7 regras para escrever

324 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
324
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
7
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

7 regras para escrever

  1. 1. Sete regras para escrever melhor1. Frases mais curtas que o teu dedo mindinho.Frases demasiado longas e complicadas não pegam. A maioria das pessoas chegará ao fim sem selembrar de como a frase começou. Se pretendes expressar uma ideia, esforça-te para que em primeirolugar seja bem assimilada. E a única forma de o conseguires é escrevendo com clareza.Outra vantagem de usar frases curtas é não correr o risco de meter água com a gramática e a pontuação.A escrita é um fio de seda nas tuas mãos: pode desenrolar-se com elegância diante dos olhos (e entãotudo te parece perfeito) ou embrulhar-se à volta das pernas, fazendo-te cair ao início da tua jornada.2. Deixa as palavras caras para os ricos.Como a tua intenção é comunicar ideias e não a riqueza do teu vocabulário, o melhor caminho é escrevercom simplicidade e ser autêntico.Escolher as palavras certas é como escolher uma peça de roupa. Para quê usar fato e gravata se tesentes melhor com calças de ganga? Escolhe as palavras que quiseres, desde que em nenhum momentoessas palavras te façam sentir que não estás a ser igual a ti próprio.Se na preparação para o teu post aprendeste uma palavra cujo significado desconhecias, então partilhaessa descoberta com os teus leitores. A tua sinceridade será apreciada, sobretudo porque não usaste oteu vocabulário para fazer poses.3. Quando escreves, a pontuação é sempre tua.Vírgulas mal colocadas são como barreiras em corridas de obstáculos: quebram-te o ritmo e podem fazer-te tropeçar. A dificuldade que possas ter com a pontuação não é por falta de gramática, é por falta deleitura – e sobretudo leitura em voz alta.Só lendo em voz alta mais facilmente te apercebes que a escrita não é diferente da música: a melodia é aideia que desejas expressar; as palavras, os instrumentos através dos quais expressas a tua ideia. Dacombinação desses instrumentos resulta o «arranjo» e a «harmonia» do teu texto. Os sinais depontuação são os instrumentos de percussão. Assim como os músicos podem tocar de ouvido semconhecer as pautas, também tu poderás escrever bem sem precisares de enfiar um compêndio degramática na cabeça.Faz um exercício ao contrário: procura os sinais de pontuação na própria música. Põe a tocar o teu temapreferido (com bateria) e procura associar os sons. Que poderá significar aquele som «splash» do pratode ataque de uma bateria? Um ponto de exclamação? A que atribuirás o som ritmado de um prato decondução suave? Às vírgulas?Se leres muitas vezes em voz alta – os teus textos e os dos outros – começarás «a ouvir» as vírgulas e asentir a «respiração» das frases com a mesma naturalidade com que bates o pé quando ouves música.4. Não tentes «escrever bem».Escrever é um processo de descoberta de ti próprio e dos teus limites. Usar chavões, metáforas ouanalogias é um recurso óptimo que enriquece a tua escrita – desde que sejam os teus chavões, as tuasmetáforas e as tuas analogias.Se te lembras apenas de figuras de linguagem que se lêem todos os dias nos jornais, mais vale apagar eseguires a regra número 1: simplificar a comunicação e ser igual a ti próprio. Não te preocupes: o que tués agora não é forçosamente o que serás amanhã – e se a tua escrita for autêntica, acompanhará essamudança com tanta naturalidade que os teus leitores notarão a evolução primeiro que tu.5. Tu tens qualidades, só falta seres capaz de as reconhecer.Melhorar a escrita exige muito trabalho, mas a maior tarefa de todas consiste em remover todos osobstáculos entre o teu pensamento e a folha em branco. Quanto mais te afastares de ti próprio e do quetu és, mais dificuldade terás em obter fluidez na tua escrita.Descobre as tuas próprias qualidades e investe o teu tempo e esforço a desenvolvê-las: não percastempo a desejar qualidades que reconheces nos outros mas que tu não tens. Nem todos os bloggerspodem ser escritores e nem todos os escritores podem ser bloggers. E não te esqueças: através da tuaescrita estás a criar uma presença na Web. Nenhuma presença é sustentável sem uma identidade. Éatravés da escrita que a consegues, não através de um avatar.6. A escrita não é para preguiçosos.
  2. 2. Tudo o resto que possas fazer para melhorar a tua escrita depende da tua capacidade de trabalho.Estuda gramática. Consulta o Prontuário Ortográfico. Instala um corrector ortográfico. Aprende com oserros que dás. Revê os teus textos. Revê-os em voz alta. Quando estiveres cansado e achares que jáchega, revê outra vez. Antes de publicares, volta a ler o teu texto em modo Rascunho.Lê. Lê muito. Lê jornais, revistas, livros, sobretudo livros. Quanto mais se lê, melhor se pensa; quantomelhor se pensa, melhor se escreve – trabalha e esforça-se até chegares a um ponto em que opensamento te surge na cabeça como se fosse uma frase que escreves sem mãos. Estás disposto aapagar a televisão ou o computador em nome desse objectivo?7. A regra de ouro.Chegará o dia em que quebrar todas estas regras será quase uma questão de estilo. Quando issoacontecer, parabéns, pois terás conquistado o direito à subversão! Nunca te atrevas é a quebrar a regranúmero 6. Usando a palavraO texto é o meio primordial de transmissão de ideias por intermédio de signos.O que preciso saber para escrever bem um texto? Definição do tema:a) conhecimento prévio - associação de ideias afinsb) apoio de outros suportes - dicionários, textos sobre o temac) organização e método - usa uma ordenação familiar (numerais seguidos de letras, por exemplo)c) identificação do receptorTipologia textual- Estrutura lógica do texto: INTRODUÇÃO  DESENVOLVIMENTO  CONCLUSÃO Géneros de texto- Descrição- Narração- Dissertação DescriçãoForma verbal de se retratar um objecto, pessoa ou paisagem. O texto descritivo possui enorme riquezade detalhes e informações que particularizam o objecto descrito.É um texto figurativo. Descreve características das pessoas e das coisas. Não tem preocupação emanalisar, até pode, mas isso não é fundamental. Apresenta, expõe uma visão de algo ou algum fato. NarraçãoGénero de texto usado para contar uma história. Elementos principais do texto narrativo: acção,personagem, espaço, tempo, enredo e narrador.É um texto que supõe uma sequência. Baseia-se geralmente num enredo e aponta o início, meio e fim,mesmo que esta não seja a ordem estabelecida. DissertaçãoConsiste numa exposição e desenvolvimento de ideias a respeito de um determinado assunto. É precisodominar o assunto, possuir argumentos fundamentados e uma boa colocação de ideias.Baseia-se na argumentação; é um texto argumentativo. Parte de uma ideia, tema. Tem como dever:expor, analisar, explicar, criticar, classificar, defender.Dissertação: uma tarefa difícil?Tipos de raciocínio num texto argumentativo: Indutivo do particular para o geral
  3. 3. dedutivo do geral para o particular ( hipotético  dedutivo...)Técnicas argumentativas1. Argumentos sustentados por uma citação de alguém que já escreveu sobre o assunto.2. Argumentos por comprovação, que são sustentados por factos reais ou dados competentes.3. Argumentos por raciocínio lógico, que são sustentados por uma relação de causa e consequência;tentam persuadir o leitor a partir da relação entre as ideias.4. Argumentos por comparação e/ou contraste. Elementos qualificadores do texto dissertativoØ ConcisãoO texto conciso é aquele que transmite um máximo de informações com um mínimo possível de palavrassem prejuízo da compreensão.Ø CoesãoUnião entre as partes de um todo, conexão.Ø CoerênciaResultado da presença de coesão entre as ideias expressas no texto e da perfeita ligação entre a ideiaprincipal e as secundárias.Ø UnidadeElemento que garante a lógica entre as partes.

×