As eubactérias

873 visualizações

Publicada em

Publicada em: Educação
0 comentários
1 gostou
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
873
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
2
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
4
Comentários
0
Gostaram
1
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

As eubactérias

  1. 1. As eubactérias
  2. 2. Reino Componentes Critérios de classificação Monera bactérias e cianobactérias Procariontes ; Heterótrofos ou autótrofos; Protista Algas e protozoários Eucariontes; Heterótrofos ou autótrofos; Unicelulares ou pluricelulares sem tecidos organizados; Fungi Fungos Eucariontes; Heterótrofos; Unicelulares ou pluricelulares sem tecidos organizados; Nutrição por absorção de nutrientes obtidos da M.O. (por eles decomposta) ou de seres vivos; Vegetal (Plantae) Briófitas; Pteridófitas; Gimnospermas; Angiospermas. Eucariontes; Autótrofos; Pluricelulares com tecidos organizados. Animal (Animalia) Poríferos até cordados Eucariontes; Heterótrofos; Pluricelulares com tecidos organizados.
  3. 3. Reino Monera Bactérias e cianobactérias
  4. 4. Características  Procariontes (sem carioteca)  Unicelulares  Célula formada pelos quatro componentes fundamentais a qualquer célula: hialoplasma, ribossomos, cromatina (DNA) e membrana plasmática.  Além do DNA cromossômico, a maioria das bactérias apresentam plasmídeos (m. genético em forma de círculo) espalhados pelo hialoplasma.  Cianobactérias contém pigmentos fotossintetizantes (clorofila)  NÃO contém cloroplastos!
  5. 5. Organização celular  Parede celular: formada pela fusão de 2 substâncias : pequena seqüência de aminoácidos +Glicose= PEPTOGLICANO. É a principal proteção das bactérias. A maioria dos antibióticos, agem destruindo a PC bacteriana .A outra parte atravessa a PC e a Membrana Plasmática e provoca mutações no DNA bacteriano .  Cápsulas: Algumas bactérias possuem cápsulas por fora da Parede Celular. Elas são formadas por MONOPOLISSÁCARIDEOS. Nos pneumococos a cápsula está relacionada à virulência* da célula. Os acapsulados não provocam a doença.  Virulência: capacidade de invasão da célulahospedeira e de provocar a doença.
  6. 6. Reprodução Assexuada  Divisão binária, bipartição ou cissiparidade Este tipo de reprodução é o processo em que uma célula se divide em duas, por mitose, e origina duas células geneticamente idênticas.  É o tipo mais comum e freqüente de reprodução de bactérias.
  7. 7. REPRODUÇÃO SEXUADA  Conjugação: bactéria doadora envia parte do seu DNA para uma receptora. Essa se divide e origina bactérias diferentes.
  8. 8. REPRODUÇÃO SEXUADA  Transdução: é a troca de genes feita através de um vírus, que invade uma célula, incorpora seu material genético, e o transmite para outras células.
  9. 9. REPRODUÇÃO SEXUADA  Transformação: as bactérias podem incorporar ao seu DNA fragmentos de materiais genéticos dispersos no ambiente.  Bactéria A - Sem cápsula / Não patogênico. Bactéria B - Patogênica; com cápsula 1. Inocula bactéria A em rato = rato não morre; 2. Inocula bactéria B em rato = rato morre; 3. Inocula bactéria A morta em rato = rato não morre; 4. Inocula bactéria B morta em rato = rato não morre; 5. Em um meio de cultura inocula bactéria A viva e B morta em rato = rato morre 
  10. 10. FORMAS
  11. 11. FORMAS  Cocos e bacilos podem se unir formando colônias: 1. Cadeias: “estrepto”- 2. Grupos: “estafilo”- 3. Pares: “diplo”-
  12. 12. ESPOROS  As bactérias também podem originar esporos, em condições ambientes desfavoráveis à reprodução (altas ou baixas temperaturas, presença de substâncias tóxicas, etc). Eles são pequenas células bacterianas, com uma parede celular espessa, pouca água e um material genético. Elas são capazes de ficarem milhares de anos nestes ambientes, esperando por uma condição do ambiente melhor.
  13. 13. ESPOROS  A bactéria espessa sua parede celular , comprimindo o seu citoplasma (volume de moléculas da PC aumenta e o citoplasma libera seu material para o meio) .O metabolismo baixa para níveis mínimos , passando a gastar poucos nutrientes e ATP.  OBS: O bacilo do tétano vive em forma de esporos no meio ambiente (água, ar terra ) . Ao penetrar no ferimento ele volta a ter atividades metabólicas . (Eles só penetram em ferimentos profundos por serem anaeróbios estritos).
  14. 14. IMPORTÂNCIA 1. Participação em importantes processos ecológicos:  Decomposição da matéria orgânica morta: Bactérias decompositoras  NH3 e outros nutrientes  absorvidos pela natureza  Atuação no ciclo do nitrogênio (Rhizobium, Nitrobacter, Nitrosomonas)
  15. 15. IMPORTÂNCIA 2. Uso industrial: Acetobacter: oxidação do álcool etílico  ácido acético (vinagre); Lactobacillus e Lactococcus: conversão de lactose (açúcar do leite) em ácido láctico (leite azedo, redução do pH determina a precipitação de suas proteínas)  formação da coalhada iogurte (Streptococcus thermophilus), queijo (Streptococcuss pp)
  16. 16. IMPORTÂNCIA 3. Uso farmacêutico e cosmético  Produção de insulina (controle da taxa de açúcar no sangue, garantindo níveis apropriados à sobrevivência humana) Estética: utilização de sua toxina. É o caso da toxina botulínica (o "botox") que serve para paralisar, por um período, a musculatura do rosto (linhas de expressão), evitando as rugas da idade.
  17. 17. IMPORTÂNCIA 4. biorremediação: descontaminação de solos e água com ajuda de bactérias.
  18. 18. BACTÉRIAS CIANOBACTÉRIAS (algas azuis) A maior parte é heterotrófica Autotróficas (fotossíntese) As autotróficas fazem quimiossíntese ou fotorredução. fazem fotossíntese vegetal , com lamelas fotossintetizantes forma de resistência: esporos. forma de resistência: acineto . Reprodução sexuada ou assexuada reprodução assexuada (bipartição) .
  19. 19. Doença Bactéria Transmissão Sintoma Vacina Tétano Clostridium Tetani Bacilo e esporos Ferimentos profundos, provocados por objetos contaminados Intoxicação aguda com enrijecimento muscular Tríplice Difteria Corynebacterium diphteriae (Bacilo) Secreções do nariz e garganta Placas na Faringe e garganta Tríplice Coqueluche (tosse comprida) Haemophilus pertussis (Bacilo) Saliva. Secreções da laringe e brônquios. Acesso de tosse longa e prolongada Tríplice Tuberculose Mycobacterium tuberculosis (bacilo de Koch) Saliva e Catarro Tosse, expectoração, inapetência, cansaço, sudorese noturna BCG (prevenção) antibióticos Cólera Vibrio Cholerae (Vibrião) Contaminação fecal da água e alimentos Forte diarréia, com desidratação, e prostração antibiótico
  20. 20. Doença Bactéria Transmissão Sintoma Vacina Leptospirose Leptospira interrogans Urina de rato e água contaminada Febre alta e dores musculares Antibiótico Meningite pneumocócica Streptococcus pneumoniae Contato direto Febre, vômito, intensas dores de cabeça Antibiótico/ vacina Sífilis Treponema pallidum Sexo Contato com fluidos corporais Corpo dolorido, cancro, verrugas e feridas Antibiótico Gonorréia (blenorragia) Neisseria gonorrhoeae Sexo de qualquer tipo Contato com fluidos corporais Dor e ardor ao urinar Secreção amarelada Antibiótico Febre tifóide Salmonella typhi Alimentos e água contaminados Beijo Diarréia, febre, perda de apetite e manchas rosas Antibiótico Botulismo Clostridium Alimentos Paralisia Soro

×