O slideshow foi denunciado.
Utilizamos seu perfil e dados de atividades no LinkedIn para personalizar e exibir anúncios mais relevantes. Altere suas preferências de anúncios quando desejar.

Avaliação extra hospitalar do paciente com suspeita de avc

9.430 visualizações

Publicada em

Abordagem sumário da suspeita de AVC no ambiente pré-hospitalar.

Publicada em: Saúde e medicina
  • Seja o primeiro a comentar

Avaliação extra hospitalar do paciente com suspeita de avc

  1. 1. AVALIAÇÃO EXTRA-HOSPITALAR DO PACIENTE COMSUSPEITA DE AVC/AVE AGUDO*Daniel Valente Batista O AVC é a 3 maior causa de morte no mundo, matando cerca de 6 milhões depessoas/ano, segundo a OMS. No Brasil, está entidade também é a maior causa demortes e deixa cerca de 50% dos sobreviventes em total incapacidade laboral.Contribuindo, assim, para grandes perdas econômicas. O Atendimento ao paciente com suspeita de Acidente Vascular Cerebral deveser feito o mais rápido e dirigido possível. Devido a possibilidade do uso da trombólise,nos casos de AVC isquêmico, deve-se perder o menor tempo possível na avaliação dodoente na cena de atendimento haja vista que o delta T máximo entre o início do quadroe a trombólise química não deverá ser superior a 3 a 4 horas. Ao se deparar com um paciente com suspeita de AVC/AVE agudo tente seguirum sequência lógica que englobe:1) Avaliação Inicial:- Inicie o ABCD da vida e intervenha conforme a necessidade em cada item- Determine o nível de consciência e a Escala de Glasgow (vide ao fim do texto)- Afira sinais vitais com frequência2) Histórico dirigido:- Identifique a hora dos inícios do sintomas ou o momento em que o doente foi vistonormal pela última vez. Por exemplo, se a vítima acorda pela manhã com queixassugestivas de AVC a hora considerada como início do quadro é o momento em que elase deitou para dormir.Se o paciente tem sintomas leves que vão piorando progressivamente, consideramos ohorário do primeiro sintoma- Pergunte sobre convulsão- Determine se houve algum AVC prévio, doença prévia, história de Trauma CrânioEncefálico (TCE), história de hemorragia ou procedimento cirúrgico. Essas perguntas,dentre outras coisas, servem para saber se o paciente será, ou não, elegível paratratamento com rtPA *Médico Graduado pela Faculdade de Medicina da Universidade Federal do Ceará.Oficial Médico do Serviço de Saúde do Exército Brasileiro. Ex-integrante da Liga do CoraçãoFaMed -UFC
  2. 2. 3) Exame físico dirigido:- Ausculta Cardiopulmonar e carótidas- Pressão Arterial, Frequência Cardíaca e Respiratória- Nível de Glicose Sanguínea, pode-se utilizar uma glicemia capilar inicialmente- Observe se há sinais de trauma- Faça o exame neurológico que inclua: - Glasgow, Força, Sensibilidade, Pares Cranianos, Sinais Meningeos - Faça triagem pré-hospitalar de cincinnati (vide ao fim do texto)4) Após as medidas, se identificado possível AVC/AVE:- Trie para Hospital especializado em AVE mais próximo. No nosso caso, o únicohospital da rede pública apto pelo Ministério da Saúde a realizar atendimentoespecífico, inclusive com possibilidade de trombólise química, é o Hospital Geral deFortaleza.- Leve sempre um membro da família ou testumnha consigo, se possívelNormar gerais para o tratamento do Paciente com AVC agudo1) Fluidos: Evite usar soluções gliocasas e excesso de reposição hídrica2) Glicemia: exerça um controle glicêmico rigoroso. Faça Bolus de Glicose a 50% se opaciente estiver hipoglicêmico e insulina se Glicemia maior que 185 mg/dl.Obviamente, os valores de ponto de corte poderão variar conforme o protocolo e ascondições de trabalho da equipe.3) Faça monitorização de Frequência Cardíaca, Saturação de O2, Pressão Arterial eEletrocardiográfica4) Oxigênio: Forneça 02 acessório em todos com Sat 02< 94%5) Faça controle de temperatura com analgésicos tipo paracetamol ou dipirona,preferencialmente de maneira endovenosa.6) Avalie a deglutição do paciente antes de liberar qualquer tipo de dieta
  3. 3. ESCALA PRÉ-HOSPITALAR DE CINCINNATI PARA AVC – LAPPS
  4. 4. ESCALA DE COMA DE GLASGOW Escore Máximo 15ABERTURA DOS OLHOSEspontânea 4Resposta ao pedido verbal 3Resposta a Dor 2Nenhuma 1MELHOR RESPOSTA VERBALConversa Orientada 5Conversa Confusa 4Palavras Inapropriadas 3Sons Incompreensíveis 2Nenhuma 1MELHOR RESPOSTA MOTORAObedece a comando 6Localiza a dor 5Localiza a retirada da dor 4Flexão Anormal 3Extensão Anormal 2Nenhuma 1Interpretação da Escala de Coma de GlasgowEscore de 14 a 15: disfunção leveEscore de 11 a 13: disfunção moderada a graveEscore ≤ 10: disfunção graveBIBLIOGRAFIA1) Projeto Nacional de Atendimento a Doença Vascular Aguda – Projeto AcidenteVascular Cerebral Parte 1- Atendimento a Fase Aguda – Ministério da Saúde, acessadoem Março de 2012 em:http://pwweb2.procempa.com.br/pmpa/prefpoa/redebrasilavc/usu_doc/projetonacionalavc2009.pdf2) Manual de Atendimento Cardiovascular de Emergência e Urgência para Profissionaisde Saúde. American Heart Association. 2010 ISBN 978-1-61669-000-7

×