São projetos e ações desenvolvidos pelas
Secretarias de Saúde, aprovados pelo Ministério de
Saúde, com a finalidade de inv...
Dengue
H1N1
Tuberculose
DST – Aides
Diabetes Mellitus
Entre outros
• Febril causada por um vírus e transmitida pela picada de um mosquito, o Aedes
aegypti. Dependendo da forma como se apres...
• A dengue pode ser transmitida por duas espécies de mosquitos, o Aedes aegypti e
Aedes albopictus, a transmissão pelo Aed...
Fisiopatologia da Dengue:
O mosquito infectado pica o homem. O vírus se dissemina
pelo sangue e consequentemente se instal...
Sinais e sintomas:
• Dor abdominal intensa;
• Vômito persistente;
• Tontura;
• Queda da tensão arterial;
• Pele, mão e pés...
Tratamento:
• Não há tratamento específico para o paciente
com Dengue clássica.
• O médico deve tratar os sintomas, como a...
Como combater:
Considerando a facilidade de disseminação, podemos imaginar o grau de dificuldade
para efetivamente combate...
Para a dengue, existem excelentes programas
estratégicos nacionais, estaduais e municipais.
A dengue é um dos principais p...
A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia oferece uma
rede ampla de serviços voltados para a prevenção da
Dengue, caracteri...
Foi criado um Grupo de Trabalho que responderá pela
organização das ações no âmbito da Secretaria
Municipal de Saúde para ...
Dados Epidemiológicos:
http://www.saude.salvador.ba.gov.br/dengue/arquivo/Boletim_dengue_09_08_2012.pdf
http://www.saude.salvador.ba.gov.br/dengue/arquivo/Boletim_dengue_09_08_2012.pdf
• O Plano de Contingência estabelece ações de Controle e assistência a todos os 12
Distritos Sanitários de Salvador.
• Nes...
Existe um Comitê Municipal de combate á dengue que é constituído por muitos órgãos,
como exemplo, a Secretaria Municipal d...
A seguir, exemplos de quadros que sumarizam ações, responsabilidades e parcerias de
dois setores específicos:
Visita Técnica:
Local da visita: Posto Médico Nelson Barros
Endereço: Avenida Brigadeiro Mário Epinghaus. Lauro de Freitas...
• Há números altos de incidência de reinfecção com outro sorotipo nesta unidade?
Não. Quando há casos suspeita de reincidê...
Anexos
de ações
para
o combate
à
dengue:
 http://www.saude.salvador.ba.gov.br/dengue
 http://www.bahiacontraadengue.com.br
 http://www.saude.salvador.ba.gov.br/...
Programas estrategicos dengue oficial
Programas estrategicos dengue oficial
Programas estrategicos dengue oficial
Programas estrategicos dengue oficial
Programas estrategicos dengue oficial
Programas estrategicos dengue oficial
Programas estrategicos dengue oficial
Próximos SlideShares
Carregando em…5
×

Programas estrategicos dengue oficial

313 visualizações

Publicada em

PE

Publicada em: Educação
0 comentários
0 gostaram
Estatísticas
Notas
  • Seja o primeiro a comentar

  • Seja a primeira pessoa a gostar disto

Sem downloads
Visualizações
Visualizações totais
313
No SlideShare
0
A partir de incorporações
0
Número de incorporações
3
Ações
Compartilhamentos
0
Downloads
1
Comentários
0
Gostaram
0
Incorporações 0
Nenhuma incorporação

Nenhuma nota no slide

Programas estrategicos dengue oficial

  1. 1. São projetos e ações desenvolvidos pelas Secretarias de Saúde, aprovados pelo Ministério de Saúde, com a finalidade de investir na promoção da saúde e na qualidade de vida do cidadão, assim como, trazer a saúde para perto do cidadão, tornando-o informado o máximo possível e quanto ao profissional, dar ao mesmo, a especialização necessária para que ele possa exercer seu trabalho com maior qualidade. No Brasil, existem muitos programas estratégicos, sendo todos eles, elaborados com base em dados epidemiológicos.
  2. 2. Dengue H1N1 Tuberculose DST – Aides Diabetes Mellitus Entre outros
  3. 3. • Febril causada por um vírus e transmitida pela picada de um mosquito, o Aedes aegypti. Dependendo da forma como se apresente pode ser de curso benigno ou grave: infecção inaparente, dengue clássica (DC), febre hemorrágica da dengue (FHD) ou síndrome do choque da dengue (SCD). • A infestação ocorre especialmente em locais onde as condições do meio ambiente são favoráveis ao desenvolvimento e proliferação do mosquito vetor. • São conhecidos quatro sorotipos 1, 2, 3 e 4. Geralmente, quando contaminada pela primeira vez, a pessoa contrai a dengue clássica e fica imune ao sorotipo que causou a doença. Uma segunda contaminação só ocorrerá quando infectado por outro sorotipo, nesse caso existe um risco muito maior de se contrair a dengue hemorrágica, que é muito mais grave e pode levar à morte. Conhecendo a dengue:
  4. 4. • A dengue pode ser transmitida por duas espécies de mosquitos, o Aedes aegypti e Aedes albopictus, a transmissão pelo Aedes albopictus não é comum porque o mosquito não costuma freqüentar o domicílio como o Aedes aegypti. • O Aedes Aegypti mede menos de um centímetro, tem aparência inofensiva, cor café ou preta e listras brancas no corpo e nas pernas, é um mosquito peridoméstico, que se multiplica em depósitos de água parada, acumulada nos quintais e dentro das casas. Apesar da vida curta, o Aedes é voraz: pode picar uma pessoa a cada 20 ou 30 minutos. • O mosquito costuma picar nas primeiras horas da manhã e nas últimas da tarde, evitando o sol forte, mas, mesmo nas horas quentes, pode atacar à sombra, dentro ou fora de casa. Os ovos do Aedes Aegypti podem sobreviver um ano em ambiente seco, enquanto esperam a estação seguinte de chuvas para formar novas larvas. Conhecendo o inimigo:
  5. 5. Fisiopatologia da Dengue: O mosquito infectado pica o homem. O vírus se dissemina pelo sangue e consequentemente se instala sobre o tecido. A multiplicação do vírus sobre o tecido provoca inflamação dos vasos e o sangue passa a circular mais lentamente. Com a circulação mais lenta, é comum que os líquidos do sangue extravasem os vasos e, com isso, o sangue torna-se mais espesso. Este, pode causar coágulos dentro dos vasos, provocando trombos, além disso, a circulação lenta prejudica a oxigenação e a nutrição ideal dos órgãos. Com o tempo, se não houver tratamento específico, pode haver um choque circulatório, o sangue deixa de circular, os órgãos ficam prejudicados e podem parar de funcionar, levando à morte.
  6. 6. Sinais e sintomas: • Dor abdominal intensa; • Vômito persistente; • Tontura; • Queda da tensão arterial; • Pele, mão e pés frios; • Diminuição repentina da temperatura; • Desconforto respiratório; • Pulso rápido e fino; • Agitação ou sonolência; • Redução do volume urinário; .
  7. 7. Tratamento: • Não há tratamento específico para o paciente com Dengue clássica. • O médico deve tratar os sintomas, como as dores de cabeça e no corpo, com analgésicos e antitérmicos (dipirona). • Devem ser evitados os salicilatos, como o AAS e a Aspirina, já que seu uso pode favorecer o aparecimento de manifestações hemorrágicas. Os salicilatos diminuem a função das plaquetas. Como o doente com dengue já apresenta tendências hemorrágicas e um número reduzido de plaquetas, inibir a função destas, pode agravar ainda mais o caso. • É importante também que o paciente fique em repouso e beba bastante líquido.
  8. 8. Como combater: Considerando a facilidade de disseminação, podemos imaginar o grau de dificuldade para efetivamente combater a doença - o que só é possível com a quebra da cadeia de transmissão, eliminando o mosquito dos locais onde se reproduzem (caixas d'água, barris, tambores, vidros, potes, pratos e vasos de plantas ou flores, tanques, cisternas, garrafas, latas, pneus, panelas, calhas de telhados, bandejas, bacias, drenos de escoamento, canaletas, blocos de cimento, urnas de cemitério, folhas de plantas, tocos e bambus, buracos de árvores e muitos outros onde a água da chuva é coletada ou armazenada).
  9. 9. Para a dengue, existem excelentes programas estratégicos nacionais, estaduais e municipais. A dengue é um dos principais problemas de saúde pública no mundo, especialmente em países tropicais como o Brasil, onde as condições do meio ambiente, aliadas a características urbanas, favorecem o desenvolvimento e a proliferação do mosquito transmissor. Todos os anos, o Ministério da Saúde realiza campanha nacional de combate à doença. O sucesso dessa ação depende de cada um de nós como, em 90% dos casos, o foco do mosquito está nas residências, alguns cuidados devem ser adotados por todos.
  10. 10. A Secretaria da Saúde do Estado da Bahia oferece uma rede ampla de serviços voltados para a prevenção da Dengue, caracterizados por programas, ações e projetos feitos não somente pelo estado ou pela prefeitura municipal mas também por ações comunitárias dos cidadãos, como exemplo das mobilizações. São ações de controle e assistência. Todas estão relacionadas à uma meta estabelecida pelo Ministério da Saúde: evitar a ocorrência de óbito por dengue, prevenir e controlar processos epidêmicos.
  11. 11. Foi criado um Grupo de Trabalho que responderá pela organização das ações no âmbito da Secretaria Municipal de Saúde para enfrentamento da Dengue no município de Salvador. Este grupo de trabalho tem por objetivo principal estabelecer responsabilidades e desenhar a organização da rede, trabalhando de forma articulada com as demais áreas técnicas da Secretaria para desenvolver ações sistematizadas na assistência e na situação de emergência por epidemia dessa doença. As Diretrizes Nacionais para a prevenção e controle de Epidemia de Dengue estão estruturadas em torno de 4 componentes: assistência ao paciente, vigilância epidemiológica, controle vetorial e comunicação e mobilização.
  12. 12. Dados Epidemiológicos:
  13. 13. http://www.saude.salvador.ba.gov.br/dengue/arquivo/Boletim_dengue_09_08_2012.pdf
  14. 14. http://www.saude.salvador.ba.gov.br/dengue/arquivo/Boletim_dengue_09_08_2012.pdf
  15. 15. • O Plano de Contingência estabelece ações de Controle e assistência a todos os 12 Distritos Sanitários de Salvador. • Neste Plano de Contingência, está detalhada a organização adotada pela Secretaria Municipal de Saúde para enfrentamento da doença e a adequação necessária à realidade municipal em relação às festas populares e carnaval que coincidem com a época de proliferação do Aedes aegypti pelas condições climáticas regionais. O Plano de Contingência define, ainda, a estruturação das unidades por nível de complexidade, local de referência, apoio diagnóstico, protocolo de atendimento e fluxo de encaminhamento e acompanhamento do paciente com dengue. • Cumprir meta estabelecida pelo Ministério da saúde: "evitar a ocorrência de óbito por dengue, prevenir e controlar processos epidêmicos"
  16. 16. Existe um Comitê Municipal de combate á dengue que é constituído por muitos órgãos, como exemplo, a Secretaria Municipal de Saúde, a Coordenação de Saúde ambiental, entre outros órgãos que juntos, elaboram estratégias que têm como objetivos principais os seguintes pontos: • Reestruturação do Comitê Municipal de Combate a Dengue, objetivando a intensificação das ações intersetoriais. • Realização de processo seletivo para contratação de 1.909 agentes de endemias para intensificação das ações de educação, inspeção, eliminação e tratamento de possíveis criadouros. • Intensificação das ações de divulgação através da imprensa (falada e escrita), dos agentes Comunitários, das escolas e da comunidade. • Verificar o grau de conhecimento dos soldados do Corpo de Bombeiros, Marinha, Exército, agentes comunitários da Coelba e carteiros. • Ação intersetorial, incluindo comunidade organizada, em bairros com alto índice de infestação.
  17. 17. A seguir, exemplos de quadros que sumarizam ações, responsabilidades e parcerias de dois setores específicos:
  18. 18. Visita Técnica: Local da visita: Posto Médico Nelson Barros Endereço: Avenida Brigadeiro Mário Epinghaus. Lauro de Freitas – BA, 42700-000 Telefone: (71) 3288-8801 Entrevistado: Aryane Katiuscia Pereira (Farmacêutica Generalista) Perguntas realizadas: • Qual a média de pacientes atendidos no mês com casos suspeita de dengue? Nesta unidade, os índices de pacientes com suspeita de dengue são muito baixos. Normalmente, quase não recebemos pacientes com suspeita de dengue e o que justifica isso é o fato de que o Município de Lauro de Freitas tem uma posição privilegiada com relação a infestação do mosquito da Dengue, tendo em vista os bons resultados dos programas, com relação ao combate ao mosquito, feitos pela Secretaria Municipal de Saúde. • Nesta unidade, quais a medidas utilizadas para o diagnóstico da Dengue? Em casos de suspeita de dengue, sempre optamos o exame de sangue, quando o paciente apresenta os sintomas mais comuns.
  19. 19. • Há números altos de incidência de reinfecção com outro sorotipo nesta unidade? Não. Quando há casos suspeita de reincidência, estes são em torno de um no máximo, a cada ano, por exemplo. • Qual programa para a dengue foi implantado nesse Distrito e como foi realizado? O combate à dengue em Lauro de Freitas está voltado à programas feitos com o intuito de mobilizar casa a casa, com a participação de agentes especializados para o combate ao mosquito. A população de Lauro de Freitas é muito bem informada pois sempre há palestras em escolas, igrejas e associações. A prefeita Moema tem uma preocupação admirável com relação à dengue e sempre “assegurou” de certa forma, à população aos riscos da dengue. • Qual o público alvo deste Programa, referente a sexo, idade e condições socioeconômicas? Não há público alvo. Todos estão inseridos na participação do combate à dengue. Crianças, jovens, adultos e idosos estão sempre informados. Há sempre cartazes e panfletos informativos são distribuídos quando mobilizações são feitas. Como Lauro de Freitas é uma cidade com muitas casas de veraneio e estas por sinal, ficam em alguns períodos do ano, desabitadas, elas têm uma atenção maior voltada para elas.
  20. 20. Anexos de ações para o combate à dengue:
  21. 21.  http://www.saude.salvador.ba.gov.br/dengue  http://www.bahiacontraadengue.com.br  http://www.saude.salvador.ba.gov.br/dengue/arquivo/Plano%20%20Conting%C 3%AAncia_Dengue_2010-2011[1]%20%20OK.pdf (CONSTA O PLANO DE CONSTINGÊNCIAS DA DENGUE)  http://www.pbh.gov.br/smsa/bhdengue/protocolodengue.pdf (CONSTA O PROTOCOLO PARA ATENDIMENTO AOS PACIENTES COM SUSPEITA DE DENGUE)

×