Umbanda

4.306 visualizações

Publicada em

HISTÓRIA DO SURGIMENTO DA UMBANDA

Publicada em: Espiritual
0 comentários
15 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
4.306
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
333
Comentários
0
Gostaram
15
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • Reportagem e Fotos: Camila Pompeo
    Centro de Umbanda em São Miguel do Oeste - SC
    http://jornalistain-formacao.blogspot.com.br/2012/10/umbanda.html
    14/01/2013
    16:53
  • http://www.ceubrio.com.br
  • (União Espiritista de Umbanda do Brasil)
  • (União Espiritista de Umbanda do Brasil)
  • (9) Prandi, Reginaldo. Os candomblés de São Paulo
  • (9) Prandi, Reginaldo. Os candomblés de São Paulo
  • Os bantos (grafados ainda bantu)
    Estendem-se desde os Camarões até à África do Sul e ao oceano Índico, e pertencem à mesma família linguística, a das línguas bantas (a qual, por sua vez pertence à família linguística nígero-congolesa, e partilham em muitos casos costumes comuns. Em http://pt.wikipedia.org/wiki/Bantos


    Origem da palavra em: http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/umbanda/umbanda.php
  • – http://www.guia.heu.nom.br/origem_da_umbanda.htm , em 16/01/2013, 16h
  • Os chamados “amacis” nada mais são do que o uso de ervas, em que princípios astral magnético que as influenciam e que as ligam vibratoriamente com as energias dos quatro elementos planetários, do ar, da terra, do fogo e da água, são adotados para a complementação energética dos médiuns.
  • Fonte:
    http://www.guia.heu.nom.br/umbanda.htm

  • (União Espiritista de Umbanda do Brasil)
  • (União Espiritista de Umbanda do Brasil)
  • (União Espiritista de Umbanda do Brasil)
    http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/umbanda/umbanda.php
  • (União Espiritista de Umbanda do Brasil)
  • Foto: http://araman256.wordpress.com/2012/10/31/a-mecanica-de-incorporacao/
    W. W. da Mata e Silva (Mestre Yapacany)
  • Foto: http://umbandarealalmir.blogspot.com.br/2008/07/umbanda-na-luz-divina-centro-esprita-de.html
    "A Umbanda Esoterica e Iniciatica em Barbacena"
    Umbanda na Luz Divina Centro Espírita de Umbanda Obreiros de “Oxalá”.
  • Oxossy e São Sebastião
  • Umbanda

    1. 1. ESTUDO APROFUNDADO DA DOUTRINA ESPÍRITA UMBANDA
    2. 2. 1. Religiões Afro- brasileiras 2. Orixás 3. Umbanda RELIGIÕES
    3. 3. HISTÓRIA DO SURGIMENTO DA UMBANDA Médium Zélio de Moraes e o Guia Caboclo das Sete Encruzilhadas Congregação Espírita Umbandista do Brasil Zélio de Moraes (1891 — 1975) HISTÓRIA
    4. 4. ZÉLIODEMORAES-HISTÓRIA • Em fins do ano de 1908, uma família tradicional de Niterói foi surpreendida por uma ocorrência que tomou aspectos sobrenaturais: o jovem Zélio (17 anos) que fora acometido de estranha paralisia que os médicos não conseguiam debelar, certo dia ergueu-se da cama e declarou: “amanhã estarei curado!” • No dia seguinte, levantou-se normalmente e começou a andar, como se nada tivesse acontecido.
    5. 5. • Um amigo sugeriu então uma visita à FEDERAÇÃO ESPÍRITA DE NITERÓI. • No dia 15 de Novembro, o jovem Zélio foi convidado a participar do lugar na mesa. • Tomado por uma força estranha e superior à sua vontade, o jovem levantou-se, dizendo: “ aqui está faltando uma flor”, e saiu da sala indo ao jardim onde voltou com uma flor que depositou no centro da mesa. • Esta atitude insólita causou quase um tumulto. ZÉLIODEMORAES-HISTÓRIA
    6. 6. • Restabelecidos os trabalhos, manifestaram- se espíritos que se diziam negros escravos e índios. Foram convidados a se retirarem, advertidos do seu estado de atraso espiritual. • Novamente, uma força estranha dominou o jovem Zélio, sem saber o que dizia. • Ouvia apenas a sua própria voz perguntar o motivo que levava os dirigentes dos trabalhos a não aceitarem a comunicação daqueles espíritos e indagar porque eram considerados atrasados, se apenas pela encarnação passada que revelavam. ZÉLIODEMORAES-HISTÓRIA
    7. 7. • Seguiu-se um diálogo acalorado e os responsáveis pela sessão procuraram doutrinar e afastar o espírito desconhecido que desenvolvia uma argumentação segura. • Um dos médiuns videntes perguntou: “Por que fala deste modo se estou vendo um jesuíta e a sua veste branca que reflete uma aura de luz? E qual o seu nome irmão ? ” • O espírito falou: “Se julgam atrasados os espíritos de negros e índios, devo dizer-lhes que amanhã estarei na casa deste aparelho (médium) para dar início a um culto em que estes negros velhos e índios poderão passar sua mensagem e assim cumprir a missão que o Plano Espiritual lhes confiou. ZÉLIODEMORAES-HISTÓRIA
    8. 8. • Será uma religião que falará aos humildes, simbolizando a igualdade que deve existir entre todos os irmãos, encarnados e desencarnados. E se querem saber o meu nome, podem me chamar de CABOCLO DAS SETE ENCRUZILHADAS, porque não haverá caminhos fechados para mim”. • No dia seguinte, na hora marcada, às 20h, lá estavam reunidos os membros da Federação Espírita para comprovarem a veracidade do que fora declarado na véspera. Estavam parentes, vizinhos e uma grande multidão do lado de fora. ZÉLIODEMORAES-HISTÓRIA
    9. 9. • Na hora exata manifestou-se o Caboclo, declarando que naquele momento se iniciava um novo culto em que os espíritos dos velhos africanos que haviam vivido como escravos e índios, que como desencarnados não encontravam campo de atuação, iriam trabalhar em benefício de seus irmãos encarnados quaisquer que fosse a cor, a raça, o credo e a condição social. • A prática da caridade no sentido do amor fraterno seria a característica principal desse culto que teria por base o Evangelho de Jesus e como mestre supremo o Cristo. ZÉLIODEMORAES-HISTÓRIA
    10. 10. • Essa casa de trabalhos espirituais, que no momento se fundava, recebeu o nome de NOSSA SENHORA DA PIEDADE, porque assim como Maria acolhe o filho nos braços, também seriam acolhidos, como filhos, todos aqueles que necessitassem de ajuda ou conforto. • Ditadas as bases do culto, após responder em latim e alemão, às perguntas dos sacerdotes ali presentes, o Caboclo passou à parte prática dos trabalhos, curando enfermos, fazendo andar aleijados. • Antes do término da sessão, manifestou-se um preto-velho chamado Pai Antonio, que vinha completar as curas. ZÉLIODEMORAES-HISTÓRIA
    11. 11. • O Caboclo estabeleceu as normas em que se processaria o culto e também o nome, anotado por um dos presentes como Allabanda, substituido por Aumbanda, que em sânscrito pode ser interpretada como "Deus ao nosso lado" ou "o lado de Deus". • O nome pelo qual se popularizaria, entretando, seria o de Umbanda. (5) • As sessões seriam chamadas de períodos de trabalho espiritual diários, das 20h às 22h, e os participantes estariam uniformizados de branco e o atendimento seria gratuito. ZÉLIODEMORAES-HISTÓRIA
    12. 12. • Umbanda - manifestação do espírito para a prática da caridade. • A partir daí, o Caboclo das Sete Encruzilhadas, começou a trabalhar incessantemente para o esclarecimento, fusão e sedimentação da Corrente Astral de Umbanda. ZÉLIODEMORAES-HISTÓRIA
    13. 13. • “Limpar” a religião nascente de seus elementos mais comprometidos com a tradição iniciática secreta e sacrificial é tomar por modelo o kardecismo, capaz de expressar ideais e valores da nova sociedade republicana, ali na sua capital. (9) Prandi, Reginaldo. Os candomblés de São Paulo. • Já no seu primeiro momento, a umbanda não é simplificação do candomblé, mera “limpeza”. • Nem apenas a ritualização do kardecismo com elementos dos candomblés. • É uma enorme transformação. DOCANDOMBLÉÀUMBANDA
    14. 14. • Na umbanda que se consolidará a partir de então, a presença da entidade no transe ritual volta-se mais para a cura, limpeza, aconselhamento dos fiéis e clientes, afastando-se de outro ideal kardecista: • o de comunicação com os mortos com o fim de estender ao mundo dos espíritos atrasados e sofredores a doutrinação evangélica caridosa; • e receber dos espíritos de luz orientação para o desenvolvimento de virtudes na terra, curas do corpo e da alma, evolução espiritual dos vivos e dos mortos. DOCANDOMBLÉÀUMBANDA
    15. 15. • A Umbanda é a religião brasileira que mistura o catolicismo, o espiritismo e as religiões afro-brasileiras e indígenas. (4) • Sincretismo talvez derivado da Cabula - seita afro-brasileira com influência malês, bantas e espírita. • Designação dos cultos afro-brasileiros, que se confundem com os da macumba e dos candomblés (BA), do xangô (PE), da pajelança (Amazônia), do catimbó (NE) e outros cultos sincréticos. DEFINIÇÃO
    16. 16. ORIGEMDAPALAVRA VÁRIAS VERSÕES: 1. Sânscrito (a mais antiga língua da Terra-raiz mestra dos demais idiomas existentes no mundo), a partir da junção dos termos Aum e Bandha, o elo de ligação entre os planos divino e terreno), que se pode traduzir por "DEUS AO NOSSO LADO" ou "O LADO DE DEUS". (7) 2. Africana banto "mbanda" (umbanda) significando "a arte de curar“ Os sacerdotes da umbanda eram conhecidos como "kimbandas" (ki-mbanda = comunicador com o Além). (1) 3. Angola língua quimbundo, significa arte de curar, segundo a Gramática de Kimbundo (Professor José L. Quintão, citada na obra O que é a Umbanda, de Armando Cavalcanti Bandeira, editora Eco, 1970. (5) 4. Velha Africana (7 mil anos) : Umbanda significa “ Um ” = “ Deus ” e “ banda ” = “povo ”, povo era livre em suas tribos, onde cultuavam os seus Deuses e os seus Orixás . (1)
    17. 17. NORMAS Mestre Supremo JESUS FILHO DE DEUS Sessões Assim se chamariam os períodos de trabalhos espirituais. Vestes Os participantes estariam uniformizados de Branco. Sacrifícios Os sacrifícios de aves e animais é totalmente alheio à Umbanda. Fundamento básico É a crença ou culto aos espíritos evoluídos. Atendimento SEMPRE GRATUITO (7)
    18. 18. PRINCÍPIOS EXISTÊNCIA: • OLORUM: Deus único • OXALÁ: Jesus – orixá principal • ORIXÁS e SANTOS chefiando falanges que formam a hierarquia espiritual • ESPÍRITOS em evolução • GUIAS mensageiros • ALMA • MÉDIUM: Prática da mediunidade. (1)
    19. 19. RITUAIS • Cânticos baixos e harmoniosos. • Vestimenta branca. • Proibição de sacrifício de animais. • Dispensa de atabaques e palmas. • Capacetes, espadas, vestimentas coloridas, rendas e lamês não seriam aceitos. • Guias usadas seriam apenas aquelas que determinassem aquela Entidade que se manifestasse. • Os banhos de ervas (amacis), as concentrações nos ambientes vibratórios da natureza, a par do ensinamento doutrinário na base do Evangelho, constituiriam os principais elementos de preparação do médium.
    20. 20. Muitas pessoas perguntam por que as entidades se apresentam sob as formas de caboclos, preto- velhos e crianças. Mas se observarmos bem veremos que esses são tipos de fácil identificação popular, representando as faixas etárias do homem e modelos de comportamento, como mostramos abaixo: (7) TIPOS FAIXA ETÁRIA COMPORTAMENTO Preto-velhos Velhice Prudência e humildade Caboclos Adulto Vigor e pujança Crianças Infância Inocência e pureza UMBANDA
    21. 21. • Em 1918 o Caboclo das Sete Encruzilhadas recebeu ordens do astral superior para fundar sete Tendas para propagação da Umbanda. • As Tendas receberam os seguintes nomes: 1. Tenda Espírita Nossa Senhora da Guia 2. Tenda Espírita Nossa Senhora da Conceição 3. Tenda Espírita Santa Bárbara 4. Tenda Espírita São Pedro 5. Tenda Espírita Oxalá 6. Tenda Espírita São Jorge 7. Tenda Espírita São Jerônimo UMBANDA
    22. 22. • A respeito do uso do termo ESPÍRITA e de nomes de santos católicos nas Tendas fundadas, os mesmos tiveram como causa a proibição na época de se usar e registrar o nome Umbanda. • Quanto ao NOME DOS SANTOS, era uma maneira de estabelecer um ponto de referência para fiéis da religião católica, então em grande maioria. UMBANDA
    23. 23. União Espiritista de Umbanda do Brasil Foi fundada em 1939 por Zélio Fernandino de Morais sob orientação do Caboclo das Sete Encruzilhadas. Tem o objetivo de atuar como núcleo central doutrinário e congregar os templos umbandistas. UMBANDA
    24. 24. BASEDESUSTENTAÇÃO A máxima dentro da Umbanda é: • "DÊ DE GRAÇA, O QUE DE GRAÇA RECEBESTES: COM AMOR, HUMILDADE, CARIDADE E FÉ” • A Umbanda não foi codificada, como foi o KARDECISMO em sua origem por HIPPOLYTE LEON DENIZARD RIVAIL,a Umbanda foi manifestada e o kardecismo esclarecido, por isso temos muito a aprender com o Kardecismo sobre esclarecimento e eles muito a aprender conosco sobre manifestação. (7)
    25. 25. • 1908 – Fundação da Umbanda por Zélio de Moraes e o Caboclo das Sete Encruzilhadas, no Rio de Janeiro. • 1918 – Fundação das sete Tendas para propagação da Umbanda. • 1939 – Fundação da Federação Espírita de Umbanda. • 1945 – José Álvares Pessoa, dirigente de uma das sete casas de Umbanda fundadas pelo Caboclo das Sete Encruzilhadas, conquistou junto ao Congresso Nacional a legalização da prática da Umbanda. (4) LINHADOTEMPO
    26. 26. A Umbanda apresenta-se ramificada em dezenas de grupos que englobam influências esotéricas, cabalísticas, orientais, católicas, etc. (8) • Umbanda Popular • Umbanda tradicional • Umbanda Branca - Umbanda de Mesa - Umbanda de Linha Branca - Umbanda de Cáritas • Quimbanda • Umbanda de Angola • Umbanda Traçada ou Umbandomblé • Umbanda Esotérica • Umbanda - saudação a linha do oriente • Umbanda Iniciática RAMIFICAÇÕES
    27. 27. • Umbanda Popular • Que era praticada antes de Zélio e conhecida como Macumbas ou Candomblés de Caboclos; onde podemos encontrar um forte sincretismo - Santos Católicos associados aos Orixás Africanos. • Umbanda tradicional • Oriunda de Zélio Fernandino de Moraes. RAMIFICAÇÕES
    28. 28. • muito próximo ao kardecismo , só trabalha para o bem e no qual só usam roupas rituais simples e brancas. (Novo Aurélio, O Dicionário da Língua Portuguesa, Século XXI) • em grande parte, não encontramos elementos Africanos - Orixás -, nem o trabalho dos Exus e Pomba-giras, ou a utilização de elementos como atabaques, fumo, imagens e bebidas. • Essa linha doutrinaria se prende mais ao trabalho de guias como caboclos, pretos-velhos e crianças. Também podemos encontrar a utilização de livros espíritas como fonte doutrinária(1) Umbanda Branca - Umbanda de Mesa Umbanda de Linha Branca Umbanda de Cáritas RAMIFICAÇÕES
    29. 29. Quimbanda É um culto afro-brasileiro, derivado da Umbanda, que tem como linha principal a devoção aos Exus e Pomba giras, consideradas entidades inferiores pelos umbandistas. (3) Adota suas próprias práticas, como o sacrifício rituais de animais e a utilização de vodus. (3) Mantém a tradição religiosa banta numa vertente considerada feiticeira, mesclada a elementos populares do espiritismo, catolicismo, cultuam entidades de feição ameríndias, nagôs. (Novo Aurélio, O Dicionário da Língua Portuguesa, Século XXI) RAMIFICAÇÕES
    30. 30. Umbanda de Angola: • Culto influenciado pelo candomblé, tal como o culto OMOLOCÔ. • Umbanda Omolocô - Trazida da África pelo Tatá Tancredo da Silva Pinto. Onde encontramos um misto entre o culto dos Orixás e o trabalho direcionado dos Guias. (1) RAMIFICAÇÕES
    31. 31. Umbanda Traçada ou Umbandomblé Onde existe uma diferenciação entre Umbanda e Candomblé, mas o mesmo sacerdote ora vira para a Umbanda, ora vira para o candomblé em sessões diferenciadas. Não é feito tudo ao mesmo tempo. As sessões são feitas em dias e horários diferentes. RAMIFICAÇÕES
    32. 32. Umbanda Esotérica É diferenciada entre alguns segmentos oriundos de Oliveira Magno, Emanuel Zespo e o W. W. da Matta (Mestre Yapacany), em que intitulam a Umbanda como a Aumbhandan: "conjunto de leis divinas“. (1) RAMIFICAÇÕES
    33. 33. Umbanda Iniciática É derivada da Umbanda Esotérica e foi fundamentada pelo Mestre Rivas Neto (Escola de Síntese conduzida por Yamunisiddha Arhapiagha), onde há a busca de uma convergência doutrinária (7 ritos), e o alcance do Ombhandhum, o Ponto de Convergência e Síntese. Existe uma grande influência Oriental, principalmente em termos de mantras indianos e utilização do sanscrito. RAMIFICAÇÕES
    34. 34. Umbanda de Caboclo • influência do cultura indígenas brasileira com seu foco principal nos guias conhecidos como "Caboclos“. RAMIFICAÇÕES
    35. 35. Umbanda de preto-velhos • influência da cultura Africana, onde podemos encontrar elementos sincréticos, o culto aos Orixás, e onde o comando e feito pelos preto-velhos. • Outras formas existem, mas não têm uma denominação apropriada. (1) RAMIFICAÇÕES
    36. 36. UMBANDA SAUDAÇÃOALINHADOORIENTE RAMIFICAÇÕES
    37. 37. • A religião desenvolve seu trabalho com o auxilio das entidades espirituais dos caboclos e preto- velhos, espíritos de indígenas e escravos. (4) UMBANDA
    38. 38. UMBANDA Os terreiros ou centros de Umbanda são comandados pelo médium mais experiente, geralmente o fundador da casa, conhecido como Pai de Santo ou Mãe de Santo, incorpora o orixá que comanda a casa e auxilia na incorporação dos demais médiuns.
    39. 39. UMBANDA • Na Umbanda, os Santos conhecidos na Igreja Católica, mudam de imagem e nomes. • Em um grande altar eles são dispostos e recebem oferendas e velas de diversas cores. (4)
    40. 40. 7LINHASDEUMBANDA Umbanda se divide em 07(sete) linhas que são assim classificadas: (1) 1. Oxalá ou Linha de Santo 2. Iemanjá 3. Oriente 4. Oxossi 5. Xangô 6. Ogum 7. Africana
    41. 41. 1- Linha de Oxalá ou Linha de Santo • Nesta linha as falanges são de Santo Antônio, São Cosme e Damião, Santa Rita, Santa Catarina, Santo Expedito e São Francisco de Assis. • Esta linha é responsável por desmanchar os trabalhos de magia. 7LINHASDEUMBANDA
    42. 42. 2- Linha de Iemanjá • Tem falanges das sereias que tem por chefe Oxum. Ainda nessa linha temos a falange das ondinas chefiada por Nanã; falange das caboclas do mar; Indaiá da falange dos Rios; Yara dos marinheiros e Tarimã das Calugas- Caluguinha da Estrela- guia. 7LINHASDEUMBANDA
    43. 43. 3 - Linha do Oriente • Subdividida pelas falanges do Hindus, dos médicos, dos árabes, chineses, oriente, romanos e outra raças europeias. 7LINHASDEUMBANDA
    44. 44. 4- Linha de Oxossi • Dividida nas falanges de Urubatão, Arariboia, Caboclo das 7 Encruzilhadas, Águia Branca e muitos outros índios chefes falangeiros que protegem contra magia, dão passes e ensinam o uso das plantas medicinais. (Sincretismo religioso: Oxossy e São Sebastião) 7LINHASDEUMBANDA
    45. 45. 5- Linha de Xangô • Dividida nas seguintes falanges: falange de Yansã, do Caboclo do Sol, Caboclo da Lua, Caboclo da Pedra Branca, Caboclo do Vento e Caboclo Treme- Terra 7LINHASDEUMBANDA
    46. 46. 6- Linha de Ogum • Dividida nas falanges de Ogum Beira-Mar, Ogum Iara, Ogum Megê, Ogum Naruê, Ogum Rompe-Mato, esta linha protege os filhos contra as brigas, lutas e demandas. 7LINHASDEUMBANDA
    47. 47. 7- Linha Africana • Dividida nas falanges do Povo da Costa, Pai Francisco, Povo do Congo, Povo de Angola, Povo de Luanda, Povo de Cabinda e Povo de Guiné, eles prestam caridades e orientam os fiéis para a prática do bem. 7LINHASDEUMBANDA
    48. 48. REFERÊNCIASBIBLIOGRÁFICAS 1 – http://www.portalsaofrancisco.com.br/alfa/umbanda/umbanda.php em 14/01/2013 - 15h37 2 – http://pt.wikipedia.org/wiki/Z%C3%A9lio_Fernandino_de_Morais em 14/01/2013 - 16h14 3 – Congregação Espírita Umbandista do Brasil : http://www.ceubrio.com.br, em 16/01/2013 – 17h 4 – http://jornalistain-formacao.blogspot.com.br/2012/10/umbanda.html 5 – http://pt.wikipedia.org/wiki/Umbanda, em 16/01/2013, 15h 6 – Federação Internacional Afro-Brasileira: http://www.fietreca.org.br/umbanda.htm, em 16/01/2013, 15h30 7 – http://www.guia.heu.nom.br/origem_da_umbanda.htm , em 16/01/2013, 16h 8 – FERREIRA, Aurélio Buarque de Holanda, 1910-1989. Novo Aurélio, O Dicionário da Língua Portuguesa, Século XXI, Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1999. 9 - Prandi, Reginaldo. Os candomblés de São Paulo : a velha magia na metrópole nova / Reginaldo Prandi. -- São Paulo :HUCITEC : Editora da Universidade de São Paulo, 1991. 10_ Prefeitura Municipal de PortoAlegre – SMED. http://websmed.portoalegre.rs.gov.br/escolas/montecristo/04raca/index.htm.
    49. 49. Muito obrigada! deni.aguiar.silva@gmail.com Florianópolis - 2013

    ×