CHERAX QUADRICARINATUS
Andréia Cristina
http://es.wikipedia.org/wiki/Cherax_quadricarinatus
 É uma espécie tropical nativa para os rios do noroeste de
Queensland e Território do Norte da Austrália;
 Década de 198...
Principais países produtores no mundo de cherax
quadricarinatus. (FAO Fishery Statistics,2008)
Habitat
 Alta turbidez;
 córregos lentos ou (billabongs) que caracterizam os rios da
Austrália.
 Reproduz com facilidade, sem estágio de desenvolvimento
larval,
Tolera altas densidades de estocagem;
 Requer dieta bai...
 Sobrevive bem fora da água para o transporte para o mercado;
 Tolerante a variações na qualidade da água:
 oxigênio di...
 Tolera água salina até 5 ‰ por tempo indeterminado e até
15‰ por vários dias;
 Isso proporciona amplo potencial geográf...
 Temperatura de 23 º C a 31 º C e fatal em <10 º C e> 36 º C;
 Reprodução acima de 23 º C, Cherax fêmea choca seus ovos
...
Biologia Reprodutiva
 Gonocóricos;
 Pode ocorrer hermafroditismo na natureza;
 300 a 800 ovos por ninhada
 De três a cinco ninhadas durante a época de reprodução;
 As crias assemelham a forma adulta e permanecem ligado ao
lado...
Fêmea 1-2 semanas após a eclosão dos ovos, FAOOvos de cherax
Ciclo de Produção
Ciclo de produção cherax quadricarinatus, FAO
 Fêmeas em desova e reprodutores maduros são coletados em
lagoas e estocados em tanques de juvenis;
 Proporção de 4:1fêm...
Lagoa berçário, FAO Abrigos utilizados em tanques de engorda, FAO
Michael & Alan Champman, Mataranka Red Claw
Farm
http://www.cheraxpark.com.au/products.html
 São vendidos vivos e congelados
 São comumente comercializado em 20 classes de tamanho
variando 30-50 g (aproximadament...
Produção aquícola global de Cherax quadricarinatus
(FAO Fishery estatística)
Efeitos da ablação da glândula androgênica no crescimento e
parâmetros reprodutivos de Cherax quadricarinatus
machos (Para...
Introdução
 Em crustáceos machos as funções gametogênicas e
endócrinas são separados em dois diferentes orgãos:
 Testícu...
 A glândula androgênica, apenas presente no grupo
Malacostraca (Fingerman, 1987);
 Controla a diferenciação sexual dos m...
 O possível efeito da AG em relação ao crescimento foi
estudada em M. rosenbergii e C. quadricarinatus, cujos
machos cres...
 Não está claro se o efeito é:
 Direto: através de um andrógeno (ainda não descoberto nestas
espécies;
 Indiretos: atra...
Objetivo
 Tentativa de obter uma visão mais aprofundada do papel do
AG em alguns aspectos da biologia reprodutiva de mach...
 Os juvenis utilizados foram obtidos a partir de reprodutores
fornecidos pela Fazenda Las Golondrinas, Entre Ríos, na
Arg...
 Juvenis pesando em media 1.85 ± 0.03 g;
 Sepados em dois grupos:
 Androgênicos: Foram removidos os pares do quinto
per...
 Animais foram mantidos em aquários de 60x40x30cm com 20L
de água desclorada e aeração contínua;
 Tubos de PVC e foram u...
 As condições de fotoperíodo (14:10 L:D) e temperatura a 27 ±
1°C;
 Os juvenis foram alimentados ad libitium com Tetradi...
 O período experimental foi de 300 dias durante o qual os
animais foram sexados de acordo :
 Com a posição dos gonopodio...
Ao final do experimento
 Todos os animais foram pesados;
 Comprimento do cefalotórax (CL);
 Relações morfométricas fora...
 O tamanho do endopodito e exopodito do primeiro e segundo
pleópodes, juntamente com a morfologia das cerdas dos
pleópode...
 A carapaça e o sistema reprodutivo de cada animal foi
removido e inspecionados para determinar seu tamanho
relativo, for...
Resultados
 Em todos os machos do controle, o quinto par pereiópodos
regenerou completamente no dia 100;
Ausência do quinto par de pereiopodos e apêndices masculinos
C) as setas indicam a regeneração do quinto pereiópodo
esquerda sem re-formação do gonópodio, e a ausência
do quinto perei...
Ausência canal deferente da esquerda;
Porção distal alargada no canal deferente direito
Estrutura normal do sistema reprod...
Vista geral do vaso diferente distal de um macho AGA , mostrando um epitélio com alguns
vacúolos de secreção '' anormais ''
 Ambos os grupos experimentais apresentaram machos com
sistemas reprodutivos bem desenvolvido;
 Do ponto de vista anatôm...
Discussão
 Quando se estudam os efeitos de AG ablação na morfologia e
histologia de indivíduos hermafroditas que eram mac...
 O presente estudo é diferente porque a ablação AG foi
realizada em machos de C. quadricarinatus , que não têm
qualquer c...
 Porém ablação em estágios de desenvolvimento precoce
causaram completa reversão em machos de M. rosenbergii;
 Isto suge...
 Pode ser responsável pelo desenvolvimento e ou manutenção
de certas características sexuais secundárias;
 Em C. quadric...
 A manipulação da AG em crustáceos decápodes é uma forma
interessante de produzir maiores rendimentos e lucros ,
especial...
Referências
 http://es.wikipedia.org/wiki/Cherax_quadricarinatus
 http://www.fao.org/fishery/culturedspecies/Cherax_quad...
Cherax quadricarinarus
Cherax quadricarinarus
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Cherax quadricarinarus

309 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
309
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Cherax quadricarinarus

  1. 1. CHERAX QUADRICARINATUS Andréia Cristina
  2. 2. http://es.wikipedia.org/wiki/Cherax_quadricarinatus
  3. 3.  É uma espécie tropical nativa para os rios do noroeste de Queensland e Território do Norte da Austrália;  Década de 1980 foi testado para a aquicultura;  Sua indústria desenvolveu-se rapidamente e se espalhou por todo o norte da Austrália, e logo depois para o exterior.
  4. 4. Principais países produtores no mundo de cherax quadricarinatus. (FAO Fishery Statistics,2008)
  5. 5. Habitat  Alta turbidez;  córregos lentos ou (billabongs) que caracterizam os rios da Austrália.
  6. 6.  Reproduz com facilidade, sem estágio de desenvolvimento larval, Tolera altas densidades de estocagem;  Requer dieta baixa proteína, não dependente de farinha de peixe;  Posição no mercado como crustáceo de alto valor;  Atinge o tamanho comercial em nove meses.
  7. 7.  Sobrevive bem fora da água para o transporte para o mercado;  Tolerante a variações na qualidade da água:  oxigênio dissolvido baixo, largas mudanças de pH diárias, baixa alcalinidade, variações de temperaturas, altas cargas de nutrientes.
  8. 8.  Tolera água salina até 5 ‰ por tempo indeterminado e até 15‰ por vários dias;  Isso proporciona amplo potencial geográfico;  Não agressivo - o canibalismo não considerado como um problema.
  9. 9.  Temperatura de 23 º C a 31 º C e fatal em <10 º C e> 36 º C;  Reprodução acima de 23 º C, Cherax fêmea choca seus ovos por 6-10 semanas, dependendo da temperatura.
  10. 10. Biologia Reprodutiva  Gonocóricos;  Pode ocorrer hermafroditismo na natureza;  300 a 800 ovos por ninhada
  11. 11.  De três a cinco ninhadas durante a época de reprodução;  As crias assemelham a forma adulta e permanecem ligado ao lado inferior da fêmea durante várias semanas antes de se tornar, progressivamente independente.
  12. 12. Fêmea 1-2 semanas após a eclosão dos ovos, FAOOvos de cherax
  13. 13. Ciclo de Produção Ciclo de produção cherax quadricarinatus, FAO
  14. 14.  Fêmeas em desova e reprodutores maduros são coletados em lagoas e estocados em tanques de juvenis;  Proporção de 4:1fêmeas e machos, e uma densidade de 1500/ha ;  Criação e produção ocorre naturalmente no verão, temperatura acima de 25°c.
  15. 15. Lagoa berçário, FAO Abrigos utilizados em tanques de engorda, FAO
  16. 16. Michael & Alan Champman, Mataranka Red Claw Farm http://www.cheraxpark.com.au/products.html
  17. 17.  São vendidos vivos e congelados  São comumente comercializado em 20 classes de tamanho variando 30-50 g (aproximadamente EUA $ 9.50/kg) para> 120 g (aproximadamente EUA $ 18.00/kg). http://www.cheraxpark.com.au/products.html
  18. 18. Produção aquícola global de Cherax quadricarinatus (FAO Fishery estatística)
  19. 19. Efeitos da ablação da glândula androgênica no crescimento e parâmetros reprodutivos de Cherax quadricarinatus machos (Parastacidae, Decapoda)
  20. 20. Introdução  Em crustáceos machos as funções gametogênicas e endócrinas são separados em dois diferentes orgãos:  Testículo e na glândula androgênica;  Portanto a remoção da G.A não danifica as gônadas.
  21. 21.  A glândula androgênica, apenas presente no grupo Malacostraca (Fingerman, 1987);  Controla a diferenciação sexual dos machos, determinando o aparecimento dos testículos;  Contrastando com a auto-diferenciação do ovário na ausência da hormônio androgênico (Adiyodi e Adiyodi, 1970)
  22. 22.  O possível efeito da AG em relação ao crescimento foi estudada em M. rosenbergii e C. quadricarinatus, cujos machos crescem mais rapidamente e atingem um tamanho maior do que as fêmeas;  Em ambas as espécies, o crescimento somático foi reduzida pela ablação e aumentou com implantação dessa glândula;
  23. 23.  Não está claro se o efeito é:  Direto: através de um andrógeno (ainda não descoberto nestas espécies;  Indiretos: através da inibição do investimento energético de fêmeas em reprodução, ou uma combinação de ambas.
  24. 24. Objetivo  Tentativa de obter uma visão mais aprofundada do papel do AG em alguns aspectos da biologia reprodutiva de machos C. quadricarinatus;  Este estudo fornece uma avaliação a longo prazo (300 dias) do efeito da ablação em numa fase inicial de desenvolvimento do crescimento, a estrutura do sistema reprodutivo e no desenvolvimento dos caracteres sexuais secundários de machos desta espécie.
  25. 25.  Os juvenis utilizados foram obtidos a partir de reprodutores fornecidos pela Fazenda Las Golondrinas, Entre Ríos, na Argentina;  Quando em fase III, foram separados de suas mães, com aproximadamente 0,200 g, machos juvenis foram identificados por observação de aberturas genitais na base do quinto par de pereiópodos.
  26. 26.  Juvenis pesando em media 1.85 ± 0.03 g;  Sepados em dois grupos:  Androgênicos: Foram removidos os pares do quinto pereiópodo e a glândula androgênica;  Controle: Removido os par do quinto pereiópodo.
  27. 27.  Animais foram mantidos em aquários de 60x40x30cm com 20L de água desclorada e aeração contínua;  Tubos de PVC e foram usados como abrigo;  Três réplicas para cada grupo experimental ,com total de seis aquários e 4/5 animais por aquário.
  28. 28.  As condições de fotoperíodo (14:10 L:D) e temperatura a 27 ± 1°C;  Os juvenis foram alimentados ad libitium com Tetradiskus® granulados e Elodea sp.
  29. 29.  O período experimental foi de 300 dias durante o qual os animais foram sexados de acordo :  Com a posição dos gonopodios.  Regeneração dos pereiopods removidos;  Re-formação de gonopodios masculinos e apêndices masculinos;  Desenvolvimento de gonopodios femininos, e a diferenciação da mancha vermelha foram também registrados. www.aquagreen.com.au
  30. 30. Ao final do experimento  Todos os animais foram pesados;  Comprimento do cefalotórax (CL);  Relações morfométricas foram medidas;
  31. 31.  O tamanho do endopodito e exopodito do primeiro e segundo pleópodes, juntamente com a morfologia das cerdas dos pleópodes;  Machos cerdas plumosas ;  Fêmeas maduras (ovígeras) cerdas simples são desenvolvidos no endopodito, que é maior do que o exopodito.
  32. 32.  A carapaça e o sistema reprodutivo de cada animal foi removido e inspecionados para determinar seu tamanho relativo, forma e cor;  Análisado em microscópio ótico:  A estrutura dos testículos e do epitélio VD;  Quantidade relativa de secreção e da composição das camadas 1° e 2 ° do espermatóforo.
  33. 33. Resultados
  34. 34.  Em todos os machos do controle, o quinto par pereiópodos regenerou completamente no dia 100;
  35. 35. Ausência do quinto par de pereiopodos e apêndices masculinos
  36. 36. C) as setas indicam a regeneração do quinto pereiópodo esquerda sem re-formação do gonópodio, e a ausência do quinto pereiopodo direito; (D) as setas indicam uma regeneração anormal do quinto pereiópodo esquerdo e uma quarta coxa direita hipertrofiado, com uma abertura posterior. AM: apêndices masculinos
  37. 37. Ausência canal deferente da esquerda; Porção distal alargada no canal deferente direito Estrutura normal do sistema reprodutor masculino.
  38. 38. Vista geral do vaso diferente distal de um macho AGA , mostrando um epitélio com alguns vacúolos de secreção '' anormais ''
  39. 39.  Ambos os grupos experimentais apresentaram machos com sistemas reprodutivos bem desenvolvido;  Do ponto de vista anatômico, o tamanho relativo dos testículos qualitativamente não diferiram entre os tratamentos;  A análise histológica dos testículos revelou uma estrutura normal dos lobos testiculares em ambos os grupos experimentais.
  40. 40. Discussão  Quando se estudam os efeitos de AG ablação na morfologia e histologia de indivíduos hermafroditas que eram machos funcionais;  Em ambos os estudos, a ablação causou um aumento do diâmetro de oócitos e ativação da vitelogênese;  Sugere que a ausência do AG remove a inibição do desenvolvimento e amadurecimento do sistema reprodutor feminino.
  41. 41.  O presente estudo é diferente porque a ablação AG foi realizada em machos de C. quadricarinatus , que não têm qualquer componente fêmea;  Nenhum desenvolvimento ovariano foi observada em machos androgênicos;  Quando já tiver ocorrido diferenciação do macho não ocorre deslocamento para sexo feminino.
  42. 42.  Porém ablação em estágios de desenvolvimento precoce causaram completa reversão em machos de M. rosenbergii;  Isto sugere que o AG é crucial para o desenvolvimento de caracteres sexuais primários, numa fase inicial de desenvolvimento;  As alterações histológicas observadas nos machos AGA pode indicar que a glândula também desempenha um papel na manutenção da estrutura do sistema reprodutor ao longo da vida do animal.
  43. 43.  Pode ser responsável pelo desenvolvimento e ou manutenção de certas características sexuais secundárias;  Em C. quadricarinatus , acredita-se que AG influencia a mancha vermelha , localizado no lado externo do quelípodo;  A implantação de AG em fêmeas jovens desta espécie induziu o desenvolvimento sexual secundário com caracteristicas semelhantes aquelas nos machos normais do mesmo tamanho.
  44. 44.  A manipulação da AG em crustáceos decápodes é uma forma interessante de produzir maiores rendimentos e lucros , especialmente para espécies com crescimento diferencial entre os sexos;  Este procedimento parece inviável sob as condições do presente estudo , a reversão sexual de C. quadricarinatus falhou;  Machos em um estágio de desenvolvimento muito precoce seria necessário para alcançar o resultado desejado.
  45. 45. Referências  http://es.wikipedia.org/wiki/Cherax_quadricarinatus  http://www.fao.org/fishery/culturedspecies/Cherax_quadricarinatus/e  http://www.cheraxpark.com.au/products.html

×