SlideShare uma empresa Scribd logo
1 de 30
Baixar para ler offline
I Semana da Saúde
                                   Reguengos de Monsaraz
                                   15 de Fevereiro de 2013




                  Reabilitação Aquática




Débora Marques
Psicomotricista
Hidroterapia
Modalidade que consiste em exercícios e manipulações
ao utilizar técnicas baseadas em conceitos de Fisiologia
               do Exercício e Biomecânica

            Princípios Físicos da Água
             Pressão
           hidrostática      Empuxo

 Turbulência         Viscosidade        Densidade
Contra-indicações
• Infecções de pele
• Condições cardio-respiratórias aguda
• Doenças vasculares
• Radioterapia e Quimioterapia
• Doenças renais
• Otites
• Feridas abertas ou ulceras
Efeitos da Imersão
Efeitos Fisiológicos

• Aumento do fluxo sanguíneo dos músculos

• Temperatura muscular eleva

• Aumento da exigência de oxigénio

• Aumento da produção de dióxido de carbono
Efeitos Terapêuticos
•Alívio de dor e espasmos musculares;
•Manutenção ou aumento da amplitude articular;

•Fortalecimento muscular e treino de resistência (endurance);

•Reeducação dos músculos paralisados (espásticos);

•Melhoria da circulação;

•Encorajamento das atividades funcionais;

•Manutenção e melhora do equilíbrio, coordenação e postura.
Efeitos Psicológicos


• Efeito sedativo

• Socialização

• Autonomia

• Confiança e auto-estima
Hidroterapia & Patologias

•   Disfunções Endócrino- Metabólicas
•   Neurologia
•   Disfunções Cardiopulmonares
•   Reumatologia
•   Geriatria
•   Ortopedia, Traumatologia e Medicina Desportiva
Hidroterapia & Disfunções Endócrinas

 O treino provoca a redução das resposta de adrenalina, da noradrenalina e da
 insulina ao exercício.
 A realização de exercício aeróbios na melhoria do controlo diabético é bastante
 conhecida, tanto ao passo que se obtém uma diminuição dos níveis sanguíneos
 de glicose bem como, diminui a necessidade de insulina nos insulino-
 dependentes.

 A Hidroterapia aumenta da capacidade de trabalho e resistência, aumenta a
 capacidade respiratória resultante de uma elevação no débito cardíaco pela
 pressão hidrostática e pelo calor da água.
Hidroterapia & Neurologia

• Diminuição da descarga de peso;
• Estabilização de articulações;
• Propicia e ortostatismo e marcha;
• Estimula equilíbrio e coordenação;
• Previne contraturas musculares e deformidades;
• Favorece o aumento das amplitudes de movimento direta e indiretamente;
• Promove relaxamento muscular
• Diminui edemas e favorece o retorno venoso;
• Aumenta a força muscular;
• Propicia trabalho respiratório, aumentando a expansibilidade, favorece a expiração
  e aumenta a capacidade vital;
• Restabelece e estimula as reações de endireitamento;
• Reeduca os padrões centralizados dos movimentos, que são rotacionais;
• Aumenta o condicionamento cardiovascular;
Hidroterapia & Disfunções
                Cardiopulmonares

•   Aumento do retorno venoso e do débito cardíaco;
•   Diminuição da dor;
•   Melhora da flexibilidade;
•   Melhora a capacidade respiratória;
•   Trabalho de força dos músculos respiratórios;
•   Melhora da resistência cardiovascular, melhora da oxigenação sanguínea e da
    circulação como um todo
•   Melhora da capacidade aeróbia;
•   Relaxamento muscular;
•   Diminuição da ansiedade (fator desencadeante da asma);
•   Promove aumento da autoconfiança, prevenindo ausência do trabalho e
    depressão pela inatividade;
•   Melhora a sociabilidade.
Hidroterapia & Reumatologia
•   Promove relaxamento muscular;
•   Diminui dor;
•   Permite a execução dos movimentos sem dor
•   Diminui as forças compressivas intra-articulares;
•   Diminui inflamações crónicas;
•   Mantém força e resistência muscular;
•   Mantém a capacidade funcional do sistema locomotor;
•   Melhora a capacidade respiratória;
•   Diminui edemas;
•   Permite melhora do equilíbrio e coordenação;
•   Promove socialização do paciente;
•   Melhora a auto-estima do paciente, melhorando a atitude frente a doença;
•   Melhora as AVD’s
Hidroterapia & Geriatria
• Facilita a execução de exercícios de intensidade moderada;
• Facilita a execução de atividades e movimentos que são difíceis ou
  impossíveis de serem realizadas fora da água;
• Melhora a força e resistência muscular;
• Facilita o trabalho de pacientes com problemas degenerativos nos
  ossos, articulações e tendões;
• Diminui a susceptibilidade destes pacientes à dor e novas lesões;
• Melhora o equilíbrio coordenação neuromuscular comprometidos;
• Mantém e melhora a flexibilidade, coordenação e equilíbrio;
• Aumenta o controlo de peso e da nutrição;
• Promove o relaxamento;
Técnicas na Hidroterapia
Método Halliwick
McMillian, o criador da técnica, desenvolveu inicialmente uma
atividade recreativa que visava dar independência individual na
água, para pacientes com incapacidade e treiná-los a nadar.


4 princípios:
· Ajustamento mental
· Restauração do equilíbrio
· Inibição
· Facilitação
10 Pontos
1. Adaptação Mental
2. Desinibição
3. Rotação Vertical
4. Rotação Lateral
5. Rotação Combinada
6. Impulsão
7. Equilíbrio e Imobilidade
8. Deslize em turbulência
9. Progressão simples
10.Movimento Básico
Indicações

             • Paralisia Cerebral
    • Acidente Vascular Cerebral
            • Esclerose Múltipla
                    • Paraplegia
 • Traumatismo Crânio-Encefálico
                      • Artrites
Bad Ragaz

Atualmente, o método Bad Raggaz é constituído de técnicas de movimentos com
padrões em planos anatómicos e diagonais, com resistência e estabilização
fornecidos pelo terapeuta.
A técnica pode ser utilizada passiva ou ativamente em pacientes ortopédicos,
reumáticos ou neurológicos.
Os objetivos terapêuticos incluem redução de tónus muscular, pré-treino da marcha,
estabilização de tronco, fortalecimento muscular e melhora da amplitude articular.
Watsu

O Watsu, também conhecido como "Water Shiatsu", aquashiatsu ou
hidroshiatsu, foi criado por Harold Dull em 1980.
Tal técnica aplica os alongamentos e movimentos do shiatsu zen na água,
incluindo alongamentos passivos, mobilização de articulações e
"hara-trabalho", bem como pressão sobre "tsubos" (acupontos) para
equilibrar fluxos de energia através dos meridianos (caminhos de energia).
Alterações fisiológicas
• Diminuição da frequência cardíaca
• Diminuição do ritmo respiratório
• Aumento da vasodilatação periférica
• Diminuição da espasticidade
• Diminuição do espasmo muscular
• Aumento da amplitude de movimento
• Reforço do sistema imunitário
Hidrocinesioterapia


A hidrocinesioterapia constitui um conjunto de técnicas
terapêuticas fundamentadas no movimento humano. É a
fisioterapia na água ou a prática de exercícios terapêuticos
em piscinas, associada ou não aos manuseios,
manipulações, hidromassagem e massoterapia, configurada
em programas de tratamento específicos para cada
                         paciente.
Evidências
Benedetto, L., Vinhas, R. & Magalhães, L. (1998). “Avaliação da qualidade de vida
de pacientes com fibromialgia após dois meses de Hidroterapia”


Em conclusão, a piscina terapêutica é indicada para o tratamento de fibromialgia
no que diz respeito a elevação da qualidade de vida
A evolução das pacientes quanto à melhora da qualidade de vida , pode ser
atribuído à melhora do quadro de dor e estado depressivo, possivelmente
influenciados pela melhora na realizações de suas atividades de vida diária, bem
como melhoria da mobilidade e qualidade de movimento corporal e da
capacidade física.
Evidências
 Dentre as principais metas fisioterápicas, a hidrocinesioterapia com o uso dos
 princípios físicos da água, traz diversos benefícios como: Aumento da
Pereira, E. C.de movimento,J. M. (2005). “Efeitos da Cinesioterapia em pacientes
 amplitude & Candeloro, aumento de força muscular no membro inferior
com uso do fixador externo.” membro são, treino de equilíbrio, marcha e
 acometido e manutenção do
 propriocepção, realização de exercícios de agilidade, velocidade e mudança
 de direção, exercícios de consolidação óssea com diminuição de dor, ausência
 de risco de quedas e lesões decorrentes desta, antecipação de exercícios que
 em solo seriam difíceis ou contra indicados, e ainda realizados em um meio
 agradável e de liberdade de movimento.
 Todos esses benefícios em conjunto aceleram o tratamento, são eficazes
 melhorando a qualidade de vida destes pacientes durante a utilização do FE,
 o que reflete ainda em benefícios psicológicos para os mesmos.
 Conclui-se que a hidrocinesioterapia é um bom meio para o tratamento de
 pacientes com o fixador externo.
Evidências
Sntos, G., Pegoraro, A. S., Abrantes, C., Jakaitis, F., Guamsn,S. & Bifulco, S.
C. (2011). “Avaliação da mobilidade funcional do paciente com sequela de
AVC após tratamento na piscina terapêutica, utilizando o teste Timed Up
and Go.



 Os resultados obtidos neste estudo mostraram que todos pacientes com
 sequela de AVC tiveram melhora na performance da mobilidade
 funcional no decorrer de 12 sessões com a hidroterapia, comparando o
 primeiro dia de avaliação com o final da 12ª sessão.
Evidências
Viana, F. P., Resende, S. M. & Rassi, C. M. (2008). “Efeitos da Hidroterapia na
recuperação do equilíbrio e prevenção de quedas em idosas.


Segundo os resultados obtidos, o programa de hidroterapia promoveu um
aumento significativo do equilíbrio das idosas, verificado por meio da Escala
de Equilíbrio de Berg. Igualmente, foi observado que no Teste Timed Up & Go
ocorreu diminuição significativa dos tempos de execução do teste das idosas.
Os resultados demonstraram que o programa de hidroterapia promoveu
redução significativa do risco de quedas das idosas
Evidências
Berger, S. Aplicação da Hidroterapia em crianças portadoras de Sindrome de
Down


GIMENES et al (2004) ressalta ainda que o ganho de força muscular em
crianças que apresentam SD pode ser simplesmente conseguido através da
resistência da água ao movimento podendo ser incrementado com o
aumento da velocidade durante a execução deste
Evidências
Coelho, S., Cordeiro, D. O., Hauplti, L. H. & Vidotto, J. J. “Tratamento
hidroterapêutico em paciente com hérnia de disco lombar”



Pode-se afirmar que o tratamento fisioterapêutico minimizou os sintomas
e proporcionou melhora ao paciente. Ressaltando ainda que a fisioterapia
desempenha um importante papel na qualidade de vida das pessoas
Avaliação na piscina terapêutica

 2 partes:

 • Solo
 • Aquática
Planeamento da Reabilitação
            Aquática

    Toda e qualquer aula deve ser planeada antecipadamente.
O professor precisa de estar ciente dos exercícios que irá prescrever,
    se eles irão ser eficazes e farão os alunos atingirem os seus
      objetivos, se o grau de dificuldade não vai atrapalhar o
                  desenvolvimento do aluno, etc.
 Por isso é muito importante que o professor faça o planeamento
  das aulas e entre na água para fazer os exercícios, comprovando
                     assim a eficácia da mesma.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Princípios físicos da água
Princípios físicos da águaPrincípios físicos da água
Princípios físicos da águaThais Benicio
 
Hidroterapia exercícios de aquecimento para parte superior do corpo - Aula 3
Hidroterapia exercícios de aquecimento para parte superior do corpo - Aula 3Hidroterapia exercícios de aquecimento para parte superior do corpo - Aula 3
Hidroterapia exercícios de aquecimento para parte superior do corpo - Aula 3Cleanto Santos Vieira
 
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e AnamnesePropedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e AnamneseNadjane Barros Costa
 
Hidroterapia
HidroterapiaHidroterapia
Hidroterapiasannyzia
 
Fisioterapia aquática traumatologia
Fisioterapia aquática   traumatologiaFisioterapia aquática   traumatologia
Fisioterapia aquática traumatologiaPriscila Freitas
 
Hidroterapia aquecimento
Hidroterapia   aquecimentoHidroterapia   aquecimento
Hidroterapia aquecimentoDenise Monteiro
 
15 -amplitude_de_movimento
15  -amplitude_de_movimento15  -amplitude_de_movimento
15 -amplitude_de_movimentoJohnny Martins
 
Exercícios aquáticos terapêuticos 2019.pdf
Exercícios aquáticos terapêuticos 2019.pdfExercícios aquáticos terapêuticos 2019.pdf
Exercícios aquáticos terapêuticos 2019.pdfthomasjefferson50
 
Eletroterapia - FES - estimulação eletrica funcional - agentes elétricos - ca...
Eletroterapia - FES - estimulação eletrica funcional - agentes elétricos - ca...Eletroterapia - FES - estimulação eletrica funcional - agentes elétricos - ca...
Eletroterapia - FES - estimulação eletrica funcional - agentes elétricos - ca...Cleanto Santos Vieira
 
Atividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de VidaAtividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de VidaThelsy
 

Mais procurados (20)

Princípios físicos da água
Princípios físicos da águaPrincípios físicos da água
Princípios físicos da água
 
Biomecânica
BiomecânicaBiomecânica
Biomecânica
 
Hidroterapia exercícios de aquecimento para parte superior do corpo - Aula 3
Hidroterapia exercícios de aquecimento para parte superior do corpo - Aula 3Hidroterapia exercícios de aquecimento para parte superior do corpo - Aula 3
Hidroterapia exercícios de aquecimento para parte superior do corpo - Aula 3
 
Beneficios exercicio fisico[1]
Beneficios exercicio fisico[1]Beneficios exercicio fisico[1]
Beneficios exercicio fisico[1]
 
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e AnamnesePropedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
Propedêutica em Fisioterapia - Semiologia e Anamnese
 
Hidroterapia
HidroterapiaHidroterapia
Hidroterapia
 
Fisioterapia aquática traumatologia
Fisioterapia aquática   traumatologiaFisioterapia aquática   traumatologia
Fisioterapia aquática traumatologia
 
Hidroterapia aquecimento
Hidroterapia   aquecimentoHidroterapia   aquecimento
Hidroterapia aquecimento
 
15 -amplitude_de_movimento
15  -amplitude_de_movimento15  -amplitude_de_movimento
15 -amplitude_de_movimento
 
Fisioterapia Em Traumatofuncional
Fisioterapia Em TraumatofuncionalFisioterapia Em Traumatofuncional
Fisioterapia Em Traumatofuncional
 
364411401 livro-cinesioterapia
364411401 livro-cinesioterapia364411401 livro-cinesioterapia
364411401 livro-cinesioterapia
 
Biomecanica do pé e tornozelo
Biomecanica do pé e tornozeloBiomecanica do pé e tornozelo
Biomecanica do pé e tornozelo
 
Exercícios aquáticos terapêuticos 2019.pdf
Exercícios aquáticos terapêuticos 2019.pdfExercícios aquáticos terapêuticos 2019.pdf
Exercícios aquáticos terapêuticos 2019.pdf
 
Eletroterapia - FES - estimulação eletrica funcional - agentes elétricos - ca...
Eletroterapia - FES - estimulação eletrica funcional - agentes elétricos - ca...Eletroterapia - FES - estimulação eletrica funcional - agentes elétricos - ca...
Eletroterapia - FES - estimulação eletrica funcional - agentes elétricos - ca...
 
Aula hidro
Aula hidroAula hidro
Aula hidro
 
Kabat aula pratica
Kabat   aula praticaKabat   aula pratica
Kabat aula pratica
 
Treinamento funcional
Treinamento funcionalTreinamento funcional
Treinamento funcional
 
Atividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de VidaAtividade Física e Qualidade de Vida
Atividade Física e Qualidade de Vida
 
Cinesioterapia
CinesioterapiaCinesioterapia
Cinesioterapia
 
Tônus Muscular
Tônus MuscularTônus Muscular
Tônus Muscular
 

Destaque

TÉCNICAS DE HIDROTERAPIA
TÉCNICAS DE HIDROTERAPIATÉCNICAS DE HIDROTERAPIA
TÉCNICAS DE HIDROTERAPIAOPAZDL
 
Reabilitação através da Hidroterapia em paciente com AVE Isquêmico: Relato de...
Reabilitação através da Hidroterapia em paciente com AVE Isquêmico: Relato de...Reabilitação através da Hidroterapia em paciente com AVE Isquêmico: Relato de...
Reabilitação através da Hidroterapia em paciente com AVE Isquêmico: Relato de...Thais Benicio
 
Termoterapia - calor
Termoterapia - calorTermoterapia - calor
Termoterapia - calorNay Ribeiro
 
Aula 10 termoterapia e crioterapia
Aula 10  termoterapia e crioterapiaAula 10  termoterapia e crioterapia
Aula 10 termoterapia e crioterapiaRodrigo Abreu
 
Hidroterapia
HidroterapiaHidroterapia
HidroterapiaElyed
 
Terapia Áqua-Bioenergetica em Naturologia
Terapia Áqua-Bioenergetica em NaturologiaTerapia Áqua-Bioenergetica em Naturologia
Terapia Áqua-Bioenergetica em Naturologiaoliveiramize
 
Aplic Water Pilat Espondiliete
Aplic Water Pilat EspondilieteAplic Water Pilat Espondiliete
Aplic Water Pilat EspondilieteAcquanews
 
Aula AVC 2014
Aula AVC 2014Aula AVC 2014
Aula AVC 2014ABAVC
 
Fisiologia do mergulho
Fisiologia do mergulhoFisiologia do mergulho
Fisiologia do mergulhoPaula Oliveira
 
conceitos em ecologia
conceitos em ecologiaconceitos em ecologia
conceitos em ecologiaChiara Lubich
 

Destaque (20)

TÉCNICAS DE HIDROTERAPIA
TÉCNICAS DE HIDROTERAPIATÉCNICAS DE HIDROTERAPIA
TÉCNICAS DE HIDROTERAPIA
 
Hidroterapia
HidroterapiaHidroterapia
Hidroterapia
 
Hidroterapia
Hidroterapia Hidroterapia
Hidroterapia
 
Reabilitação através da Hidroterapia em paciente com AVE Isquêmico: Relato de...
Reabilitação através da Hidroterapia em paciente com AVE Isquêmico: Relato de...Reabilitação através da Hidroterapia em paciente com AVE Isquêmico: Relato de...
Reabilitação através da Hidroterapia em paciente com AVE Isquêmico: Relato de...
 
Hidroterapia PIP
Hidroterapia PIPHidroterapia PIP
Hidroterapia PIP
 
Hidroterapia
HidroterapiaHidroterapia
Hidroterapia
 
Hidroterapia
HidroterapiaHidroterapia
Hidroterapia
 
Fisioterapia neurologia
Fisioterapia neurologiaFisioterapia neurologia
Fisioterapia neurologia
 
Análise Arquitetônicas da Piscina - Hidroterapia
Análise Arquitetônicas da Piscina - Hidroterapia Análise Arquitetônicas da Piscina - Hidroterapia
Análise Arquitetônicas da Piscina - Hidroterapia
 
Termoterapia - calor
Termoterapia - calorTermoterapia - calor
Termoterapia - calor
 
Aula 10 termoterapia e crioterapia
Aula 10  termoterapia e crioterapiaAula 10  termoterapia e crioterapia
Aula 10 termoterapia e crioterapia
 
Hidroterapia
HidroterapiaHidroterapia
Hidroterapia
 
Terapia Áqua-Bioenergetica em Naturologia
Terapia Áqua-Bioenergetica em NaturologiaTerapia Áqua-Bioenergetica em Naturologia
Terapia Áqua-Bioenergetica em Naturologia
 
Aplic Water Pilat Espondiliete
Aplic Water Pilat EspondilieteAplic Water Pilat Espondiliete
Aplic Water Pilat Espondiliete
 
Apresentação
Apresentação Apresentação
Apresentação
 
Aula AVC 2014
Aula AVC 2014Aula AVC 2014
Aula AVC 2014
 
Fisiologia do mergulho
Fisiologia do mergulhoFisiologia do mergulho
Fisiologia do mergulho
 
conceitos em ecologia
conceitos em ecologiaconceitos em ecologia
conceitos em ecologia
 
Flutuação.
Flutuação.Flutuação.
Flutuação.
 
Aplicação de frio
Aplicação de frioAplicação de frio
Aplicação de frio
 

Semelhante a Reabilitação aquática débora marques

Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais Evelyn Feitosa
 
Workshop phfisiotrainer
Workshop phfisiotrainerWorkshop phfisiotrainer
Workshop phfisiotrainersimoneroselin
 
Desporto e velhice
Desporto e velhiceDesporto e velhice
Desporto e velhicetyrey
 
Workshop Ph Fisiotrainer
Workshop Ph FisiotrainerWorkshop Ph Fisiotrainer
Workshop Ph Fisiotrainersimoneroselin
 
Benefícios da Hidroginástica
Benefícios da HidroginásticaBenefícios da Hidroginástica
Benefícios da HidroginásticaPedro Monteiro
 
Resposta da Variabilidade da Frequência cardíaca no Exercício Físico
Resposta da Variabilidade da Frequência cardíaca no Exercício FísicoResposta da Variabilidade da Frequência cardíaca no Exercício Físico
Resposta da Variabilidade da Frequência cardíaca no Exercício FísicoAbinef
 
Componentes da aptidão física
Componentes da aptidão físicaComponentes da aptidão física
Componentes da aptidão físicafabioalira
 
Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12
Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12
Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12simoneroselin
 
Fisioterapia em grupos especiais
Fisioterapia em grupos especiaisFisioterapia em grupos especiais
Fisioterapia em grupos especiaissaulo vinicius
 
Recuperação na instabilidade CAO
Recuperação na instabilidade CAORecuperação na instabilidade CAO
Recuperação na instabilidade CAOAngela Leal
 
Efeitos de um programa de treinamento de forca em portadores de hernia de dis...
Efeitos de um programa de treinamento de forca em portadores de hernia de dis...Efeitos de um programa de treinamento de forca em portadores de hernia de dis...
Efeitos de um programa de treinamento de forca em portadores de hernia de dis...marcelosilveirazero1
 
ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...
ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...
ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...MoniqueCosta48
 
Cd onlinetrabalhovisualizarresumo
Cd onlinetrabalhovisualizarresumoCd onlinetrabalhovisualizarresumo
Cd onlinetrabalhovisualizarresumoAj-power-people
 

Semelhante a Reabilitação aquática débora marques (20)

Força
ForçaForça
Força
 
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais
Noções de Atividade Física e Treinamento para Grupos Especiais
 
V diretriz ha
V diretriz haV diretriz ha
V diretriz ha
 
Workshop phfisiotrainer
Workshop phfisiotrainerWorkshop phfisiotrainer
Workshop phfisiotrainer
 
Hidroginastica
HidroginasticaHidroginastica
Hidroginastica
 
Desporto e velhice
Desporto e velhiceDesporto e velhice
Desporto e velhice
 
Workshop Ph Fisiotrainer
Workshop Ph FisiotrainerWorkshop Ph Fisiotrainer
Workshop Ph Fisiotrainer
 
Benefícios da Hidroginástica
Benefícios da HidroginásticaBenefícios da Hidroginástica
Benefícios da Hidroginástica
 
Resposta da Variabilidade da Frequência cardíaca no Exercício Físico
Resposta da Variabilidade da Frequência cardíaca no Exercício FísicoResposta da Variabilidade da Frequência cardíaca no Exercício Físico
Resposta da Variabilidade da Frequência cardíaca no Exercício Físico
 
Centro de fisioterapia
Centro de fisioterapiaCentro de fisioterapia
Centro de fisioterapia
 
Trabalho interdisciplinar grupo
Trabalho interdisciplinar grupoTrabalho interdisciplinar grupo
Trabalho interdisciplinar grupo
 
Componentes da aptidão física
Componentes da aptidão físicaComponentes da aptidão física
Componentes da aptidão física
 
Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12
Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12
Workshop Ph Fisiotrainer 24/03/12
 
Fisioterapia em grupos especiais
Fisioterapia em grupos especiaisFisioterapia em grupos especiais
Fisioterapia em grupos especiais
 
Recuperação na instabilidade CAO
Recuperação na instabilidade CAORecuperação na instabilidade CAO
Recuperação na instabilidade CAO
 
Efeitos de um programa de treinamento de forca em portadores de hernia de dis...
Efeitos de um programa de treinamento de forca em portadores de hernia de dis...Efeitos de um programa de treinamento de forca em portadores de hernia de dis...
Efeitos de um programa de treinamento de forca em portadores de hernia de dis...
 
Fases da rcv
Fases da rcvFases da rcv
Fases da rcv
 
ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...
ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...
ATUAÇÃO DO FISIOTERAPEUTA NO TRATAMENTO DE NEUROPATIAS DIABÉTICAS: UMA REVISÃ...
 
Cd onlinetrabalhovisualizarresumo
Cd onlinetrabalhovisualizarresumoCd onlinetrabalhovisualizarresumo
Cd onlinetrabalhovisualizarresumo
 
Diretriz de r cv
Diretriz de r cvDiretriz de r cv
Diretriz de r cv
 

Mais de Debora_Marques

A convenção dos direitos da criança
A convenção dos direitos da criança  A convenção dos direitos da criança
A convenção dos direitos da criança Debora_Marques
 
Intervenção precoce na infância em portugal
Intervenção precoce na infância em portugal Intervenção precoce na infância em portugal
Intervenção precoce na infância em portugal Debora_Marques
 
Cartão de Visita - Frente
Cartão de Visita - FrenteCartão de Visita - Frente
Cartão de Visita - FrenteDebora_Marques
 
Cartão de Visita - Verso
Cartão de Visita - VersoCartão de Visita - Verso
Cartão de Visita - VersoDebora_Marques
 
Questionário lactação
Questionário lactaçãoQuestionário lactação
Questionário lactaçãoDebora_Marques
 
Plano de Sessão Autoscopia Final
Plano de Sessão Autoscopia FinalPlano de Sessão Autoscopia Final
Plano de Sessão Autoscopia FinalDebora_Marques
 
Grelha de Observação
Grelha de ObservaçãoGrelha de Observação
Grelha de ObservaçãoDebora_Marques
 
Corrigenda de avaliação
Corrigenda de avaliaçãoCorrigenda de avaliação
Corrigenda de avaliaçãoDebora_Marques
 
Teste de Avaliação Autoscopia Final
Teste de Avaliação Autoscopia FinalTeste de Avaliação Autoscopia Final
Teste de Avaliação Autoscopia FinalDebora_Marques
 
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Debora_Marques
 
Plano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIPPlano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIPDebora_Marques
 
Corrigenda de Avaliação PIP
Corrigenda de Avaliação PIPCorrigenda de Avaliação PIP
Corrigenda de Avaliação PIPDebora_Marques
 
Teste de Avaliação PIP
Teste de Avaliação PIPTeste de Avaliação PIP
Teste de Avaliação PIPDebora_Marques
 
Audição no meio intra uterino
Audição no meio intra uterino Audição no meio intra uterino
Audição no meio intra uterino Debora_Marques
 

Mais de Debora_Marques (20)

A convenção dos direitos da criança
A convenção dos direitos da criança  A convenção dos direitos da criança
A convenção dos direitos da criança
 
Intervenção precoce na infância em portugal
Intervenção precoce na infância em portugal Intervenção precoce na infância em portugal
Intervenção precoce na infância em portugal
 
Cartão de Visita - Frente
Cartão de Visita - FrenteCartão de Visita - Frente
Cartão de Visita - Frente
 
Cartão de Visita - Verso
Cartão de Visita - VersoCartão de Visita - Verso
Cartão de Visita - Verso
 
Questionário lactação
Questionário lactaçãoQuestionário lactação
Questionário lactação
 
4. ficha aval aula
4. ficha aval aula4. ficha aval aula
4. ficha aval aula
 
Plano de Sessão Autoscopia Final
Plano de Sessão Autoscopia FinalPlano de Sessão Autoscopia Final
Plano de Sessão Autoscopia Final
 
Manual do Módulo II
Manual do Módulo IIManual do Módulo II
Manual do Módulo II
 
Grelha de Observação
Grelha de ObservaçãoGrelha de Observação
Grelha de Observação
 
Folheto (Manual)
Folheto (Manual)Folheto (Manual)
Folheto (Manual)
 
Folheto II (Manual)
Folheto II (Manual)Folheto II (Manual)
Folheto II (Manual)
 
Esclerose múltipla
Esclerose múltiplaEsclerose múltipla
Esclerose múltipla
 
Corrigenda de avaliação
Corrigenda de avaliaçãoCorrigenda de avaliação
Corrigenda de avaliação
 
Capa Autoscopia Final
Capa Autoscopia FinalCapa Autoscopia Final
Capa Autoscopia Final
 
Teste de Avaliação Autoscopia Final
Teste de Avaliação Autoscopia FinalTeste de Avaliação Autoscopia Final
Teste de Avaliação Autoscopia Final
 
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
Projeto de Intervenção Pedagógica (PIP)
 
Plano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIPPlano de Sessão da PIP
Plano de Sessão da PIP
 
Corrigenda de Avaliação PIP
Corrigenda de Avaliação PIPCorrigenda de Avaliação PIP
Corrigenda de Avaliação PIP
 
Teste de Avaliação PIP
Teste de Avaliação PIPTeste de Avaliação PIP
Teste de Avaliação PIP
 
Audição no meio intra uterino
Audição no meio intra uterino Audição no meio intra uterino
Audição no meio intra uterino
 

Reabilitação aquática débora marques

  • 1. I Semana da Saúde Reguengos de Monsaraz 15 de Fevereiro de 2013 Reabilitação Aquática Débora Marques Psicomotricista
  • 2. Hidroterapia Modalidade que consiste em exercícios e manipulações ao utilizar técnicas baseadas em conceitos de Fisiologia do Exercício e Biomecânica Princípios Físicos da Água Pressão hidrostática Empuxo Turbulência Viscosidade Densidade
  • 3. Contra-indicações • Infecções de pele • Condições cardio-respiratórias aguda • Doenças vasculares • Radioterapia e Quimioterapia • Doenças renais • Otites • Feridas abertas ou ulceras
  • 5. Efeitos Fisiológicos • Aumento do fluxo sanguíneo dos músculos • Temperatura muscular eleva • Aumento da exigência de oxigénio • Aumento da produção de dióxido de carbono
  • 6. Efeitos Terapêuticos •Alívio de dor e espasmos musculares; •Manutenção ou aumento da amplitude articular; •Fortalecimento muscular e treino de resistência (endurance); •Reeducação dos músculos paralisados (espásticos); •Melhoria da circulação; •Encorajamento das atividades funcionais; •Manutenção e melhora do equilíbrio, coordenação e postura.
  • 7. Efeitos Psicológicos • Efeito sedativo • Socialização • Autonomia • Confiança e auto-estima
  • 8. Hidroterapia & Patologias • Disfunções Endócrino- Metabólicas • Neurologia • Disfunções Cardiopulmonares • Reumatologia • Geriatria • Ortopedia, Traumatologia e Medicina Desportiva
  • 9. Hidroterapia & Disfunções Endócrinas O treino provoca a redução das resposta de adrenalina, da noradrenalina e da insulina ao exercício. A realização de exercício aeróbios na melhoria do controlo diabético é bastante conhecida, tanto ao passo que se obtém uma diminuição dos níveis sanguíneos de glicose bem como, diminui a necessidade de insulina nos insulino- dependentes. A Hidroterapia aumenta da capacidade de trabalho e resistência, aumenta a capacidade respiratória resultante de uma elevação no débito cardíaco pela pressão hidrostática e pelo calor da água.
  • 10. Hidroterapia & Neurologia • Diminuição da descarga de peso; • Estabilização de articulações; • Propicia e ortostatismo e marcha; • Estimula equilíbrio e coordenação; • Previne contraturas musculares e deformidades; • Favorece o aumento das amplitudes de movimento direta e indiretamente; • Promove relaxamento muscular • Diminui edemas e favorece o retorno venoso; • Aumenta a força muscular; • Propicia trabalho respiratório, aumentando a expansibilidade, favorece a expiração e aumenta a capacidade vital; • Restabelece e estimula as reações de endireitamento; • Reeduca os padrões centralizados dos movimentos, que são rotacionais; • Aumenta o condicionamento cardiovascular;
  • 11. Hidroterapia & Disfunções Cardiopulmonares • Aumento do retorno venoso e do débito cardíaco; • Diminuição da dor; • Melhora da flexibilidade; • Melhora a capacidade respiratória; • Trabalho de força dos músculos respiratórios; • Melhora da resistência cardiovascular, melhora da oxigenação sanguínea e da circulação como um todo • Melhora da capacidade aeróbia; • Relaxamento muscular; • Diminuição da ansiedade (fator desencadeante da asma); • Promove aumento da autoconfiança, prevenindo ausência do trabalho e depressão pela inatividade; • Melhora a sociabilidade.
  • 12. Hidroterapia & Reumatologia • Promove relaxamento muscular; • Diminui dor; • Permite a execução dos movimentos sem dor • Diminui as forças compressivas intra-articulares; • Diminui inflamações crónicas; • Mantém força e resistência muscular; • Mantém a capacidade funcional do sistema locomotor; • Melhora a capacidade respiratória; • Diminui edemas; • Permite melhora do equilíbrio e coordenação; • Promove socialização do paciente; • Melhora a auto-estima do paciente, melhorando a atitude frente a doença; • Melhora as AVD’s
  • 13. Hidroterapia & Geriatria • Facilita a execução de exercícios de intensidade moderada; • Facilita a execução de atividades e movimentos que são difíceis ou impossíveis de serem realizadas fora da água; • Melhora a força e resistência muscular; • Facilita o trabalho de pacientes com problemas degenerativos nos ossos, articulações e tendões; • Diminui a susceptibilidade destes pacientes à dor e novas lesões; • Melhora o equilíbrio coordenação neuromuscular comprometidos; • Mantém e melhora a flexibilidade, coordenação e equilíbrio; • Aumenta o controlo de peso e da nutrição; • Promove o relaxamento;
  • 14. Técnicas na Hidroterapia Método Halliwick McMillian, o criador da técnica, desenvolveu inicialmente uma atividade recreativa que visava dar independência individual na água, para pacientes com incapacidade e treiná-los a nadar. 4 princípios: · Ajustamento mental · Restauração do equilíbrio · Inibição · Facilitação
  • 15. 10 Pontos 1. Adaptação Mental 2. Desinibição 3. Rotação Vertical 4. Rotação Lateral 5. Rotação Combinada 6. Impulsão 7. Equilíbrio e Imobilidade 8. Deslize em turbulência 9. Progressão simples 10.Movimento Básico
  • 16. Indicações • Paralisia Cerebral • Acidente Vascular Cerebral • Esclerose Múltipla • Paraplegia • Traumatismo Crânio-Encefálico • Artrites
  • 17.
  • 18. Bad Ragaz Atualmente, o método Bad Raggaz é constituído de técnicas de movimentos com padrões em planos anatómicos e diagonais, com resistência e estabilização fornecidos pelo terapeuta. A técnica pode ser utilizada passiva ou ativamente em pacientes ortopédicos, reumáticos ou neurológicos. Os objetivos terapêuticos incluem redução de tónus muscular, pré-treino da marcha, estabilização de tronco, fortalecimento muscular e melhora da amplitude articular.
  • 19.
  • 20. Watsu O Watsu, também conhecido como "Water Shiatsu", aquashiatsu ou hidroshiatsu, foi criado por Harold Dull em 1980. Tal técnica aplica os alongamentos e movimentos do shiatsu zen na água, incluindo alongamentos passivos, mobilização de articulações e "hara-trabalho", bem como pressão sobre "tsubos" (acupontos) para equilibrar fluxos de energia através dos meridianos (caminhos de energia).
  • 21. Alterações fisiológicas • Diminuição da frequência cardíaca • Diminuição do ritmo respiratório • Aumento da vasodilatação periférica • Diminuição da espasticidade • Diminuição do espasmo muscular • Aumento da amplitude de movimento • Reforço do sistema imunitário
  • 22. Hidrocinesioterapia A hidrocinesioterapia constitui um conjunto de técnicas terapêuticas fundamentadas no movimento humano. É a fisioterapia na água ou a prática de exercícios terapêuticos em piscinas, associada ou não aos manuseios, manipulações, hidromassagem e massoterapia, configurada em programas de tratamento específicos para cada paciente.
  • 23. Evidências Benedetto, L., Vinhas, R. & Magalhães, L. (1998). “Avaliação da qualidade de vida de pacientes com fibromialgia após dois meses de Hidroterapia” Em conclusão, a piscina terapêutica é indicada para o tratamento de fibromialgia no que diz respeito a elevação da qualidade de vida A evolução das pacientes quanto à melhora da qualidade de vida , pode ser atribuído à melhora do quadro de dor e estado depressivo, possivelmente influenciados pela melhora na realizações de suas atividades de vida diária, bem como melhoria da mobilidade e qualidade de movimento corporal e da capacidade física.
  • 24. Evidências Dentre as principais metas fisioterápicas, a hidrocinesioterapia com o uso dos princípios físicos da água, traz diversos benefícios como: Aumento da Pereira, E. C.de movimento,J. M. (2005). “Efeitos da Cinesioterapia em pacientes amplitude & Candeloro, aumento de força muscular no membro inferior com uso do fixador externo.” membro são, treino de equilíbrio, marcha e acometido e manutenção do propriocepção, realização de exercícios de agilidade, velocidade e mudança de direção, exercícios de consolidação óssea com diminuição de dor, ausência de risco de quedas e lesões decorrentes desta, antecipação de exercícios que em solo seriam difíceis ou contra indicados, e ainda realizados em um meio agradável e de liberdade de movimento. Todos esses benefícios em conjunto aceleram o tratamento, são eficazes melhorando a qualidade de vida destes pacientes durante a utilização do FE, o que reflete ainda em benefícios psicológicos para os mesmos. Conclui-se que a hidrocinesioterapia é um bom meio para o tratamento de pacientes com o fixador externo.
  • 25. Evidências Sntos, G., Pegoraro, A. S., Abrantes, C., Jakaitis, F., Guamsn,S. & Bifulco, S. C. (2011). “Avaliação da mobilidade funcional do paciente com sequela de AVC após tratamento na piscina terapêutica, utilizando o teste Timed Up and Go. Os resultados obtidos neste estudo mostraram que todos pacientes com sequela de AVC tiveram melhora na performance da mobilidade funcional no decorrer de 12 sessões com a hidroterapia, comparando o primeiro dia de avaliação com o final da 12ª sessão.
  • 26. Evidências Viana, F. P., Resende, S. M. & Rassi, C. M. (2008). “Efeitos da Hidroterapia na recuperação do equilíbrio e prevenção de quedas em idosas. Segundo os resultados obtidos, o programa de hidroterapia promoveu um aumento significativo do equilíbrio das idosas, verificado por meio da Escala de Equilíbrio de Berg. Igualmente, foi observado que no Teste Timed Up & Go ocorreu diminuição significativa dos tempos de execução do teste das idosas. Os resultados demonstraram que o programa de hidroterapia promoveu redução significativa do risco de quedas das idosas
  • 27. Evidências Berger, S. Aplicação da Hidroterapia em crianças portadoras de Sindrome de Down GIMENES et al (2004) ressalta ainda que o ganho de força muscular em crianças que apresentam SD pode ser simplesmente conseguido através da resistência da água ao movimento podendo ser incrementado com o aumento da velocidade durante a execução deste
  • 28. Evidências Coelho, S., Cordeiro, D. O., Hauplti, L. H. & Vidotto, J. J. “Tratamento hidroterapêutico em paciente com hérnia de disco lombar” Pode-se afirmar que o tratamento fisioterapêutico minimizou os sintomas e proporcionou melhora ao paciente. Ressaltando ainda que a fisioterapia desempenha um importante papel na qualidade de vida das pessoas
  • 29. Avaliação na piscina terapêutica 2 partes: • Solo • Aquática
  • 30. Planeamento da Reabilitação Aquática Toda e qualquer aula deve ser planeada antecipadamente. O professor precisa de estar ciente dos exercícios que irá prescrever, se eles irão ser eficazes e farão os alunos atingirem os seus objetivos, se o grau de dificuldade não vai atrapalhar o desenvolvimento do aluno, etc. Por isso é muito importante que o professor faça o planeamento das aulas e entre na água para fazer os exercícios, comprovando assim a eficácia da mesma.

Notas do Editor

  1. A pessoa pode nadar ou participar de outra atividade aquática possui uma vantagem social, que a coloca em igual posição em relação a outros membros da família ou sociedade, seja ela deficiente ou não. A habilidade de ser independente na água, de ter habilidades que são impossíveis ou difíceis no solo só pode ter efeitos psicológicos favoráveis e duradouros, que elevam a confiança e a moral, podendo isto ser transferido para a vida em terra.
  2. Adaptação ambiental: envolve o reconhecimento de duas forças, gravidade e empuxo que, combinados, levam ao movimento rotacional· Restauração do equilíbrio: enfatiza a utilização de grandes padrões de movimento, principalmente com os braços, para mover o corpo em diferentes posturas e ao mesmo tempo manter o equilíbrio· Inibição: é a capacidade de criar e manter uma posição ou postura desejada, através da inibição de padrões posturais patológicos · Facilitação: é a capacidade de criar um movimento que desejamos mentalmente e controlá-lo fisicamente, por outros meios, sem utilizar a flutuação. Tal aprendizado é graduado através de um "programa de dez pontos", que utiliza a seqüência do desenvolvimento do movimento físico pelo córtex cerebral.
  3. O paciente é posicionado em decúbito dorsal, com auxílio de flutuadores ou "anéis" no pescoço, pelve e tornozelos, por isso que a técnica também é designada de "método dos anéis". Em 1967, Bridgt Davis incorporou o método de facilitação neuromuscular proprioceptiva ao "método dos anéis".
  4. Há dois tipos de posições no watsu: as posições simples e as complexas. As simples incluem os movimentos básicos e de livre flutuação. As posições complexas são chamadas berços. O fluxo de transição do watsu consiste em: uma abertura, os movimentos básicos e três sessões: 1ª) berço de cabeça 2ª) embaixo da perna distante, ombro e quadril 3ª) berço da perna próxima e uma conclusão.