Currículo encontro com os coordenadores

2.360 visualizações

Publicada em

Publicada em: Tecnologia
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
2.360
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
1.288
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
15
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Currículo encontro com os coordenadores

  1. 1. Encontro pedagógico com os coordenadores da Educação Infantil<br />Santa Maria/DF, 20 de maio de 2011<br />
  2. 2. Ser ou não ser?<br />Com Viviane Mosé<br />A Escola da Ponte<br />
  3. 3. Socialização das reflexões feitas pelos professores<br />Os professores conheciam/sabiam a história do projeto Maritaca?<br />Eles compreenderam a nova proposta do Maritaca Curricular?<br />Como foram feitas as reflexões sobre o Currículo? Como a escola se organizou?<br />Quais foram as reflexões, críticas, sugestões, análises etc. feitas sobre o Currículo? <br />
  4. 4. Leitura Compartilhada e Reflexão<br />Refletir sobre o currículo da Educação Infantil significa pensar sobre:<br />O que é a Educação Infantil? Lugar de guarda? Fase preparatória?<br />Para que e para quem o currículo é elaborado?<br />Quais são as concepções de criança e infância que permeiam o currículo?<br />
  5. 5. A Constituição Federal de 1988 concretizou o atendimento em creches e pré-escolas como um direito social.<br />A lei 9394/96 (LDB) evidencia o estímulo à autonomia ao possibilitar a organização flexível do currículo pelas unidades educacionais.<br />Mas o que quer dizer organização flexível do Currículo? O currículo atual possibilita tal flexibilidade?<br />
  6. 6. Pela LDB 9394/96, a Educação Infantil é aquela que tem um caráter institucional e educacional.<br />Nas DCNEI, o currículo é entendido como “as práticas educacionais organizadas em torno do conhecimento e em meio às relações sociais que se travam nos espaços institucionais, e que afetam a construção das identidades das crianças”.<br />
  7. 7. KISHIMOTO (1994) define currículo como “explicitação de intenções que dirigem a organização da escola visando colocar em prática experiências de aprendizagem consideradas relevantes para crianças e seus pais”.<br />
  8. 8. O currículo inclui definições sobre o tipo de escola que se deseja, o que se pretende oferecer, a forma de administrá-la, o contexto histórico, ideológico, filosófico, sociológico, cultural, político, econômico e psicológico em que se insere; trata das relações da escola e seu currículo com a sociedade como um todo, as metas, os conteúdos, os recursos, a avaliação, o desenvolvimento estratégias e modos de planejar e implementar o currículo, se orientado para a resolução de problemas, para o desenvolvimento infantil ou para experiências institucionais nacionais ou domésticas. <br />
  9. 9. OLIVEIRA (2010) ressalta que as DCNEI propõem a superação de concepções de currículo como sendo listas de conteúdos obrigatórios, ou disciplinas estanques, ou atividades regidas por um “calendário voltado a comemorar determinadas datas sem avaliar o sentido das mesmas e o valor formativo dessas comemorações” ou mesmo da ideia de que apenas o saber do senso comum deva ser tratado com crianças pequenas.<br />
  10. 10. O Currículo Experimental demonstra a superação de tais concepções?<br />O que está implícito na divisão do currículo em âmbitos de experiência e eixos?<br />Como são definidas questões relacionadas a agrupamentos, enturmação, utilização dos espaços?<br />
  11. 11. O que significa separar as crianças por faixa etária? Quais são as concepções que estão latentes nesta divisão?<br />Estão constituídos espaços para a expressão das crianças de modo autônomo? Estão previstas relações entre crianças de diferentes idades? De que modo?<br />
  12. 12. Está prevista a participação das crianças nos processos decisórios da escola? O exercício democrático é fomentado? De que modo?<br />
  13. 13. SARMENTO ressalta a importância de identificarmos as imagens sociais da criança que estão subjacentes às nossas práticas.<br />As crianças são vistas como más? <br />São vistas como seres de inocência, pureza?<br />São vistas como projeto para o futuro?<br />As crianças são seres naturais antes de se constituírem seres sociais?<br />A criança é vista como um preditor do adulto?<br />
  14. 14. Quais os aspectos do Currículo Experimental que precisarão ser aprofundados nas reflexões?<br />
  15. 15. Sugestões de leitura<br />propostas pedagógicas ou curriculares de educação infantil: para retomar o debate<br />Sonia Kramer <br />Planejamento na Educação Infantil <br />Luciana Esmeralda Ostetto<br />O fio e a trama: as crianças nas malhas do poder<br />Maria Isabel EdelweissBujes<br />P r o p o s t a s p e d a g ó g i c a s o u c u r r i c u l a r e s : Su b s í d i o s p a r a uma l e i t u r a c r í t i c a<br />Sonia Kramer*<br />http://www.dominiopublico.gov.br/download/texto/me002343.pdf#page=14<br />http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/1904/000311899.pdf?sequence=1<br />

×