COSAN Presentation

618 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
618
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
4
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
18
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

COSAN Presentation

  1. 1. Logística doCorte, Carregamento eTransporte da Cana-de-Açúcar.Aplicação do Simio na modelagemda Unidade Costa Pinto.
  2. 2. Agenda• Apresentação da Empresa• Introdução• Objetivos• Apoio Paragon• Animação• O modelo• Resultados• Conclusões• Próximos Passos
  3. 3. Apresentação da Empresa• Fundada em 1936, a Cosan possui 23 unidades produtoras (21 em São Paulo, uma na cidade de Jataí/GO e outra em Caarapó/MS), 4 refinarias e 2 terminais portuários.• O Grupo Cosan atua nos seguintes segmentos – Açúcar e Etanol, através de 23 usinas com capacidade de moagem de 60 milhões de toneladas de cana-de-açúcar; – Combustíveis e Lubrificantes, através da marca Esso e Mobil; – Alimentos, com as marcas Da Barra, União, Dolce, Duçula e Neve; – Logística, através da Rumo Logística; – Propriedades agrícolas, através da Radar; – Energia Elétrica, através da cogeração proveniente da queima de bagaço e da palha da cana-de-açúcar.• O Grupo Cosan conta com cerca de 43 mil funcionários.• O Faturamento Líquido da CAA em 2009 foi de R$ 3,2 Bi.
  4. 4. Logística Agrícola  Gerenciar as atividades dos processos de logística, a fim de atender corporativamente as necessidades de abastecimento de cana planejada pela área agrícola. É de sua responsabilidade buscar oportunidades de melhoria em sistemas, ferramentas e processos das operações de logística.• Definir estratégias e desenvolver projetos que promovam a integração dos processos agrícolas;• Identificar as oportunidades de evolução tecnológica;• Avaliar e criar ferramentas/modelos de planejamento, programação e controle, automação de processos e simulação das operações agrícolas;• Diversificação da matriz de transporte• Terceirização de operações agrícolas;• Programa de desenvolvimento de prestadores de serviços  profissionalização e sustentabilidade das operações agrícolas terceirizadas.
  5. 5. Objetivos da Simulação• Visualizar a dinâmica da operação;• Permitir a identificação de gargalos e pontos passíveis de melhoria;• Avaliar cenários e obter de forma rápida as respostas às suas implementações.
  6. 6. Apoio Paragon• Escolha da Ferramenta• Capacitação – 1ª Turma de Treinamento de Simio no Brasil.• Assessoria – A Paragon participou da etapa de definição/estruturação do modelo e deu suporte ao longo das fases de desenvolvimento e “acabamento” do modelo.
  7. 7. Objetivos do modelo• Dimensionar a frota de transporte rodoviário de cana- de-açúcar das lavouras à Unidade Costa Pinto;• Avaliar a capacidade real de recepção de cana-de- açúcar das usinas;• Identificar gargalos e pontos passíveis de melhoria no fluxo do CCT (Corte-Carregamento-Transporte) de cana-de-açúcar.
  8. 8. O processo de CCT CCTSemi-mecanizado CCT Mecanizado
  9. 9. Animação
  10. 10. Modelo conceitual Frentes Pátio BV Mecanizadas Sonda -8 Frentes (4 c/ BV) - 4 Frotas Distintas Balança Controle de Tráfego Descarga Frentes Manuais Limpeza -4 Frentes Foca-Foca - 2 Frotas Distintas InteiraLinha Contínua: IdaLinha Tracejada: Volta Cana Picada – Transp. Rodoviário Cana Picada – Transp. Escravo Cana Inteira Cana Foca-Foca Inteira
  11. 11. Características do modelo• Número de variáveis: - Variáveis de Entrada: 32 - Variáveis de Saída: 39 - Variáveis Auxiliares: 92 - Variáveis de Entidades: 8 - Tabelas de entrada: 19• Dias Simulados: - 240 (1 safra)• Número de Entidades: – 12 (Colhedoras + 10 tipos de composição de transporte + cana sob esteira)• Tempo de criação do modelo: – 3 meses.
  12. 12. Modelo: Despacho Dinâmico As meta de #Env. F-P1 Frente P1 Menor FP1 a FP4 Realizado estão ok? #Env. F-P2 Frente P2 #Env. F-P3 Frente P3 Mais Longe #Env. F-P4 Frente P4Frota da Meta Frente P5 As meta de Menor #Env. F-P3 Frente P6 FP6 e FP7 Realizado estão ok? Mais Longe #Env. F-P4 Frente P7 da Meta Frente P8
  13. 13. Modelo: Descarga Velocidade das Esteiras Vazão (TCH) NOME DA ESTEIRA Fórmula Taxa de Criação de Entidades nas Moegas Esteira_Entrada_M1 Tx_M1 Esteira_Entrada_M2 Tx_M2 Fórmula Esteira_Entrada_M3 Tx_M3Moega I1 M1 Esteira_Saida_I2 I2Moega I2 (Soma(M1:M3)*[%I]-M1)*(M2/(M2+M3)) Esteira_Saida_I3 I3Moega I3 (Soma(M1:M3)*[%I]-M1)*(M3/(M2+M3)) Esteira_Saida_P1 P1Moega P1 (1/3)*(Soma(M1:M3)*[%P]) Esteira_Saida_P2 P2Moega P2 (2/3)*(Soma(M1:M3)*[%P]) Esteira_P1_pra_M2 Saida_P1*(%P1-M2) Esteira_P1_pra_M3 Saida_P1*(%P1-M3) Esteira_P2_pra_M2 Saida_P2*(%P2-M2) Esteira_P2_pra_M3 Saida_P2*(%P2-M3) Esteira_Juncao_M2 (P1_pra_M2) + (P2_pra_M2) Esteira_Juncao_M3 (P1_pra_M3) + (P2_pra_M3)
  14. 14. Resultados• Redução de Frota (cana picada): - Em relação à frota em operação (2010): - 8 Conjuntos de Transporte de Cana Picada - 11 Conjuntos de Transporte de Cana Inteira - Em relação ao dimensionamento determinístico para 2011 (considera aumento de produtividade) - 3 Conjuntos de Transporte de Cana Picada• Avaliação de Gargalos – Redefinição de filas externas à balança.
  15. 15. Conclusões• O modelo mostrou-se muito aderente à dinâmica real das operações de CCT da cana-de-açúcar e de movimentação interna na Usina.• Permite visualizar os pontos de formação de filas e os recursos com alta e baixa ocupação.
  16. 16. Próximos Passos• Detalhamento das frentes de colheita mecanizada e a expansão do modelo para outras usinas do grupo.• Utilização da ferramenta para modelagem de outras operações agrícolas (ex: dimensionamento da frota de caminhões comboio).
  17. 17. Depoimento• Sobre o projeto – Ótimo retorno econômico. – Fragmentação inicial do modelo em 3 partes (unificadas ao final) permitiu o cumprimento do prazo. – O trabalho em equipe foi fundamental, eficaz e eficiente nos momentos de produção individual e em grupo.• Sobre a Ferramenta – “ O Simio é uma ferramenta extraordinária, muito flexível e de interface amigável. Somado a isso, o apoio da Paragon tanto no treinamento quanto no auxílio do desenvolvimento do modelo foi fundamental para conclusão do projeto no prazo estipulado. Temos a certeza de que esse foi um projeto de sucesso.”Rodrigo Bombonatto SilvaEngenheiro Sr.Cosan Açúcar e Álcool
  18. 18. Phone 55 11 3849 8757Fax 55 11 3845 4967paragon@paragon.com.brwww.paragon.com.br

×