SlideShare uma empresa Scribd logo

Georg wilhelm friedrich hegel

DeaaSouza
DeaaSouza
1 de 13
Baixar para ler offline
Georg Wilhelm Friedrich Hegel
Georg Wilhelm Friedrich Hegel
Nascimento: 27 de agosto de 1770
Estugarda, Alemanha
Morte 14 de novembro de 1831 (61 anos)
Berlim, Alemanha
Nacionalidade: Alemão
Escola/tradição: Idealismo
alemão, hegelianismo(fundador); historicismo
Principais interesses:
Epistemologia, Lógica, Filosofia da
história, Filosofia
política, religião,consciência, Metafísica
Ideias notáveis: Dialética, idealismo absoluto
Assinatura:
Georg Hegel
• Hegel foi um importante filósofo alemão.
Recebeu sua formação no Tübinger Stift,
(seminário da Igreja Protestante,
em Württemberg).
• Foi um dos criadores do idealismo alemão e
naturalmente da génese do que é chamado
de hegelianismo. Seu cômputo historicista e
idealista da realidade como uma Filosofia
europeia completamente revolucionada denota
que foi, de fato, um importante precursor da
Filosofia continental e do marxismo.
O local de nascimento de Hegel, em Stuttgart, que agora abriga o
Museu de Hegel.
Principais obras
Fenomenologia do Espírito, 1807
Ciência da Lógica, 1812-1816
Enciclopédia das Ciências Filosóficas, 1817-1830
Elementos da Filosofia do Direito, 1817-1830
Obra
A primeira e a mais importante das obras maiores
de Hegel é sua Fenomenologia do Espírito. Em
vida, Hegel ainda viu publicada a Enciclopédia das
Ciências Filosóficas, a Ciência da Lógica, e
os Princípios (Elementos da) Filosofia do Direito.
Várias outras obras sobre filosofia da
história, religião, estética e história da
filosofia foram compiladas a partir de anotações
feitas por seus estudantes, tendo sido publicadas
postumamente.

Mais conteúdo relacionado

Mais procurados

Aula 01 filosofia mito, natureza e razão
Aula 01   filosofia mito, natureza e razãoAula 01   filosofia mito, natureza e razão
Aula 01 filosofia mito, natureza e razãoElizeu Nascimento Silva
 
Cap 16 Os Seguidores e os Críticos de Kant
Cap 16   Os Seguidores e os Críticos de KantCap 16   Os Seguidores e os Críticos de Kant
Cap 16 Os Seguidores e os Críticos de KantJosé Ferreira Júnior
 
Filosofia - do Idealismo Alemão a Marx
Filosofia - do Idealismo Alemão a MarxFilosofia - do Idealismo Alemão a Marx
Filosofia - do Idealismo Alemão a MarxRodrigo Moysés
 
Slide a origem da filosofia1
Slide a origem da filosofia1Slide a origem da filosofia1
Slide a origem da filosofia1iranildespm
 
A filosofia medieval
A filosofia medievalA filosofia medieval
A filosofia medievalAlison Nunes
 
Teoria do conhecimento aristóteles
Teoria do conhecimento aristótelesTeoria do conhecimento aristóteles
Teoria do conhecimento aristótelesCristian Oliveira
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: SofistasAula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: SofistasLeandro Nazareth Souto
 
O empirismo de John Locke
O empirismo de John LockeO empirismo de John Locke
O empirismo de John LockeJoão Marcelo
 
Jean-Paul Sartre e o Existencialismo
Jean-Paul Sartre e o ExistencialismoJean-Paul Sartre e o Existencialismo
Jean-Paul Sartre e o Existencialismoex-isto
 

Mais procurados (20)

Aula 01 filosofia mito, natureza e razão
Aula 01   filosofia mito, natureza e razãoAula 01   filosofia mito, natureza e razão
Aula 01 filosofia mito, natureza e razão
 
Cap 16 Os Seguidores e os Críticos de Kant
Cap 16   Os Seguidores e os Críticos de KantCap 16   Os Seguidores e os Críticos de Kant
Cap 16 Os Seguidores e os Críticos de Kant
 
Filosofia - do Idealismo Alemão a Marx
Filosofia - do Idealismo Alemão a MarxFilosofia - do Idealismo Alemão a Marx
Filosofia - do Idealismo Alemão a Marx
 
Racionalismo x Empirismo
Racionalismo x EmpirismoRacionalismo x Empirismo
Racionalismo x Empirismo
 
Slide a origem da filosofia1
Slide a origem da filosofia1Slide a origem da filosofia1
Slide a origem da filosofia1
 
A política de platão
A política de platãoA política de platão
A política de platão
 
Dialética e idealismo
Dialética e idealismoDialética e idealismo
Dialética e idealismo
 
A filosofia medieval
A filosofia medievalA filosofia medieval
A filosofia medieval
 
Teoria do conhecimento aristóteles
Teoria do conhecimento aristótelesTeoria do conhecimento aristóteles
Teoria do conhecimento aristóteles
 
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: SofistasAula de filosofia antiga, tema: Sofistas
Aula de filosofia antiga, tema: Sofistas
 
Metafísica em aristóteles
Metafísica em aristótelesMetafísica em aristóteles
Metafísica em aristóteles
 
Cap 4 - Filosofia Helenística
Cap 4 - Filosofia HelenísticaCap 4 - Filosofia Helenística
Cap 4 - Filosofia Helenística
 
Teoria do conhecimento kant
Teoria do conhecimento   kantTeoria do conhecimento   kant
Teoria do conhecimento kant
 
O empirismo de John Locke
O empirismo de John LockeO empirismo de John Locke
O empirismo de John Locke
 
Contratualismo e Hobbes
Contratualismo e HobbesContratualismo e Hobbes
Contratualismo e Hobbes
 
Racionalismo e empirismo
Racionalismo e empirismoRacionalismo e empirismo
Racionalismo e empirismo
 
Aula 06 filosofia escolástica
Aula 06   filosofia escolásticaAula 06   filosofia escolástica
Aula 06 filosofia escolástica
 
Jean-Paul Sartre e o Existencialismo
Jean-Paul Sartre e o ExistencialismoJean-Paul Sartre e o Existencialismo
Jean-Paul Sartre e o Existencialismo
 
Thomas hobbes
Thomas hobbesThomas hobbes
Thomas hobbes
 
Existencialismo
ExistencialismoExistencialismo
Existencialismo
 

Destaque

George wilhelm friedrich hegel
George wilhelm friedrich hegelGeorge wilhelm friedrich hegel
George wilhelm friedrich hegelHaleh Esmailian
 
Hegel Power Point
Hegel Power PointHegel Power Point
Hegel Power Pointwswitala
 
Immanuel Kant
Immanuel KantImmanuel Kant
Immanuel KantRhy
 
Georg Wilhelm Friedrich Hegel
Georg Wilhelm Friedrich HegelGeorg Wilhelm Friedrich Hegel
Georg Wilhelm Friedrich HegelcoopNJ
 
Immanuel Kant on Immortality, Justice and Right
Immanuel Kant on Immortality, Justice and RightImmanuel Kant on Immortality, Justice and Right
Immanuel Kant on Immortality, Justice and RightSean Bernard Tan
 
Immanuel Kant - An 18th Century Western Philosopher
Immanuel Kant - An 18th Century Western PhilosopherImmanuel Kant - An 18th Century Western Philosopher
Immanuel Kant - An 18th Century Western Philosophermukeshjhedu
 
german idealism part 2
german idealism part 2german idealism part 2
german idealism part 2MBBS
 
Modern idealism, hegel
Modern idealism, hegelModern idealism, hegel
Modern idealism, hegelMarni Bunda
 
Immanuel Kant
Immanuel Kant Immanuel Kant
Immanuel Kant LuisMagina
 
Emmanuel Kant Ethics
Emmanuel Kant EthicsEmmanuel Kant Ethics
Emmanuel Kant Ethicslion1895
 

Destaque (17)

George wilhelm friedrich hegel
George wilhelm friedrich hegelGeorge wilhelm friedrich hegel
George wilhelm friedrich hegel
 
Hegel
HegelHegel
Hegel
 
Immanuel kant
Immanuel kantImmanuel kant
Immanuel kant
 
Hegel Power Point
Hegel Power PointHegel Power Point
Hegel Power Point
 
Hegel presentaciones ppt
Hegel  presentaciones pptHegel  presentaciones ppt
Hegel presentaciones ppt
 
Immanuel Kant
Immanuel KantImmanuel Kant
Immanuel Kant
 
Georg Wilhelm Friedrich Hegel
Georg Wilhelm Friedrich HegelGeorg Wilhelm Friedrich Hegel
Georg Wilhelm Friedrich Hegel
 
Immanuel Kant on Immortality, Justice and Right
Immanuel Kant on Immortality, Justice and RightImmanuel Kant on Immortality, Justice and Right
Immanuel Kant on Immortality, Justice and Right
 
Immanuel Kant - An 18th Century Western Philosopher
Immanuel Kant - An 18th Century Western PhilosopherImmanuel Kant - An 18th Century Western Philosopher
Immanuel Kant - An 18th Century Western Philosopher
 
german idealism part 2
german idealism part 2german idealism part 2
german idealism part 2
 
Modern idealism, hegel
Modern idealism, hegelModern idealism, hegel
Modern idealism, hegel
 
Immanuel Kant
Immanuel Kant Immanuel Kant
Immanuel Kant
 
Kant
KantKant
Kant
 
Hegel
HegelHegel
Hegel
 
Hegel
Hegel Hegel
Hegel
 
Emmanuel Kant Ethics
Emmanuel Kant EthicsEmmanuel Kant Ethics
Emmanuel Kant Ethics
 
Idealism
IdealismIdealism
Idealism
 

Semelhante a Georg wilhelm friedrich hegel

Hegel e a historiografia oitocentista – debates culturais
Hegel e a historiografia oitocentista – debates culturaisHegel e a historiografia oitocentista – debates culturais
Hegel e a historiografia oitocentista – debates culturaisQuimporta Fernando
 
Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.
Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.
Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.Altair Moisés Aguilar
 
A razão na filosofia contemporâena
A razão na filosofia contemporâenaA razão na filosofia contemporâena
A razão na filosofia contemporâenaAldenei Barros
 
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outrosFilosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outrosRodrigo Moysés
 
Diversidade no pensamento de friedrich engels materialismo e natureza
Diversidade no pensamento de friedrich engels materialismo e naturezaDiversidade no pensamento de friedrich engels materialismo e natureza
Diversidade no pensamento de friedrich engels materialismo e naturezaajr_tyler
 
Idealismo e materialismo geografia marxista e os desafios da abstração espacial
Idealismo e materialismo geografia marxista e os desafios da abstração espacialIdealismo e materialismo geografia marxista e os desafios da abstração espacial
Idealismo e materialismo geografia marxista e os desafios da abstração espacialajr_tyler
 
Heidegger por ernildo stein gianni vattimo-emmanuel carneiro leão-joão august...
Heidegger por ernildo stein gianni vattimo-emmanuel carneiro leão-joão august...Heidegger por ernildo stein gianni vattimo-emmanuel carneiro leão-joão august...
Heidegger por ernildo stein gianni vattimo-emmanuel carneiro leão-joão august...Érika Renata
 
Estado e sociedade civil em hegel
Estado e sociedade civil em hegelEstado e sociedade civil em hegel
Estado e sociedade civil em hegelricardogeo11
 
Acrisedarazo 130702220619-phpapp021
Acrisedarazo 130702220619-phpapp021Acrisedarazo 130702220619-phpapp021
Acrisedarazo 130702220619-phpapp021Felipe Guse
 
A crise da razão
A crise da razãoA crise da razão
A crise da razãoIndiens
 
A crise-da-humanidade-europeia-e-a-filosofia-husserl
A crise-da-humanidade-europeia-e-a-filosofia-husserlA crise-da-humanidade-europeia-e-a-filosofia-husserl
A crise-da-humanidade-europeia-e-a-filosofia-husserlVinicius Chagas
 
epistemologia_idealismo alemao.ppt
epistemologia_idealismo alemao.pptepistemologia_idealismo alemao.ppt
epistemologia_idealismo alemao.pptAntnioCsarBurnat
 
A tentativa da síntese de goethe e hegel a jung
A tentativa da síntese de goethe e hegel a jungA tentativa da síntese de goethe e hegel a jung
A tentativa da síntese de goethe e hegel a jungJORGETORRESAQUAV
 

Semelhante a Georg wilhelm friedrich hegel (20)

Georg wilhelm friedrich hegel
Georg wilhelm friedrich hegelGeorg wilhelm friedrich hegel
Georg wilhelm friedrich hegel
 
Hegel e a historiografia oitocentista – debates culturais
Hegel e a historiografia oitocentista – debates culturaisHegel e a historiografia oitocentista – debates culturais
Hegel e a historiografia oitocentista – debates culturais
 
Hegel filosofia
Hegel   filosofiaHegel   filosofia
Hegel filosofia
 
Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.
Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.
Filosofia contemporânea -Prof.Altair Aguilar.
 
A razão na filosofia contemporâena
A razão na filosofia contemporâenaA razão na filosofia contemporâena
A razão na filosofia contemporâena
 
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outrosFilosofia - Idealismo Alemão e outros
Filosofia - Idealismo Alemão e outros
 
Filosofia 10ºano1
Filosofia 10ºano1Filosofia 10ºano1
Filosofia 10ºano1
 
Diversidade no pensamento de friedrich engels materialismo e natureza
Diversidade no pensamento de friedrich engels materialismo e naturezaDiversidade no pensamento de friedrich engels materialismo e natureza
Diversidade no pensamento de friedrich engels materialismo e natureza
 
Filosofia
FilosofiaFilosofia
Filosofia
 
A escola de frankfurt
A escola de frankfurtA escola de frankfurt
A escola de frankfurt
 
Idealismo e materialismo geografia marxista e os desafios da abstração espacial
Idealismo e materialismo geografia marxista e os desafios da abstração espacialIdealismo e materialismo geografia marxista e os desafios da abstração espacial
Idealismo e materialismo geografia marxista e os desafios da abstração espacial
 
Niilismo de nietzsche
Niilismo de nietzscheNiilismo de nietzsche
Niilismo de nietzsche
 
Heidegger por ernildo stein gianni vattimo-emmanuel carneiro leão-joão august...
Heidegger por ernildo stein gianni vattimo-emmanuel carneiro leão-joão august...Heidegger por ernildo stein gianni vattimo-emmanuel carneiro leão-joão august...
Heidegger por ernildo stein gianni vattimo-emmanuel carneiro leão-joão august...
 
Estado e sociedade civil em hegel
Estado e sociedade civil em hegelEstado e sociedade civil em hegel
Estado e sociedade civil em hegel
 
Acrisedarazo 130702220619-phpapp021
Acrisedarazo 130702220619-phpapp021Acrisedarazo 130702220619-phpapp021
Acrisedarazo 130702220619-phpapp021
 
A crise da razão
A crise da razãoA crise da razão
A crise da razão
 
A crise-da-humanidade-europeia-e-a-filosofia-husserl
A crise-da-humanidade-europeia-e-a-filosofia-husserlA crise-da-humanidade-europeia-e-a-filosofia-husserl
A crise-da-humanidade-europeia-e-a-filosofia-husserl
 
epistemologia_idealismo alemao.ppt
epistemologia_idealismo alemao.pptepistemologia_idealismo alemao.ppt
epistemologia_idealismo alemao.ppt
 
Filosofia moderna 22 2 2
Filosofia moderna 22 2   2Filosofia moderna 22 2   2
Filosofia moderna 22 2 2
 
A tentativa da síntese de goethe e hegel a jung
A tentativa da síntese de goethe e hegel a jungA tentativa da síntese de goethe e hegel a jung
A tentativa da síntese de goethe e hegel a jung
 

Mais de DeaaSouza

Guerra do contestado
Guerra do contestadoGuerra do contestado
Guerra do contestadoDeaaSouza
 
Tecido muscular
Tecido muscularTecido muscular
Tecido muscularDeaaSouza
 
Zika vírus e Síndrome de Guillain-Barré
Zika vírus e Síndrome de Guillain-BarréZika vírus e Síndrome de Guillain-Barré
Zika vírus e Síndrome de Guillain-BarréDeaaSouza
 
Ecossistemas e globalização
Ecossistemas e globalizaçãoEcossistemas e globalização
Ecossistemas e globalizaçãoDeaaSouza
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
RenascimentoDeaaSouza
 
Arquitetura Renascentista
Arquitetura RenascentistaArquitetura Renascentista
Arquitetura RenascentistaDeaaSouza
 
Guerra de canudos
Guerra de canudosGuerra de canudos
Guerra de canudosDeaaSouza
 
A evaporação
A evaporaçãoA evaporação
A evaporaçãoDeaaSouza
 
Ginástica aeróbica
Ginástica aeróbicaGinástica aeróbica
Ginástica aeróbicaDeaaSouza
 
Monteiro lobato
Monteiro lobatoMonteiro lobato
Monteiro lobatoDeaaSouza
 
Dermeval saviani
Dermeval savianiDermeval saviani
Dermeval savianiDeaaSouza
 
Guerra de canudos
Guerra de canudosGuerra de canudos
Guerra de canudosDeaaSouza
 
São tomé e príncipe
São tomé e príncipeSão tomé e príncipe
São tomé e príncipeDeaaSouza
 
Ulysses guimarães
Ulysses guimarãesUlysses guimarães
Ulysses guimarãesDeaaSouza
 
éTica na política
éTica na políticaéTica na política
éTica na políticaDeaaSouza
 

Mais de DeaaSouza (20)

Guerra do contestado
Guerra do contestadoGuerra do contestado
Guerra do contestado
 
Bactérias
BactériasBactérias
Bactérias
 
Tecido muscular
Tecido muscularTecido muscular
Tecido muscular
 
Zika vírus e Síndrome de Guillain-Barré
Zika vírus e Síndrome de Guillain-BarréZika vírus e Síndrome de Guillain-Barré
Zika vírus e Síndrome de Guillain-Barré
 
Ecossistemas e globalização
Ecossistemas e globalizaçãoEcossistemas e globalização
Ecossistemas e globalização
 
Renascimento
RenascimentoRenascimento
Renascimento
 
Arquitetura Renascentista
Arquitetura RenascentistaArquitetura Renascentista
Arquitetura Renascentista
 
Guerra de canudos
Guerra de canudosGuerra de canudos
Guerra de canudos
 
A evaporação
A evaporaçãoA evaporação
A evaporação
 
Hip hop
Hip hopHip hop
Hip hop
 
Hip hop
Hip hopHip hop
Hip hop
 
Ginástica aeróbica
Ginástica aeróbicaGinástica aeróbica
Ginástica aeróbica
 
Monteiro lobato
Monteiro lobatoMonteiro lobato
Monteiro lobato
 
Dermeval saviani
Dermeval savianiDermeval saviani
Dermeval saviani
 
Amor
AmorAmor
Amor
 
Guerra de canudos
Guerra de canudosGuerra de canudos
Guerra de canudos
 
Cabo verde
Cabo verdeCabo verde
Cabo verde
 
São tomé e príncipe
São tomé e príncipeSão tomé e príncipe
São tomé e príncipe
 
Ulysses guimarães
Ulysses guimarãesUlysses guimarães
Ulysses guimarães
 
éTica na política
éTica na políticaéTica na política
éTica na política
 

Último

c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...azulassessoriaacadem3
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...azulassessoriaacadem3
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024excellenceeducaciona
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...azulassessoriaacadem3
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...azulassessoriaacadem3
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...apoioacademicoead
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...azulassessoriaacadem3
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...azulassessoriaacadem3
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...excellenceeducaciona
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...azulassessoriaacadem3
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxLuizHenriquedeAlmeid6
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...apoioacademicoead
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...excellenceeducaciona
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...azulassessoriaacadem3
 
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...azulassessoriaacadem3
 

Último (20)

Namorar não és ser don .
Namorar não és ser don                  .Namorar não és ser don                  .
Namorar não és ser don .
 
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO         _
SANTO AMARO NO LAR VALE FORMOSO _
 
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
c) A fosforilação oxidativa é a etapa da respiração celular que mais produz A...
 
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
4. Agora para analisar os resultados obtidos, você irá utilizar a classificaç...
 
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoriaAtividade sobre o anacronismo na HIstoria
Atividade sobre o anacronismo na HIstoria
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
ATIVIDADE 1 - TEORIAS DA ADMINISTRAÇÃO - 51/2024
 
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
2) Descreva os princípios fundamentais para uma prescrição de exercícios físi...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
3. Como você (aluno) relaciona as informações coletadas na entrevista com o c...
 
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
1. Considerando todas as informações que você obteve, descritas acima, calcul...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
5. Na sua opinião, em que medida os princípios da ORT de Taylor ainda são rel...
 
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
2. Como o entrevistado descreve a gestão e execução dos principais processos ...
 
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
01. Considerando as informações da imagem acima, explique de formas simples e...
 
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptxSlides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
Slides Lição 9, CPAD, O Batismo – A Primeira Ordenança da Igreja, 1Tr24.pptx
 
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
Ainda nessa perspectiva, mencione ao menos três desafios associados à aplicaç...
 
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
1. Solicitar ao entrevistado uma breve apresentação da organização, mencionan...
 
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
ATIVIDADE PROPOSTA: Considerando o "estudo de caso" apresentado na disciplina...
 
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...Considere a imagem abaixo:  Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
Considere a imagem abaixo: Fonte: ROSA, Tomás Amado. No âmbito do Direito, a...
 

Georg wilhelm friedrich hegel

  • 2. Georg Wilhelm Friedrich Hegel Nascimento: 27 de agosto de 1770 Estugarda, Alemanha Morte 14 de novembro de 1831 (61 anos) Berlim, Alemanha Nacionalidade: Alemão Escola/tradição: Idealismo alemão, hegelianismo(fundador); historicismo Principais interesses: Epistemologia, Lógica, Filosofia da história, Filosofia política, religião,consciência, Metafísica Ideias notáveis: Dialética, idealismo absoluto Assinatura:
  • 3. Georg Hegel • Hegel foi um importante filósofo alemão. Recebeu sua formação no Tübinger Stift, (seminário da Igreja Protestante, em Württemberg). • Foi um dos criadores do idealismo alemão e naturalmente da génese do que é chamado de hegelianismo. Seu cômputo historicista e idealista da realidade como uma Filosofia europeia completamente revolucionada denota que foi, de fato, um importante precursor da Filosofia continental e do marxismo.
  • 4. O local de nascimento de Hegel, em Stuttgart, que agora abriga o Museu de Hegel.
  • 5. Principais obras Fenomenologia do Espírito, 1807 Ciência da Lógica, 1812-1816 Enciclopédia das Ciências Filosóficas, 1817-1830 Elementos da Filosofia do Direito, 1817-1830
  • 6. Obra A primeira e a mais importante das obras maiores de Hegel é sua Fenomenologia do Espírito. Em vida, Hegel ainda viu publicada a Enciclopédia das Ciências Filosóficas, a Ciência da Lógica, e os Princípios (Elementos da) Filosofia do Direito. Várias outras obras sobre filosofia da história, religião, estética e história da filosofia foram compiladas a partir de anotações feitas por seus estudantes, tendo sido publicadas postumamente.
  • 7. Teoria Filósofo da totalidade, do saber absoluto, do fim da história, da dedução de toda a realidade a partir do conceito, da identidade que não concebe espaço para o contingente, para a diferença; filósofo do estado prussiano, que hipostasiou o Estado - todas essas são algumas das recepções da filosofia de Hegel na contemporaneidade. É difícil dizer até que ponto essas qualificações são justas para com a filosofia hegeliana.
  • 8. Pensamento As obras de Hegel têm fama de difíceis graças à amplitude dos temas que pretendem abarcar. Hegel introduziu um sistema para entender a história da filosofia e o próprio mundo, chamado amiúde de "dialética": uma progressão na qual cada movimento sucessivo surge como solução das contradições inerentes ao movimento anterior. Por exemplo, a Revolução Francesa constitui, para Hegel, pela primeira vez na história, a introdução da verdadeira liberdade nas sociedades ocidentais. A filosofia da história de Hegel está também marcada pelos conceitos da "astúcia da razão" e do "escárnio da história". A história conduz os homens que creem se conduzir de per si, como indivíduos e como sociedades, castigando suas pretensões.
  • 9. Princípio fundamental Tudo é inteligível para o ser que, idêntico no seu fundo com o Espírito ou a Ideia infinita, se manifesta no universo concreto graças ao movimento dialéctico: tese, antítese, síntese. A intuição fundamental de Hegel, fiel ao panteísmo idealista, é que, no universo, todas as riquezas de fenomenos e de indivíduos concretos, com a humanidade e todos os acontecimentos da sua história, são apenas as manifestações necessárias, inteligíveis a priori, duma realidade única: o Espírito infinito que, sendo de ordem ideal, não pode conter elemento algum irracional ou inexplicável, de direito: "Todo o real, diz ele, é racional". A sua filosofia não foi senão um esforço para esclarecer até nos seus mínimos pormenores esta vista central.
  • 10. Alguns Pensamentos O homem não é mais do que a série dos seus atos. Grandeza, entidade variável mas que, apesar da sua variação, continua sempre a ser a mesma. Nada de grande se realizou no mundo sem paixão. Tudo o que é racional é real e tudo o que é real é racional. O verdadeiro é o todo.
  • 12. Falecimento Hegel faleceu em 14 de novembro de 1831. Encontra-se sepultado em Dorotheenstädtischer and Friedrichswerder Cemetery, Berlim na Alemanha.
  • 13. Referência Bibliográfica Wikipédia, a enciclopédia livre. http://pt.wikipedia.org/wiki/Georg_Wilhelm_ Friedrich_Hegel