O slideshow foi denunciado.
Seu SlideShare está sendo baixado. ×

MULHERES DO EVANGELHO.pdf

Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Anúncio
Carregando em…3
×

Confira estes a seguir

1 de 15 Anúncio
Anúncio

Mais Conteúdo rRelacionado

Mais recentes (20)

Anúncio

MULHERES DO EVANGELHO.pdf

  1. 1. MULHERES DO EVANGELHO O Evangelista Lucas se refere a essas mulheres em duas oportunidades, em seus apontamentos. A primeira, no capítulo 8:1-3: “ ...e andavam com ele os doze, e algumas mulheres que tinham sido livradas de espíritos malignos e de enfermidades: Maria, chamada Madalena, da qual tinham saído sete demônios; Joana, mulher de Cusa, procurador de Herodes, e Susana...”
  2. 2. A segunda, no capítulo 24; 1-10, onde a identifica, senão vejamos: “ E no primeiro dia da semana, muito de madrugada, foram elas ao sepulcro, levando as especiarias que tinham preparado, e algumas outras com elas. E acharam a pedra revolvida do sepulcro. E, entrando, não acharam o corpo do Senhor Jesus. E aconteceu que, estando elas muito perplexas a esse respeito, eis que pararam junto delas dois homens, com vestes resplandecentes. E, estando elas muito atemorizadas, e abaixando o rosto para o chão, eles lhes disseram: Por que buscais o vivente entre os mortos? Não está aqui, mas ressuscitou. Lembrai-vos como vos falou, estando ainda na Galiléia, Dizendo: Convém que o Filho do homem seja entregue nas mãos de homens pecadores, e seja crucificado, e ao terceiro dia ressuscite. E lembraram-se das suas palavras. E, voltando do sepulcro, anunciaram todas estas coisas aos onze e a todos os demais. E eram Maria Madalena, e Joana, e Maria, mãe de Tiago, e as outras que com elas estavam, as que diziam estas coisas aos apóstolos.” Lucas 24:1-10
  3. 3. JOANA DE CUSA Retiramos seu relato do capítulo 15 do Livro Boa Nova e ainda de palestras de Divaldo Franco.
  4. 4. Passamos a Maria de Magdala, ou como Divaldo costume dizer, Maria, a Convertida de Magdala. Encontramos no capítulo 20 da obra Boa Nova, ditada pelo espírito Humberto de Campos, os esclarecimentos da vida de Maria Madalena ou Maria de Magdala.
  5. 5. E o que vem ser essa tal porta estreita??
  6. 6. O Evangelho Segundo Espiritismo em seu capítulo XVIII, item 2, trata do tema “ Porta Estreita” A porta estreita. “ 3. Entrai pela porta estreita, porque larga é a porta da perdição e espaçoso o caminho que a ela conduz, e muitos são os que por ela entram. — Quão pequena é a porta da vida! quão apertado o caminho que a ela conduz! e quão poucos a encontram!” ( Mateus, 7:13 e 14.)
  7. 7. Na simbologia da porta podemos citar o Apóstolo João quando nos deixou escrito em seu Evangelho os dizeres do Mestre: “ Eu sou a porta; se alguém entrar por mim, salvar-se-á, e entrará, e sairá, e achará pastagens.” João 10:9
  8. 8. Se pedimos ou assumimos o compromisso de sermos pais e mãesnão nos esqueçamos da lição de Emmanuel por Chico Xavier no livro Vinha de Luz, cap. 2: “ Cada Criatura foi chamada pela Providência a determinado setor de trabalhos espirituais na Terra.... As mães e os pais terrestres foram convocados a negócios de renúncia , exemplificação e devotamento”
  9. 9. E nesse sentido trazemos Kardec em o Livro dos Espíritos na questão: 909. Poderia sempre o homem, pelos seus esforços, vencer as suas más inclinações? - Sim, e por vezes fazendo esforços bem pequenos. O que lhe falta é a vontade. Ah! Quão poucos dentre vós fazem esforços!”
  10. 10. E ainda nos traz Kardec no Livro dos Espíritos: 132. Qual é a finalidade da encarnação dos Espíritos? — Deus a impõe com o fim de levá-los à perfeição: para uns, é uma expiação; para outros, uma missão. Mas, para chegar a essa perfeição, eles devem sofrer todas as vicissitudes da existência corpórea; nisto é que está a expiação. A encarnação tem ainda outra finalidade, que é a de pôr o Espírito em condições de enfrentar a sua parte na obra da Criação. É para executá-la que ele toma um aparelho em cada mundo, em harmonia com a matéria essencial do mesmo, afim de nele cumprir, daquele ponto de vista, as ordens de Deus. E dessa maneira, concorrendo para a obra geral, também progredir.
  11. 11. 133. Os Espíritos que, desde o princípio, seguiram o caminho do bem têm necessidade da encarnação? — Todos são criados simples e ignorantes e se instruem através das lutas e atribulações da vida corporal. Deus, que é justo, não podia fazer feliz a uns, sem penas e sem trabalhos, e por conseguinte sem mérito.
  12. 12. 133. a) Mas então de que serve aos Espíritos seguirem o caminho do bem, se isso não os isenta das penas da vida corporal? — Chegam mais depressa ao alvo. Além disso, as penas da vida são freqüentemente a conseqüência da imperfeição do Espírito. Quanto menos imperfeito ele for, menos tormentos sofrerá. Aquele que não for invejoso, nem ciumento, nem avarento ou ambicioso, não passará pelos tormentos que se originam desses defeitos.
  13. 13. E é isso, penso eu que passar pela porta estreita é traçar o caminho da felicidade do espírito, que passa pelo cumprimento das leis Divinas, que passa por seguir Jesus, que como bem nos traz o Evangelista João: Disse Jesus: “ Eu sou o Caminho, a Verdade e a Vida” O Cristo não é um caminho é O CAMINHO; Não é uma verdade é A VERDADE; Não é uma vida é A VIDA. - Em todas as falas se verifica o artigo definido. E o artigo definido indica um ser específico, determina a forma precisa do substantivo.
  14. 14. Então que possamos nos fortalecer nessas palavras do Mestre e fazer como Joana de Cusa, Magdala fazer a nossa transformação moral e seguir ao Cristo que é caminho, verdade e vida. • Fontes de Pesquisa: • ESE - Evangelho Segundo Espiritismo; • LE – Livro dos Espíritos; • Livro Boa Nova cap. e ; • Livro Vinha de Luz, cap. 02 • Palestras de Divaldo Franco

×