Desenvolvimento android

2.563 visualizações

Publicada em

Apresentação sobre desenvolvimento Android realizada por Diego Keller em Caxias do Sul - RS em evento promovido pela Flexxo.

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
2 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.563
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
117
Comentários
0
Gostaram
2
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Desenvolvimento android

  1. 1. Diego Kellerkeller.diego@gmail.com@diegokeller
  2. 2.  Primeiros conceitos Desafios Ambiente de desenvolvimento Números sobre o Android Buscando Informação Android Ice Cream Sandwich
  3. 3.  Android é uma pilha!!!
  4. 4.  “Pilha de softwares para dispositivos móveis que inclui um sistema operacional, middleware e aplicações chave.” O Android SDK provê as ferramentas e API’s necessárias para o desenvolvimento de aplicações para a plataforma Android usando a linguagem de programação Java.
  5. 5. Dalvik VM Java VMMáquina virtual Java simplificada e otimizada para execução de aplicações em dispositivos com menor poder de processamento e memória.
  6. 6.  Não é compatível com a especificação da JVM:  Não pode rodar aplicativos Java SE nem ME Executa arquivos no formato próprio .DEX É Open Source: Apache License 2.0
  7. 7.  Cada aplicação é executada em uma instância da VM Dalvik.  Aplicações não compartilham dados (memória) nem código. A sistema Android foi adaptado para poder gerenciar diversas instância da VM simultaneamente.
  8. 8.  Existe uma API para cada versão do Android  Novas versões são compatíveis com as anteriores.Fonte: http://developer.android.com/guide/appendix/api-levels.html
  9. 9.  Ao criar sua aplicação, procure compilar usando a menor versão da API possível. Novas versões irão rodar sua aplicação sem problemas. Mas é importante que você teste a aplicação no maior número de versões possível. E usando a menor versão possível, você aumenta o número de dispositivos que podem executar sua aplicação.
  10. 10.  Aplicações Android são empacotadas no formato .APK. O Android é um sistema Linux multiusuário, onde cada aplicação tem o seu usuário.  Permissões são definidas em todos os arquivos da aplicação, de modo que apenas o usuário da própria aplicação tenha acesso. Cada aplicação roda em um processo, que é uma instância da Dalvik.
  11. 11.  Performance  Menos memória e processador, velocidade de conexão. Usabilidade  Telas menores Diversidade  de dispositivos Compatibilidade  Diferentes versões da API do Android.
  12. 12.  Escolha as estruturas de dados corretas dependendo do seu problema.
  13. 13.  Assegure-se de utilizar algoritmos eficientes e de rápida execução.
  14. 14.  Escolher as estruturas de dados corretas e os algoritmos mais eficientes são a melhor forma de otimizar o seu programa.
  15. 15.  Prefira os tipos primitivos int aos objetos Integer. Prefira dois arrays de objetos ao invés de um único array de um objeto novo.  Pessoa[] destinatarios  String[] nomes  String[] emails Evite criar objetos que você não precisa, ou objetos de vida curta. Quanto menos objetos você criar, melhor.
  16. 16.  Não use getters e setter para acesso a campos dentro da própria classe. Acesse-os diretamente.  Em comparação ao acesso por getter, o acesso direto é 3 x mais rápido em VM’s sem o JIT e 7 x mais rápido em VM’s com JIT. Sempre que possível use constantes  static final int intVal = 42; static final String strVal = "Hello, world!";
  17. 17.  Use a seguinte sintaxe do forfor (Foo a : mArray) { // Código}
  18. 18.  Threads Estruturas de Dados  API de coleções Webservices
  19. 19.  ANR - Application Not Responding
  20. 20.  Tamanho da tela (em polegadas) Densidade da tela (resolução), medida em pixels por polegada.
  21. 21.  JDK  JAVA_HOME nas variáveis de ambiente  Adicionar a pasta JAVA_HOME/bin no PATH Eclipse Android SDK  Apenas descompactar em um diretório Plugin ADT para Eclipse  Configurar o caminho do Android SDK (pasta extraída anteriormente)
  22. 22.  Eclipse  Editor visual no estilo arrastar e soltar para construção das telas.  Execução em modo debug  Editor visual para o arquivo Manifest  Compilação, empacotamento e assinatura de sua aplicação em um arquivo .APK
  23. 23.  Emulador
  24. 24.  Android SDK and AVD Manager
  25. 25.  Contém uma séria de informações sobre sua aplicação. Nele são feitas definições como:  Permissões que sua aplicação precisa (acesso a internet, a lista de contatos, etc)  Hardware e software necessários (câmera, bluetooth, etc)  Versão mínima do Android necessária para rodar a aplicação  Outras bibliotecas que não as nativas da plataforma.  Versão de sua aplicação
  26. 26.  O Android Market irá ler todas as informações do arquivo Manifest de modo a apresentar para o usuário apenas as aplicações que o seu dispositivo pode suportar.
  27. 27.  Inscrição:  https://market.android.com/publish/signup Taxa de US$25,00 com cartão de crédito via Google Checkout. Taxa de 30% do valor de cada cópia vendida do Android Market  Esse dinheiro vai para as entidades de pagamento e outros, não fica para o Google.
  28. 28.  A plataforma fornece uma ferramenta para aplicar licenciamento em aplicações. Disponível apenas para aplicações pagas. Não tem custo nenhum. Exige API nível 3 no mínimo.
  29. 29.  A partir da versão 8 da API, você pode escolher que sua aplicação seja instalada no SD Card ao invés da memória interna. É uma decisão que o desenvolvedor deve fazer. Para permitir isso, defina o parâmetro “android:installLocation” no seu arquivo de manifesto. A qualquer momento o usuário pode mover a aplicação para o SD Card ou para a memória interna.
  30. 30.  O arquivo .APK fica no SD Card, mas todos os dados do usuário, bancos de dados e arquivos .DEX otimizados ficam dentro da memória interna. Ao ser instalada no SD Card a aplicação é criptografada usando uma chave aleatória. Apenas o dispositivo aonde a aplicação foi instalada pode descriptografar e acessar a aplicação.
  31. 31.  Quando o cartão de memória for desmontado, ou o dispositivo conectado ao PC para armazenamento de arquivos, todas as aplicações instaladas no SD Card são automaticamente finalizadas.
  32. 32. Fonte: http://www.businessinsider.com/chart-of-the-day-android-activations-2011-10
  33. 33. Fonte: http://blog.nielsen.com/nielsenwire/?p=27418
  34. 34. Março de 2011Fonte: http://blog.nielsen.com/nielsenwire/?p=27418
  35. 35. Agosto de 2011Fonte: http://goo.gl/k4nm0
  36. 36. Fonte: http://blog.nielsen.com/nielsenwire/?p=27418
  37. 37. Dispositivos que acessaram o Android Market num período de 14 dias terminando em 3de Outubro de 2011.Fonte: http://developer.android.com/resources/dashboard/platform-versions.html
  38. 38. Dispositivos que acessaram o Android Market num período de 7 dias terminando em 3de Outubro de 2011.Fonte: http://developer.android.com/resources/dashboard/screens.html
  39. 39.  O melhor local para buscar informações é a página do desenvolvedor: http://developer.android.com/index.html
  40. 40.  Lá você entra:  SDK’s  Documentação  Referência da API  Download de exemplos
  41. 41.  Lançado dia 19/10/2011 Unificação do Android para tablets e smartphones. Aparelhos lançados em 2011 com Android 2.3 de fábrica serão atualizados para o ICS.
  42. 42.  Unificação do Android para tablets e smartphones.

×