Segmentação de mercado - LUXO

5.907 visualizações

Publicada em

Trabalho sobre segmentação de mercado, focando no mercado de Luxo, como parte da disciplina de Marketing Estratégico, da FIA - Fundação Instituto de Administração.

Publicada em: Negócios
  • Seja o primeiro a comentar

Segmentação de mercado - LUXO

  1. 1. MARKETING ESTRATÉGICO Segmentação de Mercado LUXO São Paulo, 4 de Julho de 2013.
  2. 2. “Luxo não é o oposto de pobreza; é o oposto de vulgaridade.” COCO CHANEL
  3. 3. • A relação do consumidor com o luxo é emocional. O que interessa é sentir-se adequado com o uso de uma marca que reflita determinados valores. • A manifestação do consumo de luxo não se dá de maneira programada, mas por impulso. • Na época contemporânea, vê-se triunfar o culto das marcas e dos bens raros. Na mesma linha, afirma-se a necessidade de não mais sermos reconhecidos pelo status social, mas sim, de destacar-nos na massa, de não sermos como os outros, de sentirmo-nos um ser de exceção.
  4. 4. • Busca por superioridade, exclusividade e diferenciação; • Projeção através de objetos de riqueza, sucesso e poder; • Ostentação, exibição da riqueza ou da conquista.
  5. 5. O Luxo nos reflete.
  6. 6. • Mercado de luxo: produtos com valor agregado – sofisticação • Justificar os valores cobrados através dos atributos intangíveis; • Construção de marcas fortes e com imagem consolidada. Bling H2O Água purificada em processos de ozônio, tratamento ultravioleta e micro-filtração, em garrafas decoradas com cristais Swarovski. Fizeram parte do MTV VMA e Emmys
  7. 7. A maioria das pessoas, tanto ricos como classe média, buscam o luxo afim de sentirem a sensação de afirmação da personalidade e de aproximação de algo único e diferenciado. Em relação à classe média, o importante não é ter (ser rico), e sim “parecer rico”, na qual os objetos se confundem com as pessoas e estas passam a ser o que possuem. Podem ser identificados no atual público consumidor de produtos de luxo 2 perfis: um formado por clientes ricos e abastados, fieis as tradicionais marcas de prestígio e outro formado por uma classe média muito sensível ao preço, pouco fiel a marca e de comportamento volátil. Fissler ouro 18k e 200 diamantes 100 mil libras Hello Kitty Feita de platina, rubi, diamantes e ametistas. R$340 mil
  8. 8. Sub-setores: • ACESSÓRIOS DE MODA • BAGAGEM/ARTIGOS DE COURO • CALCADOS • COSMÉTICAS • VESTUÁRIO • RELOJOARIA • PERFUMARIA • AUTOMÓVEIS • AVIÕES PARTICULARES • IATES • CHAMPAGNE • VINHOS • CRISTAIS • OURIVESARIA • PORCELANA E FAIANÇA • IMOBILIÁRIO • MOBILIÁRIO • LUMINÁRIAS • TÊXTEIS DE MOBILIÁRIO • DISTRIBUIÇÃO ALIMENTAR • HOTELARIA • RESTAURAÇÃO • INSTRUMENTOS MUSICAIS • FOTO, SOM E VIDEO • ARTIGOS DE PAPELARIA • EDIÇÃO • IMPRESSÃO • TABACARIA • FLORICULTURA • CUIDADOS CORPORAIS
  9. 9. Bugatti Veyron Velocidade máxima: 407 km/h 0-100 km/h em 2,8 segundos Preço no Brasil: R$ 9
  10. 10. Fonte: Bain Luxury Goods 2012 Worldwide Market Study - Bain & Company (Italy) Não inclusas as seguintes categorias: Carros, vinhos, hotelaria, alimentação, design e iates.
  11. 11. Fonte: Bain Luxury Goods 2012 Worldwide Market Study - Bain & Company (Italy) Não inclusas as seguintes categorias: Carros, vinhos, hotelaria, alimentação, design e iates.
  12. 12. Previsão de Crescimento em 2013 Europa 4% Japão 5% EUA 7% América do Sul 12% China 7% Ásia-Pacífico 20% Oriente Médio 5%
  13. 13. Fonte: Bain Luxury Goods 2012 Worldwide Market Study - Bain & Company (Italy)
  14. 14. Atualmente, o luxo está mais a serviço da promoção de uma imagem pessoal do que de uma imagem de classe. • Nos últimos anos, a concepção de “luxo” transformou-se de luxo “prestígio” (símbolo de status social) para luxo “conquista” (símbolo de desenvolvimento e evolução pessoal e profissional); • O que antes era visto como direito de berço, hoje é visto como conquista, que pode ser almejada e alcançada por “qualquer” pessoa.
  15. 15. • Várias transformações estruturais modificaram a significação do luxo. As novas tecnologias de informação, de produção, a emergência de novas classes abastadas e a globalização contribuíram para modificações no segmento. • A individualização, a emoção, o fetichismo, a sedução, a democratização do consumo são, atualmente, conceitos fundamentais para a compreensão do luxo pós-moderno. Ele se vê no desafio de aliar inovação e tradição, expressar originalidade, a fim de proporcionar um gosto pessoal livre de convenções. • O imperativo do luxo pós-moderno é torná-lo acessível a um número cada vez maior de pessoas.Na contemporaneidade coexistem vários tipos de luxo: luxo hierarquizado ou inacessíveis, intermediário e o acessível. Pêlos feitos de ouro Steiff – preço: £43,000 Jogo de xadrez: feito com ouro, rubis e diamantes. Preço: US$9.8 milhões iPhone 5 Black Diamond: Em ouro com um diamante negro de 26 quilates
  16. 16. A Globalização gerou oportunidades: Mais da metade do crescimento na demanda global origina-se atualmente em mercados emergentes, gerando novas oportunidades de exportação e investimentos. reformulação de estratégias questionando diferenças
  17. 17. LUXO NO BRASIL • Cresce o número de consumidores de produtos de luxo em todo o mundo; • O Brasil se encontra entre os dez maiores mercados do mundo. Na América só perde para os EUA; • Aparentemente o Brasil não parece o país ideal para a venda de produtos de luxo, mas ao se olhar com mais atenção, percebe-se que além de existirem brasileiros com alto poder aquisitivo, estes tem o perfil ideal para compras: adquirem produtos por impulso e se deixam levar pela emoção; • O país cresceu em torno de 35% nos últimos 5 anos dentro desse mercado; • São Paulo é a única cidade do mundo a ter 4 lojas da MontBlanc; • Das 320 lojas mundiais da Louis Vuitton, a do shopping Iguatemi, em São Paulo, é a terceira entre as mais rentáveis por metro quadrado.
  18. 18. Fonte: Bain Luxury Goods 2012 Worldwide Market Study - Bain & Company (Italy)
  19. 19. Marcas de luxo tradicionais aceleram suas atividades na Internet
  20. 20. Buscam o aumento da influência nas gerações X e Y… que são mais presentes na era digital MUDANÇA S
  21. 21. Atualmente, o preço também importa… racionalidade
  22. 22. Filantropia = melhor reputação
  23. 23. O casal real britânico optou por doações de caridade ao invés de presentes de casamento.
  24. 24. Responsabilidade social como uma necessidade crítica do negócio Não somente um slogan…
  25. 25. Uma das primeiras a aderir ao “eco luxo” foi a LVMH que adquiriu participação de 50% da grife Edun, marca criada por Bono Vox, vocalista do U2, que nasceu com o propósito de ajudar no desenvolvimento de países pobres e só utiliza algodão cultivado por pequenos produtores da África, garantindo retorno social a essas comunidades.
  26. 26. A fabricante de automóveis Bentley lançou no Brasil o seu primeiro modelo com a versão “flex” do Continental Supersport, avaliada em R$ 1,35 milhão. Segundo a montadora, o carro emite 70% menos CO2 na atmosfera. E tudo isso sem perder a esportividade e sofisticação.
  27. 27. A Gucci começou uma série de iniciativas eco-friendly que visa reduzir o consumo de papel e as omissões de dióxido de carbono. Suas embalagens foram redesenhadas, utilizando 100% do papel reciclado. As novas sacolas apresentam logotipo e as fitas que antes eram de plástico foram alteradas para fitas de poliéster. Esta ação foi introduzida em todas as 284 lojas da grife.
  28. 28. Uma das estratégias mais estruturadas é a da Cartier, responsável pela compra de 1% de todo o diamante usado em jóias no planeta, liderando um programa mundial de certificação na exploração de pedras preciosas. A Cartier mobilizou o Responsible Jewellery Council, que reúne 150 fabricantes de jóias, para convencer todos os associados a exigir de seus fornecedores uma certificação ambiental e social. A idéia é que a exploração de ouro e diamante de suas jóias não seja feita em zonas de conflito nem utilize mão de obra infantil, sobretudo na
  29. 29. O Aston Martin do Príncipe Charles foi adaptado para rodar com etanol – produzido a partir de sobras das uvas fermentadas de um vinhedo no Reino Unido.
  30. 30. Co-existência do luxo clássico com novos consumidores seletivos, com assessoria de confiança
  31. 31. Obrigado!

×