Alunos: Lorrane
Laryssa
Andressa
Suiane
Patricia
joel
O QUE É A BULIMIA?
 Bulimia nervosa é uma disfunção alimentar. Tem
incidência maior a partir da adolescência, em cerca de...
O QUE É A BULIMIA?
 O bulímico geralmente encontra-se com peso normal,
levemente aumentado ou diminuído (mas não chegando...
CAUSAS
 Assim como na anorexia, a bulimia nervosa é uma
síndrome multi-determinada por uma mistura de fatores
biológicos,...
SINAIS DE BULIMIA
 Esconder a comida reservada para episódios de
voracidade (incluindo pão, massa, doces, sobremesas,
bat...
O QUE SE SENTE?
 Ingestão compulsiva e exagerada de alimentos.
 Vómitos auto induzidos, uso de laxantes e diuréticos par...
COMPLICAÇÕES
 Problemas dentários pelo excesso de acidez gástrica e
sensibilidade excessiva ao frio e quente;
 Inchaço e...
COMO É O BULÍMICO?
 Basicamente é um paciente com vergonha do seu
problema, com sentimento de inferioridade e auto-estima...
COMO É O BULÍMICO?
Os pacientes bulimicos fazem frequentes tentativas de
dieta. As tentativas de adaptar os afazeres e
com...
TRATAMENTOS
 Não existe uma cura única e reconhecida para a bulimia
mas há uma variedade de opções de tratamento. Cada
do...
CURIOSIDADES
 Cientistas espanhóis descobriram uma variante genética
que aumenta a predisposição para a anorexia e a buli...
Bulimia
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Bulimia

487 visualizações

Publicada em

Bulimia: transtorno alimentar

Publicada em: Ciências
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
487
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Bulimia

  1. 1. Alunos: Lorrane Laryssa Andressa Suiane Patricia joel
  2. 2. O QUE É A BULIMIA?  Bulimia nervosa é uma disfunção alimentar. Tem incidência maior a partir da adolescência, em cerca de 3 a 7% da população. Cerca de 90% dos casos ocorre em mulheres.  Para "compensar" o ganho de peso, o bulímico vomita o que come e faz uso excessivo de laxantes e diuréticos. A bulimia costuma causar sofrimento psíquico e afeta áreas diversas do sujeito. Ele sente-se afetado nas suas relações sociais - uma vez que festas e confraternizações envolvem alimentação. O paciente perde o controlo sobre si mesmo e depois tenta vomitar ou evacuar o que comeu.
  3. 3. O QUE É A BULIMIA?  O bulímico geralmente encontra-se com peso normal, levemente aumentado ou diminuído (mas não chegando à magreza da anorexia). Essa aparência de normalidade muitas vezes dificulta que se identifique o problema, o que muitas vezes leva a uma demora em se procurar ajuda.  Pacientes bulímicos costumam envergonhar-se dos seus problemas alimentares.
  4. 4. CAUSAS  Assim como na anorexia, a bulimia nervosa é uma síndrome multi-determinada por uma mistura de fatores biológicos, psicológicos, familiares e culturais. A ênfase cultural na aparência física pode ter um papel importante. Problemas familiares, baixa auto-estima e conflitos de identidade também são fatores envolvidos no desencadeamento desses quadros.
  5. 5. SINAIS DE BULIMIA  Esconder a comida reservada para episódios de voracidade (incluindo pão, massa, doces, sobremesas, batatas fritas e gelados);  Mentir sobre o que comeram;  Comer compulsivamente em segredo;  Deixar a água da torneira ou do duche a correr na casa de banho para disfarçar os episódios de purgação;  Demonstrar uma preocupação profunda em relação ao peso, forma do corpo e aspecto em geral;  Queixas frequentes em relação a dores de garganta (causadas pelos repetidos vómitos);
  6. 6. O QUE SE SENTE?  Ingestão compulsiva e exagerada de alimentos.  Vómitos auto induzidos, uso de laxantes e diuréticos para evitar ganhos de peso.  Alimentação excessiva, sem aumento proporcional do peso corporal.  Depressão.  Obsessão por exercícios físicos.  Comer em segredo ou escondido dos  outros.
  7. 7. COMPLICAÇÕES  Problemas dentários pelo excesso de acidez gástrica e sensibilidade excessiva ao frio e quente;  Inchaço e dor nas glândulas salivares (por indução ao vomito);  Hérnias de estômago e esófago;  Desequilíbrio na excreção;  Arritmia cardíaca, podendo chegar a ataque cardíaco em casos mais severos;  Aumento da probabilidade de suicídio;
  8. 8. COMO É O BULÍMICO?  Basicamente é um paciente com vergonha do seu problema, com sentimento de inferioridade e auto-estima baixa. O bulímico reconhece o absurdo do seu comportamento, mas por não conseguir controlá-lo sente-se inferiorizado. A bulimia muitas vezes sucede aos episódios de anorexia. O paciente consegue planear os seus episódios, espera para ficar sozinho e guardar alimentos.
  9. 9. COMO É O BULÍMICO? Os pacientes bulimicos fazem frequentes tentativas de dieta. As tentativas de adaptar os afazeres e compromissos rotineiros com os episódios de ingestão e auto-indução de vómito tornam seu estilo de vida bizarro, pois os episódios devem ser feitos às escondidas, mesmo das pessoas íntimas. Uma alternativa para a manutenção de seu problema escondido é a opção pelo isolamento e distanciamento social, que por sua vez gera outros problemas.
  10. 10. TRATAMENTOS  Não existe uma cura única e reconhecida para a bulimia mas há uma variedade de opções de tratamento. Cada doente trabalha com profissionais de saúde mental para conceber uma fusão de tratamentos que se adeqúem a todos os seus comportamentos e preocupações. Os tratamentos comuns para a bulimia incluem:  Aconselhamento/ terapia;  Terapia cognitivo-comportamental (para alterar os hábitos alimentares);  Aconselhamento e planeamento nutricional.  Raramente é utilizada medicação como tratamento para a bulimia.
  11. 11. CURIOSIDADES  Cientistas espanhóis descobriram uma variante genética que aumenta a predisposição para a anorexia e a bulimia.  Os investigadores descobriram que existe uma variante de um gene, que participa na interacção dos neurónios, que se associa à anorexia e bulimia aumentando a predisposição ao seu desenvolvimento.  Por isso estes distúrbios alimentares têm também uma componente hereditária. Mas há que ter em conta também outros factores como “o metabolismo, a personalidade o stress, a adaptação ao ambiente e a cultura”.

×