O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

4. Coleta de dados (1).pptx

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 14 Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Mais recentes (20)

Anúncio

4. Coleta de dados (1).pptx

  1. 1. PERCURSOS DA PESQUISA: revisitando o problema de pesquisa, objetivo geral, métodos, análise e discussão dos dados e conclusões na iniciação científica para a educação básica. José Breno da Cruz @josebrenoda
  2. 2. ANTES - PLANO DE PESQUISA DEPOIS - RESUMO CIENTÍFICO DURANTE – CADERNO DE CAMPO Estrutura formal Pasta de documentos (Anexos e Apêndices) Relatório, Relatório Sintético, Artigo Banner, Estande, Apresentação, Protótipo 01 02 03 04 CULMINÂNICA Processo na Iniciação Científica DESENVOLVIMENTO - METODOLOGIA Coletas, discussão e análise de dados 05
  3. 3. O que é coleta de dados? A coleta de dados é um processo que visa reunir os dados para uso secundário por meio de técnicas específicas de pesquisa. Esses dados são utilizados para tarefas de pesquisa, planejamento, estudo, desenvolvimento e experimentações. A coleta de dados para pesquisa científica é definida a partir da problematização, objetivos geral e específico e metodologia (MARTINS, 2019).
  4. 4. Problema de pesquisa pergunta central Objetivo Geral – ação responder a pergunta Tipo de pesquisa Coleta de dados Análise e discussão Conclusão Qual verbo? IDENTIFICAÇÃO DESCRIÇÃO COMPARAÇÃO CLASSIFICAÇÃO CONCLUSÃO APLICAÇÃO Evidências Contribuições Novas perguntas Hipóteses (?)
  5. 5. IDENTIFICAÇÃO DESCRIÇÃO COMPARAÇÃO Identificar Descrever Comparar Reconhecer Caracterizar Diferenciar Denominar Expor Contrastar Apontar Narrar Relacionar Indicar Traçar Confrontar Designar Contar Igualar Intitular Listar Discernir Mostrar Relatar Separar Rotular Imitar Nivelar Assinalar Apresentar Discriminar Mencionar Enumerar Ligar Evocar Excluir/incluir Determinar Traçar paralelo Refletir/citar CLASSIFICAÇÃO CONCLUSÃO APLICAÇÃO Classificar Concluir Aplicar Escolher Deduzir Empregar Ordenar Decidir Utilizar Numerar Justificar Construir Separar Resumir Praticar Selecionar Criticar/julgar Efetuar Distinguir Analisar Executar Agrupar/reagrupar Apreciar Efetivar Categorizar Examinar Criar Colecionar Conceituar Elaborar Dividir Definir Confeccionar Subdividir Generalizar Explicar Qualificar Inventar
  6. 6. Coletar dados: Bibliográficos (físicos e virtuais): obrigatoriamente fontes de consultas com autoria. Entrevistas, enquetes e consultas: tem que ter elementos comprobatórios escritos, gravados, etc. Experimentos: métodos conhecidos, registros confiáveis, documentação .. Coleta dados não válidas: Bibliográficos (físicos e virtuais): sem autores e fontes. Entrevistas, enquetes e consultas: sem comprovação de autoria. Experimentos: opiniões pessoais ou de terceiros, juízo de valores ...
  7. 7. Formulários. - Todo formulário (documento similar) só pode ser aplicado após a aprovação do Comitê de Ética da Pesquisa ou Comitê de Saúde e Segurança das escolas, redes ou universidades. - Definir claramente a função de cada pergunta e, principalmente, a relação entre elas. - Antes de aplicar a pesquisa com pessoas deve ser apresentado o Termo de Consentimento Livre e Esclarecido (TCLE) - Para os questionário digitais (planilha Google) deve ser a primeira parte do documento.
  8. 8. Pesquisa exploratória, pesquisa descritiva e pesquisa explicativa.
  9. 9. Pesquisa descritiva A Pesquisa descritiva é direcionada para responder alguma dúvida ou questionamento como exemplo, “O que é isto?” Tendo como objetivo primordial a descrição das características de determinada população ou fenômeno ou, então, o estabelecimento de relações entre variáveis (EVÊNCIO et al, 2019). Por fim, cabe ao autor da pesquisa traçar a sua conclusão sobre as diferentes variáveis analisadas. A pesquisa descritiva costuma ser muito comum nos cursos de graduação, principalmente nos Trabalhos de Conclusão de Curso.
  10. 10. Pesquisa exploratória A pesquisa Exploratória permite a exploração de novos fenômenos, auxiliando dessa forma a necessidade do pesquisador por um melhor entendimento, sendo capaz de testar a viabilidade de um estudo mais extenso ou determinar os melhores métodos a serem utilizados em um estudo. Por essas razões, essa pesquisa tem um foco amplo e raramente consegue fornecer respostas definitivas para questões específicas de pesquisa, sendo seus objetivos identificar questões- chave e variáveis-chave (SITTA et al, 2010; GARCES, 2010). Para isso, o pesquisador deverá entrevistar pessoas que participaram deste evento, explorar suas experiências e pensamentos sobre o assunto.
  11. 11. Pesquisa explicativa A Pesquisa explicativa tem como objetivo principal a compreensão ou explicação, por meio de análises que utiliza a correlações para estudar relações entre dimensões ou características de indivíduos, grupos, situações ou eventos. A pesquisa explicativa como o seu nome já diz, ela sempre irá explicar algo (GARCES, 2010). Esse é um tipo de pesquisa mais complexa, normalmente é considerada o "amadurecimento" de uma prévia pesquisa descritiva ou exploratória.
  12. 12. REFERÊNCIAS ARAGÃO, J. Introdução aos estudos quantitativos utilizados em pesquisas científicas. REVISTA PRÁXIS ano III, nº 6 – agosto. 2011. BORDAL, A. A. Estudo transversal e/ou longitudinal. Rev. Para. Belém ed. v.20 n.4. dez. 2006. CESÁRIO, Jonas Magno dos Santos. Et al. Metodologia científica: Principais tipos de pesquisas e suas caraterísticas. Revista Científica Multidisciplinar Núcleo do Conhecimento. Ano 05, Ed. 11, Vol. 05, pp. 23-33. Novembro de 2020. CRISTIANE, M. M. Abordagens e procedimentos qualitativos: implicações para pesquisas em organizações Revista Alcance. vol. 21, núm. 2, pp. 324-349, abriljunio, 2014. DEVECHI, C. P. V; TREVISAN. A. L. Sobre a proximidade do senso comum das pesquisas qualitativas em educação: positividade ou simples decadência? Rev. Bras. Educ. vol.15 no.43 Rio de Janeiro Jan./Apr. 2010. EVÊNCIO, K. M. M, et al. Dos Tipos de Conhecimento às Pesquisas Qualitativas em Educação; Id on Line Rev. Mult. Psic. V.13, N. 47, p. 440-452, outubro/2019. FREITAS, H, et al. O método de pesquisa Survey; Revista de administração. São Paulo V. 35. P. 105-112. Julho/ setembro 2000. GARCES, S. B. B. Classificação e Tipos de Pesquisas. Universidade de Cruz Alta – Unicruz; Abril de 2010. GIL, A. C. Metodologia do Ensino Superior. 4ª ed. São Paulo: Editora Atlas, 2008. MARTINS, Everton. Coleta de dados: o que é, metodologias e procedimentos. 2019. Disponível em: https://blog.mettzer.com/coleta-de- dados/. Acesso em: 29 abr. 2022.
  13. 13. OLLAIK, L. G; ZILLER. H. M. Concepções de validade em pesquisas qualitativas. Educ. Pesqui. vol.38 no.1 São Paulo. Jan./Mar. 2012 Epub Feb 09, 2012. PRAIA, J. F; CACHAPUZ, A. F. C; PÉREZ, D. G. Problema, teoria e observação em ciência: para uma reorientação epistemológica da educação em ciência; Ciência & Educação. v.8, nº1, p.127 – 145, 2002. ROMANOWSKI, J. P; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo “estado da arte” em educação. Diálogo Educ., Curitiba. v. 6, n.19, p.37-50. set./dez. 2006. SÁ-SILVA, J. R; ALMEIDA, C. D; GUINDANI, J. F. Pesquisa documental: pistas teóricas e metodológicas. Revista Brasileira de História & Ciências Sociais. Ano I Número I - julho de 2009. SITTA. E. I et al. A contribuição de estudos transversais na área da linguagem com enfoque em afasia. Rev. CEFAC, São Paulo. vol.12, no.6. Nov./Dec. 2010 Epub Aug 13. TEIXEIRA, E. B. A Análise de Dados na Pesquisa Científica importância e desafios em estudos organizacionais. Ano 01. n. 2. jul./dez; 2003. THIOLLENT, Michel. Metodologia da pesquisa-ação. São Paulo: Cortez, 1985. TRUJILLO FERRARI, Alfonso. Metodologia da pesquisa científica. São Paulo: McGraw-Hill do Brasil, 1982. WARDLE, C. J. Two generations of broken homes in the genesis of conduct and behavioral disorders in children. In: British Medical Journal, 5 Aug. 1961, p. 349. VILLARES, R. M; NAKANO, N. D. A Produção Científica nos Anais do Encontro Nacional de Engenharia de Produção: Um Levantamento de Métodos e Tipos de Pesquisa. ABEPRO. Rio de Janeiro. 2000. WILL, D. E. M. Metodologia da pesquisa científica. Livro digital. 2ª ed. Palhoça. Unisul Virtual, 2012. YOUNG, P. Métodos científicos de investigación social. México, Instituto de Investigaciones Sociales de La Universidad deI México, 1960.
  14. 14. José Breno da Cruz brenodacruz@gmail.com (51) 999 899 666 MUITO OBRIGADO

×