Orçamento de Capital  em Condicões de Risco Ponto 7 T.Adm.Financeira
Objetivos <ul><li>Discutir as abordagens básicas para tratar com a incerteza. </li></ul><ul><li>Abordagem Probabilística <...
Abordagem Básicas para Tratar a Incerteza <ul><li>Ajustar a taxa de desconto para refletir o risco. </li></ul><ul><li>Ajus...
Análise de Sensibilidade <ul><li>Calcular os fluxos de caixa  esperados. </li></ul><ul><li>Identificar  hipóteses chaves. ...
Análise de Sensibilidade <ul><li>Escolha das Variáveis. </li></ul><ul><li>Auxilia na tomada de decisão final, não proporci...
Exemplo de Análise de Sensibilidade <ul><li>Análise de uma Loja de Departamentos </li></ul><ul><li>Hipóteses: </li></ul><u...
Fluxo de Caixa
Sensibilidade ao Crescimento das Receitas
Sensibilidade a Margem Operacional
Sensibilidade à Necessidade Capital de Giro
Análise de  Break-even <ul><li>B/E  Contábil  é o ponto no qual o lucro contábil é  zero </li></ul><ul><ul><li>Ignora o va...
Break-even  Contábil e Financeiro Receitas Unid. $ CV CF Break-even Contábil Unid. $ VP dos Custos Break-even Financeiro V...
Análise de Cenários <ul><li>É uma variante da análise de sensibilidade. </li></ul><ul><li>Cenários específicos definidos <...
Exemplo de Análise de Cenário
Limitação da Análise de Cenários <ul><li>Assume cenários claramente definidos, dentro dos quais os resultados oscilam. </l...
Simulações:  Passos <ul><li>Em vez de usar o valor esperado para cada variável, desenvolve-se uma distribuição de probabil...
Limitações da Análise por Simulação <ul><li>Número grande de informações  necessárias para que a simulação proporcione res...
Árvores de Decisão <ul><li>Divide o projeto em estágios definidos </li></ul><ul><li>Lista todas as possibilidades de resul...
Exemplo de Árvore de Decisão Investir (1,000) 0.80 Investir (10,000) 0.60 (500) t=0 t=1 t=2 t=3 t=4 t=5 t=6 0.30 0.40 0.30...
A Opção de Abandonar um Projeto <ul><li>Opção de abandonar um projeto em algum momento durante a vida do projeto tem valor...
Árvore de Decisão Investir (1,000) 0.80 Investir (10,000) 0.60 (500) t=0 t=1 t=2 t=3 t=4 t=5 t=6 0.30 0.40 0.30 Prob VPL 0...
Riscos do Projeto <ul><li>Analisar Risco do Projeto </li></ul><ul><li>Mensurar Risco do Projeto </li></ul><ul><li>Analises...
Analisando o Risco do Projeto <ul><li>Diferenciar riscos importantes dos que não o são.  </li></ul><ul><li>Risco Específic...
Mensurando o Risco do  Projeto <ul><li>Deve-se identificar: </li></ul><ul><ul><li>Os fatores de risco que importam. </li><...
Mensurando o Risco de Mercado <ul><li>É o fator de risco que importa para todas as companhias. </li></ul><ul><li>Na estima...
Estimando o Risco de Mercado  <ul><li>Abordagem “Pure-Play” </li></ul><ul><ul><li>Observar o beta de firmas de capital abe...
Analise de Investimentos com Risco Ajustado <ul><li>Taxa de Desconto Ajustadas </li></ul><ul><ul><li>Custo de Capital Próp...
Fluxo de Caixa Ajustado <ul><li>Estimativas  Conservadoras  , de modo a ir ajustando o risco do projeto.  </li></ul><ul><l...
Ajustamento ao Risco, Técnicas usadas na Prática
Erros Comuns no Tratamento do Risco em Projetos <ul><li>Falhas em  não considerar a totalidade dos riscos  </li></ul><ul><...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Capital em condições de risco

1.188 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
1.188
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
119
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12 As general rule of thumb, financial breakeven is a higher hurdle, Because it requires the firm to make sufficient revenues to cover the hurdle rate on the funds invested in the project.
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16 If outcomes are more continuous than discrete, then scenario analysis will not work. More likely to be effective in cases with discrete outcomes.
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20 At t=0, conduct $500,000 study of market potential. Stage 2 If it appears there is a significant market (probability =0.8), spend an additional 1,000,000 for marketing test. Stage 3 If reaction is good, build larger plant for $10,000,000. Project is expected to last for 4 years, before patent expires.
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24 Project-Specific Risk Risk that matters only to the project under consideration. May arise from factors specific to the project. Competitive Risk Unanticipated effect (positive or negative) on the cash flows of project arising fromcompetitor’s actions Industry -Specific Risk Unanticipated effect (positive or negative) on the cash flows of project due to industry-wide shifts in technology, changes in law, commodity prices. International Risk Additional uncertainty in cash flows created by unanticipated changes in exchange rates and by political risk in foreign markets. Market Risk Unanticipated change in project cash flows created by changes in interest rates, inflation, and the economy
  • 25
  • 26 Firm’s risk measure: If project risk is constant across the firm IE, the overall cost of equity for the firm would be used as the cost of equity for the project Project risk measure IF project risk varies across projects. Implies cost of equity will be different for different classes of projects, or for different divisions.
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
  • Capital em condições de risco

    1. 1. Orçamento de Capital em Condicões de Risco Ponto 7 T.Adm.Financeira
    2. 2. Objetivos <ul><li>Discutir as abordagens básicas para tratar com a incerteza. </li></ul><ul><li>Abordagem Probabilística </li></ul><ul><li>Análise de Sensibilidade </li></ul><ul><li>Análise de Break-even </li></ul><ul><li>Análise de Cenários </li></ul><ul><li>Simulações </li></ul><ul><li>Árvores de Decisão </li></ul>
    3. 3. Abordagem Básicas para Tratar a Incerteza <ul><li>Ajustar a taxa de desconto para refletir o risco. </li></ul><ul><li>Ajustar o fluxo de caixa para refletir o risco. </li></ul><ul><ul><li>Ajustamento ao risco pode variar de projeto para projeto. </li></ul></ul><ul><ul><li>Espaço aberto para pré-concepções e tendências no ajustamento. </li></ul></ul><ul><ul><li>Risco pode algumas vezes ser duplamente contado. </li></ul></ul><ul><li>Realizar uma análise de tipo “O que- se” no estudo do fluxo de caixa. </li></ul>
    4. 4. Análise de Sensibilidade <ul><li>Calcular os fluxos de caixa esperados. </li></ul><ul><li>Identificar hipóteses chaves. </li></ul><ul><ul><li>Específicas da Firma. </li></ul></ul><ul><ul><li>Macroeconômicas. </li></ul></ul><ul><li>Analisar o impacto de cada hipótese isoladamente. </li></ul><ul><li>Apresentar resultados em termos de VPL/TIR. </li></ul><ul><li>Incorporar os resultados da análise de sensibilidade na avaliação, a fim de auxiliar na decisão de aceitar ou rejeitar o projeto. </li></ul>
    5. 5. Análise de Sensibilidade <ul><li>Escolha das Variáveis. </li></ul><ul><li>Auxilia na tomada de decisão final, não proporciona regra clara. </li></ul><ul><li>Qual será a vida do Projeto? </li></ul>
    6. 6. Exemplo de Análise de Sensibilidade <ul><li>Análise de uma Loja de Departamentos </li></ul><ul><li>Hipóteses: </li></ul><ul><ul><li>Investimento Inicial (10.000 m 2 ) = $12.5 M. </li></ul></ul><ul><ul><li>Vida Esperada = 10 anos </li></ul></ul><ul><ul><li>Investimentos adicionais no fim do ano 5 = $1 M </li></ul></ul><ul><ul><li>Valor final das Instalações = $5.5 M </li></ul></ul><ul><ul><li>Receitas Esperadas por m 2 . no ano 1 = $3000/ m 2 LAJIR/Vendas = 10.0% (g = 5% ano - crescimento) </li></ul></ul><ul><ul><li>Capital de Giro = 10% das receitas. </li></ul></ul>
    7. 7. Fluxo de Caixa
    8. 8. Sensibilidade ao Crescimento das Receitas
    9. 9. Sensibilidade a Margem Operacional
    10. 10. Sensibilidade à Necessidade Capital de Giro
    11. 11. Análise de Break-even <ul><li>B/E Contábil é o ponto no qual o lucro contábil é zero </li></ul><ul><ul><li>Ignora o valor do dinheiro no tempo </li></ul></ul><ul><ul><li>Definido em termos de unidades produzidas </li></ul></ul><ul><li>Break-even Financeiro </li></ul><ul><ul><li>Estimativa de Fluxo de Caixa necessário para ter um VPL=0 </li></ul></ul><ul><ul><li>Apura as receitas necessárias para gerar esse fluxo de caixa </li></ul></ul><ul><ul><li>Estima o número de unidade necessárias para criar essa receita. </li></ul></ul>
    12. 12. Break-even Contábil e Financeiro Receitas Unid. $ CV CF Break-even Contábil Unid. $ VP dos Custos Break-even Financeiro VP das Receitas
    13. 13. Análise de Cenários <ul><li>É uma variante da análise de sensibilidade. </li></ul><ul><li>Cenários específicos definidos </li></ul><ul><li>Crescimento/lucros característicos para cada </li></ul><ul><li>VPL/TIR estimada para cada cenário </li></ul>
    14. 14. Exemplo de Análise de Cenário
    15. 15. Limitação da Análise de Cenários <ul><li>Assume cenários claramente definidos, dentro dos quais os resultados oscilam. </li></ul><ul><li>Deveremos estimar valores esperados para a variáveis. </li></ul><ul><ul><li>Uma expectativa para cada cenário. </li></ul></ul>
    16. 16. Simulações: Passos <ul><li>Em vez de usar o valor esperado para cada variável, desenvolve-se uma distribuição de probabilidade para cada variável. </li></ul><ul><li>Desenhe os resultados para cada distribuição. </li></ul><ul><li>Estime o novo VPL, baseado nos resultados projetados. </li></ul><ul><li>Repita os passos anteriores um número suficiente de vezes. </li></ul><ul><li>Computar uma estatística sumária do VPL através de todas as simulações, desenhe um gráfico do VPL. </li></ul><ul><li>Use a distribuição do VPL para realizar as decisões. </li></ul>
    17. 17. Limitações da Análise por Simulação <ul><li>Número grande de informações necessárias para que a simulação proporcione resultados satisfatórios . </li></ul><ul><li>Interação entre as variáveis deve ser incorporada na análise </li></ul><ul><li>Nenhuma regra clara de decisão é criada. </li></ul>
    18. 18. Árvores de Decisão <ul><li>Divide o projeto em estágios definidos </li></ul><ul><li>Lista todas as possibilidades de resultado em cada estágio. </li></ul><ul><li>Específica a probabilidade de cada resultado a cada estágio. </li></ul><ul><li>Específica o efeito de cada resultado no fluxo de caixa esperado. </li></ul><ul><li>Avalia a decisão ótima a ser realizada a cada estágio da árvore. </li></ul>
    19. 19. Exemplo de Árvore de Decisão Investir (1,000) 0.80 Investir (10,000) 0.60 (500) t=0 t=1 t=2 t=3 t=4 t=5 t=6 0.30 0.40 0.30 Prob VPL 0.144 0.192 0.144 0.320 0.20 VPL = 0.144*15,250 + 0.192*436 + 0.144*(15,379) + 0.32(1,397) + 0.20(500) = ($338) Parar 0.20 Parar 0.40 10,000 10,000 10,000 10,000 4,000 4,000 4,000 4,000 (2,000) (2,000) (2,000) (2,000) (500) (1,397) (14,379) 436 15,250
    20. 20. A Opção de Abandonar um Projeto <ul><li>Opção de abandonar um projeto em algum momento durante a vida do projeto tem valor. </li></ul><ul><li>Valor da Opção de Abandono : </li></ul><ul><ul><li>VPL de uma decisão de abandono - VPL de uma decisão sem abandono. </li></ul></ul>
    21. 21. Árvore de Decisão Investir (1,000) 0.80 Investir (10,000) 0.60 (500) t=0 t=1 t=2 t=3 t=4 t=5 t=6 0.30 0.40 0.30 Prob VPL 0.144 0.192 0.144 0.320 0.20 VPL = 0.144*15,250 + 0.192*436 + 0.144*(11,176) + 0.32(1,397) + 0.20(500) = $124 Parar 0.20 Parar 0.40 10,000 10,000 10,000 10,000 4,000 4,000 4,000 4,000 (2,000) 0 0 0 (500) (1,397) (11,176) 436 15,250
    22. 22. Riscos do Projeto <ul><li>Analisar Risco do Projeto </li></ul><ul><li>Mensurar Risco do Projeto </li></ul><ul><li>Analises de Investimentos ajustados pelo Risco </li></ul><ul><li>Práticas de Ajustamento a Risco </li></ul><ul><li>Erros comuns no tratamento do Risco do Projeto </li></ul>
    23. 23. Analisando o Risco do Projeto <ul><li>Diferenciar riscos importantes dos que não o são. </li></ul><ul><li>Risco Específico do Projeto. </li></ul><ul><li>Risco Competitivo. </li></ul><ul><li>Risco Específico da Indústria. </li></ul><ul><li>Risco Internacional. </li></ul><ul><li>Risco do Mercado. </li></ul>
    24. 24. Mensurando o Risco do Projeto <ul><li>Deve-se identificar: </li></ul><ul><ul><li>Os fatores de risco que importam. </li></ul></ul><ul><ul><li>Mensurar esses fatores de risco </li></ul></ul>
    25. 25. Mensurando o Risco de Mercado <ul><li>É o fator de risco que importa para todas as companhias. </li></ul><ul><li>Na estimativa do risco do projeto, use uma das duas abordagens : </li></ul><ul><ul><li>Aplique o risco da Empresa </li></ul></ul><ul><ul><li>Estime o risco do projeto. </li></ul></ul>
    26. 26. Estimando o Risco de Mercado <ul><li>Abordagem “Pure-Play” </li></ul><ul><ul><li>Observar o beta de firmas de capital aberto na mesma linha de negócio. </li></ul></ul><ul><li>Betas contábeis </li></ul><ul><ul><li>Betas (regressão) com base no retorno do mercado. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ajuste características específicas da divisão e projeto nos resultados da regressão. </li></ul></ul>
    27. 27. Analise de Investimentos com Risco Ajustado <ul><li>Taxa de Desconto Ajustadas </li></ul><ul><ul><li>Custo de Capital Próprio do Projeto </li></ul></ul><ul><ul><li>Custo do Capital Médio Ponderado (WAAC) </li></ul></ul>
    28. 28. Fluxo de Caixa Ajustado <ul><li>Estimativas Conservadoras , de modo a ir ajustando o risco do projeto. </li></ul><ul><li>Abordagem da Certeza Equivalente. </li></ul><ul><ul><li>Encontrar um fluxo de caixa de menor risco que seja equivalente a um fluxo de caixa de maior risco </li></ul></ul><ul><ul><li>Descontar a certeza equivalente a uma taxa de menor risco para encontrar o VPL </li></ul></ul>
    29. 29. Ajustamento ao Risco, Técnicas usadas na Prática
    30. 30. Erros Comuns no Tratamento do Risco em Projetos <ul><li>Falhas em não considerar a totalidade dos riscos </li></ul><ul><li>Contar o mesmo risco duplamente. </li></ul><ul><li>Aplicar o risco da firma para um projeto com diferentes riscos. </li></ul><ul><li>Considerar como diversificáveis os riscos na análise de projetos. </li></ul>

    ×