SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 18
Baixar para ler offline
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
Exercícios Resolvidos: Aplicações da Integral
Contato: nibblediego@gmail.com
Escrito por Diego Oliveira - Publicado em 06/03/2016 - Atualizado em 24/11/2017
Exemplo 1: Suponha que uma pedra, situada a uma altura s0 do solo, seja aban-
donada. Considerando que sua velocidade inicial é nula determine suas equações
de movimento
Solução:
Durante a queda a pedra sofre os efeitos da gravidade, portanto, possui aceler-
ação gravitacional.
d
dt
= −g
Integrando ambos os membros:
d = −g dt
⇒  = −gt + c1
Quando t = 0 sabemos que  = 0, pois a pedra parte do repouso, o que implica
na constante ser nula:
0 = −g · 0 + c1
⇒ c1 = 0
Assim, a equação de velocidade é:
(t) = −gt (1)
.
Integrando (1) chegamos agora a equação do movimento.
ds
dt
= (t)
⇒ ds = (t)dt
1
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
⇒ ds = (t)dt
⇒ ds = −gt dt
⇒ s = −
gt2
2
+ c2 (2)
Quando t = 0 temos s = so o que implica em c2 igual so
so = −g · 0 + c2
⇒ c2 = so
Finalmente substituindo o valor de c2 em (2) a equação do movimento será:
s(t) = so −
gt2
2
Exemplo 2: Uma maleta cai acidentalmente de um balão que está estacionado
a uma altitude de 4.900m. Quanto tempo leva para a maleta atingir o solo?
Solução
Seguindo a lógica do exercício anterior a equação do movimento da maleta será:
s(t) = so −
gt2
2
Onde so é a altura inicial da mala, que no caso é 4.900m, assim:
s(t) = 4.900 −
gt2
2
Sendo g ≈ 9.81 e fazendo s(t) = 0 chegamos a solução:
s(t) = 0
⇒ 0 = 4.900 −
9.81 · t2
2
⇒ t ≈ 31, 6067s
2
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
Ou seja, a mala chega ao solo em aproximadamente 31,61 segundos.
Exemplo 3: Um menino no topo de um penhasco de 90m de altura, atira uma
pedra diretamente para baixo e esta atinge o solo 3.25s depois. Com que velocidade
o menino atirou a pedra?
Solução:
Usando a lógica do primeiro exercício uma das equações de movimento será:
(t) = −gt + c
Note que quando t = 0 temos (t) = o, sendo assim:
(t) = −gt + o
Integrando a função para determinar s(t) teríamos:
s(t) = (t)dt
s(t) = (o − gt)dt
s(t) = ot −
gt2
2
+ c
Em t = 0 sabemos que s(t) = 90, assim:
s(t) = 90 + ot −
gt2
2
Finalmente fazendo s(3.25) e substituindo todos os demais valores chegamos a
solução:
s(3.25) = 90 + o(3.25) −
9.81 · (3.25)2
2
0 = 90 + o(3.25) −
(9.81)(3.25)2
2
3
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
o =
g(3.25)2
2
− 90
3.25
⇒ 0 ≈ −11.75
Ou seja, a velocidade inicial é de aproximadamente -11.75 m/s. Onde o sinal de
negativo indica o sentido do movimento.
Exemplo 4: Um homem, que está no solo, atira uma pedra diretamente para
cima. Desprezando a altura do homem, calcule a altura máxima da pedra em ter-
mos da velocidade inicial 0. Qual é o menor valor de 0 que torna possível a pedra
cair no telhado de uma casa de 44 m de altura?
Solução:
A equação da velocidade será:
(t) = −gt + c
No momento inicial (t = 0) a velocidade da pedra é (t) = 0 e assim c = 0.
(t) = −gt + 0
No ápice de seu trajeto a velocidade da bola é nula o que significa que nesse
momento t =
0
g
.
Integrando v(t) em relação ao tempo chegamos a expressão:
s(t) = −g ·
t2
2
+ 0t + k.
Desprezando a altura do homem, no momento inicial (t = 0) temos s(t) = 0 então
k também é zero. Sendo assim:
s(t) = −g ·
t2
2
+ 0t
Onde no momento t =
0
g
(maior ponto da trajetória), teremos:
s
0
g
= −g ·
0
g
2
2
+ 0
0
g
4
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
Sm = −
2
0
2g
+
2
0
g
Sm =
22
0
2g
−
2
0
2g
Sm =
22
0
− 2
0
2g
=
2
0
2g
Esse é o resultado da altura máxima atingida pela pedra em função de 0. Para
determinar o menor valor de 0 para que a pedra atinja um telhado de 44 m basta
fazer Sm = 44.
Sm = 44
2
0
2g
= 44
0 = 44 · 2g
0 ≈ 29, 38
Ou seja, aproximadamente 29,38 m/s.
Exemplo 5: Na célebre corrida entre a lebre e a tartaruga, a velocidade da lebre
é de 30 km/h e a da tartaruga é de 1,5 m/min. A distância a percorrer é de 600 m,
e a lebre corre durante 0,5 min antes de parar para uma soneca. Qual é a duração
máxima da soneca para que a lebre não perca a corrida? Resolva analiticamente e
graficamente.
Solução:
Os dados que o enunciado nos fornece são os seguintes:
 = 30 km/h ou 25
3
m/s(Velocidade da lebre)
t = 1,5 m/min (Velocidade da tartaruga)
 = 600 m (Distância a ser percorrida)
t = 0,5 min (Tempo de soneca)
E a estratégia consistirá nos seguintes passos:
5
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
1◦ Calcular o tempo que levaria a lebre se a mesma não dormisse;
2◦ Calcular o tempo que leva a tartaruga para terminar o percusso;
3◦ Com base nas duas respostas acima encontraremos o tempo máximo
de todas as sonecas.
(Passo um.)
Supondo que a velocidade da lebre se mantenha sempre constante então a ve-
locidade média da lebre () é igual a velocidade instantânea. Sendo assim:
 =
d
dt
⇒ d =  · dt
⇒ d =  · dt
⇒ (t) =  · t + k (sendo k uma constante)
Como o coelho parte da origem então (0) = 0 o que implica em k = 0. Sendo
assim,
 =  · t ⇒ t =


=
600
25
3
= 72s
Ou seja, supondo que a lebre não tire nenhuma soneca ela terminaria o percusso
em 72 segundos.
(Passo dois.)
Analogamente calcula-se o tempo que seria gasto pela tartaruga.
t =

t
t =
600 m
1, 5 m/mn
=
600 m
0.025 m
s
= 2.4 × 104s
6
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
Isto é, a tartaruga levaria 2400s
(Passo três.)
Para que a lebre não perca a corrida, seu tempo de percurso (que chamaremos de
tp) somado com o tempo da soneca (chamado aqui de ts) deve ser menor ou igual
ao tempo de percurso da tartaruga (que chamarei apenas de t). Matematicamente:
tp + ts ≤ t
⇒ 72s + ts ≤ 2.4 × 104s
⇒ ts ≤ 2.4 × 104s − 72s
⇒ ts ≤ 2.3928 × 104s
Ou seja, a soneca deve ter uma duração de no máximo 2.3928 × 104s segundos.
Ou de forma mais trivial 6h 38min e 48s.
Exemplo 6: Um carro de corridas pode ser acelerado de 0 a 100 km/h em 4 s.
Compare a aceleração média com a aceleração da gravidade. Se a aceleração é
constante, que distância o carro percorre até atingir 100 km/h?
Solução:
Esse é um problema que se resume a aplicação direta de fórmulas não sendo
necessário nenhuma estratégia apurada.
Se a aceleração é constante então a aceleração media m é igual a aceleração
instantânea, assim:
m =
d
dt
(1)
Resolvendo (1) para  chega-se à:
(t) = mt + k
Como o automóvel partiu do repouso (pois a aceleração vai de 0 a 100 km/h)
então (0) = 0, que implica em k = 0, sendo assim:
(t) = mt
⇒ m =

t
=
100km/h
4s
7
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
Como 100km/h =
100
3.6
m/s então
m =

t
=
100
3.6 · 4
=
125
18
m/s2
Tomando a aceleração gravitacional g igual a 9.81 m/s2 então:
m
g
=
125
18
m/s2
9.81m/s2
m
g
=
12500
17658
≈ 0.7079
m ≈ 0.7079 · g
Para determinar a distância percorrida pelo veículo nessa aceleração precisamos
de uma equação que relacione a “distância percorrida" com a “aceleração" que
determinamos e o “tempo" que o enunciado nos dá. Essa equação é a seguinte:
d2
dt2
= 
Note que a EDO acima embora de 2◦ ordem pode ser resolvida com facilidade
integrado  duas vezes em relação a “t".
d2
dt2
= 
⇒ d2 = dt2
⇒ d · d =  · dt dt
⇒ d = (t + k)dt
Ocorre que  (0) = 0 (pois 0 = 0) o que implica em k = 0. Sendo assim:
d = t · dt
Integrando novamente
d = t · dt
8
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
 =

2
t2 + k
Entretanto, sabe-se que (0) = 0 o que implica em
 =

2
t2
Substituindo os valores de  e t na equação acima chega-se ao resultado final.
 =
125/18
2
· 42
= 55.5
Portanto, a distância percorrida foi de aproximadamente 55.6 m.
Obs:
Observe que a solução do PVI da EDO de segunda ordem e a equação:
(t) = 0(t) + 0t +

2
t2
com as seguintes condições iniciais (0) = 0 e  (0) = 0.
Também poderia ter sido usado a equação
d
dt
= , já que determinamos
 = t, assim
d
dt
= t · dt
forneceria o mesmo resultado. Entretanto, a EDO de 2◦ ordem é normal-
mente mais útil.
Exemplo 7: Um avião a jato de grande porte precisa atingir a velocidade de 500
km/h para decolar, e tem uma aceleração de 4 m/s2. Quanto tempo ele leva para
decolar e que distância percorre na pista até a decolagem?
Solução:
Para determinar o tempo necessário para a decolagem precisamos de uma equação
que relacione as variáveis tempo, aceleração e velocidade (que são os dados forneci-
dos). Essa equação é a seguinte.
 =
d
dt
Isso é possível, pois sendo a aceleração média constante a mesma se iguala a
aceleração instantânea.
Resolvendo a EDO
9
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
 =
d
dt
⇒ d =  · dt
⇒ (t) = t + k
Admitindo que o avião tenha partido do repouso, isto é, que (0) = 0 então:
 = t
⇒ t =


Como 500 km/h =
5 × 103
36
m/s então substituindo os valores
⇒ t =
5 × 103
36
m/s
4 m/s2
=
5 × 103
4 · 36
·
m · s2
m · s
= 34.72s
⇒ t = 34.72s
Ou seja, o tempo que será levado é aproximadamente 34.7 segundos.
Já para determinarmos a distância podemos usar a equação:
 =
d2
dt2
Note que a EDO acima embora de 2◦ ordem pode ser resolvida com facilidade
integrado  duas vezes em relação a “t".
d2
dt2
= 
⇒ d2 = dt2
⇒ d · d =  · dt dt
⇒ d = (t + k)dt
Ocorre que  (0) = 0 (pois ◦ = 0) o que implica em k = 0. Sendo assim:
d = t · dt
10
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
Integrando novamente
d = t · dt
 =

2
t2 + k
Entretanto, sabe-se que (0) = 0 o que implica em
 =

2
t2
Substituindo os valores de  e t na equação acima chega-se ao resultado final.
 =
4
2
· 34.72
= 2408.18
Portanto, a distância percorrida foi de aproximadamente 2408.18 m ou aproxi-
madamente 2.41 km.
Exemplo 8: O gráfico da figura representa a marcação do velocímetro de um
automóvel em função do tempo. Trace os gráficos correspondentes da aceleração
e do espaço percorrido pelo automóvel em função do tempo. Qual é a aceleração
média do automóvel entre t = 0 e t = 1 min? E entre t = 2 min e t = 3 min?
Solução:
Expressando o gráfico em questão sob a forma de uma função de várias sen-
tenças teremos:
(t) =



90t se t ∈ [0, 0.5)
45 se t ∈ [0.5, 2)
225 − 90t se t ∈ [2, 2.5)
0 se t ∈ [2.5, 3)
150t − 450 se t ∈ [3, 3.5)
75 se t ∈ [3.5, 4.5)
750 − 150t se t ∈ [4.5, 5]
11
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
Por definição (t) =
d
dt
(t) então a função de várias sentenças que fornecerá o
gráfico da aceleração será:
(t) =



90 se t ∈ [0, 0.5)
0 se t ∈ [0.5, 2)
−90 se t ∈ [2, 2.5)
0 se t ∈ [2.5, 3)
150 se t ∈ [3, 3.5)
0 se t ∈ [3.5, 4.5)
−150 se t ∈ [4.5, 5]
E como s(t) = (t)dt a função de várias sentenças que fornecerá o gráfico da
aceleração será:
s(t) =



45t2 se t ∈ [0, 0.5)
45t se t ∈ [0.5, 2)
225t − 45t2 se t ∈ [2, 2.5)
0 se t ∈ [2.5, 3)
75t2 − 450t se t ∈ [3, 3.5)
75t se t ∈ [3.5, 4.5)
750t − 75t2 se t ∈ [4.5, 5]
Determinando as acelerações médias.
A aceleração média é determinada pela equação m =
ƒ − 0
tƒ − t0
. Então com base
no gráfico do enunciado
no intervalo de 0 a 1 minuto teremos:
m[0,1] =
45km/h − 0
1mn
⇒ m[0,1] =
12.5m/s
60s
⇒ m[0,1] = 0.2083m/s2
12
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
E no intervalo de 2 a 3
m[2,3] =
0 − 45km/h
60s
m[2,3] =
−12.5m/s
60s
m[2,3] = −0.2083m/s2
Onde o sinal de negativo indica uma desaceleração.
Exemplo 9: Uma partícula, inicialmente em repouso na origem, move-se du-
rante 10s em linha reta, com aceleração crescente segundo a lei  = b · t, onde t é o
tempo e b = 0.5m/s3. Trace os gráficos da velocidade  e da posição  da partícula
em função do tempo. Qual é a expressão analítica de (t)?
Solução:
Matematicamente a aceleração instantânea é definida como:
(t) =
d
dt
(t)
⇒ (t) = (t)dt
⇒ (t) = bt dt
⇒ (t) =
1
2
t dt
⇒ (t) =
1
4
t2 + c
Como a partícula está inicialmente em repouso então (0) = 0 o que implica em
c = 0. Sendo assim a expressão analítica de da velocidade é (t) =
1
4
t2.
Exemplo 10: O tempo médio de reação de um motorista (tempo que decorre
entre perceber um perigo súbito e aplicar os freios) é da ordem de 0,7 s. Um carro
com bons freios, numa estrada seca pode ser freado a 6 m/s2. Calcule a distância
mínima que um carro percorre depois que o motorista avista o perigo, quando ele
13
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
trafega a 30 km/h, a 60 km/h e a 90 km/h. Estime a quantos comprimento do carro
corresponde cada uma das distâncias encontradas.
Solução:
A estratégia será a seguinte:
1. Calculamos a distância percorrida durante o tempo de reação;
2. Calculamos a distância percorrida após o tempo de reação.
3. O resultado será a soma das duas distâncias encontradas.
(Passo um.)
Como o carro está com velocidade constante podemos determinar a distância
percorrida, durante o tempo de reação do motorista, pela equação:
d
dt
= 
Cuja solução para  é:
 = t + c
Admitindo que o carro tenha partido da origem então  = 0 para t = 0 o que
implica em c também igual a zero. Ou seja:
 = t
 = 30km/h · 0.7s
como 30 km/h =
3 × 102
36
m/s então:
 =
3 × 102
36
· 0.7 ·
m
s
· s
⇒  =
105
18
m
(Passo dois).
Para determinar a distância percorrida após o tempo de reação usaremos a
equação de Torricelli.
Lembre-se que como o carro está sendo freado então  = 0 e a aceleração será
negativa.
14
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
2 = 2
◦
+ 2d (Equação de Torricelli)
⇒ 0 =
3 × 102
36
m
s
2
+ 2 −6 m
s2 d
⇒ (12 m
s2 )d =
3 × 102
36
m
s
2
⇒ d =
9 × 104
12 · 362
m2 · s2
m · s2
=
625
108
m
(Passo três).
Finalmente realizamos a soma de  com d e determinamos o valor total do deslo-
camento.
105
18
m +
625
108
m =
11295
972
m ≈ 11.62m
Analogamente se calcula para as velocidades de 60 km/h e 90 km/h, obtendo
respectivamente os valores de 34.8 m e 69.6 m.
Exemplo 11: Numa rodovia de mão dupla, um carro encontra-se 15 m atrás
de um caminhão (distância entre pontos médios), ambos trafegando a 80 km/h.
O carro tem uma aceleração máxima de 3 m/s2. O motorista deseja ultrapassar
o caminhão e voltar para sua mão 15 m adiante do caminhão. No momento em
que começa a ultrapassagem, avista um carro que vem vindo em sentido oposto,
também a 80 km/h. A que distância mínima precisa estar do outro carro para que a
ultrapassagem seja segura?
Solução:
A estratégia será a seguinte:
1◦ Determinamos uma expressão (em função do tempo) para o cálculo da
distância percorrida pelo caminhão;
2◦ Calculamos o tempo levado pelo carro para realizar a ultrapassagem de-
scrita;
3◦ Determinamos a distância percorrida pelo caminhão e pelo carro.
4◦ Determinamos a distância percorrida pelo segundo carro e a somamos
com a distância obtida no passo anterior para obtermos a resposta.
15
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
(Passo um).
Estando o caminhão sob velocidade constante então sua velocidade média (m)
é igual a velocidade instantânea, ou seja:
 =
d
dt
Cuja solução para  seria:
(t) = t + k
Supondo que o caminhão parta da origem em t = 0 então (0) = 0 o que implica
em k = 0. Sendo assim:
 =
80
3.6
t (1) Note que 80 km/h =
80
3.6
m/s
(Passo dois).
Levando em conta que a aceleração do carro se mantém constante, então:
 =
d2
dt2
⇒  = k2 + k1t +
1
2
t2
Supondo que o carro parta da origem, então: (0) = 0 o que implica em k2 = 0.
Logo
 = k1t +
1
2
t2
Como  (0) = 80 km/h ou
80
3.6
m/s então k1 =
80
3.6
. Portanto
 =
80km/h
3.6
t +
1
2
(3m/s2) · t2
Como o deslocamento do carro, representado na equação acima por “" é igual
ao deslocamento do ônibus (veja equação (1)) mais 30 metros (15 m antes do cam-
inhão mais 15 m depois) então:
30m +
80
3.6
t =
80km/h
3.6
t +
1
2
(3m/s2) · t2
⇒ t = 20
16
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
(Passo três).
Substituindo agora t em (1) descobrimos que a distância percorrida pelo camin-
hão é de
400 5
9
m ≈ 99, 38m.
E a distância percorrido pelo carro é de 99,38 m + 30 m = 129,3 8m.
(Passo quatro).
O outro carro, por sua vez, também estando a 80 km/h (e com velocidade con-
stante) percorreria também 99,38 m.
Com base nos dados anteriores a distância mínima entre o ônibus e o carro antes
da ultrapassagem é 129,38 m + 99,38 m = 228,76 m.
17
Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA
Este trabalho está licenciado com uma
Licença Creative Commons -
Atribuição-NãoComercial-
CompartilhaIgual 4.0 Internacional.
Esse documento está sujeito a constante atualização ou mesmo correções, por
isso, certifique se que o que você têm em mãos é de fato a última versão do
mesmo. Para saber, bem como ter acesso a vários outros exercícios resolvidos
de matemática, acesse: www.number890.wordpress.com
Para aulas particulares, digitação de texto em LATEXe resolução de listas de exer-
cícios entre em contato.
nbbedego@gm.com
.ƒcebook.com/theNmberType
.nmber890.ordpress.com
18

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Derivação com logaritmo
Derivação com logaritmoDerivação com logaritmo
Derivação com logaritmoDiego Oliveira
 
Exercícios resolvidos de máximo e mínimo de função
Exercícios resolvidos de máximo e mínimo de funçãoExercícios resolvidos de máximo e mínimo de função
Exercícios resolvidos de máximo e mínimo de funçãoDiego Oliveira
 
Funcoes de varias variaveis calculo 2
Funcoes de varias variaveis  calculo 2Funcoes de varias variaveis  calculo 2
Funcoes de varias variaveis calculo 2Kassiane Campelo
 
Tabela de identidades trigonometricas
Tabela de identidades trigonometricasTabela de identidades trigonometricas
Tabela de identidades trigonometricaseliane silva
 
Função logarítmica definição e propeiedades
Função logarítmica   definição e propeiedadesFunção logarítmica   definição e propeiedades
Função logarítmica definição e propeiedadesPéricles Penuel
 
Exercícios Resolvidos: Regra da cadeia
Exercícios Resolvidos: Regra da cadeia Exercícios Resolvidos: Regra da cadeia
Exercícios Resolvidos: Regra da cadeia Diego Oliveira
 
Exercícios Resolvidos: Volume dos sólidos de revolução
Exercícios Resolvidos: Volume dos sólidos de revoluçãoExercícios Resolvidos: Volume dos sólidos de revolução
Exercícios Resolvidos: Volume dos sólidos de revoluçãoDiego Oliveira
 
Exercícios Resolvidos: Área entre curvas
Exercícios Resolvidos: Área entre curvasExercícios Resolvidos: Área entre curvas
Exercícios Resolvidos: Área entre curvasDiego Oliveira
 
Função de duas variáveis, domínios e imagem
Função de duas variáveis, domínios e imagemFunção de duas variáveis, domínios e imagem
Função de duas variáveis, domínios e imagemIsadora Toledo
 
57701066 matematica-discreta-exercicios-resolvidos
57701066 matematica-discreta-exercicios-resolvidos57701066 matematica-discreta-exercicios-resolvidos
57701066 matematica-discreta-exercicios-resolvidosHAROLDO MIRANDA DA COSTA JR
 
Tabela de identidades trigonometricas
Tabela de identidades trigonometricasTabela de identidades trigonometricas
Tabela de identidades trigonometricasRodrigo Sócrate
 
Tabela derivadas-e-integrais
Tabela derivadas-e-integraisTabela derivadas-e-integrais
Tabela derivadas-e-integraismariasousagomes
 
Aula espaço vetorial
Aula espaço vetorialAula espaço vetorial
Aula espaço vetorialTuane Paixão
 
Aula 2 - Produtos Notáveis e Fatoração
Aula 2 - Produtos Notáveis e FatoraçãoAula 2 - Produtos Notáveis e Fatoração
Aula 2 - Produtos Notáveis e FatoraçãoTurma1NC
 

Mais procurados (20)

Derivação com logaritmo
Derivação com logaritmoDerivação com logaritmo
Derivação com logaritmo
 
Exercícios resolvidos de máximo e mínimo de função
Exercícios resolvidos de máximo e mínimo de funçãoExercícios resolvidos de máximo e mínimo de função
Exercícios resolvidos de máximo e mínimo de função
 
Funcoes de varias variaveis calculo 2
Funcoes de varias variaveis  calculo 2Funcoes de varias variaveis  calculo 2
Funcoes de varias variaveis calculo 2
 
Tabela de identidades trigonometricas
Tabela de identidades trigonometricasTabela de identidades trigonometricas
Tabela de identidades trigonometricas
 
Função logarítmica definição e propeiedades
Função logarítmica   definição e propeiedadesFunção logarítmica   definição e propeiedades
Função logarítmica definição e propeiedades
 
Exercícios Resolvidos: Regra da cadeia
Exercícios Resolvidos: Regra da cadeia Exercícios Resolvidos: Regra da cadeia
Exercícios Resolvidos: Regra da cadeia
 
Exercícios Resolvidos: Volume dos sólidos de revolução
Exercícios Resolvidos: Volume dos sólidos de revoluçãoExercícios Resolvidos: Volume dos sólidos de revolução
Exercícios Resolvidos: Volume dos sólidos de revolução
 
Tabela de Integrais
Tabela de  IntegraisTabela de  Integrais
Tabela de Integrais
 
Exercicios resolvidos
Exercicios resolvidosExercicios resolvidos
Exercicios resolvidos
 
Aula 02 Cálculo de limites - Conceitos Básicos
Aula 02   Cálculo de limites - Conceitos BásicosAula 02   Cálculo de limites - Conceitos Básicos
Aula 02 Cálculo de limites - Conceitos Básicos
 
Aula 01 limites e continuidade
Aula 01   limites e continuidadeAula 01   limites e continuidade
Aula 01 limites e continuidade
 
Exercícios Resolvidos: Área entre curvas
Exercícios Resolvidos: Área entre curvasExercícios Resolvidos: Área entre curvas
Exercícios Resolvidos: Área entre curvas
 
07 tabela-de-derivadas-e-integrais
07 tabela-de-derivadas-e-integrais07 tabela-de-derivadas-e-integrais
07 tabela-de-derivadas-e-integrais
 
Função de duas variáveis, domínios e imagem
Função de duas variáveis, domínios e imagemFunção de duas variáveis, domínios e imagem
Função de duas variáveis, domínios e imagem
 
Pequeno teorema de fermat
Pequeno teorema de fermatPequeno teorema de fermat
Pequeno teorema de fermat
 
57701066 matematica-discreta-exercicios-resolvidos
57701066 matematica-discreta-exercicios-resolvidos57701066 matematica-discreta-exercicios-resolvidos
57701066 matematica-discreta-exercicios-resolvidos
 
Tabela de identidades trigonometricas
Tabela de identidades trigonometricasTabela de identidades trigonometricas
Tabela de identidades trigonometricas
 
Tabela derivadas-e-integrais
Tabela derivadas-e-integraisTabela derivadas-e-integrais
Tabela derivadas-e-integrais
 
Aula espaço vetorial
Aula espaço vetorialAula espaço vetorial
Aula espaço vetorial
 
Aula 2 - Produtos Notáveis e Fatoração
Aula 2 - Produtos Notáveis e FatoraçãoAula 2 - Produtos Notáveis e Fatoração
Aula 2 - Produtos Notáveis e Fatoração
 

Semelhante a Exercícios Resolvidos: Aplicação da integral

Semelhante a Exercícios Resolvidos: Aplicação da integral (20)

150974942 taxas-relacionadas-exercicios-resolvidos
150974942 taxas-relacionadas-exercicios-resolvidos150974942 taxas-relacionadas-exercicios-resolvidos
150974942 taxas-relacionadas-exercicios-resolvidos
 
Questõesdecinemática3
Questõesdecinemática3Questõesdecinemática3
Questõesdecinemática3
 
Questõesdecinemática3
Questõesdecinemática3Questõesdecinemática3
Questõesdecinemática3
 
Proxima postagem
Proxima postagemProxima postagem
Proxima postagem
 
Cap3 cinematica
Cap3 cinematicaCap3 cinematica
Cap3 cinematica
 
Física fácil(4)
Física fácil(4)Física fácil(4)
Física fácil(4)
 
Física fácil(3)
Física fácil(3)Física fácil(3)
Física fácil(3)
 
Nussenzveig vol1
Nussenzveig vol1Nussenzveig vol1
Nussenzveig vol1
 
Lista fisica1 solucao
Lista fisica1 solucao Lista fisica1 solucao
Lista fisica1 solucao
 
Matemática v
Matemática vMatemática v
Matemática v
 
Mhs
MhsMhs
Mhs
 
Ex
ExEx
Ex
 
Ex
ExEx
Ex
 
CinemáTica Rotacional
CinemáTica RotacionalCinemáTica Rotacional
CinemáTica Rotacional
 
Glauco exercicios resolvidos (1)
Glauco exercicios resolvidos (1)Glauco exercicios resolvidos (1)
Glauco exercicios resolvidos (1)
 
Coment obf nivel2_3fase
Coment obf nivel2_3faseComent obf nivel2_3fase
Coment obf nivel2_3fase
 
F1 aaula 04 - velocidade instantânea.
F1  aaula 04 - velocidade instantânea.F1  aaula 04 - velocidade instantânea.
F1 aaula 04 - velocidade instantânea.
 
Obf2007 3 fase_3serie_teorica_gabarito
Obf2007 3 fase_3serie_teorica_gabaritoObf2007 3 fase_3serie_teorica_gabarito
Obf2007 3 fase_3serie_teorica_gabarito
 
Obf2007 3 fase_3serie_teorica_gabarito
Obf2007 3 fase_3serie_teorica_gabaritoObf2007 3 fase_3serie_teorica_gabarito
Obf2007 3 fase_3serie_teorica_gabarito
 
Obf2007 3 fase_3serie_teorica_gabarito
Obf2007 3 fase_3serie_teorica_gabaritoObf2007 3 fase_3serie_teorica_gabarito
Obf2007 3 fase_3serie_teorica_gabarito
 

Mais de Diego Oliveira

Exercícios Resolvidos: Distribuição Binomial
Exercícios Resolvidos: Distribuição BinomialExercícios Resolvidos: Distribuição Binomial
Exercícios Resolvidos: Distribuição BinomialDiego Oliveira
 
Exercícios Resolvidos: Frequência relativa, absoluta, acumulada
Exercícios Resolvidos: Frequência relativa, absoluta, acumuladaExercícios Resolvidos: Frequência relativa, absoluta, acumulada
Exercícios Resolvidos: Frequência relativa, absoluta, acumuladaDiego Oliveira
 
Exercícios Resolvidos: Média Geométrica
Exercícios Resolvidos: Média GeométricaExercícios Resolvidos: Média Geométrica
Exercícios Resolvidos: Média GeométricaDiego Oliveira
 
Exercícios Resolvidos: Média Aritmetica
Exercícios Resolvidos: Média AritmeticaExercícios Resolvidos: Média Aritmetica
Exercícios Resolvidos: Média AritmeticaDiego Oliveira
 
Exercícios resolvidos: Parte real e imaginária de números complexos
Exercícios resolvidos: Parte real e imaginária de números complexosExercícios resolvidos: Parte real e imaginária de números complexos
Exercícios resolvidos: Parte real e imaginária de números complexosDiego Oliveira
 
Exercícios Resolvidos: Área com integrais
Exercícios Resolvidos: Área com integraisExercícios Resolvidos: Área com integrais
Exercícios Resolvidos: Área com integraisDiego Oliveira
 
Exercícios Resolvidos: Integração por parte
Exercícios Resolvidos: Integração por parteExercícios Resolvidos: Integração por parte
Exercícios Resolvidos: Integração por parteDiego Oliveira
 
Exercícios Resolvidos: Reta secante
Exercícios Resolvidos: Reta secanteExercícios Resolvidos: Reta secante
Exercícios Resolvidos: Reta secanteDiego Oliveira
 
Exercícios Resolvidos: Teorema de Rolle
Exercícios Resolvidos: Teorema de RolleExercícios Resolvidos: Teorema de Rolle
Exercícios Resolvidos: Teorema de RolleDiego Oliveira
 
Exercícios Resolvidos: Reta paralela
Exercícios Resolvidos: Reta paralelaExercícios Resolvidos: Reta paralela
Exercícios Resolvidos: Reta paralelaDiego Oliveira
 
Exercícios Resolvidos: Reta normal
Exercícios Resolvidos: Reta normalExercícios Resolvidos: Reta normal
Exercícios Resolvidos: Reta normalDiego Oliveira
 
Exercícios Resolvidos: Máximo e minimo absoluto
Exercícios Resolvidos: Máximo e minimo absolutoExercícios Resolvidos: Máximo e minimo absoluto
Exercícios Resolvidos: Máximo e minimo absolutoDiego Oliveira
 
Exercícios Resolvidos: Sentido da função
Exercícios Resolvidos: Sentido da funçãoExercícios Resolvidos: Sentido da função
Exercícios Resolvidos: Sentido da funçãoDiego Oliveira
 
Derivada de funções trigonométricas inversas
Derivada de funções trigonométricas inversasDerivada de funções trigonométricas inversas
Derivada de funções trigonométricas inversasDiego Oliveira
 
Derivada lateral com limite
Derivada lateral com limiteDerivada lateral com limite
Derivada lateral com limiteDiego Oliveira
 
Sentido da Concavidade
Sentido da ConcavidadeSentido da Concavidade
Sentido da ConcavidadeDiego Oliveira
 

Mais de Diego Oliveira (17)

Exercícios Resolvidos: Distribuição Binomial
Exercícios Resolvidos: Distribuição BinomialExercícios Resolvidos: Distribuição Binomial
Exercícios Resolvidos: Distribuição Binomial
 
Exercícios Resolvidos: Frequência relativa, absoluta, acumulada
Exercícios Resolvidos: Frequência relativa, absoluta, acumuladaExercícios Resolvidos: Frequência relativa, absoluta, acumulada
Exercícios Resolvidos: Frequência relativa, absoluta, acumulada
 
Exercícios Resolvidos: Média Geométrica
Exercícios Resolvidos: Média GeométricaExercícios Resolvidos: Média Geométrica
Exercícios Resolvidos: Média Geométrica
 
Exercícios Resolvidos: Média Aritmetica
Exercícios Resolvidos: Média AritmeticaExercícios Resolvidos: Média Aritmetica
Exercícios Resolvidos: Média Aritmetica
 
Exercícios resolvidos: Parte real e imaginária de números complexos
Exercícios resolvidos: Parte real e imaginária de números complexosExercícios resolvidos: Parte real e imaginária de números complexos
Exercícios resolvidos: Parte real e imaginária de números complexos
 
Exercícios Resolvidos: Área com integrais
Exercícios Resolvidos: Área com integraisExercícios Resolvidos: Área com integrais
Exercícios Resolvidos: Área com integrais
 
Exercícios Resolvidos: Integração por parte
Exercícios Resolvidos: Integração por parteExercícios Resolvidos: Integração por parte
Exercícios Resolvidos: Integração por parte
 
Exercícios Resolvidos: Reta secante
Exercícios Resolvidos: Reta secanteExercícios Resolvidos: Reta secante
Exercícios Resolvidos: Reta secante
 
Exercícios Resolvidos: Teorema de Rolle
Exercícios Resolvidos: Teorema de RolleExercícios Resolvidos: Teorema de Rolle
Exercícios Resolvidos: Teorema de Rolle
 
Exercícios Resolvidos: Reta paralela
Exercícios Resolvidos: Reta paralelaExercícios Resolvidos: Reta paralela
Exercícios Resolvidos: Reta paralela
 
Exercícios Resolvidos: Reta normal
Exercícios Resolvidos: Reta normalExercícios Resolvidos: Reta normal
Exercícios Resolvidos: Reta normal
 
Exercícios Resolvidos: Máximo e minimo absoluto
Exercícios Resolvidos: Máximo e minimo absolutoExercícios Resolvidos: Máximo e minimo absoluto
Exercícios Resolvidos: Máximo e minimo absoluto
 
Exercícios Resolvidos: Sentido da função
Exercícios Resolvidos: Sentido da funçãoExercícios Resolvidos: Sentido da função
Exercícios Resolvidos: Sentido da função
 
Derivada de funções trigonométricas inversas
Derivada de funções trigonométricas inversasDerivada de funções trigonométricas inversas
Derivada de funções trigonométricas inversas
 
Derivada lateral com limite
Derivada lateral com limiteDerivada lateral com limite
Derivada lateral com limite
 
Sentido da Concavidade
Sentido da ConcavidadeSentido da Concavidade
Sentido da Concavidade
 
Aproximação Linear
Aproximação LinearAproximação Linear
Aproximação Linear
 

Último

Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãodanielagracia9
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaFernanda Ledesma
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxGislaineDuresCruz
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptAlineSilvaPotuk
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfmarialuciadasilva17
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terraBiblioteca UCS
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxkarinasantiago54
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira partecoletivoddois
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 

Último (20)

Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
atividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetizaçãoatividades diversas 1° ano alfabetização
atividades diversas 1° ano alfabetização
 
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão LinguísticaA Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
A Inteligência Artificial na Educação e a Inclusão Linguística
 
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptxAULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
AULA-06---DIZIMA-PERIODICA_9fdc896dbd1d4cce85a9fbd2e670e62f.pptx
 
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.pptTREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
TREINAMENTO - BOAS PRATICAS DE HIGIENE NA COZINHA.ppt
 
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdfTIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
TIPOS DE DISCURSO - TUDO SALA DE AULA.pdf
 
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terraSistema de Bibliotecas UCS  - A descoberta da terra
Sistema de Bibliotecas UCS - A descoberta da terra
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptxFree-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
Free-Netflix-PowerPoint-Template-pptheme-1.pptx
 
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parteDança Contemporânea na arte da dança primeira parte
Dança Contemporânea na arte da dança primeira parte
 
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptxSlides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
Slides Lição 2, Central Gospel, A Volta Do Senhor Jesus , 1Tr24.pptx
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 

Exercícios Resolvidos: Aplicação da integral

  • 1. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA Exercícios Resolvidos: Aplicações da Integral Contato: nibblediego@gmail.com Escrito por Diego Oliveira - Publicado em 06/03/2016 - Atualizado em 24/11/2017 Exemplo 1: Suponha que uma pedra, situada a uma altura s0 do solo, seja aban- donada. Considerando que sua velocidade inicial é nula determine suas equações de movimento Solução: Durante a queda a pedra sofre os efeitos da gravidade, portanto, possui aceler- ação gravitacional. d dt = −g Integrando ambos os membros: d = −g dt ⇒  = −gt + c1 Quando t = 0 sabemos que  = 0, pois a pedra parte do repouso, o que implica na constante ser nula: 0 = −g · 0 + c1 ⇒ c1 = 0 Assim, a equação de velocidade é: (t) = −gt (1) . Integrando (1) chegamos agora a equação do movimento. ds dt = (t) ⇒ ds = (t)dt 1
  • 2. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA ⇒ ds = (t)dt ⇒ ds = −gt dt ⇒ s = − gt2 2 + c2 (2) Quando t = 0 temos s = so o que implica em c2 igual so so = −g · 0 + c2 ⇒ c2 = so Finalmente substituindo o valor de c2 em (2) a equação do movimento será: s(t) = so − gt2 2 Exemplo 2: Uma maleta cai acidentalmente de um balão que está estacionado a uma altitude de 4.900m. Quanto tempo leva para a maleta atingir o solo? Solução Seguindo a lógica do exercício anterior a equação do movimento da maleta será: s(t) = so − gt2 2 Onde so é a altura inicial da mala, que no caso é 4.900m, assim: s(t) = 4.900 − gt2 2 Sendo g ≈ 9.81 e fazendo s(t) = 0 chegamos a solução: s(t) = 0 ⇒ 0 = 4.900 − 9.81 · t2 2 ⇒ t ≈ 31, 6067s 2
  • 3. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA Ou seja, a mala chega ao solo em aproximadamente 31,61 segundos. Exemplo 3: Um menino no topo de um penhasco de 90m de altura, atira uma pedra diretamente para baixo e esta atinge o solo 3.25s depois. Com que velocidade o menino atirou a pedra? Solução: Usando a lógica do primeiro exercício uma das equações de movimento será: (t) = −gt + c Note que quando t = 0 temos (t) = o, sendo assim: (t) = −gt + o Integrando a função para determinar s(t) teríamos: s(t) = (t)dt s(t) = (o − gt)dt s(t) = ot − gt2 2 + c Em t = 0 sabemos que s(t) = 90, assim: s(t) = 90 + ot − gt2 2 Finalmente fazendo s(3.25) e substituindo todos os demais valores chegamos a solução: s(3.25) = 90 + o(3.25) − 9.81 · (3.25)2 2 0 = 90 + o(3.25) − (9.81)(3.25)2 2 3
  • 4. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA o = g(3.25)2 2 − 90 3.25 ⇒ 0 ≈ −11.75 Ou seja, a velocidade inicial é de aproximadamente -11.75 m/s. Onde o sinal de negativo indica o sentido do movimento. Exemplo 4: Um homem, que está no solo, atira uma pedra diretamente para cima. Desprezando a altura do homem, calcule a altura máxima da pedra em ter- mos da velocidade inicial 0. Qual é o menor valor de 0 que torna possível a pedra cair no telhado de uma casa de 44 m de altura? Solução: A equação da velocidade será: (t) = −gt + c No momento inicial (t = 0) a velocidade da pedra é (t) = 0 e assim c = 0. (t) = −gt + 0 No ápice de seu trajeto a velocidade da bola é nula o que significa que nesse momento t = 0 g . Integrando v(t) em relação ao tempo chegamos a expressão: s(t) = −g · t2 2 + 0t + k. Desprezando a altura do homem, no momento inicial (t = 0) temos s(t) = 0 então k também é zero. Sendo assim: s(t) = −g · t2 2 + 0t Onde no momento t = 0 g (maior ponto da trajetória), teremos: s 0 g = −g · 0 g 2 2 + 0 0 g 4
  • 5. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA Sm = − 2 0 2g + 2 0 g Sm = 22 0 2g − 2 0 2g Sm = 22 0 − 2 0 2g = 2 0 2g Esse é o resultado da altura máxima atingida pela pedra em função de 0. Para determinar o menor valor de 0 para que a pedra atinja um telhado de 44 m basta fazer Sm = 44. Sm = 44 2 0 2g = 44 0 = 44 · 2g 0 ≈ 29, 38 Ou seja, aproximadamente 29,38 m/s. Exemplo 5: Na célebre corrida entre a lebre e a tartaruga, a velocidade da lebre é de 30 km/h e a da tartaruga é de 1,5 m/min. A distância a percorrer é de 600 m, e a lebre corre durante 0,5 min antes de parar para uma soneca. Qual é a duração máxima da soneca para que a lebre não perca a corrida? Resolva analiticamente e graficamente. Solução: Os dados que o enunciado nos fornece são os seguintes:  = 30 km/h ou 25 3 m/s(Velocidade da lebre) t = 1,5 m/min (Velocidade da tartaruga)  = 600 m (Distância a ser percorrida) t = 0,5 min (Tempo de soneca) E a estratégia consistirá nos seguintes passos: 5
  • 6. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA 1◦ Calcular o tempo que levaria a lebre se a mesma não dormisse; 2◦ Calcular o tempo que leva a tartaruga para terminar o percusso; 3◦ Com base nas duas respostas acima encontraremos o tempo máximo de todas as sonecas. (Passo um.) Supondo que a velocidade da lebre se mantenha sempre constante então a ve- locidade média da lebre () é igual a velocidade instantânea. Sendo assim:  = d dt ⇒ d =  · dt ⇒ d =  · dt ⇒ (t) =  · t + k (sendo k uma constante) Como o coelho parte da origem então (0) = 0 o que implica em k = 0. Sendo assim,  =  · t ⇒ t =   = 600 25 3 = 72s Ou seja, supondo que a lebre não tire nenhuma soneca ela terminaria o percusso em 72 segundos. (Passo dois.) Analogamente calcula-se o tempo que seria gasto pela tartaruga. t =  t t = 600 m 1, 5 m/mn = 600 m 0.025 m s = 2.4 × 104s 6
  • 7. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA Isto é, a tartaruga levaria 2400s (Passo três.) Para que a lebre não perca a corrida, seu tempo de percurso (que chamaremos de tp) somado com o tempo da soneca (chamado aqui de ts) deve ser menor ou igual ao tempo de percurso da tartaruga (que chamarei apenas de t). Matematicamente: tp + ts ≤ t ⇒ 72s + ts ≤ 2.4 × 104s ⇒ ts ≤ 2.4 × 104s − 72s ⇒ ts ≤ 2.3928 × 104s Ou seja, a soneca deve ter uma duração de no máximo 2.3928 × 104s segundos. Ou de forma mais trivial 6h 38min e 48s. Exemplo 6: Um carro de corridas pode ser acelerado de 0 a 100 km/h em 4 s. Compare a aceleração média com a aceleração da gravidade. Se a aceleração é constante, que distância o carro percorre até atingir 100 km/h? Solução: Esse é um problema que se resume a aplicação direta de fórmulas não sendo necessário nenhuma estratégia apurada. Se a aceleração é constante então a aceleração media m é igual a aceleração instantânea, assim: m = d dt (1) Resolvendo (1) para  chega-se à: (t) = mt + k Como o automóvel partiu do repouso (pois a aceleração vai de 0 a 100 km/h) então (0) = 0, que implica em k = 0, sendo assim: (t) = mt ⇒ m =  t = 100km/h 4s 7
  • 8. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA Como 100km/h = 100 3.6 m/s então m =  t = 100 3.6 · 4 = 125 18 m/s2 Tomando a aceleração gravitacional g igual a 9.81 m/s2 então: m g = 125 18 m/s2 9.81m/s2 m g = 12500 17658 ≈ 0.7079 m ≈ 0.7079 · g Para determinar a distância percorrida pelo veículo nessa aceleração precisamos de uma equação que relacione a “distância percorrida" com a “aceleração" que determinamos e o “tempo" que o enunciado nos dá. Essa equação é a seguinte: d2 dt2 =  Note que a EDO acima embora de 2◦ ordem pode ser resolvida com facilidade integrado  duas vezes em relação a “t". d2 dt2 =  ⇒ d2 = dt2 ⇒ d · d =  · dt dt ⇒ d = (t + k)dt Ocorre que  (0) = 0 (pois 0 = 0) o que implica em k = 0. Sendo assim: d = t · dt Integrando novamente d = t · dt 8
  • 9. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA  =  2 t2 + k Entretanto, sabe-se que (0) = 0 o que implica em  =  2 t2 Substituindo os valores de  e t na equação acima chega-se ao resultado final.  = 125/18 2 · 42 = 55.5 Portanto, a distância percorrida foi de aproximadamente 55.6 m. Obs: Observe que a solução do PVI da EDO de segunda ordem e a equação: (t) = 0(t) + 0t +  2 t2 com as seguintes condições iniciais (0) = 0 e  (0) = 0. Também poderia ter sido usado a equação d dt = , já que determinamos  = t, assim d dt = t · dt forneceria o mesmo resultado. Entretanto, a EDO de 2◦ ordem é normal- mente mais útil. Exemplo 7: Um avião a jato de grande porte precisa atingir a velocidade de 500 km/h para decolar, e tem uma aceleração de 4 m/s2. Quanto tempo ele leva para decolar e que distância percorre na pista até a decolagem? Solução: Para determinar o tempo necessário para a decolagem precisamos de uma equação que relacione as variáveis tempo, aceleração e velocidade (que são os dados forneci- dos). Essa equação é a seguinte.  = d dt Isso é possível, pois sendo a aceleração média constante a mesma se iguala a aceleração instantânea. Resolvendo a EDO 9
  • 10. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA  = d dt ⇒ d =  · dt ⇒ (t) = t + k Admitindo que o avião tenha partido do repouso, isto é, que (0) = 0 então:  = t ⇒ t =   Como 500 km/h = 5 × 103 36 m/s então substituindo os valores ⇒ t = 5 × 103 36 m/s 4 m/s2 = 5 × 103 4 · 36 · m · s2 m · s = 34.72s ⇒ t = 34.72s Ou seja, o tempo que será levado é aproximadamente 34.7 segundos. Já para determinarmos a distância podemos usar a equação:  = d2 dt2 Note que a EDO acima embora de 2◦ ordem pode ser resolvida com facilidade integrado  duas vezes em relação a “t". d2 dt2 =  ⇒ d2 = dt2 ⇒ d · d =  · dt dt ⇒ d = (t + k)dt Ocorre que  (0) = 0 (pois ◦ = 0) o que implica em k = 0. Sendo assim: d = t · dt 10
  • 11. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA Integrando novamente d = t · dt  =  2 t2 + k Entretanto, sabe-se que (0) = 0 o que implica em  =  2 t2 Substituindo os valores de  e t na equação acima chega-se ao resultado final.  = 4 2 · 34.72 = 2408.18 Portanto, a distância percorrida foi de aproximadamente 2408.18 m ou aproxi- madamente 2.41 km. Exemplo 8: O gráfico da figura representa a marcação do velocímetro de um automóvel em função do tempo. Trace os gráficos correspondentes da aceleração e do espaço percorrido pelo automóvel em função do tempo. Qual é a aceleração média do automóvel entre t = 0 e t = 1 min? E entre t = 2 min e t = 3 min? Solução: Expressando o gráfico em questão sob a forma de uma função de várias sen- tenças teremos: (t) =    90t se t ∈ [0, 0.5) 45 se t ∈ [0.5, 2) 225 − 90t se t ∈ [2, 2.5) 0 se t ∈ [2.5, 3) 150t − 450 se t ∈ [3, 3.5) 75 se t ∈ [3.5, 4.5) 750 − 150t se t ∈ [4.5, 5] 11
  • 12. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA Por definição (t) = d dt (t) então a função de várias sentenças que fornecerá o gráfico da aceleração será: (t) =    90 se t ∈ [0, 0.5) 0 se t ∈ [0.5, 2) −90 se t ∈ [2, 2.5) 0 se t ∈ [2.5, 3) 150 se t ∈ [3, 3.5) 0 se t ∈ [3.5, 4.5) −150 se t ∈ [4.5, 5] E como s(t) = (t)dt a função de várias sentenças que fornecerá o gráfico da aceleração será: s(t) =    45t2 se t ∈ [0, 0.5) 45t se t ∈ [0.5, 2) 225t − 45t2 se t ∈ [2, 2.5) 0 se t ∈ [2.5, 3) 75t2 − 450t se t ∈ [3, 3.5) 75t se t ∈ [3.5, 4.5) 750t − 75t2 se t ∈ [4.5, 5] Determinando as acelerações médias. A aceleração média é determinada pela equação m = ƒ − 0 tƒ − t0 . Então com base no gráfico do enunciado no intervalo de 0 a 1 minuto teremos: m[0,1] = 45km/h − 0 1mn ⇒ m[0,1] = 12.5m/s 60s ⇒ m[0,1] = 0.2083m/s2 12
  • 13. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA E no intervalo de 2 a 3 m[2,3] = 0 − 45km/h 60s m[2,3] = −12.5m/s 60s m[2,3] = −0.2083m/s2 Onde o sinal de negativo indica uma desaceleração. Exemplo 9: Uma partícula, inicialmente em repouso na origem, move-se du- rante 10s em linha reta, com aceleração crescente segundo a lei  = b · t, onde t é o tempo e b = 0.5m/s3. Trace os gráficos da velocidade  e da posição  da partícula em função do tempo. Qual é a expressão analítica de (t)? Solução: Matematicamente a aceleração instantânea é definida como: (t) = d dt (t) ⇒ (t) = (t)dt ⇒ (t) = bt dt ⇒ (t) = 1 2 t dt ⇒ (t) = 1 4 t2 + c Como a partícula está inicialmente em repouso então (0) = 0 o que implica em c = 0. Sendo assim a expressão analítica de da velocidade é (t) = 1 4 t2. Exemplo 10: O tempo médio de reação de um motorista (tempo que decorre entre perceber um perigo súbito e aplicar os freios) é da ordem de 0,7 s. Um carro com bons freios, numa estrada seca pode ser freado a 6 m/s2. Calcule a distância mínima que um carro percorre depois que o motorista avista o perigo, quando ele 13
  • 14. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA trafega a 30 km/h, a 60 km/h e a 90 km/h. Estime a quantos comprimento do carro corresponde cada uma das distâncias encontradas. Solução: A estratégia será a seguinte: 1. Calculamos a distância percorrida durante o tempo de reação; 2. Calculamos a distância percorrida após o tempo de reação. 3. O resultado será a soma das duas distâncias encontradas. (Passo um.) Como o carro está com velocidade constante podemos determinar a distância percorrida, durante o tempo de reação do motorista, pela equação: d dt =  Cuja solução para  é:  = t + c Admitindo que o carro tenha partido da origem então  = 0 para t = 0 o que implica em c também igual a zero. Ou seja:  = t  = 30km/h · 0.7s como 30 km/h = 3 × 102 36 m/s então:  = 3 × 102 36 · 0.7 · m s · s ⇒  = 105 18 m (Passo dois). Para determinar a distância percorrida após o tempo de reação usaremos a equação de Torricelli. Lembre-se que como o carro está sendo freado então  = 0 e a aceleração será negativa. 14
  • 15. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA 2 = 2 ◦ + 2d (Equação de Torricelli) ⇒ 0 = 3 × 102 36 m s 2 + 2 −6 m s2 d ⇒ (12 m s2 )d = 3 × 102 36 m s 2 ⇒ d = 9 × 104 12 · 362 m2 · s2 m · s2 = 625 108 m (Passo três). Finalmente realizamos a soma de  com d e determinamos o valor total do deslo- camento. 105 18 m + 625 108 m = 11295 972 m ≈ 11.62m Analogamente se calcula para as velocidades de 60 km/h e 90 km/h, obtendo respectivamente os valores de 34.8 m e 69.6 m. Exemplo 11: Numa rodovia de mão dupla, um carro encontra-se 15 m atrás de um caminhão (distância entre pontos médios), ambos trafegando a 80 km/h. O carro tem uma aceleração máxima de 3 m/s2. O motorista deseja ultrapassar o caminhão e voltar para sua mão 15 m adiante do caminhão. No momento em que começa a ultrapassagem, avista um carro que vem vindo em sentido oposto, também a 80 km/h. A que distância mínima precisa estar do outro carro para que a ultrapassagem seja segura? Solução: A estratégia será a seguinte: 1◦ Determinamos uma expressão (em função do tempo) para o cálculo da distância percorrida pelo caminhão; 2◦ Calculamos o tempo levado pelo carro para realizar a ultrapassagem de- scrita; 3◦ Determinamos a distância percorrida pelo caminhão e pelo carro. 4◦ Determinamos a distância percorrida pelo segundo carro e a somamos com a distância obtida no passo anterior para obtermos a resposta. 15
  • 16. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA (Passo um). Estando o caminhão sob velocidade constante então sua velocidade média (m) é igual a velocidade instantânea, ou seja:  = d dt Cuja solução para  seria: (t) = t + k Supondo que o caminhão parta da origem em t = 0 então (0) = 0 o que implica em k = 0. Sendo assim:  = 80 3.6 t (1) Note que 80 km/h = 80 3.6 m/s (Passo dois). Levando em conta que a aceleração do carro se mantém constante, então:  = d2 dt2 ⇒  = k2 + k1t + 1 2 t2 Supondo que o carro parta da origem, então: (0) = 0 o que implica em k2 = 0. Logo  = k1t + 1 2 t2 Como  (0) = 80 km/h ou 80 3.6 m/s então k1 = 80 3.6 . Portanto  = 80km/h 3.6 t + 1 2 (3m/s2) · t2 Como o deslocamento do carro, representado na equação acima por “" é igual ao deslocamento do ônibus (veja equação (1)) mais 30 metros (15 m antes do cam- inhão mais 15 m depois) então: 30m + 80 3.6 t = 80km/h 3.6 t + 1 2 (3m/s2) · t2 ⇒ t = 20 16
  • 17. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA (Passo três). Substituindo agora t em (1) descobrimos que a distância percorrida pelo camin- hão é de 400 5 9 m ≈ 99, 38m. E a distância percorrido pelo carro é de 99,38 m + 30 m = 129,3 8m. (Passo quatro). O outro carro, por sua vez, também estando a 80 km/h (e com velocidade con- stante) percorreria também 99,38 m. Com base nos dados anteriores a distância mínima entre o ônibus e o carro antes da ultrapassagem é 129,38 m + 99,38 m = 228,76 m. 17
  • 18. Exercícios Resolvidos Diego Oliveira - Vitória da Conquista/BA Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial- CompartilhaIgual 4.0 Internacional. Esse documento está sujeito a constante atualização ou mesmo correções, por isso, certifique se que o que você têm em mãos é de fato a última versão do mesmo. Para saber, bem como ter acesso a vários outros exercícios resolvidos de matemática, acesse: www.number890.wordpress.com Para aulas particulares, digitação de texto em LATEXe resolução de listas de exer- cícios entre em contato. nbbedego@gm.com .ƒcebook.com/theNmberType .nmber890.ordpress.com 18