Ações preventivas versus risco pronto

312 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
312
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
11
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Ações preventivas versus risco pronto

  1. 1. NR 32 Nr 32 é espefica do profissional da are a desaúde Como todas as NRs, a NR32 pode serresumida numa palavra - prevenção. Paratanto, ela estabelece vários prazos mensais paraque as mudanças sejam implantadas. Oinvestimento compensa e evita prejuízosfuturos, permitindo o surgimento de uma geraçãode trabalhadores mais saudáveis. O principalobjetivo é eliminar o risco de acidentes dotrabalho. E se o risco não puder sereliminado, deve ser controlado, avaliado eadministrado.
  2. 2. AÇÃO PREVENTIVA Estudo quase experimental cujo objetivofoi avaliar o treinamento interativoproposto, como estratégia de mudança nocomportamento. De trabalhadores para oadequado uso de luvas na administração demedicamentos endovenosos. Otreinamento, estruturado no Modelo dePromoção da Saúde de Pender foi realizado adistância pela web site da Rede de Prevençãode Acidentes de Trabalho (REPAT),
  3. 3. AÇÃO PREVENTIVAaplicado a 60 trabalhadores de enfermagem de dois hospitais Estado de São Paulo. Antes do treinamento 58,3% dos trabalhadores usavam luvas para administrar medicamentos endovenosos na Semana que antecedeu o treinamento e 83,3% trabalhadores informaram intenção do uso de luvas após o treinamento.
  4. 4. RECOMENDAÇÕES Identificar no local de trabalho quais são os fatores de risco. Estabelecer uma rotina de descarte do material, após a realização do procedimento. Descartar os dispositivos agulhados imediatamente em coletores apropriados de paredes rígidas posicionados em locais de fácil acesso e no limite de alcance dos braços. Promover descarte seguro protegendo o meio ambiente evitando acidentes em outros trabalhadores. Usar agulhas com dispositivos de segurança. Não encapar agulhas. Participar de treinamentos para prevenção Providenciar vacinação contra a hepatite B (3 doses )
  5. 5. O QUE FAZER QUANDO OCORRER ACIDENTES Aconselhar os envolvidos no acidente sobre o significado dos testes a serem realizados. Coletar sangue para exames do trabalhador (teste rápido para HIV, sorologias anti-HIV, HbsAg, anti-HbsAg, anti-Hbc, anti-HCV). Coletar sangue do paciente fonte para exames laboratoriais (teste rápido para HIV, anti-HIV, HbsAg, anti- HCV e doença de chagas se houver história clínica e/ou epidemiológica). Registrar o acidente de trabalho por meio da Comunicação de Acidente do trabalho (CAT). Encaminhar o trabalho acidentado para a Unidade Especializada de Tratamento de Doenças Infecto Contagiosas para avaliação e tratamento se necessário
  6. 6. CONCLUSÃO A Ferramenta interativa facilitou a aplicaçãoda estratégia educativa no trabalho e podeauxiliar a mudança do comportamento do usode luvas.
  7. 7. CONSIDERAÇÕES FINAIS É necessário todo esforço possível da instituição e dostrabalhadores para prevenir um acidente com materialperfuro-cortante devido as suas consequências trágicaspara o trabalhador e para o hospital. Mudanças decomportamento e fatores relacionados aos dispositivosagulhados que contribuem para a ocorrência dosacidentes devem ser avaliados e a notificação doacidente deve ser considerada como uma prática quepode auxiliar muito a prevenção de futuros acidentes.

×