SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 64
Baixar para ler offline
PREFEITURA DE CAMPO GRANDE - MS
SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS
           GUARDA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE




     PROJETO: “ESCOLA SEGURA É A GENTE QUE FAZ”
                        PROESEG

   ALEX BARBOSA DE LIMA
   GILENO COELHO
   LEONARDO DE OLIVEIRA HUMEREZ
   MARCELO RIOS
             PALESTRANTES DA GUARDA MUNICIPAL
                    CAMPO GRANDE - MS
“PREVENÇÃO CONTRA
  O USO DE DROGAS”
O QUE SÃO DROGAS ?
O QUE SÃO DROGAS ?
      SÃO TODAS SUBSTâNCIAS NATURAIS OU
  PRODUTOS QUíMICOS QUE, EM CONTATO COM O
  ORGANISMO     HUMANO,     ATUE     COMO
  DEPRESSOR,        ESTIMULANTE        OU
  PERTURBADOR,         ALTERANDO        O
  FUNCIONAMENTO    DO  SISTEMA    NERVOSO
  CENTRAL, PROVOCANDO MUDANÇAS NO HUMOR,
  NA PERCEPÇÃO E NO COMPORTAMENTO,
  PODENDO CAUSAR DEPENDêNCIA QUíMICA.
 SÃO TODAS E QUAISQUER SUBSTâNCIAS
  NATURAIS OU SINTéTICAS QUE INTRODUZIDAS
  NO ORGANISMO MODIFICAM SUAS FUNÇÕES
DROGAS PSICOTRÓPICAS
 SÃO DROGAS QUE AGEM NO SISTEMA NERVOSO CENTRAL
    (SNC) PRODUZINDO ALTERAÇÕES DE COMPORTAMENTO,
    HUMOR E COGNIÇÃO, POSSUINDO GRANDE PROPRIEDADE
    REFORÇADORA SENDO, PORTANTO, PASSíVEIS DE AUTO-
    ADMINISTRAÇÃO    (USO   NÃO     SANCIONADO  PELA
    MEDICINA).
   EM OUTRAS PALAVRAS, ESTAS DROGAS LEVAM à
    DEPENDêNCIA.
   PSICOTRÓPICO: PSyCHé (MENTE) + TRÓPOS (ATRAÇÃO)
   TêM ATRAÇÃO DE ATUAR NO CéREBRO, MODIFICANDO
    NOSSA MANEIRA DE SENTIR, DE PENSAR E , MUITAS
    VEZES, DE AGIR.
   A ASPIRINA, POR EXEMPLO, ATUA NO CéREBRO PARA
    IMPEDIR A DOR, MAS NÃO MODIFICA O COMPORTAMENTO.
    é UMA DROGA, MAS NÃO PSICOTRÓPICA.
DEPENDêNCIAS

DEPENDêNCIA FíSICA:
     ESTADO NO QUAL O ORGANISMO SE AjUSTA à
PRESENÇA DE UMA DROGA.

DEPENDêNCIA PSICOLÓGICA:
      “PREOCUPAÇÃO MENTAL E EMOCIONAL DEVIDA
AOS EFEITOS DA DROGA. é A COMPULSÃO, A FISSURA.”

SíNDROME                DE
ABSTINêNCIA:
      ESTADO DOENTIO DE
UMA                PESSOA,
CARACTERIZADO         PELO
CONjUNTO   DE   SINAIS   E
SINTOMAS      QUE      SÃO
PRODUZIDOS PELA AUSêNCIA
QUAIS AS CLASSIFICAÇÕES
      DAS DROGAS
    PSICOTRÓPICAS?

SÃO DIVIDIDAS EM TRêS CLASSES:

4. DEPRESSORES DA ATIVIDADE DO
   SNC;
5. ESTIMULANTES DA ATIVIDADE DO
   SNC;
6. PERTURBADORES DA ATIVIDADE DO
   SNC.
1. DEPRESSORES DA ATIVIDADE
   DO SNC:
        AS SUBSTâNCIAS DIMINUEM A ATIVIDADE DO
CéREBRO, OU SEjA, DEPRIMEM O SEU FUNCIONAMENTO,
FAZENDO COM QUE A PESSOA FIQUE "DESLIGADA", "DEVAGAR",
DESINTERESSADA PELAS COISAS.
EXEMPLOS:
ÁLCOOL;
SONíFEROS OU HIPNÓTICOS (PROMOVEM O SONO):
BARBITúRICOS, ALGUNS      BENZODIAZEPíNICOS;
ANSIOLíTICOS (ACALMAM; INIBEM A ANSIEDADE).
BENZODIAZEPíNICOS TAMBéM: DIAZEPAM, LORÁZEPAM, ETC;
OPIÁCEOS OU NARCÓTICOS (ALIVIAM A DOR E DÃO
SONOLêNCIA). EX.: MORFINA, HEROíNA, CODEíNA, MEPERIDINA,
ETC;
INALANTES OU SOLVENTES (COLAS, TINTAS, REMOVEDORES,
TINERS, ETC).
1. ESTIMULANTES DA ATIVIDADE
   DO SNC:
        AS SUBSTâNCIAS AUMENTAM A ATIVIDADE DO CéREBRO, OU
SEjA, ESTIMULAM O SEU FUNCIONAMENTO, FAZENDO COM QUE A
PESSOA FIQUE MAIS "LIGADA", "ELéTRICA", SEM SONO.
ANOREXíGENOS (DIMINUEM A FOME). AS ANFETAMINAS.EX.:
DIETILPROPIONA, FENPROPOREX, ETC.;
COCAíNA;
CAFEíNA;
NICOTINA;
CRACk.
1. PERTUBADORES DA ATIVIDADE
   DO SNC:
        AS SUBSTâNCIAS MODIFICAM QUALITATIVAMENTE A ATIVIDADE
DO CéREBRO. OU SEjA, PERTURBAM, DISTORCEM O SEU FUNCIONAMENTO,
FAZENDO COM QUE A PESSOA PASSE A PERCEBER AS COISAS DEFORMADAS,
PARECIDAS COM AS IMAGENS DOS SONHOS (ALUCINAÇÕES, ILUSÕES).
A) DE ORIGEM VEGETAL:
MESCALINA (DO CACTO
MEXICANO)
THC (DA MACONHA)
PSILOCIBINA (DE CERTOS
COGUMELOS)
LíRIO OU TROMBETEIRA OU
ZABUMBA OU SAIA BRANCA
B) DE ORIGEM SINTéTICA:
LSD-25
"ECSTASy"
ANTICOLINéRGICOS (ARTANE®,
BENTyLE®)
DROGAS LíCITAS
             SUBSTâNCIAS QUE, EMBORA CAUSEM
    DEPENDêNCIA, SÃO VENDIDAS, NORMALMENTE,
    COM CONSUMO ACEITO E CONTROLADO. PORTA DE
    ENTRADA PARA OUTRAS DROGAS.

 - TABACO (CIGARRO);
 - ÁLCOOL;
 - REMéDIOS (FARMÁCIAS);
 - INALANTES.
TABACO (CIGARRO)

-   ORIGEM: EXTRAÍDO DA FOLHA DO FUMO CONHECIDO COMO
    CIGARRO, CHARUTO E FUMO.


-   EFEITOS: ESTIMULANTE, SENSAÇÃO DE PRAZER.
-   A CADA TRAGADA O FUMANTE INGERE CERCA DE 4.700
    SUBSTÂNCIAS TÓXICAS;
-   QUALQUER QUE SEJA A FORMA DE CONSUMIR TABACO,
    INCLUSIVE A DE MASCAR, CRIA DEPENDÊNCIA; PORÉM A MAIS
    INTENSA É FUMANDO.
PROBLEMAS CAUSADOS PELO
       CIGARRO.

            AUMENTA O RISCO DE ABORTO E DE PARTO
            PREMATURO.    MULHERES    QUE   FUMAM
            DURANTE A GRAVIDEZ TÊM, EM GERAL,
            FILHOS COM PESO ABAIXO DO NORMAL;


                        FUMAR PODE CAUSAR CÂNCER
                        DE PULMÃO, LARINGE E BOCA
                        (PERDA DOS DENTES);




 AO FUMAR A PESSOA INALA ARSÊNIO E
 NAFTALINA, TAMBÉM USADOS CONTRA
 RATOS E BARATAS
PROBLEMAS CAUSADOS PELO
CIGARRO.

   CRIANÇAS QUE CONVIVEM COM FUMANTES PODEM TER
   ASMA, PNEUMONIA, SINUSITE E ALERGIA;




   PODE CAUSAR DOENÇA VASCULAR OCASIONANDO A
   AMPUTAÇÃO DE MEMBROS DO CORPO. (EXEMPLO:
   PERNA)




                                  FUMAR    PODE
   ESTA FERIDA (NECROSE)
                                  CAUSAR
   FOI   CAUSADA    PELO
                                  IMPOTÊNCIA
   CONSUMO DO CIGARRO;
                                  SEXUAL.
Bebida Alcoólica
Bebida Alcoólica
-   EM PEQUENAS DOSES: DESINIBIÇÃO, EUFORIA, PERDA DA CAPACIDADE
    CRÍTICA;
-   EM DOSES MAIORES: SENSAÇÃO DE ANESTESIA, SONOLÊNCIA E SEDAÇÃO;
CONSEQÜÊNCIAS:
-   NÁUSEAS, VÔMITOS, TREMORES, SUOR ABUNDANTE, DOR DE CABEÇA,
    TONTURA, LIBERAÇÃO DA AGRESSIVIDADE, DIMINUIÇÃO DA ATENÇÃO, DA
    CAPACIDADE DE CONCENTRAÇÃO BEM COMO DOS REFLEXOS, O QUE
    AUMENTA O RISCO DE ACIDENTES.
-   IRRITA O ESTÔMAGO E PODE CAUSAR GASTRITE, ÚLCERA E IMPEDIR A
    ABSORÇÃO CORRETA DE NUTRIENTES;
-   O FÍGADO É O ÚNICO ÓRGÃO QUE METABOLIZA O ÁLCOOL. MUITOS LITROS
    DA BEBIDA, AO LONGO DOS ANOS, PODEM LEVAR À HEPATITE E CIRROSE,
    QUE É A DESTRUIÇÃO GRADUAL DAS CÉLULAS;
-   PODE INFLAMAR O PÂNCREAS E LEVAR À DESTRUIÇÃO DAS CÉLULAS QUE
    PRODUZEM INSULINA, PROVOCANDO DIABETES;
-   PODE LEVAR À IMPOTÊNCIA SEXUAL;
-   ENFRAQUECE OS OSSOS PROVOCANDO A OSTEOPOROSE;
Remédios
SÃO VENDIDOS SOBRE PRESCRIÇÃO
     VENDIDAS
MÉDICA     EM    FARMÁCIAS   E
DROGARIAS. USADOS DE FORMA
             USADAS
INCORRETA PODEM CAUSAR SÉRIAS
            PODE CAUSAR
CONSEQUÊNCIAS.       EXEMPLOS:
TRANQUILIZANTES, ANALGÉSICOS,
ETC.
EXEMPLOS:      TRANQUILIZANTES,
ANALGÉSICOS, ETC.
INALANTES
DROGAS COM ROUPAGENS DIFERENTES
-   COLA DE SAPATEIRO, ACETONA, COLAS DE PVC, REMOVEDORES, FLUÍDO
    DE LIMPEZA A SECO, REMOVEDORES DE TINTA, DIESEL E COMBUSTÍVEIS
    EM GERAL, ÉTER, SPRAY DE LIMPEZA DE TECLADO DE COMPUTADOR, ANTI-
    RESPINGO DE SOLDA, ISQUEIROS E AEROSSÓIS EM GERAL.
DROGAS ILíCITAS
           SÃO TODAS AS SUBSTâNCIAS
DENOMINADAS DROGAS, DAS QUAIS SÃO
PROIBIDAS POR LEI O PORTE, CONSUMO,
CULTIVO, VENDA E USO.
MACONHA
•   ORIGEM: SUBSTÂNCIA EXTRAÍDA DA PLANTA CANNABIS SATIVA,
    CONHECIDA COMO MACONHA, HAXIXE.
    A PRINCIPAL FORMA DE USO É ATRAVÉS DO CIGARRO, QUE QUANDO
    ACESO LIBERA A FUMAÇA, A QUAL É CONSTITUÍDA POR MAIS DE 400
    SUBSTÂNCIAS, 61 DELAS SÃO AS PRINCIPAIS RESPONSÁVEIS PELAS
    ALTERAÇÕES DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL.
•   EFEITOS: EXCITAÇÃO SEGUIDA DE RELAXAMENTO, EUFORIA,
    PROBLEMAS COM O TEMPO E O ESPAÇO, FALAR EM DEMASIA E FOME
    INTENSA.
•   CONSEQUÊNCIAS:    PALIDEZ, PUPILAS   DILATADAS, DEPRESSÃO,
    ANSIEDADE, ANGÚSTIA E ATÉ SÍNDROME DO PÂNICO, AUMENTA A
    FREQUÊNCIA CARDÍACA, BOCA SECA, DIFICULTA A ATENÇÃO,
    CONCENTRAÇÃO E MEMÓRIA PARA FATOS RECENTES, ILUSÕES,
    ALUCINAÇÕES (SOBRETUDO VISUAIS), FRAQUEZA MUSCULAR, FADIGA,
    ALTERA O DESENVOLVIMENTO SEXUAL, CONGESTÃO DAS CONJUNTIVAS
    (OLHOS VERMELHOS) E DIMINUIÇÃO DOS REFLEXOS, AUMENTANDO O
    RISCO DE ACIDENTES.
êXTASE OU ECSTASy
ORIGEM: EM 1912 NOS LABORATÓRIOS MERCK, NA ALEMANHA, COMO UM
ANOREXÍGENO (REMÉDIO PARA EMAGRECER), SUBSTÂNCIA SINTÉTICA DO TIPO
ANFETAMINA. FORMA DE UTILIZAÇÃO: COMPRIMIDO.


EFEITOS: ESTIMULANTE, EUFORIA, SENSAÇÃO DE BEM-ESTAR, PLENITUDE E
LEVEZA; AGUÇAMENTO DOS SENTIDOS, AUMENTO DA DISPOSIÇÃO E
RESISTÊNCIA FÍSICA, DESINIBIÇÃO, ELEVAÇÃO DO HUMOR. A DROGA TAMBÉM É
CONHECIDA COMO DROGA DO AMOR, POIS AUMENTA O DESEJO SEXUAL,
ENTRETANTO DIMINUI A EFICÁCIA DO ATO SEXUAL.


CONSEQUÊNCIAS: BOCA SECA, NÁUSEA, RIGIDEZ NOS MAXILARES, RANGER DE
DENTES, MOVIMENTAÇÃO ACELERADA DOS OLHOS, TAQUICARDIA, SUOR
INTENSO, PODENDO DESIDRATAR, LESÕES MUSCULARES, PERDAS DE PESO E
APETITE, CÃIBRAS, AUMENTO DA TEMPERATURA CORPORAL, INTENSA
EXAUSTÃO FÍSICA E MENTAL, INTENSA DOR DE CABEÇA, PARANÓIA,
DEPRESSÃO, FEBRE, DANOS PERMANENTES NOS NEURÔNIOS, PODEM
BLOQUEAR O FÍGADO E OS RINS. PRINCIPAL CAUSA DE MORTE EM FESTAS
DANÇANTES.
COCAíNA
ORIGEM: EXTRAÍDA DA FOLHA DE COCA E CONHECIDA COMO PÓ,
BRILHO, MERLA, PASTA BASE (CONSUMIDA POR INALAÇÃO)


EFEITOS: SENSAÇÃO DE PODER, EXCITAÇÃO E EUFORIA. ESTIMULAM
A ATIVIDADE FÍSICA E MENTAL, CAUSANDO INIBIÇÃO DO SONO E
DIMINUIÇÃO DO CANSAÇO. O USUÁRIO VÊ O MUNDO MAIS
BRILHANTE, COM MAIS INTENSIDADE.

CONSEQUÊNCIAS:
TAQUICARDIA, FEBRE, PUPILAS DILATADAS, SUOR EXCESSIVO E
AUMENTO DA PRESSÃO SANGÜÍNEA, CANSAÇO, INSÔNIA, PERDA DO
APETITE, ANSIEDADE, PARANÓIA, ALUCINAÇÕES, SENSAÇÃO DE
MEDO OU PÂNICO, IRRITABILIDADE, AGITAÇÃO E LIBERAÇÃO DA
AGRESSIVIDADE. USO PROLONGADO PODE LEVAR À DESTRUIÇÃO DE
TECIDO CEREBRAL (DANOS A INTELIGÊNCIA, DERRAME CEREBRAL E
INFARTO    DO    MIOCÁRDIO),   COMPLICAÇÕES    CARDÍACAS,
CIRCULATÓRIAS.
CRACk

 TEM A  MESMA ORIGEM QUE A COCAÍNA
  (FOLHA DE COCA) RESULTA DE UMA
  ALTERAÇÃO DO PROCESSO DE FABRICAÇÃO;
 CONSUMIDO SOB A FORMA DE VAPORES QUE
  SÃO FUMADOS ATRAVÉS DE CACHIMBOS;
 ATUA SOBRE O FUNCIONAMENTO CEREBRAL;
 TEM OS MESMOS EFEITOS QUE A COCAÍNA,
  EM PROPORÇÕES MAIS ELEVADAS.
ÓXI
ORIGEM: VINDO DA BOLÍVIA, O ÓXI CHEGOU AO ACRE EM 1980. FEITO
DE PASTA-BASE DE COCAÍNA, QUEROSENE (OU GASOLINA) E CAL
VIRGEM;

EFEITOS: ELE É MAIS BARATO E AGRESSIVO QUE O CRACK;
ALUCINÓGENO, CAUSA EUFORIA, EFEITO DE MENOR DURAÇÃO QUE O
CRACK

CONSEQUÊNCIAS: VÔMITOS, DIARRÉIA, LESÕES NO SISTEMA
NERVOSO CENTRAL, MAIS VICIANTE QUE O CRACK, PERDA DOS
DENTES, QUEIMADURA NOS LÁBIOS, ENFISEMA PULMONAR, DERRAME
CEREBRAL, PERCA DA MEMÓRIA, DIFICULDADE NO RACIOCÍNIO E
CONCENTRAÇÃO, ESTREITAMENTO DOS VASOS SANGUÍNEOS
PODENDO OCORRER HIPERTENSÃO E/OU INFARTO, INFLAMAÇÃO DO
FÍGADO E RINS, USUÁRIO PODE MORRER EM 1 ANO.
CAMINHOS QUE LEVAM àS
       DROGAS:
PRINCIPAIS MUDANÇAS NO COMPORTAMENTO
        DE QUEM COMEÇA A USAR DROGAS:
•    MUDANÇA BRUSCA DE SUAS ATITUDES;
•    INSôNIA REBELDE;
•    IRRITABILIDADE;
•    INQUIETAÇÃO MOTORA;
•    DEPRESSÃO – ESTADO DE ANGúSTIA SEM CAUSA APARENTE;
•    QUEDA DO RENDIMENTO ESCOLAR;
•    ISOLAMENTO;
•    MUDANÇAS DE HÁBITOS;
•    MATERIAIS ESTRANHOS ENCONTRADOS (COMPRIMIDOS, SERINGAS, ETC);
•    DESAPARECIMENTOS DE OBjETOS DE VALOR, DINHEIRO;
•    MÁS COMPANHIAS;
•    FUGA DOS MOMENTOS DE CONVIVêNCIA FAMILIAR;
•    GASTOS ABUSIVOS;
•    INVERSÃO DO CICLO DO SONO;
•    EMAGRECIMENTO RÁPIDO;
•    MENTIRAS;
•    AUSêNCIAS PROLONGADAS DE CASA;
INFLUêNCIA DAS DROGAS NO COMPORTAMENTO


OS USUÁRIOS, PROCURAM NAS DROGAS, UM AUXíLIO
PARA RESOLVEREM SEUS PROBLEMAS DE DESAjUSTES
SOCIAIS, ECONôMICOS, SENTIMENTAIS, ETC.
 A INICIAÇÃO NO MUNDO DAS DROGAS, OCORRE COM
GRANDE FREQüêNCIA NA ADOLESCêNCIA:
- IDADE DE AUTO-AFIRMAÇÃO;
- IDADE DE AUTO-SUFICIêNCIA, ETC..
REGRAS BÁSICAS SOBRE AS DROGAS

 TODO VICIADO UM DIA FOI EXPERIMENTADOR;
 ODEIE A DROGA, MAS AME O DROGADO;
 DENUNCIE O TRAFICANTE, ANTES QUE ELE
  ADOTE O SEU FILHO;
 O CAMINHO DAS DROGAS é UMA VIA DE MÃO
  úNICA, PORTANTO NÃO PENSE QUE VAI VOLTAR
  FACILMENTE;
 A VIDA SÓ DÁ UMA SAFRA, NÃO FAÇA SOFRER
  QUEM TE AMA;
 AS DROGAS NÃO DISCRIMINAM NINGUéM.
 PREVINA SEMPRE PARA NÃO REPRIMIR NUNCA;
COMO LIDAR COM O DROGADO

 ESTABELEÇA UMA RELAÇÃO DE CONFIANÇA;
 NUNCA PERGUNTE DE QUEM OU ONDE
    COMPROU;
   PERGUNTE: “QUAL DROGA USA ?” E “HÁ
    QUANTO TEMPO USA ?” ;
   PROCURE DESCOBRIR O MOTIVO QUE O LEVOU
    A USAR;
   NÃO O TRATE COMO UM CRIMINOSO E SIM
    COMO UM DOENTE;
   DESCUBRA E VALORIZE SUAS QUALIDADES;
   O MELHOR REMéDIO QUE EXISTE é O AMOR
    AO PRÓXIMO
ORIENTAÇÕES
 ORIENTAR O FILHO, DESDE PEQUENO, NO
    SEIO DE SEU LAR;
   CUIDADO COM ESTRANHOS (PORTA DE
    ESCOLAS);
   TENHA AMBIENTE FAMILIAR ESTÁVEL;
   CONVERSE COM FRANQUEZA COM SUA
    FAMíLIA;
   ESTIMULE E PRATIQUE ESPORTES;
   CONHEÇA O AMBIENTE QUE VOCê (FILHO)
    FREQüENTA;
   Dê EXEMPLO;
   ACOMPANHE A VIDA ESCOLAR;
COMO DEVO SER?

   AMAR A FAMíLIA;
   TER Fé;
   TER BONS AMIGOS;
   PRATICAR ESPORTES;
   ESTAR EM CONTATO COM A
    NATUREZA;
   OCUPAR-SE COM ATIVIDADES
    ARTíSTICAS E LASER;
   VIAjAR;
   ESTUDAR;
   ESTAR EM BUSCA DE OPORTUNIDADE
    DE TRABALHO
   SER POSITIVO;
   TER PERSONALIDADE: SABER DIZER
    NÃO.
A LE R TA
COMO VENCER AS DROGAS


              FÉ




                   ESCOLA
 F A M Í LI
     A
ento
                          co m portam
          ncia   é um           ou m  oral a
   Violê          no  físico            jeto.
          sa da                  ou ob
qu e cau        a, se  r vivo           orça,
         pesso                    de f
outra              exc essivo         rado.
    É o     uso
                       rio o   u espe
                  essá                     pela
 além    d o n ec          acter  iza-se
             lência
                      ca r
                                   acien te e
      A vio          ta,      imp         vence
              orrup                 o con
   aç ão c             ,   que nã          utro,
        eada    na ira               o o
   b as              co n v encer
    ou    busca              gride.
             smen  te o a
    simple
FORMAS DE VIOLêNCIA:

   Violência
   FÍSICA.



               Violência
                PSICOLÓGICA
FORMAS DE VIOLêNCIA:


           Violência
            CULTURAL


            Violência
             contra
             IDOSO
FORMAS DE VIOLêNCIA:


Violência
 VERBAL



            Violência contra
                MULHER
FORMAS DE VIOLêNCIA:




 Violência INFANTIL

            Violência no
            TRÂNSITO
entes
                           dolescto os
                      e a rtan
          cri anças lar, po         li d a r
•A tinge ade esco brigados a
 em id ores são o.
 e ducad ta questão
  co m es
                                    encia
                            a influcidade
                      olênci capa
                da vi sua
          acto e na                   no e
       imp ent
 • O etam                   do   a lu
     dir prendizagem adão.
    d e a ão como cid
     formaç
O papel da Escola em relação
         à violência

•A escola deve reconhecer de que
existe a violência própria do ambiente
escolar na maioria das vezes
manifestadas pelas relações de
atritos entre alunos, discriminação e
exclusão.
                   •Essas manifestações
                   devem ter solução
                   pedagógica imediata
                   no sentido de evitar
                   que    evoluam    para
                   problemas        mais
                   graves.
BULLYING
ASSÉDIO MORAL ENTRE
       ALUNOS
O QUE É BULLyNG ?

• Bullying é uma palavra inglesa que significa
  intimidação.
• Bullying é uma violência continuada,
  física ou mental, praticada por um
  indivíduo ou grupo, diretamente contra
  um outro indivíduo que não é capaz de se
  defender por si só, na situação atual.
• Pode ser bater, empurrar ou dizer coisas
  que nos magoam e que nos fazem sentir
  tristes ou diminuídos.
• Se não param quando se lhes pede, eles
  são BULLIES !!
AS FORMAS DE
          BULLYNG
Violência Verbal
Chamar nomes, gozar constantemente a
mesma pessoa, rir à custa dos outros.


Violência Emocional
É quase invisível! Excluir de
atividades do grupo ou espalhar
rumores.


Violência Física
Dar pontapés, bater, morder, beliscar,
puxar os cabelos ou ameaçar de
espancamento.
AS FORMAS DE
   BULLYNG Racista
      Violência
       Usar expressões e
       gestos ofensivos ou
       debochar das tradições
       culturais dos outros.


       Violência Sexual
       Fazer comentários
       impróprios, contato
       físico indesejado e
       sexualmente abusivo.


       Cyberbullyng
       Usar os SMS, o E-mail,
       o Chat para intimidar
       ou insultar
2ª feira – Tiraram meu
                            dinheiro
  UMA
HIS TÓRIA     3ª feira – Me xingaram
  REAL       4ª feira – Rasgaram meu
                            uniforme
                5ª feira – Meu corpo
             está coberto de sangue.
                6ª feira – Terminou
                  Sábado – Liberdade
             Sábado foi o dia em que
              Vijay Singh de 13 anos
               foi encontrado morto,
               enforcado em casa, em
            Manchester – Inglaterra,
Quem são as
   principais vítimas de
          Bulling ?
              •OS DIFERENTES
                     Cor de cabelo, cor de
                     pele, deficiências,
                     forma de vestir, o
                     sotaque…


                     OS INDEFESOS
                      Que mostram medo, que
                      provavelmente até
                      choram, são o alvo
                      preferencial dos
                      Bullies
OS QUE SE ISOLAM DO GRUPO
Não têm a quem se socorrer ou quem faça
frente,geralmente escondem que estão a ser
vítimas
Quem é o agressor
        (bully)?
• Os que querem controlar ou mandar
  nos outros;
• Os que querem o reconhecimento dos
  colegas fazendo mal aos mais
  fracos;
• São aqueles que têm um fraco amor
  próprio;
• Julgam-se os maiores e mais
  espertos;
• Para os Bullies ser “porreta” é
  ser mau!
O QUE FAZER?
• Não   resistir,   pode   piorar   a
  situação,        ter        medidas
  disciplinares   ao   reagir   (ex.:
  suspensão), poderá ser visto como
  mais um agressor;
• Todos   devem  respeitar   as  suas
  diferenças;
• Procurar o aconselhamento de um
  adulto; familiar ou professor;
• Acompanhe o grupo de amigos;
• Não esconda a situação,
• Comunique o adulto mais próximo.
O QUE FAZER?
• Pesquisa qualitativa através de
  questionários aplicados aos alunos;
• Estabelecimento de regras antibullying
  na escola;
• A melhor forma de tratar o bullying é
  evitar que ele ocorra.
• Interrompa o bullying antes que ele
  comece;
• Se seu amigo pode estar sofrendo
  bullying. Preste atenção! Comunique
  imediatamente a Orientação Escolar;
• Importante: professores não são
  testemunhas de bullying, mas alunos
•Vamos combater o
     bullying
CRIMINALIDADE

                 e cr imes
      onju nto d
É o c
O QUE é CRIME ?

        é CONSIDERADO CRIME TODA AÇÃO QUE
  NEGLIGENCIA UMA LEI, A PARTIR DESTE SURGE O
  CONCEITO DE CRIMINALIDADE, QUE NADA MAIS é
  DO QUE A FORMA DE O CRIME SE ALASTRAR
  DENTRO DE UMA SOCIEDADE (CIDADE, ESTADO OU
  PAIS).
    EXISTEM VÁRIAS FORMAS DE PROPAGAÇÃO DA
  CRIMINALIDADE, A PRINCIPAL é O CRIME
  ORGANIZADO. NO BRASIL OS MAIS CONHECIDOS
  SÃO O PCC (PRIMEIRO COMANDO DA CAPITAL) E O
  CV (COMANDO VERMELHO).
      A CRIMINALIDADE NO BRASIL OCORRE DEVIDO
  A CARêNCIA DE RECURSOS ECONôMICOS E
  TéCNICOS, ALIADA à FALTA DE APOIO POLíTICO-
  INSTITUCIONAL,   NO   GOVERNO    FEDERAL E
  PRINCIPALMENTE NOS GOVERNOS ESTADUAIS, NO
  LEGISLATIVO E NO jUDICIÁRIO.
 CAUSAS - SEGUNDO O III RELATÓRIO NACIONAL
  SOBRE DIREITOS HUMANOS NO BRASIL, A
  INEFICÁCIA DO ESTADO PERANTE O AUMENTO DA
  VIOLêNCIA GERA AINDA MAIS VIOLAÇÕES DE
  DIREITOS HUMANOS E IMPUNIDADE, ALéM DE
  AUMENTAR O SENTIMENTO DE INSEGURANÇA E
  REVOLTA DA POPULAÇÃO.
AS PRINCIPAIS FORMAS DE
RENDA DA CRIMINALIDADE ?


              ARMAS



  DROGAS
AS PRINCIPAIS FORMAS DE
RENDA DA CRIMINALIDADE ?


              LAVAGEM
              DE
              DINHEIRO
CAUSAS DA CRIMINALIDAADE
•Fatores sócio-econômicos (pobreza, agravamento das
desigualdades);
•Crise do modelo familiar;
•Fatores culturais (ausência de integração racial e desordem
moral);
•Superpopulação das grandes capitais, metrópoles,
descontrolando o desenvolvimento econômico, social, etc;
•A mídia que algumas vezes traz cenas de apologia ao crime;
•Descontrole de armamentos vindos de outros países pelas
fronteiras, resultando em narcotráfico, guerra entre
gangues, crime organizado, etc.
CONSEQUêNCIAS



              CADEIA




      MORTE
ALGUMAS MEDIDAS
          PREVENTIVAS
 UM   POLICIAMENTO BEM PREPARADO EM TODOS OS
  SENTIDOS E UM SISTEMA DE jUSTIÇA ÁGIL.
 A SITUAÇÃO CRIMINAL EXIGE DO ESTADO E DA SOCIEDADE
  SOLUÇÕES URGENTES: DO ESTADO PODER DE POLíCIA; E DA
  SOCIEDADE PRESERVAÇÃO DOS VALORES DA éTICA E DA
  MORAL, A COMEÇAR PELA FAMíLIA.
 OUTRA FORMA é INFORMAÇÃO, APROXIMAR, POLICIAS
  MILITAR, CIVIL, GUARDA MUNICIPAL DA POPULAÇÃO DE
  CAMPO GRANDE, POR MEIO DE PALESTRAS REALIZADAS
  EM CENTROS COMUNITÁRIOS, ESCOLAS, EM PROjETOS
  EDUCATIVOS, ASSOCIAÇÕES DE MORADORES E OUTRAS
  INSTITUIÇÕES. PROPORCIONAR à COMUNIDADE ESPAÇOS
  DE REFLEXÃO E DISCUSSÃO, BUSCANDO CONTRIBUIR NA
  PREVENÇÃO DA VIOLêNCIA.
FIM

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados (20)

Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIADROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
DROGAS NA INFÂNCIA E NA ADOLESCÊNCIA
 
Adolescentes e drogas
Adolescentes e drogasAdolescentes e drogas
Adolescentes e drogas
 
D R O G A S N A A D O L E S CÊ N C I A
D R O G A S  N A  A D O L E S CÊ N C I AD R O G A S  N A  A D O L E S CÊ N C I A
D R O G A S N A A D O L E S CÊ N C I A
 
O perigo das drogas apresentação power point
O perigo das drogas apresentação power pointO perigo das drogas apresentação power point
O perigo das drogas apresentação power point
 
Slides drogas-2
Slides   drogas-2Slides   drogas-2
Slides drogas-2
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Palestras sobre drogas
Palestras sobre drogasPalestras sobre drogas
Palestras sobre drogas
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Palestra drogas escolas
Palestra drogas   escolasPalestra drogas   escolas
Palestra drogas escolas
 
Drogas na Adolescência
Drogas na AdolescênciaDrogas na Adolescência
Drogas na Adolescência
 
Cartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitosCartilha principais drogas e seus efeitos
Cartilha principais drogas e seus efeitos
 
Prevenção ao uso de drogas - Aula 1
Prevenção ao uso de drogas - Aula 1Prevenção ao uso de drogas - Aula 1
Prevenção ao uso de drogas - Aula 1
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Palestra prevencao drogas
Palestra prevencao drogasPalestra prevencao drogas
Palestra prevencao drogas
 
Seminario Alcool e Drogas
Seminario Alcool e DrogasSeminario Alcool e Drogas
Seminario Alcool e Drogas
 
Maconha
Maconha Maconha
Maconha
 
Alcool e outras drogas
Alcool e outras drogasAlcool e outras drogas
Alcool e outras drogas
 
Apresentaçao fe
Apresentaçao feApresentaçao fe
Apresentaçao fe
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 

Semelhante a Palestra sobre drogas

Prevenção de álcool e outras drogas
Prevenção de álcool e outras drogasPrevenção de álcool e outras drogas
Prevenção de álcool e outras drogasPPAD
 
Farmacologia das drogas - Efeitos no organismo - Olegario Versiani
Farmacologia das drogas -  Efeitos no organismo - Olegario VersianiFarmacologia das drogas -  Efeitos no organismo - Olegario Versiani
Farmacologia das drogas - Efeitos no organismo - Olegario VersianiOlegario Augusto Versiani .'​.
 
Lívia paiva e joão paulo miranda
Lívia paiva e joão paulo mirandaLívia paiva e joão paulo miranda
Lívia paiva e joão paulo mirandaescolaamericosalles
 
Drogas que deprimem o snc
Drogas que deprimem o sncDrogas que deprimem o snc
Drogas que deprimem o sncIasmin Chaves
 
SPA e Padroes de Consumo.pptx
SPA e Padroes de Consumo.pptxSPA e Padroes de Consumo.pptx
SPA e Padroes de Consumo.pptxAureaLopes7
 
Aula 8 Principais drogas e seus efeitos
Aula 8 Principais drogas e seus efeitosAula 8 Principais drogas e seus efeitos
Aula 8 Principais drogas e seus efeitosAna Filadelfi
 
Apresentação nervo facial vegetativo (1).pptx
Apresentação nervo facial vegetativo (1).pptxApresentação nervo facial vegetativo (1).pptx
Apresentação nervo facial vegetativo (1).pptxJohnSilva87104
 
Apostila drogas - conhecer para prevenir
Apostila   drogas - conhecer para prevenirApostila   drogas - conhecer para prevenir
Apostila drogas - conhecer para prevenirkarol_ribeiro
 
Trabalho Gabriela 23/09/2009
Trabalho Gabriela 23/09/2009Trabalho Gabriela 23/09/2009
Trabalho Gabriela 23/09/2009Ricardo
 
Os Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptx
Os Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptxOs Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptx
Os Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptxRicardo Silva
 
ColchãO BioquâNtica Portugues shift shift08 ubicomp ubiquity web context per...
ColchãO BioquâNtica Portugues  shift shift08 ubicomp ubiquity web context per...ColchãO BioquâNtica Portugues  shift shift08 ubicomp ubiquity web context per...
ColchãO BioquâNtica Portugues shift shift08 ubicomp ubiquity web context per...walterfoz10 walterfoz10@hotmail.com
 

Semelhante a Palestra sobre drogas (20)

Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Prevenção de álcool e outras drogas
Prevenção de álcool e outras drogasPrevenção de álcool e outras drogas
Prevenção de álcool e outras drogas
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Farmacologia das drogas - Efeitos no organismo - Olegario Versiani
Farmacologia das drogas -  Efeitos no organismo - Olegario VersianiFarmacologia das drogas -  Efeitos no organismo - Olegario Versiani
Farmacologia das drogas - Efeitos no organismo - Olegario Versiani
 
Lívia paiva e joão paulo miranda
Lívia paiva e joão paulo mirandaLívia paiva e joão paulo miranda
Lívia paiva e joão paulo miranda
 
amor e outras drogas.pptx
amor e outras drogas.pptxamor e outras drogas.pptx
amor e outras drogas.pptx
 
Drogas que deprimem o snc
Drogas que deprimem o sncDrogas que deprimem o snc
Drogas que deprimem o snc
 
SPA e Padroes de Consumo.pptx
SPA e Padroes de Consumo.pptxSPA e Padroes de Consumo.pptx
SPA e Padroes de Consumo.pptx
 
Aula 8 Principais drogas e seus efeitos
Aula 8 Principais drogas e seus efeitosAula 8 Principais drogas e seus efeitos
Aula 8 Principais drogas e seus efeitos
 
D 12 Vícios
D 12 VíciosD 12 Vícios
D 12 Vícios
 
Apresentação nervo facial vegetativo (1).pptx
Apresentação nervo facial vegetativo (1).pptxApresentação nervo facial vegetativo (1).pptx
Apresentação nervo facial vegetativo (1).pptx
 
Deseq Neur Endoc
Deseq Neur EndocDeseq Neur Endoc
Deseq Neur Endoc
 
Apostila drogas - conhecer para prevenir
Apostila   drogas - conhecer para prevenirApostila   drogas - conhecer para prevenir
Apostila drogas - conhecer para prevenir
 
Trabalho Gabriela 23/09/2009
Trabalho Gabriela 23/09/2009Trabalho Gabriela 23/09/2009
Trabalho Gabriela 23/09/2009
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Os Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptx
Os Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptxOs Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptx
Os Males para o individuo ALCOOL_DROGAS_.pptx
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
Drogas
DrogasDrogas
Drogas
 
ColchãO BioquâNtica Portugues shift shift08 ubicomp ubiquity web context per...
ColchãO BioquâNtica Portugues  shift shift08 ubicomp ubiquity web context per...ColchãO BioquâNtica Portugues  shift shift08 ubicomp ubiquity web context per...
ColchãO BioquâNtica Portugues shift shift08 ubicomp ubiquity web context per...
 
CARTILHA SOBRE DROGAS
CARTILHA SOBRE DROGASCARTILHA SOBRE DROGAS
CARTILHA SOBRE DROGAS
 

Mais de Delziene Jesus

Finalização Projeto Alphaville 2014 EM Na
Finalização Projeto Alphaville 2014 EM NaFinalização Projeto Alphaville 2014 EM Na
Finalização Projeto Alphaville 2014 EM NaDelziene Jesus
 
Planejamento recursos tecnologicos 2014 by Delziene Perdoncini
Planejamento recursos tecnologicos 2014 by Delziene PerdonciniPlanejamento recursos tecnologicos 2014 by Delziene Perdoncini
Planejamento recursos tecnologicos 2014 by Delziene PerdonciniDelziene Jesus
 
AEE inclusão 2014 Nazira Anache
AEE inclusão 2014 Nazira AnacheAEE inclusão 2014 Nazira Anache
AEE inclusão 2014 Nazira AnacheDelziene Jesus
 
Aee inclusão 2014 nazira anache
Aee inclusão 2014 nazira anacheAee inclusão 2014 nazira anache
Aee inclusão 2014 nazira anacheDelziene Jesus
 
Minha Escola by Delziene Perdoncini 2014
Minha Escola by Delziene Perdoncini 2014Minha Escola by Delziene Perdoncini 2014
Minha Escola by Delziene Perdoncini 2014Delziene Jesus
 
Tutorial apresentação linux educacional 5.0 alunos by delziene perdoncini
Tutorial apresentação linux educacional 5.0 alunos by delziene perdonciniTutorial apresentação linux educacional 5.0 alunos by delziene perdoncini
Tutorial apresentação linux educacional 5.0 alunos by delziene perdonciniDelziene Jesus
 
Tutorial apresentação linux educacional 5.0 by Delziene Perdoncini
Tutorial apresentação linux educacional 5.0 by Delziene PerdonciniTutorial apresentação linux educacional 5.0 by Delziene Perdoncini
Tutorial apresentação linux educacional 5.0 by Delziene PerdonciniDelziene Jesus
 
Apresentação projeto alphaville 2014
Apresentação projeto alphaville 2014Apresentação projeto alphaville 2014
Apresentação projeto alphaville 2014Delziene Jesus
 
Midias sociais texto para alunos 2014 elpidio reis
Midias sociais texto para alunos 2014 elpidio reisMidias sociais texto para alunos 2014 elpidio reis
Midias sociais texto para alunos 2014 elpidio reisDelziene Jesus
 
Atividade de português 3
Atividade de português 3Atividade de português 3
Atividade de português 3Delziene Jesus
 
Reunião pedagógica AEE
Reunião pedagógica AEEReunião pedagógica AEE
Reunião pedagógica AEEDelziene Jesus
 
Textos literários e textos não literários
 Textos literários e textos não literários  Textos literários e textos não literários
Textos literários e textos não literários Delziene Jesus
 
Deivis mat 28 02 2014 9º a vol4
Deivis mat 28 02 2014 9º a vol4Deivis mat 28 02 2014 9º a vol4
Deivis mat 28 02 2014 9º a vol4Delziene Jesus
 
Atividades sobre cadeia alimentar
Atividades sobre cadeia alimentar Atividades sobre cadeia alimentar
Atividades sobre cadeia alimentar Delziene Jesus
 
Geografia Guerra Fria e Fim da URSS
 Geografia Guerra Fria e Fim da URSS Geografia Guerra Fria e Fim da URSS
Geografia Guerra Fria e Fim da URSSDelziene Jesus
 
Geografia Homem Espaco
 Geografia Homem Espaco Geografia Homem Espaco
Geografia Homem EspacoDelziene Jesus
 

Mais de Delziene Jesus (20)

Finalização Projeto Alphaville 2014 EM Na
Finalização Projeto Alphaville 2014 EM NaFinalização Projeto Alphaville 2014 EM Na
Finalização Projeto Alphaville 2014 EM Na
 
Planejamento recursos tecnologicos 2014 by Delziene Perdoncini
Planejamento recursos tecnologicos 2014 by Delziene PerdonciniPlanejamento recursos tecnologicos 2014 by Delziene Perdoncini
Planejamento recursos tecnologicos 2014 by Delziene Perdoncini
 
AEE inclusão 2014 Nazira Anache
AEE inclusão 2014 Nazira AnacheAEE inclusão 2014 Nazira Anache
AEE inclusão 2014 Nazira Anache
 
Aee inclusão 2014 nazira anache
Aee inclusão 2014 nazira anacheAee inclusão 2014 nazira anache
Aee inclusão 2014 nazira anache
 
Minha Escola by Delziene Perdoncini 2014
Minha Escola by Delziene Perdoncini 2014Minha Escola by Delziene Perdoncini 2014
Minha Escola by Delziene Perdoncini 2014
 
Tutorial apresentação linux educacional 5.0 alunos by delziene perdoncini
Tutorial apresentação linux educacional 5.0 alunos by delziene perdonciniTutorial apresentação linux educacional 5.0 alunos by delziene perdoncini
Tutorial apresentação linux educacional 5.0 alunos by delziene perdoncini
 
Tutorial apresentação linux educacional 5.0 by Delziene Perdoncini
Tutorial apresentação linux educacional 5.0 by Delziene PerdonciniTutorial apresentação linux educacional 5.0 by Delziene Perdoncini
Tutorial apresentação linux educacional 5.0 by Delziene Perdoncini
 
Apresentação projeto alphaville 2014
Apresentação projeto alphaville 2014Apresentação projeto alphaville 2014
Apresentação projeto alphaville 2014
 
Midias sociais texto para alunos 2014 elpidio reis
Midias sociais texto para alunos 2014 elpidio reisMidias sociais texto para alunos 2014 elpidio reis
Midias sociais texto para alunos 2014 elpidio reis
 
Atividade de português 3
Atividade de português 3Atividade de português 3
Atividade de português 3
 
Reunião pedagógica AEE
Reunião pedagógica AEEReunião pedagógica AEE
Reunião pedagógica AEE
 
Textos literários e textos não literários
 Textos literários e textos não literários  Textos literários e textos não literários
Textos literários e textos não literários
 
Iluminismo
Iluminismo Iluminismo
Iluminismo
 
Deivis mat 28 02 2014 9º a vol4
Deivis mat 28 02 2014 9º a vol4Deivis mat 28 02 2014 9º a vol4
Deivis mat 28 02 2014 9º a vol4
 
Aula de Português 2
Aula de Português 2Aula de Português 2
Aula de Português 2
 
Aula de Português
Aula de PortuguêsAula de Português
Aula de Português
 
Atividades sobre cadeia alimentar
Atividades sobre cadeia alimentar Atividades sobre cadeia alimentar
Atividades sobre cadeia alimentar
 
Geografia Guerra Fria e Fim da URSS
 Geografia Guerra Fria e Fim da URSS Geografia Guerra Fria e Fim da URSS
Geografia Guerra Fria e Fim da URSS
 
Geografia Homem Espaco
 Geografia Homem Espaco Geografia Homem Espaco
Geografia Homem Espaco
 
Atividade de Arte
Atividade de Arte Atividade de Arte
Atividade de Arte
 

Último

POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxJMTCS
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxDeyvidBriel
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxJosAurelioGoesChaves
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxacaciocarmo1
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETODouglasVasconcelosMa
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...Martin M Flynn
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxJMTCS
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas BrasileirosMary Alvarenga
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoCelianeOliveira8
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...nexocan937
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfQueleLiberato
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaeliana862656
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...LuizHenriquedeAlmeid6
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileirosMary Alvarenga
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxHenriqueLuciano2
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullyingMary Alvarenga
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no textoMariaPauladeSouzaTur
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdfCarlosRodrigues832670
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...Unidad de Espiritualidad Eudista
 

Último (20)

POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptxPOETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
POETAS CONTEMPORANEOS_TEMATICAS_explicacao.pptx
 
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptxÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
ÁREA DE FIGURAS PLANAS - DESCRITOR DE MATEMATICA D12 ENSINO MEDIO.pptx
 
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptxProva de Empreendedorismo com gabarito.pptx
Prova de Empreendedorismo com gabarito.pptx
 
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptxBaladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
Baladão sobre Variação Linguistica para o spaece.pptx
 
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETOProjeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
Projeto leitura HTPC abril - FORMAÇÃP SOBRE O PROJETO
 
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
DIGNITAS INFINITA - DIGNIDADE HUMANA -Declaração do Dicastério para a Doutrin...
 
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptxOrientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
Orientações para a análise do poema Orfeu Rebelde.pptx
 
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona  - Povos Indigenas BrasileirosMini livro sanfona  - Povos Indigenas Brasileiros
Mini livro sanfona - Povos Indigenas Brasileiros
 
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e femininoGametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
Gametogênese, formação dos gametas masculino e feminino
 
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
Minha Luta (Mein Kampf), A História do País que Lutou contra a União Soviétic...
 
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdfO Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
O Espetaculo das Racas - Cienti - Lilia Moritz Schwarcz capítulo 2.pdf
 
Apreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escritaApreciação crítica -exercícios de escrita
Apreciação crítica -exercícios de escrita
 
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
Slides Lição 3, Betel, Ordenança para congregar e prestar culto racional, 2Tr...
 
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
19 de abril - Dia dos povos indigenas brasileiros
 
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptxEVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
EVANGELISMO É MISSÕES ATUALIZADO 2024.pptx
 
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao  bullyingMini livro sanfona - Diga não ao  bullying
Mini livro sanfona - Diga não ao bullying
 
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptxSlides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
Slides Lição 3, CPAD, O Céu - o Destino do Cristão, 2Tr24,.pptx
 
As variações do uso da palavra "como" no texto
As variações do uso da palavra "como" no  textoAs variações do uso da palavra "como" no  texto
As variações do uso da palavra "como" no texto
 
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdforganizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
organizaao-do-clube-de-lideres-ctd-aamar_compress.pdf
 
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
A Unidade de Espiritualidade Eudista se une ao sentimiento de toda a igreja u...
 

Palestra sobre drogas

  • 1. PREFEITURA DE CAMPO GRANDE - MS SECRETARIA MUNICIPAL DE GOVERNO E RELAÇÕES INSTITUCIONAIS GUARDA MUNICIPAL DE CAMPO GRANDE PROJETO: “ESCOLA SEGURA É A GENTE QUE FAZ” PROESEG ALEX BARBOSA DE LIMA GILENO COELHO LEONARDO DE OLIVEIRA HUMEREZ MARCELO RIOS PALESTRANTES DA GUARDA MUNICIPAL CAMPO GRANDE - MS
  • 2. “PREVENÇÃO CONTRA O USO DE DROGAS”
  • 3. O QUE SÃO DROGAS ?
  • 4. O QUE SÃO DROGAS ?  SÃO TODAS SUBSTâNCIAS NATURAIS OU PRODUTOS QUíMICOS QUE, EM CONTATO COM O ORGANISMO HUMANO, ATUE COMO DEPRESSOR, ESTIMULANTE OU PERTURBADOR, ALTERANDO O FUNCIONAMENTO DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL, PROVOCANDO MUDANÇAS NO HUMOR, NA PERCEPÇÃO E NO COMPORTAMENTO, PODENDO CAUSAR DEPENDêNCIA QUíMICA.  SÃO TODAS E QUAISQUER SUBSTâNCIAS NATURAIS OU SINTéTICAS QUE INTRODUZIDAS NO ORGANISMO MODIFICAM SUAS FUNÇÕES
  • 5. DROGAS PSICOTRÓPICAS  SÃO DROGAS QUE AGEM NO SISTEMA NERVOSO CENTRAL (SNC) PRODUZINDO ALTERAÇÕES DE COMPORTAMENTO, HUMOR E COGNIÇÃO, POSSUINDO GRANDE PROPRIEDADE REFORÇADORA SENDO, PORTANTO, PASSíVEIS DE AUTO- ADMINISTRAÇÃO (USO NÃO SANCIONADO PELA MEDICINA).  EM OUTRAS PALAVRAS, ESTAS DROGAS LEVAM à DEPENDêNCIA.  PSICOTRÓPICO: PSyCHé (MENTE) + TRÓPOS (ATRAÇÃO)  TêM ATRAÇÃO DE ATUAR NO CéREBRO, MODIFICANDO NOSSA MANEIRA DE SENTIR, DE PENSAR E , MUITAS VEZES, DE AGIR.  A ASPIRINA, POR EXEMPLO, ATUA NO CéREBRO PARA IMPEDIR A DOR, MAS NÃO MODIFICA O COMPORTAMENTO. é UMA DROGA, MAS NÃO PSICOTRÓPICA.
  • 6. DEPENDêNCIAS DEPENDêNCIA FíSICA: ESTADO NO QUAL O ORGANISMO SE AjUSTA à PRESENÇA DE UMA DROGA. DEPENDêNCIA PSICOLÓGICA: “PREOCUPAÇÃO MENTAL E EMOCIONAL DEVIDA AOS EFEITOS DA DROGA. é A COMPULSÃO, A FISSURA.” SíNDROME DE ABSTINêNCIA: ESTADO DOENTIO DE UMA PESSOA, CARACTERIZADO PELO CONjUNTO DE SINAIS E SINTOMAS QUE SÃO PRODUZIDOS PELA AUSêNCIA
  • 7. QUAIS AS CLASSIFICAÇÕES DAS DROGAS PSICOTRÓPICAS? SÃO DIVIDIDAS EM TRêS CLASSES: 4. DEPRESSORES DA ATIVIDADE DO SNC; 5. ESTIMULANTES DA ATIVIDADE DO SNC; 6. PERTURBADORES DA ATIVIDADE DO SNC.
  • 8. 1. DEPRESSORES DA ATIVIDADE DO SNC: AS SUBSTâNCIAS DIMINUEM A ATIVIDADE DO CéREBRO, OU SEjA, DEPRIMEM O SEU FUNCIONAMENTO, FAZENDO COM QUE A PESSOA FIQUE "DESLIGADA", "DEVAGAR", DESINTERESSADA PELAS COISAS. EXEMPLOS: ÁLCOOL; SONíFEROS OU HIPNÓTICOS (PROMOVEM O SONO): BARBITúRICOS, ALGUNS BENZODIAZEPíNICOS; ANSIOLíTICOS (ACALMAM; INIBEM A ANSIEDADE). BENZODIAZEPíNICOS TAMBéM: DIAZEPAM, LORÁZEPAM, ETC; OPIÁCEOS OU NARCÓTICOS (ALIVIAM A DOR E DÃO SONOLêNCIA). EX.: MORFINA, HEROíNA, CODEíNA, MEPERIDINA, ETC; INALANTES OU SOLVENTES (COLAS, TINTAS, REMOVEDORES, TINERS, ETC).
  • 9. 1. ESTIMULANTES DA ATIVIDADE DO SNC: AS SUBSTâNCIAS AUMENTAM A ATIVIDADE DO CéREBRO, OU SEjA, ESTIMULAM O SEU FUNCIONAMENTO, FAZENDO COM QUE A PESSOA FIQUE MAIS "LIGADA", "ELéTRICA", SEM SONO. ANOREXíGENOS (DIMINUEM A FOME). AS ANFETAMINAS.EX.: DIETILPROPIONA, FENPROPOREX, ETC.; COCAíNA; CAFEíNA; NICOTINA; CRACk.
  • 10. 1. PERTUBADORES DA ATIVIDADE DO SNC: AS SUBSTâNCIAS MODIFICAM QUALITATIVAMENTE A ATIVIDADE DO CéREBRO. OU SEjA, PERTURBAM, DISTORCEM O SEU FUNCIONAMENTO, FAZENDO COM QUE A PESSOA PASSE A PERCEBER AS COISAS DEFORMADAS, PARECIDAS COM AS IMAGENS DOS SONHOS (ALUCINAÇÕES, ILUSÕES). A) DE ORIGEM VEGETAL: MESCALINA (DO CACTO MEXICANO) THC (DA MACONHA) PSILOCIBINA (DE CERTOS COGUMELOS) LíRIO OU TROMBETEIRA OU ZABUMBA OU SAIA BRANCA B) DE ORIGEM SINTéTICA: LSD-25 "ECSTASy" ANTICOLINéRGICOS (ARTANE®, BENTyLE®)
  • 11.
  • 12. DROGAS LíCITAS  SUBSTâNCIAS QUE, EMBORA CAUSEM DEPENDêNCIA, SÃO VENDIDAS, NORMALMENTE, COM CONSUMO ACEITO E CONTROLADO. PORTA DE ENTRADA PARA OUTRAS DROGAS.  - TABACO (CIGARRO);  - ÁLCOOL;  - REMéDIOS (FARMÁCIAS);  - INALANTES.
  • 13. TABACO (CIGARRO) - ORIGEM: EXTRAÍDO DA FOLHA DO FUMO CONHECIDO COMO CIGARRO, CHARUTO E FUMO. - EFEITOS: ESTIMULANTE, SENSAÇÃO DE PRAZER. - A CADA TRAGADA O FUMANTE INGERE CERCA DE 4.700 SUBSTÂNCIAS TÓXICAS; - QUALQUER QUE SEJA A FORMA DE CONSUMIR TABACO, INCLUSIVE A DE MASCAR, CRIA DEPENDÊNCIA; PORÉM A MAIS INTENSA É FUMANDO.
  • 14. PROBLEMAS CAUSADOS PELO CIGARRO. AUMENTA O RISCO DE ABORTO E DE PARTO PREMATURO. MULHERES QUE FUMAM DURANTE A GRAVIDEZ TÊM, EM GERAL, FILHOS COM PESO ABAIXO DO NORMAL; FUMAR PODE CAUSAR CÂNCER DE PULMÃO, LARINGE E BOCA (PERDA DOS DENTES); AO FUMAR A PESSOA INALA ARSÊNIO E NAFTALINA, TAMBÉM USADOS CONTRA RATOS E BARATAS
  • 15. PROBLEMAS CAUSADOS PELO CIGARRO. CRIANÇAS QUE CONVIVEM COM FUMANTES PODEM TER ASMA, PNEUMONIA, SINUSITE E ALERGIA; PODE CAUSAR DOENÇA VASCULAR OCASIONANDO A AMPUTAÇÃO DE MEMBROS DO CORPO. (EXEMPLO: PERNA) FUMAR PODE ESTA FERIDA (NECROSE) CAUSAR FOI CAUSADA PELO IMPOTÊNCIA CONSUMO DO CIGARRO; SEXUAL.
  • 17. Bebida Alcoólica - EM PEQUENAS DOSES: DESINIBIÇÃO, EUFORIA, PERDA DA CAPACIDADE CRÍTICA; - EM DOSES MAIORES: SENSAÇÃO DE ANESTESIA, SONOLÊNCIA E SEDAÇÃO; CONSEQÜÊNCIAS: - NÁUSEAS, VÔMITOS, TREMORES, SUOR ABUNDANTE, DOR DE CABEÇA, TONTURA, LIBERAÇÃO DA AGRESSIVIDADE, DIMINUIÇÃO DA ATENÇÃO, DA CAPACIDADE DE CONCENTRAÇÃO BEM COMO DOS REFLEXOS, O QUE AUMENTA O RISCO DE ACIDENTES. - IRRITA O ESTÔMAGO E PODE CAUSAR GASTRITE, ÚLCERA E IMPEDIR A ABSORÇÃO CORRETA DE NUTRIENTES; - O FÍGADO É O ÚNICO ÓRGÃO QUE METABOLIZA O ÁLCOOL. MUITOS LITROS DA BEBIDA, AO LONGO DOS ANOS, PODEM LEVAR À HEPATITE E CIRROSE, QUE É A DESTRUIÇÃO GRADUAL DAS CÉLULAS; - PODE INFLAMAR O PÂNCREAS E LEVAR À DESTRUIÇÃO DAS CÉLULAS QUE PRODUZEM INSULINA, PROVOCANDO DIABETES; - PODE LEVAR À IMPOTÊNCIA SEXUAL; - ENFRAQUECE OS OSSOS PROVOCANDO A OSTEOPOROSE;
  • 18. Remédios SÃO VENDIDOS SOBRE PRESCRIÇÃO VENDIDAS MÉDICA EM FARMÁCIAS E DROGARIAS. USADOS DE FORMA USADAS INCORRETA PODEM CAUSAR SÉRIAS PODE CAUSAR CONSEQUÊNCIAS. EXEMPLOS: TRANQUILIZANTES, ANALGÉSICOS, ETC. EXEMPLOS: TRANQUILIZANTES, ANALGÉSICOS, ETC.
  • 19. INALANTES DROGAS COM ROUPAGENS DIFERENTES - COLA DE SAPATEIRO, ACETONA, COLAS DE PVC, REMOVEDORES, FLUÍDO DE LIMPEZA A SECO, REMOVEDORES DE TINTA, DIESEL E COMBUSTÍVEIS EM GERAL, ÉTER, SPRAY DE LIMPEZA DE TECLADO DE COMPUTADOR, ANTI- RESPINGO DE SOLDA, ISQUEIROS E AEROSSÓIS EM GERAL.
  • 20. DROGAS ILíCITAS SÃO TODAS AS SUBSTâNCIAS DENOMINADAS DROGAS, DAS QUAIS SÃO PROIBIDAS POR LEI O PORTE, CONSUMO, CULTIVO, VENDA E USO.
  • 21. MACONHA • ORIGEM: SUBSTÂNCIA EXTRAÍDA DA PLANTA CANNABIS SATIVA, CONHECIDA COMO MACONHA, HAXIXE. A PRINCIPAL FORMA DE USO É ATRAVÉS DO CIGARRO, QUE QUANDO ACESO LIBERA A FUMAÇA, A QUAL É CONSTITUÍDA POR MAIS DE 400 SUBSTÂNCIAS, 61 DELAS SÃO AS PRINCIPAIS RESPONSÁVEIS PELAS ALTERAÇÕES DO SISTEMA NERVOSO CENTRAL. • EFEITOS: EXCITAÇÃO SEGUIDA DE RELAXAMENTO, EUFORIA, PROBLEMAS COM O TEMPO E O ESPAÇO, FALAR EM DEMASIA E FOME INTENSA. • CONSEQUÊNCIAS: PALIDEZ, PUPILAS DILATADAS, DEPRESSÃO, ANSIEDADE, ANGÚSTIA E ATÉ SÍNDROME DO PÂNICO, AUMENTA A FREQUÊNCIA CARDÍACA, BOCA SECA, DIFICULTA A ATENÇÃO, CONCENTRAÇÃO E MEMÓRIA PARA FATOS RECENTES, ILUSÕES, ALUCINAÇÕES (SOBRETUDO VISUAIS), FRAQUEZA MUSCULAR, FADIGA, ALTERA O DESENVOLVIMENTO SEXUAL, CONGESTÃO DAS CONJUNTIVAS (OLHOS VERMELHOS) E DIMINUIÇÃO DOS REFLEXOS, AUMENTANDO O RISCO DE ACIDENTES.
  • 22. êXTASE OU ECSTASy ORIGEM: EM 1912 NOS LABORATÓRIOS MERCK, NA ALEMANHA, COMO UM ANOREXÍGENO (REMÉDIO PARA EMAGRECER), SUBSTÂNCIA SINTÉTICA DO TIPO ANFETAMINA. FORMA DE UTILIZAÇÃO: COMPRIMIDO. EFEITOS: ESTIMULANTE, EUFORIA, SENSAÇÃO DE BEM-ESTAR, PLENITUDE E LEVEZA; AGUÇAMENTO DOS SENTIDOS, AUMENTO DA DISPOSIÇÃO E RESISTÊNCIA FÍSICA, DESINIBIÇÃO, ELEVAÇÃO DO HUMOR. A DROGA TAMBÉM É CONHECIDA COMO DROGA DO AMOR, POIS AUMENTA O DESEJO SEXUAL, ENTRETANTO DIMINUI A EFICÁCIA DO ATO SEXUAL. CONSEQUÊNCIAS: BOCA SECA, NÁUSEA, RIGIDEZ NOS MAXILARES, RANGER DE DENTES, MOVIMENTAÇÃO ACELERADA DOS OLHOS, TAQUICARDIA, SUOR INTENSO, PODENDO DESIDRATAR, LESÕES MUSCULARES, PERDAS DE PESO E APETITE, CÃIBRAS, AUMENTO DA TEMPERATURA CORPORAL, INTENSA EXAUSTÃO FÍSICA E MENTAL, INTENSA DOR DE CABEÇA, PARANÓIA, DEPRESSÃO, FEBRE, DANOS PERMANENTES NOS NEURÔNIOS, PODEM BLOQUEAR O FÍGADO E OS RINS. PRINCIPAL CAUSA DE MORTE EM FESTAS DANÇANTES.
  • 23. COCAíNA ORIGEM: EXTRAÍDA DA FOLHA DE COCA E CONHECIDA COMO PÓ, BRILHO, MERLA, PASTA BASE (CONSUMIDA POR INALAÇÃO) EFEITOS: SENSAÇÃO DE PODER, EXCITAÇÃO E EUFORIA. ESTIMULAM A ATIVIDADE FÍSICA E MENTAL, CAUSANDO INIBIÇÃO DO SONO E DIMINUIÇÃO DO CANSAÇO. O USUÁRIO VÊ O MUNDO MAIS BRILHANTE, COM MAIS INTENSIDADE. CONSEQUÊNCIAS: TAQUICARDIA, FEBRE, PUPILAS DILATADAS, SUOR EXCESSIVO E AUMENTO DA PRESSÃO SANGÜÍNEA, CANSAÇO, INSÔNIA, PERDA DO APETITE, ANSIEDADE, PARANÓIA, ALUCINAÇÕES, SENSAÇÃO DE MEDO OU PÂNICO, IRRITABILIDADE, AGITAÇÃO E LIBERAÇÃO DA AGRESSIVIDADE. USO PROLONGADO PODE LEVAR À DESTRUIÇÃO DE TECIDO CEREBRAL (DANOS A INTELIGÊNCIA, DERRAME CEREBRAL E INFARTO DO MIOCÁRDIO), COMPLICAÇÕES CARDÍACAS, CIRCULATÓRIAS.
  • 24. CRACk  TEM A MESMA ORIGEM QUE A COCAÍNA (FOLHA DE COCA) RESULTA DE UMA ALTERAÇÃO DO PROCESSO DE FABRICAÇÃO;  CONSUMIDO SOB A FORMA DE VAPORES QUE SÃO FUMADOS ATRAVÉS DE CACHIMBOS;  ATUA SOBRE O FUNCIONAMENTO CEREBRAL;  TEM OS MESMOS EFEITOS QUE A COCAÍNA, EM PROPORÇÕES MAIS ELEVADAS.
  • 25. ÓXI ORIGEM: VINDO DA BOLÍVIA, O ÓXI CHEGOU AO ACRE EM 1980. FEITO DE PASTA-BASE DE COCAÍNA, QUEROSENE (OU GASOLINA) E CAL VIRGEM; EFEITOS: ELE É MAIS BARATO E AGRESSIVO QUE O CRACK; ALUCINÓGENO, CAUSA EUFORIA, EFEITO DE MENOR DURAÇÃO QUE O CRACK CONSEQUÊNCIAS: VÔMITOS, DIARRÉIA, LESÕES NO SISTEMA NERVOSO CENTRAL, MAIS VICIANTE QUE O CRACK, PERDA DOS DENTES, QUEIMADURA NOS LÁBIOS, ENFISEMA PULMONAR, DERRAME CEREBRAL, PERCA DA MEMÓRIA, DIFICULDADE NO RACIOCÍNIO E CONCENTRAÇÃO, ESTREITAMENTO DOS VASOS SANGUÍNEOS PODENDO OCORRER HIPERTENSÃO E/OU INFARTO, INFLAMAÇÃO DO FÍGADO E RINS, USUÁRIO PODE MORRER EM 1 ANO.
  • 26. CAMINHOS QUE LEVAM àS DROGAS:
  • 27. PRINCIPAIS MUDANÇAS NO COMPORTAMENTO DE QUEM COMEÇA A USAR DROGAS: • MUDANÇA BRUSCA DE SUAS ATITUDES; • INSôNIA REBELDE; • IRRITABILIDADE; • INQUIETAÇÃO MOTORA; • DEPRESSÃO – ESTADO DE ANGúSTIA SEM CAUSA APARENTE; • QUEDA DO RENDIMENTO ESCOLAR; • ISOLAMENTO; • MUDANÇAS DE HÁBITOS; • MATERIAIS ESTRANHOS ENCONTRADOS (COMPRIMIDOS, SERINGAS, ETC); • DESAPARECIMENTOS DE OBjETOS DE VALOR, DINHEIRO; • MÁS COMPANHIAS; • FUGA DOS MOMENTOS DE CONVIVêNCIA FAMILIAR; • GASTOS ABUSIVOS; • INVERSÃO DO CICLO DO SONO; • EMAGRECIMENTO RÁPIDO; • MENTIRAS; • AUSêNCIAS PROLONGADAS DE CASA;
  • 28. INFLUêNCIA DAS DROGAS NO COMPORTAMENTO OS USUÁRIOS, PROCURAM NAS DROGAS, UM AUXíLIO PARA RESOLVEREM SEUS PROBLEMAS DE DESAjUSTES SOCIAIS, ECONôMICOS, SENTIMENTAIS, ETC. A INICIAÇÃO NO MUNDO DAS DROGAS, OCORRE COM GRANDE FREQüêNCIA NA ADOLESCêNCIA: - IDADE DE AUTO-AFIRMAÇÃO; - IDADE DE AUTO-SUFICIêNCIA, ETC..
  • 29. REGRAS BÁSICAS SOBRE AS DROGAS  TODO VICIADO UM DIA FOI EXPERIMENTADOR;  ODEIE A DROGA, MAS AME O DROGADO;  DENUNCIE O TRAFICANTE, ANTES QUE ELE ADOTE O SEU FILHO;  O CAMINHO DAS DROGAS é UMA VIA DE MÃO úNICA, PORTANTO NÃO PENSE QUE VAI VOLTAR FACILMENTE;  A VIDA SÓ DÁ UMA SAFRA, NÃO FAÇA SOFRER QUEM TE AMA;  AS DROGAS NÃO DISCRIMINAM NINGUéM.  PREVINA SEMPRE PARA NÃO REPRIMIR NUNCA;
  • 30. COMO LIDAR COM O DROGADO  ESTABELEÇA UMA RELAÇÃO DE CONFIANÇA;  NUNCA PERGUNTE DE QUEM OU ONDE COMPROU;  PERGUNTE: “QUAL DROGA USA ?” E “HÁ QUANTO TEMPO USA ?” ;  PROCURE DESCOBRIR O MOTIVO QUE O LEVOU A USAR;  NÃO O TRATE COMO UM CRIMINOSO E SIM COMO UM DOENTE;  DESCUBRA E VALORIZE SUAS QUALIDADES;  O MELHOR REMéDIO QUE EXISTE é O AMOR AO PRÓXIMO
  • 31. ORIENTAÇÕES  ORIENTAR O FILHO, DESDE PEQUENO, NO SEIO DE SEU LAR;  CUIDADO COM ESTRANHOS (PORTA DE ESCOLAS);  TENHA AMBIENTE FAMILIAR ESTÁVEL;  CONVERSE COM FRANQUEZA COM SUA FAMíLIA;  ESTIMULE E PRATIQUE ESPORTES;  CONHEÇA O AMBIENTE QUE VOCê (FILHO) FREQüENTA;  Dê EXEMPLO;  ACOMPANHE A VIDA ESCOLAR;
  • 32. COMO DEVO SER?  AMAR A FAMíLIA;  TER Fé;  TER BONS AMIGOS;  PRATICAR ESPORTES;  ESTAR EM CONTATO COM A NATUREZA;  OCUPAR-SE COM ATIVIDADES ARTíSTICAS E LASER;  VIAjAR;  ESTUDAR;  ESTAR EM BUSCA DE OPORTUNIDADE DE TRABALHO  SER POSITIVO;  TER PERSONALIDADE: SABER DIZER NÃO.
  • 33. A LE R TA
  • 34. COMO VENCER AS DROGAS FÉ ESCOLA F A M Í LI A
  • 35.
  • 36.
  • 37. ento co m portam ncia é um ou m oral a Violê no físico jeto. sa da ou ob qu e cau a, se r vivo orça, pesso de f outra exc essivo rado. É o uso rio o u espe essá pela além d o n ec acter iza-se lência ca r acien te e A vio ta, imp vence orrup o con aç ão c , que nã utro, eada na ira o o b as co n v encer ou busca gride. smen te o a simple
  • 38. FORMAS DE VIOLêNCIA: Violência FÍSICA. Violência PSICOLÓGICA
  • 39. FORMAS DE VIOLêNCIA: Violência CULTURAL Violência contra IDOSO
  • 40. FORMAS DE VIOLêNCIA: Violência VERBAL Violência contra MULHER
  • 41. FORMAS DE VIOLêNCIA: Violência INFANTIL Violência no TRÂNSITO
  • 42.
  • 43. entes dolescto os e a rtan cri anças lar, po li d a r •A tinge ade esco brigados a em id ores são o. e ducad ta questão co m es encia a influcidade olênci capa da vi sua acto e na no e imp ent • O etam do a lu dir prendizagem adão. d e a ão como cid formaç
  • 44. O papel da Escola em relação à violência •A escola deve reconhecer de que existe a violência própria do ambiente escolar na maioria das vezes manifestadas pelas relações de atritos entre alunos, discriminação e exclusão. •Essas manifestações devem ter solução pedagógica imediata no sentido de evitar que evoluam para problemas mais graves.
  • 46. O QUE É BULLyNG ? • Bullying é uma palavra inglesa que significa intimidação. • Bullying é uma violência continuada, física ou mental, praticada por um indivíduo ou grupo, diretamente contra um outro indivíduo que não é capaz de se defender por si só, na situação atual. • Pode ser bater, empurrar ou dizer coisas que nos magoam e que nos fazem sentir tristes ou diminuídos. • Se não param quando se lhes pede, eles são BULLIES !!
  • 47. AS FORMAS DE BULLYNG Violência Verbal Chamar nomes, gozar constantemente a mesma pessoa, rir à custa dos outros. Violência Emocional É quase invisível! Excluir de atividades do grupo ou espalhar rumores. Violência Física Dar pontapés, bater, morder, beliscar, puxar os cabelos ou ameaçar de espancamento.
  • 48. AS FORMAS DE BULLYNG Racista Violência Usar expressões e gestos ofensivos ou debochar das tradições culturais dos outros. Violência Sexual Fazer comentários impróprios, contato físico indesejado e sexualmente abusivo. Cyberbullyng Usar os SMS, o E-mail, o Chat para intimidar ou insultar
  • 49. 2ª feira – Tiraram meu dinheiro UMA HIS TÓRIA 3ª feira – Me xingaram REAL 4ª feira – Rasgaram meu uniforme 5ª feira – Meu corpo está coberto de sangue. 6ª feira – Terminou Sábado – Liberdade Sábado foi o dia em que Vijay Singh de 13 anos foi encontrado morto, enforcado em casa, em Manchester – Inglaterra,
  • 50. Quem são as principais vítimas de Bulling ? •OS DIFERENTES Cor de cabelo, cor de pele, deficiências, forma de vestir, o sotaque… OS INDEFESOS Que mostram medo, que provavelmente até choram, são o alvo preferencial dos Bullies OS QUE SE ISOLAM DO GRUPO Não têm a quem se socorrer ou quem faça frente,geralmente escondem que estão a ser vítimas
  • 51. Quem é o agressor (bully)? • Os que querem controlar ou mandar nos outros; • Os que querem o reconhecimento dos colegas fazendo mal aos mais fracos; • São aqueles que têm um fraco amor próprio; • Julgam-se os maiores e mais espertos; • Para os Bullies ser “porreta” é ser mau!
  • 52. O QUE FAZER? • Não resistir, pode piorar a situação, ter medidas disciplinares ao reagir (ex.: suspensão), poderá ser visto como mais um agressor; • Todos devem respeitar as suas diferenças; • Procurar o aconselhamento de um adulto; familiar ou professor; • Acompanhe o grupo de amigos; • Não esconda a situação, • Comunique o adulto mais próximo.
  • 53. O QUE FAZER? • Pesquisa qualitativa através de questionários aplicados aos alunos; • Estabelecimento de regras antibullying na escola; • A melhor forma de tratar o bullying é evitar que ele ocorra. • Interrompa o bullying antes que ele comece; • Se seu amigo pode estar sofrendo bullying. Preste atenção! Comunique imediatamente a Orientação Escolar; • Importante: professores não são testemunhas de bullying, mas alunos
  • 55. CRIMINALIDADE e cr imes onju nto d É o c
  • 56. O QUE é CRIME ?  é CONSIDERADO CRIME TODA AÇÃO QUE NEGLIGENCIA UMA LEI, A PARTIR DESTE SURGE O CONCEITO DE CRIMINALIDADE, QUE NADA MAIS é DO QUE A FORMA DE O CRIME SE ALASTRAR DENTRO DE UMA SOCIEDADE (CIDADE, ESTADO OU PAIS).  EXISTEM VÁRIAS FORMAS DE PROPAGAÇÃO DA CRIMINALIDADE, A PRINCIPAL é O CRIME ORGANIZADO. NO BRASIL OS MAIS CONHECIDOS SÃO O PCC (PRIMEIRO COMANDO DA CAPITAL) E O CV (COMANDO VERMELHO).
  • 57. A CRIMINALIDADE NO BRASIL OCORRE DEVIDO A CARêNCIA DE RECURSOS ECONôMICOS E TéCNICOS, ALIADA à FALTA DE APOIO POLíTICO- INSTITUCIONAL, NO GOVERNO FEDERAL E PRINCIPALMENTE NOS GOVERNOS ESTADUAIS, NO LEGISLATIVO E NO jUDICIÁRIO.  CAUSAS - SEGUNDO O III RELATÓRIO NACIONAL SOBRE DIREITOS HUMANOS NO BRASIL, A INEFICÁCIA DO ESTADO PERANTE O AUMENTO DA VIOLêNCIA GERA AINDA MAIS VIOLAÇÕES DE DIREITOS HUMANOS E IMPUNIDADE, ALéM DE AUMENTAR O SENTIMENTO DE INSEGURANÇA E REVOLTA DA POPULAÇÃO.
  • 58. AS PRINCIPAIS FORMAS DE RENDA DA CRIMINALIDADE ? ARMAS DROGAS
  • 59. AS PRINCIPAIS FORMAS DE RENDA DA CRIMINALIDADE ? LAVAGEM DE DINHEIRO
  • 60. CAUSAS DA CRIMINALIDAADE •Fatores sócio-econômicos (pobreza, agravamento das desigualdades); •Crise do modelo familiar; •Fatores culturais (ausência de integração racial e desordem moral); •Superpopulação das grandes capitais, metrópoles, descontrolando o desenvolvimento econômico, social, etc; •A mídia que algumas vezes traz cenas de apologia ao crime; •Descontrole de armamentos vindos de outros países pelas fronteiras, resultando em narcotráfico, guerra entre gangues, crime organizado, etc.
  • 61. CONSEQUêNCIAS CADEIA MORTE
  • 62. ALGUMAS MEDIDAS PREVENTIVAS  UM POLICIAMENTO BEM PREPARADO EM TODOS OS SENTIDOS E UM SISTEMA DE jUSTIÇA ÁGIL.  A SITUAÇÃO CRIMINAL EXIGE DO ESTADO E DA SOCIEDADE SOLUÇÕES URGENTES: DO ESTADO PODER DE POLíCIA; E DA SOCIEDADE PRESERVAÇÃO DOS VALORES DA éTICA E DA MORAL, A COMEÇAR PELA FAMíLIA.  OUTRA FORMA é INFORMAÇÃO, APROXIMAR, POLICIAS MILITAR, CIVIL, GUARDA MUNICIPAL DA POPULAÇÃO DE CAMPO GRANDE, POR MEIO DE PALESTRAS REALIZADAS EM CENTROS COMUNITÁRIOS, ESCOLAS, EM PROjETOS EDUCATIVOS, ASSOCIAÇÕES DE MORADORES E OUTRAS INSTITUIÇÕES. PROPORCIONAR à COMUNIDADE ESPAÇOS DE REFLEXÃO E DISCUSSÃO, BUSCANDO CONTRIBUIR NA PREVENÇÃO DA VIOLêNCIA.
  • 63.
  • 64. FIM