Manual do Módulo IIFormadora: Débora MarquesFormandos: Profissionais de saúde do meio aquáticoPeríodo: 14 a 16 de Janeiro ...
FlutuaçãoO princípio de Arquimedes diz que quando um corpo esta imerso completamente ouparte dele num líquido em repouso, ...
menor será a velocidade em que o fluido se movimenta. De outra maneira pode-se dizerque a viscosidade corresponde ao atrit...
Resumindo, quando mergulhamos um corpo em um líquido, o corpo desloca umaquantidade de líquido igual a seu volume, e o pes...
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Manual do Módulo II

894 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
894
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
10
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Manual do Módulo II

  1. 1. Manual do Módulo IIFormadora: Débora MarquesFormandos: Profissionais de saúde do meio aquáticoPeríodo: 14 a 16 de Janeiro de 2013 Princípios físicos da águaA água é uma substância química composta de hidrogénio e oxigénio, sendo essencialpara todas as formas conhecidas de vida na terra.A hidroterapia é um dos recursos mais antigos da fisioterapia, sendo definida como ouso externo da água com propósitos terapêuticos. O seu reconhecimento nos meioscientíficos é recente e deve-se a quatro fatores:1. A física é uma ciência que tradicionalmente se desenvolveu com uma produçãocientífica altamente significativa. A hidrostática, hidrodinâmica e termodinâmica, áreasda física que fundamentam a hidroterapia, acompanharam este desenvolvimento.2. A necessidade de estudar os reajustes das funções cardiopulmonar e renal durantealterações inesperadas, levou os pesquisadores a descobrirem que a imersão seria omeio adequado para estes estudos;3. A necessidade de pesquisas com simulação de ausência de gravidade durante apreparação para enviar homens ao espaço e, mais recentemente, da avaliação dotreinamento físico na ausência de gravidade;Princípios físicosDensidadeA densidade relativa de uma substância é a relação entre a massa de um dado volume desubstância e a massa do mesmo volume de água. A densidade relativa da água pura, a4°C, por definição, é de 1,0. Como esse número se refere a uma proporção, ele não temunidade. O corpo humano, constituído principalmente por água, tem densidade relativapróxima de 1,0 (aproximadamente 0,95). Esse número varia com a percentagem degordura corporal. A massa corporal magra ossos, músculos, tecido conjuntivo e órgãos)tem densidade de 0,9. A Composição entre massa magra e massa gorda vai definir adensidade relativa de cada pessoa.
  2. 2. FlutuaçãoO princípio de Arquimedes diz que quando um corpo esta imerso completamente ouparte dele num líquido em repouso, este sofre um empuxo para cima, igual ao peso dolíquido deslocado.Se o corpo imerso tiver densidade menos do que o volume de água deslocado; aocontrário, se o corpo possuir densidade relativa maior que 1,0 ele afundará. Corpos emdensidade relativa igual a 1,0 flutuam logo abaixo da superfície da água.No caso do corpo humano, considerando-se a densidade relativa em torno de 0,95, eleflutuará e 95% dele ficará submerso, enquanto que 5% ficará emerso.Se a porção emersa do corpo exceder 5%, como quando a pessoa tem os braços acimado nível da água, a quantidade de água deslocada pelo restante do corpo seráinsuficiente para sustentar o peso do corpo, e a pelve e membros inferiores afundarão.Uma forma prática de se evitar que isto aconteça é utilizar a bóia na região da pélvis.Por vezes, também é necessário utilizar a bóia na região cervical. O flutuados (bóia,prancha de plástico ou isopor, bolinhas, etc.) tem densidade relativa bem menos que 1,0diminuindo a densidade relativa do conjunto corpo-flutuador.A flutuação é a força experimentada como o empuxo para cima, que atua em sentidooposto à força da gravidade.Pressão hidrostáticaA pressão hidrostática P é definida como a força (F) exercida por unidade de área (A),em que a força por convenção é exercida igualmente sobre toda área da superfície deum corpo imerso em repouso, a uma dada profundidade (lei de Pascal). Ou seja, é apressão do líquido sobre o corpo imerso. A água exerce uma pressão de 1,0 mmHg/1,36 cm por profundidade de 1,20 m está sujeito a uma força igual a 88,9 mmHg - que éligeiramente maior que a pressão arterial diastólica-, podendo auxiliar na resolução deedema em uma região delimitada. Caso a imersão seja abaixo do nível da água, a forçaexercida sobre o corpo será resultado do peso da coluna de água acima dele.Segundo Becker, “todos os tecidos moles são compridos, aumentando o retornolinfático. A pressão linfática normal é um sistema de pressão negativo. Uma imersãoem profundidade mínima produz uma pressão hidrostática sobre o vaso, que excede apressão linfática que é de poucos milímetros de mercúrio”.A ação da pressão hidrostática e da força de flutuação proporciona a sensação deimponderabilidade. Ao atuar no tórax e abdómen produz resistência à inspiração efacilita a expiração, sendo um exercício respiratório interessante para determinadospacientes. O “alívio de peso” do corpo é uma das principais vantagens do tratamento napiscina, pois, após o controle do equilíbrio é o maior estímulo para libertar-se do medo edominar o meio aquático.ViscosidadeA viscosidade é a propriedade dos fluidos correspondente ao transporte microscópico dequantidade de movimento por difusão molecular. Ou seja, quanto maior a viscosidade,
  3. 3. menor será a velocidade em que o fluido se movimenta. De outra maneira pode-se dizerque a viscosidade corresponde ao atrito interno nos fluidos devido basicamente ainterações intermoleculares, sendo em geral função da temperatura. É comumentepercebida como a "grossura", ou resistência ao despejamento. Viscosidade descreve aresistência interna para fluir de um fluido e deve ser pensada como a medida do atritodo fluido. Assim, a água é "fina", tendo uma baixa viscosidade, enquanto óleo vegetal é"grosso", tendo uma alta viscosidade.EmpuxoImpulsão ou empuxo é a força hidrostática resultante exercida por um fluido (líquido ougás) em condições hidrostáticas sobre um corpo que nele esteja imerso. A impulsãoexiste graças à diferença de pressão hidrostática do corpo, visto que esta é proporcionalà massa específica do líquido (ou densidade), à aceleração da gravidade, e à altura deprofundidade.É costume identificarmos os fluidos como substâncias que podem fluir (como os gases eos líquidos). Algumas substâncias, como o vidro, são classificadas como sólidas, poisnos tempos que costumamos observá-las, não notamos a sua fluidez. Quando um corpoestá totalmente ou parcialmente imerso em um fluido em equilíbrio, ficará sob a ação deuma força que dependerá da porção do corpo que está imersa. Isto pode ser verificado setentarmos submergir uma cortiça ou bola cheia de ar em recipiente com água.A força que faz a cortiça flutuar, parecendo que o corpo possui um peso menor do que opeso real é denominado de empuxo do fluido sobre o corpo. O princípio de Arquimedesquantifica o valor desta força:Um corpo total ou parcialmente imerso em um fluido sofre um empuxo que é igual aopeso do volume do fluido deslocado pelo corpo. Assim, um corpo imerso na água torna-se mais leve devido a uma força, exercida pelo líquido sobre o corpo, vertical e paracima, que alivia o peso do corpo. Essa força do líquido sobre o corpo, é denominadaempuxo ou impulsão.
  4. 4. Resumindo, quando mergulhamos um corpo em um líquido, o corpo desloca umaquantidade de líquido igual a seu volume, e o peso desse volume de líquido deslocado ésubtraído do peso do corpo pela força denominada empuxo.Bibliografia importante:Campion, M. R. (200). Hidroterapia: princípios e prática. Limited Editora. New York.Nicanor, R. (2011). Hidroterapia Esplicada. Nabu Press. London.Perez, R. (2008). Principios de Hidroterapia y Balneoterapia. McGraw-Hill. London.Via, G. D. (1997). A hidroterapia. Estampa. New York.Via, G. D. (1994). Hidroterapia: desde los antíguos conocimientos sapienciales. IBIS.Madrid.Viñas, F. (1993). Hidroterapia: la curacion por agua. RBA.Madrid.White, M. D. (1998). Exercícios na água. Manole Editora. São Paulo.

×