseuachoque amaioriadossegredosdelatudoépra( ) 124. ENT:Aí você se afastou dela? INF: Não 125. ENT:Você continua do lado dela? INF: Hum rum
  43. 43. -46- Português falado por teresinenses 126. ENT:Aí você mudou não brigou mais com ninguém? INF: Nãoeu brigo... nodiaseguinte–oi! 127. ENT: No outro dia já está bem? INF: Humhum…masaúnicaintrigaqueduroufoi...unstrêsmese... foiaintrigaqueaminhatiaacaboudelavarocarroaíameninapassoua tocar...passandoalínguané?novidroaíeudisse–mulher!acabeiaminha tiaacaboudelavarocarro–aíelaficouintrigadaaíquandoumaseintrigaaí Tufo! acabou com tudim 128. ENT: Ela morava pertodeti? INF: Naminhafrente tudodomeuladonaminhafrentelá...maisum pouquinhopracolá 129. ENT:Você gosta do seu bairro? INF: Hum hum… aí teve outra intriga que durou um mês antes de completar um mês eu já tava falando com a menina porque... a gente se intrigoucomela...porqueelacomeçouamentirporqueelatavamentindo queiaeua( )nãoqueriamaisfalarcomelaporqueelanãotinhacoisaque inventar...jájápassoucincomêsa ( )quandoelaseintrigaseintrigauma vezseintrigatodasseintrigaumavezpronto...aíseintrigaramné?aítudo bem 130. ENT:Qualfoiamentiraqueelainventou? INF: Queagentenãoqueriamaisfalarcomela...primeiroeladisse quefoiomeninoquedisse...depoiseladissequemandaramfoiumacarta praela...depoisela depoiseladissequenumsabiadessahistóriaaítodo mundoficouconfusoaídeixapraláaídepoisagentecomeçouafalarcom elaaíteveduasquenãofalarammaiscomelamaisdejeitonenhum...fazoito oitomeses 131. ENT:Vocêjávoltouafalar com ela? INF: Eu já eu num gosto de falar...de deixardefalarcomaminha (amiga) ummês...eujáficoédoida...euficodizendo–ômeuDeus!oque queeufizoquequeeufiz? 132. ENT:Você fica sempre orando aí o que que você pede mais pra Deus? INF: Eu peço pelas minhas primas pra minha tia que tá em Santa Filomena...eujá/peçoportudoné?porque::tudoqueDeusnosdáné?é bom 133. ENT: Pra você quem é Deus? INF: Umgrandehomemqueveiopracá...só...quefazosdesejodo
  44. 44. -47- Português falado por teresinenses coraçãoqueninguémpodefazersóaleidele...comoassim...porexemplo tá::quasepamorrer...aínumtemnadaoquefazer...umahorapratu/faltasó umahorapatumorrertuficaagoniadinha...aíDeuspodeacabarcomisso... tupodemorreraté::sócomcemanos 134. ENT: Então ele realiza os desejos? INF: Hum rum 135. ENT:Você sabe de alguma vez que ele realizou os desejos de alguém? INF: Não…eujáouvifalarquesantoquerealizadesejomaseunão acreditonão...santonãojámorreu?quandochegalánocéunumescutanem ouvemaisnada...nãoescutanemfalamaisnada...comoéqueelevaifazer alguma coisa? num morreu num faz mais nada então? 136. ENT:Aí você não acredita em Santo? INF: O...porexemploseDeusestábemali...nachuva...comosanto doladoosantosederretetodimqueédebarro...masJesusficainteiro... porqueelenumédebarro...eleéumespíritoeláelenumficamolhadonum ficaresfriado...elenummorre...seelemorrereleressuscitanénão?...agora barroderretené? 137. ENT: Santo não ressuscita? INF: Numseidaondequeelevairessuscitar 138. ENT: Já ouviu falar que tem pessoas que se curam através dos santos? INF: Umacolegaminhaelajáfalouquetavacom::...cheiadeverruga dizqueelapediuprosantoenodiaseguinteelasótavacomumaverruga no dedo 139. ENT:Você não acreditou? INF: Numacrediteinão...aíeuacreditandonessahistória...fuipedir prosantoaínodiaseguinteeuaindatavacomunscincoamais...aíeufuifui tirartemquequeimarnumtempratirarasverruga? 139b. ENT: Hum rum INF: Tivequequeimartudim...aíeusóandavadevestidocomcalça atéaquiedetênis...calçatênise::mangaaquieluvaqueeunumqueria mostrarné?umpinguimpreto 140. ENT: Era verruga? INF:Verruga 141. ENT:Aí tu pediu pro santo aí fez foi aumentar? INF: Fez foi aumentar…estava (crescendo) no corpo todim
  45. 45. -48- Português falado por teresinenses 142. ENT: Mas depois que você já era evangélica? INF: Hum rum 143. ENT: Na tua escola teve festa junina? INF:Teve 144. ENT:Você não participou? INF: A mãedissequeerapramimficaraquisóqueeunumgosto... numgostonão...látevefestadecarnavaleeufiqueifoinabibliotecaporque aindatinhaaulané? 145. ENT:Aí durante as festas você vai pra biblioteca? INF: Bibliotecaabibliotecafechoueucorriprasecretaria 146. ENT: E seus colegas todos participaram e você não quis partici- par? INF: Hum hum 147. ENT: Mas ela não proibiu não tua mãe? INF: Proibiunãoporqueeuquenumquero...aminhamãedizqueeu possoficarsentada esperandomaseu–nãomãeeunumgostodefolianão – pode me matar lá no meio do caminho né? porque os grande vem e eu sou pequenaaímeesmigalha...aíelescaemporcimademim 148. ENT: Os meninos velhos não respeitam os menores não INF: Elespassam/umavezeuquaseiasendoesmigalhadaeuiado- brandoapa//dobrandoassimnumtemapracinhadocolégio?euiadobran- doprairpropro...propátioassimvinhaummontedegentePUfo!porcima de mim 149. ENT: E eles se comportam bem ou provocam? INF: Eunão!mesmomesentonumlugareédifícildeeusair 150. ENT: Mas eles mexem com os outros menores? INF: Elesasvezesmexe...jámexerammuitocomigo 151. ENT: E o que que eles faziam? INF: Meencarnando…–meninaprimeirasérieéláembaixo–eudigo – tou sabendo eu vim falar com outra pessoa num foi com você não – ... porqueminhaprimaelaestudaláemcima 152. ENT:Você já pensou assim qual profissão que você vai querer exercer? INF: Psicólogaoujornalista 153. ENT: Por que que você quer exercer essasprofissões? INF: Numsei…aminhavóeladisseumavezqueeladizassim–tuvai sedarbemsetuforpsicólogatufalamaisdoqueamulherdacobra–
  46. 46. -49- Português falado por teresinenses 154. ENT: Mas você sabe o que é que elas fazem a psicóloga e a jornalista? INF: Hamram…jornalistaé::elasescrevem...tudoto//quasetodosos acontecimentos num papel... e a psicóloga... ajuda quando a pessoa tá:: traumatizadaelaajuda...elaesquecerdotra//doqueaconteceu 155. ENT:Aí você que ajudar as pessoas do que aconteceu? INF: Hum hum esquecer do passado 156. ENT:Tem alguma coisa que você gostaria de esquecer? INF: Não 157. ENT: Não precisa de psicóloga não? INF: Não...euachoquetudoqueagentetemquefazerqueoqueque agentepodefazerhojenãodeixarpraamanhãporquesótemumpresentee muitosamanhã. 158. ENT: Mas você já fez alguma coisa que se arrependeu? INF: Já 159. ENT: O que foi? INF: Ficarderecuperaçãohoje...edeficarderecuperaçãonomês passado...dessemêspassadodejunho...derecuperaçãohojediatrês 160. ENT:Derecuperação em qual disciplina? INF: Português 161. ENT:Por que não estudou? INF: Não...estudeiestudeisóqueainda faltavaumponto 162. ENT:Você acha que vai tirar esse ponto? INF:Achoqueeuvoutirarpontoevaisobrar 163. ENT:A provatavadifícil? INF: Tavaseaprofessoratavadandoeraaresposta...porexemplo umaperguntadizendoassim–procureoadjetivodaquidessapalavra–ela falavaoqueéadjetivo–( )dessapalavradessafrase ( )–aíeusófazia procurar 164. ENT: E no mês passado também em português? INF: Nenhuma é recuperação é de semestre em semestre 165. ENT: Só foi em português? INF: Sóemportuguês...aminhamãeficoucomraivaporqueeladisse assim–numanesseanoumanooutroanoduasaínooutroanotrêsnooutro quatrooutrocincoaíquandochegaroprimeiroanoétudimaíeuquerover– 166. ENT:Tua mãe ela cobra muito? INF: Não a minha mãe diz que só quer que eu estude
  47. 47. -50- Português falado por teresinenses 167. ENT: Ela não manda você estudar não? INF: Não 168. ENT: Dá trabalho fazer astarefas? INF: Dá...édifícil 169. ENT: Quem é que te ensina? INF: Ninguém 170. ENT: Faz sozinha? INF: O que eu num sei eu num SEI eu num sei o que eu num sei eu procuronolivroesenãotiver...oprofessortemquedaralgumacoisa 171. ENT: Ela não tem tempo pra te ensinar? INF: Nãoqueelatrabalhademanhãedetarde...meupaielesótáde manhãeeuestudodemanhã...edetardemeupaivaiprocolégioeminha mãe só vai dia de Sábado 172. ENT:Você gosta de música? INF: Gosto 173. ENT: Qual tipo de música que você gosta? INF: Músicalentaeromântica...ouaquelamúsicamaisoumenos 174. ENT: Como assim mais ou menos? INF:Assimmuitoagitadamuitoagitada...maisagitadaassimcomo nãofosse...músicaassim 175. ENT: Canta um pedaço aí? INF: Assim…cantado“festaalegriaéopovoquesereúneaquidiante dotronodorei” 176. ENT: Quem é esse cantor? INF: Éa::CristinaMelo 176b.ENT: Como? INF: CristinaMelo 176c. ENT: Cristina Melo INF: Eu//numtemoCarlosGilmar?elenumera...numeravocalista dadadaquelabanda...comoéonomedabanda?...umabandaláeaíagora eleéevangélico...láemcasatodoCDqueelejábo//queelejálançou láem casatem...sefordoisCDosdoisCDtemláemcasa 177. ENT:Você só ouve música evangélica INF: Hum rum... não eu a// também ouço eu ouço músicas como comoosevangélicosdizmundanasquequequeémúsicaassiminfantilque minhamãecomprapro( ) 178. ENT: Quais são essas músicas?
  48. 48. -51- Português falado por teresinenses INF:Assimaquelasmúsicasdeatireiopaunogato...músicaspopula- res como tomar banho sapinho tomando banho 179. ENT:Por que você não ouve outras músicas? INF: Num gosto não 180. ENT: E as músicas evangélicas o que que ela tem assim de inte- ressante que você gosta? INF: Eu num sei eu também num sei não só faço 180b.ENT:Sófazouvir INF: Ouviregostar 181. ENT:Tem algumas coisas que elas ensinam? INF: TemumamúsicaqueelafaladadasliçõesdeJesusquequando JesusmorreoDiaboficaalegre 182. ENT: Qual assim outro assunto que elas trazem? INF:Assuntosdabíblia 183. ENT:Você acha que as outras músicas mundanas elas não tra- zem coisas interessantes? INF: Só traz aqueles aqueles assuntos de drogas de violão de... de coisas que num interessam que num tá no bom ensino 184. ENT:As professoras trabalham algumas músicas na escola? INF: Hum rum mas é... música falando mais do coração 185. ENT: Que que você acha dos namoros de hoje? INF: Muitodoentio...porqueapessoa...ficacomumnumdianoou- trodiajátácomoutronooutrodiajátácomtonooutrodiajátácomoutra... euachoissofeio...porqueseficoucomuma...depoisde( )comumaaíjá pode mudar... mas... num dia um num dia outro num dia um num dia outra assim num pode 186. ENT:Você acha feio isso né? INF: Euachohorrível 187. ENT: Que que você gosta no seu colégio? INF: Dasaulas 187b.ENT: Das aulas INF: Euaquieusófaçoassimdepois/nahoranahoradorecreioeu passoorecreiobrincandoseeunumtousentadaquieta...nabiblioteca...eu toubrincandodecorrer...aíacabaorecreioficardentrodasaladepoisque acaba as aulas pra ir embora já vou embora... num quero papo mais com ninguém 188. ENT: E o que é que você não gosta na escola?
  49. 49. -52- Português falado por teresinenses INF: Num tem nada que eu goste da escola não 189. ENT: Sempre estudou aqui? INF: Não no ano passado que eu comecei 190. ENT: Estudava aonde antes? INF: Numcoleginhodenumcoleginholádonumcoleginhodebairro 191. ENT: E era bom lá? INF: Ensinava...láeuaprendialernojardimdois...éporqueaminha mãejámeensinava 192. ENT:Qualadiferença de lá pra cá? INF:Aqui é:: avançado muito bom mas lá era coisa assim... que eu sabiajásabia...que::...porexemplo...lá...ascoisasfáceisné?aminha/eulia aquieulialáemcasaeaquieujásabi//elájáchegavasabendo...eusótirava notasboas...láeraótimo 193. ENT:Toca algum instrumento? INF: Não 194. ENT:Tem vontade de aprender atocar não? INF:Tenho 195. ENT: Qual? INF:Teclado 196. ENT: O que que você acha interessante no teclado? INF: O som que sai 197. ENT:Tem alguma coisa que você não gosta de fazer? INF: Tem...ficarparadadoenteparadasemfazernada...teveuma vezqueagentefazquandotá emcasa( )agentefazumretiroagentevai praoutrolugardistanteteveumavezqueeraem Altoseujáconhecia Altos mas...queriatáláné?sóquemedeu...um::umumagripemuitoforteparecia dengue minha mãe ficava preocupada eu não comia nada (além de) pão as- sadoeleitepãoassadoeleitealémdissosaíatudo... 198. ENT:Aí tu ficou lá em casa INF: Eusófuinoúltimodiaqueminhamãelevoupãopãopãoadoida- do...umacaixadessetamanhodepão 199. ENT: Só conseguiu comer pão? INF: Sóconseguiacomerpão...eerapãoassadosefossepãoassim mesmo normal eu num comia não... que se não eu botava pra fora 200. ENT: O que que é esse retiro? INF: Queagentevaipraoutroluga::r...distantedeondetáocarna- val...pragente::meditarcomoagentefosse...praticaresporte...torcer...e::
  50. 50. -53- Português falado por teresinenses fazerporexemplo...temumtime...fazercompetiçãogincana...tododiade manhãdetardeagentefaziagincana...todavezqueeufuimeugruposó perdeu uma vez e to// e toda vez a gente tinha uma música uma música a últimavezfoiassim“azulnopensamentoazulnocoraçãoeestevermelho podesejogarnochão”((cantado))essefoiaúltimavezenósaindaganhamo 201. ENT: Mas aí só era gincana? INF: Gincanaesporteaíagente...aídemanhãbemcedinhoagente tinhaqueacordar...pragenteir...pragenteirfaze::r...pragentelouvaro Senhorcantarlerabíbliaorar 202. ENT:Você gosta de ir prosretiros? INF: Gosto 203. ENT:Vai todo mundo da sua família? INF: Não...sóminhavóelanuméevangélicaaíelavaipracasados filhosdela 204. ENT: Na escola as pessoas falam ou fora da escola com relação atuareligião? INF:Todo mundo respeita 205. ENT:Você sabe que no Brasil nem sempreaspessoasrespeitam a religião dos outros o que que você acha disso? INF: Euachoqueaspessoas...quenãogostamsenteopreconceito... mas mas como o menino chegou lá em casa chamando de formiguinha... aí porquetinhaapregadoumaformiguinhaassimnaparedeaíeudisseassim– o que vem de baixo não me atinge – porque se um menino vem... vem com todaforça...meapelidandoaíosapelidossaidebaixoeaíagentediz–o que vem de baixo num me atinge – porque se vem de baixo como é que vai meatingirseeutouaquiemcima? 206. ENT:Além dos livrosquevocêlêvocêgostadeler alguma revis- ta? INF: Eusógostodeolharasgravuras 207. ENT:Vocêgostadeir aocirco parque de diversão? INF: Hum rum… gosto porque a gente se diverte quando meu pai trabalhavatododia...agenteganhavaingressoné?aítodoparquequeapa- recia nósíamos...sóqueteve/nessenesseanonumtem?agentenãopôde irporquetavamuito::...porqueerademanhãprocolégiodetarde( )ede noite todo mundo tava cansado 208. ENT:Aí ninguém queria ir? INF: Ninguémqueriairproparque...eutambémnumqueriair...tava
  51. 51. -54- Português falado por teresinenses exaustaeupassavaestudariabrincareaí...brincavacomaspernastoda cansada... aí todo mundo se deitava na cama do pai PUfo! aí dali não se alevantavamaisnão 209. ENT: O que que você gosta mais de ver nocirco? INF: Nocircoospalhaços 209b. ENT:É? INF: Hamram...assimeujáfuimuitoprocircomasmeumeuirmão nuncafoi...elealiáselejáfoi...agentevaiprozoológico...agentepassao diatodimláné?aílánozoológicotinhaumlabirintoaío( )pegouumcarro aíocarroocarrosubia naparedeelesubianaparedeevoltava...aío( ) iaatrásdocarroatrásdocarroaíquandoo( )tavapertodeacharagente agentepulavaomurodolabirintoejáiapraoutrolugarprooutro/eradois labirintosné?agentepulavaprooutro...aíagentecansoudebrincarcom essabrincadeira...aíagente(iapratantocanto)queagentenumsabianem maisondetava...aíagentesubianaparedeaí–agoranósvamosubirpela parede– esaiarodandorodandorodandoaíprao( )numveragentea gentedesciaeaíiaprosladoproladoaínósrodeamosaquele...zoológico todimné?aí...nessediaveioacobranumtememinhavó–vixe!–aítinha umacobraverdequeo( )nãotavavendo–ali–aliaonde?–alituquer entrarepegarnogalho?aíele–não((risos)) 210. ENT: Quem foi que encontrou vocês no labirinto? INF: Ninguém 211. ENT:Vocês conseguiram sair sozinhos? INF: Nãoporqueagente(roda)rodanomuroaísaiarodando 212. ENT: Qual foi o animal assim que você ficou com mais medo? INF: Dascobras 212b. ENT: Cobras? INF: Humrum…aío( )disseassim–umacobraquefugiuuma cobrafugiu–aínósseatrepa//seatrepamosnumaárvoreaí–menino!saidaí decimaquefoiumacobraverde–aínósdescemosnuminstante 213. ENT:Qualfoiooutro animal que você ficou interessada em sa- ber sobre ele? INF: Éourubu 213b. ENT: Urubu? INF: Eotigreourubureieotigre...o ( )tava doidoprametera mãoepegarnotigreeudisse–tumetetua mãoeletecomeaíeuvoudeixar 214. ENT:Tigre e o Urubu rei?
  52. 52. -55- Português falado por teresinenses INF: Hum rum… e também tem o macaco do ( ) e da cabeça vermelha 215. ENT: Qual foi o animal que você achou mais engraçado? INF: Omacaco... 216. ENT: Ele fez alguma coisa assim de diferente quando você che- gou lá? INF: ((risos))Eletavapraficareradoidoeleeleiapraacoláaíjá entravanooutrofaziaestripuliaquepareciaqueeletavaeradoido 217. ENT: E no parque de diversão quais são os brinquedos que ge- ralmente você gosta mais? INF: Montanharussaerodagigante 218. ENT:Você não fica com medo não? INF: Não 219. ENT:Você gosta mais de parque ou circo ou zoológico? INF: ((risos)) Aiozoológico 220. ENT:Por que você gosta mais do zoológico? INF: Queagentetánumambienteassimagradável...respiraoarpuro... etá::( )láelesfazemépreservarosanimais...enoparqueelesfazemuma polui//poluição...porcausado:: do...dafumaçaquesaidodosbrinquedos 221. ENT: O que que você acha da poluição? INF: Euachoque…oBrasiltemqueacabarapoluiçãoporque...eles prejudicaelesfazemapoluiçãoelesprejudicae::eleselesprejudicamaeles easoutraspessoas 222. ENT: O que que você faria pra preservar a natureza contra a poluição? INF: O que eu faria? eu faria o que eu num fa// o que eu num faço agora... uma vez aqui no colégio tavam fazendo uma coisa sobre o meio ambientedasétimasétima A esétimaBesextasérieprareceberumpeixe... ameninarecebeuopeixeemedeuopeixenahoraqueeuiasaindocomo peixeatia( )megritou–eiameninaalisaindocomopeixedaquarta série–aíeuchoreichoreichoreichoreichoreichoreichoreiaílásevemo professorcomaplanta...aíeledisseassim–setucuidarbemdaplanta–só queláemcasanãotemondeplantarporquemeujabutielequercomereo meucoelhodestróiequandoasgalinhavaipraláéamesmacoisa.
  53. 53. -56- Português falado por teresinenses 01. ENT:Você mora com seus pais? INF: Só com minha mãe... meu pai se separou de/ meu pai se separou da minha mãe aí eu tou vivendo com minha mãe... meu pai as vezes passa aqui::em Teresina...aíeujáviajocommeupai...ficocomminhamãeum pouco...ficocommeupaiumpoucomeupaivempraaí...asvezeseleelese hospedanohotel...tododiaelevaimeverasvezeselemelevaproshopping... agentesedivertenumtemconfusãoentreeledoisnãoelessedi//elesse dividirammaselesnuncabrigaramnãoé::eleschegamassimdefrentecon- versam...tudonaboa...sesepararammassãoamigo 02. ENT: Hum rum... e... tu tem irmãos? INF: Tenho...eutenhoduasirmãsqueestudamaqui...e::doisirmãos maistrêsirmãosquerdizer... 03. ENT: E os teus pais são de qual profissão? INF: Ómeuminhamãeelatrabalhatrabalhaagenciandocarretasné? elachamacaminhoneirosparacarregaremnaempresa...aímeupaieletra- balhaem::comoé?comoeupossodizer?...eleeletrabalhapraempresaele vai lá ele... representante ele... ele amostra como é como são as coisa lá comoéosmateriaisdeles...dafábricaláaíelepegaamos//émostraomos- truárioevai::vendendoaíalgunséé::pedemeoutrosnãoalgu//algunspe- dem::quinhen::tosoutrospedemduzen::tos 04. ENT: E tu acha importante estudar? INF: Euachoquenofuturoeuposso...terumbomempre::goteruma boavida...eserumbomdoutor 05. ENT: E qual é a matéria que você mais gosta? INF: Matemática 05b. ENT:É INF: Quando eu jogo vídeo game né? aparece uns números eu só tenhotrêssegundospracalcular...nacabeçaaí...geralmenteédifícilné?as vezeseuerropordoispontosédificilmenteeuerrolá...novídeogame 06. ENT: E a que você menos gosta? INF:A queeumenosgostoé::história...históriafaladeantigamenteaína EPa IM4a S3
  54. 54. -57- Português falado por teresinenses horadenahoradaprovaécomplicação::aínumgostomuitonãodehistória 07. ENT: Não gosta de coisas do passado assim INF: Nãoeuprefiroseguiravida...euquerosabercoisasdofuturodo passado o passado passou 08. ENT: Não acha assim que é importante conhecer o passado para melhorar o futuro não? INF: Sim algumas coisas eu digo possa pode até ser mas eu prefiro poucascoisas...nãoexagerarquenemasprofessoradehistóriaelaspedem muitacoisafalamcoisaMUItomuitodeantigamente...docomeçodosé::culo elasfalamdeantigamentecomosurgiuoplane::ta...édifícillembrartem...a gentetemqueterumaboamemória temqueestudarbastante 09. ENT: E o que tu mais gosta de fazer? INF: Eu? 09b. ENT:É INF: Eugostodebrincardeescondeeescondee...brincardebo::la jogarbo::la...eugostodesergoleironofutebol 10. ENT:Paraqualtimetutorce? INF: Flamengo((risos)) 11.ENT:Por quequetusótorcepro Flamengo? INF: Eumeinteresseiassimporelenocomeço...elepodeerrarquantas vezesquisermaseusemprevoutorcerporele 12. ENT:Tujáleualgumlivro que tu gostou? INF: Nãoaindanummeinteressomuitoassimporlernãomaseuleio masquandoleiopoucoeuleioassim...euleioquandoeuleioeujáimagino quevaiacontecerentãoquandoeuvoulereujáseiqueaconteceuaqui::lo... até as vezes minhas irmãs fazem uma pergunta né? para minha mãe e eu respondo...maseunãosabiaqueeraaquiloeufaloassim...eunumseioque éaquiloeufalo...eunumseidenada...nahoradaprovaeunumeunumme lembrodenadasaiassimdedentro...eusóolhonasfigurasécomoeuolhar nasfiguraeasfiguravircomtudopraminhacabeça...comarespostatudo tudotudo 13. ENT: E uma revistinhatugostaderevistinha em quadrinho? INF: Gosto mas eu gosto de olhar porque eu acho engraçado 14. ENT: Num gosta de ler INF: Nãosóasvezes...dificilmenteeuleioquandoeutoucansadoeu leio... quando eu num tou quero brincar quero fazer alguma coisa quero correr...queropular...euasvezesné?quandoeutousemfazernadaeutou

×