A arte na história aula inaugural

6.939 visualizações

Publicada em

marina mala

Publicada em: Negócios, Tecnologia
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
6.939
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
93
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

A arte na história aula inaugural

  1. 1. A Arte na História.<br />O ser humano reinventa seu meio.<br />
  2. 2. Com sua inventividade o ser humano encontra formas de superar seus limites físicos.<br />No nosso cotidiano estamos rodeados por objetos funcionais.<br />O Designer torna-se o profissional da Modernidade: surge com a intenção de inserir beleza estética a objetos do dia a dia.<br />Ao longo da história: HOMEM  OBJETOS (superação de limitações físicas)<br />
  3. 3. Os robôs substituem o trabalho humano (Manual).<br />
  4. 4. Natureza X Homem<br />Assim, o homem, esse ser, que seria facilmente subjugado pelos elementos da natureza, produziu um sem número de artefatos que lhe tornaram possível transformar o meio natural segundo suas necessidades.<br />Através desses objetos, encontrados em sítios arqueológicos do mundo todo, os estudiosos conseguem reconstruir a organização social de diferentes grupos humanos.<br />
  5. 5. Objetos Utilitários – Homem Primitivo.<br />
  6. 6. Pedra Lascada – Homem Primitivo.<br />
  7. 7. Cromlech de Stonehenge.<br />
  8. 8. E onde começa a arte?<br />O ser humano, seja de qual época for, cria objetos não apenas para se servir deles, mas também para expressar seus sentimentos diante da vida.<br />Obras de arte: muitas dessas obras que NÃO tem utilidade e por vezes NÃO expressam uma clara intenção.<br />As obras de arte nos contam ( talvez de uma forma até mais fiel que os objetos) a história humana ao longo dos séculos.<br />
  9. 9. O livro das NAÇÕES.<br />“...as grandes nações escrevem sua autobiografia em três volumes: o livro das suas ações, o livro de suas palavras e os livro de sua arte. (...) nenhum desses três livros pode ser compreendido sem que se tenha lido os outros dois, mas desses três, o único em que se pode confiar é o último”.<br />(John Ruskin. 1819 – 1900)<br />A criação artística deve ser vista como integrada à cultura e aos sentimentos de um povo.<br />
  10. 10. A criação artística: ora retrata elementos do meio natural.<br />
  11. 11. Ora representa divindades de uma antiga civilização ou expressa sentimentos religiosos.<br />
  12. 12. A arte pode também ser um testemunho histórico, ao retratar situações sociais.<br />
  13. 13. O artista pode trabalhar com elementos pictóricos – cor e composição, por exemplo - , sugerindo diferentes sensações e impressões a quem contempla sua obra.<br />
  14. 14. <br />Todas essas manifestações artísticas demonstram uma preocupação humana: a busca por expressar a beleza. Essa busca está tão presente em todas as culturas que até mesmo os objetos utilitários são concebidos de forma harmoniosa, com uma cuidadosa combinação de materiais e cores. Notamos isso tanto em uma urna funerária grega, como em um instrumento astronômico do século XVI, em um automóvel de nossa época ou em um diadema indígena.<br />
  15. 15. Urna Funerária Grega.<br />
  16. 16. Objetos astronômicos: século XVI.<br />
  17. 17. Corvette: exposto no 2º Salão de Tuning, realizado em maio de 2006 na Bienal do Ibirapuera, em São Paulo.<br />
  18. 18. Diadema – Índios Bororó (Mato Grosso)<br />
  19. 19. Conclusão:<br />Com seus múltiplos significados, a arte não está, portanto, isolada das demais atividades humanas: ela está presente nos inúmeros artefatos que fazem parte do nosso dia a dia. Muitos objetos que hoje vemos nos museus, ontem faziam parte do cotidiano de um grupo humano. Muitas construções hoje tombadas como Patrimônio Histórico foram antes moradias: nelas, famílias inteiras compartilharam momentos de alegria e tristeza.<br /> Do mesmo modo, os objetos de que nos cercamos hoje poderão no futuro ser expostos nos museus, como testemunhos de nossos hábitos, nossos valores e nosso modo de vida.<br />P.S.: Aula preparada a partir do livro “História da Arte”, de “Graça Proença”. <br />

×