G ravidez e exercício

157 visualizações

Publicada em

0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
157
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

G ravidez e exercício

  1. 1. 188 Rev Bras Reumatol, v. 45, n. 3, p. 188-90, mai./jun., 2005Lima et al.COMUNICAÇÃO BREVEBRIEF COMMUNICATIONRESUMOCom o crescente aumento de mulheres que praticam exercíciosfísicos e esportes de forma regular, é importante que o especialistanas áreas clínicas se mantenha atualizado sobre os benefícios e riscosda prática esportiva durante a gravidez, no sentido de promoveruma orientação segura e precisa para suas pacientes grávidas.Palavras-chave: exercício físico, prática esportiva, gestação.* Trabalho realizado no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HC-FMUSP). Recebido em 15/02/2005. Aprovado, apósrevisão, em 29/04/2005.1. Médica assistente e chefe do Ambulatório de Medicina Esportiva da Disciplina de Reumatologia HC-FMUSP.2. Pós-graduanda e educadora física do Ambulatório de Medicina Esportiva da Disciplina de Reumatologia HC-FMUSP.Endereço para correspondência: Dra. Fernanda Lima. Disciplina de Reumatologia da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (FMUSP). Av. Dr. Arnaldo, 455,s. 3.133, CEP 01246-903. São Paulo, SP, Brasil. E-mail: fernanda@movimento.med.brGravidez e Exercício(*)Pregnancy and ExerciseFernanda R. Lima(1), Natália Oliveira(2)ABSTRACTWith the increasing number of women that perform physicalactivities and practice sports regularly, it is important for theclinical specialists to be updated about the benefits and risks ofsports practices during pregnancy, with the aim of promoting asafe and precise orientation of their pregnant patients.Keywords: physical activity, sports practice, pregnancy.INTRODUÇÃOAlterações provocadas pela gravidez noaparelho locomotorPraticamente todas as mulheres grávidas experimentamalgum desconforto musculoesquelético durante a gravidez.Estima-se que cerca de 25% delas apresentem ao menossintomas temporários(1).As mulheres grávidas apresentam um risco aumentado dequeixas musculoesqueléticas, principalmente lombalgia(2). Amudança do centro de gravidade, a rotação anterior da pelve,o aumento da lordose lombar e o aumento da elasticidadeligamentar são os principais responsáveis pelos sintomas(2). Jáfoi demonstrado que um programa de exercícios executadotrês vezes por semana durante a segunda metade da gravidezparece colaborar na redução da intensidade das dores lom-bares, aumentando também a flexibilidade da coluna(3).Benefícios do exercício na gravidezAs mulheres sedentárias apresentam um consideráveldeclínio do condicionamento físico durante a gravidez.Além disto, a falta de atividade física regular é um dosfatores associados a uma susceptibilidade maior a doençasdurante e após a gestação(4).Há um consenso geral na literatura científica de que amanutenção de exercícios de intensidade moderada duranteuma gravidez não-complicada proporciona inúmeros bene-fícios para a saúde da mulher(5).Apesar de ainda existirem poucos estudos nesta área,exercícios resistidos de intensidade leve a moderada podempromover melhora na resistência e flexibilidade muscular,sem aumento no risco de lesões, complicações na gestaçãoou relativas ao peso do feto ao nascer. Conseqüentemente,a mulher passa a suportar melhor o aumento de peso eatenua as alterações posturais decorrentes desse período(5).A atividade física aeróbia auxilia de forma significativano controle do peso e na manutenção do condicionamento,além de reduzir riscos de diabetes gestacional, condiçãoque afeta 5% das gestantes. A ativação dos grandes gruposmusculares propicia uma melhor utilização da glicose eaumenta simultaneamente a sensibilidade à insulina(5).Os estudos também mostram que a manutenção da prá-tica regular de exercícios físicos ou esporte apresenta fato-res protetores sobre a saúde mental e emocional da mulher
  2. 2. 189Rev Bras Reumatol, v. 45, n. 3, p. 188-90, mai./jun., 2005Gravidez e Exercíciodurante e depois da gravidez(6). Além disso, existem dadossugestivos de que a prática de exercício físico durante agravidez exerce proteção contra a depressão puerperal(5).Na literatura há alguns estudos envolvendo exercícios paraa musculatura pélvica durante a gravidez. Eles são unânimesem afirmar os benefícios deste tipo específico de exercíciocomo forma de prevenção à incontinência urinária associadaà gravidez(7-9).Riscos para o fetoA prática de exercícios acarreta riscos potenciais para o fetoem situações em que a intensidade do exercício seja muitoalta, criando um estado de hipóxia para o feto, em situaçõesem que haja risco de trauma abdominal e em situações dehipertermia da gestante. Esses fatores podem gerar estressefetal, restrição de crescimento intra-uterino e prematuridade(2).Há algumas evidências de que a participação em exercíciosde intensidade moderada ao longo da gravidez possa aumentaro peso do bebê ao nascer, enquanto que exercícios mais in-tensos e com grande freqüência, mantidos por longos períodosda gravidez, possam resultar em crianças com baixo peso(2).Alguns estudos experimentais com animais demonstraramque temperaturas corporais acima de 39°C podem resultarem defeitos de fechamento do tubo neural, que deve ocorrernormalmente por volta do 25odia após a concepção. Emboraesse risco não tenha sido confirmado em humanos, sugere-se evitar sempre situações que resultem em hipertermiamaterna durante o primeiro trimestre de gravidez(2).Durante o período de amamentação, desde que a ingestacalórica e hídrica da mãe se mantenha normal, os exercíciosleves a moderados não afetam a quantidade ou a composiçãodo leite, e por isso não exercem qualquer impacto sobre ocrescimento do lactente(10).Contra-indicações de exercício durante agravidezO exercício regular é contra-indicado em mulheres comas seguintes complicações(2):Contra-indicações absolutasDoença miocárdica descompensadaInsuficiência cardíaca congestivaTromboflebiteEmbolia pulmonar recenteDoença infecciosa agudaRisco de parto prematuroSangramento uterinoIsoimunização graveDoença hipertensiva descompensadaSuspeita de estresse fetalPaciente sem acompanhamento pré-natalContra-indicações relativasHipertensão essencialAnemiaDoenças tireoidianasDiabetes mellitus descompensadoObesidade mórbidaHistórico de sedentarismo extremoPrescrição dos exercíciosTodas as mulheres que não apresentam contra-indicaçõesdevem ser incentivadas a realizar atividades aeróbias, deresistência muscular e alongamento. As mulheres devemescolher atividades que apresentem pouco risco de perdade equilíbrio e de traumas(10). O trauma direto ao feto éraro, mas é prudente evitar esportes de contato ou comalto risco de colisão(2).Deve-se tomar o cuidado de não se exercitar vigorosa-mente em climas muito quentes e de prover a hidrataçãoadequada, de modo a não prejudicar a termorregulação damãe(5).Com base em pesquisas na área de exercício e gravidez,o Sports Medicine Australia(5)elaborou as seguintesrecomendações:• em grávidas já ativas, manter os exercícios aeróbiosem intensidade moderada durante a gravidez;• evitar treinos em freqüência cardíaca acima de 140 bpm.Exercitar-se três a quatro vezes por semana por 20 a 30minutos. Em atletas é possível exercitar-se em inten-sidade mais alta com segurança;• os exercícios resistidos também devem ser moderados.Evitar as contrações isométricas máximas;• evitar exercícios na posição supina;• evitar exercícios em ambientes quentes e piscinas muitoaquecidas;• desde que se consuma uma quantidade adequada decalorias, exercício e amamentação são compatíveis;• interromper imediatamente a prática esportiva se sur-girem sintomas como dor abdominal, cólicas, sangra-mento vaginal, tontura, náusea ou vômito, palpitaçõese distúrbios visuais;• não existe nenhum tipo específico de exercício quedeva ser recomendado durante a gravidez. A grávidaque já se exercita deve manter a prática da mesmaatividade física que executava antes da gravidez, desdeque os cuidados acima sejam respeitados.
  3. 3. 190 Rev Bras Reumatol, v. 45, n. 3, p. 188-90, mai./jun., 2005Lima et al.REFERÊNCIAS1. Borg-Stein J, Dugan SA, Gruber J: Musculoskeletal aspects ofpregnancy. Am J Phys Med Rehabil 84: 180-92, 2005.2. Bennell K: The female athlete. In: Brukner P, Khan K: Clinicalsports medicine, 2.aed, Austrália, McGraw-Hill, 2001. p. 674-99.3. Garshasbi A, Faghih Zadeh S: The effect of exercise on the intensityof low back pain in pregnant women. Int J Gynaecol Obstet 88:271-5, 2005.4. Haas JS, Jackson RA, Fuentes-Afflick E, et al: Changes in the healthstatus of women during and after pregnancy. Gen Intern Med 20:45-51, 2005.5. [No authors listed]: SMA statement. The benefits and risks of exerciseduring pregnancy. J Sci Med Sport 5: 11-9, 2002.6. Sternfeld B, Quesenberry CP Jr, Eskenazi B, Newman LA: Exerciseduring pregnancy and pregnancy outcome. Med Sci Sports Exerc27: 634-40, 1995.7. Gorbea Chavez V, Velazquez Sanchez M del P, Kunhardt RaschJR: Effect of pelvic floor exercise during pregnancy and puerperiumon prevention of urinary stress incontinence. Gynecol Obstet Mex72: 628-36, 2004.8. Morkved S, Bo K, Schei B, Salvesen KA: Pelvic floor muscle trainingduring pregnancy to prevent urinary incontinence: a single-blindrandomized controlled trial. Obstet Gynecol 101: 313-9, 2003.9. Reilly ET, Freeman RM, Waterfield MR, Waterfield AE, StegglesP, Pedlar F: Prevention of postpartum stress incontinence inprimigravidae with increased bladder neck mobility: a randomisedcontrolled trial of antenatal pelvic floor exercises. BJOG 109: 68-76,2002.10. Davies GA, Wolfe LA, Mottola MF, et al: Exercise in pregnancyand the postpartum period. J Obstet Gynaecol Can 25: 516-29,2003.

×