SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 75
Hélade: o mundo grego
Geografia: 3 regiões
Porção Continental (Península Balcânica)
Porção insular (Ilhas do Mar Egeu)
Porção Asiática (Costa Ocidental da Ásia Menor)
FUVEST/2015
FUVEST/2015
• Pré-Homérico - entre 2000 e 1.100 a.C
• Homérico - entre 1.100 e 700 a.C
• Arcaico - entre 700 e 500 a.C
• Clássico - entre 500 e 338 a.C
• Helenístico - entre 338 e 146 a.C
Os períodos:
• Jônios: incursões militares (porção continental)
• Eólios: expulsam parte dos jônios (Aprox. 1580 a.C.)
• Aqueus: região do Peloponeso (terras férteis)
• Dórios: invadem a região (XI a.C)
Origem: Povos de origem indo-européia (grego primitivo)
Minóicos (Ilha de Creta)
+
 Comércio
 Bronze
 Navegação
 Escrita
Palácio de Minos
Aprox. 1400 a.C.: Processo expansionista
- Creta
- Mar Egeu
- Mar Negro
Civilização creto-micênica
Guerra de
Tróia
 Grande poder popular
 Uso do ferro
Primeira Diáspora Grega
Primeiras Colônias
Bust of a statue belonging to a group representing Theseus and the
Minotaur, a fountain erected in Athens near St Demetrius
Katéphoris in Plaka. This is a copy of the famous statuary group due
to Myron erected on the Acropolis representing Theseus fighting
the Minotaur. National Archaeological Museum, Athens, No. 1664.
Remarkable gold elliptical funeral diadems, leaves, wheels, cups, earrings, pendants and pins from Shaft Grave III, "Grave of the Women", Grave Circle A, Mycenae.
1600-1500 BC. National Archaeological Museum, Athens.
O Período Homérico (1200 – 800 a.C)
• Obras de Homero
• Invasão dórica
• Formação das COMUNIDADES GENTÍLICAS (Genos)
 A Ilíada
 A Odisseia
Grandes Transformações
 escrita
 comércio
 Dispersão populacional
 Grupos familiares extensos
 Culto de antepassado comum
 Líder: pater-famílias
 OIKOS: unidade econômica
- Cerimônias religiosas
- Justiça (tradição oral)
- Comando militar
- Trabalho familiar
- Propriedade coletiva
- Agropastoril
- subsistência
ATTIC BLACK-FIGURE PANATHENAIC
NECK AMPHORA, C. 530 BCE, BY THE
EUPHILETOS PAINTER
A fine Corinthian Alabastron c. 650-550 BC. The small perfume vessel with flaring lip and
small loop handle, the body ornamented with a register of three finely painted lions and a
goose. A choice Gnathian Greek Oinochoe. c. 350 BC.
With superb high lead glaze with silvery
iridescence, and added vines painted in red,
white and yellow.
Greek vase Antimenes painter
Vase Number: 396
Fabric: ATHENIAN
Technique: BLACK-FIGURE
Shape Name: CUP A
Date: -550 to -500
Attributed To: LYSIPPIDES P by UNKNOWN
LYSIPPIDES P by UNKNOWN
ANDOKIDES P by UNKNOWN
Decoration: FIG: PHALLOS
FIG: PHALLOS
IZ: SYMPOSIUM, MEN, SOME ANAKREONTIC IN SAKKOI, SOME WITH CUPS AND PHIALAI,
ONE PLAYING PIPES, YOUTH WITH OINOCHOE, BENEATH VINES WITH CLOTH
SUSPENDED, LYRE SUSPENDED
AH: VINE
A,B: SATYR HEAD (FRONTAL) BETWEEN EYES
I: GORGONEION
Collection Record: Oxford, Ashmolean Museum: 1974.344
Oxford, Ashmolean Museum: 1974.344
Aprox. 900 a.C: Terras cultiváveis
populacional
Disputas pelo poder e
distribuição de riquezas
DESIGUALDADES (propriedade privada)
EUPÁTRIDAS (“os bem nascidos”)
Colapso do
Sistema
gentílico
Crescimento comercial
A bearded man (probably the archon basileus) receives a folded cloth (probably the
sacred peplos of Athena) from a child (probably a boy). Block V (fig. 34-35) from the
East frieze of the Parthenon, ca. 447–433 BC.
UFPR/2015
UFPR/2015
Aprox. 800 a.C: Formação da Pólis (cidades-estado)
 Cidades autônomas
 Acrópole
 Ágora
- Própria estrutura
Política
Econômica
Social
religiosa
- Fortificação
- Santuário politeísta
- Amuralhado
- Controle sobre entorno rural
- Edifícios públicos
- mercado
Praça de reunião
dos cidadãos
Essencialmente
agrícola
Stoa of the
ancient agora ofThessa
loniki Lebanon
Agora East stoa Ancient Agora of Athens
FGV/2015
FGV/2015
Período Arcaico (700 e 500 a.C)
• Solo pobre
• Escravidão por dívidas
• Concentração de terras
Crise Agrária
Segunda Diáspora Grega
 Saída encontrada para a crise
 Colônias
 Busca por terras cultiváveis
 Financiadas pelas Póleis
- Mar Negro
- Mar Mediterrâneo
Fundação de Novas Póleis
 Fornecimento de alimentos
 Consumo de - Azeite
- vinho
Fresco from the thracian tomb of Kazanlak, Bulgaria (Ancient Greek Colony – Thrace)
A Grécia Antiga não passava a ter um poder
centralizado, mas sim regiões dominadas por
cidades-estado influentes
Atenas Esparta
Atenas
Geografia: • Região do Mar Egeu (Ática)
• Poucas terras férteis
Economia: • Comércio marítimo
 Vinho
 Azeite
 prata
Sociedade: • Eupátridas
• Georgóis
• Thetas e Metecos
• Escravos
 Grandes proprietários de terras
 Monopólio político
 Pequenos proprietários de terras
 Pequenos comerciantes e artesãos
 estrangeiros
 Por guerra
 Por dívidas
 Comercializados
 nascimento
Governo Aristocrático
Política: • VIII a.C: período monárquico
• VII a.C: Poder oligárquico
• VI a.C: Tirania
• V - IV a.C: Período Democrático
 Reis = Basileus Conflitos com aristocracia ateniense
 Controle político de poucos (eupátridas)
 Legiladores
- Drácon (codificou leis orais)
- Sólon
Pressão social
 Psítrato
 508 a.C: Clístenes
- Depôs Iságoras
- Instaura
- Principio do Ostracismo (ostrákon)
DEMOCRACIA
- fim escravidão por dívidas
- 594 a.C: voto censitário
- Unificou pesos e medidas
- Equilíbrio entre aristocracia e povo
- Organização do exército
 Participação política de todos os Cidadãos
- Homens
- Maiores de 21 anos
- Filhos de mãe e pais atenienses
Instabilidade social
UFRGS/2015
UFRGS/2015
Official bronze weights dating from around the 6th centtuy BC, exhibited in the Ancient Agora Museum in Athens, housed in the Stoa of Attalus. Picture
by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009.
Os escravos faziam os mais diferentes trabalhos, favorecendo
o cidadão – fosse ele um pequeno comerciante, fosse um rico
proprietário de terras – porque lhe permitia dedicar seu tempo
à discussão de negócios da pólis. Assim surgiu a carreira
política.
• Conceito de “ÓCIO”
• Eclésia (Acrópole)
Ostracon bearing the name of Cimon, 486 or 461 BC. Ancient Agora Museum in Athens.
Esparta
Este eu aprovo!
Geografia: • Região da Lacônia (Peloponeso)
• terras férteis
• Vale protegido
Economia: • agrária
 Cereais
 Pastoreio
 Artesanato para comércio interno
 Modesto comércio externo (se tivesse excedentes)
Sociedade: • Esparciatas
• Periecos (considerados estrangeiros)
• Hilotas
 Descendentes de dórios
 Monopólio da política
 Melhores terras
 Vida para guerra “educação espartana”
 Herdeiros dos aqueus que não resistiram à invasão
 Vida na periferia
 Atividade agropastoril
 Sem direitos políticos
4X mais numerosos!
 Escravos
 Propriedade do Estado
Criptéia: ritual iniciação
Xenofobia
Política: • Oligarquia
• Leis divinas e imutáveis
 Diarquia
 Gerúsia (Anciãos)
 Ápela (mais importante)
Grande Retra
- Militar
- religiosos
- Permissão para casar
- Participar na política (até os 60 anos)
Cidadão aos 30 anos:
Zeus with eagle. Tondo from a black-figured Laconian cup, ca. 560 BC.
Período Clássico (500 e 338 a.C) Apogeu ateniense
Classical period krater with sympotic scene. Krateres were used to mix wine with water. The Greeks
always drank wine watered; drinking wine straight was the mark of a barbarian. Given the use of the
vessel, drinking-party themed decoration is appropriate. The woman playing the aulos (double flute),
would be a hired professional.
Período Clássico (500 e 338 a.C)
Guerras Médicas (490-448 a.C.)
• Conflitos com expansionismo imperialista Persa
• Liga de Delos
• Governo de Péricles (444-429 a.C)
• hegemonia ateniense
Apogeu
• Liga do Peloponeso (Esparta)
• Acordo com persas p.5
• Hegemonia espartana
• Liga da Beócia (Tebas)
• Hegemonia de tebas
• Atenas + Esparta
• 362 a.C: Tebas derrotada
Desestruturação
socio-econômica do
mundo helenístico
island of Delos (Greek: Δήλος)
Boeotia, Thebes, Boeotian
League, Stater, 395-387 v.Chr.
Guerra do Peloponeso
Fragment of an Athenian decree concerning the
collection of the tribute from the members of the
Delian League, probably passed in the spring of 447 BC.
Vivemos numa forma de governo que não se baseia nas instituições de nossos
vizinhos; ao contrário, servimos alguns, ao invés de imitar outros. [...] Nela,
enquanto privadas, quando se trata de escolher (se é preciso distinguir em
algum setor), não mérito, que dá acesso aos postos mais honrosos;
inversamente serviços à cidade, seja impedido de fazê‐lo pela pública, e não
observamos com uma curiosidade suspicaz [desconfiada] a ressentimos com
nosso vizinho se ele age como lhe apraz, nem o olhamos com ares de
reprovação que, embora inócuos, lhe causariam desgosto. Ao mesmo tempo
que evitamos ofender os outros em nosso convívio privado nos afastamos da
ilegalidade principalmente por causa de um temor reverente, pois somos
submissos às especialmente àquelas promulgadas para socorrer os oprimidos
e às que, embora não desonra visível a todos.
(Oração fúnebre de Péricles, 430 a.C., in Tucídides.)
a) Com base nas informações contidas no texto, identifique o sistema político nele
características.
b) Identifique a cidade que foi a principal adversária de Atenas na Guerra do
Peloponeso e diferencie os vigentes em cada uma delas.
FUVEST/2014
Bronze Spartan shield conquered, as the inscription punched on it reveals, from the Spartans at the victory of Pylos in 425 BC. Ancient Agora Museum in Athens, around 510
BC. Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009.
338 a.C: Invasão macedônica
• Filipe (morre em 336 a.C)
Período Helenístico (338 e 146 a.C)
Alexandre, o grande (336 - 323 a.C)
• Egito
• Ásia Menor
• Mesopotâmia
• Pérsia
Preserva estrutura administrativa persa
Fusão de valores
Império Híbrido
 Tradição grega (mitos)
 Culto teocrático ao líder (Egito)
 22 Alexandrias
323 a.C:
• Morte
• Império fragmentado
146 a.C: domínio romano Denominação Graetia
Italy, Campania, Naples: Mosaic from Pompeii, Battle between Alexander and Darius, dated around 125 BC, on display at the Museo Archeologico
Nazionale (National Archaeological Museum) | Italien, Kampanien, Neapel: Mosaik aus Pompeji zeigt die Schlacht zwischen Alexander und Darius um
125 vor Christus, Ausstellungsstueck im Museo Archeologico Nazionale
COPYRIGHT:© Rainer Jahns, all rights reserved
Three Ancient Greek kantharoi in the so called "West Slope Style", dating from 275-260 B.C., in theAncient Agora Museum in Athens. Picture by Giovanni
Dall'Orto, November 9 2009.
A Cultura Grega
• Base da identidade cultural (barbarói p.7)
• Escrita
• Busca pela
• Esculturas
• Estilos arquitetônicos
• Tradição religiosa
• Teatro (festividades dionísicas)
• Filosofia
 Perfeição
 Equilíbrio
 Harmonia
 “imortalidade”
 Politeísmo
 Deuses imortais
 Destino decidido ou alterado por divindades
 Características humanas nas divindades
 Mitos
 Linhas retas
 proporcionalidade
 Poemas
 Registros
 Tragédia
 Comédia
 Drama
Perfume bottle in the shape of an athlete binding a victory ribbon
around his head, ca. 540s BC. On display in the Ancient Agora
Museum in Athens, housed in the Stoa of Attalus. Picture
by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009.
• Escrita
 Poemas
 Registros
Idealized portrayal of Homer dating to
the Hellenistic period. British Museum.
Homer in the company of Calliope, the Muse of epic
poetry (replica of Roman Imperial mosaic, c. 240
AD, from Vichten)
Homer seated on a throne; behind him, Oikoumene (Arsinoe III?) and Cronos (Ptolemy IV?);
crouching beside the throne, the Iliad and the Odyssey; on the left of the altar, the Myth (as a
child); on the right of the altar, from left to right, History, Poetry, Tragedy and Comedy, then
Nature (Physis), Virtue (Arete), Memory (Mneme), Good Faith (Pistis), Wisdom (Sophia).
Upper tier: Zeus; middle tiers: Muses. Probably made in Alexandria, Ptolemaic Egypt.
Tema épico
In the King James Version of the Bible this is translated as:
And through a window in a basket was I let down by the wall, and escaped
his hands.
It is not expedient for me doubtless to glory. I will come to visions and
revelations of the Lord.
I knew a man in Christ above fourteen years ago, (whether in the
body, I cannot tell; or whether out of the body, I cannot tell: God
knoweth;) such an one caught up to the third heaven. And I knew
such a man, (whether in the body, or out of the body, I cannot tell:
God knoweth;) How that he was caught up into paradise, and heard
unspeakable words, which it is not lawful for a man to utter. Of such
an one will I glory: yet of myself I will not glory, but in mine infirmities.
For though I would desire to glory, I shall not be a fool; for I will say
the truth: but now I forbear, lest any man should think of me above
that which he seeth me to be, or that he heareth of me. And lest I
should be exalted above measure through the abundance of the
revelations, there was given to me a thorn in the flesh, the
messenger of Satan to buffet me, lest I should be exalted above
measure.
For this thing I besought the Lord thrice, that it might depart from me.
And he said unto me, My grace is sufficient for thee: for my strength
is made perfect in weakness. Most gladly therefore will I rather glory
in my infirmities, that the power of Christ may rest upon me.
Folio from Papyrus 46, containing 2 Corinthians 11:33-12:9
• Busca pela
 Perfeição
 Equilíbrio
 Harmonia
 “imortalidade”
Artemision Bronze, thought to be either Poseidon or Zeus,
c. 460 BCE, National Archaeological Museum, Athens. Found
by fishermen off the coast of Cape Artemisiumin 1928. The
figure is more than 2 m in height.
Riace bronzes, examples of proto
classic bronze sculpture
So-called “Aphrodite Braschi”, free copy
(1st century BC) after a votive statue of
Praxitele in Cnidus (“Aphrodite of
Cnidus” type, ca. 350–340 BC).
• Esculturas
• Estilos arquitetônicos
 Linhas retas
 Proporcionalidade
 simetria
Doric Temple of Athena Lindia in Lindos, Greece, photographed in October, 2009
Ionic capital from the Stoa of Attalus. This specimen was used as a
model in the modern rebuilding of the Stoa itslef. Exhibited along the
portico of the Stoa of Attalus, which houses the Ancient Agora Museum
in Athens. Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009.
Fuente: Grandes civilizaciones del pasado. Grecia antigua. Furio Durando. Ediciones Folio, 2.005
The Stoa of Attalus is an hellenistic monumental porticoe given by Attalus II of Pergamon (159-138 BC) to the city of Athens, as a gift for the education he
had received there. It was rebuilt between 1953 and 1956 and now houses the Ancient Agora Museum in Athens.
Relics of polychromy on an Ancient Greek ionic capital, from an unidentified 5th century BC building.
Exhibited along the portico of the Stoa of Attalus, which houses the Ancient Agora Museum in Athens.
Picture byGiovanni Dall'Orto, November 9 2009.
Statue of a godess, probably Aphrodite. Early 4th century
BC. Exhibited along the portico of the Stoa of Attalus,
which houses the Ancient Agora Museum in Athens.
Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009.
Interior of the National Archaeological Museum of Athens.
• Tradição religiosa
 Politeísmo
 Deuses imortais
 Destino decidido ou alterado por divindades
 Características humanas nas divindades
 Mitos
Aphrodite (Ἀφροδίτη, Aphroditē) Apollo (Ἀπόλλων, Apóllōn)
God of light, music, arts, knowledge, healing,
res (Ἄρης, Árēs)
God of war, bloodshed, and violence
Athena (Ἀθηνᾶ, Athēnâ)
Goddess of intelligence and skill
Demeter (Δημήτηρ, Dēmētēr)
Goddess of grain, agriculture and the
harvest, growth and nourishment
Dionysus (Διόνυσος, Diónysos)
God of wine, parties and festivals,
madness, chaos, drunkenness
Hephaestus (Ἥφαιστος, Hḗphaistos)
Crippled god of fire, metalworking,
and crafts
Hera (Ἥρα, Hḗra)
Queen of the heavens and goddess
of marriage, women, childbirt
Poseidon (Ποσειδῶν, Poseidōn)
God of the sea, rivers, floods,
droughts, earthquakes, and the
creator of horses
Zeus (Ζεύς, Zeus)
King of the gods, the ruler of
Mount Olympus and the god of
the sky
Prometheus depicted in a sculpture by Nicolas-Sébastien
Adam, 1762 (Louvre)
Heracles freeing the bound Prometheus. Side A of a Boeotian (?) black-figured cup made in
Athens, ca. 500 BC.
Zeus, disguised as a swan, seducesLeda, the Queen of Sparta. A sixteenth century copy of the lost
original byMichelangelo.
Heracles and his child Telephos. Marble, Roman copy of
the 1st–2nd century CE after a Greek original of the 4th
century BCE. Found in Tivoli, Italy.
UNESP/2015
Leia o texto para responder às questões de números 31 e 32.
A partir do século VII a.C., muitas comunidades nas ilhas, na Grécia continental, nas
costas da Turquia e na Itália construíram grandes templos destinados a deuses
específicos: os deuses de cada cidade. As construções de templos foram
verdadeiramente monumentais. [...] Tornaram-se as novas moradias dos deuses. Não
eram mais deuses de uma família aristocrática ou de uma etnia, mas de uma pólis.
Eram os deuses da comunidade como um todo. A religião surgiu, assim, como um fator
aglutinador das forças cooperativas da pólis. [...] A construção monumental foi
influenciada por modelos egípcios e orientais. Sem as proezas de cálculo matemático,
desenvolvidas na Mesopotâmia e no Egito, os grandes monumentos gregos teriam sido
impossíveis. (Norberto Luiz Guarinello. História antiga, 2013.)
Segundo o texto, um papel fundamental da religião, na Grécia antiga, foi o de
(A) eliminar as diferenças étnicas e sociais e permitir a igualdade social.
(B) estabelecer identidade e vínculos comunitários e unificar as crenças.
(C) impedir a persistência do paganismo e afirmar os valores cristãos.
(D)eliminar a integração política, militar e cultural entre as cidades-estados.
(E) valorizar as crenças aristocráticas e eliminar as formas de culto populares.
UNESP/2015
Leia o texto para responder às questões de números 31 e 32.
A partir do século VII a.C., muitas comunidades nas ilhas, na Grécia continental, nas
costas da Turquia e na Itália construíram grandes templos destinados a deuses
específicos: os deuses de cada cidade. As construções de templos foram
verdadeiramente monumentais. [...] Tornaram-se as novas moradias dos deuses. Não
eram mais deuses de uma família aristocrática ou de uma etnia, mas de uma pólis.
Eram os deuses da comunidade como um todo. A religião surgiu, assim, como um
fator aglutinador das forças cooperativas da pólis. [...] A construção monumental foi
influenciada por modelos egípcios e orientais. Sem as proezas de cálculo matemático,
desenvolvidas na Mesopotâmia e no Egito, os grandes monumentos gregos teriam sido
impossíveis. (Norberto Luiz Guarinello. História antiga, 2013.)
31- Segundo o texto, um papel fundamental da religião, na Grécia antiga, foi o de
(A) eliminar as diferenças étnicas e sociais e permitir a igualdade social.
(B) estabelecer identidade e vínculos comunitários e unificar as crenças.
(C) impedir a persistência do paganismo e afirmar os valores cristãos.
(D)eliminar a integração política, militar e cultural entre as cidades-estados.
(E) valorizar as crenças aristocráticas e eliminar as formas de culto populares.
UNESP/2015
Leia o texto para responder às questões de números 31 e 32.
A partir do século VII a.C., muitas comunidades nas ilhas, na Grécia continental, nas
costas da Turquia e na Itália construíram grandes templos destinados a deuses
específicos: os deuses de cada cidade. As construções de templos foram
verdadeiramente monumentais. [...] Tornaram-se as novas moradias dos deuses. Não
eram mais deuses de uma família aristocrática ou de uma etnia, mas de uma pólis.
Eram os deuses da comunidade como um todo. A religião surgiu, assim, como um fator
aglutinador das forças cooperativas da pólis. [...] A construção monumental foi
influenciada por modelos egípcios e orientais. Sem as proezas de cálculo matemático,
desenvolvidas na Mesopotâmia e no Egito, os grandes monumentos gregos teriam sido
impossíveis. (Norberto Luiz Guarinello. História antiga, 2013.)
32- A relação estabelecida no texto entre a arquitetura grega e a arquitetura egípcia e
oriental pode ser justificada pela
(A) circulação e comunicação entre povos da região mediterrânica e do Oriente
Próximo, que facilitaram a expansão das construções em pedra.
(B) dominação política e militar que as cidades-estados gregas, lideradas por Esparta,
impuseram ao Oriente Próximo.
(C) presença hegemônica de povos de origem árabe na região mediterrânica, que
contribuiu para a expansão do Islamismo.
(D) difusão do helenismo na região mediterrânica, que assegurou a incorporação de
elementos culturais dos povos dominados.
UNESP/2015
Leia o texto para responder às questões de números 31 e 32.
A partir do século VII a.C., muitas comunidades nas ilhas, na Grécia continental, nas
costas da Turquia e na Itália construíram grandes templos destinados a deuses
específicos: os deuses de cada cidade. As construções de templos foram
verdadeiramente monumentais. [...] Tornaram-se as novas moradias dos deuses. Não
eram mais deuses de uma família aristocrática ou de uma etnia, mas de uma pólis.
Eram os deuses da comunidade como um todo. A religião surgiu, assim, como um fator
aglutinador das forças cooperativas da pólis. [...] A construção monumental foi
influenciada por modelos egípcios e orientais. Sem as proezas de cálculo matemático,
desenvolvidas na Mesopotâmia e no Egito, os grandes monumentos gregos teriam
sido impossíveis. (Norberto Luiz Guarinello. História antiga, 2013.)
32- A relação estabelecida no texto entre a arquitetura grega e a arquitetura egípcia e
oriental pode ser justificada pela
(A) circulação e comunicação entre povos da região mediterrânica e do Oriente
Próximo, que facilitaram a expansão das construções em pedra.
(B) dominação política e militar que as cidades-estados gregas, lideradas por Esparta,
impuseram ao Oriente Próximo.
(C) presença hegemônica de povos de origem árabe na região mediterrânica, que
contribuiu para a expansão do Islamismo.
(D) difusão do helenismo na região mediterrânica, que assegurou a incorporação de
elementos culturais dos povos dominados.
• Teatro (festividades dionísicas)
- Tragédia
- Comédia
- Drama
Theatre mask, dating from the 4th/3rd century BC. On
display in the Ancient Agora Museum in Athens, housed in
the Stoa of Attalus. Picture by Giovanni Dall'Orto, November
9 2009.
Theatre mask, dating from the 4th/3rd century BC. On
display in the Ancient Agora Museum in Athens, housed
in the Stoa of Attalus. Picture by Giovanni Dall'Orto,
November 9 2009.
Satyr: Antikenmuseen,
Berlin, Germany (510-500
bC)
Origem: - Festas dionísicas
- Encenações
- Procissões
- Alguns vestidos de
sátiros
- Oferendas
- Sacrifícios
- Coroação de
benfeitores públicos
Caráter
orgiástico
• Filosofia
Portrait of Socrates. Marble,
Roman artwork (1st century),
perhaps a copy of a lost bronze
statue made by Lysippos.
Plato. Luni marble, copy of the
portrait made by Silanion ca.
370 BC for the Academia in
Athens. From the sacred area in
Largo Argentina, 1925
Marble bust of Aristotle. Roman
copy after a Greek bronze original
by Lysippus c. 330 BC. The
alabaster mantle is modern.
 Período pré-socrático
 Período Socrático
 Período Sistemático
 Período Helenístico
- O estudo da origem da natureza (physis)
- Escola Jônica
- Escola Itálica
- Escola Eleata
- Escola da Pluralidade
- Questões humanas
- Sofistas
- Sócrates
Ética
Política
técnicas
Constante questionamento
- Platão: funda a Academia (Akademus)
- Cria distinção: plano ideal = mundo real
- Aristóteles de Estagira
- Múltiplas áreas
- Insere o conceito de lógica (lógus)
- Debate a estética (aesthética)
- Tutor de Alexandre
Early Islamic portrayal of Aristotle (r) and Alexander the Great (l) Detail of The School of Athens by Raffaello Sanzio, 1509, showing Plato (left)
and Aristotle (right)
Main w:en:Antikythera mechanism fragment (fragment A). The mechanism consists of a complex system of 30 wheels and plates with inscriptions relating to signs of the
zodiac, months, eclipses and pan-Hellenic games. The study of the fragments suggests that this was a kind of astrolabe. The interpretation now generally accepted dates
back to studies by Professor w:en:Derek de Solla Price, who was the first to suggest that the mechanism is a machine to calculate the solar and lunar calendar, that is to say,
an ingenious machine to determine the time based on the movements of the sun and moon, their relationship (eclipses) and the movements of other stars and planets
known at that time. Later research by the Antikythera Mechanism Research Project and scholar Michael Wright has added to and improved upon Price's work.
The mechanism was probably built by an mechanic engineer of the school of Posidonius in Rhodes. Cicero, who visited the island in 79/78 B.C. reported that such devices
were indeed designed by the Stoic philosopher Posidonius of Apamea. The design of the Antikythera mechanism appears to follow the tradition of Archimedes'
planetarium, and may be related to sundials. His modus operandi is based on the use of gears. The machine is dated around 89 B.C. and comes from the wreck found off
the island of Antikythera. National Archaeological Museum, Athens, No. 15987.
• Os Banquetes
Rammetromme. Frame-drum Indo-Greek Banquet. Hellenistic banquet scene, Hadda, Gandhara. 1st century CE. Musee Guimet Paris.
Ancient Greece, c.300 b.c.
2nd century BC oil lamps, portraying the heads of a bull and of an African man. On
display in the Ancient Agora Museum in Athens, housed in the Stoa of Attalus.
Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009.
Casserole and brazier (6th/4th century BC)
exhibited in the Ancient Agora Museum in Athens,
housed in the Stoa of Attalus. Picture by Giovanni
Dall'Orto, November 9 2009.
Varvakion Athena. Imperial Roman marble miniature copy, 2nd c. AD, of
the colossal chryselephantine Athena Parthenos, ca. 432 BC,
Courtesans and prostitutes. Ancient Greece.
Estabeleça duas diferenças entre o conceito de democracia vigente em Atenas
no período antigo e o conceito de democracia vigente no Brasil atual.
Resolução:
O conceito de democracia ateniense era direto e excludente: os poucos
cidadãos (homens, maiores de 21 anos e atenienses natos) participavam
diretamente das tomadas de decisão da cidade-Estado.
O conceito de cidadania do Brasil atual é Indireto ou representativo e
abrangente: todos somos cidadãos e elegemos um representante para tomar
as decisões políticas.
Ufpr/2014
Links:
http://www.tumblr.com/tagged/ancient%20greek%20art?language=pt_PT
http://www.beazley.ox.ac.uk/index.htm
http://mortisia.tumblr.com/post/35740657456/some-example-of-ancient-greek-art-source-the
http://www.beazley.ox.ac.uk/XDB/ASP/recordDetails.asp?recordCount=21&start=0
http://marinni.livejournal.com/612832.html
http://www.smtexas.net/faculty/jackson/CAPPS61011/CAPPS6T2I/Magee/Webpage/BattlesAndWars.html
http://www.moneymuseum.com/moneymuseum/coins/coin.jsp?lang=en&id=4953152
http://commons.wikimedia.org/wiki/Ancient_Agora_Museum_in_Athens
http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Greek_mythological_figures
http://www.theoi.com/GalleryK1.html
https://www.youtube.com/watch?v=tG69iGRtIlY&list=PLpyn-6Rlu5Mf-DDF_TC_AQe9IahC5ZYjU&index=6
Como a arte mudou o mundo
https://www.youtube.com/watch?v=7Jy4n8QkrMA (Documentário Dublado)
https://www.youtube.com/watch?v=nZXjUqLMgxM (Documentário BBC/2012)
O Dispositivo de Antikhytera
BBC - Mitos Gregos - Histórias de Heróis Viajantes
https://www.youtube.com/watch?v=B71zy4Upn1M (Documentário legendado)
Sabedoria e Antiguidade: Gregos [Completo Dublado] Documentário Discovery Civilization
https://www.youtube.com/watch?v=8whvidEEdlQ (Documentário dublado)

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Grecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e EspartaGrecia Antiga: Atenas e Esparta
Grecia Antiga: Atenas e Esparta
 
1° ano E.M. - Antigo Egito
1° ano E.M. -  Antigo Egito1° ano E.M. -  Antigo Egito
1° ano E.M. - Antigo Egito
 
Hominização
HominizaçãoHominização
Hominização
 
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
A Civilização Grega - 6º Ano (2016)
 
Egito Antigo
Egito AntigoEgito Antigo
Egito Antigo
 
Sociedade romana
Sociedade romanaSociedade romana
Sociedade romana
 
Pré História - 6º Ano
Pré História - 6º AnoPré História - 6º Ano
Pré História - 6º Ano
 
Grécia antiga
Grécia antigaGrécia antiga
Grécia antiga
 
03. aula de história geral - grécia antiga
03. aula de história geral - grécia antiga03. aula de história geral - grécia antiga
03. aula de história geral - grécia antiga
 
A civilização egípcia
A civilização egípciaA civilização egípcia
A civilização egípcia
 
Primeiras Civilizações - Egito Antigo
Primeiras Civilizações - Egito AntigoPrimeiras Civilizações - Egito Antigo
Primeiras Civilizações - Egito Antigo
 
A grécia antiga
A grécia antigaA grécia antiga
A grécia antiga
 
Trabalho Escravo
Trabalho EscravoTrabalho Escravo
Trabalho Escravo
 
Questões áfrica e civilizações pré colombianas
Questões áfrica e civilizações pré colombianasQuestões áfrica e civilizações pré colombianas
Questões áfrica e civilizações pré colombianas
 
Mesopotâmia e Egito 2019
Mesopotâmia  e Egito 2019Mesopotâmia  e Egito 2019
Mesopotâmia e Egito 2019
 
Grécia Antiga - PAS
Grécia Antiga - PASGrécia Antiga - PAS
Grécia Antiga - PAS
 
Roma de lugar a superpotência
Roma de lugar a superpotênciaRoma de lugar a superpotência
Roma de lugar a superpotência
 
Antiguidade Oriental
Antiguidade OrientalAntiguidade Oriental
Antiguidade Oriental
 
Hebreus, Fenícios e Persas
Hebreus, Fenícios e PersasHebreus, Fenícios e Persas
Hebreus, Fenícios e Persas
 
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
Mesopotâmia - 6º Ano (2018)
 

Destaque

19 independência da américa latina 2016
19  independência da américa latina 201619  independência da américa latina 2016
19 independência da américa latina 2016Denis Gasco
 
Colonização Espanhola
Colonização EspanholaColonização Espanhola
Colonização EspanholaDenis Gasco
 
A pré história
A pré históriaA pré história
A pré históriaDenis Gasco
 
Roma monarquia e república
Roma monarquia e repúblicaRoma monarquia e república
Roma monarquia e repúblicaDenis Gasco
 
Brasil colônia
Brasil colônia Brasil colônia
Brasil colônia Denis Gasco
 

Destaque (7)

19 independência da américa latina 2016
19  independência da américa latina 201619  independência da américa latina 2016
19 independência da américa latina 2016
 
Colonização Espanhola
Colonização EspanholaColonização Espanhola
Colonização Espanhola
 
A pré história
A pré históriaA pré história
A pré história
 
Roma monarquia e república
Roma monarquia e repúblicaRoma monarquia e república
Roma monarquia e república
 
Roma império
Roma impérioRoma império
Roma império
 
Brasil colônia
Brasil colônia Brasil colônia
Brasil colônia
 
Antigo regime
Antigo regimeAntigo regime
Antigo regime
 

Semelhante a Hélade= o mundo grego

Meta: Hélade= o mundo grego
Meta: Hélade= o mundo gregoMeta: Hélade= o mundo grego
Meta: Hélade= o mundo gregoDenis Gasco
 
História grecia-roma - vetor
História   grecia-roma - vetorHistória   grecia-roma - vetor
História grecia-roma - vetorMurilo Cisalpino
 
Conteúdo História da GRÉCIA ANTIGA SLIDES.pptx
Conteúdo História da GRÉCIA ANTIGA SLIDES.pptxConteúdo História da GRÉCIA ANTIGA SLIDES.pptx
Conteúdo História da GRÉCIA ANTIGA SLIDES.pptxVinciusKusma
 
6. grécia antiga
6. grécia antiga6. grécia antiga
6. grécia antigabatotario
 
Antiguidade clássica grécia
Antiguidade clássica   gréciaAntiguidade clássica   grécia
Antiguidade clássica gréciaPrivada
 
GRÉCIA ANTIGA historia sociedade e cultura.pptx
GRÉCIA ANTIGA historia sociedade e cultura.pptxGRÉCIA ANTIGA historia sociedade e cultura.pptx
GRÉCIA ANTIGA historia sociedade e cultura.pptxEstvoViana
 
Antigüidade clássica - A civilização grega
Antigüidade clássica - A civilização gregaAntigüidade clássica - A civilização grega
Antigüidade clássica - A civilização gregaEdenilson Morais
 
Grécia antiga Colégio Anchieta
Grécia antiga Colégio AnchietaGrécia antiga Colégio Anchieta
Grécia antiga Colégio AnchietaRamiro Bicca
 
Antiguidade ocidental completo
Antiguidade ocidental completoAntiguidade ocidental completo
Antiguidade ocidental completoCarlos Glufke
 
Antiguidade clássica grécia
Antiguidade clássica   gréciaAntiguidade clássica   grécia
Antiguidade clássica gréciaAuxiliadora
 
06 história rafael- grécia antiga
06 história   rafael- grécia antiga06 história   rafael- grécia antiga
06 história rafael- grécia antigaRafael Noronha
 
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e RomaAntiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e RomaMarilia Pimentel
 

Semelhante a Hélade= o mundo grego (20)

Meta: Hélade= o mundo grego
Meta: Hélade= o mundo gregoMeta: Hélade= o mundo grego
Meta: Hélade= o mundo grego
 
História grecia-roma
História   grecia-romaHistória   grecia-roma
História grecia-roma
 
Antiguidade Clássica Grécia e Roma
Antiguidade Clássica Grécia e RomaAntiguidade Clássica Grécia e Roma
Antiguidade Clássica Grécia e Roma
 
História grecia-roma - vetor
História   grecia-roma - vetorHistória   grecia-roma - vetor
História grecia-roma - vetor
 
Civilização Grega
Civilização GregaCivilização Grega
Civilização Grega
 
Conteúdo História da GRÉCIA ANTIGA SLIDES.pptx
Conteúdo História da GRÉCIA ANTIGA SLIDES.pptxConteúdo História da GRÉCIA ANTIGA SLIDES.pptx
Conteúdo História da GRÉCIA ANTIGA SLIDES.pptx
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 
6. grécia antiga
6. grécia antiga6. grécia antiga
6. grécia antiga
 
Aula 02 o mundo grego e a democracia
Aula 02   o mundo grego e a democraciaAula 02   o mundo grego e a democracia
Aula 02 o mundo grego e a democracia
 
Civilização Grega I.ppt
Civilização Grega I.pptCivilização Grega I.ppt
Civilização Grega I.ppt
 
Grecia
GreciaGrecia
Grecia
 
Antiguidade clássica grécia
Antiguidade clássica   gréciaAntiguidade clássica   grécia
Antiguidade clássica grécia
 
GRÉCIA ANTIGA historia sociedade e cultura.pptx
GRÉCIA ANTIGA historia sociedade e cultura.pptxGRÉCIA ANTIGA historia sociedade e cultura.pptx
GRÉCIA ANTIGA historia sociedade e cultura.pptx
 
Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2Grécia Antiga - Aula 2
Grécia Antiga - Aula 2
 
Antigüidade clássica - A civilização grega
Antigüidade clássica - A civilização gregaAntigüidade clássica - A civilização grega
Antigüidade clássica - A civilização grega
 
Grécia antiga Colégio Anchieta
Grécia antiga Colégio AnchietaGrécia antiga Colégio Anchieta
Grécia antiga Colégio Anchieta
 
Antiguidade ocidental completo
Antiguidade ocidental completoAntiguidade ocidental completo
Antiguidade ocidental completo
 
Antiguidade clássica grécia
Antiguidade clássica   gréciaAntiguidade clássica   grécia
Antiguidade clássica grécia
 
06 história rafael- grécia antiga
06 história   rafael- grécia antiga06 história   rafael- grécia antiga
06 história rafael- grécia antiga
 
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e RomaAntiguidade Clássica: Grécia e Roma
Antiguidade Clássica: Grécia e Roma
 

Mais de Denis Gasco

10 Antigo Regime
10   Antigo Regime10   Antigo Regime
10 Antigo RegimeDenis Gasco
 
Antiguidade oriental 2016
Antiguidade oriental 2016Antiguidade oriental 2016
Antiguidade oriental 2016Denis Gasco
 
Introdução à História
Introdução à HistóriaIntrodução à História
Introdução à HistóriaDenis Gasco
 
O feudalismo 2015
O feudalismo 2015O feudalismo 2015
O feudalismo 2015Denis Gasco
 
Idade media - Bizantinos e Islã
Idade media - Bizantinos e IslãIdade media - Bizantinos e Islã
Idade media - Bizantinos e IslãDenis Gasco
 
Animação e ideologia na Guerra Fria
Animação e ideologia na Guerra FriaAnimação e ideologia na Guerra Fria
Animação e ideologia na Guerra FriaDenis Gasco
 
Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra Fria
Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra FriaSegunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra Fria
Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra FriaDenis Gasco
 
Período entre guerras (1918 1939)
Período entre guerras (1918 1939)Período entre guerras (1918 1939)
Período entre guerras (1918 1939)Denis Gasco
 
A Revolução Russa
A Revolução RussaA Revolução Russa
A Revolução RussaDenis Gasco
 
Segunda revolução industrial
Segunda revolução industrialSegunda revolução industrial
Segunda revolução industrialDenis Gasco
 
Liberalismo, socialismo, nacionalismo
Liberalismo, socialismo, nacionalismoLiberalismo, socialismo, nacionalismo
Liberalismo, socialismo, nacionalismoDenis Gasco
 
Era napoleônica
Era napoleônicaEra napoleônica
Era napoleônicaDenis Gasco
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesaDenis Gasco
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento culturalDenis Gasco
 
Renascimento comercial e urbano
Renascimento comercial e urbanoRenascimento comercial e urbano
Renascimento comercial e urbanoDenis Gasco
 

Mais de Denis Gasco (20)

O Marxismo
O MarxismoO Marxismo
O Marxismo
 
Estados Unidos
Estados UnidosEstados Unidos
Estados Unidos
 
10 Antigo Regime
10   Antigo Regime10   Antigo Regime
10 Antigo Regime
 
Antiguidade oriental 2016
Antiguidade oriental 2016Antiguidade oriental 2016
Antiguidade oriental 2016
 
Introdução à História
Introdução à HistóriaIntrodução à História
Introdução à História
 
O feudalismo 2015
O feudalismo 2015O feudalismo 2015
O feudalismo 2015
 
Idade media - Bizantinos e Islã
Idade media - Bizantinos e IslãIdade media - Bizantinos e Islã
Idade media - Bizantinos e Islã
 
Animação e ideologia na Guerra Fria
Animação e ideologia na Guerra FriaAnimação e ideologia na Guerra Fria
Animação e ideologia na Guerra Fria
 
Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra Fria
Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra FriaSegunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra Fria
Segunda Guerra Mundial (1939-1945) e Guerra Fria
 
Período entre guerras (1918 1939)
Período entre guerras (1918 1939)Período entre guerras (1918 1939)
Período entre guerras (1918 1939)
 
A crise de 1929
A crise de 1929A crise de 1929
A crise de 1929
 
A Revolução Russa
A Revolução RussaA Revolução Russa
A Revolução Russa
 
A grande guerra
A grande guerraA grande guerra
A grande guerra
 
Segunda revolução industrial
Segunda revolução industrialSegunda revolução industrial
Segunda revolução industrial
 
Liberalismo, socialismo, nacionalismo
Liberalismo, socialismo, nacionalismoLiberalismo, socialismo, nacionalismo
Liberalismo, socialismo, nacionalismo
 
Era napoleônica
Era napoleônicaEra napoleônica
Era napoleônica
 
Revolução francesa
Revolução francesaRevolução francesa
Revolução francesa
 
Renascimento cultural
Renascimento culturalRenascimento cultural
Renascimento cultural
 
Renascimento comercial e urbano
Renascimento comercial e urbanoRenascimento comercial e urbano
Renascimento comercial e urbano
 
O feudalismo
O feudalismoO feudalismo
O feudalismo
 

Último

VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOBiatrizGomes1
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxIsabellaGomes58
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024Sandra Pratas
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoMary Alvarenga
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfHenrique Pontes
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxBiancaNogueira42
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdfProfGleide
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAlexandreFrana33
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfdio7ff
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxThye Oliver
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbyasminlarissa371
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveaulasgege
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 anoAdelmaTorres2
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfIedaGoethe
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfIedaGoethe
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfErasmo Portavoz
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundonialb
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfPastor Robson Colaço
 

Último (20)

VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSOVALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
VALORES HUMANOS NA DISCIPLINA DE ENSINO RELIGIOSO
 
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptxQUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
QUARTA - 1EM SOCIOLOGIA - Aprender a pesquisar.pptx
 
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
HORA DO CONTO4_BECRE D. CARLOS I_2023_2024
 
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu AbrigoAtividade com a letra da música Meu Abrigo
Atividade com a letra da música Meu Abrigo
 
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdfBRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
BRASIL - DOMÍNIOS MORFOCLIMÁTICOS - Fund 2.pdf
 
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptxAula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
Aula 13 8º Ano Cap.04 Revolução Francesa.pptx
 
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdfPLANEJAMENTO anual do  3ANO fundamental 1 MG.pdf
PLANEJAMENTO anual do 3ANO fundamental 1 MG.pdf
 
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptxAs Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
As Viagens Missionária do Apostolo Paulo.pptx
 
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdfHABILIDADES ESSENCIAIS  - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
HABILIDADES ESSENCIAIS - MATEMÁTICA 4º ANO.pdf
 
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptxDoutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
Doutrina Deus filho e Espírito Santo.pptx
 
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbv19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
v19n2s3a25.pdfgcbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbbb
 
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chaveAula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
Aula - 2º Ano - Cultura e Sociedade - Conceitos-chave
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
637743470-Mapa-Mental-Portugue-s-1.pdf 4 ano
 
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdfcartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
cartilha-pdi-plano-de-desenvolvimento-individual-do-estudante.pdf
 
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdfDIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
DIA DO INDIO - FLIPBOOK PARA IMPRIMIR.pdf
 
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdfO guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
O guia definitivo para conquistar a aprovação em concurso público.pdf
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundogeografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
geografia 7 ano - relevo, altitude, topos do mundo
 
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdfO Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
O Universo Cuckold - Compartilhando a Esposas Com Amigo.pdf
 

Hélade= o mundo grego

  • 2. Geografia: 3 regiões Porção Continental (Península Balcânica) Porção insular (Ilhas do Mar Egeu) Porção Asiática (Costa Ocidental da Ásia Menor)
  • 5. • Pré-Homérico - entre 2000 e 1.100 a.C • Homérico - entre 1.100 e 700 a.C • Arcaico - entre 700 e 500 a.C • Clássico - entre 500 e 338 a.C • Helenístico - entre 338 e 146 a.C Os períodos:
  • 6. • Jônios: incursões militares (porção continental) • Eólios: expulsam parte dos jônios (Aprox. 1580 a.C.) • Aqueus: região do Peloponeso (terras férteis) • Dórios: invadem a região (XI a.C) Origem: Povos de origem indo-européia (grego primitivo) Minóicos (Ilha de Creta) +  Comércio  Bronze  Navegação  Escrita Palácio de Minos Aprox. 1400 a.C.: Processo expansionista - Creta - Mar Egeu - Mar Negro Civilização creto-micênica Guerra de Tróia  Grande poder popular  Uso do ferro Primeira Diáspora Grega Primeiras Colônias
  • 7. Bust of a statue belonging to a group representing Theseus and the Minotaur, a fountain erected in Athens near St Demetrius Katéphoris in Plaka. This is a copy of the famous statuary group due to Myron erected on the Acropolis representing Theseus fighting the Minotaur. National Archaeological Museum, Athens, No. 1664.
  • 8. Remarkable gold elliptical funeral diadems, leaves, wheels, cups, earrings, pendants and pins from Shaft Grave III, "Grave of the Women", Grave Circle A, Mycenae. 1600-1500 BC. National Archaeological Museum, Athens.
  • 9.
  • 10. O Período Homérico (1200 – 800 a.C) • Obras de Homero • Invasão dórica • Formação das COMUNIDADES GENTÍLICAS (Genos)  A Ilíada  A Odisseia Grandes Transformações  escrita  comércio  Dispersão populacional  Grupos familiares extensos  Culto de antepassado comum  Líder: pater-famílias  OIKOS: unidade econômica - Cerimônias religiosas - Justiça (tradição oral) - Comando militar - Trabalho familiar - Propriedade coletiva - Agropastoril - subsistência ATTIC BLACK-FIGURE PANATHENAIC NECK AMPHORA, C. 530 BCE, BY THE EUPHILETOS PAINTER
  • 11.
  • 12. A fine Corinthian Alabastron c. 650-550 BC. The small perfume vessel with flaring lip and small loop handle, the body ornamented with a register of three finely painted lions and a goose. A choice Gnathian Greek Oinochoe. c. 350 BC. With superb high lead glaze with silvery iridescence, and added vines painted in red, white and yellow. Greek vase Antimenes painter
  • 13.
  • 14. Vase Number: 396 Fabric: ATHENIAN Technique: BLACK-FIGURE Shape Name: CUP A Date: -550 to -500 Attributed To: LYSIPPIDES P by UNKNOWN LYSIPPIDES P by UNKNOWN ANDOKIDES P by UNKNOWN Decoration: FIG: PHALLOS FIG: PHALLOS IZ: SYMPOSIUM, MEN, SOME ANAKREONTIC IN SAKKOI, SOME WITH CUPS AND PHIALAI, ONE PLAYING PIPES, YOUTH WITH OINOCHOE, BENEATH VINES WITH CLOTH SUSPENDED, LYRE SUSPENDED AH: VINE A,B: SATYR HEAD (FRONTAL) BETWEEN EYES I: GORGONEION Collection Record: Oxford, Ashmolean Museum: 1974.344 Oxford, Ashmolean Museum: 1974.344
  • 15. Aprox. 900 a.C: Terras cultiváveis populacional Disputas pelo poder e distribuição de riquezas DESIGUALDADES (propriedade privada) EUPÁTRIDAS (“os bem nascidos”) Colapso do Sistema gentílico Crescimento comercial A bearded man (probably the archon basileus) receives a folded cloth (probably the sacred peplos of Athena) from a child (probably a boy). Block V (fig. 34-35) from the East frieze of the Parthenon, ca. 447–433 BC.
  • 18. Aprox. 800 a.C: Formação da Pólis (cidades-estado)  Cidades autônomas  Acrópole  Ágora - Própria estrutura Política Econômica Social religiosa - Fortificação - Santuário politeísta - Amuralhado - Controle sobre entorno rural - Edifícios públicos - mercado Praça de reunião dos cidadãos Essencialmente agrícola Stoa of the ancient agora ofThessa loniki Lebanon Agora East stoa Ancient Agora of Athens
  • 21. Período Arcaico (700 e 500 a.C) • Solo pobre • Escravidão por dívidas • Concentração de terras Crise Agrária Segunda Diáspora Grega  Saída encontrada para a crise  Colônias  Busca por terras cultiváveis  Financiadas pelas Póleis - Mar Negro - Mar Mediterrâneo Fundação de Novas Póleis  Fornecimento de alimentos  Consumo de - Azeite - vinho Fresco from the thracian tomb of Kazanlak, Bulgaria (Ancient Greek Colony – Thrace)
  • 22. A Grécia Antiga não passava a ter um poder centralizado, mas sim regiões dominadas por cidades-estado influentes Atenas Esparta
  • 24.
  • 25. Geografia: • Região do Mar Egeu (Ática) • Poucas terras férteis Economia: • Comércio marítimo  Vinho  Azeite  prata Sociedade: • Eupátridas • Georgóis • Thetas e Metecos • Escravos  Grandes proprietários de terras  Monopólio político  Pequenos proprietários de terras  Pequenos comerciantes e artesãos  estrangeiros  Por guerra  Por dívidas  Comercializados  nascimento Governo Aristocrático
  • 26. Política: • VIII a.C: período monárquico • VII a.C: Poder oligárquico • VI a.C: Tirania • V - IV a.C: Período Democrático  Reis = Basileus Conflitos com aristocracia ateniense  Controle político de poucos (eupátridas)  Legiladores - Drácon (codificou leis orais) - Sólon Pressão social  Psítrato  508 a.C: Clístenes - Depôs Iságoras - Instaura - Principio do Ostracismo (ostrákon) DEMOCRACIA - fim escravidão por dívidas - 594 a.C: voto censitário - Unificou pesos e medidas - Equilíbrio entre aristocracia e povo - Organização do exército  Participação política de todos os Cidadãos - Homens - Maiores de 21 anos - Filhos de mãe e pais atenienses Instabilidade social
  • 29. Official bronze weights dating from around the 6th centtuy BC, exhibited in the Ancient Agora Museum in Athens, housed in the Stoa of Attalus. Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009.
  • 30. Os escravos faziam os mais diferentes trabalhos, favorecendo o cidadão – fosse ele um pequeno comerciante, fosse um rico proprietário de terras – porque lhe permitia dedicar seu tempo à discussão de negócios da pólis. Assim surgiu a carreira política. • Conceito de “ÓCIO” • Eclésia (Acrópole)
  • 31. Ostracon bearing the name of Cimon, 486 or 461 BC. Ancient Agora Museum in Athens.
  • 33. Geografia: • Região da Lacônia (Peloponeso) • terras férteis • Vale protegido Economia: • agrária  Cereais  Pastoreio  Artesanato para comércio interno  Modesto comércio externo (se tivesse excedentes) Sociedade: • Esparciatas • Periecos (considerados estrangeiros) • Hilotas  Descendentes de dórios  Monopólio da política  Melhores terras  Vida para guerra “educação espartana”  Herdeiros dos aqueus que não resistiram à invasão  Vida na periferia  Atividade agropastoril  Sem direitos políticos 4X mais numerosos!  Escravos  Propriedade do Estado Criptéia: ritual iniciação Xenofobia
  • 34.
  • 35. Política: • Oligarquia • Leis divinas e imutáveis  Diarquia  Gerúsia (Anciãos)  Ápela (mais importante) Grande Retra - Militar - religiosos - Permissão para casar - Participar na política (até os 60 anos) Cidadão aos 30 anos: Zeus with eagle. Tondo from a black-figured Laconian cup, ca. 560 BC.
  • 36. Período Clássico (500 e 338 a.C) Apogeu ateniense Classical period krater with sympotic scene. Krateres were used to mix wine with water. The Greeks always drank wine watered; drinking wine straight was the mark of a barbarian. Given the use of the vessel, drinking-party themed decoration is appropriate. The woman playing the aulos (double flute), would be a hired professional.
  • 37. Período Clássico (500 e 338 a.C) Guerras Médicas (490-448 a.C.) • Conflitos com expansionismo imperialista Persa • Liga de Delos • Governo de Péricles (444-429 a.C) • hegemonia ateniense Apogeu • Liga do Peloponeso (Esparta) • Acordo com persas p.5 • Hegemonia espartana • Liga da Beócia (Tebas) • Hegemonia de tebas • Atenas + Esparta • 362 a.C: Tebas derrotada Desestruturação socio-econômica do mundo helenístico island of Delos (Greek: Δήλος) Boeotia, Thebes, Boeotian League, Stater, 395-387 v.Chr. Guerra do Peloponeso
  • 38. Fragment of an Athenian decree concerning the collection of the tribute from the members of the Delian League, probably passed in the spring of 447 BC.
  • 39. Vivemos numa forma de governo que não se baseia nas instituições de nossos vizinhos; ao contrário, servimos alguns, ao invés de imitar outros. [...] Nela, enquanto privadas, quando se trata de escolher (se é preciso distinguir em algum setor), não mérito, que dá acesso aos postos mais honrosos; inversamente serviços à cidade, seja impedido de fazê‐lo pela pública, e não observamos com uma curiosidade suspicaz [desconfiada] a ressentimos com nosso vizinho se ele age como lhe apraz, nem o olhamos com ares de reprovação que, embora inócuos, lhe causariam desgosto. Ao mesmo tempo que evitamos ofender os outros em nosso convívio privado nos afastamos da ilegalidade principalmente por causa de um temor reverente, pois somos submissos às especialmente àquelas promulgadas para socorrer os oprimidos e às que, embora não desonra visível a todos. (Oração fúnebre de Péricles, 430 a.C., in Tucídides.) a) Com base nas informações contidas no texto, identifique o sistema político nele características. b) Identifique a cidade que foi a principal adversária de Atenas na Guerra do Peloponeso e diferencie os vigentes em cada uma delas. FUVEST/2014
  • 40.
  • 41. Bronze Spartan shield conquered, as the inscription punched on it reveals, from the Spartans at the victory of Pylos in 425 BC. Ancient Agora Museum in Athens, around 510 BC. Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009.
  • 42. 338 a.C: Invasão macedônica • Filipe (morre em 336 a.C) Período Helenístico (338 e 146 a.C) Alexandre, o grande (336 - 323 a.C) • Egito • Ásia Menor • Mesopotâmia • Pérsia Preserva estrutura administrativa persa Fusão de valores Império Híbrido  Tradição grega (mitos)  Culto teocrático ao líder (Egito)  22 Alexandrias 323 a.C: • Morte • Império fragmentado 146 a.C: domínio romano Denominação Graetia
  • 43. Italy, Campania, Naples: Mosaic from Pompeii, Battle between Alexander and Darius, dated around 125 BC, on display at the Museo Archeologico Nazionale (National Archaeological Museum) | Italien, Kampanien, Neapel: Mosaik aus Pompeji zeigt die Schlacht zwischen Alexander und Darius um 125 vor Christus, Ausstellungsstueck im Museo Archeologico Nazionale COPYRIGHT:© Rainer Jahns, all rights reserved
  • 44. Three Ancient Greek kantharoi in the so called "West Slope Style", dating from 275-260 B.C., in theAncient Agora Museum in Athens. Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009.
  • 45. A Cultura Grega • Base da identidade cultural (barbarói p.7) • Escrita • Busca pela • Esculturas • Estilos arquitetônicos • Tradição religiosa • Teatro (festividades dionísicas) • Filosofia  Perfeição  Equilíbrio  Harmonia  “imortalidade”  Politeísmo  Deuses imortais  Destino decidido ou alterado por divindades  Características humanas nas divindades  Mitos  Linhas retas  proporcionalidade  Poemas  Registros  Tragédia  Comédia  Drama Perfume bottle in the shape of an athlete binding a victory ribbon around his head, ca. 540s BC. On display in the Ancient Agora Museum in Athens, housed in the Stoa of Attalus. Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009.
  • 46. • Escrita  Poemas  Registros Idealized portrayal of Homer dating to the Hellenistic period. British Museum. Homer in the company of Calliope, the Muse of epic poetry (replica of Roman Imperial mosaic, c. 240 AD, from Vichten) Homer seated on a throne; behind him, Oikoumene (Arsinoe III?) and Cronos (Ptolemy IV?); crouching beside the throne, the Iliad and the Odyssey; on the left of the altar, the Myth (as a child); on the right of the altar, from left to right, History, Poetry, Tragedy and Comedy, then Nature (Physis), Virtue (Arete), Memory (Mneme), Good Faith (Pistis), Wisdom (Sophia). Upper tier: Zeus; middle tiers: Muses. Probably made in Alexandria, Ptolemaic Egypt. Tema épico
  • 47. In the King James Version of the Bible this is translated as: And through a window in a basket was I let down by the wall, and escaped his hands. It is not expedient for me doubtless to glory. I will come to visions and revelations of the Lord. I knew a man in Christ above fourteen years ago, (whether in the body, I cannot tell; or whether out of the body, I cannot tell: God knoweth;) such an one caught up to the third heaven. And I knew such a man, (whether in the body, or out of the body, I cannot tell: God knoweth;) How that he was caught up into paradise, and heard unspeakable words, which it is not lawful for a man to utter. Of such an one will I glory: yet of myself I will not glory, but in mine infirmities. For though I would desire to glory, I shall not be a fool; for I will say the truth: but now I forbear, lest any man should think of me above that which he seeth me to be, or that he heareth of me. And lest I should be exalted above measure through the abundance of the revelations, there was given to me a thorn in the flesh, the messenger of Satan to buffet me, lest I should be exalted above measure. For this thing I besought the Lord thrice, that it might depart from me. And he said unto me, My grace is sufficient for thee: for my strength is made perfect in weakness. Most gladly therefore will I rather glory in my infirmities, that the power of Christ may rest upon me. Folio from Papyrus 46, containing 2 Corinthians 11:33-12:9
  • 48. • Busca pela  Perfeição  Equilíbrio  Harmonia  “imortalidade” Artemision Bronze, thought to be either Poseidon or Zeus, c. 460 BCE, National Archaeological Museum, Athens. Found by fishermen off the coast of Cape Artemisiumin 1928. The figure is more than 2 m in height. Riace bronzes, examples of proto classic bronze sculpture So-called “Aphrodite Braschi”, free copy (1st century BC) after a votive statue of Praxitele in Cnidus (“Aphrodite of Cnidus” type, ca. 350–340 BC).
  • 49.
  • 50. • Esculturas • Estilos arquitetônicos  Linhas retas  Proporcionalidade  simetria Doric Temple of Athena Lindia in Lindos, Greece, photographed in October, 2009 Ionic capital from the Stoa of Attalus. This specimen was used as a model in the modern rebuilding of the Stoa itslef. Exhibited along the portico of the Stoa of Attalus, which houses the Ancient Agora Museum in Athens. Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009.
  • 51. Fuente: Grandes civilizaciones del pasado. Grecia antigua. Furio Durando. Ediciones Folio, 2.005
  • 52. The Stoa of Attalus is an hellenistic monumental porticoe given by Attalus II of Pergamon (159-138 BC) to the city of Athens, as a gift for the education he had received there. It was rebuilt between 1953 and 1956 and now houses the Ancient Agora Museum in Athens.
  • 53. Relics of polychromy on an Ancient Greek ionic capital, from an unidentified 5th century BC building. Exhibited along the portico of the Stoa of Attalus, which houses the Ancient Agora Museum in Athens. Picture byGiovanni Dall'Orto, November 9 2009. Statue of a godess, probably Aphrodite. Early 4th century BC. Exhibited along the portico of the Stoa of Attalus, which houses the Ancient Agora Museum in Athens. Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009.
  • 54. Interior of the National Archaeological Museum of Athens.
  • 55. • Tradição religiosa  Politeísmo  Deuses imortais  Destino decidido ou alterado por divindades  Características humanas nas divindades  Mitos Aphrodite (Ἀφροδίτη, Aphroditē) Apollo (Ἀπόλλων, Apóllōn) God of light, music, arts, knowledge, healing, res (Ἄρης, Árēs) God of war, bloodshed, and violence Athena (Ἀθηνᾶ, Athēnâ) Goddess of intelligence and skill Demeter (Δημήτηρ, Dēmētēr) Goddess of grain, agriculture and the harvest, growth and nourishment Dionysus (Διόνυσος, Diónysos) God of wine, parties and festivals, madness, chaos, drunkenness Hephaestus (Ἥφαιστος, Hḗphaistos) Crippled god of fire, metalworking, and crafts Hera (Ἥρα, Hḗra) Queen of the heavens and goddess of marriage, women, childbirt Poseidon (Ποσειδῶν, Poseidōn) God of the sea, rivers, floods, droughts, earthquakes, and the creator of horses Zeus (Ζεύς, Zeus) King of the gods, the ruler of Mount Olympus and the god of the sky
  • 56. Prometheus depicted in a sculpture by Nicolas-Sébastien Adam, 1762 (Louvre) Heracles freeing the bound Prometheus. Side A of a Boeotian (?) black-figured cup made in Athens, ca. 500 BC.
  • 57. Zeus, disguised as a swan, seducesLeda, the Queen of Sparta. A sixteenth century copy of the lost original byMichelangelo. Heracles and his child Telephos. Marble, Roman copy of the 1st–2nd century CE after a Greek original of the 4th century BCE. Found in Tivoli, Italy.
  • 58. UNESP/2015 Leia o texto para responder às questões de números 31 e 32. A partir do século VII a.C., muitas comunidades nas ilhas, na Grécia continental, nas costas da Turquia e na Itália construíram grandes templos destinados a deuses específicos: os deuses de cada cidade. As construções de templos foram verdadeiramente monumentais. [...] Tornaram-se as novas moradias dos deuses. Não eram mais deuses de uma família aristocrática ou de uma etnia, mas de uma pólis. Eram os deuses da comunidade como um todo. A religião surgiu, assim, como um fator aglutinador das forças cooperativas da pólis. [...] A construção monumental foi influenciada por modelos egípcios e orientais. Sem as proezas de cálculo matemático, desenvolvidas na Mesopotâmia e no Egito, os grandes monumentos gregos teriam sido impossíveis. (Norberto Luiz Guarinello. História antiga, 2013.) Segundo o texto, um papel fundamental da religião, na Grécia antiga, foi o de (A) eliminar as diferenças étnicas e sociais e permitir a igualdade social. (B) estabelecer identidade e vínculos comunitários e unificar as crenças. (C) impedir a persistência do paganismo e afirmar os valores cristãos. (D)eliminar a integração política, militar e cultural entre as cidades-estados. (E) valorizar as crenças aristocráticas e eliminar as formas de culto populares.
  • 59. UNESP/2015 Leia o texto para responder às questões de números 31 e 32. A partir do século VII a.C., muitas comunidades nas ilhas, na Grécia continental, nas costas da Turquia e na Itália construíram grandes templos destinados a deuses específicos: os deuses de cada cidade. As construções de templos foram verdadeiramente monumentais. [...] Tornaram-se as novas moradias dos deuses. Não eram mais deuses de uma família aristocrática ou de uma etnia, mas de uma pólis. Eram os deuses da comunidade como um todo. A religião surgiu, assim, como um fator aglutinador das forças cooperativas da pólis. [...] A construção monumental foi influenciada por modelos egípcios e orientais. Sem as proezas de cálculo matemático, desenvolvidas na Mesopotâmia e no Egito, os grandes monumentos gregos teriam sido impossíveis. (Norberto Luiz Guarinello. História antiga, 2013.) 31- Segundo o texto, um papel fundamental da religião, na Grécia antiga, foi o de (A) eliminar as diferenças étnicas e sociais e permitir a igualdade social. (B) estabelecer identidade e vínculos comunitários e unificar as crenças. (C) impedir a persistência do paganismo e afirmar os valores cristãos. (D)eliminar a integração política, militar e cultural entre as cidades-estados. (E) valorizar as crenças aristocráticas e eliminar as formas de culto populares.
  • 60. UNESP/2015 Leia o texto para responder às questões de números 31 e 32. A partir do século VII a.C., muitas comunidades nas ilhas, na Grécia continental, nas costas da Turquia e na Itália construíram grandes templos destinados a deuses específicos: os deuses de cada cidade. As construções de templos foram verdadeiramente monumentais. [...] Tornaram-se as novas moradias dos deuses. Não eram mais deuses de uma família aristocrática ou de uma etnia, mas de uma pólis. Eram os deuses da comunidade como um todo. A religião surgiu, assim, como um fator aglutinador das forças cooperativas da pólis. [...] A construção monumental foi influenciada por modelos egípcios e orientais. Sem as proezas de cálculo matemático, desenvolvidas na Mesopotâmia e no Egito, os grandes monumentos gregos teriam sido impossíveis. (Norberto Luiz Guarinello. História antiga, 2013.) 32- A relação estabelecida no texto entre a arquitetura grega e a arquitetura egípcia e oriental pode ser justificada pela (A) circulação e comunicação entre povos da região mediterrânica e do Oriente Próximo, que facilitaram a expansão das construções em pedra. (B) dominação política e militar que as cidades-estados gregas, lideradas por Esparta, impuseram ao Oriente Próximo. (C) presença hegemônica de povos de origem árabe na região mediterrânica, que contribuiu para a expansão do Islamismo. (D) difusão do helenismo na região mediterrânica, que assegurou a incorporação de elementos culturais dos povos dominados.
  • 61. UNESP/2015 Leia o texto para responder às questões de números 31 e 32. A partir do século VII a.C., muitas comunidades nas ilhas, na Grécia continental, nas costas da Turquia e na Itália construíram grandes templos destinados a deuses específicos: os deuses de cada cidade. As construções de templos foram verdadeiramente monumentais. [...] Tornaram-se as novas moradias dos deuses. Não eram mais deuses de uma família aristocrática ou de uma etnia, mas de uma pólis. Eram os deuses da comunidade como um todo. A religião surgiu, assim, como um fator aglutinador das forças cooperativas da pólis. [...] A construção monumental foi influenciada por modelos egípcios e orientais. Sem as proezas de cálculo matemático, desenvolvidas na Mesopotâmia e no Egito, os grandes monumentos gregos teriam sido impossíveis. (Norberto Luiz Guarinello. História antiga, 2013.) 32- A relação estabelecida no texto entre a arquitetura grega e a arquitetura egípcia e oriental pode ser justificada pela (A) circulação e comunicação entre povos da região mediterrânica e do Oriente Próximo, que facilitaram a expansão das construções em pedra. (B) dominação política e militar que as cidades-estados gregas, lideradas por Esparta, impuseram ao Oriente Próximo. (C) presença hegemônica de povos de origem árabe na região mediterrânica, que contribuiu para a expansão do Islamismo. (D) difusão do helenismo na região mediterrânica, que assegurou a incorporação de elementos culturais dos povos dominados.
  • 62. • Teatro (festividades dionísicas) - Tragédia - Comédia - Drama Theatre mask, dating from the 4th/3rd century BC. On display in the Ancient Agora Museum in Athens, housed in the Stoa of Attalus. Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009. Theatre mask, dating from the 4th/3rd century BC. On display in the Ancient Agora Museum in Athens, housed in the Stoa of Attalus. Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009. Satyr: Antikenmuseen, Berlin, Germany (510-500 bC) Origem: - Festas dionísicas - Encenações - Procissões - Alguns vestidos de sátiros - Oferendas - Sacrifícios - Coroação de benfeitores públicos Caráter orgiástico
  • 63. • Filosofia Portrait of Socrates. Marble, Roman artwork (1st century), perhaps a copy of a lost bronze statue made by Lysippos. Plato. Luni marble, copy of the portrait made by Silanion ca. 370 BC for the Academia in Athens. From the sacred area in Largo Argentina, 1925 Marble bust of Aristotle. Roman copy after a Greek bronze original by Lysippus c. 330 BC. The alabaster mantle is modern.  Período pré-socrático  Período Socrático  Período Sistemático  Período Helenístico - O estudo da origem da natureza (physis) - Escola Jônica - Escola Itálica - Escola Eleata - Escola da Pluralidade - Questões humanas - Sofistas - Sócrates Ética Política técnicas Constante questionamento - Platão: funda a Academia (Akademus) - Cria distinção: plano ideal = mundo real - Aristóteles de Estagira - Múltiplas áreas - Insere o conceito de lógica (lógus) - Debate a estética (aesthética) - Tutor de Alexandre
  • 64. Early Islamic portrayal of Aristotle (r) and Alexander the Great (l) Detail of The School of Athens by Raffaello Sanzio, 1509, showing Plato (left) and Aristotle (right)
  • 65.
  • 66. Main w:en:Antikythera mechanism fragment (fragment A). The mechanism consists of a complex system of 30 wheels and plates with inscriptions relating to signs of the zodiac, months, eclipses and pan-Hellenic games. The study of the fragments suggests that this was a kind of astrolabe. The interpretation now generally accepted dates back to studies by Professor w:en:Derek de Solla Price, who was the first to suggest that the mechanism is a machine to calculate the solar and lunar calendar, that is to say, an ingenious machine to determine the time based on the movements of the sun and moon, their relationship (eclipses) and the movements of other stars and planets known at that time. Later research by the Antikythera Mechanism Research Project and scholar Michael Wright has added to and improved upon Price's work. The mechanism was probably built by an mechanic engineer of the school of Posidonius in Rhodes. Cicero, who visited the island in 79/78 B.C. reported that such devices were indeed designed by the Stoic philosopher Posidonius of Apamea. The design of the Antikythera mechanism appears to follow the tradition of Archimedes' planetarium, and may be related to sundials. His modus operandi is based on the use of gears. The machine is dated around 89 B.C. and comes from the wreck found off the island of Antikythera. National Archaeological Museum, Athens, No. 15987.
  • 67. • Os Banquetes Rammetromme. Frame-drum Indo-Greek Banquet. Hellenistic banquet scene, Hadda, Gandhara. 1st century CE. Musee Guimet Paris.
  • 68.
  • 70. 2nd century BC oil lamps, portraying the heads of a bull and of an African man. On display in the Ancient Agora Museum in Athens, housed in the Stoa of Attalus. Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009. Casserole and brazier (6th/4th century BC) exhibited in the Ancient Agora Museum in Athens, housed in the Stoa of Attalus. Picture by Giovanni Dall'Orto, November 9 2009.
  • 71. Varvakion Athena. Imperial Roman marble miniature copy, 2nd c. AD, of the colossal chryselephantine Athena Parthenos, ca. 432 BC,
  • 72.
  • 73. Courtesans and prostitutes. Ancient Greece.
  • 74. Estabeleça duas diferenças entre o conceito de democracia vigente em Atenas no período antigo e o conceito de democracia vigente no Brasil atual. Resolução: O conceito de democracia ateniense era direto e excludente: os poucos cidadãos (homens, maiores de 21 anos e atenienses natos) participavam diretamente das tomadas de decisão da cidade-Estado. O conceito de cidadania do Brasil atual é Indireto ou representativo e abrangente: todos somos cidadãos e elegemos um representante para tomar as decisões políticas. Ufpr/2014
  • 75. Links: http://www.tumblr.com/tagged/ancient%20greek%20art?language=pt_PT http://www.beazley.ox.ac.uk/index.htm http://mortisia.tumblr.com/post/35740657456/some-example-of-ancient-greek-art-source-the http://www.beazley.ox.ac.uk/XDB/ASP/recordDetails.asp?recordCount=21&start=0 http://marinni.livejournal.com/612832.html http://www.smtexas.net/faculty/jackson/CAPPS61011/CAPPS6T2I/Magee/Webpage/BattlesAndWars.html http://www.moneymuseum.com/moneymuseum/coins/coin.jsp?lang=en&id=4953152 http://commons.wikimedia.org/wiki/Ancient_Agora_Museum_in_Athens http://en.wikipedia.org/wiki/List_of_Greek_mythological_figures http://www.theoi.com/GalleryK1.html https://www.youtube.com/watch?v=tG69iGRtIlY&list=PLpyn-6Rlu5Mf-DDF_TC_AQe9IahC5ZYjU&index=6 Como a arte mudou o mundo https://www.youtube.com/watch?v=7Jy4n8QkrMA (Documentário Dublado) https://www.youtube.com/watch?v=nZXjUqLMgxM (Documentário BBC/2012) O Dispositivo de Antikhytera BBC - Mitos Gregos - Histórias de Heróis Viajantes https://www.youtube.com/watch?v=B71zy4Upn1M (Documentário legendado) Sabedoria e Antiguidade: Gregos [Completo Dublado] Documentário Discovery Civilization https://www.youtube.com/watch?v=8whvidEEdlQ (Documentário dublado)