Espaço confinado NR-33

684 visualizações

Publicada em

Trabalho em espaço ou local confinado.

Publicada em: Saúde e medicina
0 comentários
3 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
684
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
11
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
19
Comentários
0
Gostaram
3
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Espaço confinado NR-33

  1. 1. Espaço Confinado • Mailso • Débora • Deoclid es • Andress a • Iodete • Jarra
  2. 2. Onde é encontrado o Espaço Confinado? • Indústria de papel e celulose. • Indústria gráfica. • Indústria alimentícia. • Indústria da borracha, do couro e têxtil. • Indústria naval e operações marítimas. • Indústrias químicas e petroquímicas.
  3. 3. Onde é encontrado o Espaço Confinado? • Serviços de gás. • Serviços de água e esgoto. • Serviços de eletricidade. • Serviços de telefonia. • Construção civil. • Beneficiamento de minérios. • Siderúrgicas e metalúrgicas. • Agricultura. • Agroindústria. •Biodigestor Galerias •Sil os
  4. 4. Quais os tipo de trabalho em Espaço Confinado? • Manutenção, reparos, limpeza • ou inspeção de equipamentos • ou reservatórios. • Obras da construção civil. • Operações de salvamento e • resgate.
  5. 5. O espaço confinado tem sua Norma Regulamentadora , que é a NR-33. • PORTARIA Nº 202, DE 22 DE DEZEMBRO DE 2006 • Aprova a Norma Regulamentadora no 33 (NR-33), que trata de Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados. • O MINISTRO DE ESTADO DO TRABALHO E EMPREGO, no uso das atribuições que lhe confere o art. 87, parágrafo único, inciso II, da Constituição Federal e tendo em vista o disposto no art. 200 da Consolidação das Leis do Trabalho, Decreto-Lei no 5.452, de 1º de maio de 1943, resolve: • Art. 1º Aprovar a Norma Regulamentadora no 33 (NR-33), que trata de Segurança e Saúde nos Trabalhos em Espaços Confinados, na forma do disposto no Anexo a esta Portaria. • Art. 2º O disposto na Norma Regulamentadora é de cumprimento obrigatório pelos empregadores, inclusive os constituídos sob a forma de microempresa ou empresa de pequeno porte. • Art. 3º Esta Portaria entra em vigor na data de sua publicação.
  6. 6. NR-33 • NORMA REGULAMENTADORA Nº33 • SEGURANÇA E SAÚDE NOS TRABALHOS EM ESPAÇOS CONFINADOS • 33.1 Objetivo e Definição • 33.1.1 Esta Norma tem como objetivo estabelecer os requisitos mínimos para identificação de espaços confinados e o reconhecimento, avaliação, monitoramento e controle dos riscos existentes, de forma a garantir permanentemente a segurança e saúde dos trabalhadores que interagem direta ou indiretamente nestes espaços. • 33.1.2 Espaço Confinado é qualquer área ou ambiente não projetado para ocupação humana contínua, que possua meios limitados de entrada e saída, cuja ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes ou onde possa existir a deficiência ou enriquecimento de oxigênio.
  7. 7. NR-33 Comentada • A definição acima é idêntica à dada pela NBR 14.787/01 (www.abnt.org.br), com a diferença que nesta Norma é acrescida à palavra “existir” a expressão “ou se desenvolver”. A aparente sutileza, na verdade, torna o termo mais abrangente. É que um espaço que ao ser inspecionado e liberado pode não apresentar deficiência ou excesso de oxigênio nem presença de gases/vapores tóxicos e/ou combustíveis, porém, poderá ter esta condição alterada durante a execução do trabalho, em razão da própria atividade ou de atividades externas. É o caso, por exemplo, de soldagens, pinturas, limpeza de superfícies com solventes etc, que só provocarão alterações no ambiente no momento de sua execução. • Mais importante ainda é a compreensão do enunciado do item 33.1.2. Da forma como está redigido, pode haver o entendimento que um espaço só será considerado “confinado” se todas as condições existirem simultaneamente: que não seja projetado para ocupação humana contínua (e) que possua meios limitados de entrada e saída (e) cuja ventilação existente é insuficiente para remover contaminantes ou onde possa existir a deficiência ou enriquecimento de oxigênio. A definição dada pela OSHA e pelo NIOSH, entretanto parece mais apropriada e talvez possa melhor esclarecer o entendimento.
  8. 8. OSHA • DEFINIÇÃO DA OSHA1: • “Espaço confinado é um espaço que: • 1) É grande o suficiente e possui uma configuração que um trabalhador consegue entrar fisicamente em seu interior e executar um trabalho designado, e; • 2) Possui restrições ou limitações para entrada e saída de uma pessoa, como, por exemplo: tanques de armazenamento, vasos, porões de navios, torres, silos, caldeiras, dutos de ventilação e exaustão, túneis, valetas, tubulações etc., e; • 3) Não foi projetado para ocupação continua de trabalhadores.
  9. 9. DEFINIÇÃO DO NIOSH • “Espaço confinado é aquele que, em função do projeto, possui aberturas limitadas para entrada e saída; a ventilação natural é desfavorável, o ar ambiente pode conter ou produzir contaminantes perigosos e o local não se destina a ocupação contínua de um trabalhador”. Espaços confinados incluem, porém não se limitam a: tanques de armazenamento, porões de navios, vasos, torres, silos, caldeiras, dutos de ventilação e exaustão, túneis, valetas, tubulações etc. • O NIOSH ainda subdivide os espaços confinados em:
  10. 10. Subdivisão de Espaço Confinado segundo NIOSH • Classe “A” • Locais com uma ou mais das características abaixo: • Imediatamente perigoso à vida; • Nível de oxigênio igual ou menor que 16% (122mmHg) ou maior que 25% (190mmHg); • Inflamabilidade igual ou maior que 20% do Limite Inferior de Inflamabilidade (LII); • Socorro a eventuais vítimas requer a entrada de mais de uma pessoa equipada com máscara e/ou roupas especiais; • A comunicação exige a presença de mais uma pessoa de prontidão dentro do espaço confinado. • Classe “B” • Locais com uma ou mais das características abaixo: • Perigoso à vida, porém, não imediatamente; • Nível de oxigênio de 16,1% à 19,4% (122 – 147mmHg) ou 21,5% à 25% (163 - 190mmHg); • Socorro a eventuais vítimas requer a entrada de não mais de uma pessoa equipada com máscara e/ou roupas especiais; • Inflamabilidade entre 10% e 19% do Limite Inferior de Inflamabilidade (LII); • A comunicação é possível através de meios indiretos ou visuais, sem a presença de mais uma pessoa de prontidão dentro do espaço confinado. • Classe “C” • Locais com uma ou mais das características abaixo: • Potencialmente perigoso à vida, porém, não exige modificações nos procedimentos habituais de trabalho normal nem socorro e a comunicação com os trabalhadores pode ser feita diretamente do lado de fora do espaço confinado; • Nível de oxigênio de 19,5% à 21,4% (148 – 163mmHg); • Socorro a eventuais vítimas requer a entrada de não mais de uma pessoa equipada com máscara e/ou roupas especiais; • Inflamabilidade de 10% do Limite Inferior de Inflamabilidade (LII) ou menor.
  11. 11. Para Fins de Prevenção • Assim, parece que, independente da interpretação puramente semântica, para os fins de prevenção e controle da saúde e integridade de um trabalhador, um espaço confinado deve ser entendido como qualquer local que apresente uma ou mais das condições acima detalhadas. A existência simultânea de mais de uma ou todas as condições de risco só mudaria sua classificação (A, B ou C). Portanto, basta que um local permita a entrada de uma pessoa, apresente restrições de entrada e saída e não tenha sido projetado para ocupação continua de um trabalhador para se configurar como um espaço confinado, independente de apresentar as demais condições: presença de contaminantes; deficiência ou excesso de oxigênio; concentração de misturas combustíveis etc. • Num evaporador de caldo de cana, por exemplo, dificilmente haverá deficiência ou excesso de oxigênio e/ou presença de gases ou vapores tóxicos ou inflamáveis, porém, haverá sempre a dificuldade de entrada e saída, além do risco evidente de entrada de caldo quente e vapor vegetal e choque elétrico. Tudo isso, sem contar que o interior de um evaporador não foi projetado para ocupação humana contínua.
  12. 12. Quais são os riscos quando se trabalha em Espaços Confinados? • ou excesso de oxigênio. • Incêndio ou explosão, pela presença de vapores e gases • inflamáveis. • Intoxicações por substâncias químicas. • Infecções por agentes biológicos. • Afogamentos. • Soterramentos. • Quedas. • Choques elétricos. • Todos estes riscos • podem levar à • morte ou doenças.
  13. 13. Todas as Normas são para evitar e prevenir acidentes e a padronização • Certificando-se que a sua empresa • Segue a: • NBR 14.787 – Espaços confinados – prevenção de • acidentes, procedimentos e medidas de proteção (ABNT). • E atende a: • Norma Regulamentadora nº 33 Segurança e Saúde nos • Trabalhos em Espaços Confinados (MTE). • NBR – Norma Brasileira • ABNT – Associação Brasileira de Normas Técnicas • MTE – Ministério do Trabalho e Emprego
  14. 14. Medidas de Segurança Sinalização e Isolamento da Área O Supervisor de Entrada deve: Manter sinalização permanente junto à entrada do espaço confinado. A sinalização é importante para informação e alerta quanto aos riscos em espaços confinados. O isolamento é necessário para evitar que pessoas não autorizadas se aproximem do espaço confinado.
  15. 15. Mais um pouco da NR-33 • 33.2 Das Responsabilidades • 33.2.1 Cabe ao Empregador: • a) indicar formalmente o responsável técnico pelo cumprimento desta norma; • b) identificar os espaços confinados existentes no estabelecimento; • c) identificar os riscos específicos de cada espaço confinado; • d) implementar a gestão em segurança e saúde no trabalho em espaços confinados, por medidas técnicas de prevenção, administrativas, pessoais e de emergência e salvamento, de forma a garantir permanentemente ambientes com condições adequadas de trabalho; • e) garantir a capacitação continuada dos trabalhadores sobre os riscos, as medidas de controle, de emergência e salvamento em espaços confinados; • f) garantir que o acesso ao espaço confinado somente ocorra após a emissão, por escrito, da Permissão de Entrada e Trabalho, conforme modelo constante no anexo II desta NR; • g) fornecer às empresas contratadas informações sobre os riscos nas áreas onde desenvolverão suas atividades e exigir a capacitação de seus trabalhadores; • h) acompanhar a implementação das medidas de segurança e saúde dos trabalhadores das empresas contratadas provendo os meios e condições para que eles possam atuarem conformidade com esta NR; • i) interromper todo e qualquer tipo de trabalho em caso de suspeição de condição de risco grave e iminente, procedendo ao imediato abandono do local; ej) garantir informações atualizadas sobre os riscos e medidas de controle antes de cada acesso aos espaços confinados.
  16. 16. Quando e quem pode entrar em um Espaço Confinado? • Somente quando sua empresa fornecer a • Autorização da Permissão de Entrada e Trabalho - PET • Essa Permissão de Entrada e Trabalho (PET) é exigida por lei e • executada pelo Supervisor de Entrada (NR-33). • O serviço executado deverá sempre ser acompanhado por um • Vigia. • A Permissão de Entrada e Trabalho (PET) contém procedimentos • escritos de segurança e emergência. • Verificar se as medidas de segurança foram implantadas e se a • PET está assinada pelo Supervisor de Entrada. • O trabalhador deve entrar no espaço confinado com uma cópia da PET. • Pessoas treinada , habilitadas e com os devidos equipamentos em Espaço Confinado ,
  17. 17. Permissão de Entrada e Trabalho (PET)
  18. 18. Supervisor de Entrada • Supervisor de Entrada • O Supervisor de Entrada deve: • emitir a Permissão de • Entrada e Trabalho (PET) antes do início das atividades; • executar os testes,conferir os equipamentos e os procedimentos contidos na PET; • assegurar que os serviços de emergência e salvamento estejam • disponíveis e que os meios para acioná-los estejam operantes; • cancelar os procedimentos de entrada e trabalho quando necessário; encerrar a PET após o término dos serviços.
  19. 19. Vigia deve • manter continuamente a contagem precisa do número de • trabalhadores autorizados no espaço confinado e assegurar que • todos saiam ao término da atividade; • permanecer fora do espaço confinado, junto à entrada, em • contato permanente com os trabalhadores autorizados; • adotar os procedimentos de emergência, acionando a equipe • de salvamento, pública ou privada, quando necessário; • operar os movimentadores de pessoas; • ordenar o abandono do espaço confinado sempre que • reconhecer algum sinal de alarme,perigo, sintoma, queixa, condição • proibida, acidente, situação não prevista ou quando não puder • desempenhar efetivamente suas tarefas, nem ser substituído por outro vigia.
  20. 20. Medidas de Segurança • Sinalização e Isolamento da Área • O Supervisor de Entrada deve: • Manter sinalização permanente junto à entrada do espaço confinado. • A sinalização é importante para informação e alerta quanto aos riscos em espaços confinados. • O isolamento é necessário para evitar que pessoas não autorizadas se aproximem do espaço confinado.
  21. 21. Teste do Ar • O Supervisor de Entrada deve: • Realizar testes iniciais do ar interno antes que o trabalhador entre em um espaço confinado. • Os testes do ar interno são medições para a verificação dos • níveis de oxigênio, gases e vapores tóxicos e inflamáveis; • Durante as medições, o supervisor de entrada deve estar fora do espaço confinado.
  22. 22. O Supervisor de Entrada deve Desligar a energia elétrica, trancar com chave ou cadeado e sinalizar quadros elétricos para evitar movimentação acidental de máquinas ou choques elétricos, quando o Trabalhador Autorizado estiver no interior do espaço confinado.
  23. 23. Medidas de Segurança Ventilação Não ventilar espaços confinados com oxigênio O uso de oxigênio para a ventilação de local confinado aumenta o risco de incêndio e explosão. Durante todo o trabalho no espaço confinado deverá ser utilizada ventilação adequada para garantir a renovação contínua do ar.
  24. 24. Medidas de Segurança EPI • Os Equipamentos de Proteção Individual (EPIs) devem ser • fornecidos gratuitamente. • Devem ser utilizados EPIs adequados para cada situação de risco existente. • O trabalhador deverá ser treinado quanto ao uso adequado do EPI.
  25. 25. Medidas de Segurança Objetos Proibidos • Cigarros • Nunca fume no Espaço Confinado! • Telefone celular • Não deve ser utilizado como aparelho de comunicação em espaço confinado. • Velas, fósforos e isqueiros • Não devem ser utilizados. • Objetos necessários à execução do trabalho que produzam calor, chamas ou faíscas, devem ser previstos na permissão de entrada e trabalho. • Adotar medidas para eliminar ou controlar os riscos de incêndio ou explosão em trabalhos como soldagem, aquecimento, esmerilhamento, corte ou outros que liberem chama aberta, faíscas ou calor (NR-33).
  26. 26. Medidas de Segurança Equipamentos Especiais • Devem ser fornecidos equipamentos especiais para trabalhos em espaços confinados como: • Lanterna s. • Rádios de comunicação Detectores de gases, à prova de explosão.
  27. 27. Medidas de Emergência e Resgate • O empregador deve elaborar e implantar procedimentos de emergência e resgate adequados ao espaço confinado. • O empregador deve fornecer equipamentos e acessórios que possibilitem meios seguros de resgate. • Os trabalhadores devem ser treinados para situações de emergência e resgate.
  28. 28. A empresa deve providenciar Exames médicos. Treinamento para todos os trabalhadores. • Inspeção prévia no local. • Elaboração da Análise Preliminar de Risco (APR). • Permissão de entrada e Trabalho (PET). Sinalização e isolamento da área. • Equipamentos de ventilação.
  29. 29. A empresa deve providenciar Equipamentos de resgate Equipamentos de comunicação, medição de gases e vapores e iluminação. • Equipamentos de proteção individual Supervisor de Entrada e Vigia. • Equipamentos medidores de oxigênio, gases e vapores tóxicos e inflamáveis.
  30. 30. Direitos do Trabalhador Treinamento • Conhecer o trabalho a ser executado. • Conhecer os riscos do trabalho a ser executado. • Conhecer os procedimentos e equipamentos de segurança para executar o trabalho. • Receber todos os equipamentos de segurança necessários para a execução dos trabalhos. • Conhecer os procedimentos e equipamentos de resgate e primeiros socorros. • Receber treinamento específico prático e teórico em espaço confinado.
  31. 31. Direitos do Trabalhador Entrada Segura • Entrar em espaço confinado somente após o supervisor de entrada realizar todos os testes e adotar as medidas de controle necessárias.
  32. 32. Direitos do Trabalhador Interrupção da Atividade • O empregador deve garantir que os trabalhadores possam interromper suas atividades e abandonar o local de trabalho, sempre que eles suspeitarem da existência de risco grave e iminente para sua segurança e saúde ou à de terceiros.
  33. 33. Lembre-se sempre Conheça e exija trabalhos seguros em espaços confinados. Voltar para casa com saúde é um direito de todos os trabalhadores.
  34. 34. Fontes • Fundacentro • www.ebah.com.br/content/ABAAABVo4 Livro - Segurança e Medicina do Trabalho - 15ª Edição/2015 • Fotos e ilustrações via google.

×